Categoria INTERNACIONAL

Veja como está atualmente Oxana Malaya, a menina cachorro

Ela teria sido abandonada por ter nascido do sexo feminino e simplesmente colocada do lado de fora da casa, no frio do inverno na Ucrânia

Durante cinco anos, a menina ucraniana Oxana Malaya viveu entre cães e sobreviveu comendo carne crua, resto de alimentos e sucatas. Após ser abandonada aos três anos de idade, ela adaptou-se a uma série de hábitos caninos, incluindo não aprendendo a falar.

De acordo com reportagens feitas pelo ‘Telegraph’, ‘The Age’ e até um documentário realizado pelo ‘Discovery Channel’, a menina teria sido abandonada por ter nascido do sexo feminino e simplesmente colocada do lado de fora da casa, no frio do inverno da Ucrânia. O instinto de sobrevivência fez com que a menina fosse para o canil, vivendo por lá durante anos.

Quando foi achada, em 1991, ela estava correndo de quatro e latindo. Se tinha uma coceira atrás da orelha, coçava com o pé. Ela foi levada para um orfanato, onde foi educada até a idade adulta. Lá ela aprendeu a andar em pé, comer usando as mãos e, com muita dificuldade, também aprendeu a falar.

De acordo com a psicóloga infantil britânica Lyn Fry, especialista em crianças selvagens, ao se deparar com a menina disse que, “esperava alguém muito menos humano”.

Hoje aos 34 anos, ela faz parte da lista de cerca de 100 pessoas conhecidas no mundo como ‘criança-selvagem’, ou seja, criada com animais. Hoje em dia Malaya, supostamente, cuida de vacas na fazenda da casa onde ela reside, em Baraboy, Odessa, o que seria um local destinado à pessoas com deficiência mental. “Sua experiência foi suja, terrivelmente deteriorada e primitiva”, disse Fry em entrevista ao documentário sobre a vida da menina.

Em 2006 ela se reencontrou com seu pai, algo que queria há bastante tempo. Já a mãe, a quem Oxana não vê desde a infância, ninguém sabe onde está.

 

LIFESTYLE UCRÂNIA

DIVERSÃO EM PAUTA: Nova produção da Netflix apresenta comédia brasileira para o mundo

Samantha! é uma comédia tipicamente brasileira

Em julho deste ano, mais uma nova produção brasileira entrou para o catálogo da Netflix. Samantha! é uma comédia tipicamente brasileira, bem diferente da série de ficção cientifica 3%, que também foi feita no Brasil e é um grande sucesso no serviço de streaming.

A série traz a atriz Emanuelly Araújo no papel de Samantha, uma ex-estrela mirim que fez muito sucesso nos anos 80 e tenta desesperadamente reconquistar a fama. O ator Douglas Silva interpreta o ex-jogador do Flamengo e ex-presidiário chamado Dodói, que é casado com Samantha.

Os sete episódios da primeira temporada mostram Samantha fazendo de tudo para voltar ao horário nobre da TV, já que ela ficou famosa apresentando o programa da Turminha PlimPlom nos anos 80. Alguns flashbacks revelam que, desde pequena, Samantha se mostrava capaz de tudo para ser a principal integrante do grupo.

Por ter quase a mesma trama em todos os episódios, a série pode ficar cansativa em certo ponto. Mas o tom da comédia da série é bem brasileiro, cheio de exageros e dramas engraçados, principalmente quando envolve os dois filhos de Samantha, Cindy e Brandon.

A série fez bastante sucesso por aqui e já foi renovada para a segunda temporada. Um dos pontos que chamou a atenção dos que assistiram foi a semelhança da história de Samantha com a de Simony, do Balão Mágico. Apesar das duas serem ex-estrelas mirins de grupos que fizeram sucesso nos anos 80, a Netflix negou que a trama tenha sido inspirada na cantora.

As novidades no serviço de streaming não param por ai. Nesta sexta-feira (17), estreia o filme original da Netflix “Para Todos os Garotos que Já Amei”. A produção é inspirada no livro de mesmo nome e conta a história de Lara, que adora escrever cartas de amor secretas para seus paqueras. Mas ela não contava que um dia essas cartas seriam misteriosamente enviadas.

 

Reportagem: Larissa Lago

Saiba como será a transformação de Marte para receber humanos

Ideia inicial é estabelecer bases simples com elementos modulares, como contêineres, enviados da Terra

A Nasa e iniciativas privadas, como a SpaceX, acreditam que Marte será habitado por humanos dentro de 20 a 30 anos. Para que isso seja possível, existem planos ambiciosos para uma rápida transformação do Planeta Vermelho.

A ideia inicial é estabelecer bases simples com elementos modulares, como conteineres, enviados da Terra. Como explica o G1, estas estruturas deverão fornecer água, oxigênio e calor, além de terem uma blidagem reforçada, pois Marte não tem campo magnético.

O nosso planeta tem um campo magnético que, apesar de não ser 100% eficiente, ajuda a defletir partículas solares e raios cósmicos que podem causar danos ao DNA quando absorvidos pelo corpo humano. Marte também não tem proteção contra os raios UV do Sol, pois não possui uma camada de ozônio como a Terra.

Essas bases devem se tornar pequenas vilas e, posteriormente, cidades protegidas por redomas que consigam manter condições de habitabilidade iguais às da Terra.

Outra ideia, denominada de terraformação, quer deixar Marte com as mesmas condições de habitabilidade da Terra, iniciando com a criação de uma atmosfera, que aumentará a pressão atmosférica e manterá a água em estado líquido.

Como explica a publicação, mesmo que a temperatura seja alta para a água descongelar, com a atual pressão atmosférica de Marte (menos de 1% da pressão atmosférica terrestre) o gelo não derrete, ele passa direto de sólido para vapor, em um processo de sublimação.

Para aumentar a densidade de pressão da atmosfera e disparar o processo de aquecimento global através do efeito estufa, os cientistas planejam liberar o gás carbônico preso sobretudo nas calotas polares sob a forma de gelo seco.

Tanto o efeito estufa quando o aquecimento global são normalmente associados à degradação do meio ambiente, mas, na verdade, são elementos importantes para a manutenção da vida, desde que estejam regulados.

Com água em estado líquido, lagos e mares poderiam se formar e algas e bactérias poderiam converter o gás carbônico em oxigênio, como aconteceu com a Terra. Plantas poderiam ajudar na terraformação.

Os pesquisadores não sabiam, no entanto, se o gás carbônico é suficiente para promover todo esse processo. Em um artigo publicado na revista “Nature Astronomy”, os autores do trabalho, Bruce Jakosky e Cristopher Edwards, esclarecem que não há gelo seco suficiente nas calotas polares para fazer a atmosfera marciana atingir a pressão mínima para manter a água no estado líquido.

Jakosky e Edwards acharam uma possível solução: vaporizar o gelo seco e os claratos dos polos, que podem aprisionar moléculas de água e gás carbônico. Feito isto, eles calculam que a atmosfera de Marte possa se tornar habitável.

Os dois cientistas da Universidade do Colorado, nos Estados Unidos, resolveram então incluir rochas, minerais que estão um pouco abaixo da superfície, além da areia que cobre Marte. Assim, a pressão conseguiria atingir níveis muito altos.

De acordo com o estudo, apenas se as rochas profundas no subsolo do planeta todo liberarem o carbono aprisionado é que a pressão atingiria o valor necessário para impedir que a água se evapore ao descongelar. Esse valor é o equivalente à pressão atmosférica ao nível no mar na Terra.

A ideia então é aquecer as calotas polares, fazendo os claratos liberarem água e gás carbônico. Para liberar o gás do carbono aprisionado no subsolo não muito profundo, seria necessário aquecer as rochas a uma temperatura de 300ºC. O que nunca ocorreria naturalmente, sendo necessário um alto investimento de energia e, mesmo assim, não chegaria nem perto.

Segundo os pesquisadores, há uma forma de produzir toda essa energia. Para tanto, seria necessário desviar pequenos asteroides de suas órbitas para colidir com Marte. A energia do impacto esquentaria as rochas e resolveria o problema.

Em resumo, a terraformação de Marte não é possível com as tecnologias existentes. O que significa que os colonizadores do Planeta Vermelho precisarão viver confinados em módulos durante muito tempo.

 

Noticias ao Minutos

Na Nasa, paraibana vai pesquisar planetas fora do Sistema Solar

Raíssa Estrela começou a fazer ecologia, mas, após conhecer um professor, decidiu mudar de curso.

Com o sobrenome “Estrela”, a paraibana Raíssa, de 29 anos, vai cursar parte do doutorado na NASA (National Aeronautics and Space Administration), nos Estados Unidos. O tema da pesquisa dela é a atmosfera de planetas fora do Sistema Solar. E embora essa seja uma grande oportunidade, não era a ideia inicial de Raíssa ao entrar para a universidade.

Nascida em João Pessoa, ela foi para Natal, capital do Rio Grande do Norte, com o objetivo de cursar ecologia na Universidade Federal. “Foi aí que eu conheci o meu futuro orientador durante a física, que era o Renan Medeiros. Ele já trabalhava com astrofísica e me ofereceu uma bolsa de iniciação científica nessa área”, disse.

Segundo a pesquisadora, esse encontro foi um impulso para que ela fosse para uma área que sempre a interessou. “Eu sempre quis fazer astrofísica, só que eu tinha um pouco de receio, então eu acabei começando em outra área que eu também gostava”, comentou.

Ela explicou que, embora a Universidade da Paraíba (UFPB) tenha o curso de graduação em física, a área que escolheu não está entre os campos de pesquisa da instituição. “Em Natal tinha a pesquisa em astrofísica que era a pesquisa que eu queria continuar exercendo.Lá em Natal tem um grupo forte dessa área. Na UFPB, a pesquisa é em cosmologia e outras áreas da física”, explicou.

Raíssa Estrela tem como projeto do doutorado uma pesquisa sobre a atmosfera de planetas fora do Sistema Solar (Foto: Raíssa Estrela/Arquivo pessoal)
Raíssa Estrela tem como projeto do doutorado uma pesquisa sobre a atmosfera de planetas fora do Sistema Solar (Foto: Raíssa Estrela/Arquivo pessoal)

A NASA

A pesquisa de doutorado de Raíssa é voltada para investigar a atmosfera de planetas fora do Sistema Solar e, assim, tentar compreender as consequências desses aspectos para as condições de habitação desses planetas.

“É estudar a composição da atmosfera desses planetas, para ver do que eles são formados, quais tipos de moléculas que têm lá, se tem oxigênio, se tem metano. Então tudo que a gente vê vai dizer se esse planeta pode ter vida ou não”, comentou.

“O único modo que a gente tem, hoje em dia, de saber sobre a estrutura interna de um planeta, fora do nosso Sistema Solar, é vendo a sua atmosfera”, pontuou.

Com essa temática em mente, Raíssa começou a analisar quais eram as possíveis instituições para fazer parte do doutorado fora do Brasil. “Eu fui em busca de um lugar e um dos lugares foi a NASA. Porque lá tem pesquisadores que estão dentro dessa área que eu estudo, são pesquisadores muito bons. Então eu entrei em contato com eles e a gente construiu um projeto juntos”, afirmou.

Apesar disso, segundo ela, os requisitos para ser aceita na NASA começaram a ser formados ainda na graduação. “Eu já comecei me iniciando na pesquisa em ciências, então durante toda essa minha carreira acadêmica eu fui construindo de forma a ter artigos, a ter publicações que aumentassem minha bagagem”, frisou.

“Tudo isso fez com que eu tivesse pontos positivos para que a NASA conseguisse me aceitar, hoje em dia, como estudante”, contou.

Embora tenha o apoio da instituição que concede a bolsa e de outros pesquisadores, Raíssa ressaltou que a trajetória para chegar a um doutorado na NASA não foi fácil.

“É um caminho que exige dedicação, muito estudo e vontade. Temos que gostar mesmo daquilo que a gente está fazendo”, disse.

G1

*Supervisão de Krystine Carneiro e Taiguara Rangel

Fronteira com Venezuela é reaberta após 15 horas fechada

Desembargador do Tribunal Regional da 1ª Região suspendeu liminar de juiz federal de Roraima

A fronteira entre Brasil e Venezuela foi reaberta na manha desta terça-feira (7) após 15 horas fechada. A determinação partiu do desembargador Kassio Nunes Marques, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, que suspendeu a liminar proferida pelo juiz federal Helder Girão Barreto, da 1ª Vara Federal de Roraima.

O juiz havia determinado a suspensão da entrada de venezuelanos no Brasil pela fronteira até que se encontrasse um “equilíbrio numérico” com o processo de interiorização dos estrangeiros.

A suspensão da liminar atende a um pedido da União. O governo federal entende que o impedimento da entrada de venezuelanos no Brasil viola obrigações internacionais estabelecidas pelo país.

A fronteira entre Pacaraima (RR) e Santa Elena de Uairén foi fechada no início da noite de segunda-feira pela Polícia Federal, Força Nacional de Segurança e a Polícia Rodoviária Federal.

Com isso, mais de uma centena de venezuelanos se aglomeraram no local no início desta manhã para fazer a travessia pela fronteira oficial, até que o local fosse liberado.

Reportagem: Thiago Marcolini

 

Após oito anos, Google pode voltar à China

O Diário do Povo, principal jornal chinês, publicou na última segunda-feira (6) um editorial alegando que o Google quer voltar ao mercado da China e que a empresa será bem-vinda, desde que cumpra com as leis do país.

De acordo com o jornal, que é órgão oficial do Partido Comunista da China (PCCh), o país está muito mais aberto agora do que oito anos atrás, quando o Google foi bloqueado em todo o território por não respeitar as leis. Para voltar ao país, o Google está planejando relançar seu motor de busca com resultados censurados, como manda as autoridades chinesas.

O governo chinês acredita que o ciberespaço deve ser regulado por leis e regulações nacionais e que “não será permitido que a internet fique cheia de pornografia, violência, mensagens subversivas, separatismo étnico, extremismo religioso, elementos racistas e terrorismo”.

Com os requisitos colocados pelas autoridades chinesas, a decisão agora está nas mãos da empresa Google, que pode ganhar o mercado chinês, desde que “respeite as leis nacionais”.

 

Reportagem: Larissa Lago

Gabriel Jesus renova com o City até 2023

O antigo vínculo do atacante era válido até 2021 e foi renovado por mais dois anos

Gabriel Jesus é do City até 2023. O Manchester City anunciou nesta sexta-feira (3) a renovação do contrato do atacante brasileiro Gabriel Jesus. O vínculo, que iria até 2021, foi renovado até 2023.

O jovem atacante brasileiro foi contratado pela equipe inglesa por 32 milhões de euros, cerca de R$ 138 milhões na cotação atual. Jesus teve um início bastante promissor no City, com gols, assistências e atuações convincentes, mas sofreu uma fratura no quinto metatarso do pé direito em 13 de fevereiro de 2017, e só voltou aos campos em 27 de abril do mesmo ano.

Gabriel Jesus renova seu contrato com o City

Na última temporada europeia, que começou no meio de 2017, Gabriel Jesus se destacou nos seis primeiros meses, mas acabou se machucando novamente. Dessa vez, lesão no ligamento colateral medial do joelho esquerdo, sofrida em 31 de dezembro.

Voltou a jogar em 25 de fevereiro, na final da Copa da Liga Inglesa, seu primeiro título no City. Jesus também participou dos últimos jogos da incrível campanha do time de Manchester que garantiu o recorde de cem pontos na Premier League e o título inglês. Foram 24 gols em 53 partidas pelo City.

Grande trunfo de Tite assim que assumiu a seleção, Gabriel Jesus se destacou com a amarelinha na campanha das Eliminatórias. Foram sete gols em dez jogos. No entanto, o camisa 9 do Brasil não anotou nenhum gol na Copa nos cinco jogos em que participou na competição.

De acordo com o site Transfermarkt, Gabriel Jesus possui, atualmente, um valor de mercado estimado em 80 milhões de euros ou R$ 347 milhões.

 

Reportagem: Paulo Henrique Gomes

Atleta de Santa Rita busca medalha em competição na Argentina

A atleta Karen Eduarda, de Santa Rita, vai representar a Paraíba mais uma vez em uma competição internacional. De 03 a 05 de agosto, ela participará do Argentina Open de Taekwondo, em Buenos Aires, disputando com atletas de diversos países em um dos mais importantes eventos de taekwondo do mundo.

A santarritense de apenas 13 anos já teve conquistas expressivas. Ano passado ela ganhou o ouro no Pan-Americano em Costa Rica e também se consagrou como a campeã brasileira. Agora, Karen disputará na categoria cadete, de até 33kg, e promete mais uma vez se destacar e elevar o nome do Brasil e da Paraíba na modalidade.

O técnico Lindomar Silva, que vem treinando a atleta há seis anos, disse que Karen está bem treinada e muito focada. “Hoje ela é considerada uma das atletas com mais conceito técnico no taekwondo brasileiro e mundial. As chances de voltar pra nossa cidade trazendo uma medalha são grandes, pois ela é uma das favoritas na competição”, afirmou o treinador, explicando que a preparação técnica envolveu a parte física e mental da atleta.

De acordo com Lindomar, a participação neste campeonato na Argentina é um passo importante na preparação de Karen Eduarda para as Olimpíadas. Isso porque a competição pontua no ranking mundial, fundamental para garantir a vaga na disputa olímpica.

“Se temos um projeto para que Karen seja uma atleta olímpica, este é o primeiro grande passo. E o apoio da Prefeitura de Santa Rita é importante de forma incondicional, pois sem ele não seria possível o que está acontecendo na vida de nossa atleta, não apenas por este campeonato, mas também pelas outras conquistas. Não temos palavras para agradecer”, disse o treinador, que junto com Karen viaja para a capital argentina já nesta quinta-feira.

 

Secretaria de Comunicação Institucional

Exposição na JFPB retrata o cotidiano de crianças refugiadas no Oriente Médio

Público pode visitar gratuitamente a exposição de 30 de julho a 17 de agosto

A exposição fotográfica “Infância Refugiada” será inaugurada na próxima segunda-feira (30), no edifício-sede da Justiça Federal na Paraíba, e segue até o dia 17 de agosto. Realizada pela fotógrafa cearense Karine Garcêz, a mostra retrata o cotidiano de crianças e adolescentes palestinos refugiados em países como Turquia, Líbano e Síria. Com entrada gratuita, a visitação à exposição será de segunda a sexta, das 9 às 18 horas.

O trabalho é resultado de um giro da fotógrafa, natural da cidade de Redenção (CE) e estudante de Relações Internacionais, por vários países do Oriente Médio. Reunindo 27 fotos de um total de mais de duas mil, a mostra registra a situação dramática de uma parcela de refugiados vítimas dos conflitos na região ainda no período da infância.

O olhar de Karine, potencializado pela sensibilidade do preto e branco, desnuda a situação de uma população cujos direitos são historicamente negados. Para o trabalho, a fotógrafa cearense contou com o apoio da Ong Al Wafaa Campaing, da Holanda, em suas idas aos campos de refugiados desde 2012.

A artista já realizou exposições no Ceará e até na Holanda. Viabilizada em parceria com o projeto Fotografia Tátil da Universidade Federal do Ceará (UFC), a exposição Infância Refugiada já percorreu várias cidades brasileiras.

Segundo estimativa do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), existem cerca de 50 milhões de crianças e adolescentes no mundo deslocadas de suas terras.

 

Assessoria de Comunicação

Perfil macabro de WhatsApp pode roubar seus dados

Viral tem sido motivo de grande desconfiança para os usuários da rede social

Um perfil de WhatsApp misterioso chamado Momo tem despertado curiosidade e aterrorizado usuários do mensageiro. Além disso, o viral tem sido motivo de grande desconfiança.

De acordo com o UOL, o número do usuário macabro tem o código do Japão. E a imagem de perfil é uma mulher de olhos e boca arregalados (veja acima) – como uma verdadeira personagem de filme de terror.

A foto, na verdade, é de uma escultura chamada “Guai Bird”, que foi exibida em 2016 no museu Vanilla Gallery, de Tóquio.

Agora, o que acontece com os corajosos que de fato falam com Momo? Enquanto algumas pessoas dizem que o perfil não responde, outras falam que o número manda vídeos perturbadores, faz chamadas surpreendentes de madrugada e mais.

Brincadeira à parte, Momo pode representar um perigo para a segurança digital. Segundo o presidente da empresa de segurança digital ESET no Brasil, Camillo di Jorge, o perfil pode se aproveitar informações e imagens expostas no WhatsApp para adquirir informações mais sensíveis de usuários do app.

Como Momo viralizou, diversos usuários tem se aproveitado da situação e criado perfis fakes da menina macabra. Na dúvida, não adicione nenhum destes números à sua lista de contatos.

 

Tech Momo