Categoria Rural

porpjbarreto

Sebrae Paraíba inicia credenciamento para a 16ª edição da Feira de Turismo Rural do Brasil

RuralTur será realizada de forma 100% digital, entre os dias 1 e 4 de setembro

O Sebrae Paraíba iniciou na última sexta-feira (14) o credenciamento para o público interessado em participar da programação da Feira de Turismo Rural do Brasil (RuralTur). Em sua 16ª edição, o evento será realizado pela primeira vez em formato 100% digital, por conta da pandemia do coronavírus, entre os dias um e quatro de setembro.

O credenciamento, que é gratuito, deve ser realizado no site oficial da RuralTur, no endereço https://ruralturdigital.com.br/. Ao efetuar a inscrição, o interessado pode selecionar as palestras de que deseja participar durante os quatro dias de programação, entre elas as que irão abordar os seguintes temas: “Marketing digital no turismo rural”, “Biossegurança no turismo rural”, “Estratégias para pequenos negócios no ambiente digital”, “Turismo e identidade rural”, “Turismo de experiência no Litoral Sul” e “Turismo rural e produção associada ao turismo: relações, similaridades e possibilidades”.

Além das palestras, a programação da 16ª RuralTur também conta com visitas técnicas virtuais, rodadas de negócios, apresentações culturais e lojas virtuais. Durante a feira, também serão realizados outros eventos, como a Conferência Intercontinental de Turismo Rural, o Encontro Nacional de Caminhadas na Natureza e o Encontro Digital dos Estudantes de Turismo com Foco no Turismo Rural e de Natureza.

De acordo com a gestora de turismo e economia criativa do Sebrae Paraíba, Regina Amorim, a RuralTur vai contar com participantes dos nove estados nordestinos, além de outros seis estados das demais regiões do país. Ainda conforme a gestora, a Conferência Intercontinental de Turismo Rural vai contar com participantes da Argentina, Cabo Verde, Peru, Portugal, Equador e Estados Unidos.

Conheça a RuralTur – Realizada desde o ano de 2005, a RuralTur é um evento disruptivo, que faz despertar os investidores urbanos para também investir no meio rural, respeitando a ruralidade, que é a essência desse segmento do turismo.

Para a edição deste ano, o tema central do evento será “A Inteligência do Turismo Rural”. O objetivo é promover e fortalecer os negócios e os destinos do turismo rural no Brasil, proporcionando experiências inovadoras com a inserção no mundo digital e adequações ao cenário econômico atual. A programação completa e mais detalhes sobre o evento estão disponíveis no site oficial da RuralTur.

 

Assessoria

porpjbarreto

Asplan alerta produtores rurais sobre o prazo para a declaração de ITR que começa hoje e vai até 30 de setembro

Começa hoje, (17) e vai até o dia 30 de setembro, o prazo para os proprietários rurais de todo o país enviarem a Declaração do Imposto sobre a Propriedade Territorial Rural (DITR) de 2020. A expectativa da Receita Federal é receber 5,9 milhões de declarações este ano, cerca de 104,5 mil a mais que as 5.795.480 enviadas em 2019. A declaração só pode ser preenchida por meio do programa gerador da declaração, que pode ser baixado na página www.receita.fazenda.gov.br, a partir desta segunda-feira. A Associação dos Plantadores de Cana da Paraíba (Asplan) lembra aos produtores rurais e, em especial, aos canavieiros associados, a necessidade da declaração. “Quem não declarar o tributo estará sujeito a aplicação de multas e de uma série de sanções”, lembra o presidente da Asplan, José Inácio de Morais.

Todas as pessoas físicas e jurídicas proprietárias, titulares do domínio útil ou que detenham qualquer título do imóvel rural precisam fazer a DITR. Apenas os contribuintes imunes ou isentos estão dispensados de entregar a declaração. O produtor que perdeu ou transferiu a posse ou o direito de propriedade da terra desde 1º de janeiro também está obrigado a apresentar a declaração. A DITR deve ser preenchida no computador, por meio do programa gerador da Receita Federal. O documento pode ser transmitido pela internet ou entregue em pendrive em qualquer unidade da Receita Federal. Quem perder o prazo pagará multa de 1% ao mês sobre o imposto devido, com valor mínimo de R$ 50,00.

O Imposto sobre Propriedade Territorial Rural pode ser pago em até quatro parcelas mensais, mas nenhuma quota pode ser inferior a R$ 50,00. O imposto inferior a R$ 100,00 deve ser pago à vista, até 30 de setembro, último dia de entrega da declaração. O pagamento pode ser feito por meio de Documento de Arrecadação de Receitas Federais (Darf) em qualquer banco ou por transferência eletrônica de instituições financeiras autorizadas pela Receita.

Embora ainda haja tempo de fazer a declaração, o presidente da Asplan alerta aos produtores que não deixem para a última hora sob o risco de passar o prazo de entrega estabelecido pela Receita “O contribuinte que atrasar a entrega da declaração será penalizado com 1% de multa ao mês, ou fração sobre o imposto devido”, finaliza José Inácio.

Assessoria

porpjbarreto

Coasplan recebe produtores e parceiros neste sábado para apresentar sua estrutura e formas de atuação no mercado do agronegócio

Em operação desde a segunda quinzena de julho, com produtos para atender as linhas de cana-de-açúcar, de Hortifruti, de Pastagem, de Jardim, além de peças e máquinas agrícolas, a Cooperativa dos Associados da Asplan (COASPLAN), abre as portas de sua sede em Bayeux, no próximo sábado (15), para receber os produtores rurais, parceiros e integrantes da Associação de Plantadores de Cana da Paraíba (Asplan). A ideia é apresentar a estrutura da Cooperativa e mostrar ao seu público alvo as vantagens de adquirir insumos e produtos nela. O evento, que seguirá os protocolos de cuidados em tempos de pandemia, acontece a partir das 8h, na sede da Coasplan, na Avenida Francisco Marques da Fonseca, 294, com um café da manhã.

O diretor comercial da Cooperativa, Thiago Queiroz, reforça que embora a Coasplan seja uma entidade ligada a Asplan, para adquirir os produtos da entidade não é preciso ser associado. “Temos herbicidas, fertilizantes e defensivos agrícolas e também um portfólio de produtos que inclui implementos e máquinas para todo o mercado agrícola, não apenas para os produtores de cana-de-açúcar”, destaca Thiago, lembrando que o público alvo é todo o mercado do agronegócio paraibano. Ainda segundo Thiago, essa ação do sábado servirá para mostrar como está a Cooperativa e como os produtores podem utilizar os serviços disponibilizados por ela.

A Cooperativa tem ainda uma Central de Compras, com um funcionário à disposição dos clientes para fazer a cotação de peças e equipamentos, incluindo EPI’s. Para acionar a Central, basta que o interessado ligue pelo número (083) 2177-0441 e diga qual é sua necessidade de compra que a Cooperativa se encarregará de fazer as cotações e adquirir o produto sem custo adicional algum para o cliente. “Esse é outro grande diferencial da Cooperativa que vai dar um importante suporte ao produtor na hora de comprar peças de reposição e outros itens ligados ao seu negócio”, destaca Thiago Queiroz.

O presidente da Asplan, José Inácio de Morais, reitera que o grande objetivo da Coasplan é, primordialmente, baratear custos para os associados e facilitar o aceso dos produtores aos insumos e produtos do setor, permitindo que os investimentos necessários na produção sejam realizados com mais facilidade. “Como vamos comprar os produtos de forma cooperativada, teremos melhores condições de ter preços menores e mais atrativos”, ressalta José Inácio. O presidente da Coasplan é Fernando Rabelo Filho e o vice-presidente, Pedro Tavares Neto.

 

Assessoria

porpjbarreto

Produtores não devem entregar o CAR às usinas para garantir acesso aos CBios do RenovaBio orienta Asplan

O repasse para os produtores da parte que lhes cabe dos Créditos de Descarbonização (CBios), do RenovaBio, ainda continua indefinido, mas, as usinas precisam ter acesso aos dados do Cadastro Ambiental Rural (CAR), conforme manda a legislação, para atestar o perfil do uso correto da terra pelos produtores que é condição para a indústria estar apta a emitir os papéis correspondentes a cada lote de etanol negociado com as distribuidoras. Não entregando os dados para as indústrias, os canavieiros podem travar o novo programa nacional até que a parte que lhes cabe seja incluída nos CBios.

A Associação dos Plantadores de Cana da Paraíba (Asplan), entidade que junto com a Associação dos Fornecedores de Cana de Pernambuco (AFCP), sairam na frente, convocando reuniões com seus associados para orientá-los a não entregar o CAR, pressionam para que os produtores tenham acesso aos créditos de carbono do Renovabio. “É uma reivindicação justa, inclusive, apoiada pela maioria dos dirigentes industriais, que também avaliam que os ganhos com os CBios devam ter a participação dos produtores que direcionam boa parte da matéria-prima processada pelas indústrias”, afirma o presidente da Asplan, José Inácio de Morais, que também preside a União Nordestina dos Produtores de Cana (Unida).

José Inácio lembra que o pleito dos produtores, incluindo também os de biodiesel, já vem desde as primeiras discussões nacionais do RenovaBio, mas com a implantação do programa em 2020 – e com algumas emissões de CBios já no mercado – a reivindicação não prosperou e os ganhos ainda estão restritos a cadeia industrial. “A produção de uma cana cada vez mais limpa no seu processo produtivo e sem resíduos fósseis, que é o que ajudará a precificar o valor dos CBios das usinas, não pode desconsiderar e deixar de fora quem produz no campo. Os produtores precisam também ter acesso aos ganhos do CBios”, reitera José Inácio.

 

Assessoria

porpjbarreto

Deputado Jeová Campos viaja à Brasília e traz boas notícias para Cajazeiras. Leia!

A ausência do deputado estadual Jeová Campos da sessão legislativa remota da última terça-feira (04) teve um motivo de força maior. É que o deputado que preside a Frente Parlamentar da Água e da Agricultura Familiar da ALPB teve uma audiência em Brasília, no Ministério da Integração Regional, com Marcelo Borges.

Na ocasião, foi informado que a licitação da recuperação da parede do açude de Engenheiro Ávidos já está em curso, assim como já está sendo executado a obra do canal Caiçara-Engenheiro Ávidos. “Essas são notícias que me deixam muito alegre e esperançoso, pois essas duas ações são reivindicações recorrentes de meu mandato que são imprescindíveis para a chegada das águas da integração do Rio São Francisco no sertão paraibano”, disse o parlamentar.

Ainda segundo Jeová, a conclusão destas duas obras é de fundamental importância não apenas para a chegada das águas da transposição, mas, sobretudo, para o início de um projeto de agricultura familiar que pode mudar a realidade de muitos sertanejos. “Com a chegada destas águas poderemos ter o grande avanço do projeto da Transposição no sertão paraibano que será a implantação de um amplo projeto de produção de alimentos orgânicos”, disse o parlamentar, destacando sua satisfação de retornar da capital federal com essas duas boas notícias. Jeová viajou na terça-feira (04) e regressou no dia seguinte, quarta (05).

 

Assessoria

porpjbarreto

Conferência Intercontinental de Turismo Rural será sediada pela RuralTur

II CINTURR acontece entre os dias 1 e 4 de setembro, de forma totalmente digital

Com a missão de trazer grandes oportunidades para o mercado, a 16ª edição da Ruraltur conta com uma programação exclusiva voltada para o desenvolvimento do turismo rural no País.  Com o tema “A Inteligência do Turismo Rural”, o evento promovido pelo Sebrae Paraíba acontecerá de forma digital e gratuita de 1 a 4 de setembro, buscando reunir milhares de pessoas para debater sobre assuntos relevantes do segmento, incentivar a economia rural e servir como incentivo ao Turismo, que foi duramente afetado pela pandemia do novo coronavírus tendo suas atividades interrompidas.

Além de sua programação, a feira será responsável por sediar a segunda edição da Conferência Intercontinental de Turismo Rural (CINTURR), organizada pelo Instituto de Desenvolvimento do Turismo Rural Brasil Rural durante os dias do evento, em formato digital e com sua temática central voltada para A Inteligência do Turismo Rural: Desenvolvimento Rural Cenários Desafios e Soluções. A II CINTUR conta com a presença confirmada de palestrantes da Argentina, Bolívia, Cabo Verde, Chile, Colômbia, Brasil, Uruguai, Panamá, Portugal, Peru e Venezuela

Conferência Intercontinental de Turismo Rural (CINTURR) – A I Conferência que decorre dos debates de alguns dos líderes do Brasil e Portugal teve a participação da Argentina, Peru, Cabo Verde e Estados Unidos que se reuniram para propor ações comuns como internacionalização, venda e até atividade de avaliação. A II Conferência Intercontinental de Turismo Rural propõe ser um ato de integração entre vários países, reconhecendo-o como um instrumento de eficaz disseminação, intercâmbio de conhecimentos e informações e, principalmente, união durante os dias da Conferência. Mesas de debate e palestras informativas serão responsáveis por propor uma análise detalhada do momento em que o setor está experimentando, além de buscar incluir empreendedores nacionais e internacionais; representantes governamentais nacionais e internacionais; empresários; agricultores; comércio turístico; universidades públicas e privadas; instituições de desenvolvimento e promoção; organizações governamentais e não governamentais e profissionais de mídia.

Serviço:
16ª Ruraltur | Feira de Turismo Rural do Brasil

Data: 1 a 4 de setembro de 2020
Local: 100% digital
Público-alvo: Empresas formalizadas – MEI, ME e EPP, produtores rurais com DAP, artesãos com SICAB, que atuam em atividades econômicas, vinculadas ao turismo rural, profissionais do trade turístico, gestores públicos, profissionais da imprensa, pesquisadores, professores e alunos dos cursos de turismo e visitantes em geral.

Para mais informações, o site é http://ruralturdigital.com.br/e o instagram @ruralturdigital

 

Assessoria

porpjbarreto

Senado aprova auxílio financeiro para agricultores familiares

Projeto prevê pagamento de R$ 600 em auxílio a esses trabalhadores

O Senado aprovou nesta quarta-feira (5) o Projeto de Lei 735/2020, que estabelece medidas de socorro financeiro aos agricultores familiares. O projeto passou primeiro pela Câmara e foi aprovado pelo Senado sem alterações. Ele segue para sanção do presidente da República, que pode sancionar o projeto ou vetá-lo, todo ou em parte.

O projeto traz, entre seus principais dispositivos, a previsão do pagamento de cinco parcelas de R$ 600 a título de auxílio aos agricultores familiares. Além disso, o projeto também prevê um fomento emergencial de inclusão produtiva rural, um pagamento de R$ 2,5 mil, em parcela única, por unidade familiar. Para a mulher agricultora familiar, a transferência será de R$ 3 mil.

O auxílio de R$ 600 só será pago àqueles que não tenham sido beneficiados pelo auxílio emergencial do governo. O agricultor familiar não pode ter emprego formal, nem receber outro benefício previdenciário, exceto Bolsa Família ou seguro-defeso, e deve ter renda familiar de até meio salário mínimo (R$ 522,50) ou renda familiar total de até três salários mínimos.

Outro ponto do projeto concede o auxílio Garantia-Safra, automaticamente, a todos os agricultores familiares aptos a receber o benefício durante o período de calamidade pública, condicionado à apresentação de laudo técnico de vistoria municipal comprovando a perda de safra. O Garantia-Safra assegura ao agricultor familiar o recebimento de um auxílio pecuniário, por tempo determinado, caso perca sua safra em razão de seca ou excesso de chuvas.

O texto também institui linhas de crédito rural no âmbito do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf). Podem se beneficiar das medidas agricultores com renda familiar mensal de até três salários mínimos.

 

Agência Brasil

porpjbarreto

Abandono: moradores do Azevém clamam por reforma de cemitério do distrito há quase meio ano

Em total abandono, os moradores do Distrito de Azevém, localizado na região sul de Cajazeiras, clamam às autoridades locais, que seja realizada uma reforma no cemitério público da referida comunidade, pois, há quase meio ano uma das paredes caiu e não houve respostas à comunidade.

Ainda de acordo com reclamações chegadas a nossa redação e devido à distância para a sede do município, as autoridades fazem de conta que não existem problemas a resolver.

 

Com Folha VIP

porpjbarreto

Presidente do (PSL) de Cajazeiras diz que recebeu proposta para o partido indicar um pré-candidato a vice-prefeito

Com o mês de agosto iniciado, a campanha para às eleições municipais e seus agentes políticos começam a trabalhar freneticamente nos bastidores da Terra do Padre Rolim.

Ainda com bastante tempo para as definições e escolha dos nomes que comporão as chapas dos pré-candidatos à Prefeitura de Cajazeiras, os partidos e seus líderes articulam os melhores acordos e composições, para concorrerem aos cargos que pleiteiam em (15) de novembro do ano em curso.

A imprensa cajazeirense vem trazendo informações sobre todos os acontecimentos do cenário político local e, sem pedir segredos a notícia vai passando de boca em boca.

De acordo com informações chegadas a nossa redação, o (PSL) vem sendo cortejado por alguns grupos políticos de Cajazeiras e, até proposta para compor a chapa majoritária com um dos seus nomes – como pré-candidato a vice-prefeito, teria sido ventilada a sugestão, afirmou Enéas.

Em contato com o presidente municipal do (PSL), o policial militar Enés Bandeira, o mesmo garantiu que continua ouvindo atentamente as propostas dos pré-candidatos à Prefeitura de Cajazeiras, mas até o final do mês de agosto a direção do partido, filiados e pré-candidatos batem o martelo. “Nós estamos ouvindo todos os pré-candidatos a prefeito que ai estão, mas não temos nada definido até o momento, vamos conversar mais um pouco e até o final deste mês de agosto, nós vamos bater o martelo”, garantiu Bandeira.

Folha VIP de Cajazeiras

porpjbarreto

Asplan inicia fiscalização da safra 2020/2021 nas usinas da Paraíba

O trabalho de fiscalização dos agentes tecnológicos contratados pela Associação dos Plantadores de Cana da Paraíba (Asplan), para acompanhar a avaliação da qualidade da matéria-prima entregue pelos produtores canavieiros, começou nesta segunda-feira (03), na Giasa, em Pedra de Fogo, e Japungu, em Santa Rita. Essas indústrias começaram suas moagens, respectivamente, nos dias 18 e 21 de julho. “A análise da matéria-prima usa a fórmula da ATR (Açúcar Total Recuperado) e nos acompanhamos todo o processo, desde a pesagem até a análise no laboratório para que a remuneração paga pela cana seja fidedigna ao que está sendo entregue”, explica o diretor do Departamento Técnico da Asplan (Detec), Neto Siqueira, setor responsável pela coordenação dos trabalhos em campo da fiscalização.

O acompanhamento da cana dos associados, reitera Neto Siqueira, vai permanecer durante toda a safra, diuturnamente, e enquanto houver fornecimento da matéria-prima para as oito unidades industriais paraibanas. Neto lembra ainda que além de fornecer cana para as indústrias do estado, outras unidades industriais fora da Paraíba também absorveram parte da produção paraibana, mas, em menor escala, porém nestas unidades a fiscalização da Asplan não atua.

Das oito unidades industriais paraibanas, duas fabricam álcool e açúcar (São João e Monte Alegre), uma fabrica açúcar (Agroval) e cinco produzem só álcool (Tabu, Giasa, Japungu, Miriri e Dpadua). A Paraíba detém a terceira maior produção de cana-de-açúcar do Nordeste, uma vez que produz mais que o Rio Grande do Norte, Bahia, Sergipe, Maranhão e Piauí. Em produção, a Paraíba só fica atrás de Alagoas e Pernambuco, que são tradicionalmente os maiores produtores da região. O setor sucroalcooleiro paraibano gera cerca de 30 mil empregos diretos durante a entressafra e 40 mil em épocas de safra.  Atualmente, entre 50% e 60% da matéria-prima é oriunda de lavouras próprias ou arrendadas pelas indústrias, sendo o restante produzido pelos fornecedores ligados a Asplan que contabilizam 1.400 associados, entre pequenos, médios e grandes produtores.

O trabalho de fiscalização da Asplan conta com 18 gentes tecnológicos, sendo que 16 deles vão atuar nas usinas, um vai ser o coletor das amostras e outro ficará no laboratório fazendo as análises. Antes de irem a campo, todos os agentes receberam treinamento. Os novatos participaram de uma capacitação na sede da Asplan que durou uma semana e os fiscais veteranos apenas reviram os procedimentos.

 

Assessoria