Categoria Entretenimento

porpjbarreto

Ideal do Bem

No dia 30 de janeiro, completam-se 73 anos do assassinato do líder pacifista indiano Mohandas Karamchand Gandhi (1869-1948). Num mundo marcado pela violência, é sempre bom recordar o exemplo vitorioso do Mahatma (“grande alma”) ao alcançar, por meio da filosofia da não violência, a independência da Índia.

Em 1891, Gandhi formou-se em Direito na Inglaterra e voltou à Índia, onde exerceu a profissão. Dois anos depois, iniciou um movimento na África do Sul — àquela altura colônia britânica —, no qual objetivava lutar contra o racismo e pelos direitos dos hindus.

Em 1914, voltou a seu país e difundiu seu movimento, cujo método principal era a resistência passiva, pregando a não violência como forma de luta. Em 1922, foi detido após organizar uma greve contra o aumento de impostos, sendo condenado a seis anos de detenção. Porém, foi libertado em 1924. Em 1930, liderou a marcha para o mar, uma caminhada de 320 quilômetros para protestar contra os preços dos tributos britânicos e a proibição aos indianos de fabricar sal (…). Finalmente, em 1947, foi proclamada a independência da Índia. Gandhi trabalhou também para evitar o embate entre muçulmanos e hindus, que estabeleceram um Estado separado, o Paquistão, dividido em duas frações, uma das quais, anos depois, se tornou Bangladesh. Acusado pela divisão territorial da Índia, atraiu o ódio dos nacionalistas hindus. Um deles o assassina a tiros no ano seguinte, quando Gandhi tinha 78 anos. Na época, mais de um milhão de indianos compareceram ao seu funeral.

Civilização civilizada? Só com diálogo!  

Numa entrevista que concedi à jornalista portuguesa Ana Serra — quando lancei, em Portugal, a minha obra Reflexões da Alma (Editora Pergaminho, 2008) —, ressalto que Religião, Filosofia e Política não rimam com intolerância. A Ciência, idem. Observem a reflexão de Voltaire (1694-1778): “A tolerância é tão necessária na política como na religião; só o orgulho é intolerante”.

E outra coisa: jamais se deve pregar um Criador que apavore as criaturas, porém que as deixe mais responsáveis e fraternas.

Dias desses, li — na obra Farmácia de Pensamentos, da pesquisadora Sonia de Aguiar, com a qual fui presenteado pelo saudoso jornalista gaúcho Luiz Carlos Lourenço* — a seguinte sentença do dinâmico cantor e compositor Gilberto Gil“A arte, a religião e a ciência são maneiras diferentes para atingir os mesmos fins. Mas, no fundo, todas elas procuram respostas para as mesmas perguntas”.

Indagações que apenas serão elucidadas quando a Fraternidade Ecumênica se tornar o fundamento do diálogo religioso, político, filosófico e científico numa sociedade planetária que se arvora civilizada. Diante disso, cabe aqui esta palavra do velho Goethe (1749-1832): “Aquele que tem vontade firme molda o mundo à sua imagem”.

Luiz Carlos Lourenço — (1943-2019)

José de Paiva Netto ― Jornalista, radialista e escritor.  

paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

porpjbarreto

Essas razões particulares são as razões pelas quais as pessoas traem

Leia  esse artigo e aprenda a ver os sintomas de que tem algo errado

Infelizmente, trair não é incomum. Todo mundo conhece alguém que traiu seu parceiro por um motivo ou outro e justificou seus motivos para trair um relacionamento.

Nos casos de relacionamentos mais antigos, não é incomum a mulher descobrir que o seu marido se tornou Fatal Model de uma ou mais meninas mais novas. Um verdadeiro golpe na autoestima delas.

Na maioria das vezes, é muito difícil entender por que as pessoas fazem isso, mas agora temos um pouco de insight. É hora de se colocar no lugar das pessoas que traíram seus parceiros e descobrir suas motivações.

Três pesquisadores, Dylan Selterman, Justin Garcia e Irene Tsapelas, entrevistaram um conjunto de 495 adultos, perguntando se eles já trairam e, em caso afirmativo, por que o fizeram.

Suas respostas foram variadas, mas formaram uma espécie de padrão.

De acordo com os resultados, mais de três quartos dos participantes haviam trapaceado em um ponto de suas vidas. Embora pensemos em traição como uma ocorrência razoavelmente rara, parece que não é tão incomum quanto se poderia pensar.

No total, 77% dos participantes disseram que seus motivos para trair no relacionamento se deviam à falta de amor no relacionamento. Outros 70% das pessoas disseram que o motivo de terem trapaceado foi a negligência emocional.

É de partir o coração pensar que as pessoas precisam sair em busca de validação quando um parceiro pretende fornecer tudo o que você precisa em um só lugar.

Embora isso não seja desculpa para trair, facilita muito a compreensão do ponto de vista de outra pessoa.

Obviamente, existem muitas outras razões pelas quais as pessoas escolhem se desviar para outra pessoa. Frequentemente, trata-se de sexo, e 74% dos participantes deste estudo disseram que queriam experimentar mais parceiros sexuais.

É possível que, embora a conexão emocional com o parceiro fosse forte, eles quisessem saber como seria estar com outras pessoas em um cenário sexual.

Outra razão pela qual as pessoas no estudo optaram por trair foi o fato de terem bebido demais. 70% deles disseram que estavam bêbados e incapazes de se controlar, um cenário que infelizmente é muito comum de se ouvir.

Embora essas fossem as respostas mais comuns, havia muitas razões pelas quais as pessoas achavam que precisavam procurar em outro lugar.

Alguns fizeram isso por uma questão de confiança, esperando se sentir validados por uma experiência sem sentido. Alguns fizeram isso para ofender seus parceiros. Outros almejavam uma falta de fisicalidade em seu relacionamento ou devido à falta de interesse em seu parceiro.

De acordo com novas investigações da WomensHealth.com, os homens eram mais propensos a cometer infidelidade por variedade sexual em suas vidas. As abordagens das mulheres vieram de um lugar mais profundo.

Eles costumavam optar por trair se se sentissem negligenciados pelo parceiro, mesmo que não tivessem desejos sexuais por outra pessoa.

Embora seja fácil se relacionar com alguns desses cenários, trair nunca é a resposta para um problema. Se você está se sentindo negligenciado em seu relacionamento ou sente a necessidade de procurar outro contato sexual, talvez seja melhor apenas encerrar o relacionamento.

Dessa forma, você economiza dor desnecessária, tanto para você quanto para o seu parceiro.

O problema é que você nunca pode voltar de trair alguém. A culpa permanece e você sempre se lembra de como machucou alguém que já foi ou já foi importante para você.

Se surgir a necessidade de trair, faça uma pausa limpa e siga seus desejos o quanto quiser.

porpjbarreto

Religião não é chave de intolerância

Não adianta apenas cuidar do corpo, é igualmente necessário medicar a Alma. Vou repetir para deixar mais claro: zelar pela Alma — com a magia do Amor Fraterno, imanente do Novo Mandamento de Jesus (“Amai-vos como Eu vos amei. Somente assim podereis ser reconhecidos como meus discípulos” — Evangelho do Cristo, segundo João, 13:34 e 35) — torna a criatura ética, fraterna, solidária, que não entende Religião como chave de intolerância, que vê a Política como o caminho para a segurança dos povos, a Ciência como mãe do progresso e a Economia como fartura para as multidões, pois sente compaixão pelos que sofrem. Daí pregarmos o Ecumenismo do Afeto. Inspirados em quem?! No Jesus Ecumênico. Não se trata do “Jesus” instrumento de discussões que não levam a nada. Ele não deve ser odiosamente interpretado. Antes de tudo, é para ser vivido, porque trouxe o Mandamento Novo do Pai-Mãe Celestial. Por isso, Alziro Zarur (1914-1979), o Proclamador da Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo, dizia: “O Novo Mandamento de Jesus é [justamente] a Essência de Deus”. E Zarur fala em suas pregações libertadoras do Deus que é Amor, de acordo com Jesus, o Religioso Celeste.

José de Paiva Netto ― Jornalista, radialista e escritor. 

paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

porpjbarreto

Sindicato dos Artistas e Técnicos em Espetáculos de Diversões do Estado da Paraíba empossa nova diretoria

SATED-PB, Sindicato dos Artistas e Técnicos em Espetáculos de Diversões do Estado da Paraíba, tem a honra de convidá-lo para solenidade de posse da nova diretoria desta entidade sindical do triênio 2021/2024.

Local: Evento on-line, através do aplicativo Google Meet.

Data: 17/01/2021 (domingo)

Horário: início 17h – O link será enviado 1 (uma) hora antes da solenidade

Pedimos confirmar presença até 15h do dia 17/01, pelo e-mail contatosatedpb@gmail.com e aguarde nossa orientação.

Chapa Eleita – ConvocAção

 

Diretoria:

Presidenta – Sheilla Verônica Silva Martins

Secretária – Cláudia Pereira de Lima

Tesoureiro – Wanilson Pantera de Vasconcelos Costa

 

Suplentes:

1º Suplente – José Alberto Silva

2º Suplente – Erasmo Rafael da Costa

3º Suplente – Antonio Lira de Ó Júnior

 

Delegado Sindical à FITEDECA – Federação Interestadual dos Trabalhadores em Empresas de Difusão Cultural e Artística:

1º Delegado – José Alexandre Ferreira Guedes

2º Delegada – Sheilla Verônica Silva Martins

 

Conselho Fiscal:

Titulares:

1º Conselheiro – José do Nascimento Soares

2º Conselheiro – Alberto Quirino Dos Santos

3º Conselheiro – Sergio Ricardo da Silva Aguiar

 

Suplentes:

1º Suplente – Maria Marta Santana do Nascimento

2º Suplente – Apollo Pantera Lima de Vasconcelos Costa

3º Suplente – Ricardo Gomes Barbosa

 

Acompanhe a rede social do Sated Paraíba:

Site:  https://www.satedpb.org.br/  

Facebook: https://www.facebook.com/SatedPB  

Instagram: https://www.instagram.com/satedpb/  

YouTube: https://www.youtube.com/channel/UCE3pQk62Vz09NGJhUUEhE6g/about?view_as=subscriber

Twitter: https://twitter.com/PbSated

Assessoria
porpjbarreto

Vai ter Live de Luan Estilizado e sorteios na inauguração da concessionária Honda Motos de Campina, nesta quinta 14. Confira!

A inauguração nesta quinta-feira (14/01) às 20h, pelo Grupo Pau Brasil, em Campina Grande-PB, de sua concessionária Honda Motos, localizada na Av. Pref. Severino Bezerra Cabral, 759 – no bairro José Pinheiro, promete muitas novidades. Uma delas será uma Live do cantor Luan Estilizado, além de sorteios e a explanação do que representa a nova unidade do grupo, que inova, sendo a primeira do Brasil a atender ao novo layout estabelecido pela Honda.

“A Pau Brasil Motos inaugura a sua concessionária de Campina Grande. Uma grande notícia merece, claro, uma grande festa, mas sem aglomerar. Neste sentido, vai ter Live de Luan Estilizado e sorteios”, diz o anuncio, destacando que todo o público interessado poderá conferir a Live do cantor, os sorteios e detalhes desse grande investimento, que chega a Campina pelas redes sociais do cantor, da Pau Brasil de Campina e nas redes do presidente do grupo, Zenildo Oliveira:

Youtube Luan Estilizado

https://www.youtube.com/c/LuanEstilizado /

 

Pau Brasil Campina

https://instagram.com/paubrasilmotoscg?igshid=fgkoz2myfrl5

 

Zenildo Oliveira

https://instagram.com/zenildorodriguesdeoliveira?igshid=exyet4au3lp3

INVESTIMENTO EM CAMPINA – Com uma área total de 2.000 m², a Honda Motos, do Grupo Pau Brasil, foca na comodidade e diferenciação, em um ambiente único para os clientes. “O showroom da nova Honda Motos será atualizado constantemente, com objetivo de tornar o local não apenas um ponto de vendas da marca, mas também de encontro entre os apaixonados pelo mundo Honda.

No pavimento principal, o público contará com diversos espaços: o inovador Conceito Dream para as motocicletas de alta cilindrada; outro para os demais modelos da marca; uma área dedicada aos produtos, além da oficina no pavimento inferior. “Estamos felizes em poder gerar na cidade mais de 100 novos empregos diretos”, afirmou Zenildo Oliveira, presidente do Grupo Pau Brasil.

As instalações contam com prédio totalmente novo, com grande integração de espaço, dispondo de showroom de vendas, colaboradores capacitados, oficina para atendimento personalizado e boutique de roupas e acessórios.

Serviço:

Grupo Pau Brasil – Honda Motos

Av. Pref. Severino Bezerra Cabral, 759 – José Pinheiro, Campina Grande – PB, 58407-475

Fone: (83) 3337-2774

www.paubrasilmotos.com.br

 

Assessoria Grupo Pau Brasil

porpjbarreto

À procura de equilíbrio

Agora, mais do que nunca, torna-se imprescindível a vivência do Amor Solidário Divino, porque ele é o único capaz de afastar da Terra as trevas do crime, da miséria e da dor quando compreendido e desempenhado — em todo o seu poder compassivo, justo e, portanto, eficaz —, não somente pela Religião, mas também pela Educação, pela Política, pela Ciência, pela Economia, pela Arte, pelo Esporte, pelos relacionamentos internacionais, pelo trabalhador mais simples e pela mais projetada personalidade pública.

Na verdade, o ser humano, sabendo ou não, procura instintivamente o equilíbrio, que só pode advir do exercício da Fraternidade, a grande esquecida — como lamentava Dom  Bosco (1815-1888) — da trilogia da Revolução Francesa (Liberté, Égalité, Fraternité), tanto que sua posição é a final do lema reformista, quando deveria ocupar a vanguarda deste. Por isso deu no que deu, com tanta gente guilhotinada. (…)

Não foi sem motivo que o notável escritor Victor Hugo (1802-1885) declarou: “Sem Fraternidade não pode haver Paz”.  

Só se constrói a Paz com tolerância  

O inspirado vate francês está corretíssimo. Portanto, não abdiquemos das medidas práticas para a edificação dessa nova e fraterna sociedade, pois, como revela o Espírito dr. Bezerra de Menezes (1831-1900), pela psicografia de Chico Periotto“A Paz, a tão desejada Paz, é o sonho de todos, do Mundo Espiritual e da Terra. Apenas se constrói a Paz com tolerância. É impossível acreditarmos que o caminho da guerra, do ódio e da violência possa gerar Paz verdadeira. Mas o mundo trilha caminhos inesperados. Logo, é realmente importante exercitarmos o caminho do Ecumenismo e da confraternização entre os países”.  

José de Paiva Netto ― Jornalista, radialista e escritor.  

paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

porpjbarreto

Após vitória no primeiro jogo do ano, Felipe Hereda projeta clássico decisivo no Bahrein

Líder da Liga do Bahrein, o East Riffa iniciou o ano com vitória. No último sábado (2), a equipe superou o Busaiteen por 3 a 0, pela quarta rodada da competição nacional. Quem esteve em campo foi o volante Felipe Hereda, que comemora o triunfo no primeiro jogo de 2021.

“Queremos fazer um grande ano em 2021, então nada melhor do que começar com vitória. Foi um resultado importante para elevar o moral do time. Sabemos que ainda tem muito campeonato pela frente e precisamos manter o foco”, ressaltou o brasileiro, de 28 anos.

Agora, o East Riffa volta as atenções para o clássico local com o Al Riffa. Os dois times se enfrentam neste sábado (9), em duelo que coloca frente a frente os líderes do campeonato nacional, com dez pontos cada. Felipe Hereda projeta o encontro.

“É uma partida diferente, por tudo que significa e por valer a liderança da competição. Temos trabalhado bem ao longo da semana para fazer um grande jogo. Queremos manter o bom momento na temporada e vamos lutar muito para que isso aconteça”, finalizou.

No Bahrein desde 2019, Felipe Hereda vive grande fase com a camisa do East Riffa. O jogador é um dos pilares do time, que ainda não perdeu nesta temporada. A equipe conquistou seis vitórias e dois empates em oito jogos. Se contar o final da última época, a invencibilidade chega a dez partidas.

 

Fotos: Divulgação/East Riffa

Douglas Albino / Assessor de Imprensa

porpjbarreto

Dia da Liberdade de Cultos

Sete de janeiro marca o Dia da Liberdade de Cultos. O ilustre escritor Jorge Amado (1912-2001), então deputado federal, apresentou um projeto de lei à Assembleia Constituinte de 1946 que aprovou essa meritória data comemorativa.

Naturalmente, para fazer cumprir-se uma lei, que visa coibir hostilidades milenares, torna-se indispensável um esforço conjunto. A Legião da Boa Vontade, desde que surgiu com Alziro Zarur (1914-1979), no programa Hora da Boa Vontade, em 1949, vem pautando seus propósitos em prol do direito de cada um expressar sua fé e do entendimento de todos pelo bem comum. Uma de suas primeiras iniciativas foi a Cruzada de Religiões Irmanadas, abrindo assim o inter-relacionamento religioso no país, cuja reunião inaugural ocorreu no Salão do Conselho da Associação Brasileira de Imprensa (ABI), na capital fluminense, em 7 de janeiro de 1950, após sucessivas reuniões preparatórias realizadas no mesmo local, nos meses de outubro, novembro e dezembro de 1949, na sala da diretoria da prestigiada Associação.

Diversidade religiosa e direitos humanos  

No ano de 2013, a Secretaria dos Direitos Humanos da Presidência da República, publicou a cartilha Diversidade religiosa e direitos humanos, conscientizando o povo da necessidade de respeito entre os diferentes credos. Nela constam também citações de líderes religiosos e defensores dos direitos humanos que exaltam ideais fraternos e solidários. Oportunamente, agradeço o destaque que a referida cartilha deu a este pequeno trecho do meu artigo “Religião não rima com intolerância”:

Compreendo Religião como Fraternidade, Solidariedade, Entendimento, Compaixão, Generosidade, Respeito à Vida Humana, Salvação das Almas, Iluminação do Espírito, que todos somos. Tudo isso no sentido mais elevado. Creio na Religião como algo dinâmico, vivo, pragmático, altruisticamente realizador, que abre caminhos de luz nas Almas e que, por essa razão, deve estar na vanguarda ética. Não a vejo como coisa abúlica, nefelibata, afastada do cotidiano de luta pela sobrevivência que sufoca as massas. Não a entenderia, se não atuasse também, de modo sensato, na transformação das realidades tristes que ainda atormentam os povos.

Quatro Pilares do Ecumenismo  

Ainda no campo da boa coexistência entre as criaturas, ao desenvolver a concepção que temos sobre duas terminologias criadas por Zarur — Ecumenismo Irrestrito e Ecumenismo Total, podemos agora, indo adiante, destacar:

O Ecumenismo Irrestrito prega o perfeito relacionamento entre todas as criaturas da Terra. Trata-se de um caminho aberto à Paz, pois deplora a intolerância e afirma que ela não precisa rimar com religião. O Ecumenismo Total preconiza a consciente e fraterna aliança da humanidade da Terra com a do Mundo Espiritual Superior. Afinal de contas, os mortos verdadeiramente não morrem. Eles são, agora, o que seremos amanhã. O célebre pastor evangélico norte-americano Billy Graham (1918-2018) escreveu: “A morte não é o fim, mas o começo de uma nova dimensão de vida — a vida eterna. (…) Pela Sua ressurreição dentre os mortos, Jesus demonstrou — sem qualquer sombra de dúvida — que existe vida após a morte”. Deve-se contar também, por puro raciocínio, qualquer civilização que possa haver no Espaço. Por que não?! Todo o Universo está aí para que apenas o fiquemos — à exceção dos astrônomos, pensadores e poetas — ociosamente apreciando?! E olhe lá, quando nos lembramos de erguer os olhos para ele… Seria pretensão de nossa parte admitir a impossibilidade da existência de outras formas de vida no Cosmos. Outro ponto: nem tudo (ou todos) que lá por fora exista tem por obrigação parecer conosco. Quando o ser humano isso compreender, estará mais apto a vivenciar os outros dois pilares: Ecumenismo dos Corações e Ecumenismo Divino.

Voltaremos ao assunto.

José de Paiva Netto ― Jornalista, radialista e escritor.  

paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

porpjbarreto

Empresa paraibana desenvolve plataforma digital para a Nike

No portfólio de clientes da Qualitare, associada da Sucesu-PB, estão a Companhia de Engenharia e Tráfego de São Paulo (CET), Ministério da Defesa, Fiocruz e Honda.

Uma empresa paraibana passou no crivo técnico da Nike e foi escolhida para desenvolver o novo projeto da plataforma digital da multinacional. A contratação fecha com ‘chave de ouro’ o ano desafiador de pandemia, em que empresas de todos os ramos precisaram se reinventar para permanecerem no mercado, enfatizou o CEO da Qualitare, Juarez Batista Neto.

“Para nós é uma enorme conquista. Foi um ano de grandes transformações, onde as empresas precisaram evoluir anos em meses para lidar com essa realidade de distanciamento social. Agimos rápido, auxiliamos nossos clientes nessa transformação e estamos tendo o reconhecimento por um trabalho sempre focado em fazer além, em transbordar”, avaliou.

A Nike é referência em branding e uma das marcas mais conhecidas do mundo. Por questões de contrato, Juarez não pôde dar detalhes a respeito do projeto, mas celebrou a grandeza do momento.

A Qualitare é mais uma empresa de base tecnológica associada da Sucesu-PB (Associação de Usuários de Tecnologia da Paraíba), e que está há 14 anos desenvolvendo aplicativos, plataformas digitais, startups e também atua em branding e design.

Sobre os planos para 2021, Juarez disse que a empresa deve continuar desenvolvendo projetos sem  limites geográficos, além de lançar produtos digitais e startups que foram desenvolvidos ao longo de 2020.

E esta não é a primeira vez que a Qualitare atende marcas de outros estados e até de fora do país. No portfólio de clientes estão a Companhia de Engenharia e Tráfego de São Paulo (CET), Ministério da Defesa, Fiocruz,  Honda e agora a Nike.

 

Assessoria

porpjbarreto

Após mais de 20 anos, paraibano sobe em pódio no Brasileiro de Motocross, maior competição do gênero na América Latina

Após mais de 20 anos, finalmente um piloto paraibano volta a fazer bonito no Campeonato Brasileiro de Motocross, considerado a maior e mais importante prova do gênero da América Latina. Trata-se de Kleber Moraes, que disputou as quatro etapas do Campeonato Brasileiro de Motocross 2020, sendo duas na cidade de Penha-SC e outras duas em Apiaí-SP, competindo na Categoria MX5, que reúne pilotos acima de 50 anos.

Kleber Herculano de Moraes é advogado, tem 50 anos e já tem um filho que também é amante do Motocross. Ele é natural de Alagoa Grande, já exerceu o cargo de prefeito de Alagoa Nova por dois mandatos consecutivos e atualmente mora em Campina Grande. O último paraibano a se destacar na competição e conseguir um pódio foi Hilton Veloso, conhecido como “Paraibinha”, já falecido.

Para chegar ao final do campeonato na terceira posição, Kleber Moraes subiu no pódio em duas, das quatro etapas disputadas, sendo uma delas em 5º lugar e a outra em 4º lugar. Somando os pontos das etapas, Kleber – que chegou à competição carregando em seu currículo vários títulos estaduais e nordestinos na modalidade – teve a melhor pontuação dentre os pilotos nordestinos, somatório que lhe rendeu a terceira colocação geral.

“O campeonato seria realizado no mês de março, mas aí veio a pandemia e a competição foi cancelada. Agora no segundo semestre eles decidiram montar o calendário e eu resolvi participar. Sempre fui um amante do motocross e disse pra mim mesmo: chegou a vez de representar bem a Paraíba e assim fiz. Fui lá e, graças a Deus, conseguimos uma boa pontuação e a volta da Paraíba ao cenário nacional do Motocross”, afirmou Kleber.

Para disputar a competição e conquistar o objetivo, Kleber contou, além da sua disposição e preparação, com o apoio de parceiros importantes, a exemplo da 115Motoparts, Matuta, Britex, Korpus, Saulo Personal, Posto Sudoeste e Betsul.

A classificação final da competição ficou assim:

1º – Marco Muller, com 86 pontos

2º – Alencar Krefta, com 69 pontos

3º – Kleber Moraes, com 63 pontos

4º – Sandro Botelho, com 53 pontos

5º – Carlos Kettermann, com 53 pontos

O Campeonato chegou ao final na semana passada e Kleber já está de volta à Paraíba, trazendo na bagagem não apenas a conquista do terceiro lugar na maior e mais importante prova de Motocross da América Latina, mas também a disposição de continuar treinando e se preparando para, em 2021, voltar à disputa e, quem sabe, conquistar um novo pódio. “Vamos nos preparar e, no próximo ano, estaremos lá novamente”, reafirmou.

 

Assessoria