Categoria Rural

porpjbarreto

Paraíba compõe lista de exportadores de açúcar para os Estados Unidos autorizados pelo Ministério da Agricultura

A Agroindustrial Vale do Paraíba e a Usina Monte Alegre estão entre as 36 unidades produtoras de açúcar das Regiões Norte e Nordeste com aval do Ministério da Agricultura, para exportação do produto aos Estados

Unidos, a partir do próximo mês. A cota de exportação das duas agroindústrias paraibanas é superior a 3 mil toneladas métricas. A Instrução Normativa (IN) 57, que regulamenta a atividade, foi publicada no último dia 23.

A cota, conforme a IN 57, refere-se ao ano-safra 2019/2020, “já descontado o valor de polarização e convertido em toneladas curtas” e compreende o desembarque até o dia outubro de 2020. As usinas citadas no anexo da Instrução Normativa estão nos Estados de Alagoas, Amazonas, Bahia, Maranhão, Pará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, e Sergipe. Juntas vão exportar 75.415,62 toneladas métricas.

O presidente do Sindicato da Indústria de Fabricação de Álcool na Paraíba (Sindalcool), Edmundo Barbosa, destacou a relevância da produção nacional de açúcar, elevando o país, a condição de maior produtor mundial, onde 20% da produção total é consumido em todos países, e o produto ainda ajuda a combater a desnutrição, sendo uma importante fonte natural e acessível de energia para as pessoas. “É um ingrediente fundamental no preparo de alimentos para obtenção de sabor e consistência, faz parte da cultura e do dia-a-dia dos brasileiros e muitas outras culturas”, destacou.

O agronegócio garante divisas na balança comercial através do açúcar. De janeiro a agosto deste ano, o Brasil entregou a diversos países

13.584.985 toneladas e recebeu 3,7 bilhões de dólares.

Para Edmundo Barbosa, por desconhecimento, o açúcar ainda é visto como um vilão para a saúde da população e as ações de valorização do produto paraibano no perfil @campanhadoceequilíbrio, realizadas desde 2010, serviram para desmistificar o seu uso, e deverão voltar a circular, com a mesma finalidade.

Ele lembrou que o Sindalcool vai iniciar campanha similar em sua página oficial na internet, www.sindalcool.com.br, pois “o produto tem chegado nas mesas dos brasileiros in natura, em sua forma pura na condição de sacarose, sem aditivos químicos”.

Dentre inúmeros posts, o perfil @campanhadoceequilibrio destaca que esse gênero alimentício, consumido com equilíbrio não traz malefícios à saúde, “e que o emagrecimento saudável não está apenas relacionado à dieta: a chave está no balanço calórico entre o que se come e o que se gasta”.

 

Assessoria

porpjbarreto

Cooperados da CooafSul decidem iniciar moagem mesmo com negativa de crédito fiscal do Governo

Terceira usina pernambucana a ser revitalizada e retomar as operações graças a iniciativa conjunta de produtores de cana-de-açúcar cooperados, a CooafSul, antiga Estreliana, localizada em Ribeirão, Zona da Mata Sul do Estado, decidiu, mesmo após negativa de crédito fiscal da Sefaz, iniciar a moagem da safra. O apoio de deputados estaduais ao pleito da cooperativa, garantido em sessão plenária realizada da última terça-feira (22), e a recente autorização da ANP para que a indústria possa produzir e negociar etanol, foram decisivos para que a operação fosse iniciada mesmo sem ter assegurado o crédito presumido definido em lei, que permite uma concessão fiscal de 18,5% para CooafSul. “Não entendemos essa negativa, já que outras usinas cooperativistas que funcionam nos mesmos moldes da CooafSul  – a Coaf e a Agrocan – têm esses benefícios”, argumenta o presidente da AFCP, Alexandre Lima, confiante que o governo reavaliará essa decisão.

O presidente da União Nordestina dos Produtores de Cana (Unida), José Inácio de Morais, elogiou a decisão da CooafSul começar a moer e reitera a força do sistema cooperativado. “Nós já temos dois exemplos de sucesso em Pernambuco com indústrias que estavam fechadas e voltaram a produzir e que estão fazendo a diferença no mercado surcroenergético não apenas de Pernambuco, mas do Nordeste, porque os reflexos positivos destes empreendimentos de sucesso repercutem além fronteiras. Eu não tenho dúvidas de que a CooafSul vai ser também um sucesso e tenho esperança que o governo pernambucano reveja essa decisão absurda e descabida de negar os benefícios de isenção fiscal que a cooperativa tem direito”, disse José Inácio, desejando que a CooafSul tenha êxito em sua trajetória.

A usina cooperada foi concebida graças a união de 629 fornecedores de cana da Mata Sul e tem capacidade para gerar e manter 2,7 mil empregos e destinar em forma de imposto, via ICMS, R$ 9,5 milhões com a produção de etanol. Durante a sessão da Alepe, o deputado Antônio Moraes lembrou que o crédito fiscal para a cooperativa tem sido benéfico, inclusive, para estimular a produção de cana dos produtores de assentamentos rurais pernambucanos, como do Miguel Arraes, na área onde ficava as terras da usina Catende. “Hoje, os assentados produzem 200 mil toneladas de cana para a Agrocan. Antes da reativação da usina, eles só produziam 20 mil toneladas”, destacou o parlamentar.

O deputado Clovis Paiva, presidente da Comissão do Setor Sucroalcooleiro da Alepe, disse que acredita que o governador Paulo Câmara achará a solução para a Estreliana. “Somos da base de apoio do governo, mas estamos solidários ao setor e esperamos que o governador garanta este crédito para CooafSul poder tocar a usina cooperativista pelos próximos 10 anos”, reiterou ele. Já o deputado Henrique Queiroz Filho lembrou que a cana em Pernambuco é social, dado o grande volume de emprego e renda que gera às famílias da Zona da Mata, mas, também é lucrativa para os cofres do estado, dado os recursos gerados com ICMS. Ele citou o exemplo da Coaf e Agrocan. “Elas empregam cerca de 8 mil pessoas e já geraram R$ 61 milhões em ICMS para o Estado através da produção de etanol, que é mais rentável em tributos para Pernambuco”, disse o deputado.

O presidente da CooafSul, José Carlos César, está otimista em relação a uma mudança de postura do governo Paulo Câmara. “Vamos dar esse voto de confiança ao Poder Legislativo e ao governo, afinal, o governador Paulo Câmara foi o criador dessas leis em defesa do cooperativismo de usinas através dos produtores de cana, como fez com a Coaf e com a Agrocan. Vamos iniciar a moagem da Estreliana, na esperança de que o governo revisará a questão em favor de todos os envolvidos nesta grande cadeira produtiva e benéfica para Pernambuco”, informou José Carlos.

 

Assessoria

porpjbarreto

Asplan participa de ação que estimula produtores a fazer a logística reversa de embalagens de agrotóxicos

No próximo dia 30, durante todo o dia, os produtores rurais de cidades próximas a Pedras de Fogo, a exemplo de Juripiranga, Conde, Alhandra e Caaporã, terão à disposição um posto de coleta para entregar embalagens vazias de agrotóxicos. A ação, denominada Recolhimento Itinerante, é uma parceria da Associação dos Plantadores de Cana da Paraíba (Asplan), com a Associação dos Revendedores de Produtos Agropecuários do Nordeste (ARPAN), o Instituto Nacional de Processamento de Embalagens (INPEV), o CREA, a Prefeitura de Pedras de Fogo e a Secretaria de Agricultura do Estado (Sedap). O objetivo é facilitar o recolhimento dos recipientes, em atendimento ao que determina à Lei federal nº 9.974 de junho de 2000, que dispõe sobre a logística reversa de embalagens de agrotóxicos. O posto funcionará no local do antigo posto do Fisco, na entrada de Pedras de Fogo.

O coordenador do Departamento Técnico da Asplan, o engenheiro agrônomo Luís Augusto, lembra que a parceria para a destinação final das embalagens sempre atinge os objetivos e sempre conta com a adesão dos produtores. “O descarte correto das embalagens é obrigatório e sempre que fazemos essa ação temos uma resposta bem positiva dos produtores”, diz Luis, destacando que tudo o que for arrecadado será destinado à uma unidade de recolhimento da ARPAN. A última ação deste tipo ocorreu na cidade de Itapororoca, no ano passado. Segundo Luis, a ação de Pedras de Fogo aconteceria em abril, mas foi adiada em função da pandemia.

O presidente da Asplan, José Inácio de Morais, destaca que a Associação, bem como os fornecedores estão comprometidos não só em cumprir a Lei, mas em preservar o meio ambiente. “Todos sabem que é preciso fazer a tríplice lavagem do recipiente e entregá-lo no posto montado durante a ação. Não podemos queimar, enterrar, jogar em lixo comum. Isso é contra a lei e contamina o meio ambiente e prejudica a saúde das pessoas”, disse José Inácio, reiterando a responsabilidade dos produtores com a destinação correta das embalagens vazias. Ele lembra ainda que neste tipo de ação não é necessário que o produtor leve a nota fiscal de compra dos produtos.

O dirigente canavieiro destaca que quando o produtor realiza a entrega de suas embalagens de agrotóxicos com segurança a uma unidade de recebimento para que seja realizada a destinação adequada do recipiente, como essa que será disponibilizada em Pedras de Fogo, ele recebe um recibo. “Esse comprovante deve ser guardado e apresentado em uma possível fiscalização. A lei só permite que o produtor guarde recipientes vazios de agrotóxicos até um ano. Depois disso, é preciso que ele faça a logística reversa”, finaliza José Inácio.

Assessoria

porpjbarreto

Empresários do setor sucroenergético paraibano recebem executivo da segunda maior distribuidora de combustíveis do Brasil

Os empresários paraibanos do setor sucroenergético, receberam na quarta-feira (10), para o Roda de Conversa, encontro informal de empresários do setor, o CEO da Raízen, Ricardo Mussa. A Raízen é uma empresa integrada de energia, fruto da Joint Venture entre Shell e Cosan, que produz e comercializa etanol, açúcar, combustíveis e bioenergia.

Para o presidente do Sindalcool, Edmundo Barbosa, a participação de Mussa trouxe boas reflexões sobre o mercado internacional. Na oportunidade, discutiram-se interesses dos produtores nos mercados que recebem o açúcar brasileiro, onde foi citado que a Bolsa de Nova York negocia 30 vezes mais do que o açúcar produzido.  “Ele aceitou o nosso convite porque defende a reflexão, o romper padrões e preconceitos, além da empatia”, lembrou.

Edmundo afirmou que o executivo defendeu a economia circular e a retomada verde como aponta o estudo do World Resources Institute sobre alternativas para o Brasil focar em crescimento de 2,8 trilhões acima do PIB até 2030 através da sustentabilidade.

No Roda de Conversa, o CEO da Raízen também defendeu a sustentabilidade corporativa, baseada em eficiência econômica, equilíbrio ambiental, justiça social e governança corporativa, pois acredita na negociação de direitos de emissão de carbono, com compra e venda de títulos financeiros por meio do RenovaBio.

Mussa também lembrou que no primeiro semestre de 2020 a quantidade de energia vinda do subproduto da cana evitou que 2,8 milhões de toneladas de CO2 fossem jogadas na atmosfera, ao defender a energia da biomassa e sua importância para a estabilidade do grid e a geração junto ao consumo. A Raízen tem no seu portfolio 1 Gw na geração por esta fonte renovável.

O Roda de Conversa do Sindalcool acontece duas vezes por mês, e por lá, já passaram o presidente e CEO da Datagro (uma das principais empresas de consultoria do mundo, especializada em mercados agrícolas) Plínio Nastari, o diretor comercial da Usina Alta Mogiana, Luiz Gustavo Junqueira Figueiredo, os produtores do etanol de milho de Mato Grosso representados pelo Guilherme Nolasco, o executivo do Grupo Tereos, Jacyr Costa Filho, e o consultor em planejamento energético e combustíveis

Adriano Pires.

porpjbarreto

Jeová faz relato da visita às obras da Transposição e propõe que todo os deputados paraibanos façam uma visita técnica no início de 2021

Em pronunciamento durante sessão remota da ALPB, na manhã desta quarta-feira (9), o deputado Jeová Campos fez um breve relato sobre a visita técnica as obras do Eixo Norte da Transposição, na última sexta-feira, agradeceu o apoio logístico que teve da Mesa Diretora da Casa e fez uma proposta para que todos os deputados paraibanos, sob o comando do presidente da ALPB, Adriano Galdino, possam ver in loco, no início do próximo ano, as obras que já estão prontas em Jati (CE) e em bom ritmo no interior da Paraíba e do Rio Grande do Norte.

“Foi uma emoção singular ver a barragem de Jati cheia, tanto que não resisti e entrei nas águas do Velho Chico. Penso que emoção similar irão sentir os meus colegas diante de tão majestosa e importante obra para nossos irmãos nordestinos. Não tenho dúvidas que essa é a construção do milênio em nosso país”, disse o parlamentar. Jeová lembrou que a água da barragem de Jati, que vai chegar em Açu, no Rio Grande do Norte, passando pela barragem de Engenheiro Ávidos, é tudo por gravidade e as obras estão praticamente prontas. Segundo ele, as obras de construção do canal Caiçara Engenheiro Ávidos, em Cajazeiras, deverão estar concluídas em meados do próximo ano.

“Eu quero deixar uma proposta aqui, para que no início de 2021, sob o comando do presidente da Casa, Adriano Galdino, todos os deputados da Paraíba possam visitar as obras da Transposição”, reiterou o parlamentar que, na sequência de sua fala,  elogiou o trabalho que vem sendo feito pelo secretário de Saúde da Paraíba, Geraldo Medeiros, no que diz respeito ao combate ao COVID-19, solicitando do mesmo que tenha um olhar especial e comece a adotar as providência para cumprir a Lei 11.566, que ampliou o teste do pezinho na Paraíba, dotando a rede pública estadual com condições para as unidades fazerem o teste do pezinho ampliado nas maternidades e hospitais públicos paraibanos.

Assessoria

porpjbarreto

Reparos em Jati estão sendo feitos e canal Caiçara/Engenheiro Ávidos será concluído em meados de 2021

Até meados de 2021, as obras de construção do canal Caiçara-Engenheiro Ávidos, em Cajazeiras, deverão estar concluídas. As obras do canal do ramal do Vale do Apodi, que levará água de Caiçara até a região do Apodi, no Rio Grande do Norte, numa extensão de 120 km, estão em fase de licitação do projeto, e deverão ser iniciadas em breve.

A reparação dos danos causados pelo rompimento de uma estrutura de concreto que abastece o reservatório de Jati, no Ceará, que restabelecerá o fluxo de água no sistema, está sendo feita em ritmo regular, mas, ainda sem previsão de conclusão desse serviço. No entanto, os técnicos do Ministério do Desenvolvimento Regional asseguraram que, apesar do problema, não haverá qualquer empecilho quanto a liberação da água para Cajazeiras, o que poderá ser feito através de outras alternativas. Essas foram algumas das conclusões de uma visita técnica realizada nesta última sexta-feira (04), pela Frente Parlamentar da Água e da Agricultura Familiar da ALPB, representada pelo deputado Jeová Campos, presidente da Frente. O deputado estadual, Francisco do PT (RN) também integrou a comitiva.

Num primeiro momento, foi visitado o reservatório Jati, no município de Jati (CE), mais especificamente no local onde houve o rompimento de uma estrutura de concreto. Em seguida, o grupo visitou as obras de construção do canal que interligará os reservatórios de Caiçara e Engenheiro Ávidos, no município de Cajazeiras (PB). “Viver esse momento singular, vendo as águas em Jati e essa construção da ponte que faltava para as águas chegarem em Engenheiro Ávidos e assim perenizar o Rio Piranhas e fazer chegar as águas no Rio Grande do Norte é uma experiência singular”, disse o deputado Jeová Campos que não resistiu e se molhou nas águas do Velho Chico, em Jati.

O parlamentar paraibano, que ficou satisfeito com o atual ritmo das obras que foram visitadas, lembrou que esse trabalho de coalização de forças políticas em prol do andamento das obras da transposição, começou ainda em 2015 e que a ALPB foi protagonista de primeira hora desta ação. “A ação da ALPB, que desde março de 2015, constituiu a Frente Parlamentar da Água e fez a primeira visita técnica naquele mesmo ano, colocou a Assembleia paraibana no protagonismo dos debates sobre a importância da conclusão das obras da transposição e da construção do canal Caiçara-Engenheiro Ávidos”, lembrou o deputado, reiterando que naquela época não se tinha nem o esboço deste projeto. De lá para cá, segundo Jeová, com a mobilização de forças políticas da Paraíba, de Pernambuco e do Rio Grande do Norte, de várias idas a Brasília e de outras visitas técnicas, hoje a obra deste canal virou uma realidade.

Para Jeová, a obra do canal é uma conquista das forças políticas do sertão da Paraíba. “Sem dúvida nenhuma, essa obra do canal é uma conquista das forças políticas do sertão da Paraíba. Agora estou eu aqui, surfando na minha felicidade, de ver essa obra tão gigantesca e importante sendo feita aqui, em solo Cajazeirense, em solo piranhense. Poder viver essa situação e ver esse momento que tem a marca e o DNA da boa política desenvolvida pelo nosso mandato, com apoio da Imprensa, dos amigos da OAB, das igrejas, me faz sentir que todos os passos dados até aqui valeram muito a pena”, afirmou o presidente da Frente Parlamentar da Água e da Agricultura Familiar da ALPB, lembrando do apoio do presidente da Casa, Adriano Galdino, em todas as ações da Frente.

Sobre o Eixo Norte

O Eixo Norte da Transposição constitui-se em um percurso de, aproximadamente, 400 km, com ponto de captação de águas próximo à cidade de Cabrobó (PE). De acordo com o projeto, essas águas serão transpostas aos rios Salgado e Jaguaribe até os reservatórios de Atalho e Castanhão no Ceará; ao Rio Apodi, no Rio Grande do Norte; e Rio Piranhas-Açu, na Paraíba e Rio Grande do Norte, chegando aos reservatórios de Engenheiro Ávidos e São Gonçalo, no sertão paraibano, além de Armando Ribeiro Gonçalves, Santa Cruz e Pau dos Ferros, no Rio Grande do Norte.

 

Assessoria

porpjbarreto

RuralTur supera expectativas e torna-se referência para criação de rede intercontinental de turismo rural

Evento continua nesta quinta-feira (3) com inauguração e tour virtual de pousada em Cabaceiras e mais rodadas de negócios

A 16ª edição da Feira de Turismo Rural (RuralTur) chegou ao segundo dia, nesta quarta-feira (2), recheada de atrações. O ponto alto, de acordo com a gestora de Turismo do Sebrae Paraíba, Regina Amorim, foram as palestras da II Conferência Intercontinental de Turismo Rural (II Cinturr) e as visitas técnicas virtuais. Ela afirma que a Cinturr – na qual ela foi palestrante e acontece paralelamente à RuralTur – trouxe conhecimentos e experiências que agregam valor à Feira de Turismo Rural. “Pelos comentários, o evento está acima das expectativas e é possível que consigamos parcerias, conexões e uma rede internacional de turismo rural para que possamos avançar mais ainda nas propostas de desenvolvimento de uma política pública de inovação e competitividade do setor”, ressalta.

Outro destaque foram as visitas técnicas, elas começaram na Comunidade Rural de Chã de Jardim, em Areia, com direito a City Tour em Piranhas, com Estrela Turismo, Alagoas, passeio pelo Bistrô Rural Semente da Terra – Assentamento Tiradentes, em Mari, e termina com uma Experiência com a Natureza, no Território Macuxi, Conde. Já o Encontro de Experiências do Turismo Rural trouxe palestras nacionais. Para fechar o dia ainda são esperadas rodadas de negócios e exibições nas salas de cinema. A Rede Intercontinental de Turismo Rural, para fortalecimento e reconhecimento do segmento de Turismo Rural, em nível mundial, teve sua primeira reunião neste dia 02 de setembro, das 18h às 19h30.

Penúltimo dia – A inauguração e visitação à Pousada Rural Matuto Sonhador, em Cabaceiras é um dos momentos mais esperados desta quinta-feira (03), assim como o Encontro Temático Mulheres Turismo Rural, o Encontro das Muheres  e o Encontro Nacional de Caminhadas na Natureza. Ao todo, a RuralTur conta com mais de 60 palestras, 16 visitas técnicas, 4 rodadas de negócios e  filmes na Sala de Cinema que todos terão acesso, das 22h às 00h, até 3 de setembro.

Como participar – Por ser um evento online e gratuito, os participantes podem ter acesso a programação com apenas alguns clicks por meio do smartphone ou computador no site www.ruralturdigital.com.br.

Parceiros – Para a realização, o evento conta com diversos parceiros, como o Instituto Brasil Rural, Associação Brasileira de Agências de Viagens da Paraíba, Associação Brasileira de Turismólogos e Profissionais do Turismo do Ceará, além do Sebrae do Maranhão, Mato Grosso do Sul, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Pernambuco, Alagoas, Sergipe, Bahia, Santa Catarina e Espírito Santo, o que beneficiará mais de 400 micro e pequenas empresas do Brasil.

Serviço:

16ª Ruraltur | Feira de Turismo Rural do Brasil

Data: 1 a 4 de setembro de 2020

Local: 100% digital

www.ruralturdigital.com.br

 

Assessoria

porpjbarreto

Caravana da ALPB fará visita técnica as obras do Eixo Norte da Transposição na PB e CE na próxima sexta-feira

As águas da Transposição, através do Eixo Norte, infelizmente, ainda não chegaram ao sertão paraibano, nem ao Ceará. A expectativa de que as águas chegariam em meados deste ano não se concretizou e para verificar em que estágio está a conclusão da obra e qual é agora a previsão de chegada das águas, a ALPB, através da Frente Parlamentar da Água e da Agricultura Familiar da ALPB, presidida pelo deputado Jeová Campos, fará uma visita técnica às obras de construção do canal que interligará os reservatórios de Caiçara e Engenheiro Ávidos, no município de Cajazeiras (PB), e também ao reservatório Jati, no município de Jati (CE). Na sessão remota desta quarta-feira (02), o deputado Jeová anunciou a realização da visita, convidou os deputados paraibanos a se integrarem a Caravana e solicitou da Mesa Diretora da Casa o apoio da equipe técnica e cobertura da TV ALPB.

A visita será realizada na próxima sexta-feira (04), a partir das 9h e será iniciada no reservatório de Jati, mais especificamente no local onde houve o rompimento de uma tubulação. De lá, o grupo segue para as obras do canal Caiçara/Engenheiro Ávidos. O engenheiro Alcenor de Paiva Silva, representante do Consórcio Supervisor do Eixo Norte, será o responsável por acompanhar a visita técnica. “A proposta é ver a atual situação das obras e o que falta para que as águas, efetivamente, cheguem a sua destinação”, destaca Jeová.

Em uma visita feita no ano passado, explica o parlamentar paraibano, foi identificado o problema do Eixo Norte da Transposição que atrasou a chegada das águas à Paraíba. “Quando foi inaugurada a estação de Bombeamento Nº 3, que era para encher a barragem de Negreiros, um dique desta barragem se rompeu e, por isso, a obra atrasou. Tudo por causa deste rompimento ocorrido em maio de 2018. Mas, esse atraso que deveria ser de um ano, já vai fazer quase dois”, explica Jeová. Segundo ele, o rompimento se deu logo após a inauguração da estação e por isso o enchimento dela não foi realizado.

De acordo com Jeová, como a obra se intercala e uma etapa depende da outra, a impossibilidade do enchimento da estação de Bombeamento Nº 3, em Negreiros (PE), comprometeu o transcurso da água, por gravidade, para os demais reservatórios, a exemplo do de Milagres, de Jati, de Pombos I e II, de Cana Brava, de Boa Vista e Caiçara. “Para encher esses reservatórios, nós precisamos de um ano de bombeamento, sem qualquer intercorrência. Passado um ano, queremos saber agora porque a água ainda não chegou ao sertão da Paraíba, apesar da obra estar praticamente pronta”, comenta o parlamentar.

Na visita realizada ano passado também foi constatado que a barragem de Jati, Morros e Boa vista já estavam todas prontas. Porém, a operação desse sistema dependia da resolução do problema do dique que se rompeu em Negreiros. “Sem resolver o dique, nós não teremos água na Paraíba. Isso atrasou de forma bastante grave a obra. Nossa expectativa era ter água ainda em 2019, mas, infelizmente isso não aconteceu. Pelo que vimos na época, na barragem de Negreiros, a água só chegará no final de 2020. Agora vamos verificar qual é esse novo prazo ou se esse prazo se mantém”, afirmou Jeová.

Sobre o Eixo Norte

O Eixo Norte da Transposição constitui-se em um percurso de, aproximadamente, 400 km, com ponto de captação de águas próximo à cidade de Cabrobó (PE). De acordo com o projeto, essas águas serão transpostas aos rios Salgado e Jaguaribe até os reservatórios de Atalho e Castanhão no Ceará; ao Rio Apodi, no Rio Grande do Norte; e Rio Piranhas-Açu, na Paraíba e Rio Grande do Norte, chegando aos reservatórios de Engenheiro Ávidos e São Gonçalo, no sertão paraibano, além de Armando Ribeiro Gonçalves, Santa Cruz e Pau dos Ferros, no Rio Grande do Norte.

Assessoria

porpjbarreto

Parceria Asplan/Senar possibilita multiplicação e distribuição de clones promissores de cana-de-açúcar

Graças a uma parceria da Associação dos Plantadores de Cana da Paraíba (Asplan) com a Assistência Técnica e Gerencial (ATeG) do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) produtores rurais paraibanos receberam clones promissores de cana-de-açúcar da RB-021754 e RB-041443. A distribuição do material foi feita nesta terça-feira (01), na Estação Experimentação do Camaratuba. Os clones que têm diferenciais que agregam mais valor a matéria-prima direcionada às indústrias foram desenvolvidos pela Ridesa, na estação de Carpina (PE). Dos 50 produtores que são atendidos pelo ATeG, nas regiões Norte e sul, 14 foram beneficiados com a distribuição de uma tonelada de semente dos dois clones.

O diferencial desses clones, explica o engenheiro agrônomo da Asplan, Luis Augusto, são a adaptabilidade às condições diversas para o plantio, como variações de solo ou de índices pluviométricos, além deles terem um maior índice de Açúcar Total Recuperável (ATR). “Como a remuneração dos produtores de cana é baseada no ATR, quando a matéria-prima tem índices maiores de ATR, isso influencia diretamente no ganho do produtor”, reitera Luis.

O agrônomo da Asplan, Luis Augusto, destaca outro aspecto importante sobre essa pesquisa científica no segmento de cana-de-açúcar que não recomenda concentrações de variedades cultivas superiores a 20%. “A Paraíba tem uma predominância em torno de 60% da cana 579. Assim, a distribuição destes clones contribui também para a diversificação dos cultivos e, consequentemente, para dar mais segurança à produção”, atesta ele.

Ainda segundo o engenheiro agrônomo da Asplan, a RB-021754 tem se mostrado precoce e com alta produtividade em termos de toneladas por hectare e também de ATR. O produtor Cléber Guedes foi um dos que se beneficiou com a parceria. “Se não fosse esse trabalho feito em conjunto pela Asplan e Senar, nós não teríamos a oportunidade de receber clones promissores como esses”, disse o produtor.

O diretor do Departamento Técnico da Asplan, Neto Siqueira, reforça a importância deste trabalho e da atuação da Asplan na melhoria dos processos de produção local. “O nosso departamento técnico tem também o objetivo de testar e trazer inovações tecnológicas e fazer a difusão e multiplicação de mudas e sementes de qualidade. Esses clones, por exemplo, foram conseguidos com a Ridesa, numa parceria que nós temos há mais de 20 anos e que colocamos agora à disposição do produtor”, afirma Neto.

Segundo dados da Asplan, o clone RB-021754  oferecido aos produtores tem uma performance e uma produtividade por hectare 8,79% maior do que a variedade 579, que predomina no Estado, e também maior percentual de ATR, algo em torno de 2,09%  mais. Já o clone RB-041443 apresenta um resultado superior de 27,63% de tonelada de cana por hectare em relação a 579.

O técnico de campo do Senar, Erik Amorim, responsável pelo trabalho, lembra que essa ação possibilita o acesso aos produtores paraibanos de uma tecnologia que já existe em outros locais. “Nós trazemos a tecnologia que já está estabelecida, em grandes centros e em empresas, para a realidade do produtor paraibano, adaptando isso para o seu potencial, levando em consideração as suas dificuldades e condições da sua propriedade. Isso significa trazer a ciência para dentro da fazenda”, disse Erik, lembrando que o Senar-PB foi pioneiro em nível nacional na oferta da ATeG focada em cana.

 

Assessoria

porpjbarreto

Turismo rural em destaque: Sebrae Paraíba inicia atividades da 16ª RuralTur

Evento, realizado pela primeira vez de forma 100% digital, reúne empreendedores, estudantes, produtores rurais e artesãos até o dia 4 de setembro

O Sebrae Paraíba iniciou, na manhã desta terça-feira (1), as atividades da 16ª edição da Feira de Turismo Rural (RuralTur), evento que reúne empresários, produtores rurais, estudantes e artesãos de diversos estados brasileiros, com o objetivo de promover e fortalecer os negócios e os destinos do turismo rural no país. Este ano, o evento tem como tema central “A Inteligência do Turismo Rural” e oferece uma série de capacitações e atividades gratuitas para o público.
Realizada pela primeira vez de forma 100% digital, por conta da pandemia do coronavírus, a RuralTur também proporciona visibilidade para o ano do turismo rural, celebrado em 2020 pela Organização Mundial do Turismo (OMT). Ao participar da abertura do evento, o superintendente do Sebrae Paraíba, Walter Aguiar, destacou o potencial do turismo rural no Brasil.
“Façamos da RuralTur um dos eventos que irão marcar esse momento tão difícil que estamos passando, um momento em que o mundo, mais do que nunca, necessita de ousadias no empreendedorismo. Acredito que o mundo rural pode contribuir bastante nesse processo tão danoso para a humanidade, mas que nós vamos saber reverter. Vamos estar mais do que nunca juntos, como estamos nesse encontro”, afirmou.
Por sua vez, o gerente de competitividade do Sebrae Nacional, César Rissete, pontuou a importância econômica e social do segmento rural para o Brasil. “O Sebrae Nacional fica muito feliz de promover esse segmento importante que é o turismo rural. Ele mostra como nós somos capazes de darmos respostas à situação que estamos vivendo, a partir da construção de convergência e de uma atuação conjunta. A RuralTur, assim como outros eventos, tem de fato agregado muito valor aos produtores e a esse segmento capaz de mudar uma realidade”, declarou.
Já a presidente do Instituto Brasil Rural, Andréia Roque, ressaltou a celebração do ano do turismo rural. “O ano do turismo rural começa hoje. Tenhamos a ciência de que nós temos que fazer um mundo diferente, melhor, estratégico e inteligente, sendo o turismo rural o caminho para unir o mundo rural produtivo e o mundo do turismo”, afirmou.
Também participaram da abertura do evento a presidente da PBTUR, Ruth Avelino, o superintendente do Sebrae Bahia, Jorge Khoury, além de outros representantes do Sebrae e da cadeia produtiva do turismo. O início da 16ª RuralTur também marcou a abertura da II Conferência Intercontinental de Turismo Rural (CINTURR), que contará com palestrantes do Uruguai, Brasil, Venezuela, Portugal, Costa Rica, Argentina, Estados Unidos, Equador, Cabo Verde, México, Colômbia e Peru.
Programação – O evento contará com mais de 60 palestras, 16 visitas técnicas, 4 rodadas de negócios, marketplace com mais de 300 lojas virtuais e Sala de Cinema, com 60 filmes disponíveis para serem acessados das 22h às 00h. Para realizar o credenciamento e conferir mais detalhes da programação, que segue até o dia quatro de setembro, os interessados devem acessar o site oficial do evento, no endereço https://ruralturdigital.com.br/.
Assessoria