Pré-candidato a presidente que defende esterilização de pobres pode ter apoio de Cartaxo e de Romero na Paraíba

Pré-candidato a presidente que defende esterilização de pobres pode ter apoio de Cartaxo e de Romero na Paraíba

Compartilhe

Segundo relato recente do advogado e jornalista Rui Galdino, os prefeitos de Campina Grande, Romero Rodrigues (PSDB) e de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PV), poderão apoiar a candidatura de Jair Bolsonaro (PSL) à Presidência da República. Bolsonaro, que esteve há menos de um mês com o prefeito de Campina em Brasília para articular a campanha do seu irmão Moacir Rodrigues a deputado estadual, voltou a polêmica na última segunda-feira (11), segundo reportagem da Folha de São Paulo, quando defendeu a esterilização de pobres para combater a miséria e o crime, no Brasil.

A mídia publicou no último dia 24 de maio conversas entre Romero, Luciano e o presidente do PSL na Paraíba, Julian Lemos, tratando de articulações dos dois prefeitos com a tendência de um apoio deles a Bolsonaro e vice-versa, ou seja, Bolsonaro deverá ter um forte palanque na Paraíba e apoiar a candidatura de Lucélio Cartaxo (PV) para o Governo do Estado.

Romero e o presidente estadual do PSL, Julian Lemos, também se reuniram no dia 24.05, em Brasília, para tratar da vinda de Bolsonaro à Paraíba. De acordo com Lemos, o presidenciável vem ao estado agora no mês de junho, durante os festejos juninos.

Segundo a Folha de São Paulo, Bolsonaro apresentou projetos e defendeu em discursos nas últimas décadas a esterilização dos pobres como meio de combater a criminalidade e a miséria. No último dia 23, ele afirmou, na marcha dos prefeitos a Brasília, que estuda colocar no seu plano de governo uma proposta de planejamento familiar, mas não a detalhou. “Não estou autorizado a falar isso, que botei na mesa, mas eu gostaria que o Brasil tivesse um programa de planejamento familiar. Um homem e uma mulher com educação dificilmente vão querer ter um filho a mais para engordar um programa social.”

Nas dezenas de discursos que ele proferiu sobre o assunto, na Câmara, nos últimos 25 anos, defendeu a adoção pelo Estado de um rígido programa de controle de natalidade, com foco nos pobres. Segundo o pensamento que manifestou nesse período, seria o caminho para a redução da criminalidade e da miséria.

No passado, Bolsonaro manifestou que programas como Bolsa Escola e Bolsa Família serviriam apenas para incentivar os pobres a ter mais filhos e, com isso, aumentar a fatia que recebem de benefícios.

“Só tem uma utilidade o pobre no nosso país: votar. Título de eleitor na mão e diploma de burro no bolso, para votar no governo que está aí. Só para isso e mais nada serve, então, essa nefasta política de bolsas do governo”, afirmou em novembro de 2013 no plenário da Câmara.

Em 1992, seu terceiro ano como deputado, ele já falava sobre o tema. “Devemos adotar uma rígida política de controle da natalidade. Não podemos mais fazer discursos demagógicos, apenas cobrando recursos e meios do governo para atender a esses miseráveis que proliferam cada vez mais por toda esta nação.”

A Folha enviou perguntas sobre o tema à assessoria do presidenciável, mas não houve resposta. O vereador Carlos Bolsonaro também não se manifestou. Olha a matéria completa aqui:

https://www1.folha.uol.com.br/poder/2018/06/bolsonaro-defendeu-esterilizacao-de-pobres-para-combater-miseria-e-crime.shtml

 

Redação com Folha de São Paulo

Sobre o Autor

Rádio Rural FM administrator

Deixe uma resposta