Arquivo de tag estudantes

porpjbarreto

SISU 2020.1: Campus Cajazeiras oferta 150 vagas em cursos superiores

Inscrições de 21 a 24/01 para estudantes que fizeram o Enem 2019

O IFPB disponibilizou o quantitativo de vagas ofertadas em cursos superiores por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) para o semestre de 2020.1. Estão sendo ofertadas 1.430 vagas em 39 cursos superiores, sendo um total de 150 vagas para o Campus Cajazeiras. A seleção é voltada para quem fez o Enem 2019. As inscrições vão de 21 a 24 de janeiro de 2020.

Confira o edital. 

Para se inscrever, o candidato deve acessar o portal http://www.sisu.mec.gov.br/ e escolher a instituição e o curso que deseja. O candidato pode optar por até dois cursos e ao final o sistema seleciona o mais bem classificado. Caso esteja apto para os dois cursos, será escolhido o curso de primeira opção. Todo o processo de inscrição é online e gratuito. O resultado será divulgado dia 28/01.

O total de 150 vagas ofertadas pelo IFPB Campus Cajazeiras são distribuídas entre os cursos de: Licenciatura em Matemática (40); Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas (30); Bacharelado em Engenharia de Controle e Automação (40) e Bacharelado Engenharia Civil (40).

Confira o quadro de vagas e os cursos ofertados pelo IFPB. 

Acompanhe o cronograma de chamadas no portal do estudante.

 

Assessoria de Imprensa 

porpjbarreto

Projeto do Senador Veneziano coíbe abusos e amplia financiamento de cursos superiores para estudantes carentes

Em tempos de cortes dos recursos das universidades federais brasileiras, uma iniciativa do Senador Veneziano Vital do Rêgo (PSB-PB) busca minimizar os efeitos negativos da política educacional adotada pelo Governo Federal. Ele apresentou este ano um Projeto de Lei que objetiva coibir reajustes abusivos das mensalidades, ao tempo em que amplia o financiamento de cursos mais caros para estudantes carentes

O Projeto de Lei (PL) 1.772/2019, que altera a lei do Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior (Fies), tramita na Comissão de Educação (CE), sob a relatoria do Senador Izalci Lucas (PSDB-DF), que já deu parecer favorável.

A matéria muda a regra atual de que o reajuste será feito pelo índice de preço oficial definido pelo comitê gestor do Fies, indicando que este índice será o parâmetro máximo para reajustes. Além disso, revoga artigo da Lei 10.260, de 2001 que determina que o agente operador poderá estabelecer valores máximos e mínimos de financiamento, conforme regulamentação do Ministério da Educação e dos termos definidos pelo comitê gestor do Fies.

“Ensino de qualidade para todos os brasileiros” – Ao apresentar o projeto, Veneziano reclamou que o montante atual fixado pelo comitê gestor é insuficiente para financiar cursos mais caros, como o de Medicina, por exemplo.

Como membro da CE, Veneziano se mostrou preocupado em garantir ensino superior de qualidade para todos os brasileiros, especialmente, aos paraibanos. Ele lembrou que o Fies é uma iniciativa que já tem quase duas décadas, propiciando avanços importantes na democratização do acesso à educação superior no País.

Em sua justificativa, ele lembrou que, embora algumas das modificações introduzidas nessa ocasião sejam bem vindas, para dar ao Fies maior robustez, eficiência e sustentabilidade, outras acabaram por reduzir de forma acentuada o seu alcance social.

“Assim, julgamos positivo que o valor total do curso financiado pelo Fies tenha passado a ser discriminado no contrato de financiamento estudantil, com a especificação do valor da mensalidade no momento da contratação e de sua forma de reajuste ao longo do curso”, argumentou o Senador paraibano.

Se aprovada pela CE, a matéria seguirá para a análise da Comissão de Assuntos Econômicos (CAE), que dará a decisão final sobre o projeto.

Assessoria de Imprensa

porpjbarreto

Primeira edição do projeto Sinestesia é marcado pelo talento de estudantes e pelo humor da peça ‘Dai-me Paciência’

Alunos das 1ª e 2ª Séries do Ensino Médio do GEO Tambaú se reuniram na noite desta última sexta-feira (22), no auditório da escola, para apresentar o projeto Sinestesia a pais, professores e direção. Sinestesia tem o intuito de, através do teatro, da música, da dança e da poesia, “tocar” o público, fazer “sentir junto”, ou seja, alcançar a sinestesia. Acolhendo perfeitamente a proposta do projeto, a noite foi de revelação de talentos e puro envolvimento, fascinação e, muitos, mas muitos aplausos, principalmente, pelo humor e enredo da peça ‘Dai-me paciência’.

Na abertura da programação, o diretor do GEO, Danilo Abdala falou do orgulho de poder apresentar uma turma cheia de vida, de proatividade e de talentos. “Este espaço foi idealizado pelos alunos que gostariam de compartilhar conosco a sua produção cultural. Um orgulho para o GEO que estimula e dá vazão a esses talentos que precisam ser compartilhados com todos”, disse Abdala.

A primeira apresentação foi dos alunos Sidney e Bruna, da 3ª Série. O aluno Sidney já é conhecido no GEO pelas suas composições musicais autorais e, nesta sexta-feira ele e sua amiga impactaram com amplitude emocional da música “Piloto automático”. Bastante aplaudidos, os dois fizeram uma dupla no vocal e no violão e abriram com chave de ouro a primeira edição do Sinestesia.

Em seguida, uma surpresa levou o público a ficar e a querer mais daqueles garotos que experimentavam ousar e abusar de seus talentos. Alunos de séries distintas, até estudantes do 9º ano do Fundamental, apresentaram o musical “Dai-me Paciência”. Com um roteiro minuciosamente construído, extremamente agradável, cheio de jovialidade, música, dança, humor e poesia, a obra não deveu a nenhuma peça de teatro profissional. Foram 1h30 de pura risada, mas também de reflexão, principalmente, sobre o amor.

O enredo contava a historia de um pai que queria ver a última das filhas ( a aluna Bruna Camilly, da 1ª Série) casada, mesmo que ela não se interessasse pelo matrimônio. Enganada pelos irmãos, ela, que dizia só casar com o ator Tom Cruise, acaba enlaçada pelo melhor amigo (Gabriel Rodrigues, da 2ª Série), também engado pelos irmãos dela. Tudo isso regado a muito humor, dança e poesia. Ao final da apresentação, Sidney voltou ao placo acompanhado por mais dois para cantar novamente e fechar a noite com chave de ouro, assim como foi aberta.

Para Fabrício Mateus, o pai de Bruna Camily, a protagonista ‘Lílian’ da peça, a filha foi surpreende no placo. “Eu achei de um profissionalismo gigante. Maravilhoso. Ela e todo o elenco, roteirista, todos estão de parabéns pelo grande espetáculo”, disse ele. O roteirista da peça, que no dia também foi o narrador da história, João Pedro (Joca), da 2ª Série, explicou que o elenco passou dois meses ensaiando o texto. O roteiro foi idealizado no início do ano, quando ele voltou de um intercâmbio na Inglaterra. “Há dois meses que estamos com o roteiro pronto e só ensaiando. Aqui foi um trabalho coletivo. Roteiro, a poesia com Kuriá Dantas, a dança com Alícia. Cada aluno colocou sua participação, encaixou sua arte e ficou pronto”, comentou Joca.

Já Gabriel Rodrigues, protagonista como o noivo “Fabinho”, disse, com humor, que o GEO hoje está completo em sua vida. “Quando eu vim para a escola no Fundamental, senti muita falta do Teatro. Então, montamos, eu, Joca e mais outros alunos, o grupo ‘Arteiros’ e de lá para cá produzimos muito. O Sinestesia é um projeto que deve trazer muito de nossas produções”, comentou Gabriel. A mãe de Gabriel, Kedima Rodrigues, fica satisfeita com a alegria do filho. “Aqui ele agora está super atendido. Só faltava o teatro, a grande paixão dele”, frisou orgulhosa do filho.

Segundo a orientadora pedagógica do Ensino Médio do GEO Tambaú, a professora Addissana Ganem, a ideia do projeto é não só apresentar para o público os grandes talentos da escola, mas também apoiar, estimular e reforçar o talento e a produção cultural de seus alunos. “Sinestesia é a expressão da produção desses estudantes que nos enche de orgulho. Essa é a primeira de muitas noites maravilhosas”, concluiu.

Assessoria 

porpjbarreto

Equipe vencedora do primeiro Startup Weekend Heath da PB busca investidores

Grupo, formado por profissionais e estudantes, criou projeto de uma plataforma voltada à diminuição do tempo de espera no atendimento em unidades de saúde

Um site responsivo (muda a aparência e a disposição com base no tamanho da tela em que é exibido) voltado a diminuir o tempo de espera do pré-atendimento (triagem) em clínicas e hospitais. A ideia, vencedora do primeiro Startup Weekend Health da Paraíba, realizado no último fim semana, em João Pessoa, foi sugerida pela estudante de publicidade Elaine dos Santos Moreira, que controu com o apoio de outros participantes para estruturar o projeto. Agora, eles buscam investidores para lançar a plataforma no mercado.

“A ideia surgiu de uma experiência que vivi com minha família. Meu irmão precisou ir ao médico e teve que esperar várias horas para passar por uma simples triagem. Foi quando eu percebi que outras pessoas estavam enfrentando algo parecido e precisavam de ajuda para minimizar o prejuízo”, declarou a estudante, complementando que a equipe que criou a plataforma também foi composta pela fisioterapeuta Erika Galiza, o nutricionista Lucas Alves, os desenvolvedores web Danilo Leite e Nicolas Fernando, além da estudante de administração Aryana de Assunção Santiago.

Como funciona a ideia?

“Desenvolvemos uma plataforma digital onde o paciente pode, remotamente, preencher os seus dados cadastrais, informações do convênio e definir pontos importantes de doenças pré-existentes, além dos sintomas que ele sente no momento. Esses itens são enviados, automaticamente, à recepção e à enfermagem. Desse modo, o paciente terá a prioridade de acordo com a classificação de risco e, ao chegar ao hospital, os profissionais irão coletar menos informações, desse modo tornando o processo mais rápido e inteligente”, explicou Aryana.

“O evento foi muito positivo. Pudemos entender como é o processo de criação de uma startup e, principalmente, identificar um problema e oferecer uma solução rápida, viável e de baixo custo”, complementou, adiantando que o grupo vencedor já está com algumas reuniões previstas com hospitais que querem instalar a tecnologia.

De acordo com Daniel Pessoa, da comissão organizadora do Startup Weekend Health, o nível dos participantes superou as expectativas. “Observamos que todos tinham um conhecimento muito bom em relação à estruturação dos projetos. Muitos só precisavam de uma lapidação por parte dos mentores do evento, que prestaram a assistência necessária a cada equipe”, disse. “Ficamos muito felizes com o resultado e já pensamos nas próximas edições”, revelou Daniel, que é um dos proprietários do Clubjob Coworking, local que sediou parte do evento.

Por Richelle Bezerra