Arquivo de tag Maternidade

porpjbarreto

Maternidade de Patos registrou mais de 3,5 mil partos em 2019

Referência de atendimento a gravidez de alto risco e nos serviços prestados às mulheres de mais de 90 municípios do sertão paraibano, a Maternidade Dr. Peregrino Filho, de Patos registrou, de janeiro a dezembro do ano passado, a realização de 3.508 partos, sendo 1.946 cesáreos e 1.562 normais. A unidade, que integra a rede estadual de saúde, que também é Hospital Amigo da Criança e tem um banco de leite padrão Ouro, fechou o ano de 2019 com a totalização de 11.624 internações maternas. O relatório de gestão referente a 2019 mostra ainda que 615 recém nascidos utilizaram os serviços da UCIN, 289 passaram pela UTI Neo e 246 pacientes foram admitidas na UTI Materna.

Em média, a unidade realiza cerca de 300 partos/mês. O mês de maior registro de nascimentos em 2019 foi janeiro, com 553 e o menor foi abril que registrou 238 partos. O relatório de gestão aponta ainda que a Maternidade realizou 5.092 mamografias,  2.757 ultrassonografias e 1.033 Raio-X e 317 pacientes se submeteram a procedimentos de curetagem.

O diretor geral da Maternidade, Dr. Umberto Marinho Júnior, explica que o atendimento humanizado da unidade prioriza os partos normais, mas, que muitas das gestantes já chegam à Maternidade com intercorrências que impossibilitam que o parto não possa ser normal, daí a razão do número de partos cesáreos ter superado os normais em 2019. “Priorizamos o parto humanizado e sempre que é possível deixamos a natureza agir sem intervenções externas, mas, por sermos uma unidade de gravidez de alto risco, recebemos muitas gestantes que não são acompanhadas no pré-natal, que chegam com riscos iminentes tanto da própria vida, quando dos bebês, com quadros que impossibilitam a condução de um parto normal, daí esse registro de mais partos cesáreos que normal no ano passado”, explica o médico, lembrando que é gratificante olhar para os números e dados da unidade que comprovam a importância da prestação de serviços à população feminina do sertão.

Diferenciais da Peregrino Filho

A Maternidade além de atender gravidez de alto risco, integra a rede de cardiologia pediátrica que identifica cardiopatias congênitas, através de exames à distância, possibilitando um melhor acompanhamento dos bebês após o nascimento. A unidade também tem ambulatórios de microcefalia, que dispõe de uma equipe multidisciplinar, que acompanha crianças que nascem com a doença, outro de alto risco para gestantes, que são acompanhadas com maior atenção durante a gestação, reduzido assim o risco de intercorrências durante o parto, o ambulatório de egressos para recém nascidos prematuros que são acompanhados por pediatras durante o primeiro ano de vida e desde outubro do ano passado também dispõe do ambulatório de ginecologia.

Desde 2015, a Maternidade mantém uma sala de parto onde a gestante dispõe de um espaço especial, equipado com TV, bolas suíças e barras de apoio para exercícios que melhoram a mobilidade pélvica durante o trabalho de parto. Neste espaço, a paciente conta com acompanhamento de uma equipe de enfermeiros e técnicos de enfermagem. A inclusão da unidade, desde 2014, no programa Rede Cegonha, do Governo Federal, sendo a única unidade da região habilitada com esse atendimento também é outro diferencial da maternidade.

Assessoria 

porpjbarreto

Nota Informativa: Maternidade Dr. Deodato Cartaxo de Cajazeiras

NOTA INFORMATIVA

Diante da solicitação de informações no que diz respeito a um suposto “vazio” de profissionais médicos obstetras na Maternidade Dr. Deodato Cartaxo, vimos por meio desta informar que:

01 – Visando o melhor atendimento à população de Cajazeiras e cidades que compõem a 9ª Regional de Saúde, informamos que, devido o afastamento de um dos profissionais da casa, tivemos um pequeno desfalque no quadro funcional, contudo, a Direção Geral já realizou a contratação de uma nova profissional de obstetrícia para atuar no serviço durante a quarta feira no qual já iniciou os trabalhos no que diz respeito aos atendimentos;

02 -Informamos também que, o Hospital Regional de Cajazeiras através de sua Direção Geral, já se encontra em fase de finalização, a contratação de mais um profissional para a realização dos atendimentos nas segundas feiras, como também já foi solicitado junto a Secretaria de Estado da Saúde, a extensão de um profissional da cidade de Sousa-PB, para o HRC no intuito de suprir algumas carências no serviço e reforçar nos atendimentos no setor de obstetrícia na Maternidade Dr. Deodato Cartaxo, seguindo com 100% do seu funcionamento com profissionais habilitados.

A Direção Geral do Hospital Regional de Cajazeiras, segue na busca de melhorias para gerar um atendimento de qualidade e humanizado para a população sertaneja. No mais, nos colocamos a disposição para outros esclarecimentos.

 

Cajazeiras, 10 de Janeiro de 2020.

 

Hospital Regional de Cajazeiras

Rua. Tabelião Antônio Holanda, s/n- Centro. Cajazeiras – PB | (83) 3531-3563

E-mail: hospitalregionaldecajazeiras@gmail.com

porpjbarreto

Hospital Regional de Cajazeiras emite nota para esclarecer sobre morte de paciente na maternidade Deodato Cartaxo

GOVERNO DA PARAÍBA – SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE – HOSPITAL REGIONAL DE CAJAZEIRAS
GABINETE DA DIREÇÃO

NOTA DE ESCLARECIMENTO

Na manhã do último sábado (09), o gabinete da Direção do Hospital Regional de Cajazeiras, foi informado sobre o acontecimento de um óbito devido complicações no pós cirúrgico (cesariana), diante do fato, se faz necessário alguns esclarecimentos:

01 – A gestante/paciente chegou a Maternidade Dr. Deodato Cartaxo, na última quinta feira (07), com queixa de perda de líquido, sendo de imediato acolhida pela equipe, e realizados os primeiros atendimentos, seguindo os protocolos de acordo com os sintomas apresentados;

02 – Após ser avaliada, havendo a suspeita de perda de líquido, fora solicitado exame de ultrassonografia para um melhor diagnóstico, sendo confirmado a diminuição do líquido, havendo a necessidade de intervenção cirúrgica de imediato. A paciente foi levada para o bloco cirúrgico e realizado o parto cesário, onde ocorreu tudo dentro da sua normalidade, inclusive, após algumas horas após o procedimento, a paciente já amamentava a criança;

03 – No dia seguinte, sexta feira (08), a paciente ao levantar-se, sentiu-se mal, apresentando cansaço (dispineica), sendo tão logo solicitado a equipe médica para melhor avaliação. Após avaliada, houve a necessidade do internamento da paciente na UTI devido o agravamento de seu quadro clínico, em dado momento, a paciente entrou em Parada Cardio Respiratória – PCR, sendo administradas as manobras de Reanimação Cárdio Pulmonar – RPC, onde voltou a apresentar seus sinais vitais, e logo em seguida, intubada;

04 – Na manhã deste sábado (09), a paciente entrou em uma segunda PCR, havendo a intervenção da equipe da UTI, e identificado um quadro de Embolia Pulmonar, sendo de pronto realizado a administração de medicamentos no intuito da destruição dos coágulos/trombos, mas, sem êxito. A paciente, infelizmente, chegou a óbito por Embolia Pulmonar.

O QUE CAUSA A EMBOLIA PULMONAR?

A embolia pulmonar é causada pela obstrução das artérias dos pulmões por coágulos (trombos ou êmbolos) que, na maior parte das vezes, se formam nas veias profundas das pernas ou da pélvis e são liberados na circulação sanguínea. Apesar de mais raros, também existem casos de embolias gordurosas provocadas por traumas ou fraturas, de embolias aéreas (bolhas de ar) e de líquido amniótico.

QUAIS OS FATORES DE RISCO?

São fatores de risco para a embolia pulmonar a imobilidade prolongada, cirurgias extensas, câncer, traumas, anticoncepcionais com estrógeno, reposição hormonal, gravidez e pós-parto, varizes, obesidade, tabagismo, insuficiência cardíaca, idade superior a 40 anos, DPOC e distúrbios na coagulação do sangue.

A Direção do Hospital Regional de Cajazeiras, lamenta profundamente a morte precoce da paciente, se colocando a disposição para outros esclarecimentos que se fizer necessário.

A Direção.

Cajazeiras, 09 de Novembro de 2019

porpjbarreto

Maternidade de Patos implanta novos serviços direcionados aos recém-nascidos e passa a ter uma triagem neonatal completa

Ofertar exames e testes que possibilitam a identificação precoce de algumas doenças e alterações em bebês, ampliando assim o cuidado aos recém-nascidos na unidade. E com esse propósito que a Maternidade Dr. Peregrino Filho, de Patos, passou a disponibilizar também os testes do Olhinho e da Linguinha. Com os três novos serviços que foram implantados na semana passada, a Maternidade passou a ter uma triagem neonatal completa, pois já realizava os testes da Orelhinha e do Coração, além do exame do Pezinho, sendo este último teste, direcionado apenas para os bebês que permanecem mais de dois dias na maternidade. Isto porque, o teste do Pezinho só pode ser feito após as primeiras 48 horas do nascimento e até o 5º dia de vida do bebê.

O teste do olhinho, é feito todos os dias da semana, nos horários 7h às 11h,
por um oftalmologista. Já o teste da linguinha é feito por uma fonoaudióloga, que encaminha, quando necessário, para uma pediatra, que por sua vez, realiza a Frenotomia ou a Frenectomia.

O diretor geral da Maternidade e pediatra, Dr. Umberto Marinho Júnior, lembra que os testes do olhinho e da linguinha auxiliam a detectar precocemente a presença de alterações oculares e dificuldades na sucção da mama em recém-nascidos. Quanto ao teste do Pezinho, Dr. Umberto lembra que ele já era ofertado pela Maternidade. “Com essa gama de exames, conseguimos ter uma triagem neonatal completa, possibilitando o diagnóstico precoce de doenças genéticas, metabólicas, endócrinas e infecciosas que podem pôr em risco a vida ou prejudicar o desenvolvimento somático, neurológico ou psíquico do recém-nascido”, destaca Dr. Umberto.

Assessoria de Imprensa 

porpjbarreto

Maternidade de Patos estuda possibilidade de formar turma para curso de Libras para facilitar comunicação de nova colaboradora

Que a Maternidade Dr. Peregrino Filho, de Patos é referência no atendimento à mulher, para mais de 60 municípios do sertão paraibano, é público e notório há muito tempo. O que pouca gente sabe é que a unidade, que integra a rede estadual de saúde, também tem responsabilidade inclusiva. Recentemente, a Maternidade contratou dois novos colaboradores portadores de necessidades especiais. Um dos novos contratados é portador de deficiência auditiva e o outro tem restrição de movimentos em uma das mãos. Ambos, participaram do processo seletivo de quadro reserva, realizado recentemente, e foram admitidos pela capacidade, não por causa das limitações. Por causa da colaboradora com deficiência auditiva, a direção da unidade está estudando a possibilidade de formar uma turma para realização de um curso de Libras, a fim de facilitar a comunicação da funcionária Maria Edilma Canuto Caetano com os demais colegas de trabalho.

Na última sexta-feira (18), uma primeira iniciativa neste sentido inclusivo já foi colocada em prática, quando Maria Edilma, lotada no Banco de Leite da Maternidade, na função de Auxiliar de Serviço, participou de uma aula de Libras, ministrada pelo professor Alisson Lucas, na UNIPLAN-Polo Patos, junto com as colegas de trabalho, Ana Maria de Lima Neves Vieira (Coordenadora de Higienização), Mayanne Monteiro Rodrigues (Técnica em Segurança do Paciente) e Perlania Oliveira Silva (Enfermeira do Núcleo de Segurança do Paciente).

Segundo a direção da Maternidade, a intenção é formar uma turma para realização de um curso de Libras para quem se interessar. “A inclusão é uma forma importante de integração no trabalho e entendemos que quantos mais pessoas estiverem aptas a se comunicar através da língua de sinais, mais a nossa nova colaborada estará integrada. Além disso, não pensamos apenas nela, mas no contexto geral onde a linguagem de Libras pode ser empregada para facilitar a comunicação com outros portadores de necessidades especiais, dentro e fora da Maternidade”, destaca o diretor geral da unidade, Dr. Umberto Marinho Júnior.

Os dois novos colaboradores são Francisco Jackson Araújo Almeida, 35 anos, que foi contratado, no dia 16 de outubro, para o cargo de Auxiliar em Administração, com lotação no Setor de Faturamento do Banco de Leite. Francisco tem restrição de movimentos em uma das mãos. Maria Edilma Canuto Caetano, tem 46 anos e atua como Auxiliar de Serviço e foi admitida no dia 17 deste mês. Além destes dois profissionais, a Maternidade admitiu, este mês, outros 29 colaboradores que participaram do processo seletivo, totalizando 31 novos contratados no período, para oito funções.

Assessoria de Imprensa

porpjbarreto

NOTA DE ESCLARECIMENTO: Santa Casa de Birigui Informa

A Santa Casa de Birigui Informa que após avaliação de período probatório, de noventa dias, está readequando os quadros na Maternidade Dr. Peregrino Filho, de Patos, com objetivo de redefinir atuações para tornar a unidade, cada vez melhor na prestação de serviços de saúde referência para às mulheres no sertão paraibano.

Neste sentido, as mudanças de quadro se fazem necessárias e oportunas.

Vale salientar que neste processo de desligamentos não houve extinção de postos de trabalho, apenas substituição de profissionais, e que as pessoas estão sendo contratadas após criterioso processo seletivo, a partir do cadastro de reserva.

 

Direção da Maternidade Dr. Peregrino Filho

porpjbarreto

MPF obtém liminar que obriga organização social a abastecer maternidade de Patos (PB) com medicamentos e insumos

Justiça determinou ainda que Instituto Gerir pague salários atrasados de funcionários

Após ajuizamento de ação civil pública, o Ministério Público Federal em Patos (PB) obteve liminar que obriga a organização social (OS) Instituto Gerir a abastecer a Maternidade Peregrino Filho, naquela cidade, com os medicamentos, insumos e materiais necessários ao seu funcionamento. A Justiça determinou ainda que os salários em atraso de todos os funcionários com atuação na unidade de saúde sejam pagos no prazo de 15 dias.

Irregularidades na maternidade foram denunciadas pelo Conselho Regional de Medicina (CRM) da Paraíba e relatadas na NF 1.24.003.000054/2019-76. Segundo o CRM, desde dezembro de 2018, os salários dos médicos não são pagos. Na semana passada, o problema se agravou, vez que a maternidade passou a ficar na iminência de desabastecimento de medicamentos e insumos, com a possibilidade de “interdição ética”, o que traria graves prejuízos à população de Patos e de outros 90 municípios sertanejos.

Segundo o MPF, possivelmente devido a bloqueio de recursos financeiros por autorização judicial,   a organização social não vem aplicando os recursos para o pagamento de funcionários e a aquisição de materiais, medicamentos e insumos, necessários e imprescindíveis ao bom funcionamento da maternidade. Ainda de acordo com o Ministério Público, a possibilidade de interrupção das atividades médicas configura sério atentado aos direitos das gestantes, “porquanto as parturientes  terão que recorrer a maternidades longínquas, pondo em risco a sua vida e a do embrião, sendo necessária a intervenção judicial para a solução do problema”.

Liminar – A liminar obriga o estado da Paraíba a, em havendo descumprimento das obrigações impostas ao Instituto Gerir, suspender imediatamente os repasses mensais à OS, referentes à Maternidade Peregrino Filho. Obriga também o estado a, em caso de descumprimento por parte do instituto, assumir a gestão da unidade de saúde, providenciando o imediato abastecimento de medicamentos, insumos e materiais necessários ao funcionamento, conforme relatório de estoque de materiais médicos e medicamentos, sob pena de aplicação de multa diária.

Conforme o MPF, na ação civil pública, “o Estado da Paraíba, apesar de realizar os pagamentos mensais à organização social, também é responsável pela situação, notadamente pela omissão na obrigação de analisar a capacidade do Instituto Gerir para a continuidade da prestação dos serviços, visto que os problemas na gestão do hospital ocorrem há pelo menos quatro meses, sem que tivesse tomado alguma providência concreta”.

Audiência de conciliação – Ainda na decisão, o juiz da 14ª Vara Federal em Patos determina realização de  audiência de conciliação com o estado e a OS. Determina, ainda, que a União e o Conselho Regional de Medicina da Paraíba manifestem interesse no feito.

Ação nº 0800185-85.2019.4.05.8205

Assessoria de Comunicação
Procuradoria da República na Paraíba