Arquivo de tag Unitrans

porpjbarreto

Projeto Operador em Ação da Unitrans começa última etapa de 2019 com treinamento sobre Condução Responsável

Os motoristas da empresa de ônibus Unitrans começaram nesta segunda-feira (18) a última uma etapa do projeto Operador em Ação de 2019. Durante toda essa semana e até o dia 22, os operadores trabalharão uma temática operacional, focada em algumas peças da engrenagem de um veículo – a turbina, o freio e a embreagem. Esses três itens estão diretamente ligados ao desempenho do veículo, ao consumo de combustível, a segurança da condução e a própria vida útil do motor e destas engrenagens importantes. A partir do tema ‘Impacto Positivo de uma Condução Responsável’, o instrutor Cláudio Martins vai reforçar informações e atitudes que possibilitam que os operadores dirijam ainda melhor.

A capacitação, que acontece no auditório da Unitrans, foi aberta pela gerente de Recurso Humanos, Isabela Maria, que agradeceu o interesse dos operadores e a participação nos módulos anteriores do Projeto. “Antes de mais nada, quero agradecer o compromisso de vocês em participarem dos treinamentos e buscarem, no dia a dia, melhorar a nossa prestação de serviços e desempenho operacional”, disse ela, enquanto passava várias fotos que registraram os treinamentos anteriores. Isabella lembrou ainda que no dia 14 de dezembro será a celebração Natalina da empresa e fez o convite para que todos participem deste momento.

Dividido em cinco etapas bimestrais, com duas turmas por dia, sendo uma pela manhã e outra à tarde, e divididas por terminais de linhas para que todos os profissionais possam participar sem atrapalhar seus turnos de trabalho, o Projeto começou hoje (18) sua última etapa antes da cerimônia de premiação dos melhores operadores do ano, que acontece na primeira quinzena de dezembro, provavelmente, no dia 11.

Nesta última etapa do Projeto, os operadores estão tendo a oportunidade de revisar procedimentos que melhoram a dirigibilidade dos veículos e, consequentemente, aumentam a vida útil de peças importantes e fundamentais na engrenagem dos ônibus.  “Questões básicas como esperar cerca de 30 segundos depois de ligar o veículo para dar partida ou desligar com ele já parado, fazem a diferença na vida útil de turbinas, assim como não descansar o pé no pedal respeitar o tempo de rotação para troca de marcha, aumenta a vida útil da embreagem e evitar dar freadas bruscas para não danificar precocemente o disco de freio”, reforçou o instrutor, lembrando que ao menor sinal de que algo está errado com o veículo, o operador precisa acionar a garagem e solicitar o reparo. Ainda segundo Charles, a turbina é uma peça cara cujo tempo de vida útil pode ser reduzido em 50% caso a operação do veículo não seja correta.

O chefe de tráfego Allisson Ricartti, falou em seguida, comentando alguns resultados do Operador em Ação, que embora seja voluntário, tem tido um bom engajamento dos profissionais e mostrado uma curva ascendente de resultados positivos. “Vocês sabem que é muito importante essa participação no Projeto e o compromisso na busca de melhores resultados na operação e nós temos avançado muito. Ainda não estamos no ideal, mas já melhoramos bastante”, destacou Allisson apontando os avanços. O gerente de Manutenção da Unitrans, Ricardo Galvão, também prestigiou a abertura da semana de capacitação, reforçando o papel que tem cada operador e o convite para participar da celebração natalina, no dia 14 de dezembro.

O motorista do Circular 1.500, Gilvamberto Amarente Ferreira, que há 24 anos é funcionário da empresa e que foi um dos profissionais que se destacou pelo desempenho de suas funções, reforçou a importância de cada um fazer a sua parte, na busca de melhores resultados. “Se cada um fizer o seu melhor, lógico que todos ganham com isso, a empresa, que melhora o serviço, o passageiro que é melhor atendido e a gente que tem a garantia de um trabalho, além da cidade que continua a ter um serviço de transporte exemplar. Eu faço a minha parte. Eu sou um colaborador e sempre fiz o melhor que pude”, disse ele, que hoje ganhou um brinde – um conjunto de ferramentas- pelo seu bom desempenho na Linha.

Assessoria de Imprensa 

porpjbarreto

Empresas acordam pagamento de salários na quarta-feira e motoristas suspendem paralisação que aconteceria neste dia 22

A paralisação dos motoristas de transporte público de João Pessoa, anunciada para acontecer nesta terça-feira (22), não será mais realizada. A decisão foi tomada durante uma reunião que aconteceu na sede da Superintendência de Mobilidade Urbana (Semob), na noite desta segunda-feira (21), entre empresários do setor e representantes do Sindicato da categoria. Ficou acordado durante o encontro, intermediado pelo superintendente da Semob, Adalberto Araújo, que as empresas pagarão a quinzena dos motoristas nessa quarta-feira (23)

Com dificuldades que se agravam há anos, resultado de uma crescente perda de arrecadação, em função da brusca queda de passageiros do sistema de transporte, as empresas há muito estão operando no limiar e, em muitas ocasiões, tendo que recorrer a bancos para complementar o pagamento de suas contas, entre as quais se destaca o custo com a folha de pessoal, a maior despesa do setor, seguida com os custos com combustíveis. “A conta não fecha há algum tempo, haja vista o número de empresas que faliram, fecharam e saíram do mercado. A tarifa hoje é alta para a população, porque cada vez mais, menos gente divide os custos do transporte público, e também não remunera a operação, porque sempre está defasada em relação aos aumentos de insumos e custos do setor. É uma equação difícil”, destaca o diretor da Unitrans, Alberto Pereira.

Entre os fatores que levaram as empresas a essa situação, destaca-se a concorrência desleal dos transportes clandestinos, a migração dos passageiros para outros modais, como motos e bicicletas e, mais recentemente, a invasão dos serviços de veículos que fazem transporte remunerado via aplicativos.

 “Vivemos o pior momento do setor no país e isso não é discursos de quem quer impressionar, mas uma triste realidade que precisa ser mostrada a sociedade porque é ela que, fatalmente, sofrerá o maior impacto com o comprometimento de um serviço essencial para o dia a dia das cidades”, reitera o diretor institucional do Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de João Pessoa (Sintur-JP), Isaac Júnior Moreira. O sistema de transporte público de João Pessoa é formado por dois consórcios: Navegantes, com as empresas Santa Maria, São Jorge, Mandacaruense e Marcos da Silva e o Unitrans, integrado pela Transnacional e Reunidas.

Assessoria de Imprensa