Categoria Slide

porpjbarreto

Cooperados da CooafSul decidem iniciar moagem mesmo com negativa de crédito fiscal do Governo

Terceira usina pernambucana a ser revitalizada e retomar as operações graças a iniciativa conjunta de produtores de cana-de-açúcar cooperados, a CooafSul, antiga Estreliana, localizada em Ribeirão, Zona da Mata Sul do Estado, decidiu, mesmo após negativa de crédito fiscal da Sefaz, iniciar a moagem da safra. O apoio de deputados estaduais ao pleito da cooperativa, garantido em sessão plenária realizada da última terça-feira (22), e a recente autorização da ANP para que a indústria possa produzir e negociar etanol, foram decisivos para que a operação fosse iniciada mesmo sem ter assegurado o crédito presumido definido em lei, que permite uma concessão fiscal de 18,5% para CooafSul. “Não entendemos essa negativa, já que outras usinas cooperativistas que funcionam nos mesmos moldes da CooafSul  – a Coaf e a Agrocan – têm esses benefícios”, argumenta o presidente da AFCP, Alexandre Lima, confiante que o governo reavaliará essa decisão.

O presidente da União Nordestina dos Produtores de Cana (Unida), José Inácio de Morais, elogiou a decisão da CooafSul começar a moer e reitera a força do sistema cooperativado. “Nós já temos dois exemplos de sucesso em Pernambuco com indústrias que estavam fechadas e voltaram a produzir e que estão fazendo a diferença no mercado surcroenergético não apenas de Pernambuco, mas do Nordeste, porque os reflexos positivos destes empreendimentos de sucesso repercutem além fronteiras. Eu não tenho dúvidas de que a CooafSul vai ser também um sucesso e tenho esperança que o governo pernambucano reveja essa decisão absurda e descabida de negar os benefícios de isenção fiscal que a cooperativa tem direito”, disse José Inácio, desejando que a CooafSul tenha êxito em sua trajetória.

A usina cooperada foi concebida graças a união de 629 fornecedores de cana da Mata Sul e tem capacidade para gerar e manter 2,7 mil empregos e destinar em forma de imposto, via ICMS, R$ 9,5 milhões com a produção de etanol. Durante a sessão da Alepe, o deputado Antônio Moraes lembrou que o crédito fiscal para a cooperativa tem sido benéfico, inclusive, para estimular a produção de cana dos produtores de assentamentos rurais pernambucanos, como do Miguel Arraes, na área onde ficava as terras da usina Catende. “Hoje, os assentados produzem 200 mil toneladas de cana para a Agrocan. Antes da reativação da usina, eles só produziam 20 mil toneladas”, destacou o parlamentar.

O deputado Clovis Paiva, presidente da Comissão do Setor Sucroalcooleiro da Alepe, disse que acredita que o governador Paulo Câmara achará a solução para a Estreliana. “Somos da base de apoio do governo, mas estamos solidários ao setor e esperamos que o governador garanta este crédito para CooafSul poder tocar a usina cooperativista pelos próximos 10 anos”, reiterou ele. Já o deputado Henrique Queiroz Filho lembrou que a cana em Pernambuco é social, dado o grande volume de emprego e renda que gera às famílias da Zona da Mata, mas, também é lucrativa para os cofres do estado, dado os recursos gerados com ICMS. Ele citou o exemplo da Coaf e Agrocan. “Elas empregam cerca de 8 mil pessoas e já geraram R$ 61 milhões em ICMS para o Estado através da produção de etanol, que é mais rentável em tributos para Pernambuco”, disse o deputado.

O presidente da CooafSul, José Carlos César, está otimista em relação a uma mudança de postura do governo Paulo Câmara. “Vamos dar esse voto de confiança ao Poder Legislativo e ao governo, afinal, o governador Paulo Câmara foi o criador dessas leis em defesa do cooperativismo de usinas através dos produtores de cana, como fez com a Coaf e com a Agrocan. Vamos iniciar a moagem da Estreliana, na esperança de que o governo revisará a questão em favor de todos os envolvidos nesta grande cadeira produtiva e benéfica para Pernambuco”, informou José Carlos.

 

Assessoria

porpjbarreto

O que você precisa saber sobre a versão híbrida do Corolla

O Corolla Altis Hybrid é a grande aposta da Toyota para popularizar o sistema híbrido no Brasil.

O sedã é o primeiro híbrido produzido no Brasil e o híbrido mais barato do mercado brasileiro, mas será que vale a pena adquirir essa versão híbrida do Corolla?

Design

Na parte exterior, o Corolla também teve várias mudanças, mesmo que a Toyota relate que o modelo mantém o mesmo design do seu antecessor. É percebível, uma geração bem diferente do que já vista anteriormente. Sua dianteira, chama a atenção devido a enorme entrada de ar central que preenche o para-choque, o que lhe deu mais esportividade. A grade dianteira adentra e conecta os faróis com frisos cromatizados, e o escudo possui um contorno na cor azul, assim como nos outros híbridos da Toyota. Outro ponto em que a nova geração remete a versão anterior são as laterais com balanços amplos e sua traseira é uma das partes mais sofisticadas do design, com ela, o novo Corolla chega mais perto do Camry. O destaque está na barra cromada que divide a tampa e une as lanternas traseiras,  com LED que também são utilizadas na versão Altis. Ao mesmo tempo que o Corolla se aprimorou, a Toyota decidiu preservar sua robustez. O freio de estacionamento continua sendo por meio de uma alavanca e não há saídas de ventilação e nem entradas USB extras para os assentos traseiros. Outro detalhe que não agradou muito, foram os apoios de cabeça integrados ao encosto no banco traseiro. Por outro lado, a Toyota reforçou a segurança com o que possui de mais moderno. As versões mais baratas continuam vindo de fábrica com controles eletrônicos de estabilidade e de tração, Isofix para assentos infantis, freio ABS com EBD e 7 airbags, incluindo o de joelhos para o motorista.

Nova plataforma

A nova geração do Corolla foi totalmente reestilizada e foi produzida sobre a plataforma modular GA-C, dentro do conceito Toyota, servindo também ao Camry, Prius e ao novíssimo RAV4. A Toyota investiu bilhões para produzir a versão híbrida na fábrica de São Paulo. Outra mudança foi feita no centro de gravidade, que baixou 1 cm com a redução de 3 cm em sua altura e com a modularidade da plataforma que permitiu elevar em 4 mm a altura sobre solo. Com o chassi mais resistente, a Toyota fez alguns ajustes, um deles foi no esquema da suspensão traseira independente. Em relação às medidas, a nova plataforma deixou a versão híbrida com as mesmas medidas do Corolla comum. Sendo 4,65 m de comprimento, 1,79 m de largura; 1,46 m de altura e manteve os mesmos 2,70 m de distância entre-eixos.  O bagageiro manteve os 470L da geração anterior. Já o tanque possui 50 L para as configurações a combustível e 43L para a híbrida.

Garantia

Se já não bastassem as milhares de novidades que a versão híbrida traz, a Toyota ainda anunciou que o conjunto híbrido possui garantia de 8 anos. São números que fortalecer a confiança no produto e devem auxiliar o novo Corolla a manter sua superioridade na categoria. Já as versões a combustível foram de 3 anos para 5.

A Toyota tem como intenção vender aproximadamente mil unidades do Corolla híbrido mensalmente.

Preços

A oferta de veículos híbridos no Brasil ainda é mínima. Visando que, atualmente existem vários carros importados e com valores altos no mercado. Esta é uma das vantagens com a chegada do Corolla híbrido, que custa R$ 126 mil e é o híbrido mais acessível do mercado nacional junto ao Toyota Prius sendo primeiro modelo híbrido produzido mundialmente e o segundo mais barato no Brasil saindo por R$ 129 mil. A partir desses modelos são vendidos híbridos acima de R$ 150 mil.

Motor

Chegou o momento de apresentar um ponto negativo, caso você opte pela configuração híbrida no seu Corolla. O Corolla híbrido possui três motores em seu cofre frontal, dois elétricos e um 1.8 flex aspirado termodinâmico. Obtendo 101 cvs de potência e 14,6 kgfm de torque, enquanto os elétricos produzem 73 cvs e 16,7 kgfm. No entanto, a Toyota não revelou potência e torque combinados. Sabe-se que o câmbio é CVT, mas não utiliza polias e correias. Já na versão convencional com motor 2.0, desenvolve 177 cvs de potência a etanol e 167 cvs a gasolina a 6.000 rpm, e torque máximo de 21,5 kgfm chegando a 4.400 rotações com os dois tipos de combustíveis.

Itens de série

Entre os itens de série, o Corolla híbrido possui seis airbags, câmera de ré, controle de cruzeiro adaptável, farol alto automático, assistente de permanência em faixa a qual faz leves ajustes ao volante, frenagem automática emergencial com alerta de colisão, controle de tração e estabilidade. O pacote opcional Premium custa R$ 6 mil, e inclui ar-condicionado automático com duas zonas, retrovisores externos eletrorretráteis, lanternas traseiras em LED, teto solar elétrico e limpador do para-brisas com sensor de chuva. Comparando-as com as versões Altis, a versão vem somente com combustão e inclui todos os itens do pacote Premium de série.

Consumo

A grande vantagem do Corolla está no consumo. Com o sistema híbrido em atividade, o resultado é surpreendente. Segundo a Toyota, o carro híbrido desempenha mais de 50% do tempo em modo elétrico em vias urbanas, sendo o suficiente para marcar 16,8 km/l à etanol. Desempenho superior comparado a qualquer um dos seus concorrentes diretos. Na estrada, o Corolla híbrido faz aproximadamente 12,8 km/l. Em relação ao consumo, a versão comum do Corolla marca aproximadamente 7,4 km/l na cidade e 11,7 km/l na estrada. A diferença é enorme, sabendo que a média de consumo da versão híbrida chega a 14,8 km/l e a do Corolla XEI é 10,0 km/l.

Mas será que vale adquirir a versão híbrida do Corolla?

Sim, principalmente se consumo de combustível é o que mais importa para você. O novo Corolla vem com design mais contemporâneo, bastante tecnológico, além de ser bastante econômico e possuir uma garantia de 8 anos. Os pontos negativos ficam no seu desempenho, sendo o pior do que a versão 2.0, e devido a ausência de itens de série, como teto solar e ar condicionado de duas zonas.

Gostou deste artigo? Compartilhe em suas redes sociais para que mais pessoas saibam sobre a versão híbrida do Corolla!

 

Fonte: Assessoria Toyota

 

porpjbarreto

Setembro verde: Especialista alerta para prevenção e diagnóstico precoce do câncer de intestino

Heraldo Rocha, gastroenterologista da Unimed JP, reforça importância da campanha e orienta o atendimento médico nos primeiros sintomas 

Prevenção e diagnóstico precoce. Essa é a melhor receita para a luta contra o câncer de intestino. O Instituto Nacional do Câncer (Inca) estima que, em 2020, serão quase 41 mil novos casos da doença no Brasil. Em 2018, foram mais de 19.600 mortes causadas por esse tipo de câncer. Para lembrar a importância da detecção precoce e estimular a prevenção do câncer de intestino, neste mês é realizada a campanha ‘Setembro Verde’.

O gastroenterologista Heraldo Rocha, gestor de Serviços de Atenção Integral à Saúde e Ambulatoriais da Unimed João Pessoa, explicou que o câncer do intestino é o segundo tumor maligno mais frequente nas mulheres e o terceiro mais comum nos homens. “Ele tem uma estimativa média de crescimento anual em torno de 3,5%. Portanto, trata-se de um problema de saúde pública. O objetivo do setembro verde é a prevenção para reduzir essa prevalência”, informou.

Apesar do nome, esse tipo de câncer pode atingir não apenas o intestino, mas também o reto e o ânus. A parte do intestino afetada por ele é chamada de cólon e, por isso, também é chamado de câncer de cólon e reto ou colorretal. “Assim como outros tipos de câncer, seus sinais e sintomas podem ser confundidos com outras doenças. Por isso, é importante procurar um médico para investigar os primeiros sinais de incômodo”, alerta o médico.

Como parte da prevenção, Heraldo Rocha recomenda que, a partir dos 50 anos de idade, as pessoas façam anualmente um exame de pesquisa de sangue oculto nas fezes. “Caso o resultado seja positivo, o paciente é encaminhado para execução de colonoscopia. Para aqueles que têm história familiar de câncer intestinal, o recomendável é que a colonoscopia seja feita a partir dos 45 anos”, recomendou.

Confira algumas dicas de como prevenir, fatores de risco e sintomas relacionados ao câncer de intestino, segundo o INCA:

Prevenção

Atitudes saudáveis são a melhor forma de prevenção ao câncer de intestino:

·         Mantenha peso corporal adequado

·         Pratique atividade física

·         Adote uma alimentação saudável

·         Não fume e não se exponha ao tabagismo

Fatores de risco

Os principais fatores relacionados ao maior risco de desenvolver câncer do intestino são:

·         Idade igual ou acima de 50 anos,

·         Excesso de peso corporal

·         Alimentação não saudável (pobre em fruta e vegetais)

·         Consumo de carnes processadas (salsicha, mortadela, linguiça, presunto, bacon, blanquet de peru, peito de peru e salame)

·         Ingestão excessiva de carne vermelha

·         História familiar de câncer de intestino

·         História pessoal de câncer de intestino, ovário, útero ou mama, além de tabagismo e consumo de bebidas alcoólicas

·         Doenças inflamatórias do intestino, como retocolite ulcerativa crônica e doença de Crohn

Sintomas

Os sintomas mais frequentemente associados ao câncer do intestino são:

·         Sangue nas fezes

·         Alteração do hábito intestinal (diarreia e prisão de ventre alternados)

·         Dor ou desconforto abdominal

·         Fraqueza e anemia

·         Perda de peso sem causa aparente

·         Alteração na forma das fezes (fezes muito finas e compridas)

·         Massa (tumoração) abdominal

 

Assessoria

porpjbarreto

Plano de Governo do candidato à Prefeitura de Cajazeiras, Marquinhos Campos já está disponível no site do TSE. Veja!

Primeiro a registrar sua candidatura à Prefeitura de Cajazeiras, o empresário Marquinhos Campos (PSB) e seu vice, o ex-vereador Chico de Bianor (PSC), apresenta proposta e Plano de Governo da coligação: Cajazeiras de todos nós – já é possível ser apreciada pelos eleitores da Terra do Padre Rolim.

 

PROPOSTA DE GOVERNO

O Plano de Governo proposto elege os setores prioritários que são estruturados em 05 (cinco) Eixos:

Eixo 1 – Reforma Administrativa, diminuição da máquina pública, informatização do serviço público, atendimento de forma humanizada e igualitária, concurso público, não à farra dos carros locados, transparência e eficiência da gestão, processos licitatórios amplamente divulgados e com a presença dos órgãos de fiscalização, pagamento dentro do mês trabalhado para todos os servidores.

Eixo 2 – Educação, com programas efetivos para melhorar a qualidade do ensino, valorização de todos os profissionais da educação; cultura, com programas efetivos para o teatro, cinema, música, poesia, artes; esportes, com a inclusão dos jovens e o incentivo ao esporte amador e artes em geral.

Eixo 3 – Saúde, com tratamento humanizado e igualitário; funcionamento da rede municipal de saúde em sua integralidade; apoio no combate às drogas e na recuperação do dependente; saneamento básico; limpeza pública; meio ambiente; alimentação e combate à pobreza.

Eixo 4 – Infraestrutura; habitação; agricultura; acessibilidade e mobilidade urbana e rural; pavimentação de ruas; urbanização de avenidas; recuperação de praças; pavimentação e melhoria asfáltica; iluminação pública de qualidade e conservação permanente; planejamento urbano de forma sustentável;

Eixo 5 – Emprego, Trabalho, Geração de Renda, Ciência e Tecnologia, qualificação profissional e administrativa, incentivo fiscal e de recursos aos empreendimentos comerciais e industriais, fomento aos microempreendedores individuais.

 

Plano de Governo_Candidato_Marquinhos Campos-PSB

 

Redação

porpjbarreto

Após abandonar grupo político de oposição, sapateiro Gobira anuncia apoio ao prefeito Zé Aldemir

O sapateiro Antônio Gobira (sem partido), que há poucos dias desistiu da pré-candidatura a vereador pelo Cidadania e rompeu politicamente com o grupo do ex-prefeito Carlos Antônio e do deputado estadual Júnior Araújo, anunciou o seu apoio à candidatura à reeleição do prefeito Zé Aldemir.

Gobira havia sido assediado pelo prefeito Zé Aldemir há alguns meses, mas rechaçou fervorosamente a aproximação, tecendo duras críticas à administração municipal.

Segundo informações, Gobira se achou preterido para disputar a vice-prefeitura ao lado da candidata Denise Albuquerque e também alegou “desprezo” por parte dos aliados oposicionistas. O barulhento sapateiro muda de lado e passa a apoiar o projeto de reeleição do prefeito de Cajazeiras.

 

Com Coisas de Cajazeiras

porpjbarreto

Discurso de Bolsonaro na abertura da Assembleia-Geral da ONU é elogiado por representantes do agronegócio

O discurso do presidente Jair Bolsonaro na abertura da Assembleia-Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), nesta terça-feira (22), foi recebido com muito entusiasmo por representantes de entidades ligadas ao agronegócio. Na avaliação do presidente da Associação dos Plantadores de Cana da Paraíba (Asplan), José Inácio de Morais, além do pronunciamento mostrar que o Brasil está em pleno desenvolvimento, com um governo que busca o crescimento econômico da nação, finalmente, o setor do agronegócio tem o devido reconhecimento. “O presidente foi muito feliz quando bem lembrou que apesar da crise mundial provocada pela pandemia, o homem do campo não parou e trabalhou como nunca para fazer chegar os alimentos nas mesas dos brasileiros”, destacou José Inácio.

“A produção rural no Brasil não parou nestes tempos de pandemia. O homem do campo trabalhou como nunca, produziu, como sempre, alimentos e contribui para que o mundo continuasse a ser bem alimentado”, disse o presidente, enaltecendo que “o agronegócio brasileiro continua pujante e acima de tudo possuindo e respeitando a melhor legislação ambiental do planeta”. O presidente lamentou ainda que o país seja, injustamente, vítima de, segundo ele, de uma das mais cruéis campanhas de difamação sobre a Amazônia e Pantanal.

Para o presidente da Asplan, o discurso do presidente Bolsonaro mostrou um chefe de nação patriota, responsável, inteiramente defensor da soberania nacional e um defensor do progresso e desenvolvimento do Brasil. “Não apenas em relação ao agronegócio, mas em todos os temas de relevância nacional, vi no discurso do presidente Bolsonaro posições firmes e coerentes, de um chefe de nação que quer ver o Brasil comprometido com o desenvolvimento e progresso”, finalizou José Inácio.

Assessoria

porpjbarreto

Segunda Câmara Cível nega provimento a recurso de ex-prefeito que foi condenado por Improbidade

Por decisão da Segunda Câmara Cível do Tribunal de Justiça da Paraíba, foi mantida a sentença na qual o ex-prefeito de Barra de Santana, Manoel Almeida de Andrade, foi condenado por improbidade administrativa. As penalidades aplicadas foram: perda da função pública, suspensão de direitos políticos, pagamento de multa civil e proibição de contratar com o poder público ou receber benefícios ou incentivos fiscais.

O juízo sentenciante compreendeu ter havido violação da moralidade administrativa na execução parcial de convênio público firmado para edificação de unidade básica de saúde. Inconformado, o ex-gestor apelou, alegando, preliminarmente, nulidade da sentença por ausência de intimação da decisão que recebeu a ação e para produção de provas, bem como ausência de avaliação do pedido de produção probatória deduzida na contestação, de modo que houve violação à ampla defesa e ao contraditório. No mérito, argumenta que inexiste o elemento subjetivo, a prova da conduta ímproba, além da inobservância à proporcionalidade das sanções impostas, o que conduziria à reversão da condenação.

A relatoria da Apelação Cível nº 0000220-27.2014.8.15.0741 foi do desembargador José Aurélio da Cruz. Analisando os autos, o relator observou que as intimações foram corretamente efetuadas e que o pedido de produção de prova foi genérico, sem indicação de sua imprescindibilidade, inexistindo o cenário de nulidade processual.

Já no tocante ao mérito, o desembargador José Aurélio disse que foram constatadas inúmeras irregularidades na execução de contrato de obra pública. “Compulsando os autos, observa-se que o ex-gestor não logrou êxito na produção de provas que pudesse convencer o juízo em sentido contrário ao da condenação. Inexiste, inclusive, provas de que a execução foi realizada conforme o plano de trabalho pactuado”, frisou.

No voto, o relator afirmou que o apelante, enquanto prefeito municipal e gestor do convênio, agiu com desleixo na execução da obra, tendo sido constatada sua execução parcial e em desconformidade aos termos pactuados. Da decisão cabe recurso.

Confira, aqui, o acórdão.

 

Assessoria – TJPB

porpjbarreto

Solânea: Walter Júnior registra candidatura e diz que dias melhores estão por vir para o povo

Em Solânea, na região do brejo paraibano, o MDB registrou nesta semana a candidatura de Walter Júnior para o cargo de prefeito e da liderança Herivelton do Hospital compõe a chapa no cargo de vice-prefeito.

Para concorrer à prefeitura de Solânea, o MDB realizou a ‘Convenção da Esperança’ juntamente com o e PSL no último dia (15), às 19h15, no Clube das Mães, localizado na Rua Tancredo Neves.

“Eu percebo nos olhos de cada solanense a esperança por dias melhores. E neste sentido chamo todos que também amam essa terra querida que é Solânea, para caminharmos juntos, pela reconstrução da auto estima desse povo, tão abalada com o descaso da atual gestão”, disse Walter, após registro da candidatura junto à ajustiça eleitoral.  Além do MDB e PSL, a coligação conta com o apoio do PRTB do deputado estadual Eduardo Carneiro.

Assessoria

porpjbarreto

CREF10 reforça fiscalização de academias e espaços afins, após retomada das atividades presenciais

De acordo com o balanço, divulgado nesta terça-feira (22), foram realizadas cerca de 500 notificações somente em julho e agosto deste ano

O Conselho Regional de Educação Física da 10ª Região – Paraíba (CREF10/PB) divulgou, nesta terça-feira (22), o balanço das fiscalizações realizadas nos últimos meses de julho e agosto. Foram realizadas 488 ações em todo o estado, sendo 213 para Pessoas Jurídicas (academias e espaços afins) e 266 para Pessoas Físicas (profissionais, estudantes etc.). Segundo os dados, houve, também, nove fiscalizações em parques e na orla, gerando 75 notificações, das quais 27 para PF e 48 para PJ. Com a retomada das atividades presenciais, as ações estão sendo realizadas normalmente. Os números deste mês serão divulgados nos próximos dias.

As principais notificações foram: Pessoa Física sem registro do CREF10/PB atuando na área de educação física (24%), ausência do profissional de educação física durante o horário de funcionamento do estabelecimento (20%), Pessoa Jurídica com estagiário em situação irregular (17%), estabelecimento que não manteve afixado em local visível ao público o credenciamento do CREF10/PB ou demais documentos exigidos pela legislação vigente (10%), profissional atuando fora de sua área de habilitação e entidade sem registro do Conselho (6%).

Normalmente, os notificados têm 15 dias para apresentar contestação, que pode ser feita diretamente nas unidades do Conselho. Caso não haja manifestação, a notificação pode se converter em multa ou ação civil.

 

Assessoria

porpjbarreto

Campus Cajazeiras recebe os primeiros 1000 kits de alimentos do PNAE

Resultado da chamada interna será divulgado dia 28/09

O Campus Cajazeiras recebeu nesta última quinta-feira (17) os primeiros 1.000 kits de alimentos que serão distribuídos aos estudantes do ensino médio por meio do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). A unidade montou uma logística de armazenamento das cestas básicas, para assim que terminar a execução da chamada interna, iniciar o cronograma de distribuição.

De acordo com a Diretora Geral, Lucrécia Teresa, está sendo tomado todos os cuidados no armazenamento dos kits de alimentos em salas climatizadas. A logística de distribuição também será organizada de forma a não haver aglomerações de alunos.

O resultado final da chamada pública está previsto para ser divulgada no dia 28/09.  “Nas próximas semanas ao concluir os editais, iniciaremos a etapa de entrega. Já tivemos o recebimento com mil cestas. Os estudantes devem ficar atentos a este cronograma”, informou a diretora Lucrécia. Ao todo o campus distribuirá 1.572 kits. Acompanhe aqui a chamada pública.

O Programa Nacional de Alimentação Escolar é normalmente fornecido por meio de refeições. No Campus Cajazeiras eram oferecidos lanches duas vezes por dia. Durante a pandemia do coronavírus e a suspensão das atividades escolares foi necessária a adaptação temporária do programa para que fossem distribuídos os alimentos para os estudantes e seus familiares por meio de cestas básicas. Saiba mais sobre o PNAE. https://www.fnde.gov.br/index.php/programas/pnae/

 

Assessoria – IFPB