Categoria POLICIAL

Suspeitos de ataque a carro-forte na Paraíba vão para o presídio do Roger

Após o ataque, que aconteceu na manhã desta segunda, nas imediações do município de Cruz do Espírito Santo, o grupo conseguiu fugir.

Inicialmente, os suspeitos foram conduzidos para a Delegacia da Polícia Civil, do Grupo de Operações Especiais (GOE), em João Pessoa. (Foto: Walla Santos)

Os quatro homens suspeitos de terem explodido um carro-forte na Região Metropolitana de João Pessoa, nesta segunda-feira (6), vão ser levados para um presídio da capital paraibana, segundo o Núcleo de Audiências de Custódia do Fórum Criminal, que não informou se eles irão para a mesma penitenciária nem o nome do local. A decisão foi tomada pelo juiz Adilson Fabrício Gomes, durante uma audiência realizada nesta terça-feira (7).

Após o ataque, que aconteceu na manhã desta segunda, nas imediações do município de Cruz do Espírito Santo, o grupo conseguiu fugir. No entanto, no início da tarde, os suspeitos foram confrontados pela Polícia Militar na região de Lucena, no Litoral Norte da Paraíba, o que causou uma troca de tiros. Após aproximadamente quatro horas de negociação, eles foram presos.

Segundo o tenente-coronel Pablo Cunha, comandante do 7º batalhão de Polícia Militar, que conduziu as negociações, dois dos suspeitos já eram procurados pela polícia e são de Campina Grande. Contudo, conforme informou, todos os integrantes do grupo já respondem por crimes similares.

Com eles, foram apreendidas dez, sendo cinco fuzis de grosso calibre, uma carabina e quatro pistolas, munição, material explosivo e coletes. Além disso, parte do dinheiro roubado foi recuperado, assim como um veículo que teria sido levado durante a fuga.

Inicialmente, os suspeitos foram conduzidos para a Delegacia da Polícia Civil, do Grupo de Operações Especiais (GOE), em João Pessoa.

G1

PGR diz que amigo pessoal de Zé Aldemir e Paula controlava distribuição de propina

A Procuradoria Geral da República calculou em R$ 357.945.680,52 milhões o total de propina recebida pelo ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, um dos delatores da Operação Lava Jato, e pelo Partido Progressista (PP) a partir de desvios de recursos na área de Abastecimento da estatal.

A PGR narra que a partir de 2011, o comando do PP passou para outros parlamentares, que também passaram a controlar a distribuição da propina: os senadores Ciro Nogueira (PI) e Benedito de Lira (AL) e os deputados federais Arthur de Lira (AL), Eduardo da Fonte (PE) e Aguinaldo Ribeiro (foto, da Paraíba).

A cifra foi informada em denúncia apresentada quinta-feira (22) pela PGR contra o deputado federal Nelson Meurer (PP-PR) e seus dois filhos por suposta prática de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. A procuradoria informa que, do total repassado, R$ 62,1 milhões foram destinados a parlamentares do PP por meio do doleiro Alberto Youssef.

Segundo a denúncia, ele era responsável por administrar “um verdadeiro ‘caixa de propinas’ do PP” e realizou pelo menos 180 pagamentos para integrantes da sigla. Na peça, o deputado Nelson Meurer é acusado de receber R$ 29,7 milhões em repasses mensais de R$ 300 mil entre 2006 e 2014. Além disso, teria recebido mais R$ 4 milhões em espécie para sua campanha e outros R$ 500 mil na forma de doações eleitorais da construtora Queiroz Galvão.

Aguinaldo Ribeiro citado – Na denúncia, a PGR narra que Paulo Roberto foi nomeado diretor em 2004 pela cúpula do PP à época, integrada, além de Janene e Meurer, pelos deputados Pedro Corrêa (PE) e Pedro Henry (MT) – esses dois últimos, condenados no escândalo do mensalão. A peça também aponta relação mais próxima de Janene com João Pizzolatti (SC) e Mário Negromonte (BA), ambos também investigados na Lava Jato.

“Tais deputados, exatamente pela papel de comando que exerciam no PP, foram os grandes articuladores e beneficiários do esquema de corrupção e lavagem de dinheiro implantado na Diretoria de Abastecimento da Petrobras”, diz a denúncia.

A PGR narra que a partir de 2011, o comando do PP passou para outros parlamentares, que também passaram a controlar a distribuição da propina. Cita como integrantes desse segundo grupo os senadores Ciro Nogueira (PI) e Benedito de Lira (AL) e os deputados federais Arthur de Lira (AL), Eduardo da Fonte (PE) e Aguinaldo Ribeiro(PB), também investigados no caso.

Leia mais: http://m.valenewspb.com/products/pgr-diz-que-deputado-federal-aguinaldo-ribeiro-controlava-distribuicao-de-propina/

 

Redação com G1

Protesto em enterro de paraibano confundido com criminoso

O enterro do competidor de sinuca José Messias Guedes Oliveira, de 35 anos, foi marcado por protestos e revolta. O paraibano, morto em uma ação desastrosa da polícia do Ceará, foi enterrado no fim da tarde da última quinta-feira (2), na cidade de Patos, no Sertão.

Durante o enterro, amigos de José Messias levaram tacos de sinuca e uma faixa em protesto contra o erro da Polícia Militar do Ceará. “Não confundam meu taco de sinuca com armas de fogo”, dizia uma faixa.

O pai do motorista acredita que os policiais adotaram um procedimento errado e destaca que os outros ocupantes do carro não morreram “por um milagre”. Segundo ele, o filho não teria percebido que se tratavam de policiais e acelerou até uma cidade próxima. “A polícia fez um bloqueio para averiguar. Infelizmente não deu tempo fazer a barreira e os meninos se depararam com a viatura e os policias já atirando”, disse.

Eles estavam indo para um evento de sinuca. Um sobrevivente declarou no boletim de ocorrência que um policial relatou ter recebido ligação de um frentista denunciando que havia homens com fuzis em um veículo igual ao que eles estavam.

A secretaria da Segurança Pública informou que equipes da Polícia Militar foram acionadas para verificar uma denúncia anônima de “homens em atividades suspeitas em um carro”. Os militares foram até o local e avistaram o veículo na CE-371, iniciando uma perseguição. Segundo a nota, intermitentes e sinais sonoros foram ligados, mas o automóvel não reduziu a velocidade nem parou no posto rodoviário estadual de Campos Sales.

Com PBAgora

Patoense é assassinado e outro é ferido após abordagem desastrosa da polícia no Ceará

Os amigos Wendel, Gutiele, Josean e Messias são bastante conhecidos na cidade de Patos por praticarem de forma profissional e para lazer a sinuca.

Eles estavam indo para mais um torneio de sinuca no Estado do Maranhão, mas durante a viagem, ao pararem em um posto de combustíveis na cidade de Campos Sales, Ceará, no final da tarde da terça-feira, dia (31) de julho, uma tragédia marcou os amigos que seguiam viagem em um veículo Toyota, modelo Corolla.

Os amigos pararam no posto e foram jantar. O carro ficou estacionado com os tacos que sempre são levados para as competições no banco traseiro.

Alguém teria suposto que os tacos eram armas e acionou a polícia cearense para averiguar, porém, os amigos já haviam seguido a viagem quando as guarnições chegaram.

De acordo com relatos de um dos ocupantes do veículo, a polícia nem abordou o carro e já chegou atirando. O carro ficou cheio de marcas dos tiros da polícia. Messias sofreu um tiro na cabeça e morreu ainda no local. Outro amigo também recebeu um tiro de raspão na cabeça.

Os demais ocupantes pularam fora e começaram a gritar que eram pais de família e parrassem de atirar.

Quando a polícia percebeu o erro, a tragédia já estava feita. O fato gerou revolta na cidade de Patos, pois os amigos são queridos, campeões de sinuca e sempre participam de competições juntos.

O corpo de Messias está no Ceará e os familiares aguardam a liberação para ser transladado para Patos.

 

Foto: WhatsApp

Com informações de Patos On Line

 

Madrugada sangrenta no Sertão: Albergado é morto á bala em Uiraúna

Foi por volta das 03 horas da madrugada desta quarta-feira (1) de agosto, que a Polícia Militar da cidade de Uiraúna, no Sertão paraibano tomou conhecimento de um homicídio no Bairro do Retiro II.

Uma guarnição se dirigiu ao local, e lá os policiais constataram a veracidade dos fatos. De acordo com informações colhidas no local, a vítima trata-se do albergado Lucas Oliveira da Silva, de apenas 19 anos.

A polícia já tem um suspeito e trabalha para localizar o paradeiro do desafeto de Lucas. O corpo do jovem deverá ser encaminhado ao NUMOL em Patos.

 

Fotos: WhasApp

Redação – fmrural.com.br

Elemento conhecido pela alcunha de “Barquinha” é assassinado na Zona Sul de Cajazeiras

A Policia Militar foi acionada através do número de emergência 190, para uma ocorrência nas proximidades da torre da Claro, no Bairro Capoeiras – Zona Sul de Cajazeiras. O fato se deu na noite do último domingo (29).

De acordo com a polícia, um rapaz ainda bem jovem conhecido pela alcunha de “Barquinha”, tombou morto. Seu verdadeiro nome era José Ivan Tomaz Sampaio e, o mesmo tinha envolvimento com situações ilícitas. Ele havia cumprido pena e estava em liberdade.

Populares que estiveram no local do crime, afirmaram que a vítima foi surpreendida por outros dois indivíduos numa moto – momento em que um dos elementos sacou uma arma de fogo e efetuou vários disparos. “Barquinha” ainda tentou correr, mas tombou logo adiante.

 

Foto: WhatsApp

Redação –fmrural.com.br

Policiais do 6º BPM de Cajazeiras apreendem moto com motor e chassi raspados

Por volta das 9 horas da manhã desta sexta-feira (27), a Central de Comunicações – COPOM, da Companhia de São José de Piranhas, no Sertão paraibano recebeu uma informação através do número de emergência – 190, dando conta da existência de uma motocicleta Honda Bros, cor preta, sem placa e com a numeração do motor e chassi raspados.

Ainda segundo a denúncia, a motocicleta estaria numa oficina mecânica localizada no Centro daquela cidade.

De imediato uma guarnição de Rádio Patrulha foi deslocada para averiguar a situação, localizando o referido veículo – assim como o Sr. José Railson Almeida Alves, de 22 anos de idade, o qual se apresentou como proprietário da motocicleta.

Diante das evidências o acusado foi conduzido para Delegacia de Polícia Civil de São José de Piranhas juntamente com a motocicleta para as providências legais.

 

Com Assessoria do 6º BPM

Redação – fmrural.com.br

Policiais do 6º BPM de Cajazeiras recuperam motocicleta roubada no centro da cidade nesta terça-feira (24)

Por volta das 11 horas e 30 minutos, da manhã desta terça-feira (24), uma guarnição de Rádio Patrulha fazia abordagens no Centro de Cajazeiras, quando em dado momento visualizou um individuo em atitude suspeita empurrando uma motocicleta Honda Fan, cor azul e, sem placa nas proximidades do Posto Marauto.

Os militares resolveram fazer uma averiguação e durante a abordagem o suspeito alegou inicialmente que o veículo estava sem combustível, no entanto, numa consulta minuciosa feita ao sistema INFOSEG, ficou comprovado que a motocicleta tinha queixa de roubo.

O suspeito foi identificado como Estevão Ramon Fernandes de Sousa, vulgo “Imprensado”, que atualmente cumpre pena no regime semi- aberto e havia sido preso a menos de mês, o qual recebeu voz de prisão e foi conduzido para a Delegacia de Policia Civil de Cajazeiras, para as providências legais juntamente com a motocicleta apreendia.

 

Com informação do 6º BPM de Cajazeiras

Compra de mandato em Cabedelo-PB foi proposta por radialista cajazeirense aponta denúncia

Segunda fase da operação Xeque-Mate foi deflagrada na última quinta-feira (19), com 4 mandados de busca e apreensão.

A denúncia protocolada pelo Ministério Público da Paraíba (MPPB), que deflagrou a segunda fase da Operação Xeque-Mate, na última quinta-feira (19), esclarece que a compra do mandato de Luceninha, prefeito de Cabedelo em 2013, foi uma ideia proposta pelo radialista Fabiano Gomes. Os dois foram denunciados nesta segunda fase e o radialista alvo de mandado de busca e apreensão. Os fatos foram relatados na denúncia de Olívio Oliveira, em depoimento à Polícia Federal.

A operação Xeque-Mate foi deflagrada no dia 3 de abril, em sua primeira fase, com o cumprimento de 11 mandados de prisão preventiva, 15 sequestros de imóveis e 36 de mandados busca e apreensão expedidos pelo Tribunal de Justiça da Paraíba e cumpridos pela Polícia Federal. Nesta quinta-feira, foi deflagrada a segunda fase, com o cumprimento de quatro mandados de busca e apreensão.

Conforme sintetizado na denúncia do MPPB, Fabiano Gomes foi responsável por “exercer forte pressão” junto ao então prefeito Luceninha, para o pagamento de R$ 30 mil mensais repassados a ele por Luceninha. Segundo a denúncia, as dívidas com campanha tornaram a situação financeira de Luceninha “insustentável”, a ponto de confessar a Olívio, também denunciado na segunda fase, que iria renunciar.

Olívio contou a Fabiano que Luceninha estava disposto a renunciar. Diante disso, o radialista marcou uma reunião em seu flat, no bairro de Manaíra, onde ouviu de Luceninha a motivação da renúncia. Ele explicou a Fabiano que estaria com dívidas de campanha de aproximadamente R$ 3 milhões.

Após ouvir os motivos, Fabiano saiu do flat e pediu que Luceninha e Olívio o aguardassem no flat. Aproximadamente duas horas depois Fabiano retomou dizendo ao então prefeito que um empresário iria pagar suas contas de campanha e que ele renunciaria para dar lugar a Leto Viana (PRP) na Prefeitura.

Quando perguntado por Luceninha a Fabiano se o negócio era lícito, a resposta foi que o dinheiro seria de Roberto Santiago. No escritório do empresário, uma hora e meia depois que Luceninha confirmou a renúncia, uma pessoa chegou ao local com o termo de renúncia pronto.

Ao retomar ao escritório, Luceninha pediu R$ 1 milhão a Roberto Santiago alegando necessitar pagar dívidas imediatamente. Roberto pediu para que Luceninha fosse para casa e que o dinheiro chegaria até ele através de Olívio. Por volta das 17h30 do mesmo dia, um funcionário de Roberto chegou ao escritório com uma bolsa escolar dizendo conter R$ 800 mil em espécie. Desse valor, R$ 300 mil foram retirados pelo próprio Roberto Santiago de um cofre situado no banheiro de seu escritório.

O que dizem as defesas

Durante depoimento realizado no dia 24 de abril, Fabiano esclareceu que não houve compra do mandato, mas uma procura espontânea, por parte de Luceninha e Olivio, ao empresário Roberto Santiago, através do radialista, para saldar dívidas de campanha cujos credores estariam tornando insustentável a permanência de Luceninha à frente da gestão municipal.

Radialista Fabiano Gomes, investigado na Operação Xeque-mate, detalhou a compra do mandato do prefeito Luceninha, em Cabedelo, PB (Foto: Reprodução/TV Cabo Branco)
Radialista Fabiano Gomes, investigado na Operação Xeque-mate, detalhou a compra do mandato do prefeito Luceninha, em Cabedelo, PB (Foto: Reprodução/TV Cabo Branco)

Mulher e filha de radialista morto em parque de Fortaleza presenciaram acidente

Segundo o cunhado da vítima, elas estavam na boia de trás da atração

A esposa e a filha de oito anos do radialista Ricardo José Hilário da Silva presenciaram o acidente que o matou na última segunda-feira (16). O sorocabano estava em um brinquedo do Beach Park, em Fortaleza (CE). A informação foi dada pelo cunhado da vítima, em entrevista a afiliada da Rede Globo, TV TEM.

Segundo o cunhado, Luis Silva, a mulher e a filha estavam em na boia de trás da atração, chamada “Vainkará”. Ricardo Hill, como era conhecido, teria batido a cabeça na estrutura do brinquedo e morreu na hora. Os outros três ocupantes da boia saíram com ferimentos.

Silva contou que “Elas [mulher e filha] desceram no brinquedo e viram o que aconteceu. É muito traumatizante para elas, um choque grande para as duas. A gente não espera tirar férias e voltar em um caixão”.

Em nota, o Beach Park lamentou o ocorrido: “a equipe de segurança aquática realizou o atendimento de forma imediata, mas, infelizmente, o visitante foi a óbito. O Beach Park lamenta profundamente o ocorrido e está dando todo o apoio, suporte e atenção para a família”.

G1