Arquivo de tag Hospital do Bem

porpjbarreto

Hospital do Bem realiza com sucesso cirurgia de tumor raro no ovário de uma paciente da cidade de Teixeira

A dona de casa Francisca Maria do Carmo, de 65 anos, moradora da cidade de Teixeira, passou os últimos seis meses viajando de sua cidade de origem para Campina Grande e João Pessoa tentando ajuda para realização de uma cirurgia no ovário. Com um imenso tumor nesta região, que a incomodava e preocupava bastante, a paciente, enfim, encontrou no Hospital do Bem, em Patos, o acolhimento e os cuidados que tanto necessitava. Em menos de 15 dias, entre a primeira consulta e o procedimento, a cirurgia de Dona Francisca foi realizada. Na última segunda-feira (21), a paciente se viu livre de um tumor que pesava 12kg.

O procedimento, realizado pelos cirurgiões oncológicos, Dr. Wostenildo Crispim e Dr. Júlio César Palmeira, com o suporte do anestesista, Dr. Rene Caroca e com o instrumentador, Fabrício, duro cerca de quatro horas. A cirurgia, segundo Dr. Wostenildo, foi um sucesso e a expectativa é que a paciente tenha alta no segundo dia após o pós-operatório. “Retiramos um tumor anexial esquerdo, raro, de um tamanho relevante, que agora será encaminhado para exame anatomo patológico, pois ainda não dispomos de biopsia de congelação no centro cirúrgico da unidade”, disse o médico.

Ainda segundo Dr. Wostenildo, caso a biopsia não acuse malignidade no tumor, a conduta será acompanhamento de três em três meses, durante o primeiro ano após a cirurgia. Noutra situação, ela será encaminhada para a oncologia clínica do Hospital do Bem para definição da conduta de quimioterapia. “De qualquer forma, a paciente foi acolhida e se necessitar de outro tratamento, também receberá todos os cuidados do Hospital do Bem”, destaca o médico.

Essa paciente, segundo relatos dela própria, chegou até a vender um imóvel para custear despesas das viagens para Campina Grande e João Pessoa. Para a diretora do Complexo Hospitalar Regional Deputado Janduhy Carneiro, o qual o Hospital do Bem faz parte, Liliane Sena, casos como o da paciente Francisca, de Teixeira, mostram o quanto faz a diferença na vida das pessoas dispor de um serviço destes no sertão. “Essa paciente necessitava deste procedimento, buscou isso em outros centros e foi aqui, em Patos, na nossa unidade e próximo da casa dela, que ela foi acolhida, teve sua demanda atendida e terá todo nosso aporte, caso necessite de outros cuidados. Isso reforça a importância do Hospital do Bem e quanto bem ele tem feito a tanta gente, desde que foi inaugurado, no ano passado”, reforça Liliane, lembrando que, no primeiro ano de funcionamento, o Hospital do Bem realizou 759 sessões de quimioterapia, 3331 consultas ambulatoriais, 726 internamentos e ainda 422 cirurgias, em pacientes de 80 municípios do interior.

Assessoria de Comunicação – Hospital Regional Deputado Janduhy Carneiro

porpjbarreto

Hospital do Bem promove Dia da Doação de Cabelos que serão utilizados para confecção de perucas para pacientes de câncer

Fazer o bem sem olhar a quem. Na próxima segunda-feira (21), essa premissa vai ser muito bem aplicada, através de uma ação que vai transformar a recepção do Hospital do Bem, em Patos, em um grande salão de beleza solidário. Isto porque, voluntários se unirão em torno de uma ação social de bastante significado que será o corte de cabelos para, posterior, confecção de perucas que serão destinadas a pacientes em tratamento oncológico. Para tanto, cabeleireiros voluntários estarão das 8h as 11h30 à espera das pessoas que se dispuserem a doar parte de seus cabelos para ajudar as pacientes que, por conta do tratamento quimioterápico, perderam o cabelo.

“Estamos comemorando o Outubro Rosa e festejando o aniversário de um ano de funcionamento do Hospital e, ao longo deste mês, estamos realizando várias atividades alusivas à campanha e o Dia do Corte de Cabelo será uma delas”, destaca a diretora geral do Complexo Hospitalar Regional Deputado Janduhy Carneiro de Patos (CHRDJC), Liliane Sena. O Hospital do Bem integra o Complexo e atua desde setembro do ano passado, com foco nos casos de câncer de Mama, Útero, Próstata e Pele.

Ainda segundo Liliane, a proposta de realizar o Dia da Doação de Cabelo surgiu como forma de contribuir para o resgate da autoestima das pacientes. “O cabelo influencia muito na questão estética e, portanto, na autoestima das pacientes e nem todas têm condições de comprar uma peruca. Dai, surgiu a ideia de realizar essa ação e a partir daí poder contribuir para que mais perucas possam ser confeccionadas e doadas”, destaca Liliane.

Retrospectiva

Essa semana, dentro da programação do Outubro Rosa do Hospital do Bem, aconteceram várias Rodas de Conversa. No dia 15, o tema trabalhado foi “A Importância da Alimentação para prevenção e tratamento do Câncer!”, com a médica oncologista, Nayarah Castro e a Nutricionista Riama Sobral. Nas abordagens para pacientes e acompanhantes, as profissionais transmitiram diversas informações relevantes sobre a importância de uma alimentação equilibrada e desvendaram alguns mitos relacionados à alimentação.

Na tarde do dia 17, aconteceu um Bate Papo com profissionais da área de Saúde sobre o tema “Alimentação, Atividade Física e Saúde!”. A Nutricionista Larruama Fernandes, o profissional de Educação Física, Coordenador do Curso de Educação Física da UNIFIP, Nalfranio Sátiro, e a Dra. Nayarah Castro falaram sobre esse tema sob a ótica de suas respectivas áreas de atuação, além de responder a diversos questionamentos dos presentes.

E na tarde do dia 18, foi realizado outro Bate Papo, desta vez sobre o tema “Avaliação de Feridas Crônicas e condutas terapêuticas em feridas oncológicas!”. A abordagem foi feita pelo enfermeiro, Petrônio Gouveia, professor do curso de Medicina da UNIFIP. As programações do Outubro Rosa e de comemoração de um ano de funcionamento do Hospital do Bem prosseguem com atividades até o dia 30.

Assessoria de Imprensa

porpjbarreto

Hospital do Bem continua programação do Outubro Rosa com Roda de Conversa com o cirurgião oncológico Wostenildo Crispim

A importância e diferenciais no tratamento do câncer no interior da Paraíba desde a inauguração do Hospital do Bem, em setembro do ano passado, como essa disponibilidade de tratamento mais próxima de casa impactou positivamente nos pacientes oncológico e em sua qualidade de vida e ainda formas de prevenção e sobre como o diagnóstico precoce influencia nas chances de cura. Esses foram tópicos abordados na Roda de Conversa, do último dia 10, que teve a participação do cirurgião oncológico, Dr. Wostenildo Crispim. O bate papo aconteceu no hall principal da unidade que integra o Complexo Hospitalar Regional Deputado Janduhy Carneiro, de Patos, e faz parte da programação do Outubro Rosa, que ao longo do mês tem diversas atividades e das comemorações de um ano de atividades do Hospital do Bem.

A partir do tema: Câncer – Prevenção e Diagnóstico Precoce – o cirurgião Oncológico, Dr. Wostenildo Crispim trouxe diversas informações importantes sobre esse tema e respondeu a perguntas dos presentes e também de todos os ouvintes do Programa Saúde na Rádio, da Rádio Espinharas, que estava sendo transmitido ao vivo enquanto acontecia a Roda de Conversa, que teve ainda a participação da diretora geral do Complexo, Liliane Sena e da coordenadora de Enfermagem do Hospital do Bem, Aretusa Delfino.  “A disponibilidade de tratamento próximo das residências dos pacientes, além de influenciar na qualidade de vida deles, já que não há mais o desgaste de se deslocar quilômetros de distância para ter acesso aos tratamentos, ainda é um fato que reduziu os casos de abandono do tratamento, porque muita gente, até por dificuldades de deslocamento, por não suportar as viagens, abandonavam o tratamento antes de terminar todo o ciclo, o que em se tratando de câncer agravava ainda mais a situação”, destacou Dr. Wostenildo, que respondeu ainda diversas perguntas das pacientes e dos presentes à Roda de Conversa.

Para o médico, que é um dos cirurgiões do Hospital do Bem, um detalhe importante em relação às doenças oncológicas é não se deixar abater pelo diagnóstico. “Hoje em dia, um diagnóstico de câncer não significa uma sentença de morte. Com os tratamentos disponíveis, o paciente pode ser curado. O que muda é que o acompanhamento com a prevenção deve ser mais intenso, mas, uma vez curado, não necessariamente a pessoa vai desenvolver outro câncer”, disse o médico, que lembrou ainda a diferença que faz um diagnóstico precoce no processo de cura. “Quanto mais cedo for descoberta a doença, maiores serão as chances de cura, principalmente no câncer de mama, onde as chances de cura são muito proporcionais ao tempo de descoberta a doença e início do tratamento”, afirmou Dr. Wostenildo.

Programação

 Nesta terça-feira (15), às 9h, outra roda de conversa explorará o tema ‘Relação câncer x alimentação’. No dia 17, às 15h, será a vez de abordar a questão da ‘Alimentação, atividade física e saúde’, em outra Roda de Conversa. No dia 21, acontecerá o Dia da Doação de cabelos, onde cabeleireiras voluntárias estarão à disposição de quem quiser doar parte de seu cabelo. O material doado será destinado à confecção de perucas para mulheres que fazem tratamento contra o câncer.No dia 22, a partir das 8h30, o Bate Papo recairá obre a temática da ‘Importância da equipe multidisciplinar e direitos do paciente oncológico’, enquanto que no dia 28, às 15h, o tema a ser debatido será ‘Auto estima e o enfrentamento do câncer’. O dia 30 terá atividades de musicoterapia, sessão de fotos e ainda de maquiagem para pacientes, colaboradores e acompanhantes, às 8h, e ainda outra roda de conversa sobre como enfrentar a doença e não perder a auto estima, às 10h. O encerramento do Outubro Rosa no Hospital do Bem acontecerá no dia 30, com uma sessão de cinema, exclusiva, para colaboradores, pacientes e acompanhantes, no Guedes Shopping Center.

Assessoria de Imprensa 

porpjbarreto

Além de realizar tratamentos o Hospital do Bem acolhe pacientes e desmistifica a velha máxima de que o diagnóstico de câncer é o fim

A maior lição da comemoração de um ano de funcionamento do Hospital do Bem – unidade oncológica que faz parte do Complexo Hospitalar Regional Deputado Janduhy Carneiro de Patos – é de que a unidade não apenas realiza com eficiência tratamentos de câncer, mas, acolhe os pacientes de maneira diferenciada e põe fim a velha máxima de que um diagnóstico de câncer é o começo do fim da vida. Essas afirmações não foram feitas pela diretoria da unidade, nem por funcionários, nem ainda por representantes da Secretaria de Saúde Estadual, que estiveram na manhã da última segunda-feira (07), na unidade, comemorando o primeiro ano de atividades do Hospital do Bem. Foram pacientes que se trataram lá, estão curados e deram seus próprios testemunhos.

Renata Cristina Silva Gomes, de 31 anos, foi a primeira paciente do Hospital do Bem, de Patos, a dispor de um cateter venoso implantável. A cirurgia de implantação do dispositivo foi feita no dia 13 de fevereiro deste ano, pelo cirurgião oncológico, Dr. Wostenildo Crispim. A paciente que tratou um câncer de mama, fez uso do cateter poucos dias após o implante. Antes, Renata fez uma cirurgia de neoplasia de mama também no Hospital do Bem, onde fez todo o tratamento quimioterápico que consistiu de 20 sessões. Na segunda-feira (07), coincidentemente, Renata foi levar os últimos exames para a oncologista do Hospital do Bem, Dra. Nayarah Castro, que acompanha a paciente desde outubro do ano passado. Os exames constataram que não há mais doença no organismo da paciente e hoje ela tocou o sino da vitória que simboliza a eficácia do tratamento e, consequentemente, a cura.

A Técnica de Enfermagem, que estava acompanhado do noivo, Herick Fernandes, disse que o acolhimento e tratamento que recebeu do Hospital do Bem fizeram-na mudar de conceito sobre pacientes e serviços oncológicos. “O Hospital do Bem fez toda a diferença em meu tratamento e na forma de como encarar a doença. A acolhida, o carinho e a atenção e cuidados que tive aqui mudaram a minha visão sobre o paciente de câncer. A Fé em Deus, o apoio da família, de meu noivo também foram cruciais nesse processo que alcancei a cura. Agora tenho outra imagem de paciente oncológico e da conduta que devemos ter com eles”, disse Renata que, em breve, pretende retomar sua rotina de trabalho na UBS Roberto Oba.

A aposentada Marli Alves da Silva, de 68 anos, de São Mamede, inaugurou os serviços cirúrgicos do Hospital do Bem, em setembro do ano passado, com a retirada de um tumor no endométrio. Ela também foi a primeira paciente a ser internada na unidade. Depois, fez sessões de quimioterapia no Hospital e outras sessões de radioterapia em João Pessoa. Ela também comemorou a cura da doença e disse que a facilidade de tratamento perto de casa e o carinho da equipe do Hospital do Bem foram fundamentais para ela. “Da recepção aos médicos, tudo aqui funciona muito bem, não há o que falar. Tive tudo o que precisei na área médica e mais ainda. Todos aqui nos recebem com sorrisos e nos enchem de esperança. E não foi só comigo. Isso são com todos os pacientes”, afirmou Marli, que aproveitou a comemoração de um ano e fez uma maquiagem com uma das profissionais que, voluntariamente, hoje, por causa de uma ação do Outubro Rosa, estavam à disposição das pacientes da unidade para deixa-las ainda mais belas.

A dona de casa, Arlinda Pereira da Silva, 73 anos, da cidade da Santana dos Garrotes, também tocou o sino da cura, na manhã da segunda-feira (07). Acompanhada do marido, o Sr. Jorge Calixto, que sempre esteve com ela em todas as sessões de quimioterapia, e da filha, Rosa Romildo, ela também recebeu hoje a boa notícia de que está curada. No início, após o diagnóstico de câncer, segundo a Dra. Nayarah, a paciente Arlinda resistiu a fazer o tratamento, mas, logo que foi tranquilizada com explicações da conduta, encarou todos os procedimentos com dedicação e compromisso. “Quando soube que estava doente, eu não queria mesmo fazer o tratamento. Falam tantas coisas que fiquei com medo, mas, depois que a médica conversou comigo, resolvi fazer e deu certo, graças a Deus e ao tratamento”, disse a Sra. Arlinda.

Sobre o Hospital do Bem

Após um ano de sua inauguração, o Hospital do Bem comprova que está cumprindo sua missão de acolher e tratar os pacientes de câncer no interior do Estado. Absorvendo boa parte do contingente de pessoas que antes da unidade só tinham a opção de tratamento do câncer em Campina Grande ou em João Pessoa, o Hospital contabilizou, de setembro do ano passado até agosto deste ano, a realização de 759 sessões de quimioterapia, 3331 consultas ambulatoriais, 726 internamentos e ainda 422 cirurgias, em pacientes de 80 municípios do interior. A unidade foi inaugurada no dia 03 de setembro de 2018. O Hospital oferta atendimento ambulatorial, tratamento quimioterápico e cirúrgico, para quatro tipos de câncer: pele, próstata, mama e colo de útero, para pacientes regulados, ou seja, com consultas e procedimentos já agendados previamente, via Secretarias de Saúde dos municípios, através da Central de Regulação do Estado.

A unidade tem 25 leitos e uma sala de quimioterapia com capacidade para atender dez pacientes simultaneamente. Além dos serviços ambulatoriais, da quimioterapia e cirurgia, a unidade realiza diversos exames, tais como, ultrassonografia com Doppler; tomografia; colposcopia, colonoscopia, endoscopia; eletrocardiograma; exames laboratoriais e Raio X. Prioritariamente, os serviços do Hospital do Bem são direcionados para a população dos municípios que compõem a 3ª macrorregião de saúde do Estado. Os exames são feitos no Centro de Diagnóstico, também inaugurado no ano passado, e que funciona dentro das instalações do Complexo Hospitalar de Patos.

Assessoria de Imprensa