Categoria Policial

porpjbarreto

Acusado de estuprar adolescente de 14 anos tem pena de 8 anos e 6 meses mantida

Um homem que foi condenado a oito anos e seis meses de reclusão pela prática do crime de estupro com uma adolescente de 14 anos (artigo 213 do Código Penal) teve a pena mantida em grau de recurso pela Câmara Criminal do Tribunal de Justiça da Paraíba. O fato aconteceu em 2015 no interior de sua residência, quando a vítima realizava serviço de faxina. Narra a denúncia que o acusado, mediante violência e grave ameaça, obrigou a menor a ter conjunção carnal.

Ao recorrer da sentença, a defesa pugnou, preliminarmente, que fosse decretada a nulidade do processo, ante a ausência de intimação pessoal do acusado. No mérito, pleiteou a absolvição do apelante, alegando insuficiência de provas. Alternativamente, requereu a mitigação da pena aplicada.

A Apelação Criminal nº 0002062-90.2015.815.0261 teve como relator o desembargador Joás de Brito Pereira Filho. No voto, ele rejeitou a preliminar de nulidade do processo. “Não tendo o réu sido encontrado pelo Oficial de Justiça, mas tomado conhecimento, pelo seu genitor, da audiência de interrogatório, com o comparecimento atestado através de termo e mídia lançados nos autos, não há que se falar em nulidade processual”, destacou.

Já no exame do mérito, o desembargador afirmou que a materialidade e autoria delitivas restaram comprovadas pelo Boletim de Ocorrência, pelo laudo sexológico e pelos relatos colhidos. “Mostrando-se a prova amplamente incriminatória, sobremaneira pela palavra da vítima e relatos testemunhais, que atestam a prática da relação sexual levada a efeito pelo acusado contra a ofendida, de apenas 14 anos de idade, a manutenção da condenação é medida que se impõe”.

No tocante à dosimetria da pena, o relator disse que não merece acolhida a pretensão da defesa. “Dosimetria sem reparos. Pena-base elastecida em razão da valoração negativa, idônea, de apenas um vetor (circunstâncias do crime). Demais fases dosimétricas escorreitas”, pontuou. Da decisão cabe recurso.

Confira, AQUI, o acórdão.

Assessoria de Imprensa – TJPB

porpjbarreto

Polícia desarticula quadrilha responsável por assaltos no Ceará e Paraíba

A Polícia Civil do Estado do Ceará, através da Delegacia Municipal de Ipaumirim, em conjunto com a Polícia Militar do Ceará, através do BEPI (Divisas) e Polícia Militar da Paraíba, através do 6º BPM (Coint, Bope Patrulha Rural, RP e Força Tática) desarticularam uma quadrilha responsável por vários roubos em Ipaumirim-CE, Umari-CE, Cajazeiras-PB, Cachoeira dos Índios-PB, Santa Helena-PB, São João do Rio do Peixe-PB e Bom Jesus-PB.

Foram cumpridos 4 (quatro) mandados de prisão preventiva em desfavor de: José Francisco Souza Neto (vulgo Zé Cancão), José Eudo Raimundo de Lima (Zé do Laço), Fabrício Gomes Cândido (vulgo Fabinho) e Cícero Cartaxo da Silva (vulgo Novinho), este último já encontrava-se preso, bem como 5 (cinco mandados de busca e apreensão domiciliar.

Fabrício (vulgo Fabinho) também é um dos envolvido na troca de tiros com a PCPB e PMPB na cidade de Cachoeira do Índios-PB, no último dia 10.

Durante a operação foram apreendidas 1 (uma) espingarda calibre 12, 1 (um) rifle calibre 44, 1 (um) revólver calibre 38, 1 (uma) espingarda calibre 36, bem como espingardas de fabricação artesanal e munições e droga.

Vários objetos de delitos foram apreendidos.

A quadrilha é suspeita da prática dos seguintes crimes:

1- Roubo a Loja de Eletroeletrônicos na cidade Ipaumirim no dia 14/04/2020;

2- Roubo a Residência no Sítio Zé Vieira, Zona Rural de Ipaumirim no dia 14/04/2020;

3- Arrombamento de Farmácia em Umari-CE, dia 28/01/2020

4- Roubo a pessoa em Baixio-CE no Sítio Ameixa, Zona Rural de Baixio-CE;

5- Roubo a residência em Cajazeiras no dia 10/10/2019

6- Roubos a mercadinho e a populares no município de Santa Helena-PB no dia 10/12/2019;

7- Roubo de motocicleta no município de Bom Jesus-PB em 22/01/2020

8- Roubo a Estabelecimento Empresarial em São João do Rio do Peixe no dia 04/02/2020

9- Roubo tentado a veículo e homicídio tentado no município de Cachoeira dos Índios-PB no dia 20/02/2020

10- Roubo a residência no Sítio Pé de Serra, Zona Rural de São João do Rio do Peixe em 03/03/2020

11- Roubo a pessoa em Santa Helena-PB no dia 14/03/2020

12- Roubo de veículo na zona rural de São João do Rio do Peixe em 12/02/2020

13- Roubo de veículo no Distrito de Várzea da Ema, Município de Santa Helena;

14- Roubo a Estabelecimento empresarial em São João do Rio do Peixe-PB no dia 19/04/2020.

 

Assessoria de Imprensa

porpjbarreto

Homem mata companheiro com golpe de faca após discussão na Zona Norte de Cajazeiras

A Polícia Militar foi acionada por volta das 23 horas e 40 minutos deste último domingo dia (07), para comparecer na Avenida Francisco Matias Rolim, no Bairro Alto Belo Horizonte, Zona Norte de Cajazeiras, para atender uma ocorrência de crime de morte.

Segundo informações da polícia, um homem identificado por Kerliomar Freitas da Silva, teria ligado para o COPOM da Polícia Militar relatando que ao chegar em casa, encontrou seu companheiro, o popular Edme Soares de Almeida com uma perfuração no corpo, que seria supostamente vítima de assalto.

Chegando ao local, foi constatado que a vítima teria sido atingida no pescoço por golpe de instrumento cortante – tendo morte no local. O SAMU constatou o óbito, bem como local foi isolado para a realização da perícia.

A polícia foi informada que ambos sempre discutiam e eram constantes as brigas e pouco tempo depois, Kerliomar Freitas, mudou a versão confessando que durante uma briga entre os dois teria matado Edme, e terminou preso em flagrante delito.

O suspeito foi preso e levado à Delegacia de Polícia Civil, para ser interrogado e apresentado ao delegado de plantão, já o corpo da vítima, foi encaminhado ao IML de Cajazeiras, para ser realizado os procedimentos de praxe. Edme era estilista e muito querido pelos amigos e clientes da empresa onde trabalhava.

 

Com informações de Ângelo Lima

porpjbarreto

Defensoria ingressa ação para que gestão de Romero alvo da ‘Famintos’ destine recursos do PNAE para distribuição de kits às famílias dos alunos

Alvo da ‘Operação Famintos’– que apura fraudes milionárias em licitações e desvio na merenda escolar por uma ‘Orcrim da Merenda’ instalada na gestão do prefeito de Campina Grande Romero Rodrigues (PSD), a gestão municipal recebeu no último dia 30 de abril uma ação coletiva da Defensoria Pública requerendo que o Município de Campina Grande utilize os recursos que recebeu do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) para distribuição de kits de alimentos às famílias dos alunos da rede pública.

A ação da defensoria visa dar concretude ao Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), por meio do qual a UNIÃO repassa a Estados e Municípios valores financeiros em caráter suplementar a fim de garantir a segurança nutricional aos estudantes em todas as etapas da educação básica. Além disso, de acordo com as regras do programa, 30% do valor repassado deve ser investido na compra direta de produtos da agricultura familiar, medida que estimula o desenvolvimento econômico e sustentável das comunidades. Veja detalhes da ação: file:///C:/Users/Micro/Downloads/ACP%20-%20Merenda%20Escolar%20-%20Campina%20Grande.pdf

Entenda a ‘Operação Famintos’

As investigações foram iniciadas a partir de representação junto ao MPF, relatando a ocorrência de irregularidades em licitações na Prefeitura de Campina Grande (PB) mediante a contratação de empresas “de fachada”. Com o aprofundamento dos trabalhos pelos órgãos, constatou-se que desde 2013 ocorreram contratos sucessivos, que atingiram um montante pago de R$ 25 milhões. Dois secretários municipais (Administração e Educação) foram afastados pela Justiça, sendo que a ex-secretária de Educação Iolanda Barbosa que também ex-cunhada do prefeito Romero, foi presa temporariamente.

A CGU, durante auditoria realizada para avaliar a execução do PNAE no município, detectou um prejuízo de cerca de R$ 2,3 milhões, decorrentes de pagamentos por serviços não prestados ou aquisições de gêneros alimentícios em duplicidade no período de janeiro de 2018 a março de 2019.

Famintos 2

A Segunda fase da Operação Famintos teve como foco contratos firmados diretamente entre empresas – que seriam de fachada – e as escolas municipais. São investigados crimes como fraude em licitações, sonegação fiscal, lavagem de dinheiro e de corrupção na aquisição de gêneros alimentícios e merenda escolar. Oito pessoas foram presas. Até agora 16 pessoas já foram denunciadas pelo MPF à Justiça, por envolvimento no suposto ‘esquema’.

Famintos 3

Foi deflagrada no mês de setembro deste ano a terceira fase da ‘Operação Famintos’, em Campina Grande, pela Polícia Federal, que investiga fraudes nas verbas da merenda. Foram cumpridos um mandado de prisão preventiva, um de prisão temporários e três de busca e apreensão. O objetivo da terceira fase foi dar continuidade às investigações para combater fraudes em licitações, superfaturamento de contratos administrativos, corrupção e organização criminosa. A operação contou com a participação de 20 policiais federais. As ordem foram expedidas pela 4ª Vara Federal de Campina Grande. Veja detalhes: https://g1.globo.com/pb/paraiba/noticia/2019/09/26/pf-cumpre-mandados-de-prisao-e-busca-e-apreensao-em-3a-fase-da-operacao-famintos-na-paraiba.ghtml

Detalhes da operação Famintos:

ACP – Merenda Escolar – Campina Grande

Processo nº 0802629-06.2019.4.05.8201

Íntegra da denúncia

http://www.mpf.mp.br/pb/sala-de-imprensa/docs/denuncia-operacao-famintos/view

Redação

porpjbarreto

Presidente do TJPB se solidariza com familiares de oficial de justiça desaparecido

O presidente do Tribunal de Justiça da Paraíba, desembargador Márcio Murilo da Cunha Ramos, endossa o apelo feito pelo Sindicato dos Oficiais de Justiça da Paraíba (Sindojus-PB) por informações sobre o paradeiro do oficial de justiça Eduardo Chagas, considerado desaparecido desde as 13h da última quarta-feira (22), de sua residência, localizada em João Pessoa. Até o final da tarde desta sexta-feira (24), o servidor ainda não havia sido encontrado.

De acordo com informações do presidente do Sindojus-PB, Benedito Fonsêca, Eduardo Chagas é um bom profissional, com mais de vinte anos de atuação no Judiciário estadual e que trabalhou normalmente no plantão da última segunda-feira (20). “O sindicato conclama às mais diversas autoridades a uma resposta sobre o tema. Não sabemos se ele saiu para cumprir algum mandado, o que pode ter acontecido. Como estamos limitados pelo isolamento social, as comunicações estão precárias”, afirmou.

Além disso, acrescentou que o oficial de justiça é pacato e não possui histórico de desavenças em mandados. “Quando no exercício do cargo, ocorrem eventuais agressões, pois temos casos registrados de agressões aos oficiais de justiça. Mas, ele não tem registro disso”, salientou o presidente do Sindojus-PB.

O presidente Márcio Murilo afirmou que foi comunicado do desaparecimento do oficial de justiça Eduardo Chagas pelo presidente do Sindojus-PB. “Em conversa com ele, disponibilizei a nossa segurança institucional aos familiares para qualquer providência que esteja sob a nossa competência. Os parentes estão apreensivos e pedimos que quem tiver informações sobre o nosso servidor, comunique imediatamente”, afirmou.

Para auxiliar com informações acerca da localização do oficial de justiça desaparecido, o número para contato é (83) 98839-488 (falar com Túlio).

 

Por Celina Modesto / Assessoria – TJPB

porpjbarreto

Polícia Militar prende bando e apreende farto armamento no Sertão da Paraíba. Veja galeria de fotos!

Policiais Militares do 14º BPM, 3º BPM (Patos), GEOSAC, Equipes do Comando do Policiamento Regional II, GATE, Polícia Civil e Polícia Federal, conseguiram prender na tarde desta quinta-feira (16), na cidade de Aparecida-PB, seis suspeitos oriundos de vários estados da região Nordeste, que foram abordados após serem monitorados e portavam 04 fuzis (várias marcas), 01 Metralhadora .50 (Antiaérea), 01 Pistola Calibre 9mm, Dinamites e farta munição entre os calibres 7,62; 9mm e 5,56. Ainda foram apreendidos dois veículos, uma Camioneta Marca Chevrolet, modelo S10 e um veículo marca Renault, modelo Duster ambos cor prata.

Desde a última quarta-feira, dia (15), por determinação do Excelentíssimo Senhor Coronel Euller de Assis Chaves – Comandante Geral da PMPB, que emitiu diretrizes para a realização das atividades nos municípios paraibanos, as forças de Segurança do Estado da Paraíba deflagraram operações, como a “Visibilidade” protagonizada pela Polícia Militar e em conjunto com os demais órgãos da pasta vinha acompanhando a movimentação de uma quadrilha de assaltantes de bancos, carros fortes, explosões a Caixas eletrônicos e tráfico de armas, que planejava agir nos próximos dias na Paraíba e em outros estados da região.

Com o monitoramento, um grande efetivo foi mobilizado na cidade de Aparecida-PB, local próximo à fronteira com o Estado do Rio Grande do Norte, cidade margeada pela BR-230, facilitando o acesso do policiamento e evitando um iminente confronto em áreas urbanas, conseguiu interceptar de forma exitosa os veículos e realizar a abordagem.

O material apreendido e os suspeitos serão encaminhados à Delegacia da Polícia Federal na cidade de Patos-PB, por ser órgão competente para adotar medidas legais. Lá será feito todo o inventário quantitativo do que foi apreendido, a pesquisa virtual acerca dos nomes dos suspeitos e a sequência do inquérito policial.

Esteve à frente dos trabalhos o Coronel Campos, Comandante Regional II, Tenente Coronel Guedes comandante do 14º BPM com apoio de outros oficiais na operação.

 

Seção de Comunicação Social e Marketing Institucional do 14º BPM

porpjbarreto

Covid-19: Brasil tem 1,3 mil mortes e 23,4 mil casos confirmados

Número de casos confirmados da doença soma 23.430

O número de mortes decorrentes do novo coronavírus (covid-19) subiu para 1.328, um acréscimo de 105 óbitos nas últimas 24 horas. A nova totalização foi divulgada pelo Ministério da Saúde hoje (13). O resultado marca um aumento de 9% em relação a ontem.

São Paulo concentra o maior número de casos (8.895) e de mortes (608), com mais da metade do total contabilizado na atualização. Em seguida, os estados com os maiores números de mortes são Rio de Janeiro (188), Pernambuco (102), Ceará (91) e Amazonas (71).

Além disso, foram registradas mortes no Paraná (31), Maranhão (27), Santa Catarina (24), Minas Gerais (23), Bahia (22), Rio Grande do Norte (17), Rio Grande do Sul (16), Distrito Federal (15), Pará (15), Espírito Santo (14), Goiás (15), Paraíba (13), Piauí (8), Amapá (5),  Sergipe (4), Mato Grosso do Sul (4), Mato Grosso (4), Alagoas (3),  Acre (3), e Roraima (3) Rondônia (2). Tocantins é o único estado onde ainda não houve morte.

Já o número de casos no país somou 23.430. O número representa um crescimento de 6% em relação a ontem, quando o balanço do Ministério da Saúde marcou 22.169. A taxa de letalidade do país ficou em 5,7%.

Perfil

No perfil das vítimas, 58,9% eram homens e 41,1%, mulheres. Do total, 74% tinham acima de 60 anos e 75% apresentavam algum fator de risco, como cardiopatia, pneumopatia, diabetes e doenças neurológicas.

Já os casos confirmados nas últimas 24 horas totalizaram 1.261, menos do que ontem, quando foram 1.442. O resultado é também menor do que os registrados na última semana, quando chegaram a ser agregados às estatísticas 2.210 novos casos na quarta-feira (8).

No coeficiente de incidência (número de casos por 1 milhão de habitantes), Amazonas lidera (303), seguido por Amapá (281), Distrito Federal (209), Ceará (196), São Paulo (192) e Rio de Janeiro (186). Todas essas unidades da Federação estão mais de 50% acima da média nacional (111), na categoria de “emergência” de acordo com a escala do  MS.

As capitais com maior incidência são Fortaleza (573), São Paulo (518), Manaus e entorno (482), Macapá (391) e Florianópolis (345). Na consideração por área de saúde, ganha destaque também na área central, no Amapá, com índice de 348, além de Rio Negro e Solimões, no Amazonas, com 305.

As hospitalizações por covid-19 totalizaram 4.926. No entanto, ainda há 31.605 pessoas internadas com Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) em investigação, dependendo de testes para averiguar se são casos de infecção por novo coronavírus ou não.

 

Agência Brasil

porpjbarreto

Família de vítima receberá indenização de R$ 75 mil por atropelamento provocado por veículo dos Correios

A Primeira Turma do Tribunal Regional Federal da 5ª Região – TRF5 manteve a condenação da Empresa Brasileira de Correios e Telegrafos (ECT) em pagar indenização de R$ 75 mil, a título de danos morais, pelo atropelamento de uma senhora de 69 anos. O acidente de trânsito provocou a morte da vítima e ocorreu porque o veículo da empresa transitava na contramão e em marcha ré na Rua Isidio da Silva, no município de Camaragibe/PE, na tarde do dia 21 de julho de 2014. A indenização será paga à família da vítima.

O órgão colegiado negou provimento, em decisão unânime, à apelação interposta pela estatal, mantendo a sentença proferida pela 1ª Vara Federal de Pernambuco. Ao recorrer ao Segundo Grau da Justiça Federal, a ECT alegou que, “em nenhum momento a parte autora pleiteou indenização por danos morais, limitando expressamente sua pretensão a danos de índole material”. A empresa também alegou ausência de responsabilidade no acidente e do dever de indenizar, porque não houve a comprovação dos elementos determinantes (ato ilícito, dano e nexo de causalidade) e ainda argumentou ausência de elemento subjetivo (dolo ou culpa).

Os argumentos da empresa não foram aceitos pelo desembargador federal Roberto Machado, relator do processo. “Cumpre esclarecer que não se pode falar em julgamento extra-petita, porque a peça inaugural revela claramente que se trata de “ação de indenização com danos morais por ato ilícito causado por acidente de trânsito”. Prossigo. A teoria da responsabilidade objetiva do Estado, consagrada no art. 37, § 6º, da Constituição Federal, impõe às pessoas jurídicas de Direito Público e às de Direito Privado prestadoras de Serviço Público o dever de ressarcir os danos que seus agentes, nessa qualidade, causem a terceiros, independentemente da comprovação de culpa”, escreveu o magistrado no voto.

De acordo com os autos, a perícia do Instituto de Criminalística da Secretaria de Defesa Social do Estado de Pernambuco concluiu que a morte da vítima foi provocada pelo atropelamento. O laudo pericial também apontou que o condutor do veículo, uma Doblô, deu causa ao acidente, ao trafegar na contramão e em marcha ré sem a devida atenção à segurança do trânsito.

“Da análise cuidadosa dos elementos probatórios acostados aos autos, especialmente do teor do exame pericial, bem fundamentado e elucidativo, constata-se que o atropelamento com óbito da genitora da autora foi causado por veículo pertencente à Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos – ECT, surgindo-lhe o dever de indenizar, em decorrência da aplicação da tese da responsabilidade objetiva insculpida no art. 37, parágrafo 6º, da Constituição Federal. Ressalte-se que a responsabilidade civil somente é elidida pelo caso fortuito, força maior, ou pela culpa exclusiva da vítima, hipóteses essas que não estão caracterizadas no caso em apreço”, ressaltou o relator no acórdão.

Quanto ao valor da indenização pelo dano moral, o desembargador federal Roberto Machado concluiu que a sentença da 1ª Vara Federal de Pernambuco não merecia reparos. “O juiz sentenciante julgou parcialmente procedente o pedido inicial, condenando a ECT ao pagamento de indenização por danos morais, no valor de R$ 75 mil, devidamente corrigido, nos termos da Súmula 362-STJ e acrescido de juros de mora, nos termos da Súmula 54-STJ. Dessa forma, a indenização por dano moral é devida, porque o dano está inserido na própria situação vivenciada pela autora, a qual perdeu abruptamente sua genitora, o que vai muito além do mero dissabor cotidiano que a jurisprudência pacificou como não indenizável. O valor da indenização por danos morais deve ser mantido”.

O relator também explicou no acórdão que a condenação da empresa e o pagamento de indenização, nesses casos, têm natureza punitivo-pedagógica, para desencorajar condutas ofensivas de igual natureza. “É a chamada técnica do valor de desestímulo como fator de inibição a novas práticas lesivas”, afirmou o desembargador, citando jurisprudência do Superior Tribunal de Justiça (STJ), no Recurso Especial Resp 355392/RJ, de relatoria da ministra Nancy Andrighi.

O julgamento do recurso ocorreu no dia 20 de fevereiro. O ECT ainda pode recorrer da decisão colegiada.

Processo: 0802701-26.2015.4.05.8300

 

Divisão de Comunicação Social do TRF5
porpjbarreto

MPPB denuncia radialista preso na ‘Calvário’ acusado de extorsão de investigados

Fabiano Gomes é acusado de tentar extorquir e constranger possíveis alvos da investigação, com o pretexto de que teria proximidade com autoridades que coordenam os trabalhador

O radialista cajazeirense Fabiano Gomes, preso na oitava fase da Operação Calvário, foi denunciado pelo Ministério Público da Paraíba (MPPB) à Justiça. Fabiano Gomes é acusado de tentar extorquir e constranger possíveis alvos da investigação, com o pretexto de que teria proximidade com autoridades que coordenam os trabalhador. Uma das vítimas, de acordo com o Ministério Público, teria sido o empresário Denylson Oliveira Machado, sócio-majoritário do Paraíba de Prêmios.

A defesa de Fabiano Gomes soube da movimentação processual distribuída na 6ª Vara Criminal na véspera da soltura de Fabiano Gomes, mas informou que não teve acesso a nenhuma denuncia.

A pressão e as ameaças teriam começado a partir da recusa do pagamento de anúncio publicitário a um programa jornalístico do radialista. Denylson teria considerado o valor exigido “exagerado”. Em troca do anúncio, Fabiano teria prometido “blindar” o empresário na Justiça e na imprensa quanto as denúncias envolvendo o nome dele na Operação Calvário.

“Nessa oportunidade, mais precisamente, no dia 30 de dezembro de 2019, o indigitado denunciado renovou seus diálogos com o citado empresário, passando, em tom de ameaça, a ideia de que possuía ‘degravações’ prejudiciais a ele (Denylson), supostamente colhidas de um ‘ex-chefe de transportes do Governo do Estado’ e que esclareceria a sua sociedade oculta com Coriolano Coutinho (irmão do ex-governador Ricardo Coutinho)”, relata a denúncia.

Os promotores do Gaeco ainda assinalam que essas atitudes de buscar os alvos da investigação e insinuar poder e influência, poderiam precipitar estratégias quando usados em canais de comunicação em massa, atrapalhando o andamento de qualquer procedimento da investigação.

Fabiano Gomes chegou a passar dez dias preso temporariamente. A prisão foi determinada pelo desembargador Ricardo Vital, relator da Operação Calvário. Após a prisão, os advogados dele divulgaram uma nota em que afirmam que o radialista “esteve e sempre estará à disposição da Justiça para colaborar com todos os atos da investigação e esclarecer os fatos com a verdade”.

A 8ª fase da Operação Calvário foi deflagrada no dia 10 de março pela Polícia Federal na Paraíba e pelo Gaeco, com apoio da Controladoria Geral da União (CGU). A operação culminou na prisão do radialista Fabiano Gomes e no cumprimento de nove mandados de busca e apreensão nas residências dos investigados, e no Tribunal de Contas do Estado da Paraíba. A última fase da operação aponta o envolvimento da Lotep no esquema criminoso de desvio de recursos.

Com G1-PB

porpjbarreto

Vídeo: Ônibus é parado pela polícia e vigilância sanitária de Iguatu com destino à Cajazeiras

Um vídeo está circulando nas redes sociais, onde um ônibus cheio de passageiros vindo de local não informado transitava pela cidade de Iguatu, no vizinho estado do Ceará e foi interceptado pela polícia e vigilância sanitária daquele município e levado à delegacia local.

Porém, antes mesmo que os passageiros fossem interrogados na DP, ambos foram orientados pela equipe de vigilância sanitária a seguirem viajem, mas algumas respostas apontaram, para o destino do referido ônibus, a cidade de Cajazeiras, no Sertão da Paraíba.

De acordo com os padrões adotados por causa da pandemia do novo Coronavírus, o veículo saiu de Iguatu escoltado por várias viaturas da polícia estadual e do sistema municipal de trânsito até a saída do município – com destino à Cajazeiras.

Em contato com o Secretário Municipal de Comunicação de Cajazeiras, na tarde desta segunda-feira (23), o mesmo nos trouxe que até o presente momento não teria sido informado sobre o ocorrido, mas daria respostas em breve.

– Ao retornar com respostas, o Secretário de Comunicação – Jota Erre, informou que o referido ônibus não teria entrado no município de Cajazeiras, até às 16hs30 da tarde desta segunda-feira (23), pelas vias terrestres de acesso, mas que a Superintendência de Transportes e Trânsito, o SCTrans está trabalhando atentamente e vigilante para fazer as abordagens cabíveis e legais, no tocante a esse tipo de ocorrência.

Atualizando – Segundo a imprensa cearense, o ônibus de placas: FCO-3502, vindo de São Paulo, viajava com 23 passageiros, foi interditado na noite do último domingo (22), pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), no Km 42 da BR-230, já em Lavras da Mangabeira, com auxilio e apoio da Secretaria Municipal de Saúde daquele município.

A PRF informou que não houve fiscalização detalhada no veículo devido risco de contaminação. Dos 23 passageiros, oito ficaram em Lavras da Mangabeira, outros foram de táxi para Cajazeiras, na Paraíba, e os demais voltaram para Iguatu e Jucás.

 

Redação