Categoria Brasil

porpjbarreto

Deputado Jeová participou de diálogo virtual que debateu Políticas Públicas de Segurança Alimentar na Paraíba

Foi a partir do tema: “Diálogo com Parlamentares: Políticas Públicas de Segurança Alimentar na Paraíba”, que aconteceu uma reunião virtual, na manhã desta sexta-feira (03), com a participação de representantes de ONGs, movimentos sociais e parlamentares paraibanos, entre os quais, o deputado estadual Jeová Campos que preside a Frente Parlamentar da Água e da Agricultura Familiar da ALPB. A reunião coordenada pelo vice-presidente do Consea-PB, Waldir Cordeiro, e que contou ainda com a participação da deputada Cida Ramos, do deputado Chió e da campesina Roselita Vitor, teve o objetivo de firmar compromissos para construção de políticas públicas de Segurança Alimentar que fortaleçam a Agricultura Familiar do Estado da Paraíba.

“Essa pauta precisa ser retomada o quanto antes. A saída do Brasil do Mapa Mundial da Fome da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) foi uma conquista da sociedade brasileira, consequência direta dos esforços dos governos Lula e Dilma e da sociedade civil, ancorada na decisão política de priorizar a soberania e a segurança alimentar e nutricional e o direito humano à alimentação adequada na agenda pública. Assim, o Brasil inovou com políticas públicas universais direcionadas prioritariamente às famílias de baixa renda, contribuindo, assim, para a ampliação do acesso a alimentos e a direitos sociais, conforme comprova a evolução dos indicadores sociais do país nos governos do PT. Contudo, o cenário político e econômico atual já apresenta ameaças e retrocessos sociais concretos, que têm repercussão direta na soberania e segurança alimentar e nutricional no Brasil. Por isso, essa discussão sobre políticas públicas de segurança alimentar é tão urgente, importante e necessária”, reitera Jeová.

O próximo passo agora será solicitar uma audiência com o governador, João Azevedo, o mais breve possível. O deputado Jeová também pediu a sua assessoria parlamentar para agendar, em data oportuna, uma audiência pública, na ALPB, para que se possa ampliar o debate sobre essa temática com os demais deputados. De acordo com o que foi debatido na reunião, o grupo pretende levar ao governador algumas pautas urgentes do setor, tais como, fortalecimento do Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae), a retomada imediata do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), a questão do Programa Emergencial de compra de alimentos da agricultura familiar e ainda o Projeto Cooperar/PB rural sustentável.

 

Assessoria

porpjbarreto

Corrupção passiva/formação de quadrilha ou bando: deputado paraibano costa na lista de parlamentares processados no STF

Mais de cem deputados estão sob investigação da Justiça. Veja a lista

Dos 513 deputados federais do Brasil, pelo menos 107 são alvos de investigação na Justiça. O levantamento exclusivo foi feito pelo Congresso em Foco nas bases de dados do Supremo Tribunal Federal e nos tribunais eleitorais e de Justiça estaduais. A pesquisa leva em conta inquéritos e ações penais e eleitorais que tramitam nessas instâncias.

Veja mais abaixo a relação das investigações que envolvem os deputados

O número de parlamentares alvos de investigação é maior que o registrado em 2019, primeiro ano da atual legislatura, que registrou a maior taxa de renovação desde 1994. No ano passado, o levantamento apontou que ao menos 93 deputados estavam sob investigação.

Apesar do crescimento de 17%, a quantidade de parlamentares às voltas com a Justiça é menor que na legislatura passada. Em 2018, dos 513 deputados federais, 178 estavam envolvidos em inquéritos ou ações penais, o equivalente a 43% da Câmara. Atualmente, 21% da Câmara responde a acusações e investigações judiciais.

> Exclusivo: um em cada três senadores está sob investigação da Justiça. Veja a lista

Antes de publicar esta reportagem, o Congresso em Foco procurou os 107 deputados citados. As respostas dos que retornaram os questionamentos da reportagem estão na relação abaixo. O espaço segue aberto para que os demais se posicionem. No levantamento abaixo estão inquéritos (investigações preliminares que podem resultar em processos) e ações penais (processos que podem acabar em condenação).

O levantamento também inclui processos de 31 deputados que saíram do STF e foram enviados para as instâncias inferiores da Justiça. Qualquer pessoa está sujeita a processo. Responder a inquérito ou ação penal não significa que o parlamentar é culpado. Mesmo quando são condenados, os réus ainda podem recorrer. Muitos recursos, no entanto, são apenas protelatórios ou buscam reduzir a pena para livrar o condenado da cadeia e substituir sua punição pela prestação de serviços.

Em 2004, o Congresso em Foco se tornou o primeiro veículo do país a levantar as pendências criminais dos parlamentares. Dezenas de pesquisas sobre o tema foram feitas desde então pelo site, que passou a monitorar o assunto de forma sistemática. Responder a uma acusação criminal não implica culpa. Todos os investigados têm direito à ampla defesa. Em muitos casos o próprio Ministério Público conclui, ao longo das apurações, que não há elementos que justifiquem a abertura de uma ação penal, processo que pode resultar em condenação.

Veja a lista completa dos deputados sob investigação

Aécio Neves (PSDB-MG)

aecio_neves_psdb_pedro_franca_agencia_senado-5118539

Processos no STF

Inq 4444 – DIREITO PROCESSUAL PENAL | Investigação Penal

Inq 4244 – DIREITO PENAL | Crimes Praticados por Funcionários Públicos Contra a Administração em Geral | Corrupção passiva| Crimes Previstos na Legislação Extravagante | Crimes de “Lavagem” ou Ocultação de Bens, Direitos ou Valores.

Inq 4436 – Investigação penal. Em segredo de Justiça desde 23/04/2020.

O que diz o deputado

O deputado Aécio Neves é parte de um processo que tem como base delações inverídicas de diretores da JBS, que assumiram mais de duas centenas de crimes, e com quem o deputado manteve apenas uma relação privada sem qualquer envolvimento de dinheiro público. Os outros inquéritos tratam de doações de campanha eleitorais, integralmente recebidas pelo partido ou candidatos, quando o deputado era presidente nacional do partido. Não foi apresentada uma única prova de irregularidade cometida pelo deputado. A defesa tem convicção de que a correção dos atos do deputado ficará provada ao final das investigações.

Aguinaldo Ribeiro (PP-PB)

Processos no STF

INQ 4631 DIREITO PENAL | Crimes Praticados por Funcionários Públicos Contra a Administração em Geral | Corrupção passiva| Crimes contra a Paz Pública | Quadrilha ou Bando| Crimes Praticados por Particular Contra a Administração em Geral | Corrupção ativa.

 

 

 

 

Alcides Rodrigues (Patriota-GO)

Processos em outros tribunais

TRF1 11ª VARA GOIÂNIA 0018359-47.2016.4.01.3500 – Falsidade ideológica

 

 

 

 

 

 

Alê Silva (PSL-MG)

Processos no STF

INQ 4828 – Investiga o financiamento de atos antidemocráticos.

 

 

 

 

 

 

Alexandre Frota (PSDB-SP)

Processos em outros tribunais

TJSP 15ª Vara Criminal – Foro Central Criminal Barra Funda 0028774-26.2019.8.26.005

 

 

 

 

 

 

Aline Sleutjes (PSL-PR)

Processos no STF

INQ 4828 – Investiga o financiamento de atos antidemocráticos.

O que diz a deputada

Muito embora todos os gastos realizados pela deputada federal Aline Sleutjes, por meio da cota parlamentar, sejam absolutamente lícitos, documentados e devidamente autorizados pela Câmara dos Deputados, o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, determinou a quebra de sigilo bancário e fiscal da parlamentar, a partir de solicitação formulada pelo Vice-Procurador-Geral da República, no contexto do Inquérito 4.828/STF, que apura atos atentatórios à democracia, dos quais Aline Sleutjes sequer participou, financiou ou apoiou em suas redes sociais e fora delas.

Após análise das investigações, verificou-se que a única menção feita à deputada federal Aline Sleutjes no Inquérito 4.828/STF não é amparada em nenhum indício, mas apenas e tão somente em uma reportagem de internet, que na maior parte de seu conteúdo não se refere sequer às manifestações antidemocráticas.

A fim de restabelecer a legalidade das investigações, a defesa da deputada federal Aline Sleutjes protocolou, na data de hoje (29.6.2020), questão de ordem no Inquérito 4.828/STF, postulando não apenas o reconhecimento da ilegalidade da medida de quebra de sigilo bancário e fiscal da parlamentar, como também o arquivamento das investigações que pesam em seu desfavor, pela absoluta ausência de indícios de que Aline Sleutjes tenha envolvimento nos fatos investigados.

A deputada federal Aline Sleutjes acrescenta que confia no Poder Judiciário e tem certeza de que o Supremo Tribunal Federal irá reavaliar a medida de quebra de seu sigilo bancário e fiscal, reconhecendo a sua manifesta desnecessidade, desproporcionalidade e ilegalidade.

André Janones (Avante-MG)

Processos em outros tribunais

Vara: SERRA – 1ª VARA CRIMINAL 0093643-60.2016.8.13.0342 – PENAL, Crimes Praticados por Particular Contra a Administração em Geral, Desacato

Vara: SERRA – 1ª VARA CRIMINAL 0001339-08.2017.8.13.0342 – PENAL, Contravenções Penais

O que diz o deputado

Tratam-se de processos de contravenção penal em tramitação, o qual figuro como parte, por adentrar em Hospitais públicos, para obrigar os funcionários a prestar serviço de saúde digno aos doentes que ficam horas em recepções aguardando atendimento, e principalmente por chamar os Políticos responsáveis pelo descaso à saúde de bandidos e vagabundos! Tenho muito orgulho de todos esses processos, e os considero como troféus, sendo certo que virão cada dia mais e mais!

Arlindo Chinaglia (PT-SP)

Processos no STF

INQ 4461 DIREITO PROCESSUAL PENAL | Investigação Penal

 

 

 

 

 

 

Arthur Lira (PP-AL)

Processos no STF

INQ 4631 DIREITO PENAL | Crimes Praticados por Funcionários Públicos Contra a Administração em Geral | Corrupção passiva | Crimes contra a Paz Pública | Quadrilha ou Bando | Crimes Praticados por Particular Contra a Administração em Geral | Corrupção ativa.

INQ 3989 DIREITO PENAL | Crimes Previstos na Legislação Extravagante | Crimes de “Lavagem” ou Ocultação de Bens, Direitos ou Valores| Crimes Praticados por Funcionários Públicos Contra a Administração em Geral | Corrupção passiva | Crimes contra a Paz Pública | Quadrilha ou Bando.

INQ 3994 DIREITO PENAL | Crimes Previstos na Legislação Extravagante | Crimes de “Lavagem” ou Ocultação de Bens, Direitos ou Valores| Crimes Praticados por Funcionários Públicos Contra a Administração em Geral | Corrupção passiva.

INQ 3996 DIREITO PENAL | Crimes Praticados por Funcionários Públicos Contra a Administração em Geral | Corrupção passiva | Crimes Previstos na Legislação Extravagante | Crimes de “Lavagem” ou Ocultação de Bens, Direitos ou Valores.

INQ3515 DIREITO PENAL | Crimes Previstos na Legislação Extravagante | Crimes de “Lavagem” ou Ocultação de Bens, Direitos ou Valores| Crimes Praticados por Funcionários Públicos Contra a Administração em Geral | Corrupção passiva.

Processos em outros tribunais

TRF5 111000000094200258 – Crimes praticados por particular contra a Administração em geral – Penal

TJ-AL 0726216-93.2018.8.02.0001 – crimes contra a honra

Arthur Oliveira Maia (DEM-BA)

Processos em outros tribunais

Declinou do STF Justiça Eleitoral da Bahia Nº 0000002-40.2019.6.05.0071 – Crime de falsidade ideológica eleitoral.

 

 

 

 

 

 

Assis Carvalho ( PT-PI)

Processos no STF

INQ 3103 DIREITO PENAL | Crimes contra o Patrimônio | Apropriação indébita Previdenciária.

 

 

 

 

 

 

Átila Lira (PT-PI)

Processos no STF

INQ – 4693 DIREITO ELEITORAL | Eleições | Recursos Financeiros de Campanha Eleitoral |Captação ou Gasto Ilícito de Recursos Financeiros de Campanha Eleitoral

 

 

 

 

 

Bia Kicis (PSL-DF)

Processos no STF

INQ 4781 – Investiga rede de fake news

INQ 4828 – Investiga o financiamento de atos antidemocráticos.

 

 

 

 

 

Boca Aberta (Pros-PR)

Processos em outros tribunais

0046639-28.2014.8.16.0014 no Tribunal de Justiça do Paraná – Calúnia, injúria e difamação

0003348-41.2015.8.16.0014 no Tribunal de Justiça do  Paraná – Calúnia e difamação

0009520-96.2015.8.16.0014 no Tribunal de Justiça do  Paraná – Calúnia

0012527-31.2017.8.16.0013 no Tribunal de Justiça do  Paraná – Injúria e difamação

0027234-64.2018.8.16.0014 no Tribunal de Justiça do  Paraná – Calúnia, injúria e difamação

0039115-09.2016.8.16.0014 no Tribunal de Justiça do  Paraná – Difamação

0044056-02.2016.8.16.0014 no Tribunal de Justiça do  Paraná – Calúnia

0045580-05.2014.8.16.0014 no Tribunal de Justiça do  Paraná – Não informado

0049133-26.2015.8.16.0014 no Tribunal de Justiça do  Paraná -Calúnia

0050432-67.2017.8.16.0014 no Tribunal de Justiça do  Paraná – Fraude processual

0053427-87.2016.8.16.0014 no Tribunal de Justiça do  Paraná – Calúnia, injúria e difamação

0064994-52.2015.8.16.0014 no Tribunal de Justiça do  Paraná – Calúnia

0067893-86.2016.8.16.0014 no Tribunal de Justiça do  Paraná – Difamação

0068713-37.2018.8.16.0014 no Tribunal de Justiça do  Paraná – Calúnia, injúria e difamação

0069140-05.2016.8.16.0014 no Tribunal de Justiça do  Paraná – Calúnia

0071591-03.2016.8.16.0014 no Tribunal de Justiça do  Paraná – Calúnia

0072036-21.2016.8.16.0014 no Tribunal de Justiça do  Paraná – Calúnia e injúria

0084720-41.2017.8.16.0014 no Tribunal de Justiça do  Paraná – Falsificação de documentos públicos

O que diz o deputado

São mais de cem processos, todos processos oriundos de políticos aqui da região prefeitos, ex-prefeitos, vereadores, deputado estadual e federal, políticos da região que se sentem ofendidos com a verdade. São mais de cem processos e eu tenho muito orgulho desses processos. São processos oriundos de político vagabundo, safado e ladrão do nosso dinheiro. Eles recorrem ao judiciário para tentar calar a minha voz, mas não vão me calar. Eu prefiro responder mais de cem processos defendendo o povo do que responder um único processo roubando o dinheiro do povo. Pra mim, é uma honra responder mais de cem processos defendendo o povo. Pra mim, é uma honra que equivale ao troféu Champions League, a liga dos Campeões, porque só mostra que estou no caminho certo, nós conseguimos eleger meu filho deputado estadual e eu deputado federal. Para mim, é uma honra responder esses processos de político sem vergonha que rouba o dinheiro do povo.

Bosco Saraiva (SD-AM)

Processos em outros tribunais

TJ-AM 0231821-67.2011.8.04.0001 – Crimes contra a Ordem Tributária.

 

 

 

 

 

 

Bruna Furlan (PSDB-SP)

Processos em outros tribunais

INQ 4676 declinou do STF para 354ª ZONA ELEITORAL DE CAJAMAR/SP – Crimes eleitorais, crimes contra o sigilo ou o exercício do voto, corrupção eleitoral.

 

 

 

 

 

Cabo Junio Amaral (PSL-MG)

Processos no STF

INQ 4781 – Investiga rede de fake news

INQ 4828 – Investiga o financiamento de atos antidemocráticos.

O que diz o deputado

Nunca, em hipótese alguma, fiz difusão de Fake News, mas, ainda que o tivesse feito, não existe no ordenamento jurídico pátrio o tipo penal específico denominado “Fake News”. Ora, qualquer universitário inepto do curso de direito, que passa os seus dias se embriagando em algum boteco próximo a faculdade, sabe que um dos princípios básicos do direito penal, inclusive previsto no Artigo 1º do Código Penal Brasileiro, é aquele que determina que “não há crime sem lei anterior que o defina, nem há pena sem prévia cominação legal”. Porém essa realidade jurídica totalmente óbvia, acaba tornando-se quase mística, diante dos malabarismos jurídicos feitos pelo Supremo Tribunal Federal, em sua sanha descarada de sistematicamente perseguir todos os parlamentares da base do governo Bolsonaro. Infelizmente, a cara de pau acabou virando hábito de algumas figuras funestas nos altos círculos da República.

Resposta Inq 4828 – Mesmo antes de ser eleito, nunca fui às ruas como alguém contrário a democracia, mas sim como um apoiador de Jair Bolsonaro. Também nunca divulguei ou financiei qualquer manifestação de natureza antidemocrática, inclusive isso é uma fato facilmente comprovado pelas minhas próprias redes sociais. Acontece que o Inquérito 4828 é apenas mais um que o STF move como pretexto para perseguir parlamentares da base do governo. O que eu acredito é que existem ministros, como Alexandre de Moraes, que detestam o fato de serem odiados pelo povo. Por isso tentam calá-lo ao perseguir parlamentares que tem boa visibilidade junto a população, como, graças a Deus, é o meu caso. Agora o que é a democracia afinal, se não a primazia da vontade popular? Infelizmente, para a elite aristocrática brasileira, democracia não é fazer com que a vontade do povo prevaleça, mas sim manter o mero funcionamento das instituições, o estamento burocrático. Falo isso porque eu entendo a indignação do povo brasileiro para com uma corte que tenta quebrar o sigilo telefônico do Presidente, enquanto protege o celular de um advogado que trabalha na defesa de Adélio Bispo, ex-psolista que tentou matá-lo com uma facada. Esse advogado simplesmente afirmou, que é do interesse da pessoa que pagou pelos seus serviços esconder o mandante da tentativa de assassinato contra Jair Bolsonaro. Quanto a parte do direito, o STF está criando uma abominação jurídica. Um tribunal de exceção que investiga, julga e sentencia. Algo assim é um escárnio para com o Estado de Direito, praticado, justamente, pela corte máxima imbuída da missão de ser a guardiã da lei como protetora da Constituição Federal. É o cúmulo do absurdo.

Cacá Leão (PP-BA)

Processos em outros tribunais

Declinou do STF para 16a. ZONA ELEITORAL/BA 0000043-12.2018.6.05.0016 – Falsidade Ideológica eleitoral

 

 

 

 

 

 

Camilo Capiberibe (PSB-AP)

Processos em outros tribunais

TRF1 0001791-21.2018.4.01.3100 – Crimes contra o Sistema Financeiro Nacional.

 

 

 

 

 

 

Capitão Alberto Neto (Republicanos-AM)

Processos em outros tribunais

TJ-AM 0650560-42.2019.8.04.0001 – Crimes Militares

O que diz o deputado

Em resposta, a assessoria do deputado encaminhou um parecer o Ministério Público do Estado do Amazonas afirmando que “são autos oriundos de Sindicância Regular, com base em denúncias de possíveis crimes de extorsão cometidos pelos policiais indiciados, em 01 de dezembro de 2017”.

“Ocorre que as informações constantes dos autos não se revelam  suficientes a sustentar uma peça acusatória. Assim, diante da necessidade de  mais embasamento dos fatos e, consequentemente, melhor instrução do feito, requeremos sejam os presentes autos encaminhados à DJD da Polícia Militar  para que sejam juntados aos presentes autos o respectivo IPM referente aos  fatos ou, caso este não exista, pugnando pela sua imediata instauração e posterior juntada aos presentes”, diz o parecer.

Carla Zambelli (PSL-SP)

Processos no STF

INQ 4781 – Investiga rede de fake news

INQ 4828 – Investiga o financiamento de atos antidemocráticos.

O que diz a deputada

A assessoria da deputada optou por enviar vídeos com comentários sobre as investigações. Seguem os links:

Fake News

Atos Antidemocráticos 

 

Carlos Bezerra (MDB-TO)

Processos no STF

Inq 4806 DIREITO PENAL | Crimes Praticados por Funcionários Públicos Contra a Administração em Geral | Corrupção passiva | Crimes Praticados por Particular Contra a Administração em Geral | Corrupção ativa

Inq 4639 DIREITO PENAL | Crimes Previstos na Legislação Extravagante | Crimes da Lei de licitações

 

 

 

Carlos Henrique Gaguim (DEM-TO)

Processos no STF

INQ 3611 – Peculato, falsidade ideológica e corrupção passiva

 

 

 

 

 

 

Carlos Zarattini (PT-SP)

Processos no STF

INQ 4430 – DIREITO PROCESSUAL PENAL | Investigação Penal

 

 

 

 

 

 

Caroline de Toni (PSL-SC)

Processos no STF

INQ 4828 – Investiga o financiamento de atos antidemocráticos.

 

 

 

 

 

 

Cássio Andrade (PSB-PA)

Processos em outros tribunais

TRF 0046528-34.2017.4.01.0000 DIREITO PENAL, Crimes Praticados por Funcionários Públicos Contra a Administração em Geral, Peculato. Crimes Previstos na Legislação Extravagante, Crimes da Lei de licitações. Crimes Praticados por Particular Contra a Administração em Geral, Corrupção ativa. Crimes Praticados por Funcionários Públicos Contra a Administração em Geral, Corrupção passiva.

 

 

 

Célio Silveira (PSDB-GO)

Processos em outros tribunais

Inq 4613, enviado pelo STF para a Vara Federal de Luziânia (GO).

Inq 4370, enviado pelo STF para a Vara Criminal da Comarca de Goiânia.

 

 

 

 

 

Celso Russomanno (Republicanos – SP)

Processos em outros tribunais

Inq 4422, enviado pelo STF para o Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo

 

 

 

 

 

 

Celso Sabino (PSDB-PA)

Processos em outros tribunais

0000043-71.2019.6.14.0098 – AÇÃO PENAL Crimes Eleitorais – Crimes contra o Sigilo ou o Exercício do Voto – Arregimentação de Eleitor ou Boca de Urna

0000043-71.2019.6.14.0098 – AÇÃO PENAL Crimes Eleitorais – Crimes contra o Sigilo ou o Exercício do Voto – Arregimentação de Eleitor ou Boca de Urna

 

 

 

Charles Fernandes (PSD-BA)

Processos em outros tribunais

TJBA Justiça da Bahia 1º Grau 0500051-05.2019.8.05.0088 – Crimes de Responsabilidade.

TJBA 1ª Vara Criminal – Guanambi 0503076-94.2017.8.05.0088 – Crimes da Lei de licitações.

TJBA 1ª Vara Criminal – Guanambi 0501930-18.2017.8.05.0088 – Crimes de Responsabilidade.

TJBA 1ª Vara Criminal – Guanambi 0300596-30.2017.8.05.0088 – Crimes de Responsabilidade.

TJBA 1ª Vara Criminal – Guanambi 0500364-34.2017.8.05.0088

Christino Aureo (PP-RJ)

Processos em outros tribunais

TJRJ 0016879-19.2019.8.19.0000 – Peculato / Crimes Praticados por Funcionários Públicos Contra a Administração em Geral / Crime Continuado / Aplicação da Pena / Parte Geral /Concussão / Crimes Praticados por Funcionários Públicos Contra a Administração em Geral.

TJRJ 0021531-50.2017.8.19.0000 Peculato / Crimes Praticados por Funcionários Públicos Contra a Administração em Geral / Concussão / Crimes Praticados por Funcionários Públicos Contra a Administração em Geral /Concurso de Pessoas / Aplicação da Pena / Parte Geral / Crime Continuado / Aplicação da Pena / Parte Geral /

O que diz o deputado

Referidos processos constituem uma única ação. Que por sua vez se origina de outra,  de natureza cível. Julgada pelo Tribunal de Justiça do RJ, decidiu-se pelo não acatamento da denúncia (ARQUIVAMENTO por improcedência), visto que trata de  fatos inexistentes. Baseado em denúncia anônima, a partir da distorção de situações sem qualquer irregularidade, a acusação tinha finalidade nitidamente caluniosa, com objetivos eleitorais.

A ação penal dela decorrente terá o mesmo fim : o arquivamento ou a absolvição.

Christino Aureo, tem uma vida profissional de mais de 40 anos, sendo 20 dedicados a vida publica, sem qualquer fato que possa manchar sua integridade.

 

Clarissa Garotinho (Pros-RJ)

Processos em outros tribunais

INQ 4672 – Crime praticado por particular contra administração em geral e desacato – Declinou para o Tribunal Regional Federal da 2ª região.

 

 

 

 

 

Cleber Verde (Republicanos-MA) 

 Processos no STF

INQ 2572 – DIREITO PENAL | Crimes Praticados por Funcionários Públicos Contra a Administração em Geral | Inserção de dados falsos em sistema de informações.

 

 

 

 

 

Cristiano Vale (PL-PA)

Processos em outros tribunais

TRF1 – 4ª VARA BELÉM 0000212-17.2019.4.01.3904 – Falsidade ideológica.

TRF1 -3ª VARA BELÉM 0019837-25.2014.4.01.3900 – Crimes de Responsabilidade.

 

 

 

 

Dagoberto Nogueira (PDT-MS)

Processos em outros tribunais

TRF3 3a Vara / MS – Campo Grande 0000619-74.2005.4.03.6000 – Não especifica.

 

 

 

 

 

 

Daniel Almeida (PCdoB-BA)

Processos em outros tribunais

INQ 4390 – DIREITO PROCESSUAL PENAL | Investigação Penal – Declinou competência para TRE-BA.

 

 

 

 

 

 

Daniel Silveira PSL -RJ

Processos no STF

INQ 4781 – Investiga rede de fake news

INQ 4828 – Investiga o financiamento de atos antidemocráticos

 

 

 

 

 

Danrlei De Deus Hinterholz (PSD-RS)

Processos no STF

INQ – 4809 DIREITO PENAL | Crimes Praticados por Funcionários Públicos Contra a Administração em Geral | Peculato

O que diz o deputado

A defesa do Deputado Federal DANRLEI DE DEUS HINTERHOLTZ, esclarece que os fatos inseridas no procedimento em comento já estão sendo devidamente esclarecidas, e, nas palavras do próprio Ministério Público, “não foram identificadas irregularidades” até o momento. Assim, após a elucidação dos fatos, o destino do inquérito será certamente o arquivamento.

 

Delegado Éder Mauro (PSD-PA)

 Processos no STF

AP 1021 DIREITO PENAL | Crimes contra a Honra | Difamação

AP 989 DIREITO PENAL | Crimes contra a Fé Pública | Falsidade ideológica| Crimes Previstos na Legislação Extravagante | Crimes de Tortura (declinou para TJPA)

Inq 4313 DIREITO PENAL | Lesão Corporal| Crimes Previstos na Legislação Extravagante | Crimes de Tortura

Processos em outros tribunais

TJPA VARA DO TRIBUNAL DO JURI DE ANANINDEUA 0000378-88.2011.8.14.0200 – Homicídio

TJPA 4ª VARA CRIMINAL DE BELEM 0018483-54.2009.8.14.0401  – Crimes de Tortura

Inq 4313 declinou para TJPA

Dimas Fabiano (PP-MG)

Processos em outros tribunais

INQ 4423 – DIREITO PROCESSUAL PENAL | Investigação Penal – Declinou competência para TRE MG.

 

 

 

 

 

 

Dulce Miranda (MDB-TO)

Processos em outros tribunais

INQ 4662 – DIREITO PENAL | Crimes Praticados por Funcionários Públicos Contra a Administração em Geral | Corrupção passiva| Crimes Praticados por Funcionários Públicos Contra a Administração em Geral |”Lavagem” ou Ocultação de Bens, Direitos ou Valores Oriundos de Corrupção| Crimes Praticados por Particular Contra a Administração em Geral | Corrupção ativa| Crimes Eleitorais | Crimes contra a Fé Pública Eleitoral |Falsidade Ideológica – Declinou para TRE-TO.

 

 

Edio Lopes (PL-RR)

Processos no STF

AP 940 – DIREITO PENAL | Crimes Previstos na Legislação Extravagante | Crimes Eleitorais

 

 

 

 

 

 

Eduardo Bolsonaro

Processos em outros tribunais

Pet 7178 – DIREITO PROCESSUAL PENAL | Investigação Penal. Declinou para VARAS CRIMINAIS DA CIRCUNSCRIÇÃO ESPECIAL JUDICIÁRIA DE BRASÍLIA/DF.

 

 

 

 

 

Eduardo da Fonte (PP-PE)

Processos no STF

Inq 4720 – DIREITO PROCESSUAL PENAL | Investigação Penal

Inq 1032 DIREITO PENAL | Crimes Previstos na Legislação Extravagante | Crimes de “Lavagem” ou Ocultação de Bens, Direitos ou Valores | Crimes Praticados por Funcionários Públicos Contra a Administração em Geral | Corrupção passiva

Inq 3998      DIREITO PENAL | Crimes Praticados por Funcionários Públicos Contra a Administração em Geral | Corrupção passiva | Crimes Previstos na Legislação Extravagante | Crimes de “Lavagem” ou Ocultação de Bens, Direitos ou Valores

Inq 4631 DIREITO PENAL | Crimes Praticados por Funcionários Públicos Contra a Administração em Geral | Corrupção passiva| Crimes contra a Paz Pública | Quadrilha ou Bando| Crimes Praticados por Particular Contra a Administração em Geral | Corrupção ativa.

Eli Corrêa Filho (DEM -SP)

Processos em outros tribunais

Inq 4363, enviado pelo STF para o Tribunal de Justiça do Distrito Federal – Não informado.

O que diz o deputado

Inquérito 4363 – estava em tramitação no STF – tem como objetivo apurar a prática de propaganda eleitoral irregular – propaganda eleitoral nas redes sociais. Em 2016 fui candidato a prefeito de Guarulhos/SP e um dos meus adversários ingressou com representação eleitoral (sem fundamentação), alegando a “prática” de crime eleitoral.

 

Erika Kokay (PT-DF)

Processos no STF

INQ 3129 no STF – Corrupção, quadrilha e lavagem de dinheiro.

Processos em outros tribunais

Inq 3098 no STF, enviado para o Tribunal de Justiça do Distrito Federal – Crime contra a ordem tributária.

 

 

 

 

Fábio Ramalho (MDB-MG)

Processos no STF

Inq 3692 – Investigação Penal

O que diz o deputado

Com relação ao processo, o Deputado Fábio Ramalho informou que ainda é uma investigação. Ele já prestou todos os esclarecimentos às autoridades e confia na decisão da justiça.

 

 

 

Fernando Coelho Filho (DEM-PE)

Processos no STF

INQ 4513 DIREITO PROCESSUAL PENAL | Investigação Penal

 

 

 

 

 

 

Filipe Barros 

Processos no STF

INQ 4781 – Fake news

Processos em outros tribunais

0058027-20.2017.8.16.0014 – Crimes de Calúnia, Injúria e Difamação de Competência do Juiz Singular.

TJPR 0079928-78.2016.8.16.0014 – Crimes Resultante de Preconceito de Raça ou de Cor.

O que diz o deputado

Esses processos são frutos do ativismo judicial e tentativas de intimidação por parte da militância esquerdista, que me persegue desde o início do meu mandato como vereador, em Londrina. Os processos têm o único objetivo de promover o assassinato de reputação, com o objetivo de calar quem pensa diferente. Conforme as ações têm sido revertidas, estou me socorrendo da Justiça e processando os autores por litigância de má-fé. Já obtive, inclusive, algumas vitórias. Certamente, se concordasse com as práticas da esquerda brasileira, estaria recebendo aplausos e não processos.

Flordelis (PSD-RJ)

INQUÉRITO POLICIAL (AINDA NÃO DISPONÍVEL PARA CONSULTA NA 3ª VARA CRIMINAL DE NITEROI (RJ) Suspeita de participação no assassinato do marido, pastor Anderson do Carmo. A polícia apura se o assassinato do pastor Anderson do Carmo, marido da deputada Federal Flordelis, teve mais de uma motivação, além de questões familiares.

 

 

 

 

General Girão (PSL-RN)

Processos no STF

INQ 4828 – Investiga o financiamento de atos antidemocráticos.

O que diz o deputado

A Assessoria de Comunicação informa que, por intermédio da imprensa, o Deputado Federal General Girão (PSL/RN) tomou
conhecimento que está sendo investigado em inquérito promovido
por determinação do Ministro Alexandre de Moraes, do Supremo
Tribunal Federal. Ainda pela imprensa, soube que está sendo
acusado de financiar “manifestações antidemocráticas”, por
intermédio de uma empresa de comunicação.

Sobre esse assunto, afirmamos que:

• todas as contratações foram realizadas em absoluto respeito às leis e à ética que sempre marcaram a vida do General Girão;

• a empresa em tela presta serviços relacionados à logomarca “General Girão”, à elaboração e manutenção do site www.generalgirao.com.br e à elaboração de relatórios diários de notícias (clipping analítico);• todas as informações relativas a essa e outras contratações estão disponíveis para qualquer pessoa, no site da Câmara dos Deputados;

• o Deputado General Girão não financiou nenhuma manifestação, muito menos “antidemocrática”;
• em vídeo amplamente divulgado nas mídias sociais, o empresário contratado pelo Gabinete afirma que tampouco financiou quaisquer manifestações;

• o Deputado General Girão não concorda e nunca se manifestou a favor do fechamento do STF ou de eventual quebra da normalidade democrática;

• o Deputado General Girão participou, sim, de inúmeras manifestações absolutamente democráticas, ordeiras, pacíficas e legais, pedindo que seja respeitada a Constituição Federal, em especial no que se refere à harmonia e à independência entre os Poderes da República.

Esse inquérito e essas insinuações do STF configuram ato de arbitrariedade e totalitarismo — inconcebível e incompatível com o Estado Democrático de Direito — que agride frontalmente o art. 53
da Constituição Federal: “os Deputados e Senadores são invioláveis, civil e penalmente, por quaisquer de suas opiniões, palavras e votos”.

O Deputado requereu ao Presidente da Câmara dos Deputados, no dia 17 de junho passado, um posicionamento a respeito dessa agressão ao Poder Legislativo, mas até o momento não obteve resposta.

Há dois dias foi requerido acesso aos autos do citado inquérito contra a “Liberdade de Expressão”, mas ainda não tivemos resposta.

Finalmente, a Deputado reafirma que tem a sua vida pautada pela Lei e pela Ética e que não recuará nenhum passo em defesa da Liberdade de Expressão, da Liberdade de Imprensa e da Democracia.

Geninho Zuliani (DEM-SP)

Processos em outros tribunais

TJSP Vara Criminal – Foro de Olímpia 1003902-78.2018.8.26.0400 – Crimes da Lei de licitações.

 

 

 

 

 

 

Gil Cutrim (PDT-MA)

Processos em outros tribunais

TJMA 272-68.2017.8.10.0058 – Crime de responsabilidade

TJMA 536-85.2017.8.10.0058 – Crimes contra o meio ambiente PROCESSO CRIMINAL | Processo Comum | Ação Penal – Procedimento Ordinário

Comarca: SAO JOSE DE RIBAMAR 764-60.2017.8.10.0058 – Criminal – Competência Genérica PROCESSO CRIMINAL | Processo Comum | Ação Penal – Procedimento Ordinário

Comarca: SAO JOSE DE RIBAMAR 129-45.2018.8.10.0058 – Peculato ; Dano Qualificado ; Crimes da Lei de licitações ; Prevaricação ; Quadrilha ou Bando

Comarca: SAO JOSE DE RIBAMAR 404-57.2019.8.10.0058 – Crime de Responsabilidade

O que diz o deputado

Em resposta à solicitação feita sobre as investigações judiciais que envolvem deputados federais, cabe ressaltar que responder a uma acusação criminal não implica culpa, haja vista que os processos ainda não tiveram a decisão final. O Deputado Gil Cutrim reconhece a existência de processos judiciais contra ele, oriundos do período em que foi Prefeito do município de São José de Ribamar/MA. Infelizmente, a oposição política muitas vezes não encontra outro meio para manchar a imagem do candidato eleito, que não seja alegando falsos crimes à justiça. Gil Cutrim tem a certeza que, no decorrer do andamento do processo, ele terá a oportunidade de provar sua inocência dos fatos alegados e serão arquivados por ausência de elementos que justifiquem a abertura de processo judicial. Sem mais para o momento, nos colocamos a disposição para maiores esclarecimentos.

Gleisi Hoffmann (PT-PR)

Processos no STF

INQ 4325 – DIREITO PENAL | Crimes Praticados por Funcionários Públicos Contra a Administração em Geral | Corrupção passiva| Crimes Previstos na Legislação Extravagante | Crimes de “Lavagem” ou Ocultação de Bens, Direitos ou Valores| Crimes contra a Paz Pública | Quadrilha ou Bando.

O que diz a deputada

A respeito do INQ 4325 no STF, a defesa da Deputada Federal Gleisi Hoffmann (PT-PR) mantém-se confiante em sua absolvição sumária no bojo do Inquérito 4325, a exemplo do que entenderam o Ministério Público Federal e o d. Juízo da 12ª Vara Federal de Brasília no âmbito da Ação Criminal nº 1026137-89.2018.4.01.3400, oportunidade em que se  compreendeu que “a denúncia apresentada, em verdade, traduz tentativa de criminalizar a atividade política”.

Guiga Peixoto (PSL-SP)

Processos no STF

INQ 4828 – Investiga o financiamento de atos antidemocráticos.

 

 

 

 

 

 

Gutemberg Reis (MDB-RJ)

Processos em outros tribunais

TRF2 – 0006516-98.2004.4.02.5110 – Crimes contra o meio ambiente e crime contra a administração ambiental.

 

 

 

 

 

 

Helder Salomão (PT- ES)

Processos em outros tribunais

Crime contra a fé pública e praticado por funcionário público contra a administração em geral – Declinou para 1ª Vara Criminal da Comarca de Cariacica.

 

 

 

 

 

Hercílio Coelho Diniz (MDB-MG)

Processos em outros tribunais

TJ-MG 2ª VARA CRIMINAL 0002233-84.2015.8.13.0105 – PENAL, Crimes Previstos na Legislação Extravagante, Crimes contra o Meio Ambiente e o Patrimônio Genético, Crimes contra a Flora.

O que diz o deputado

No inquérito em questão, o motivo para que o Deputado seja investigado é que o mesmo é proprietário de uma área rural localizada na região do Pico da Ibituruna, na cidade de Governador Valadares/MG, que é constantemente invadida por ciclistas e motociclistas, que realizam esportes radiciais no local. Por diversas vezes, os cadeados colocados nas porteiras do imóvel foram arrebentados, ocorrendo a invasão de praticantes de trilha. É importante informar que já foi solicitado pelo Delegado o arquivamento do inquérito em questão.

Igor Kannário (DEM-BA)

Processos em outros tribunais

TJBA 2ª Vara Criminal – Feira de Santana 0300557-23.2018.8.05.0080 – Injúria

TJBA 8ª Vara Criminal – Salvador 0303667-39.2019.8.05.0001 – calúnia

TJBA 5ª Vara Criminal – Salvador 0566321-20.2015.8.05.0001 – Crimes de Calúnia, Injúria e Difamação de Competência do Juiz Singular.

 

 

Jerônimo Goergen (PP-RS)

Processos no STF

INQ 4631 DIREITO PENAL | Crimes Praticados por Funcionários Públicos Contra a Administração em Geral | Corrupção passiva | Crimes contra a Paz Pública | Quadrilha ou Bando | Crimes Praticados por Particular Contra a Administração em Geral | Corrupção ativa.

 

 

 

 

João Carlos Bacelar (PL-BA)

Processos no STF

Inq 4430 – DIREITO PROCESSUAL PENAL | Investigação Penal

Inq 4450 DIREITO PROCESSUAL PENAL | Investigação Penal

Inq 3701  DIREITO PENAL | Crimes contra a Fé Pública | Falsidade ideológica Crimes Praticados por Funcionários Públicos Contra a Administração em Geral | Peculato

Inq 3704 DIREITO PENAL | Crimes Praticados por Funcionários Públicos Contra a Administração em Geral | Peculato.

 

 

João Daniel (PT-SE)

Processos em outros tribunais

Ação Penal – assunto não informado – 2ª Vara Criminal de Aracaju 0027699-63.2018.8.25.0001.

O que diz o deputado

Sobre este assunto do processo das subvenções da Assembleia Legislativa de Sergipe, esclarecemos que esse processo em questão é um desdobramento do processo que no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) já foi arquivado. Sempre deixamos claro que nunca fomos, nem somos e ninguém nunca vai provar que estivemos envolvido em alguma irregularidade, porque não há provas de nenhum envolvimento nosso. Fizemos a destinação das verbas com a maior legalidade e lisura. Portanto, sempre respondemos à imprensa e à Justiça.

Como a destinação das subvenções ocorreu antes do nosso mandato federal, o processo voltou para a esfera estadual e, também, acreditamos que, por falta de provas, este processo também será arquivado. Lamentamos, profundamente, que no nosso caso é perda de tempo daqueles que recorrem nesse processo, novamente, para tentar criminalizar aquilo que não houve, não há e nunca será provado, se o processo correr sem perseguição política. Estamos tranquilos e confiantes de que este processo também será arquivado.

José Nelto (Podemos – GO)

Processos em outros tribunais

TJ-GO Serventia Porangatu – Juizado Especial Criminal 5474800.85.2018.8.09.0131 – Não especifica.

 

 

 

 

 

 

José Priante (MDB-PA)

Processos no STF

Inq 4806 DIREITO PENAL | Crimes Praticados por Funcionários Públicos Contra a Administração em Geral | Corrupção passiva | Crimes Praticados por Particular Contra a Administração em Geral | Corrupção ativa.

 

 

 

 

 

Juarez Costa (MDB-MT)

Processos em outros tribunais

Segunda Vara Criminal de Sinop 1132-40.2018.811.0015 – Não Especifica

Comarca: Sinop Lotação: Primeira Vara Criminal 5629-63.2019.811.0015 – Ação Penal – Procedimento Ordinário- Procedimento Comum- PROCESSO CRIMINAL

Comarca: Sinop Lotação: Primeira Vara Criminal – 14667-36.2018.811.0015  – Ação Penal – Procedimento Ordinário – Procedimento Comum – PROCESSO CRIMINAL.

 

Julian Lemos (PSL-PB)

Processos em outros tribunais

TJPB JUIZADO ESPECIAL DE CABEDELO 0000234-70.2016.8.15.0731 – Medidas Protetivas de urgência (Lei Maria da Penha)Assunto principal:Violência Doméstica

TJPB 1a. VARA DE CABEDELO 0003857-45.2016.8.15.0731 – Ameaça, Violência Doméstica Contra a Mulher.

 

 

 

 

Junior Lourenço (PL-MA)

Processos em outros tribunais

Comarca de Ituiutaba, 1ª Vara Crime 1426-54.2017.8.10.0048 – PROCESSO CRIMINAL | Procedimentos Investigatórios | Procedimento Investigatório Criminal (PIC-MP)

Comarca de Ituiutaba, 1ª Vara Crime 779-25.2018.8.10.0048 – Crimes da Lei de licitações

 

 

 

 

Júnior Mano (PL-CE)

Processos em outros tribunais

TJ-CE Vara Única da Comarca de Iraucuba – Iraucuba 0000326-64.2014.8.06.0215 – Crimes da Lei de licitações.

 

 

 

 

 

 

 

Lídice Da Mata (PSB-BA)

Processos em outros tribunais

Inq 4396, enviado pelo STF para o Tribunal Regional Eleitoral do Estado da Bahia – Não informado.

O que diz a deputada

A Assessoria Parlamentar da Deputada Federal Lídice da Mata (PSB-BA) informa que em 4 de agosto de 2017, o Ministro Edson Fachin, relator no Supremo Tribunal Federal (STF) dos inquéritos e ações penais originadas a partir da Operação denominada Lava Jato, em concordância com manifestação da Procuradoria-Geral da República (PGR), acatou pedido de redistribuição do inquérito 4396. À época, o despacho do Ministério Público, assinado pelo então Procurador Geral da República Rodrigo Janot, informava que: “OS FATOS AQUI APURADOS NÃO GUARDAM, EM PRINCÍPIO, NENHUMA RELAÇÃO DE CONEXÃO COM OS CASOS DE CORRUPÇÃO, PECULATO E LAVAGEM DE DINHEIRO INVESTIGADOS NO ÂMBITO DA CHAMADA OPERAÇÃO LAVA JATO” (fls. 54/57). A matéria foi encaminhada ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) da Bahia em junho de 2018. Desde então, a ex-senadora e hoje deputada federal Lídice da Mata continua no aguardo dos desdobramentos do processo, confiante no seu pleno esclarecimento.

Lucio Mosquini (MDB-RO)

Processos em outros tribunais

DIREITO PENAL | Crimes Previstos na Legislação Extravagante | Crimes da Lei de licitações – Declinou paro TJRO.

 

 

 

 

 

 

Luis Miranda (DEM-DF)

Processos em outros tribunais

TJDFT 2° GRAU 0752243-93.2019.8.07.0016 – DIREITO PENAL – Crimes contra a Honra – Calúnia DIREITO PENAL – Crimes contra a Honra – Difamação DIREITO PENAL – Crimes contra a Honra – Injúria

O que diz o deputado

A ação movida contra o parlamentar tem como autor seu segundo suplente e é baseada em entrevista concedida por Luis Miranda. Já analisado pela justiça, o processo foi sentenciado pela inexistência de fundamentos na argumentação e julgado improcedente. Na ocasião, o deputado relatou fatos que foram objetos de denúncia e investigação pela polícia civil, o qual envolve a citação do suplente parlamentar pelo denunciado, quando da tentativa de extorsão ao deputado, como envolvido direto em atividades que tinham por objetivo prejudicar a imagem do titular do mandato. Luis Miranda aguarda a alteração da competência para julgamento final reiterando sua confiança no Estado democrático.

Luiz Philippe de Orléans e Bragança (PSL-SP)

Processos no STF

INQ 4781 – Investiga a existência de uma rede de disseminação de fake news.

 

 

 

 

 

 

Luis Tibé (Avante-MG)

Processos no STF

Inq 3744 DIREITO PENAL | Crimes Praticados por Funcionários Públicos Contra a Administração em Geral | Concussão| Crimes Praticados por Funcionários Públicos Contra a Administração em Geral | Peculato.

Processos em outros tribunais

Inq 3500 DIREITO PENAL | Crimes Previstos na Legislação Extravagante | Crimes Eleitorais | Falsificação de documento público para fins eleitorais – Declinou para TRE-MG.

 

Luizianne Lins (PT-CE)

Processos em outros tribunais

Inq 4730 declinou para 4ª VARA CRIMINAL DA COMARCA DE FORTALEZA/CE FÓRUM CLÓVIS BEVILÁQUA

Inq 4206 declinou para 11ª VARA CRIMINAL DA COMARCA DE FORTALEZA/CE FÓRUM CLÓVIS BEVILÁQUA

TJCE 7ª Vara Criminal (SEJUD 1º Grau) – Fortaleza – Fórum Clóvis Beviláqua 0036620-15.2013.8.06.0001 – Crimes contra o Patrimônio

TJCE 10ª Vara Criminal (SEJUD 1º Grau) – Fortaleza – Fórum Clóvis Beviláqua 0001061-82.2013.8.06.0005 – Outras Fraudes

TJCE 8ª Vara Criminal (SEJUD 1º Grau) – Fortaleza – Fórum Clóvis Beviláqua 0061316-18.2013.8.06.0001 – Crimes de Responsabilidade

Magda Mofatto (PL-GO)

Processos em outros tribunais

Inq 4709 DIREITO ELEITORAL | Crimes Eleitorais | Crimes contra a Fé Pública Eleitoral |Falsificação ou Alteração de Documento Público para Fins Eleitorais| Crimes Eleitorais | Crimes contra a Fé Pública Eleitoral |Falsidade Ideológica – declinou para TRE GO

Inq 4708 DIREITO ELEITORAL | Crimes Eleitorais | Crimes contra a Fé Pública Eleitoral |Falsidade Ideológica – declinou para TRE GO

Inq 4368 DIREITO ELEITORAL | Crimes Eleitorais | Crimes contra a Fé Pública Eleitoral |Falsidade Ideológica| Crimes Eleitorais | Crimes contra a Fé Pública Eleitoral |Uso de Documento Falso para Fins Eleitorais | Eleições | Candidatos |Prestação de Contas – De Candidato – declinou para TRE GO

3A VARA CRIMINAL 336785-40.2007.8.09.0025 – IMPEDIR OU DIFICULTAR A REGENERACAO NATURAL DE FLORA

Marcos Pereira (Republicanos-SP)

Processos em outros tribunais

Inq 4432 – Crime de licitação – Declinou para o TRF 3.

 

 

 

 

 

 

Mário Negromonte Jr. (PP-BA)

Processos em outros tribunais

Inq 4394 – STF declinou competência para TRE-BA

 

 

 

 

 

 

Marlon Santos (PDT-RS)

Processos em outros tribunais

TJRS 0458096-50.2011.8.21.7000 – Ação Penal.

 

 

 

 

 

 

Neri Geller (PP-MT)

Processos em outros tribunais

Inq 4808 DIREITO ELEITORAL | Crimes Eleitorais | Crimes contra o Sigilo ou o Exercício do Voto |Corrupção Eleitoral| Crimes Previstos na Legislação Extravagante | Crimes do Sistema Nacional de Armas – Declinou para o TRE-MT

TRF1 0024545-42.2018.4.01.0000 – Lavagem; ou Ocultação de Bens, Direitos ou Valores Oriundos de Corrupção.

 

 

 

Norma Ayub (DEM-ES)

Processos em outros tribunais

TJ-ES ITAPEMIRIM – 1ª VARA CRIMINAL 0001287-57.2019.8.08.0026 – Crimes contra a honra.

 

 

 

 

 

 

Odair Cunha (PT-MG)

Processos em outros tribunais

INQ 4619 – Não informado – Declinou para o Tribunal de Justiça do Distrito Federal.

 

 

 

 

 

 

Otoni de Paula (PSC-RJ)

Processos no STF

INQ 4828 – Investiga o financiamento de atos antidemocráticos.

 

 

 

 

 

 

Paulo Marinho Jr (PL-MA)

Processos em outros tribunais

DIREITO PENAL | Crimes Previstos na Legislação Extravagante | Crimes Eleitorais – Declinou competência para  5ª ZONA ELEITORAL DO ESTADO DO MARANHÃO.

 

 

 

 

 

Paulo Pereira Da Silva (SD-SP)

Processos no STF

Inq 4735 – DIREITO PROCESSUAL PENAL | Investigação Penal

Inq 4387 DIREITO PROCESSUAL PENAL | Investigação Penal

AP 965 DIREITO PENAL | Crimes Previstos na Legislação Extravagante | Crimes contra o Sistema Financeiro Nacional.

 

 

 

 

Paulo Pimenta (PT-RS)

Processos em outros tribunais

INQ 3499 – Lavagem de dinheiro. Declinou para a 1ª Vara Criminal de Uruguaiana.

 

 

 

 

 

 

Pedro Paulo (DEM-RJ)

Processos no STF

INQ 4435 – DIREITO PROCESSUAL PENAL | Investigação Penal.

 

 

 

 

 

 

Pedro Uczai (PT-SC)

Processos em outros tribunais

INQ 3262 – DIREITO PENAL | Crimes Previstos na Legislação Extravagante | Crimes da Lei de licitações – declinou para TJ-SC.

 

 

 

 

 

 

Professor Alcides (PP-GO)

Processos em outros tribunais

TRF1 5ª VARA GOIÂNIA 0001175-37.2014.4.01.3504 – Apropriação indébita Previdenciária.

 

 

 

 

 

 

Professora Dorinha Seabra Rezende (DEM-TO)

Processos em outros tribunais

INQ 3789 DIREITO PENAL | Crimes Previstos na Legislação Extravagante | Crimes da Lei de licitações- Processos remetidos à SEÇÃO JUDICIÁRIA DO TOCANTINS

O que diz a deputada

Em relação ao Inquérito nº 3789, atual Processo nº 0028990-08.2018.8.27.2729, em trâmite perante o Juízo da Terceira Vara Criminal de Palmas, embora instaurado em 2013, inicialmente no Supremo Tribunal Federal, até o presente momento não há denúncia contra a deputada Maria Auxiliadora Seabra Rezende, o que já se vislumbra a prescrição. O Inquérito foi instaurado para apurar supostas irregularidades na realização da Feira do Livro, sendo certo, todavia, que, ao final, a exemplo dos demais casos, será evidenciada a absoluta regularidade dos atos investigados e a total inocência.

Professora Rosa Neide (PT-MT)

Processos em outros tribunais

Sétima Vara Criminal 28890-10.2018.811.0042- FRAUDE À LICITAÇÃO

O que diz a deputada

Ao consultar o número encaminhado no site do TJMT, verificamos que não se trata de um processo, mas de um ofício referente a um inquérito policial do ano de 2018 que sequer teve movimentação nos últimos dois anos. Como se trata de um procedimento físico e por não haver qualquer tipo de acusação formal até o momento, somado ao fato do prédio do fórum estar fechado em razão da pandemia estamos impossibilitados de consultar o inquérito para saber do que se trata e fornecer maiores informações.

Rejane Dias (PT-PI)

Processos em outros tribunais

Inq 4604 – Crime de licitação. Declinou para o TJ-PI.

 

 

 

 

 

 

Ricardo Barros (PP-PR)

Processos em outros tribunais

Inq 4157 – Peculato, corrupção passiva e crime de licitação. Declinou para a 2ª Vara Criminal da Comarca de Maringá-PR.

O que diz o deputado

O inquérito 4157 teve origem em gravação telefônica considerada ilegal nas primeira instância, cujo conteúdo foi deturpado e tirado fora de contexto. Não houve irregularidade na conduta, conforme provado pelos documentos e pelas testemunhas ouvidas durante a apuração. Mesmo já estando prescrito, o fato gerou ação de improbidade. Aguardamos a decisão de arquivamento.

 

Ricardo Teobaldo (Podemos-PE)

Processos em outros tribunais

INQ 4373 – DIREITO PENAL | Crimes Praticados por Funcionários Públicos Contra a Administração em Geral | Emprego irregular de verbas ou rendas públicas DIREITO PENAL | Crimes Previstos na Legislação Extravagante | Crimes da Lei de licitações. Declinou para a vara de Orobó-PE.

TJPE Vara Criminal da Comarca de Limoeiro 0000396-21.2019.8.17.0920 – Não especifica

TJPE Vara Criminal da Comarca de Limoeiro 0001135-28.2018.8.17.0920 – Ação Penal.

 

Robério Monteiro (PDT-CE)

Processos em outros tribunais

TJCE Vara Única da Comarca de Itarema – Itarema 0004397-54.2014.8.06.0104 – Fuga de pessoa presa ou submetida a medida de segurança.

TJCE Vara Única da Comarca de Itarema – Itarema 0004229-86.2013.8.06.0104 – Crimes da Lei de licitações.

 

 

 

 

Roberto Pessoa (PSDB-CE)

Processos em outros tribunais

Fortaleza – Fórum Clóvis Beviláqua 4ª Vara Criminal (SEJUD 1º Grau) 0778059-28.2014.8.06.0001 – Ação Penal – Calúnia SOB SIGILO.

 

 

 

 

 

Rodrigo Maia (DEM-RJ)

Processos no STF

Inq 4431 DIREITO PROCESSUAL PENAL | Investigação Penal.

 

 

 

 

 

 

Rubens Otoni (PT-GO)

Processos em outros tribunais

INQ 4350 – DIREITO PENAL | Crimes Previstos na Legislação Extravagante | Crimes de “Lavagem” ou Ocultação de Bens, Direitos ou Valores. Declinou para a seção judiciária de Goiás.

 

 

 

 

 

Sergio Souza (MDB-PR)

Processos no STF

Inquérito sigilo no STF decorrente da Operação Carne Fraca.

Inquérito sigilo no STF decorrente da Operação Grand Bazaar.

 

 

 

 

 

Sergio Vidigal (PDT-ES)

Processos em outros tribunais

Vara: SERRA – 4ª VARA CRIMINAL 0002224-79.2011.8.08.0048 – DIREITO PENAL – Crimes Previstos na Legislação Extravagante – Crimes contra o Meio Ambiente e o Patrimônio Genético –

Crimes contra a Flora Vara: SERRA – 2ª VARA CRIMINAL 0013322-17.2018.8.08.0048 – DIREITO PENAL – Crimes Previstos na Legislação Extravagante – Crimes da Lei de licitações

INQ 4045 DIREITO PENAL | Crimes Previstos na Legislação Extravagante | Crimes Eleitorais. Declinou para 26ª ZONA ELEITORAL DE SERRA/ES

INQ 4643 – DIREITO PENAL | Crimes Previstos na Legislação Extravagante | Crimes da Lei de licitações DIREITO PENAL | Crimes Previstos na Legislação Extravagante | Crimes de Responsabilidade.

Shéridan (PSDB-RR)

Processos no STF

INQ 4734 – DIREITO PENAL | Crimes Praticados por Funcionários Públicos Contra a Administração em Geral | Peculato.

 

 

 

 

 

 

Silas Câmara (Republicanos-AM)

Processos no STF

AP 864 – DIREITO ADMINISTRATIVO E OUTRAS MATÉRIAS DE DIREITO PÚBLICO | Atos Administrativos | Improbidade Administrativa| Crimes Praticados por Funcionários Públicos Contra a Administração em Geral .

O que diz o deputado

Fui absolvido nessa mesma ação só que CIVIL em todas as instâncias de colegiado por unanimidade e confio que no STF teremos o mesmo resultado ou seja absolvição por unanimidade.

 

Stefano Aguiar (PSD-MG)

Processos no STF

Inq 4771 – DIREITO PROCESSUAL PENAL | Investigação Penal.

 

 

 

 

 

 

Tiririca (PL-SP)

Processos em outros tribunais

Inq 4635 -Crime contra a dignidade sexual. Declinou para o TJ-SP.

 

 

 

 

 

 

Valdevan Noventa (PSC-SE)

Processos em outros tribunais

Deputado foi preso por decisão da Justiça Eleitoral de Sergipe por acusação de fraudes na prestação de contas de sua campanhas.

 

 

 

 

 

 

Vander Loubet (PT-MS)

Processos no STF

AP 1019 – DIREITO PENAL | Crimes Praticados por Funcionários Públicos Contra a Administração em Geral | Corrupção passiva| Crimes Previstos na Legislação Extravagante | Crimes de “Lavagem” ou Ocultação de Bens, Direitos ou Valores

AC 4322 – DIREITO PROCESSUAL PENAL | Investigação Penal.

 

 

 

 

Vermelho (PSD-PR)

Processos em outros tribunais

TJPR 0028925-68.2013.8.16.0021 – Crime de Licitação.

 

 

 

 

 

 

Zeca Dirceu (PT-PR)

Processos no STF

Inq 4445 – Não informado. Declinou para o TRE PR

O que diz o deputado

Sobre o referido inquérito 4445/STF, que trata das eleições de 2010, o deputado reitera que todas as doações recebidas em suas campanhas foram legais, declaradas e aprovadas pela Justiça Eleitoral sem ressalvas. Salienta também, que não existe sequer uma única ligação, e-mail, contato, agenda de reunião, testemunho, delação ou coisa parecida em relação a qualquer atitude do parlamentar que o ligue ao assunto Petrobras / Lava Jato ou a qualquer tipo de ilegalidade. Ou seja, não existe um único fato sequer, que justifique a existência do inquérito, por 3 três anos, e reforça que ainda acredita na Justiça e no arquivamento da ação. Por fim, o envio, após 10 anos, do inquérito para o Tribunal Regional Eleitoral do Paraná, demonstra que não há indícios nem provas de crime de corrupção, trata-se de investigação de questões pertinentes à justiça eleitoral.

* Todas as imagens utilizadas neste texto foram retiradas do banco de imagens institucionais da Câmara dos Deputados. 

 

Fonte: Congresso em Foco

porpjbarreto

Governo federal destinará R$ 160 milhões a asilos de idosos até o final do ano

O governo federal anunciou que, até o final deste ano, vai destinar R$ 160 milhões a casas de repouso e asilos de todo o país. O auxílio tem como objetivo ajudar esses locais durante a pandemia da Covid-19. A lei que estabelece o repasse foi sancionada nesta última terça-feira (30) pelo presidente Jair Bolsonaro.

O Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos será o órgão responsável pela distribuição dos recursos, de acordo com o número de idosos atendidos em cada instituição. A previsão é de que o dinheiro seja compartilhado entre 2,6 mil instituições.

O dinheiro vai poder ser aplicado  em ações de prevenção e de controle da infecção nos asilos; compra de insumos e equipamentos básicos para segurança e higiene dos residentes e dos funcionários; aquisição de medicamentos e adequação dos espaços para isolamento dos casos suspeitos e leves de Covid-19. Segundo o governo federal, estima-se que mais 88 mil idosos em todo o Brasil em residem casas de repouso e asilos.

 

Brasil61

porpjbarreto

Justiça Federal na Paraíba divulga balanço dos 100 dias de trabalho realizado durante quarentena

Período teve alta produtividade de atos judiciais e possibilitou que medidas fossem adotadas para ajudar à sociedade na prevenção e combate da Codiv-19

A Justiça Federal na Paraíba (JFPB) divulgou, nesta quarta-feira (1º), o balanço dos 100 dias de trabalho em atendimento remoto (home office), realizado em virtude da pandemia ocasionada pelo novo coronavírus. Medidas administrativas foram tomadas, mandados judiciais passaram a ser cumpridos por meio eletrônico, audiências começaram a ser realizadas pela internet, decisões processuais beneficiaram hospitais e demais gestores públicos com ações de prevenção e combate à Codiv-19, além de serem implementadas outras iniciativas importantes para o período.

Desde o início do isolamento social, foram proferidos 72.252 atos judiciais, sendo 16.881 sentenças, 11.288 decisões, 34.164 despachos e 9.919 acórdãos. “Esses resultados não foram alcançados de maneira fácil. Há muito empenho dos magistrados, servidores, estagiários, conciliadores, terceirizados”, disse o diretor do Foro da JFPB, juiz federal Bruno Teixeira de Paiva. Segundo ele, a retomada dos serviços presenciais será efetuada no momento oportuno, de forma segura e gradual, quando houver recomendação por parte dos respectivos órgãos de saúde. “Por enquanto, continuaremos com o atendimento remoto, garantindo a prestação jurisdicional efetiva e reduzindo impactos junto aos jurisdicionados e preservando a saúde dos envolvidos”, complementou.

A JFPB realizou, ainda, a doação de, aproximadamente, 1.000 máscaras de proteção facial (tipo Face Shield), reutilizáveis e ajustáveis, para seis instituições de saúde da região metropolitana de João Pessoa; destinou R$ 1.451.022,90 oriundos de penas de prestação pecuniária, transação penal, suspensão condicional do processo e acordos de não-persecução nas ações criminais para financiar medidas de enfrentamento da pandemia; autorizou os trabalhadores a sacar valor do FGTS de conta vinculada em virtude da crise; suspendeu pagamentos referentes a contrato de subempréstimo da Prefeitura de Campina Grande com a União e a Caixa Econômica Federal, possibilitando que R$ 4 milhões fossem convertidos em medidas de prevenção; entre outras ações.

O Centro Judiciário de Solução Consensual de Conflitos e Cidadania (Cejusc) da Justiça Federal na Paraíba (JFPB) instituiu o projeto intitulado “Concilia Net”, realizando sessões de conciliação através do aplicativo WhatsApp; Audiências criminais continuaram a ser realizadas de forma 100% virtual; foi instituída a “contrafé eletrônica” para citações, intimações e notificações realizadas nos processos cíveis que tramitam através do “Sistema Processo Judicial Eletrônico – PJe”; começaram a ser feitos o cadastro de advogados no sistema CRETA, por correio eletrônico, e a atermação on-line; foram oferecidas dicas de saúde para os servidores, colaboradores, estagiários e seguidores das redes sociais, além de realizado o teleatendimento médico para servidores e magistrados.

Assessoria de Comunicação 
Justiça Federal na Paraíba – JFPB

porpjbarreto

Campanha para empoderar mulheres em situação de vulnerabilidade social ganha adesão do Sindalcool

Foram nesses 100 dias de isolamento social por conta da pandemia que as pessoas se mostraram resilientes no quesito superação, mas no meio de tudo isso, a empatia também tem sido vista nos gestos e atitudes humanas como o projeto de extensão universitária “Bancos que Alimentam”, idealizado pelo Centro de Vocação Tecnológica em Segurança Alimentar e Nutricional (CVTSAN) da UFPB, que com a ajuda de parceiros, como o Sindicato da Indústria de Fabricação de Álcool da Paraíba (Sindalcool), e a Prefeitura Municipal de João Pessoa vem beneficiando 85 famílias da capital que estão produzindo e vendendo comidas típicas de milho, para ajudar nas despesas domésticas.

A campanha idealizada pelo CVTSAN foi iniciada há 15 dias para as 85 famílias em situação de vulnerabilidade social, beneficiárias cadastradas nas Cozinhas Comunitárias e no Centro de Comercialização da Agricultura Familiar (Cecaf), como também, acompanhadas pelo Banco de Alimentos da Prefeitura Municipal de João Pessoa. Elas já produziam alimentos, mas por conta da pandemia, tiveram um impacto nas vendas, e foi aí, que a UFPB, resolveu dá sua contribuição, doando kits de ingredientes juninos.

O projeto conta com a atuação de professores, técnicos e estudantes de cinco Centros de Ensino da UFPB, que segundo a professora de Tecnologia de Alimentos, Ana Luiza Braga, o objetivo do projeto é contribuir com o retorno ao trabalho de pessoas em situação de vulnerabilidade, sendo que dois kits já foram doados, e nesta terça-feira (30), o terceiro, fruto da parceria com agricultores e empresas, como o Sindalcool. “A venda dos produtos, como canjicas, pamonhas e bolo de milho, originários desse terceiro kit de ingredientes acontecerá na primeira semana de julho, quando ainda se mantém a tradição de vender comidas típicas”, lembrou.

Segundo as coordenadoras, Ana Luiza Braga e Carolina Lima de Albuquerque, inicialmente foi feita uma campanha de doações nas redes sociais para a compra de insumos, depois uma campanha nos supermercados para a troca de álcool produzido pela universidade, e a terceira, realizados entendimentos com empresas como o Sindalcool, entre outros, para a doação de alimentos.

A universidade foi responsável ainda pela orientação de forma virtual das mulheres, sobre Boas Práticas de Manipulação de Alimentos, organização da plataforma de venda dos produtos e a composição de uma música educativa, além de ter executado as campanhas. A Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes/PMJP), por meio do Banco de Alimentos, ficou responsável pela logística de coleta de produtos doados, montagem e entrega dos kits e o apoio presencial às mulheres usuárias das cozinhas.

Os resultados positivos já são vistos nos olhos e relatos destas mulheres. Mas, os extensionistas da UFPB junto com a prefeitura de João Pessoa estão realizando um trabalho de levantamento de dados produtivos e de comercialização, para quantificar o real impacto na renda familiar.

 

Assessoria

porpjbarreto

Cinco novos terminais pesqueiros públicos são qualificados no Programa de Parcerias de Investimentos

Atualmente, já estão na carteira do programa os projetos para desestatização dos TPPs de Cabedelo, na Paraíba; Belém, no Pará; e de Manaus, no estado do Amazonas

Com a publicação da resolução 128/2020 no Diário Oficial da União (DOU), cinco novos Terminais Pesqueiros Públicos (TPP) foram qualificados na carteira do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI). Os terminais são o TPP de Aracaju, em Sergipe; TPP de Natal, no Rio Grande do Norte; os TPPs de Santos e de Cananéia, no estado de São Paulo; e o TPP de Vitória, no Espírito Santo.

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento é responsável por promover e acompanhar os procedimentos licitatórios das desestatizações. Atualmente, já estão na carteira do programa os projetos para desestatização dos TPPs de Cabedelo, na Paraíba; Belém, no Pará; e de Manaus, no estado do Amazonas.

Terminais Pesqueiros Públicos (TPP) são as estruturas físicas utilizadas para as atividades de movimentação e armazenagem de pescado. Esses locais podem servir de entreposto de comercialização, além de beneficiamento e apoio à navegação de embarcações.

Em 2019, a produção pesqueira nacional atingiu cerca de 722 mil toneladas. A estimativa da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura é que, em 2030, essa produção possa chegar a 20 milhões de toneladas.

 

Brasil61

porpjbarreto

Justiça proíbe que banco realize descontos de empréstimos consignados de Delegados da Polícia Civil

Liminar deferida pelo juiz João Machado de Souza Júnior, durante a jurisdição plantonista, obriga o Banco Bradesco a devolver todos os valores indevidamente descontados (a título de empréstimos consignados) dos Delegados da Polícia Civil. Foi determinado, ainda, que a instituição se abstenha de realizar qualquer desconto durante o período de 120 dias, prazo este previsto na Lei Estadual nº 11.699/2020, sob pena de aplicação de multa pecuniária diária de R$ 500,00.

A decisão atende a um pedido da Associação de Defesa das Prerrogativas dos Delegados de Polícia do Estado da Paraíba (Adepdel) nos autos da ação nº 0833863-33.2020.8.15.2001. A parte autora alega que, na virada da noite do dia 26 para o dia 27 de junho, o Bradesco realizou o desconto nas contas em que os associados recebem seus vencimentos (proventos ou pensões) dos valores relativos às parcelas dos empréstimos consignados. Alegando desrespeito à legislação estadual, requereu a concessão de tutela provisória antecipatória.

Na decisão, o juiz João Machado afirma que o direito invocado pela Associação é razoável ou, no mínimo, plausível, estando o alegado descumprimento do disposto na Lei Estadual nº 11.699/2020 demonstrado por meio da documentação anexada aos autos. “Evidente, também, que a demora na entrega da prestação jurisdicional poderá trazer prejuízos aos associados da autora (delegados ativos, inativos e pensionistas), posto que, ao entrar em vigor a referida lei, muitos servidores passaram a contar com essa renda “extra” para a assunção de novos gastos, mormente nesse período de pandemia, em que despesas extraordinárias têm sido rotineiras, sejam elas em favor deles mesmos ou de familiares”, destacou. Da decisão cabe recurso.

Confira, AQUI, a decisão.

Decisão_Bradesco

 

Assessoria de Imprensa – TJPB

porpjbarreto

Empresa oferece serviço de sanitização que elimina coronavírus e 99,9% das bactérias

Técnica de higienização profunda da Planserv Terceirização pode ser realizada em ambientes internos e externos e garante proteção contra fungos, vírus e bactérias

Manter a limpeza dos ambientes é fundamental para a saúde e, em tempos de pandemia, é preciso ter atenção redobrada com agentes causadores de doenças que podem continuar circulando pelo ambiente mesmo após a limpeza do local. Para garantir a segurança e bem-estar, a Planserv Terceirização, empresa que atua no mercado há 17 anos, inova o seu portifólio de serviços e, a partir de agora, oferece a sanitização de ambientes.

De acordo com Mouhamad Almahmoud, diretor comercial e de projetos da Planserv, a sanitização é eficaz na luta contra a covid-19, já que expande as ações de higienização antes utilizada apenas em hospitais e indústria alimentícia para outros ambientes, como é o caso de prédios, condomínios e ambientes comerciais, permitindo uma conduta mais assertivas neste combate. “O serviço pode ser aplicado em qualquer ambiente, seja ele residencial, comercial, industrial ou hospitalar. A recomendação é principalmente para lugares onde haja grande circulação de pessoas, como é o caso de prédios, condomínios, boates, academias, hospitais, fábricas, clínicas, consultórios e hospitais, escritórios, lojas, hotéis e outros”, explica.

Como funciona – A sanitização, que promete eliminar 99,9% das bactérias e vírus, incluindo o coronavírus, é realizada com Quaternário de Amônia de 5ª geração, um desinfetante que esteriliza ambientes contaminados por bactérias, fungos ou vírus por, pelo menos, 30 dias. De acordo com Mouhamad, o produto é recomendado pela ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). “O serviço leva a tecnologia da desinfecção de ambientes hospitalares para residências, comércio e áreas em geral, para os lares e comércios paraibanos”, conta.

Segundo ele, é necessário que o local permaneça isolado durante a aplicação do reagente. “A duração varia de acordo com o tamanho do espaço que será sanitizado. Poucas horas após o procedimento, a movimentação de pessoas e animais volta a ser permitida. O produto utilizado para a realização da sanitização é livre de riscos, além disso, não causa nenhuma alergia, não tem cheiro, nem deixa manchas”, garante o profissional, que reforça a importância de limpar as superfícies antes da aplicação. “Alimentos expostos precisam estar embalados e os eletroeletrônicos devem estar cobertos por precaução, devido à eliminação de vapor d’água durante o processo”, explica Mouhamad.

A Planserv fica na Av. Nossa Sra. de Fátima, 1952, no bairro da Torre, e funciona 24h. Para mais informações, o telefone é o (83) 3225-4784 ou (83) 3225-4663, (83) 9 8209-2086, (83) 9 8128-7135 para atendimento via whatsapp. O site é o https://www.planservrh.com.br/ . No instagram, @planservsegurancapb .

porpjbarreto

Veneziano rebate “machismo” contra Ana Cláudia e diz que candidato de Romero terá que explicar escândalos e desvios de recursos da merenda

O senador Veneziano Vital do Rêgo (PSB-PB) concedeu entrevistas neste final de semana para rebater o que considerou “declarações preconceituosas” de pré-candidatos ligados à atual administração municipal, de que a pré-candidata Ana Cláudia disputará a Prefeitura de Campina Grande apenas por ser sua esposa. Para Veneziano, essa declaração é extremamente machista e busca diminuir as qualidades de Ana como mulher, profissional e gestora nos cargos que já ocupou em sua trajetória de vida.

“Esse discurso machista é desrespeitoso. É desrespeitoso com a eleitora feminina, com a eleitora que deseja ter a oportunidade de ouvir a sensibilidade da mulher, com a oportunidade de mostrar que Campina Grande pode ter a primeira mulher eleita prefeita com competência, com pé no chão, com sensibilidade, com humildade, o que não é uma palavra exercitada por eles, com todo o respeito”, disse o senador.

Ele lembrou que a eleição não será disputada por Veneziano, mas por Ana Cláudia, “uma mulher que merece respeito, tem vida própria e vai representar o público feminino, como também o masculino, mas dando ênfase à oportunidade da mulher, que precisa ser respeitada. Esse discurso que estamos ouvindo deles é puro machismo. Isso a gente não pode apoiar. Já bastam esses níveis de racismo que nós vemos, já bastam esses níveis de agressão à mulher que nós observamos no Brasil agora”.

Segundo Veneziano, o pleito deste ano será uma oportunidade que Campina Grande terá de eleger uma pessoa qualificada, a primeira mulher eleita pelo voto para administrar a cidade. “Se fosse uma eleição plebiscitária entre os modelos de nossa gestão e da gestão atual Campina Grande iria escolher sobre um legado de 3 mil obras ou a gestão da ‘Famintos’, que tirou dinheiro da merenda da boca de milhares de crianças e jovens da cidade e culminou na prisão de secretários de governo, auxiliares e empresários”.

“Candidato da Famintos” – Ele disse que, na campanha, o “Candidato da Famintos” não terá só a “estrutura da Prefeitura” lhe favorecendo, mas terá que arcar, também, com a péssima imagem que a gestão tem perante a população. “Eu não tive secretários presos, não tive escândalo que tirava dinheiro da merenda da boca de crianças, não tive contas rejeitadas por unanimidade no TCE. Então, o ‘Candidato da Famintos’ vai ter que explicar isso, ou só vai querer o bônus da estrutura de poder?”, questionou.

Veneziano lembrou que em sua gestão Campina recebeu diversas obras com recursos próprios, o que não ocorre hoje porque o dinheiro é destinado a outros fins, como pagar altos salários de familiares do prefeito e de seu grupo político; e dos quase 10 mil comissionados. “Diga uma obra desta gestão com recursos próprios. Uma só. Não tem, a não ser as executadas pelo governo federal ou através de emendas parlamentares”, disse, lembrando que, quando prefeito, construiu várias obras com recursos próprios, como a Vila Olímpica Plínio Lemos, que está completamente abandonada.

“Na nossa gestão não houve roubalheira na Educação, não tivemos secretário preso nem afastado, não tivemos servidor público afastado, na nossa gestão, dos vereadores da nossa bancada, nenhum foi preso; fazíamos obras com recursos próprios, respeitávamos servidores, fazíamos concursos públicos e chamávamos concursados. Foi uma gestão totalmente diferente, Graças a Deus, não pega uma letra com o que nós vemos nesses desastrosos oito anos”, afirmou Veneziano.

O senador finalizou dizendo que, na campanha, será feita uma pergunta à cidade: “vocês desejam que Campina continue com a roubalheira e com as contas rejeitadas no TCE? ou vão querer uma gestão transparente, democrática, com a participação popular e com a volta do orçamento participativo? desejam que a prefeita possa voltar a fazer concursos públicos ou que continue a empregar apadrinhados políticos e parentes, porque o nepotismo campeia nesta administração? Quero ver eles defendendo o nepotismo na campanha, porque existem familiares dos que se apresentam como pré-candidatos da ‘gestão famintos’ que estão empregados hoje e vão querer continuar recebendo seus gordos salários”.

Assessoria de Imprensa

porpjbarreto

Enquete que vai definir nova data do Enem termina nesta terça-feira (30)

A edição 2020 tem 5,8 milhões de inscritos

Termina nesta terça-feira (30) o prazo para votação na nova data para a realização das provas adiadas devido a pandemia da covid-19. A enquete, disponível somente aos inscritos pela Página do Participante, apresenta três opções de datas:

1) Enem impresso em 6 e 13 de dezembro de 2020; e Enem digital em 10 e 17 de janeiro de 2021;

2) Enem impresso 10 e 17 de janeiro de 2021; e Enem digital em 24 e 31 de janeiro de 2021;

3) Enem impresso em 2 e 9 de maio de 2021; e Enem digital em 16 e 23 de maio de 2021.

Os inscritos que desejarem votar em uma das três sugestões deverão seguir o passo a passo: Acessar a Página do Participante; fazer o login (CPF e senha) no portal; clicar em Enquete; escolher uma das três opções e, finalmente, clicar em “enviar”. Finalizado o processo, a contribuição será computada.

O Instituto Anísio Teixeira (Inep) alerta que as informações a respeito do Enem 2020 podem ser acompanhadas nos portais do Ministério da Educação (MEC), assim como nas redes sociais oficiais dos dois órgãos do governo federal. Dúvidas relativas ao processo de inscrição podem ser sanadas pelo Fale Conosco, por meio do autoatendimento on-line ou do 0800 616161 (somente chamadas de telefone fixo).

Números

A edição 2020 do Enem tem 5, 8 milhões de inscritos. Segundo o Inep, o total marca um aumento de 13,5% em relação ao ano passado. O Instituto credita a ampliação dos participantes a fatores como a modalidade digital, extensão do período de pagamento e gratuidade automática. A modalidade sem custo foi utilizada por 83% dos inscritos.

Do total, 65,6% terminaram o ensino médio em anos anteriores, mais da metade tem mais de 20 anos de idade e 60% são mulheres. No recorte por cor, 47% são pardos, 34,7% são brancos, 13,3% são pretos e 2,2% são amarelos.

 

Agência Brasil