Categoria POLICIAL

Policiais militares de São João do Rio do Peixe recuperam motocicleta roubada e prende suspeitos

Na desta segunda-feira (21), por volta das 07h30min, guarnições de radiopatrulha da cidade de São João do Rio do Peixe faziam abordagens na entrada da cidade próximas a Igreja Matriz, quando quatro indivíduos em duas motocicletas perceberam a presença das guarnições e tentaram evitar a abordagem desviando a barreira policial de maneira brusca, o que levantou suspeita daquela atitude.

Os militares resolveram abordá-los, iniciando uma perseguição que terminou na PB 393, nas proximidades da Cerâmica Rolim, quando uma dupla perdeu o controle da moto Yamaha Factor, 125 cc, de cor roxa, que no momento estava sem placa, tombando ao solo, enquanto que a outra dupla continuou a fuga, não sendo alcançada pela guarnição.

Em seguida os suspeitos caídos foram abordados, assim como foi feita uma averiguação nas condições da motocicleta, ficando constatado que a mesma tinha sido roubada na ultima quinta feira (17/07) na cidade de Cajazeiras nas proximidades da AABB, e que sua placa original era OEX – 8920.

A dupla foi identificada como sendo: Diego Maciel da Silva Sousa, que é albergado e tem 27 anos, e Isaías Barreto Soares, de 19 anos de idade, os quais após receberem voz de prisão foram conduzidos para Delegacia de Policia Civil de Cajazeiras para as providências legais juntamente com a motocicleta apreendida.

Seção de Comunicação do 6º BPM

Paraíba é o 1º Estado do país em investigações envolvendo exploração sexual infantil

Desde 2009, 293 procedimentos foram autuados pelo MPT na Paraíba para investigar exploração sexual.

Dos 293 procedimentos, 48 estão ativos atualmente sendo investigados e acompanhados pelo Ministério Público do Trabalho na Paraíba (MPT-PB), sendo 37 em João Pessoa e 11 em Campina Grande. Os dados são do ‘MPT Digital’ e colocam o Estado como o primeiro do País com o maior número de investigações em curso sobre exploração sexual infantil.

No período de 2010 a 2018, 22 ações judiciais foram propostas pelo MPT na Paraíba. Dessas, 10 foram Ações Civis Públicas (ACP). Considerada pela OIT (Organização Internacional do Trabalho) uma das piores formas de trabalho infantil, a exploração sexual de crianças e adolescentes é combatida pelo Ministério Público do Trabalho (MPT).

Paraíba pioneira – “O ‘leading case’ que deflagrou a atuação do MPT contra a exploração sexual em todo o território nacional, sem dúvida alguma, foi o ‘Caso Sapé’”, informou o procurador do Trabalho Eduardo Varandas, coordenador adjunto da Coordenadoria Nacional de Combate à Exploração do Trabalho da Criança e do Adolescente (Coordinfância).

“As investigações do ‘Caso Sapé’ confirmaram que comerciantes e autoridades locais exploravam sexualmente meninas de 12 a 16 anos por pequenas quantias em dinheiro. O caso ganhou repercussão nacional. Atualmente, temos casos até mais complexos, todavia, em razão do segredo de justiça, não podemos mencionar”, acrescentou Varandas.

MPT alerta: “Faltam políticas públicas” – O procurador do MPT-PB, Eduardo Varandas, alerta sobre a ausência de políticas públicas efetivas de combate à exploração de todas as formas de trabalho infantil, entre elas, a exploração sexual.

“Costumo dizer que a Paraíba é ‘açougue’ de carne de criança. Os conselhos tutelares estão desaparelhados e sem atenção prioritária do poder público. A assistência social a crianças e adolescentes em vulnerabilidade social é sofrível e não recebe a atenção devida da administração pública”, afirmou Varandas.

“Os delitos praticados contra crianças e adolescentes não são devidamente investigados e a impunidade é a regra geral. Lamentavelmente, não cuidamos de nossas crianças”, lamentou.

Para o procurador, a base da proteção da criança é  o fortalecimento da família e da escola pública. “Por isso, precisamos de escolas públicas de qualidade com jornadas duplicadas (dois turnos) que atendam não apenas ao currículo básico de formação primária, mas incluam atividades desportivas, artísticas e de lazer”, apontou Varandas.

Assistência integral – Ainda de acordo com o procurador, também é preciso oferecer a assistência social às famílias abaixo da linha pobreza. “Esse deve ser outro norte, com a geração de emprego decente para adultos a fim de evitar que as famílias ponham os filhos e as filhas para trabalhar nas ruas da cidade. As causas do trabalho infantil são a miséria e a ignorância e, enquanto não forem combatidas, teremos crianças exploradas e vilipendiadas em todas as cidades brasileiras”, concluiu.

Campanha – A campanha ‘É Proibido Cochilar’ tem o foco no enfrentamento à exploração sexual, uma das piores formas de trabalho infantil. A iniciativa é uma realização da Casa Pequeno Davi, Fórum Estadual de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil e Proteção ao Trabalhador Adolescente (Fepeti-PB) e Ministério Público do Trabalho na Paraíba (MPT-PB).

18 de Maio – Neste dia, em 1973, uma menina de 8 anos, de Vitória (ES), foi sequestrada, violentada e cruelmente assassinada. Seu corpo apareceu seis dias depois, carbonizado e os seus agressores nunca foram punidos.

Com a repercussão do caso, e forte mobilização do movimento em defesa dos direitos das crianças e adolescentes, 18 de maio foi instituído como o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Desde então, esse se tornou o dia para que a população brasileira se una e se manifeste contra esse tipo de violência.

 

 

Em Sousa: frentista é assassinado e mulher é baleada em tiroteio no Posto Chabocão na BR-230

Um crime de morte e uma tentativa de homicídio foram registrados, na manhã deste domingo (20), por volta das 9hs30 no Posto Chabocão, localizado às margens da BR-230 em Sousa, tendo como vítima fatal o frentista das iniciais “J.N”

Segundo as primeiras informações um casal estava no local, momento em que um segurança efetuou vários disparos de arma de fogo contra o casal, identificado apenas como “J.N” e”C. P. S”. Equipes do SAMU e Corpo de Bombeiros foram mobilizadas para prestarem socorro às vítimas e em seguida encaminhar ao Hospital Regional de Sousa.

O frentista não resistiu e veio a óbito. O motivo do crime ainda é desconhecido. A Polícia Militar está fazendo diligências com intuito de localizar o acusado que já foi identificado. A equipe da Delegacia de Homicídios e Entorpecentes (DHE) também foi acionada para dar início às diligências na tentativa de prender o acusado que foragiu tomando rumo ignorado.

 

Com Sertão Informado

Assédio sexual: jovem faz desabafo em rede social e presidente de associação de mototaxistas de Cajazeiras emite nota de solidariedade

Uma jovem  de Cajazeiras postou em sua rede social, que teria sido vítima de assédio sexual por um mototaxista, quando estaria sendo transportada de um ponto a outro da cidade.

 

Abaixo, um resumo e teor de parte da nota emitida pelo presidente da associação. Leia!

– A Associação dos Mototaxistas de Cajazeiras vem através desta, se solidarizar com essa jovem, onde relata em sua publicação que postou nas redes sociais ter sido assediada sexualmente por um mototaxista de Cajazeiras. Em tempo, a Associação discorda com ela, quando a mesma solicita na publicação que outras meninas evitem andar com mototaxistas em Cajazeiras. “MENINAS EVITEM DE ANDAR DE MOTOTÁXI EM CAJAZEIRAS“. Pois bem, nesse ponto ela se precipitou – porque jamais ninguém deve pagar pelos erros dos outros e como nossa categoria é uma categoria de mais de (650) mototaxistas cadastrados, junto ao órgão fiscalizador da nossa cidade, o (SCTRANS). Fora esses cadastrados, existem ainda, os mototaxistas que fazem o serviço clandestino. Então, a jovem deveria ter procurado o Sctrans, ou até mesmo a polícia, para que os fatos fossem apurados e conforme a lei, dar inicio a devida identificação do suposto acusado.

Ainda de acordo com o presidente da Associação dos Mototaxistas de Cajazeiras, Augustinho Filho – a vítima se precipitou, pois, da maneira que a mesma faz a narração do referido fato, toda categoria pode ser penalizada pela atitude isolada de um profissional de má fé e intenção duvidosa.

Discordando, Augustinho Filho completou: “Agora ela sair culpando toda a categoria, isso não pode! A categoria dos Mototaxistas de Cajazeiras têm profissionais que prestam serviços há mais de (22 anos). A Associação dos Mototaxistas de Cajazeiras se solidariza com a categoria por essa jovem ter culpado toda a classe. Pedimos providências às autoridades, que procurem essa jovem e investiguem o caso. Para que o verdadeiro culpado pague pelo seu erro”. Afirmou.

 

Redação

Polícia Militar recupera na Zona Rural de Cajazeiras motocicleta proveniente de roubo

Uma guarnição da 5ª Companhia de Trânsito do 6º BPM recuperou uma motocicleta com registro de roubo. O veículo foi localizado no Distrito Azevém, na Zona Rural de Cajazeiras. O fato se deu na tarde da última sexta-feira (18/05/2018). Com esta ocorrência, são duas motocicletas recuperadas pela 5ª CPTRAN em menos de 24 horas.

 

Redação com Assessoria