Categoria INTERNACIONAL

Seleção brasileira joga neste domingo (03) com adversários e parceiros nos clubes

Casemiro e Modric, Paulinho e Raktic, Firmino e Lovren… Brasil e Croácia é um confronto recheado de atletas que atuam juntos ao longo do ano

O confronto deste domingo (3) entre Brasil e Croácia, válido como preparação para a Copa do Mundo Rússia 2018, promoverá alguns encontros entre companheiros de clube. Acostumados a jogar juntos ao longo do ano, eles estarão em lados opostos quando a bola rolar no Anfield Road

Casemiro e Marcelo com Modric e Kovacic, Paulinho e Philippe Coutinho com Raktic, Roberto Firmino e Lovren, Miranda com Perisic e Brozovic, Douglas Costa com Mandzukic, Filipe Luís com Vrsaljko… Sem dúvidas, este será um embate entre com inúmeros parceiros em campo.

– Além da qualidade técnica indiscutível, o Raktic foi um cara que me ajudou muito quando cheguei ao Barcelona. Me falou bastante sobre o estilo de jogo do clube, me aconselhou e nos tornamos bons amigos. Me senti muito bem recebido por ele – comentou Paulinho.

– O que dizer do Luka (Modric) né?! Um craque, um jogador muito diferenciado, mas neste jogo é cada um de lado tentando defender o seu país e se preparar o melhor possível para a Copa do Mundo – disse Casemiro.

Enquanto a bola não rola para o amistoso, o túnel que dá acesso ao gramado do Anfield Road permitiu um encontro mais descontraído entre os parceiros. Enquanto o Brasil deixava o campo após seu treinamento, os croatas chegavam para sua atividade. E aí não teve como segurar a resenha…

Neste domingo, Brasil e Croácia se enfrentam no Anfield Road, estádio do Liverpool, clube que tem os parceiros Firmino e Lovren. A bola rola para o amistoso às 15 horas (11 horas de Brasília).

CBF

ESPECIAL COPA: Sem Ibra, Suécia volta à Copa do Mundo após 12 anos

Suecos irão jogar contra Alemanha, México e Coreia do Sul na primeira fase

Na Rússia, em 2018, a Suécia voltará a disputar uma Copa após 12 anos fora da competição. E sem sua grande estrela. Para a decepção de muitos, Ibrahimovic não irá disputar a Copa após anunciar que se aposentaria da seleção sueca depois da Eurocopa de 2016. Será uma grande perda para os apaixonados por futebol e para a seleção nórdica, que não contará com a técnica e a habilidade de “Ibracadabra”. Neste edição do Mundial, a Suécia está no grupo F, ao lado de Alemanha, México e Coreia do Sul.

No futebol, a Suécia é mais conhecida pela tradição em Olimpíadas, já que ganharam dois bronzes, nas edições de 1924 e 1952, e um ouro olímpico, em 1948.

Os suecos chegarão à Rússia querendo fazer história

Quando o assunto é Copa do Mundo, a história da Suécia começa em 1934. Após derrotar a Argentina nas oitavas de final, os suecos foram eliminados pela Alemanha por 2 a 1. Quatro anos depois, em 1938, foram eliminados nas semifinais para a Hungria, por 5 a 1. Na disputa pelo terceiro lugar, derrota por 4 a 2 para o Brasil e quarto lugar na classificação geral. Campeã olímpica, a Suécia voltou a um Mundial dois anos depois.

Em 1950, no Brasil, os suecos ficaram com a terceira colocação. Fora em 1954, foram responsáveis por sediar a Copa em 1958. Com o apoio da torcida, a Suécia fez uma ótima campanha e ficou com o vice-campeonato. Na final, derrota para o Brasil, de Pelé e Garrincha, por 5 a 2. A competição marcou a primeira conquista do Brasil e a melhor campanha dos suecos em Copas.

Os azuis e amarelos só retornaram ao Mundial 12 anos depois, em 1970, no México. E a participação não empolgou. Eliminação na primeira fase.

Nas Copas de 1974 e 1978, as participações foram discretas, sem posições de destaque. Fora das duas edições seguintes, os suecos voltaram a uma Copa em 1990, mas não tiveram muitos motivos para comemorar. Três derrotas em três jogos e eliminação na primeira fase.

Apesar de nunca ter participado da Eurocopa até então, a Suécia foi escolhida como sede em 1992, o que garantiu uma vaga automática para o país. Após perder para a Alemanha nas semifinais, os suecos terminaram na terceira colocação.

Na Copa de 1994, disputada nos Estados Unidos, os suecos fizeram uma ótima campanha. Derrotados pelo Brasil nas semifinais, com um gol de cabeça do baixinho Romário, os suecos golearam a Bulgária por 4 a 0 e ficaram com a terceiro lugar no torneio. Ausente em 1998, voltaram a um Mundial em 2002. Acabaram eliminados nas oitavas por Senegal. A Copa de 2006, na Alemanha, foi a última participação dos suecos em Mundiais. Após se classificar em segundo no seu grupo, a Suécia encarou os alemães, donos da casa, e não passaram das oitavas de final.

Para se classificar à Copa do Mundo de 2018, a Suécia ficou em segundo lugar no grupo A das Eliminatórias Europeias, com seis vitórias, um empate e três derrotas. Campanha que tirou qualquer chance da Holanda de carimbar vaga para o Mundial. Na repescagem, os suecos aprontaram novamente.

A adversária seria a Itália, tetracampeã do mundo e ampla favorita para a vaga na Copa. No entanto, os suecos venceram o jogo de ida, em casa, por um a zero. Na partida de volta, em um San Siro lotado, o empate sem gols garantiu a vaga dos nórdicos e deixou a Azzurra de fora do Mundial, algo que não acontecia desde 1958.

Sem Ibrahimovic, os suecos apostam na força coletiva. Cabe ao meio-campista Emil Forsberg a função de criar as jogadas e municiar o ataque. Habilidoso e que chega à área adversária, o jogador do RB Leipzig, de 26 anos, é peça fundamental no esquema tático sueco. Apesar de ter poucos jogos na seleção principal, Forsberg tende a ser a referência técnica da Suécia, que deve lutar com o México pela segunda colocação do grupo F. A Coreia do Sul corre por fora e a Alemanha provavelmente deve ficar com a primeira colocação na chave.Emil Forsberg é a esperança da Suécia para a CopaEntre 2017 e 2018, a Suécia participou de 14 jogos. Conquistaram oito vitórias, três empates e cinco derrotas, marcando 35 e sofrendo 15 gols. Em amistoso de preparação para a Copa, os suecos foram derrotados pela Romênia no fim de março. O último teste da Suécia antes da Copa será o Peru, no dia 9 de março.Provável escalação da Suécia para a Copa

Por Paulo Henrique Gomes

Proposta do Catar pode fazer Zidane o treinador mais bem pago do planeta

Nada de seleção francesa, Zinedine Zidane pode estar a caminho de comandar a equipe do Catar. Segundo informações divulgadas por um bilionário egípcio, Naguib Sawiris, o ex-treinador do Real Madrid teria em mãos uma proposta extratosférica para treinar a seleção do país que sediará a Copa de 2022.

Segundo a publicação do segundo homem mais rico do Egito, o treinador francês recebeu uma proposta salarial do país árabe que gira em torno de 50 milhões de euros por ano (o equivalente a R$ 218 milhões) por um contrato de quatro temporadas.

"Zidane se une ao qatar para treinar a seleção nacional para a Copa do Mundo de 2022. 50mn ao ano em 4 anos ...
Dinheiro fala mais alto"?

“Zidane se juntando a seleção do Catar para ser o treinador para a Copa de 2022. 50 milhões de euros em quatro anos. Dinheiro chamando?”, publicou o empresário egípcio.

Caso Zidane aceite esta investida do Catar, o seu salário como treinador iria quintuplicar, já que seus vencimentos junto ao Real Madrid giravam em torno de 10 milhões de euros (aproximadamente R$ 44 milhões) anuais.

Além disso, a proposta simboliza também a chance do francês se transformar no treinador mais bem pago do planeta. Isso porque o posto hoje pertence a Marcello Lippi, que recebe 20 milhões de euros anualmente para comandar a seleção chinesa. Isso significa que Zidane pode se tornar o comandante mais bem remunerado do planeta com um salário 250% maior que o anterior.

 

Fonte: gazetaesportiva.com

Sem Neymar, Brasil faz amistoso contra a Croácia em Anfield

Jogo é penúltimo teste antes antes da Copa do Mundo

Na preparação para a Copa do Mundo, a seleção brasileira entra em campo neste domingo (3) para ajustar os últimos detalhes. O time canarinho enfrenta a seleção da Croácia, em partida que será disputada no estádio do Liverpool, na Inglaterra. O adversário é complicado e também disputará o Mundial na Rússia.

O time comandado por Tite deve ter novidades na escalação. A primeira delas é Neymar no banco. Ainda se recuperando de lesão, o camisa dez da seleção e do Paris Saint Germain não deve participar do amistoso. O atacante brasileiro está sem jogar desde o dia 25 de fevereiro, quando se machucou durante uma partida do clube parisiense.

A outra novidade é Thiago Silva como titular. O zagueiro deve começar a partida formando dupla de zaga com Miranda. Marquinhos, que vinha sendo o titular sob o comando de Tite, deve ficar no banco.

De resto, a equipe deve ser a mesma que venceu a Alemanha, em Berlim. O Brasil deve ir à campo com Alison, Marcelo, Miranda, Thiago Silva e Danilo na zaga. Casemiro, Paulinho e Fernandinho formam o meio-campo. No trio de ataque, Philippe Coutinho, Willian e Gabriel Jesus.

A bola rola a partir das onze da manhã, horário de Brasília.

 

Reportagem: Raphael Costa

Seleção se despede do Brasil rumo a Londres

Seleção Brasileira se reapresentou na sede da CBF e cumpriu última agenda antes da ida para Londres, onde fará a segunda fase da preparação para a Copa do Mundo.

A Seleção Brasileira deixou solo nacional ontem, domingo (27) rumo a Londres, na Inglaterra, onde começa a segunda etapa de preparação para a disputa da Copa do Mundo da Rússia. Vestidos com os novos ternos, confeccionados pelo estilista Ricardo Almeida, a delegação se reapresentou durante a manhã na sede da CBF e participou da sua última programação no Brasil.

Comissão técnica e grupo de jogadores foram recepcionados pelo presidente da CBF, Antônio Carlos Nunes, e pelo corpo diretivo da Entidade Máxima do Futebol Brasileiro. Em seguida, participaram de um almoço preparado pelo chefe Claude Troisgros.

No cardápio da última refeição dos atletas antes da Copa do Mundo as opções eram salmão com molho de maracujá, frango ao molho vinagrete, filé com molho de mostarda, massa integral, legumes orgânicos, saladas, purê de batata baroa e o tradicional feijão com arroz.

Antes da ida para o aeroporto, os jogadores passaram pelo Museu Seleção Brasileira, que conta a história dos cinco estrelas da Amarelinha. O zagueiro Marquinhos comentou sobre a expectativa para também fazer parte dessa história.

– Nós vimos um vídeo no auditório que mostrava a dimensão que é a disputa de uma Copa do Mundo. Não só para nós, jogadores, mas para o povo brasileiro, que está na torcida, que nos apoia e vai nos acompanhar. Eu senti isso quando menino, já fui torcedor e sonhava em jogar um Mundial, e hoje posso realizar esse sonho. É o ápice de um jogador, mas fica melhor ainda se formos campeões.

Allison, Marquinhos, Fagner, Renato Augusto, Taison e o médico Rodrigo Lasmar falaram com a imprensa na zona mista montada no saguão da Casa do Futebol Brasileiro. O grupo deixou a sede às 15h e seguiu a caminho do aeroporto Galeão no ônibus da Seleção Brasileira.

O embarque para Londres está previsto para as 16h30. Tite comandará os treinamentos no CT do Tottenham, onde o grupo ficará concentrado até o primeiro amistoso preparatório para o Mundial, contra a Croácia, no dia 3 de junho, em Liverpool. Na Inglaterra, a delegação ficará completa com as chegadas de Marcelo, Roberto Firmino e Casemiro. O trio disputou a decisão da Liga dos Campeões da Europa no sábado (26) e se apresenta na próxima quarta-feira, no horário do almoço.

O Brasil faz dois amistosos antes de pousar na Rússia para o início da Copa do Mundo. Além da Croácia, a Seleção encara a Áustria, em Viena, no dia 10 de junho. A Seleção Brasileira estreia no Mundial contra a Suíça no dia 17, em Rostov On Don.

Assessoria – CBF

Esporte: sem Guerrero, Peru volta à Copa após 36 anos

Desafios para os peruanos ficou mais difícil sem o maior artilheiro da história da seleção

Surpresa nas Eliminatórias Sul-Americanas, o Peru está de volta à Copa do Mundo. A seleção do ex-craque Cubillas não disputava a competição há 36 anos e, depois de suar a camisa para carimbar a vaga, retorna com chances de passar da fase de grupos. Essa será a quinta participação dos Rojiblancos em Mundiais.

Anteriormente, os peruanos disputaram as Copas de 1930, 1970, 1978 e, a última delas, em 1982. Depois de ficar fora de oito edições seguidas, a seleção retornou ao Mundial após uma campanha regular nas eliminatórias. Foram sete vitórias, cinco empates e seis derrotas. Com 26 pontos, o Peru teve que disputar a repescagem contra a Nova Zelândia. Um empate sem gols e uma vitória em casa por dois a zero deram ao Peru uma nova oportunidade de disputar o torneio de seleções mais importante do mundo.

No entanto, antes mesmo da confirmação da vaga, a torcida e a seleção branca e vermelha sofreram um duro golpe fora dos campos. O atacante Paolo Guerrero, principal esperança peruana e maior goleador da história do time nacional, foi suspenso por doping. Guerrero foi flagrado no exame após a partida contra a Argentina, em outubro do ano passado, em jogo pelas Eliminatórias.

Foi detectado no organismo do atacante do Flamengo uma substância proibida, um metabólito da cocaína. O motivo, segundo a defesa, seria o uso de um chá para gripe com folha de coca, erva tradicional em países andinos como Peru e Bolívia. Em um primeiro momento, a FIFA puniu o jogador com um ano de suspensão, mas o Tribunal Arbitral do Esporte (TAS) reduziu a pena pela metade. Guerrero sempre alegou inocência, mas, no último dia 14 de maio, a Corte Arbitral do Esporte atendeu a um pedido da Agência Internacional Antidoping (WADA) e aumentou a punição. Com a suspensão de 14 meses, a seleção peruana deve jogar a Copa sem o principal ídolo e capitão.

Com a ausência do maior artilheiro, o técnico Ricardo Gareca divulgou a lista com os 23 nomes que disputarão a Copa do Mundo. Dois deles são bem conhecidos entre os torcedores brasileiros. Um é o lateral esquerdo Miguel Trauco, jogador do Flamengo. O outro é o polêmico meia Christian Cueva, que defende as cores do São Paulo. Sem Guerrero, cai sobre os ombros de Jefferson Farfán a responsabilidade de liderar o grupo.

Com 33 anos de idade, Farfán tem larga experiência vestindo a camisa da seleção nacional. O atacante é convocado desde 2003, dois anos após a estreia como profissional pelo Alianza Lima, clube onde começou a carreira.

Em 2004, Farfán foi para o PSV, um dos gigantes do futebol holandês. Foram oito anos jogando em uma das principais ligas europeias, com 67 gols marcados em 169 jogos. O peruano passou ainda pelo Schalke 04, da Alemanha. Atualmente, é jogador do Lokomotiv Moscou, da Rússia.

Pela seleção, Farfán já fez 79 partidas e tem 23 gols anotados. Um deles sobre a Nova Zelândia, na partida que classificou o Peru para esta edição da Copa do Mundo.

A seleção peruana tem chances de se classificar em segundo lugar no grupo C, que conta com a favorita França, Dinamarca e Austrália.

O Peru estreia na Copa no dia 16 de junho, contra a Dinamarca. A bola começa a rolar a partir de uma da tarde, horário de Brasília.

Reportagem, Raphael Costa

Emocionado, futuro cardeal diz: “não consigo acreditar, sou camponês”

Cidade do Vaticano

“Uma notícia surpreendente. Até agora não consigo acreditar.” Foram as primeiras palavras do futuro cardeal boliviano, Dom Toribio Ticona Porco, bispo emérito da Prelazia de Corocoro, na Bolívia.

Numa entrevista à agência boliviana Fides, Dom Ticona diz de si mesmo: “Sou filho de um minerador, sou um camponês, porém, sobretudo sou uma pessoa humilde”. E acrescenta: “O Papa Francisco tem apreço por mim, embora eu desconheça o motivo”.

Momento de trabalhar juntos pela unidade da nossa terra

O futuro cardeal enviou uma primeira saudação ao povo boliviano convidando, em primeiro lugar, a “agradecer a Deus por esta nomeação” e, em seguida, se dirigiu “aos irmãos camponeses e mineradores” para explicar que este é o momento de “trabalhar pela unidade da nossa terra, para trabalhar juntos, Igreja e Estado, sem rancor”.

Ultra octogenário, futuro purpurado não será cardeal eleitor

Nascido em 1937, Dom Ticona já superou os oitenta anos e, portanto, não poderá ser um cardeal eleitor. Em todo caso, será o único boliviano a fazer parte do Sacro Colégio. No ano passado, ao completar oitenta nos, dissera de si:

“Trabalhei como engraxate, vendi jornais, sou um minerador, e agora bispo. Agradeço por tudo ao Senhor e não espero mais nada da vida, somente que me acolha quando chegar a minha hora.”

Congratulações do mandatário boliviano

Num tuíte o presidente boliviano Evo Morales dirigiu-se calorosamente ao futuro cardeal: “Uma bonita surpresa, uma designação justa e bem escolhida. Meu respeito e admiração por meu irmão bispo Toribio Ticona, que agora será cardeal, que conheci como grande servidor, não somente da fé, mas também do povo esquecido na pobreza. Continuaremos trabalhando juntos”.

Fonte: Da redação, com Agência Sir e News Vatican

 

Brasil não reconhece reeleição de Maduro; oposição venezuelana fala em fraude eleitoral

O chefe de Estado venezuelano foi declarado vencedor das eleições presidenciais do último domingo (20) pela autoridade eleitoral, com quase 70% dos votos, depois de contabilizados todas as urnas.

Nicolás Maduro obteve 67,7% dos votos, contra os 21,2% do principal adversário, Henri Falcon, anunciou a presidente do Conselho Nacional Eleitoral (CNE) da Venezuela, Tibisay Lucena, que afirmou se tratar de uma “tendência irreversível”.

Segundo o G1, o Grupo de Lima, formado por 14 países das Américas, incluindo o Brasil, declarou nesta segunda-feira (21) que não reconhece a legitimidade das eleições presidenciais na Venezuela, e que os países irão convocar seus embaixadores em Caracas para expressar protesto. Outros países condenaram a reeleição de Maduro, enquanto Rússia e Bolívia apoiaram.

De acordo com o CNE, Maduro foi reeleito com 5.823.728 votos, tendo sido registrados um total de 8.603.936 votos válidos, que correspondem a uma participação de 46% dos 20.527.571 eleitores.

Apesar de reeleito, Maduro perdeu 1.763.851 votos, em relação a 2013, ano em que foi eleito sucessor do antigo presidente Hugo Chávez (que presidiu o país entre 1999 e 2013) com 7.587.579.

Henri Falcon obteve 1.820.552 votos. O pastor evangélico Javier Bertucci 925.042 e o engenheiro Reinaldo Quijada 34.6714 votos, indicou o CNE.

Pouco antes do anúncio, Falcon tinha declarado que não irá reconhecer os resultados e exigiu a repetição das eleições em outubro próximo. “Não reconhecemos esse processo eleitoral como válido”, afirmou.

Segundo a BBC, o candidato opositor acusa o governo de influenciar a votação através do Carnet de la Patria, o documento que permite aos venezuelanos recolher benefícios estatais e utilizar os serviços públicos.

Foram instaladas 34.143 mesas eleitorais em 14 mil centros de votação da Venezuela.

Funcionários do governo escanearam os cartões perto dos pontos de votação e Maduro prometeu que quem votasse nele neste domingo teria direito a um benefício extra, escreve a emissora britânica.

Desta forma, a oposição acusa o governo de compra de votos. O país tem vivido uma das piores crises da sua história, com escassez de produtos e hiperinflação, com os venezuelanos dependendo fortemente da assistência governamental. Em algumas partes do país, 70% das crianças estão desnutridas.

300 mil soldados das Forças Armadas Venezuelanas têm a missão de garantir a segurança do material eleitoral e dos centros de votação, ao abrigo da operação Plano República, na qual participa também o Ministério Público da Venezuela.

“O povo da Venezuela se pronunciou e pedimos a todos, nacionais e internacionais, que respeitem os resultados eleitorais e o povo da Venezuela, que decidiu e decidiu em paz”, disse Tibisay Lucena.

As eleições presidenciais antecipadas decorreram “como sempre foi a tradição do povo da Venezuela, com grande tranquilidade e civismo”, acrescentou.

Com muitos candidatos impossibilitados de concorrer ou presos, a oposição diz que o atual processo não tem legitimidade e que há indícios para desconfiar de fraude eleitoral. Diversos países, como os EUA e a Argentina, já disseram que não vão reconhecer o resultado destas eleições.

G1

Relator da ONU emite manifesto em defesa da mídia e por fim de ataques a jornalistas

Relator especial da ONU para a liberdade de expressão, David Kaye se uniu a ativistas para divulgar documento conjunto em que alerta para “crescentes ameaças à independência e à diversidade da mídia no mundo todo”.  Intitulado “Declaração Conjunta sobre Independência da Mídia e Diversidade na Era Digital”, o manifesto foi emitido na quinta-feira, 3 de maio, Dia Mundial da Liberdade de Imprensa.

“Uma mídia livre e independente impulsiona instituições democráticas e a prestação de contas, enquanto ataques contra jornalistas e o jornalismo minam a ideia de participação pública e de responsabilização governamental.

Os ataques a jornalistas são deploráveis e as autoridades estatais precisam fazer mais para evitá-los. Esses ataques resultam, em parte, do enquadramento cada vez mais irresponsável de jornalistas como ‘inimigos’ por líderes políticos e empresariais, mas também visam impedir o jornalismo investigativo em prol do interesse público. Todos aqueles comprometidos com uma mídia independente e diversificada devem se unir agora para acabar com tais ataques.

Além dos ataques físicos, aqueles que atuam em nome do Estado ameaçam o jornalismo em frentes políticas, legais e tecnológicas. Eles abusam de recursos públicos colocando anúncios apenas em canais amigáveis, promovem o controle financeiro e de outros tipos e promovem ou permitem concentrações de mídia”, diz trecho do documento.

Além de Kaye, assinaram membros da Organização para a Segurança e a Cooperação na Europa, da Comissão Interamericana de Direitos Humanos e da Comissão Africana dos Direitos Humanos e dos Povos.

Fonte: Da redação, com Portal Imprensa

Foto: NACHO DOCE / REUTERS

Seleção Brasileira é convocada para Copa do Mundo na Rússia

Atenção, torcedor! Os 23 atletas que vão representar o Brasil na Rússia já estão definidos. O técnico Tite convocou os jogadores para a disputa da Copa do Mundo FIFA 2018 na tarde desta segunda-feira (14) na sede da CBF, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro (RJ). Única equipe a disputar todas as edições do torneio, a Seleção Brasileira vai para o Mundial em busca do sonhado hexacampeonato.

O grupo se apresenta na Granja Comary, em Teresópolis (RJ), na próxima segunda-feira (21), e começa a preparação para a competição. Os treinos vão até o dia 26 e, no dia seguinte, os 23 jogadores embarcam para Londres, com o objetivo de adaptação ao clima e fuso-horário, e treinam na capital inglesa até a a bola rolar para os amistosos preparatórios.

O selecionado fará duas partidas antes do Mundial, diante de Croácia e Áustria. O duelo com os croatas será no próximo dia 3, em Liverpool, na Inglaterra, e o segundo confronto está marcado para o dia 10, em Viena, capital do país adversário. A Seleção Brasileira está no Grupo E da Copa do Mundo e fará a estreia na competição diante da Suíça, no dia 17, em Rostov, às 15h (de Brasília).

Confira a lista:

GOLEIROS:
Alisson – AS Roma (ITA)

Cássio – Corinthians-SP

Ederson – Manchester City (ING)

DEFENSORES:

Danilo – Manchester City (ING)

Geromel – Grêmio-RS

Filipe Luís – Atlético de Madrid (ESP)

Marcelo – Real Madrid (ESP)

Marquinhos – Paris Saint Germain (FRA)

Miranda – Internazionale de Milão (ITA)

Fagner – Corinthians-SP

Thiago Silva – Paris Saint Germain (FRA)

MEIO CAMPISTAS:

Casemiro – Real Madrid (ESP)

Fernandinho – Manchester City (ING)

Fred – Shakhtar Donetsk (UCR)

Paulinho – Barcelona (ESP)

Philippe Coutinho – Barcelona (ESP)

Renato Augusto – Beijing Guoan (CHI)

Willian – Chelsea (ING)

ATACANTES:

Douglas Costa – Juventus (ITA)

Firmino – Liverpool (ING)

Gabriel Jesus – Manchester City (ING)

Neymar – Paris Saint Germain (FRA)

Taison – Shakhtar Donetsk.

 

CBF