Categoria Música

porpjbarreto

Buscando atrair novos públicos, 15º edição do Fest Aruanda aposta em conteúdos digitais

Estão programadas lives para abordar assuntos sobre audiovisual no Brasil

Em comemoração à 15ª edição do Fest Aruanda, que este ano será realizado de de 3 a 10 de dezembro, em João Pessoa, os preparativos começaram mais cedo. No mês de junho, os produtores do festival iniciaram uma série de lives sobre cinema no perfil do Instagram oficial do Fest Aruanda e estão retomando a produção do podcast “Aruanda No Ar” nas principais plataformas de streaming.

Introduzido ano passado, o podcast do festival é produzido por alunos do projeto extensão da UFPB “Aruandando no Campus”, no qual alunos de Comunicação realizam ações para promover o Fest Aruanda dentro da Universidade. Para a nova temporada do “Aruanda No Ar”, estão programados episódios  para abordar assuntos, como o panorama do Festival e o audiovisual local e mundial, além de entrevistas com convidados especiais, e a novidade: terá também uma janela internacional em parceria com a Universidade Lusófona,  maior universidade privada portuguesa com sede em Lisboa.

De acordo com o diretor executivo do Fest Aruanda, Lúcio Vilar, a produção de conteúdo digital terá extrema importância na divulgação do evento para novos públicos, principalmente no contexto atual. “Estamos produzindo conteúdo em diferentes plataformas digitais para a fidelização do público do festival e para despertar interesse em pessoas que nunca participaram do Fest Aruanda, por meio dessas plataformas”, destaca Lúcio.

Nesta quinta-feira (25), às 17h os organizadores  estarão realizando uma live de cinema com a jornalista e crítica de cinema Maria do Rosário Caetano, que é colaboradora do Estadão e da Revista de Cinema. Na live, ela irá conversar com a equipe do Fest Aruanda sobre o panorama atual dos festivais de cinemas brasileiros com o isolamento social, os novos formatos e os que foram adiados. Também irá conversar acerca do futuro do cinema no contexto pós-pandemia e ampliar o repertório de cinema mundial.

Serviço:
15ª Edição do Fest Aruanda

Data: de 3 a 10 de dezembro
Inscrições e informações: www.festaruanda.com.br e instagram @festaruanda
Local: Cinépolis (Manaíra Shopping)
Podcast: https://open.spotify.com/show/17ptpdngqnnU9I1KqicHPp?si=EbTm2vWDQ3WIRb2ySUtMFA

Assessoria
porpjbarreto

Associação dos Comerciantes do Maior São João do Mundo apoia iniciativa de Ana Cláudia para criação de auxílio emergencial

A Associação dos Comerciantes do Maior São João do Mundo – ACMSJM viu como excelente a ideia da pré-candidata à Prefeitura de Campina Grande, Ana Cláudia Vital, de criação de um auxílio emergencial para as pessoas que dependiam da realização São João de Campina Grande e que, por conta do adiamento da festa, ficarão sem dinheiro neste mês de junho.

Ana Cláudia sugeriu que a Prefeitura de Campina Grande utilize parte dos recursos federais que está recebendo por transferência direta para investimento em ações de combate e convivência com a pandemia do coronavírus e destine um auxílio que ela sugeriu se chamar “Nosso São João”, de R$ 500, em parcela única, a trabalhadores que atuam no evento campinense, para garantir o São João destas pessoas.

Esta semana, Ana Cláudia participou de outras reuniões remotas, com membros da associação e com outros trabalhadores que atuam no São João, para a elaboração final de uma proposta que o vereador Galego do Leite (Podemos) está apresentando na Câmara Municipal.

“A ACMSJM informa que, fruto de algumas conversas online conosco e com outros representantes dos trabalhadores do São João, a pré-candidata à Prefeitura de Campina Grande Ana Cláudia Vital vai levar à Câmara Municipal de Campina Grande um Projeto intitulado ‘Nosso São João’, visando beneficiar os trabalhadores do Maior São João do Mundo. Entre eles, os comerciantes. Esperamos que seja aprovado o Projeto e que a PMCG o coloque em prática. Trata de uma ajuda emergencial de R$ 500,00 em cota única, até dia 24 de junho de 2020, que seria oriunda das transferências Federais para o enfrentamento da Pandemia”, diz nota da entidade.

O representante dos comerciantes, Lucinei Cavalcanti, presidente da ACMSJM, participou das conversas online e disse que apoia a medida, para amenizar os impactos da pandemia na vida dos comerciantes e demais trabalhadores do São João. “Parabenizamos Ana Cláudia pela iniciativa e esperamos que a Câmara Municipal aprove e a Prefeitura coloque em prática tal ajuda emergencial para os comerciantes e trabalhadores do São João”, disse Lucinei Cavalcanti, entusiasta e apoiador do Projeto intitulado ‘Nosso São João’.

O auxílio beneficiaria as pessoas em situação de maior vulnerabilidade social, que trabalham na festa todos os anos, a exemplo de catadores de resíduos, costureiras que trabalham para as quadrilhas, os contratados temporariamente no período do evento para fazer a limpeza do Parque do Povo, músicos e técnicos de som e luz que atuam nos trios de forró e nas pequenas bandas, comerciantes fixos, ambulantes de bebidas e de milho cozido, dentre outros.

 

Assessoria de Imprensa

Ana Cláudia Vital

porpjbarreto

CULTURA PB NA WEB: Artistas podem se inscrever até domingo

Encerram neste domingo (21) as inscrições do projeto #CULTURAPBNAWEB, que tem o objetivo de proporcionar cultura, arte, entretenimento e atividades formativas para a população que se encontra em isolamento social e beneficiar artistas de diversas áreas afetados pela pandemia. Estão sendo oferecidas 150 vagas de propostas artísticas nas categorias: Apresentação e Performance Artística, Curso, Oficina e Workshop, E-Books e História em Quadrinhos, Podcast, Exibição de Curta-Metragem e Exposição, Intervenção e Galeria de Arte Virtual. Os artistas interessados devem acessar o link https://paraiba.pb.gov.br/diretas/secretaria-da-cultura/edital-cultura-pb-na-web

Cada proposta selecionada terá direito a um cachê de R$ 1,2 mil, totalizando um investimento de R$ 180 mil. As propostas culturais em formato digital serão divulgadas em plataformas e tecnologias disponíveis on-line a partir do dia 14 de julho e uma das exigências do edital é que seu conteúdo seja de classificação etária indicativa livre.

Categorias – As propostas culturais em formato digital estão assim definidas:

– Apresentação e Performance Artística, com conteúdo de caráter performático, disponibilizado em formato audiovisual, digital, com duração entre 15 e 45 minutos, relacionado às artes cênicas, artes visuais, literatura, humor, música e patrimônio cultural imaterial, assim como à diversidade de expressões estéticas decorrentes desses segmentos;

– Cursos, oficinas e workshops de caráter formativo, também em formato audiovisual, digital, podendo ser utilizado o modelo seriado, relacionado às artes cênicas, artes visuais, literatura, cinema, música e patrimônio cultural imaterial, assim como à diversidade de atividades laborais, de habilidades e de técnicas;

 – E-book e história em quadrinhos, de conteúdo literário em formato digital, com características de livro padrão ou conjunto de posts para a internet, relacionado a temas como cultura, arte e história paraibana;

– Podcasts de caráter lúdico-formativo, disponibilizado em formato de áudio, utilizando o modelo seriado, incluindo histórias, relatos, reflexões, entrevistas, entre outros;

– Exibição de curta-metragens, obras audiovisuais, digitais, de gênero ficção, documentário ou animação, produzida na Paraíba, finalizadas entre 2016 e 2020, com duração de até 20 (vinte) minutos;

– Exposições, intervenções e galerias de arte virtual, de conteúdo contemplativo, disponibilizadas em formato digital.

 

Secom

porpjbarreto

Boticário promove tradicional festa de São João em live especial com Dorgival Dantas

Show online acontece nesta sexta-feira (19), no canal do YouTube do artista; Além da iniciativa, marca terá ação promocional em itens de cuidados pessoais e perfumaria

Uma das principais datas comemorativas do país e da identidade da cultura nordestina, a tão esperada festa de São João ganha um novo formato este ano. o distanciamento social pode até afastar as pessoas, mas não pode impedir a alegria de festejar em casa. Afinal, a pausa é no abraço, mas não no amor.

Para valorizar este momento tão importante, o Boticário preparou uma surpresa para os nordestinos e amantes da festividade. Na sexta-feira (19), clientes, parceiros e amigos da marca poderão curtir uma live online do poeta Dorgival Dantas, uma das mais tradicionais vozes da festa que acontece entre os meses de junho e julho em todo o Brasil.

Conhecido como “O Poeta”, devido às canções que traduzem o amor em versos, o multiartista tem músicas que aquecem o coração de quem ouve. Dono de hits como “Coração”, “Destá”, “Pode Chorar” e “Você não vale nada”, Dorgival fará uma apresentação live em seu canal do YouTube (youtube.com/dorgivaloficial) celebrando a data e tirando todos pra bailarem, de Norte a Sul do Brasil, a partir das 19 horas.

Mais do que uma festa popular, o São João carrega o significado de um momento de renovação de esperança, amor e fé. É sinônimo de celebrar e estar junto com a família e amigos, mesmo que virtualmente. Para tornar a festa ainda mais especial e completa, as novidades não param por aí! O Boticário criou uma canção especialmente para a festa. Intitulada “Se Aprochegue São João”, o forró embala a campanha em filmes que serão veiculados em plataformas digitais. E se engana quem pensa que não vai ter fogueira. Um filtro especial para stories do Instagram já está disponível para o público pular fogueira direto das suas casas. Para usá-lo, basta procurar o perfil @oboticario na rede social e clicar no ícone de filtros disponíveis.

A iniciativa é um convite aos brasileiros que adoram canjica, milho, pamonha ou pé de moleque para aproveitarem a festa online, se deliciarem com seus pratos típicos favoritos, além – é claro, de se vestirem à caráter, e capricharem na fragrância e na maquiagem para uma festa segura e alegre. Vale também aproveitar a data para presentear aquela pessoa querida, principalmente porque itens selecionados de perfumaria e cuidados pessoais estarão com descontos de até 30% até 28 de junho.

Os produtos preferidos no Nordeste, como as fragrâncias de Arbo, Glamour, Make B., Cecita, Anni e Thaty, fazem parte da promoção e podem ser adquiridos entrando em contato com as lojas pelo WhatsApp no número (41) 8771-4909 – seguro e válido para todo o Brasil. Basta o cliente contatar a marca por esse número para verificar a disponibilidade de entrega na sua região. Há ainda a opção de contatar um revendedor da marca pelo endereço encontre.boticario.com.br.

Serviço:

“Se aprochegue São João
Você acontece aqui dentro do coração”

O que: Live com Dorgival Dantas

Quando: Sexta-feira (19) às 19h no canal: youtube.com/dorgivaloficial

Sobre O Boticário 

O Boticário é uma empresa brasileira de cosméticos, unidade de negócios do Grupo Boticário. Inaugurada em 1977, em Curitiba (Paraná), a marca tem a maior rede franqueada de cosméticos do país com mais de 3.700 pontos de venda, em 1.750 cidades brasileiras, e mais de 900 franqueados. Presente em 15 países, há mais de 40 anos desenvolve produtos com tecnologia, qualidade e sofisticação – seu portfólio tem mais de 850 itens de perfumaria, maquiagem e cuidados pessoais. Comprometido com a beleza das pessoas e do planeta, O Boticário não realiza testes em animais e investe na melhoria contínua de produtos e processos para torná-los cada vez mais sustentáveis. 

 

Assessoria

porpjbarreto

CCJ da ALPB aprova por unanimidade Projeto de Lei que cria auxílio emergencial para classe artística paraibana

Depois de dois pedidos de vista, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da ALPB, que se reuniu nesta segunda-feira (08), aprovou, por unanimidade, o Projeto de Lei (1756/2020), de autoria do deputado Jeová Campos, que institui a criação de um Auxílio Emergencial para os trabalhadores do setor cultural e para os espaços culturais no Estado da Paraíba, durante o período de calamidade pública decorrente do Covid-19. O PL segue agora para apreciação em plenário.

A apreciação da matéria já havia sido adiada por duas vezes. A primeira por causa de um pedido de vista do deputado Ricardo Barbosa e depois, pelo mesmo motivo, por solicitação do deputado Dr. Taciano Diniz. O deputado Jeová Campos comemorou a aprovação da matéria na CCJ, lembrando que essa é uma questão urgente, importante e necessária. “Quem vive da Arte e Cultura não só na Paraíba vem enfrentando de forma muito cruel essa pandemia e o pior, sem nenhuma expectativa de voltar as suas atividades, já que é um setor que não tem chance de voltar à normalidade antes do fim desta pandemia”, disse Jeová.

O PL beneficia o trabalhador do setor cultural com um recebimento do Auxílio Emergencial no valor equivalente a um salário mínimo nacional, ou seja, R$ 1.045,00 ou da complementação até este valor, caso o beneficiário receba auxílio de renda básica no âmbito do Governo Federal. Já os estabelecimentos receberiam um subsídio mensal no valor de R$ 3.500 para a manutenção desses Espaços Culturais.

Outros projetos de Jeová

Na mesma sessão da CCJ, outros dois projetos do parlamentar também foram apreciados. O PL 1657/2020, que trata sobre a obrigatoriedade de disponibilidade de fornecimento de equipamentos de proteção individual para os funcionários das empresas concessionárias de energia elétrica, que atuam no ambiente externo foi aprovado, por unanimidade pelos integrantes da Comissão. Já o PL 1656/2020, que destinava recursos arrecadados e não utilizados provenientes de depósitos referentes a penas alternativas na Justiça e fianças de ocorrências sob a administração do poder judicial estadual, para compra de EPIs para profissionais da área de saúde pública na vigência do estado de calamidade pública, foi rejeitado pela CCJ, que o entendeu inconstitucional.

Assessoria

porpjbarreto

CCJ da ALPB adia, mais uma vez, apreciação de Projeto de Lei que cria auxílio emergencial para classe artística paraibana

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da ALPB, mais uma vez, adiou a apreciação do Projeto de Lei (1756/2020), que institui a criação de um Auxílio Emergencial para os trabalhadores do setor cultural e para os espaços culturais no Estado da Paraíba, durante o período de calamidade pública decorrente do Covid-19. Na semana passada, a apreciação da matéria já havia sido adiada, na ocasião pelo pedido do deputado Ricardo Barbosa. Agora, foi a vez do deputado Dr. Taciano Diniz pedir vista. O deputado Jeová Campos, autor da propositura, lamentou mais esse adiamento e lembrou que essa é uma questão urgente, importante e necessária.

“Quem vive da Arte e Cultura na Paraíba vem enfrentando de forma mais aflitiva e a cada dia todo esse tempo de quarentena, que avança, ninguém sabe até quando, sem ter a menor perspectiva de voltar as suas atividades”, disse Jeová, lembrando que o setor cultural foi o primeiro a ser afetado com a pandemia e será o último a voltar à normalidade após todo esse processo. “A classe artística paraibana terá, agora, de suportar uma angustiante semana de espera, na esperança de que nosso Projeto de Lei ou outra proposta consensual e coletiva seja, enfim, encaminhada e aprovada pelo plenário da Casa”, reiterou Jeová.

O parlamentar estava na expectativa de que a CCJ avaliasse o PL na sessão desta terça-feira (02), mas, não foi o que se concretizou. “Ontem, tivemos um encontro remoto com a participação de artistas, lideranças e apoiadores do movimento cultural paraibano e ainda com doze parlamentares da ALPB que já manifestaram apoio a iniciativa e hoje, mais uma vez, a CCJ adia a apreciação do PL, mas, vamos aguardar a próxima reunião da Comissão na esperança que essa etapa seja vencida”, disse Jeová.

A proposta beneficia o trabalhador do setor cultural com um recebimento do Auxílio Emergencial no valor equivalente a um salário mínimo nacional, ou seja, R$ 1.045,00 ou da complementação até este valor, caso o beneficiário receba auxílio de renda básica no âmbito do Governo Federal. Já os estabelecimentos receberiam um subsídio mensal no valor de R$ 3.500 para a manutenção desses Espaços Culturais.

 

Assessoria de Comunicação

porpjbarreto

PL propõe criação de um programa de Auxílio Emergencial para os trabalhadores do setor cultural e para os espaços culturais da Paraíba

O setor cultural paraibano, dentre inúmeros setores da economia do Estado, está sofrendo com os efeitos da pandemia provocada pelo novo coronavírus. Desde que se começou as medidas de isolamento, há mais de 60 dias, que as atividades artísticas foram suspensas e os espaços fechados ao público. Sensível a esse momento, também para com essa categoria, o deputado estadual Jeová Campos apresentou um Projeto de Lei (1756/2020) que institui a criação de um Auxílio Emergencial para os trabalhadores do setor cultural e para os espaços culturais no Estado da Paraíba, durante o período de calamidade pública decorrente do Covid-19. O PL já foi protocolado e se seguir o rito normal da ALPB deverá passar pela CCJ para depois ir a plenário. Contudo, explica Jeová, se houver pedido de urgência, ele pode ir direto para aprovação em plenário na sessão remota desta quinta-feira(21).

O parlamentar justifica sua iniciativa lembrando que as medidas de restrição de contato social afetaram sobremaneira o meio cultural e deixou tanto os profissionais, quanto os espaços à mercê da própria sorte. “É preciso ter m olhar atento para essa classe artística que ficou, literalmente, sem palco e espaço para trabalhar e também além dos trabalhadores da cultura, é urgente e vital salvaguardar os espaços culturais que integram uma das bases da cadeia produtiva das Artes e da Cultura e estão sendo gravemente prejudicados em virtude da paralisação das atividades”, argumenta Jeová.

Neste sentido, o Programa de Auxílio Emergencial proposto pelo PL durará enquanto perdurar o fechamento dos espaços culturais durante o período de estado de calamidade pública decretado pelo governo do Estado da Paraíba. A proposta beneficia o trabalhador do setor cultural com um recebimento do Auxílio Emergencial no valor equivalente a um salário mínimo nacional, ou seja, R$ 1.045,00 ou da complementação até este valor, caso o beneficiário receba auxílio de renda básica no âmbito do Governo Federal. Já os estabelecimentos receberiam um subsídio mensal no valor de R$ 3.500 para a manutenção desses Espaços Culturais. “O setor cultural foi afetado violentamente por essa pandemia, uma vez que este foi um dos primeiros setores a fechar suas portas e, provavelmente, será um dos últimos a reabri-las”, reitera o parlamentar.

Para efeito de fazer jus ao benefício, o PL reconhece como trabalhador do setor cultural toda e qualquer pessoa inserida na cadeia produtiva da cultura, que adquire sua renda através de trabalhos desempenhados no setor, sejam eles de produção, promoção, técnica e atuação em qualquer área cultural ou linguagem artística, e todo aquele que fomenta, produz e pertence à cultura popular brasileira, afro-brasileira e indígena, que comprove efetiva realização de atividades ou prestação de serviços no período compreendido entre 1º de janeiro de 2019 e 29 de fevereiro de 2020.

Em relação aos estabelecimentos, o Projeto de Lei inclui os Espaços Culturais como sendo Pontos de Cultura, Teatros independentes, Sedes que abrigam grupos ou coletivos culturais, Escolas de Música, Escolas de Dança, Escolas de Artes, Cineclubes, Centros Culturais Independentes em comunidades e pequenos municípios, com atividades para saraus, hip hop, cultura popular, capoeira, escolas de samba, casas de cultura popular, bibliotecas comunitárias e todo o fazer artístico.

Os recursos necessários para as despesas previstas na proposta correrão à conta de dotações orçamentárias do Fundo Estadual de Cultura e da Secretaria de Estado da Cultura acrescidos, se necessário, de créditos extraordinários.

 

Assessoria

porpjbarreto

Com as mesmas atrações confirmadas e no mesmo local, Jampa Rock Festival acontece no dia 17 de abril de 2021

Paralamas do Sucesso, Vitor Kley, Capital Inicial, Val Donato e Biquini Cavadão se apresentam no Espaço Cultural Jose Lins do Rêgo

Em função da pandemia que atingiu em cheio diversos segmentos da economia, inclusive e principalmente o setor de turismo e eventos, o Jampa Rock Festival que aconteceria em abril de 2020, precisou ser cancelado naquele momento. Paralamas do Sucesso, Vitor Kley, Capital Inicial, Val Donato e Biquini Cavadão se preparavam para um festival nunca antes visto em João Pessoa e muitas marcas nacionais e internacionais estariam naquele que prometia ser um evento especial e inédito no Espaço Cultural Jose Lins do Rêgo. No entanto, a Colônia Produções, responsável pelo evento, anuncia uma ótima notícia: o Jampa Rock Festival tem nova data para acontecer. O evento já está marcado para 17 de abril, com as mesmas atrações e no mesmo local.

Assim como planejado, o evento que promete agradar e surpreender o público com apresentações especiais em seis horas de show, estrutura com dois palcos, praça de alimentação, camarotes exclusivos e setores de acessibilidade. “A proposta do evento continua sendo oferecer uma experiência única em todos os sentidos. Sabemos que o público de João Pessoa e estados vizinhos valorizam o rock e, com certeza, estará aqui pra prestigiar a primeira edição do evento, com a nova data.  Estamos fazendo tudo com muito zelo e carinho”, declarou Daniel Rodrigues, sócio da Colônia Produções. “O festival é a demonstração de que acreditamos no cenário roqueiro da Paraíba. Queremos dar espaço a essa expressão. Nossa ideia também continua sendo em  homenagear o cantor, músico e compositor Herbert Viana, líder do Paralamas. Esperamos contar com a presença de todos que acreditam nesta ideia, neste presente para diversas gerações”, acrescenta Fábio Henrique, da Colônia Produções.

Reembolsos – O “efeito cascata” provocado pela pandemia afetou também o planejamento financeiro dos artistas e de seus escritórios, que também se apresentaram vulneráveis neste sentido. Segundo a produção do evento, as quatro atrações nacionais já haviam recebido a maior parte dos valores contratados – e se mostraram impossibilitados em devolver o que ja haviam recebido, o que  atingiu diretamente o planejamento e empenho da organização do evento para o reembolso de ingresso. “Por nosso princípio de transparência para com os clientes e a sociedade,  informamos que apenas uma das atrações nacionais conseguiu nos devolver parte do que foi pago e nós, prontamente, fizemos o reembolso aos clientes por meio da empresa Ingresso Nacional. Cerca de  40% dos clientes foram contemplados com a devolução”, informou a produção do evento.

No mês passado, governo federal editou uma medida provisória (MP 948/2020) para proteger empresas de turismo e cultura impactadas pela pandemia de coronavírus. De acordo com o texto, os prestadores de serviços ficam dispensados de reembolsar imediatamente os valores pagos pelos consumidores por reservas ou eventos, shows e espetáculos cancelados. Para ter direito ao benefício, a empresa deve assegurar a remarcação do serviço ou oferecer crédito para a compra de outras reservas ou novos eventos, que foi o caso da Colônia Produções.

O texto também permite que o prestador formalize outro tipo de acordo com o usuário. Como a  remarcação do evento já foi feita, o consumidor fica isento de taxa ou multa. É importante lembrar, ainda, que a MP 948/2020 define ainda que essas relações de consumo impactadas pela pandemia, como no caso de compra e devolução de ingressos, caracterizam a hipótese de “caso fortuito ou força maior”. De acordo com o texto, elas não ensejam danos morais, aplicação de multa ou outras penalidades.

Serviço

Jampa Rock Festival

Data: 17 de abril de 2021

Atrações: Paralamas do Sucesso, Vitor Kley, Capital Inicial, Val Donato e Biquini Cavadão

Local: Espaço Cultural José Lins do Rego  – Funesc

 

Informações: @jamparockfestival

porpjbarreto

Atriz e radialista Daisy Lúcidi morre por covid-19 aos 90 anos

Daisy iniciou carreira aos 6 anos na Rádio Nacional, declamando poemas

A atriz e radialista Daisy Lúcidi morreu na madrugada desta quinta-feira (7), aos 90 anos, no Rio de Janeiro. Ela estava internada no centro de terapia intensiva (CTI) do Hospital São Lucas, na zona sul da capital, desde 25 de abril e morreu por complicações decorrentes de infecção por covid-19.

Daisy Lúcidi nasceu no Rio, em 10 de agosto de 1929. Muito cedo começou sua carreira na Rádio Nacional, a maior emissora da América Latina, na época de ouro do rádio, nos anos 1940, 1950 e 1960, com seus programas de auditório, com nove orquestras e o radioteatro, onde Daisy, com voz marcante, iniciou aos 6 anos de idade declamando poemas.

Participou do programa Seu Criado, Obrigado!, ao lado de César Ladeira, durante dez anos. Ela participou também de novelas da Rádio Nacional, que paravam o Brasil de norte a sul, como integrante da equipe do radioteatro, com tudo ao vivo, sem poder errar. A primeira radionovela do país foi apresentada em 1941 pela Rádio Nacional – Em busca da Felicidade – e, um ano depois, inaugurou a primeira emissora de ondas curtas, o que deu aos seus programas dimensão nacional.

Com a primeira novela, que ficou mais de três anos no ar, vieram outras com grande sucesso. Daisy Lúcidi estreou em 1952 na Rádio Nacional, no elenco de radioteatro, comandado por Floriano Faissal, do qual faziam parte Brandão Filho, Iara Sales, Zezé Fonseca, Isis de Oliveira, entre tantos outros artistas de sucesso.

Os programas de auditório com  César de Alencar e a rivalidade dos fã-clubes de Emilinha Borba e Marlene marcavam as tardes de sábado na emissora da Praça Mauá, 7, onde as filas para assistir aos programas davam voltas no quarteirão. A rádio também contava com programas de humor como Edifício Balança mas não cai, que contava com  Paulo Gracindo, Brandão Filho e Walter d’Ávila, com a participação do elenco de radioteatro.

Daisy Lúcidi também participou de várias novelas da Rede Globo, entre elas Paraíso Tropical, Passione,  Bravo!, O Casarão, Babilônia, Geração Brasil e do seriado Tapas e Beijos.

Em 1971, Daisy Lúcidi estreou o programa Alô Daisy, que permaneceu no ar por 45 anos, no horário das 13h às 15h. Foi o primeiro programa de rádio voltado para o público feminino, para a dona de casa, que contava com receitas, notícias de artistas, um quadro, no início do programa, chamado Cidade, Atenção, com a com a equipe de radiojornalismo que ia para as ruas e mostrava os problemas da cidade. Depois, a produção cobrava das autoridades a solução para cada reclamação apresentada pelo público.

Auditório da Rádio Nacional do Rio de Janeiro
Auditório da Rádio Nacional do Rio de Janeiro – Acervo/Rádio Nacional

Alô Daisy também apresentava, em dois dias da semana, debates populares, sempre às quartas e sextas-feiras. Em um dia a mesa era formada somente de homens – Agora é que são eles – e em outro dia formado por mulheres – Agora é que são elas, que debatiam questões nacionais, do estado e do município, sempre com destaque para os assuntos em evidência na semana.

Em eventos especiais da Rádio Nacional, como a visita do papa João Paulo II ao Brasil, Daisy Lúcidi participou com destaque da cobertura.

Com a projeção do programa, Daisy acabou entrando para a política – primeiro, para a Câmara Municipal do Rio e, depois, para dois mandatos seguidos como deputada estadual.

Daisy também desenvolvia um programa social, com creche e distribuição de alimentos, roupas e calçados para as famílias necessitadas. A sede da entidade, ficava na Rua Uranos, no morro do Alemão.

Recentemente, há pouco mais de dois anos, deixou a Empresa Brasil de Comunicação (EBC), à qual a Rádio Nacional está vinculada, aderindo ao Programa de Demissão Voluntária.

Daisy Lucidi foi casada por 64 anos com o radialista Luiz Mendes, que morreu em 2011.

 

Agência Brasil

porpjbarreto

Encontro das Cidades Criativas Brasileiras da Unesco será sediada pela FINCC 2020

Ecriativa Virtual acontece no dia 5 de maio para 1000 pessoas, de forma Digital. No evento serão discutidos projetos inovadores, impactantes e compartilháveis

Criar ações inovadoras e compartilháveis que possam movimentar a economia em tempos de crise, esse é o pedido da UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação), para as 246 cidades que constituem a rede mundial de Cidades Criativas. Na atual situação pandêmica do mundo, se configura ainda mais urgente a necessidade de medidas inovadoras e diversificadas para movimentar a economia, principalmente das pequenas e médias empresas. É preciso se destacar no mercado para ser visto e vender. Pensando nisso, João Pessoa, uma das cidades da rede, tomou a iniciativa de promover a Ecriativa Virtual (Encontro das Cidades Criativas Brasileiras). O encontro acontecerá no dia 5 de maio, das 15h às 17h, e será sediado pela FINCC 2020 (Feira Internacional de Negócios Criativos e Colaborativos, do Sebrae Paraíba), que irá ser realizada entre os dias 4 e 10 de maio de forma 100% digital e gratuita.

O grupo de cidades Brasileiras que fazem parte da rede mundial, é formado por 10 cidades, em cinco categorias, são elas: Belém (PA), Florianópolis (SC), Paraty (RJ), Belo Horizonte (MG) na Gastronomia; Brasília (DF), Curitiba (PR), Fortaleza (CE) no Design; João Pessoa (PB) no Artesanato e Artes Folclóricas; Salvador (BA) na Música; e Santos (SP) no Cinema. No Ecriativa, que será mediado por Marianne Góes, cada cidade tem o direito de escolher dois representantes, com 10 minutos disponíveis para apresentar até três projetos desenvolvidos, que sejam inovadores, impactantes e compartilháveis, em qualquer área da economia criativa.

A primeira edição do encontro nacional, foi realizada em março de 2018, em João Pessoa, que foi a responsável pela ideia de promover uma reunião apenas com as cidades do Brasil. Esse ano, o evento aconteceria em Salvador, na Bahia, mas foi adiado, devido a pandemia da Covid-19 (novo Coronavirus), sem data definida. A iniciativa de realizar o evento de forma digital, também partiu da capital paraibana. “Nosso desejo é que todas as cidades participem, o que não é obrigatório, mas acreditamos que que todas elas possuem iniciativas interessantes à serem compartilhadas, e estamos trabalhando para que isso aconteça”, disse Eduardo Barroso, Coordenador do Labin (Laboratório de Inovação Cultural de João Pessoa) e um dos responsáveis pela coordenação do evento.

Eduardo ressaltou a importância do evento na atual crise enfrentada pelo mundo. Ele considera que conhecer ideias novas e ter bons exemplos é um ótimo meio de pensar em soluções para a crise de forma criativa. “O nosso desejo é possibilitar uma rede de compartilhamento de práticas e bons projetos que possam ser reproduzidos em cada uma das cidades que fazem parte da rede. Conhecer os projetos que as cidades estão desenvolvendo, como é o principal desejo da UNESCO”, relatou ele.

O objetivo do evento é fazer com que esses projetos sirvam de estímulos e exemplo para as demais cidades, e para o público que estará assistindo ao encontro e poderá interagir através de perguntas em chat. As inscrições serão realizadas pelo site da FINCC (https://fincc.com.br/),  e as vagas são limitadas.

A FINCC – Conforme a organização do evento, a programação desse ano da Feira Internacional de Negócios Criativos e Colaborativos contará com 14 palestras técnicas, 24 palestras de casos de sucesso de pequenos negócios, além de shows culturais, lançamentos de livros, desfiles, workshops e muitas promoções.

Todos os segmentos de economia criativa serão contemplados, como artesanato e arte popular, artes visuais, audiovisual e cinema, design, música, teatro, circo, literatura, games, arquitetura, moda, museus, comunicação, publicidade, websites e startups. Informações aqui: www.fincc2020.com.br

Assessoria