Categoria Entretenimento

porpjbarreto

Empresa de alimentos amplia canais de vendas das cestas natalinas e tem crescimento de até 30%

Com a proximidade das festas natalinas, empresas e também pessoas físicas costumam entregar cestas básicas de alimentos a seus colaboradores ou famílias que enfrentam alguma restrição financeira, neste momento. Essas cestas de mantimentos podem conter, além dos produtos básicos para uma refeição, alguns outros que incrementam as receitas da ceia natalina. Uma empresa localizada em João Pessoa chega a ter uma média de 20 a 30% de aumento no volume das vendas dessas cestas básicas nesta época do ano.

Para otimizar essa demanda disponibilizam os canais de vendas pelo whatsApp e e-mail da empresa, além da loja virtual do estabelecimento na plataforma on-line, tecnologia que cresceu muito neste ano por causa da pandemia do novo coronavírus.

Para mais informações, disponibilizamos para entrevista o representante da empresa, José Carlos Soares da Silva Júnior; e o presidente da Associação de Usuários de Tecnologia da Paraíba – SUCESU PB – Tarcísio Ferreira Grilo Júnior.

1 – O que o empresário deve estar atento na hora de contratar o serviço de migração do seu serviço para a plataforma on-line?

2 – Quais os principais benefícios desta migração ou aperfeiçoamento dos canais de vendas para a empresa?

3 – O que deve ser respeitado neste processo para que a empresa não acabe gerando problemas na comunicação com o seu cliente acostumado a lidar com a compra presencial?

 

Positiva Comunicação & Mkt Digital

porpjbarreto

Efraim Filho destina mais de R$ 1.5 milhão para Cabedelo

A modernização do Estádio Francisco Figueiredo de Lima possibilitará novas práticas de esporte e inclusão da comunidade cabedelense’.

Sempre antenado com as transformações sociais, o deputado Efraim Filho (DEM) sempre olhou com atenção especial para a juventude e destinou recursos no valor de R$ 1.528.000,00 para reforma e modernização do Estádio de Futebol Francisco Figueiredo de Lima, pertencente ao município de Cabedelo.

Estou feliz por contribuir de forma decisiva para a chegada de recursos e investimentos para o Estádio de Futebol Francisco Figueiredo de Lima. Assim, podemos oferecer melhor qualidade na formação de novos atletas, que ajudarão cuidar e salvar a vidas com a prática de esporte.” Declarou Efraim.

O prefeito Vitor Hugo disse que está muito feliz. “Mais uma vez o meu amigo, o amigo de Cabedelo, o deputado Efraim Filho, mostrando serviço e enviando mais uma emenda para a nossa cidade, agora destinada ao nosso esporte, que terá um estádio de futebol novinho e pronto para ser a nossa principal praça esportiva. Efraim tem trabalhado muito pelo povo paraibano, e por nossa Cabedelo, em especial, o que nos deixa realizados”, comemorou Vítor Hugo.

A liberação desta emenda, nesta última quinta (17), é mais uma vez fruto do trabalho de Efraim Filho, que tem sido visto notadamente pelo volume de emendas que seu gabinete tem conquistado desde a chegada de Vítor Hugo à Prefeitura de Cabedelo.

“O recurso no valor de R$ 1.528.000,00 já está disponível nos cofres do município, que agora vai licitar a obra e dar início ao projeto, que é uma das propostas de campanha do prefeito reeleito, dentro do plano de apoio e incentivo ao esporte cabedelense”. Destacou Efraim Filho ao ressaltar a reforma e a modernização do estádio.

Os recursos liberados durante este ano, não só para o esporte, como também para educação e ações sociais para a Paraíba coroam o trabalho desenvolvido por Efraim Filho em prol da cidadania.

 

Assessoria de Imprensa

porpjbarreto

Com contrato perto do fim, goleiro Neto Volpi agradece passagem pelo Shimizu S Pulse

Após uma temporada atuando no Shimizu S Pulse, o goleiro Neto Volpi está se despedindo do futebol japonês. Aos 28 anos, Neto disputará seu último jogo no sábado (19), contra o Gamba Osaka, na última rodada da J-League.

Depois ter feito sucesso no futebol colombiano, onde conquistou o título nacional defendendo o América de Cali, em 2019, Volpi foi contratado no começo do ano para integrar o elenco do Shimizu S Pulse e se juntar a outros brasileiros como Elsinho, Valdo, Renato, Carlinhos e Júnior Dutra.

Com contrato se encerrando no próximo dia 31 de dezembro, Neto Volpi fez questão de agradecer sua passagem pelo clube e o carinho que recebeu do povo japonês.

“No próximo final de semana participo do meu último jogo defendendo as cores do Shimizu S Pulse, um clube que aprendi a gostar e admirar nesses quase doze meses de trabalho. Só tenho a agradecer o carinho que recebi do povo japonês desde a minha chegada. É impressionante o amor e o respeito que eles nutrem por aqueles que entram em campo e deixam até a última gota de suor pelo seu clube de coração. Mesmo com todas as dificuldades impostas pela pandemia do novo coronavírus, posso afirmar que foi uma temporada incrível e de muito aprendizado. Deixo meu sentimento de gratidão a todos os diretores, funcionários e companheiros de equipe pela forma que fui acolhido e sigo na torcida para que o clube siga trilhando seu caminho de vitórias e conquistas”, destacou o jogador.

Planejando a sequência da carreira, Neto Volpi deve retornar ao Brasil na próxima semana para reunir-se com seus representantes e decidir o melhor destino para a próxima temporada.

 

Foto: Divulgação/Shimizu S Pulse

Gustavo Neves / Assessor de Imprensa

porpjbarreto

Em nova fiscalização na orla, praça e parques de JP, CREF10 encontra irregularidade

Foram fiscalizadas 10 pessoas, 6 circuitos de treinamento funcional e 3 escolinhas desportivas

O Conselho Regional de Educação Física da 10ª Região – Paraíba (CREF10/PB) realizou ações de fiscalização na orla de Manaíra, Parque Parahyba 1, Parque Parahyba 2 e na Praça Desembargador Osias Nacre Gomes, localizada no Jardim Oceania, e constatou que uma pessoa estava exercendo ilegalmente a profissão. Ela foi autuada e terá 15 dias para apresentar contestação, caso contrário a notificação será convertida em multa ou ação civil.

Ao todo foram fiscalizadas 10 pessoas, seis circuitos de treinamento funcional e três escolinhas desportivas, sendo uma de handebol de areia, uma de vôlei de praia e uma de futevôlei. A ação foi nesta última quarta-feira (16).

 

Assessoria

porpjbarreto

Rússia é banida como nação de Jogos Olímpicos e mundiais por 2 anos

A Rússia é acusada de manipular laboratórios, incluir amostras falsas em exames e deletar arquivos relacionados a testes positivos de doping nos últimos anos

A Corte Arbitral do Esporte (CAS) reduziu nesta quinta-feira (17) a pena imposta à Rússia pela Wada (Agência Mundial Antidoping) em 2019, de quatro para dois anos, mas manteve a proibição de o país usar seu nome, bandeira e hino em edições dos Jogos Olímpicos e campeonatos mundiais.

Atletas e times russos poderão competir na Olimpíada de Tóquio, adiada para 2021, e nos Jogos de Inverno de 2022 em Pequim, bem como em mundiais de diversas modalidades, sob bandeira neutra.
Para isso, a CAS estipulou regras: os atletas e demais envolvidos não poderão estar sujeitos a uma sanção imposta por autoridade antidoping; seus uniformes não terão a bandeira da Rússia; e o hino nacional não será tocado ou cantado em nenhum local oficial do evento.

Ficou determinado ainda que o nome do país poderá figurar nas vestimentas, desde que com o mesmo tamanho e destaque da indicação de “atleta neutro”, em inglês. O uso das cores vermelha, azul e branca também foi liberado.

Esses itens, assim como a redução pela metade do prazo do banimento, são consideradas vitórias russas, apesar do forte impacto da suspensão.

O comitê olímpico do país declarou ter ficado satisfeito com a confirmação de de que seus atletas não serão punidos individualmente, mas considerou inaceitável o fato de que dirigentes e políticos, entre eles o presidente Vladimir Putin, também não poderão comparecer aos Jogos.

O COI (Comitê Olímpico Internacional) se pronunciou de forma breve sobre o tema, dizendo que ainda avaliará as implicações para os Jogos de Tóquio e Pequim com as federações internacionais e o Comitê Paralímpico Internacional.

Não foram detalhados os critérios para participação de atletas russos em competições individuais e coletivas em Tóquio, bem como nos eventos pré-olímpicos. No basquete, por exemplo, a seleção masculina do país é uma das adversárias do Brasil pela vaga.

As condições estipuladas pela CAS em tese valerão também para a Copa do Mundo de futebol de 2022, no Qatar, que será realizada dentro do período da punição, embora a Fifa nunca tenha manifestado uma posição sobre o tema e suas implicações no esporte que comanda.

A sanção vale de 17 de dezembro de 2020 a 16 de dezembro de 2022. Em 9 de dezembro de 2019, a Wada havia aplicado a punição inicial de quatro anos, mas ela ficou suspensa após a Rússia recorrer à CAS.

A entidade jurídica máxima do esporte mundial, localizada na Suíça, confirmou o veredito da Wada de que a agência de controle de doping da Rússia (Rusada) não está em conformidade. Também impôs multa de US$ 1,3 milhão (R$ 6,4 milhões), a ser paga pela Rusada à agência mundial.

Os argumentos da decisão, tomada por três juízes, não foram divulgados. Isso deve ser feito nas próximas semanas.
A punição inicial da Wada se baseou na acusação de que a Rusada agiu para fraudar resultados de exames de atletas e manipular dados submetidos a órgãos internacionais.

“A Wada está feliz por ter vencido esse caso que fará história”, afirmou seu presidente, o polonês Witold Banka. De acordo com ele, a CAS “confirmou claramente nossas conclusões, segundo as quais as autoridades russas manipularam descaradamente e ilegalmente as amostras do laboratório de Moscou, com o objetivo de disfarçar um programa de doping institucionalizado”.

Apesar da comemoração, Banka declarou estar desapontado com a redução da pena. Travis Tygart, presidente da agência antidoping dos EUA, disse que o resultado é “fraco” e um “golpe catastrófico” para a integridade do esporte. Ele já havia considerado a primeira decisão, da Wada, insuficiente por “permitir que a Rússia escape de uma proibição completa”.

A punição de agora se assemelha à qual o país foi submetido nos últimos Jogos de Inverno, em Pyeongchang-2018. Na ocasião, 169 atletas em conformidade competiram sob as condições impostas de neutralidade e sem símbolos nacionais inclusive em modalidades coletivas, como o hóquei no gelo.

Na Olimpíada do Rio-2016, o COI (Comitê Olímpico Internacional) permitiu que cada federação adotasse seus critérios para permitir ou não os atletas russos. Poucas modalidades baniram os esportistas por completo, entre elas levantamento de peso e atletismo, mas vários deles acabaram barrados em decisões individuais ou desistiram de ir ao evento.

A federação internacional de atletismo, World Athletics, inclusive manteve a suspensão do país em suas competições nos últimos anos.

ENTENDA AS ACUSAÇÕES

A Rússia é acusada de manipular laboratórios, incluir amostras falsas em exames e deletar arquivos relacionados a testes positivos de doping nos últimos anos.

O escândalo eclodiu após serem descobertas irregularidades no controle de doping nos Jogos de Inverno de 2014, sediados na cidade de Sochi.

O programa de trapaça era comandado por Grigory Rodchenkov, o antigo presidente da agência antidoping russa. Sua principal ação consistia em trocar amostras de atletas do país-sede, contaminadas com substâncias proibidas, por outras limpas.

Rodchenkov agora vive nos Estados Unidos, sob proteção e em local não divulgado, depois de revelar o esquema que coordenou -de acordo com ele apoiado pelos serviços de inteligência da Rússia- e ter fugido do país.

Neste ano, ele lançou o livro “The Rodchenkov Affair – How I Brought Down Putin’s Secret Doping Empire” (O caso Rodchenkov – Como derrubei o império secreto de doping de Putin) e deu uma entrevista à agência AP dizendo que sofre ameaças de morte por ser visto como um traidor na Rússia.

A história dele também é contada no documentário Ícaro, ganhador do Oscar em 2017.

Como parte da resolução do caso de 2014, nos anos seguintes a Rússia concordou em oferecer um conjunto de resultados de testes de seu laboratório em Moscou às autoridades antidoping. Foram esses dados, manipulados por representantes do país, que ocuparam posição central na crise que levou à atual punição.

De acordo com as investigações, a negação e a manipulação de dados pelos russos continuaram depois de a Wada confirmar publicamente, em setembro de 2019, que milhares de arquivos do país haviam sido apagados ou manipulados, e que os dados fornecidos não batiam com os de um banco sobre atletas russos recebido pela organização em 2017.

Em uma reunião complementar em outubro do ano passado para ajudar a explicar as discrepâncias, o ministro do Esporte russo forneceu novos dados à Wada, que quando estudados revelaram evidências de mais manipulações, segundo a agência.

Na ocasião, investigadores reportaram que 145 casos suspeitos poderiam não ser resolvidos, o que levantou a possibilidade de que atletas que trapacearam continuassem disputando competições impunemente.

É por isso que os EUA defendem que nenhum atleta russo deveria competir nos eventos dos próximos anos, algo negado pela decisão da CAS nesta quinta.

 

 FOLHAPRESS

porpjbarreto

Empresa paraibana obtém certificação inédita no Brasil

A HostDime, de João Pessoa, foi certificada com o ISO 27701, norma internacional reconhecida mundialmente

Uma empresa com atuação na Paraíba recebeu o primeiro certificado ISO 27701 do Brasil. Emitido para a HostDime Brasil de João Pessoa (PB), que está há mais de 14 anos no mercado de tecnologia, o selo possui uma relevância ainda maior no momento atual. Isso se dá por ele garantir que empresas atendam aos requisitos de privacidade e segurança da informação na Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) que entrou em vigor esse ano no país.

A ISO 27701 é uma norma internacional criada pela International Standardization Organization (ISO) e é reconhecida mundialmente como a principal ferramenta de gestão para auxiliar as organizações na proteção de dados sensíveis. Além disso, a norma especifica as melhores condutas para gerenciamento de riscos.

No Brasil, até então, nenhuma empresa era certificada na norma. Neste mês de novembro uma auditoria realizada na HostDime Brasil, empresa de computação sediada em João Pessoa, confirmou que a organização está apta para receber a certificação, tendo assim o título de primeira empresa com certificação ISO 27701.

O projeto, liderado pelo departamento de qualidade, contou com seis dias de encontros remotos e presenciais, terminando com a certificação obtida junto ao Inmetro. “Alcançar a certificação 27701 é um marco na nossa história e uma conquista de todos da HostDime Brasil. Esse feito também reforça a importância do estado da Paraíba no desenvolvimento tecnológico do país”, ressaltou Filipe Mendes, CEO da HostDime Brasil.

A HostDime é associada da Sucesu-PB (Associação de Usuários de Tecnologia da Paraíba), atuante em São Paulo e na Paraíba, tendo sede na capital, João Pessoa. Mantém um excelente relacionamento com a Sucesu-PB e, por meio dessa parceria, obtendo ótimos resultados para o setor. A HostDime Brasil é uma empresa global de computação em nuvem, há mais de 14 anos no mercado de tecnologia e que atende mais de 50 mil clientes.

A organização tem como missão garantir disponibilidade integral de sistemas críticos e oferecer soluções estruturais lógicas em TI para empresas de todo o mundo. Agora, as práticas que já eram executadas pela gestão de serviços e segurança da informação, são certificadas pela ISO 27701.

 

Assessoria

porpjbarreto

Após ‘temporada de aprendizados’, Cesinha, atacante do Botafogo-PB, valoriza passagem pelo Camboriú

No último domingo (13), o Camboriú se despediu da Série B do Campeonato Catarinense. A equipe terminou a primeira fase na quinta colocação, com 12 pontos, e não conseguiu ficar com uma das três vagas na elite estadual.

Presente em oito das nove partidas que a Cambura disputou, o atacante Cesinha lamenta a eliminação, mas valoriza a entrega do time. “Uma pena não termos conquistado o acesso, mas isso faz parte do futebol. Deixamos a competição de cabeça erguida, cientes de que nos entregamos ao máximo em todos os jogos”, disse o jovem atleta, de 21 anos.

De olho em 2021, Cesinha faz um balanço da sua temporada. Emprestado pelo Botafogo-PB, ele defendeu a Chapecoense no início do ano, antes de ser cedido ao Camboriú. Agora, se prepara para retornar ao Belo.

“Foi uma temporada de aprendizados, importante para a minha evolução como atleta. Pude ter uma sequência de jogos pelo Camboriú e isso também me ajudou muito. Agora é recarregar as energias para fazer um ano ainda melhor em 2021”, concluiu.

 

Fotos: Beno Küster/Camboriú FC

Douglas Albino / Assessor de Imprensa

porpjbarreto

O mais belo discurso de José do Patrocínio

Humberto de Campos relata que, na Academia de Letras, casa a que o formidável tribuno pertenceu “o senhor Félix Pacheco leu um amplo e substancioso estudo sobre a vida do Grande Negro, citando, a título de informação, os autores brasileiros que têm analisado a existência e a obra do Negro Redentor. E foi quando, agradecendo uma referência justa que fizera ao seu nome, o senhor Coelho Neto se ergueu para um daqueles seus improvisos magistrais e começou:

— Senhor presidente, a obra que a figura de Patrocínio reclama ainda está por escrever. Só nós, os que o conhecemos de perto, poderíamos esculpir o gigante magnífico. Ainda assim, precisaríamos recorrer, para isso, ao trovão e ao relâmpago’.

“E recordou fatos, desenhou cenas, restaurou episódios. Lembrou Patrocínio enfermo, num catre de palhoça suburbana, coberto por um xale azul, mortalha alegre que a esposa lhe atirara sobre os ossos. Recordou-o, épico, erguendo-se, montanha de ferro diante de montanha de mármore, na luta com Rui Barbosa. E descreveu, para findar, este espetáculo, digno de grandes varões:

“‘— É na noite de 13 de maio de 1888, Patrocínio, que discursara o dia inteiro, chega à redação do A Cidade do Rio e atira-se, afônico, e semimorto de cansaço, em um sofá de seu gabinete de diretor. Amigos e companheiros cercam-no, impondo-lhe repouso. O titã não receberá mais ninguém, não atenderá mais a ninguém. Venha quem vier. E começam a tomar precauções nesse sentido, quando um dos redatores entra no gabinete e comunica:

— Está aí embaixo o doutor Benjamim Constant, em companhia dos cegos do Instituto’…

“Entreolham-se todos. A homenagem é tão comovente que ninguém tem coragem de propor uma recusa.

— Pede-lhes que subam… — sussurra Patrocínio, fazendo-se entender mais pelo gesto do que pela palavra’.

“Momentos depois alinham-se no gabinete desarrumado dez ou doze cegos, que se põem em fila, pisando-se aflitamente uns aos outros. Tomando a dianteira deles, Benjamim diz, comovido:

— Patrocínio, os meus alunos, os cegos do Instituto, pediram-me que os trouxesse aqui para ver-te… Emprego de propósito este verbo, Patrocínio, e repito-o: meus cegos vieram te ver’.

“O Grande Negro abre a boca para falar. A barba treme-lhe, hirsuta, mas nenhum som lhe sai dos lábios grossos. Os olhos enchem-se-lhe d´água. E, desatando em soluços, mas, sem proferir palavra, atira-se, com o rosto lavado de pranto, nos braços de Benjamim Constant.

“Cena soberba e patética. Todos, em torno, têm os olhos úmidos, ou choram abertamente. Os cegos, em fila, quietos, interrogam o silêncio, adivinhando o que ele esconde. Ao cabo de alguns minutos, porém, o futuro proclamador da República volta-se, emocionado, para eles, e diz-lhes, a voz trêmula:

 “— Meus filhos, acabais de ouvir o mais belo discurso que este grande homem já pronunciou e que se poderia pronunciar no mundo. Fostes testemunhas de uma cena que só o coração pode compreender…Vamos!’” (…)

Um outro tipo de cegueira

Mais de cem anos se passaram. Eis que aquilo que as pessoas com deficiência visual souberam “ver” na cena magistralmente descrita pelo autor de Carvalhos e Roseiras, outro tipo de “cego”, hoje, nem mesmo percebe. A independência ou o cativeiro de um povo origina-se de sua intimidade moral e intelectual. Daí a famosa advertência de Jesus: “Conhecereis a Verdade [de Deus], e a Verdade [de Deus] vos libertará” (Evangelho, segundo João, 8:32).

 

José de Paiva Netto ― Jornalista, radialista e escritor. 

paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

porpjbarreto

Paulinho, vocalista do Roupa Nova, morre de covid-19 aos 68 anos

O cantor estava internado com a doença desde o início de novembro

O músico Paulo César Santos, o Paulinho, vocalista do grupo Roupa Nova, morreu na noite desta segunda-feira (14), aos 68 anos. O cantor estava internado com Covid-19 desde o início de novembro na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Copa D’or, no Rio de Janeiro.

Paulinho contraiu o coronavírus durante a recuperação do transplante de medula óssea, feito no início de setembro.

 

Fonte: O Tempo

porpjbarreto

“Andarilho” anuncia EP de estreia de Lucas Bezerra

Cearense que durante anos viveu em João Pessoa e hoje reside no Rio de Janeiro, o cantor e compositor Lucas Bezerra lança na próxima quarta-feira (16) o single Andarilho em todas as plataformas digitais. É uma das faixas de seu primeiro EP, Transito, em fase de finalização e com lançamento previsto para março de 2021 através de parceria entre o selo discográfico Cantores del Mundo e a Ingrooves Music Group,  distribuidora ligada à Universal Music no Brasil.

Assistente social formado pela UFPB, Lucas tem dado seus primeiros passos na arena da música. Lançou em maio deste ano seu primeiro single, Café, resultado de sua parceria com Arthus Fochi, cantor e compositor fluminense, também responsável pela produção musical do EP Transito.

Andarilho indica uma interlocução orgânica de Lucas com referências musicais de sua região de origem. Sua proposta é a de dialogar, simultaneamente, com elementos da tradição da música popular brasileira e de sua contemporaneidade. Antecipa, ainda, que seu novo lançamento diz muito sobre a sonoridade de seu disco de estreia, no qual inclui, entre suas referências sonoras, artistas paraibanos como Cátia de França, Zabé da Loca e Totonho.

“Andarilho é uma canção de água e terra, apaixonada e migrante. Foi uma das primeiras que compus, o que me faz ter especial carinho por ela. É dançante, suave, alegre, embora carregue consigo alguma dose de lirismo. Gosto sobretudo do sujeito que a canção revela: brasileiro vivo, viajante inquieto. Lembro como se fosse hoje: rascunhei letra e melodia, cantarolei e, meio tímido, apresentei a Jaelson Farias [violonista paraibano, de Campina Grande], que era meu professor de violão. Em poucos minutos ele sugeriu uma harmonia. Foi um gesto lindo e emocionante. Aliás, preservamos muito de sua harmonia na versão que gravamos”, relata Lucas.

A principal referência rítmica do novo lançamento é o ijexá, amplamente difundido na música popular brasileira, presente em canções de expoentes como Dorival Caymmi, a dupla Antonio Carlos e Jocáfi, Gilberto Gil, Djavan e Moraes Moreira. Lucas menciona que a escolha de Andarilho como single que antecipa o EP deve-se, sobretudo, à necessidade de se ter esperança e coragem ao fim de um ano marcado por muitas dificuldades.

“Andarilho é uma música para se cantar e se dançar levinho. Nela há algo de esperançoso porque fala de quem caminha. Tranco e barranco sempre existe, não é verdade?! A vida tem disso, mil desatinos, e nós seguimos porque é preciso seguir. Não acredito que esta mensagem seja bobeira. Ela urge e estou francamente feliz de poder transmiti-la, através de uma canção, antes que 2020 acabe. É um gesto de carinho às pessoas que vão ouvi-la”, diz.

A faixa conta com Rafael Barros nas percussões, Ceci Penido na flauta, Pablo Arruda no baixo, Arthus Fochi no violão, na guitarra e nos vocais de apoio junto com Caro Petersen. A produção é de Arthus e foi mixada e masterizada por Gui Marques no Estúdio Frigideira (RJ). Quem assina a capa é a designer paraibana Iramaya Rocha, que se valeu de fotografia feita por Rafaela Fernandes.

Sobre o lançamento do EP, Lucas antecipou que a produção está bem encaminhada e confessa estar satisfeito com o resultado. Há apenas uma faixa a ser gravada, que contará com participação especial de Juliana Linhares, cantora e compositora potiguar radicada no Rio de Janeiro, integrante da banda Pietá, do projeto Iara Ira e que lançou recentemente seu primeiro trabalho solo, o EP Perdendo o Juízo.

A perspectiva de Lucas é a de, após o período de vacinação contra a Covid-19, realizar apresentações em algumas cidades brasileiras, incluindo as capitais João Pessoa, Recife, Fortaleza, Rio de Janeiro e São Paulo.

 

Assessoria de Comunicação – Selo Cantores del Mundo