Arquivo de tag Rodovia Monsenhor Luiz Gualberto de Andrade

porpjbarreto

Deputados aprovam denominação de estrada em SJRP de ‘Rodovia Monsenhor Luiz Gualberto de Andrade’

Uma iniciativa do deputado estadual Jeová Campos aprovada, por unanimidade, durante sessão na Assembleia Legislativa desta quinta-feira (12), vai denominar de ‘Rodovia Monsenhor Luiz Gualberto de Andrade’ a estrada estadualizada através da Lei nº 11.534/2019, de 03 de dezembro de 2019. “Eu entendo que a homenagem que a ALPB faz ao Monsenhor Luiz Gualberto é justa e representa o reconhecimento deste Poder Legislativo Paraibano a um dos maiores lutadores pela educação e desenvolvimento do sertão paraibano, um homem de soluções, obstinado pelo trabalho, um apóstolo da educação e da fé. Gostava de trabalhar com a juventude. Soube educar evangelizando e evangelizava educando e eu me sinto muito honrado de ter sugerido essa homenagem”, destacou o autor da propositura.

A Rodovia em questão inicia no entroncamento da BR-405, no Sitio Varzinha, município de São João do Rio do Peixe, passando pelos Sítios Varzinha, Mundo Novo, Cachoeira da Moça, cruzando a Rodovia Estadual PB-391, em seguida passando pelos Sítios Água Branca, Engenho Velho, Açudinho e termina no Distrito de Bandarra, no em São João do Rio do Peixe.

“Monsenhor Luiz Gualberto era um educador incansável, nutria um sentimento de enfrentar desafios e teve uma grande e fundamental participação no processo de desenvolvimento educacional, econômico e social da região do sertão paraibano, patrocinado pela sua ação administrativa e visão profética”, afirma Jeová, lembrando que a implantação do Ensino Superior em Cajazeiras representa um dos mais importantes capítulos da história de Diocese daquela cidade, e teve como protagonista-mor Dom Zacarias Rolim de Moura, idealizador e criador da Fundação de Ensino Superior de Cajazeiras – FESC, com o apoio incondicional do Monsenhor Luiz Gualberto de Andrade.

Segundo Jeová, Monsenhor Luiz Gualberto lutou pela implantação de uma unidade de ensino superior federal no sertão, que a Faculdade de Filosofia Ciências e letras (FAFIC), se tornou no ano de 1979, no primeiro Campus da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) do sertão paraibano, sendo o religioso o primeiro diretor do novo campus. “Não tenho dúvidas de que a semente da educação em Cajazeiras foi plantada em solo fértil e regada com amor, desvelo e responsabilidade, razão pela qual aquela cidade já está consagrada como polo de educação superior e a Cajazeiras de hoje na educação deve muito a luta do Monsenhor Luiz Gualberto”, finaliza Jeová.

Breve histórico

O Monsenhor Luiz Gualberto de Andrade ordenou-se sacerdote pelo Bispo Dom Luis do Amaral Mousinho, no dia 04 de dezembro de 1949. Era portador de um vasto currículo. Foi vigário Cooperador da cidade de Patos nos anos de 1950/1951, em  Itaporanga, de 1952 a 1954, em Santana dos Garrotes, de 1952 a 1955, Capelão do Colégio Padre Diniz, em Itaporanga, de 1952 a 1955 e Pároco da cidade, de 1955 a 1958. Primeiro Reitor do Seminário Nossa Senhora da Assunção da Diocese de Cajazeiras, de 1955 a 1958, consultor da Diocese. Vigário de São José de Piranhas, Diretor do Ginásio Diocesano de Pombal, de 1960 a 1967, Diretor do Liceu Paraibano, de João Pessoa, no ano de 1969, Primeiro Diretor da Faculdade de Filosofia de Ciências e Letras de Cajazeiras, de 1969 a 1993, vigário da Paróquia de Nossa Senhora da Piedade de cajazeiras, 1969 a 1976, diretor do Colégio Diocesano Padre Rolim, de Cajazeiras, de 1972 a 1991, Fundador e Diretor do Curso Técnico de Enfermagem do Colégio Diocesano Padre Rolim de Cajazeiras, de 1975 a 1979, Coordenador do Campus V da UFPB, hoje UFCG, em Cajazeiras, nos anos de 1977 a 1980. Diretor da 9ª região de Ensino de Cajazeiras, nos anos de 1982 a 1983. Diretor do Colégio Nossa Senhora de Lourdes, de Cajazeiras, de 1984 a 1990. Tomou posse como Pároco efetivo da Catedral de Nossa Senhora da Piedade, em 08 de junho de 1969 onde permaneceu por um período de sete anos e Bispo Diocesano de Cajazeiras, em 1995. Foi nomeado Monsenhor por S.S. o Papa João Paulo II, no dia 14 de janeiro de 2002.

Assessoria