Arquivo de tag Câmara

porpjbarreto

Convite: Câmara Municipal de Cajazeiras vai realizar sessão para debater sobre segurança pública

O presidente da Câmara Municipal de Cajazeiras, Vereador José Gonçalves de Albuquerque – “Delzinho da Arara”, convida toda sociedade, para importante debate sobre segurança pública e grande número de assaltos e roubos na cidade.

A referida sessão é uma propositura do Vereador Rivelino Martins Ferreira (PSB).

Data: segunda-feira (10) de fevereiro, de 2020.

Local: Câmara Municipal de Cajazeiras.

Horário: Às 18 horas.

 

Assessoria

porpjbarreto

Presidente da Câmara admite interesse em ser prefeito de Cajazeiras: “Eu tenho planejamento”

Por outro lado, o vereador afirma que precisa de “estrutura” para encarar o desafio

Durante entrevista no programa Olho Vivo, da TV Diário do Sertão, o presidente da Câmara Municipal de Cajazeiras, José Gonçalves de Albuquerque (Delzinho, PTC), afirmou que está disposto e preparado para enfrentar uma eleição municipal e concorrer à prefeitura.

“Disposição eu tenho, sim; condição de ser prefeito quem diz é o povo; condição de administrar a cidade eu tenho, sim, com certeza, porque eu tenho planejamento”, disse.

Delzinho, que já confirmou que será candidato a vereador novamente em 2020, disse que tem capacidade para gerenciar uma cidade, mas ainda precisa de “estrutura” para encarar o desafio.

“Para ser candidato a prefeito não é obrigado ser doutor, nem médico, nem advogado, mas eu sinto que não tenho estrutura para ser candidato a prefeito. Eu tenho condições, sim, de administrar, não tenho dúvida. Mas é preciso uma estrutura bem maior e eu não tenho essa estrutura neste sentido de ser candidato a prefeito de Cajazeiras”.

 

Diário do Sertão

porpjbarreto

Câmara derruba afastamento do deputado federal paraibano Wilson Santiago (PTB)

Ele teve o mandato suspenso no mês passado pelo ministro Celso de Mello, relator no STF de investigação por suposta prática de corrupção e organização criminosa.

Orientaram pela volta ao mandato PT, PTB, PL, Solidariedade, PP, PMDB, Avante e PDT. A manutenção do afastamento foi defendida pelo PSL, Cidadania, PSOL e Novo. PSC, PSD, Podemos, PV e PSB liberaram a bancada.

Por 233 a 170, a Câmara derrubou o afastamento do deputado Wilson Santiago (PTB-PB), acusado de receber R$ 1,2 milhão de propina, de obras superfaturadas de abastecimento de água no Nordeste.

Abaixo, a lista de quem votou pela volta do deputado (SIM) e pela manutenção do afastamento (NÃO):

 

Com O Antagonista

porpjbarreto

Câmara Municipal de Cajazeiras realiza Sessão Especial em alusão ao “Janeiro Branco” e cuidados com a mente

A Câmara Municipal de Cajazeiras, vai realizar nesta terça-feira (28) de janeiro de 2020, às 17 horas, uma Sessão Especial em alusão ao “Janeiro Branco” e os cuidados com a mente.

A propositura é do Vereador Rivelino Martins Ferreira (PSB).

 

Assessoria

porpjbarreto

Comunicado: Câmara Municipal de Cajazeiras vai realizar Sessão Extraordinária para apreciar PL do Executivo

O Presidente da Câmara Municipal de Cajazeiras, vereador José Gonçalves de Albuquerque, comunica aos vereadores e vereadora, que haverá Sessão Extraordinária para apreciação e votação do Projeto de Lei nº 93/2019 do Poder Executivo que autoriza remanejamento total ou parcial de dotações orçamentárias para o exercício de 2020; Projeto de Lei nº 01/2020 do Poder Executivo, que reconhece como de Utilidade Pública Municipal o Atlético Cajazeirense de Desportos e autoriza o Poder Executivo Municipal a conceder a título de subvenção social, repasse de verbas ao referido clube e dá outras providências, será neste dia 14 de janeiro (terça-feira), às 10hs00, no Plenário Edmilson Feitosa Cavalcante.

 

José Gonçalves de Albuquerque

Presidente

porpjbarreto

Wilson Santiago que é alvo da “Operação Pés de Barro” seria o líder do PTB em 2020

O deputado federal Wilson Santiago, do PTB da Paraíba, afastado do cargo no dia (21/12/2019) por decisão do ministro Celso de Mello, assumiria a liderança de seu partido na Câmara em fevereiro deste ano.

Ele foi alvo da Operação Pés de Barro, que investiga o superfaturamento em obras no interior de seu estado. Como foi noticiado nesta quarta-feira (08), a ordem de afastamento dele será pautada na primeira sessão de 2020.

Apurou-se que, mesmo com a hipótese de ser mantido no cargo pelos pares, não há clima para que Santiago seja o novo líder — o que seria ainda mais bizarro. O líder reflete o sentimento da bancada, define integrantes das comissões e orienta as votações em plenário.

No início desta legislatura, houve um acordo na bancada de 10 deputados para que os líderes nos próximos quatro anos fossem Pedro Lucas Fernandes (MA), que é o atual, Wilson Santiago (PB), Maurício Dziedricki (RS) e Nivaldo Albuquerque (AL).

Com o escândalo envolvendo Santiago, agora tudo pode mudar. Por telefone, Fernandes disse hoje a este site que alguns colegas defendem que ele continue na função.

Vamos ter a eleição no próximo dia 30, vamos aguardar”, afirmou, não querendo entrar em detalhes.

O atual líder acrescentou que as prioridades do Parlamento em 2020 devem ser a reforma tributária e o pacto federativo. Para ele, a relação com o Planalto “vai continuar da mesma forma, não vai mudar” e o Congresso precisará manter o foco na agenda reformista.

 

Com O Antagonista 

porpjbarreto

PSOL lamenta ataque contra o Professor Nelson Junior em Campina Grande

O PSOL Paraíba lamenta o ocorrido nesta terça-feira (30), na Câmara Municipal de Campina Grande, onde o companheiro filiado e dirigente do nosso partido, Professor Nelson Junior, sofreu um ferimento durante a votação da reforma na Previdência dos Servidores Municipais. O mesmo estava participando de um protesto contra o aumento da alíquota previdenciária para 14% aos trabalhadores da Prefeitura, consequência da reforma. Nelson sofreu um corte próximo ao olho esquerdo durante o protesto e foi levado ao Hospital de Trauma da cidade, e após receber atendimento encontra-se em recuperação.

Atos como este nos mostram o quão dispostos estão os vereadores a aprovar um aumento de alíquota previdenciária que afeta o salário dos servidores nos últimos dias do ano. O PSOL se solidariza com o companheiro e com todas e todos que estiveram presentes no protesto. O trabalhador campinense tem o poder de reivindicar seus direitos e debater sobre um desconto tão significativo.

PSOL-PB um partido que não foge da luta.

 

Assessoria 

porpjbarreto

Câmara Municipal de Cajazeiras convida sociedade para debater à implantação do Hospital Universitário do Sertão e inauguração do arquivo

O presidente da Câmara Municipal de Cajazeiras, Vereador José Gonçalves de Albuquerque, “Deuzinho da Arara” – tem a grata satisfação de convida toda sociedade cajazeirense a participar de evento de inauguração do Arquivo Santino José do Nascimento, bem como das novas instalações do elevador do Poder Legislativo. O referido evento acontece nesta quarta-feira (18), a partir das 08 horas da manhã.

Vale informar, que no dia seguinte, quinta-feira (19), as 10 horas da manhã, à Câmara Municipal debaterá sobre a implantação e construção do Hospital Universitário do Sertão.

 

Arquivo da Câmara Municipal de Cajazeiras

Assessoria

porpjbarreto

Convite: Câmara Municipal de Cajazeiras realiza nesta terça-feira (03), Sessão Especial em comemoração aos 25 anos do IFPB

A Câmara Municipal de Cajazeiras, por meio do seu presidente, o Vereador José Gonçalves de Albuquerque, convida toda sociedade cajazeirense e demais comunidades vizinhas, para uma Sessão Especial em comemoração aos 25 anos de fundação do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia – IFPB, Campus de Cajazeiras.

Em atendimento à propositura do Vereador Jucinério Félix.

Data: terça-feira (03/12/2019)

Horário: 18 horas

Local: Auditório do IFPB – Campus Cajazeiras

 

Assessoria

porpjbarreto

Proposta sobre prisão em 2ª instância da Câmara terá prioridade no Congresso

Em reunião entre líderes da Câmara, do Senado e o ministro da Justiça, Sergio Moro, ficou definido que o Congresso vai dar prioridade à proposta de emenda à Constituição sobre prisão em segunda instância que está na Câmara dos Deputados (PEC 199/2019). Assim, o Senado abre mão de votar o projeto de lei que tem o mesmo objetivo, o PLS 166/2018. O entendimento da maioria dos parlamentares que participaram do acordo, fechado com apoio dos presidentes Davi Alcolumbre, do Senado, e Rodrigo Maia (DEM-RJ), da Câmara, é que a proposta da Câmara é mais ampla e corre menos riscos de ser questionada futuramente no Supremo Tribunal Federal (STF).

Foi decidido na reunião, que ocorreu na residência oficial do Senado, que uma comissão formada por senadores acompanhará a discussão da proposta na Câmara enquanto o texto não chega ao Senado. Líderes da Câmara também se comprometeram a indicar até a próxima semana os membros da comissão especial que analisará a PEC e definir um calendário para votação da proposta, requisito imposto por senadores que temem que ela ande de forma lenta na outra Casa.

Davi Alcolumbre apontou que a decisão tomada pela maioria dos líderes não é uma tentativa de atrasar a discussão da antecipação da execução penal no país, mas de aprovar uma proposta que não gere questionamentos. Ele defendeu uma “conciliação” em torno do tema.

— A gente precisa compreender que o melhor caminho não é que pode ser feito de forma mais célere, mas que possa suscitar questionamentos lá na frente. Nada de maneira açodada é o melhor caminho — disse o presidente do Senado.

Segundo Davi, 12 dos 16 líderes partidários do Senado apoiaram a prioridade para o texto da Câmara enquanto dois foram contrários e outros dois apontaram que suas bancadas estavam divididas. Ele ressaltou que o Senado não deixará de discutir o assunto e fará na próxima semana uma audiência pública com o ministro Sergio Moro, que estava agendada para esta terça, mas foi adiada em razão da reunião na residência oficial. Ainda segundo o presidente, ele reunirá os líderes da Casa na próxima semana para analisar o calendário proposto pelos deputados.

— Não pense a sociedade brasileira que a resposta para esses anseios virá de uma Casa ou de outra. A resposta para os desejos da sociedade e do Congresso precisa vir da Câmara e do Senado — afirmou.

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, disse que participou da reunião como “observador”, mas defendeu a aprovação da possibilidade de prisão em segunda instância de forma urgente.

— Minha avaliação pessoal tanto é que ambos [o projeto de lei e a PEC] resolvem a questão. O ministro da Justiça e Segurança Pública e o governo têm essa questão como urgente por ser uma questão de segurança pública – apontou.

A presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), senadora Simone Tebet (MDB-MS), reforçou que o Senado aguarda que a Câmara apresente o calendário para votação da proposta antes de desistir de votar o projeto de prisão em segunda instância na Casa.

— Sem um calendário específico com dia para começar e dia para finalizar a aprovação da PEC pela Câmara dos deputados, o Senado não pode fechar questão. Não podemos dar um cheque em branco. Se o acordo não é cumprido, me dá direito de pautar o projeto do Senado, que não será arquivado. Ficará de standy by aguardando o calendário — disse a senadora.

Mas alguns partidos acusam que houve um “acordão” para esfriar o debate e travar a discussão da prisão em segunda instância. Alguns parlamentares chegaram a abandonar a reunião antes do fim. Podemos, Novo e PSL criticaram a decisão e defenderam a tramitação das duas propostas ao mesmo tempo. Autor do projeto pronto para votação na CCJ do Senado, o senador Lasier Martins (Podemos-RS) ressaltou que a PEC levará muito mais tempo para ser aprovada do que o projeto de lei, que tem tramitação e votação mais simples. Ele chamou o acordo de “manobra maquiavélica”.

— O que está acontecendo é uma manobra maquiavélica. A PEC tem procedimentos altamente demorados e vai demandar todo o ano que vem. A população está apavorada. O julgamento do Supremo permite colocar centenas, milhares de delinquentes nas ruas — criticou.

Autor de outra PEC(5/2019) sobre o tema que foi retirada da pauta da CCJ na semana passada para dar lugar ao PLS 166/2018, o senador Oriovisto Guimarães (Podemos-PR) condenou a decisão de suspender a discussão no Senado sobre prisão em segunda instância.

—  Se população brasileira não se mobilizar, nunca mais haverá prisão em segunda instância no Brasil. Será o paraíso da impunidade — criticou.

Para o senador Major Olímpio (PSL-SP), a proposta que está no Senado e a PEC da Câmara são complementares e a decisão de suspender a votação no Senado vai soar como uma tentativa de atrasar a discussão do tema.

— O entendimento para a sociedade como um todo será de uma medida protelatória — criticou.

Propostas

Na semana passada, a CCJ da Câmara deu aval à proposta que muda os artigos 102 e 105 da Constituição para permitir que o julgamento terminaria na segunda instância, que seria considerada o trânsito em julgado.  A PEC 199/2019, do deputado Alex Manente (Cidadania-SP), começará a ser discutida na comissão especial.

Já o projeto em discussão no Senado altera artigos do Código de Processo Penal (CPP) para definir a prisão poderia acontecer “em decorrência de condenação criminal por órgão colegiado ou em virtude de prisão temporária ou preventiva”.

Constituinte

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre, disse ter sido mal interpretado por parte da imprensa em relação a declaração dada por ele este mês sobre a possibilidade de convocação de uma nova Assembleia Nacional Constituinte para discutir a possibilidade de prisão após condenação em segunda instância. Ele reforçou que a antecipação da execução penal no país não pode se dar por meio de mudança no artigo 5º da Constituição, que é cláusula pétrea.

— O que eu quis dizer é que o debate está tão acirrado que muitos juristas e congressistas viam seu conflito com a Constituição federal no seu artigo 5º.  O artigo 5º só pode ser alterado por Constituinte – reforçou.

Fonte: Agência Senado