Categoria BRASIL

Brasil cria mais de 33 mil vagas de emprego em maio

Dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, o Caged

O governo federal anunciou nesta quarta-feira (20), que foram criadas 33.659 vagas de emprego com carteira assinada em todo o país no mês de maio. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, o Caged. O número de empregos criados é obtido através do cálculo dos empregos gerados menos o número de demissões. Em maio, por exemplo, foram realizadas 1.277.576 contratações e 1.243.917 demissões, o que resultou nesse saldo de 33.659 vagas criadas.

Mais de 33 mil vagas de emprego foram criadas no país em maio deste ano

Esse resultado, apesar de positivo, mostra uma diminuição de mais de 240%, se comparado com o mês de abril, quando foram criadas 115.898 vagas. Se comparado a maio de 2017, o saldo permanece quase igual: houve redução de 594 postos de trabalho em relação ao mesmo mês do ano passado, quando foram geradas 34.253 vagas.

Oito setores foram avaliados no Caged. Seis apresentaram saldo positivo e dois apresentaram fechamento no número de vagas. O setor agropecuário foi o que mais gerou vagas de emprego, com 29.302 postos criados. Em compensação, o comércio foi o setor com o pior desempenho. O saldo de empregos foi negativo em 11.919 vagas.

Segundo o governo, o salário médio de admissão em maio foi de R$ 1.527,11, enquanto a média na demissão foi de R$ 1.684,34. Ainda de acordo com o Caged, houve criação de vagas formais, ou seja, com carteira assinada, em quatro das cinco regiões do país em maio deste ano. A região Sudeste liderou, com a criação de 30.840 vagas formais. Em compensação, foram registradas 13.413 demissões na região Sul, que teve o pior desempenho.

Apesar da demonstração de recuperação da economia, o Brasil finalizou 2017 com um saldo de 20.832 postos de emprego fechados. Mesmo com os números negativos, o resultado foi o melhor dos últimos três anos. Em 2016, o país havia fechado 1.326.558 vagas, e em 2015, 1.534.989 postos.

 

Reportagem: Paulo Henrique Gomes

 

Prévia da inflação de junho é a maior variação para o mês desde 1995

Alimentos, energia elétrica e combustível foram as principais influências para o resultado

A prévia da inflação oficial do país, o IPCA-15, divulgado pelo IBGE nesta quinta-feira (21), acelerou de 0,14% em maio para 1,11% em junho. Esta é a maior variação para o mês desde 1995, quando o índice registrou 2,35%.
As principais influências para a alta no resultado foram dadas pelos grupos de Alimentação e bebidas, com aumento de 1,57%, Habitação, 1,74% e Transportes, 1,95%. Para o economista e ex-presidente do Conselho Federal de Economia, o Cofecon, Paulo Dantas da Costa, esse resultado não chega a surpreender.
“Considerando que o movimento dos caminhoneiros, de fato, teve um impacto econômico, uma repercussão econômica significativa e o resultado disso desaguaram na questão dos preços aqui no Brasil. Outro detalhe diz a respeito aos alimentos, que sempre influenciam a formação e a construção dos índices do preço no Brasil. Especificamente nesse caso e aliado ao detalhe do movimento dos caminhoneiros, uma coisa somou a outra e o resultado foi esse índice.”
De acordo com o IBGE, a alta nos preços atingiu alimentos como a batata inglesa (45,12%), a cebola (19,95%), o tomate (14,15%), o leite longa vida (5,59%), além de carnes (2,35%) e frutas (2,03%). Já os combustíveis subiram 5,94% em junho, puxados principalmente pela gasolina (6,98%). O item foi responsável pelo maior impacto individual no índice, que representou 28% do IPCA-15 de junho.
O IBGE também mostrou que, no grupo de Habitação, a prévia de inflação foi definida pela energia elétrica, com aumento de 5,44%. Também houve reajuste nas tarifas em Belo Horizonte, Recife, Salvador, Fortaleza e Porto Alegre. O economista Paulo Dantas explica que esse tipo de preço que não depende nem de oferta, nem de demanda – e que é definido por contrato ou órgão público – costuma ser mais alto.
“A questão da energia elétrica também é um aspecto interessante porque é um preço administrado e os preços administrados no Brasil estão sempre um nível a cima dos demais preços da economia.”
As 11 regiões pesquisadas registraram aceleração dos preços de maio para junho, sendo que a região metropolitana de Belo Horizonte mostrou o maior resultado, de 1,37%. Já as regiões de Belém e Recife, registraram índices abaixo da média para o país, com 0,76% e 0,95%, respectivamente.
Reportagem: Juliana Gonçalves

 

O tempo e a temperatura para esta quinta-feira (21) de junho de 2018

O TEMPO E A TEMPERATURA: Nesta quinta-feira, a umidade relativa do ar na região Sul varia de 55% a 95%

Com a chegada do inverno nesta quinta-feira (21) , o tempo começa a esfriar e a temperatura começa a cair. O pessoal da região Sul já está sentindo a mudança. A temperatura da região fica entre 6ºC e 27ºC e a umidade relativa do ar pode variar de 55% a 95%. A produtora de eventos Sueli Amaral mora em Curitiba e acredita que o frio melhora a qualidade do sono.

“Já percebi as mudanças, tem feito muito frio, tem geado e tem esfriado bastante aqui em Curitiba.” “Pra mim seria bom porque conseguimos dormir melhor, podemos comer comidas bem quentinhas aqui de Curitiba, né.”

Já em Santa Catarina os termômetros vão variar de 6ºC a 28ºC. No Paraná, mínima de 7ºC e máxima de 30ºC. No Rio Grande do Sul a temperatura vai variar de 7ºC a 29ºC.

O TEMPO E A TEMPERATURA: A temperatura da região Centro-Oeste vai variar de 11ºC a 34ºC nesta quinta-feira

Com a chegada do inverno nesta quinta-feira, o tempo começa a esfriar e a temperatura começa a cair. O pessoal da região Centro-Oeste já está sentindo a mudança. A temperatura da região vai variar de 11ºC a 34ºC e a umidade relativa do ar pode variar de 25% a 90%. No Distrito Federal, a temperatura varia entre 12ºC e 26ºC, e o servidor publico Hugo Teixeira, já está sentindo a alteração no clima.

“Eu já percebi algumas mudanças no clima sim, está um pouco mais seco e as noites já estão bem mais frias, já está dando para usar aquele cobertor bem mais grosso, porque o frio já está apertando.”

Já no Mato Grosso do Sul, mínima de 14ºC e máxima de 32ºC. Em Goiás, a temperatura pode variar entre 12ºC e 33ºC e no Mato Grosso, mínima de 12ºC e máxima de 34ºC.

O TEMPO E A TEMPERATURA: Nesta quinta-feira, a umidade relativa do ar varia de 25% a 95% na região Norte

Com a chegada do inverno nesta quinta-feira, o tempo começa a esfriar e a temperatura começa a cair. O pessoal da região Norte já está sentindo a mudança. A temperatura da região fica entre 15ºC e 37ºC e a umidade relativa do ar pode variar de 25% a 95%. O contador Wilson Moita mora em Manaus e comemora a chegada do inverno na região.

“O inverno é uma estação boa, porque por ser essa época de chuva, o nosso povo da nossa região depende muito do rio, e na parte do inverno é quando o rio começa a encher. Ele vai começando a encher e, se ele não for exagerado demais, ele acaba sendo muito benéfico.”

Em Amazonas, em Rondônia, no Amapá e no Acre a temperatura vai variar de 16ºC a 34ºC. Em Roraima e em Tocantins os termômetros variam entre 17ºC e 35ºC. Já no Pará mínima de 22ºC e máxima 36ºC.

O TEMPO E A TEMPERATURA: A temperatura da região Sudeste varia entre 6ºC e 33ºC nesta quinta-feira

Com a chegada do inverno nesta quinta-feira, o tempo começa a esfriar e a temperatura começa a cair. O pessoal da região Sudeste já está sentindo a mudança. A temperatura da região fica entre 6ºC e 33ºC e a umidade relativa do ar pode variar de 25% a 95%. Em São Paulo, a temperatura pode variar de 4ºC a 30ºC nesta quinta-feira e o estudante de marketing Eliseu Lima já começou a sentir os sintomas negativos do frio.

“É muito ruim porque eu tenho rinite alérgica, e tudo com ite, rinite, sinusite e tudo ataca nessa época, principalmente nessa época. E aí acontece de eu ficar com tosse, com o peito cheio, e aí acontece de tudo atacar, e eu fico na base do antialérgico para dormir.”

Já no Rio de Janeiro, mínima de 7ºC e máxima de 31°C. No Espirito Santo, a temperatura varia de 12ºC a 28ºC. Em Minas Gerais, os termômetros variam entre 4ºC e 32ºC.

O TEMPO E A TEMPERATURA: A temperatura da região Nordeste fica entre 13ºC e 36ºC nesta quinta-feira

Com a chegada do inverno nesta quinta-feira, o tempo começa a esfriar e a temperatura começa a cair. O pessoal da região Nordeste já está sentindo a mudança. A temperatura da região fica entre 13ºC e 36ºC e a umidade relativa do ar pode variar de 30% a 95%. O administrador Edson Medeiros mora no Piauí e já percebe a mudança no clima da região.

“Esses últimos três dias têm esfriado à noite, então à noite a gente já está sentindo aí que está fazendo frio. Os ventos pesados e frio, muito diferente dos períodos passados. A gente tá começando a estranhar porque nunca aconteceu isso aqui no litoral parnaibano.”

Já em Alagoas, em Pernambuco e em Sergipe os termômetros podem variar de 15ºC a 33ºC. Na Paraíba, no Ceará, na Bahia e no Rio Grande do Norte mínima de 13ºC e máxima de 34ºC. No Maranhão e no Piauí a temperatura vai variar de 14ºC a 35ºC.

 

Reportagem – Larissa Lago

As informações são do Instituto Nacional de Meteorologia

Senado aprova projeto que autoriza venda de produtores de etanol diretamente a postos de combustível

Proposta segue agora para a Câmara dos Deputados

O Senado Federal aprovou na última terça-feira (19) a venda de etanol pelos produtores diretamente para os postos de combustíveis. Para virar lei, o projeto depende agora de aprovação da Câmara dos Deputados.

A proposta foi apresentada após a paralisação dos caminhoneiros em todo o país, que durou 11 dias. O projeto derruba um artigo da resolução da Agência Nacional de Petróleo (ANP) sobre o fornecimento e a venda de etanol combustível, que determina que o fornecedor só pode vender o etanol a outro fornecedor cadastrado na ANP, a um distribuidor autorizado pela agência ou ao mercado externo. Com a nova norma, os produtores de etanol poderiam vender o álcool combustível diretamente para os postos, sem a intermediação das distribuidoras.

Projeto foi aprovado no Senado e segue para a Câmara

Antes de ser aprovado, o PDS 61/2018 foi motivo de debate entre os parlamentares. Senadores que defendem a proposta afirmaram que, com a venda direta do etanol, os consumidores poderão notar a diferença no preço final do produto.

Para o autor da proposta, senador Otto Alencar, do PSD baiano, da forma como está hoje, a atual resolução da ANP desfavorece a concorrência. A expectativa do senador é que o preço do produto seja reduzido em até 30% após a proposta entrar em vigor.

“Poucas empresas ou as empresas cadastradas pela Agência Nacional do Petróleo. Virou um trust, virou um monopólio na distribuição do etanol. Algumas empresas de grande porte, tipo Shell, Ipiranga, Cossan, várias outras aí, dominam esse mercado e o etanol sai da usina e chega no posto com um aumento dado pelos distribuidores”.

Outros senadores questionaram a qualidade do combustível que será repassado ao consumidor. A senadora Simone Tebet, do MDB de Mato Grosso do Sul, mesmo sendo favorável à venda direta, argumentou que a nova norma pode não ser suficiente para baixar o valor do álcool nas bombas. Ela também mostrou preocupação com a estrutura dos produtores, pois o etanol é um produto altamente inflamável e requer atenção em seu manejo.

“Se nós tiramos a distribuidora, quem vai ter que fazer a distribuição é a usina. Ela vai ter que absorver esse custo da distribuição. Mais do que isso, ela vai ter que ter estrutura suficiente porque ela vai ser fiscalizada. Não pode ser qualquer usina, eu estou falando de um produto perigoso. Tudo isso vai precisar ser colocado no papel para que nós possamos ver realmente se nós vamos conseguir diminuir o preço na bomba”.

No Senado, a proposta foi aprovada por 47 votos a dois. Segundo a Plural, que é a Associação Nacional das Distribuidoras de Combustíveis, Lubrificantes, Logística e Conveniência, mais de 127 bilhões de litros de combustíveis foram comercializados em 2017, em todo o país. Ainda segundo a organização, as vendas de combustíveis fecharam 2017 com um ligeiro aumento de 0,6% em comparação ao ano de 2016.

 

Reportagem: Paulo Henrique Gomes

 

Câmara aprova projeto de Veneziano que penaliza quem lançar lixo plástico nas águas

A Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (CMADS) aprovou na manhã de hoje, 20 de Junho de 2018, o Projeto de Lei PL 7647/2017, de autoria do Deputado Federal e pré-candidato a Senador Veneziano Vital do Rêgo (PSB-PB), que dispõe sobre penalidade a quem lança nas águas lixo plástico de embarcações.

Segundo o autor do projeto, Deputado Veneziano Vital do Rêgo: “A poluição das aguas por plástico é um grave problema ambiental. Aonde diversos estudos apontam que bilhões de toneladas de lixo são jogados nos oceanos todos os anos. Esses resíduos possuem grande capacidade de dispersão por ondas, correntes e ventos, podendo ser encontrados no meio dos oceanos e em áreas remotas. O problema, contudo, se torna mais aparente nas zonas costeiras, onde as atividades humanas estão concentradas, já que o Brasil possui mais de 8.500 km de costa, 395 municípios distribuídos em 17 estados costeiros e aproximadamente 25% da população residente na zona costeira”, disse o socialista, destacando também os pedaços de plástico de maior dimensão também constituem uma ameaça para os animais marinhos.

“Muitas espécies, nomeadamente focas, golfinhos e tartarugas marinhas, podem enredar-se nos detritos de plástico, bem como nas redes de pesca e nas linhas perdidas no mar. A maior parte dos animais que ficam enredados não sobrevive, visto que não conseguem subir à superfície das aguas para respirar, fugir dos predadores e alimentar-se”, afirmou Veneziano que recebeu elogios de diversos parlamentares por sua iniciativa, como dos Deputados Federais: Valdir Colatto (MDB/SC); Nilto Tatto (PT/SP); Arnaldo Jordy (PPS/PA); Carlos Gomes (PRB/RS) e Ricardo Trípoli (PSDB/SP).

Para o relator do projeto, o Deputado Valdir Colatto (MDB-SC), o Projeto de Lei no 7.647, de 2017, de Veneziano trata de questão extremamente sensível para o meio ambiente, para a economia e para a qualidade de vida das pessoas. “O gerenciamento adequado de resíduos sólidos. Uma vez que é de conhecimento comum as graves consequências geradas por anos de má́ gestão do lixo. A destinação inadequada de resíduos é responsável pela contaminação de solos, pela intoxicação de alimentos, pela intoxicação de recursos hídricos, pela poluição do ar e pela mortandade da fauna e da flora. Ademais, no meio urbano, é responsável pelo agravamento de enchentes, pela proliferação de vetores de doenças e pela insalubridade de áreas habitadas.”

O projeto tem tramitação ordinária e segue agora para Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania da Câmara dos Deputados.

 

Assessoria de comunicação

CULTURA: No Dia do Cinema Nacional, relembre filmes que fazem parte da história brasileira

Especialista defende mais investimento em produções brasileiras

Já se passaram 110 anos desde que o Brasil lançou seu primeiro longa-metragem. O drama policial “Os Estranguladores” foi o primeiro filme a ser produzido e exibido no Brasil. A trama se passa no Rio de Janeiro, cidade que até hoje é palco de grandes filmes produzidos nacionalmente. Desde então, as telonas brasileiras já foram palco de muita história.

O filme “Minha Mãe é Uma Peça”, protagonizado por Paulo Gustavo, é um exemplo de sucesso. A série, que já possui dois lançamentos nas telonas, é a que tem a maior bilheteria nesta categoria: mais de 15 milhões de ingressos foram vendidos durante as exibições nos cinemas brasileiros.

Acontece que, mesmo com essa aceitação, os filmes nacionais ainda não são muito valorizados entre os brasileiros. Bilheterias de filmes internacionais costumam ser muito mais altas. De acordo com o especialista em cinema da Universidade de Brasília, Alex Calheiros, isso pode ser explicado pela falta de incentivos financeiros para esse setor.

“Em outros países que têm políticas específicas voltadas para o cinema, que é uma indústria poderosa, inclusive de geração de emprego, de renda, capital e exportação, têm políticas específicas incentivando para que os filmes sejam passados nos cinemas nacionais e, portanto vistos. Eu acho que há preconceito, mas o preconceito não advém da qualidade. O preconceito vem da falta de políticas específicas voltadas para a nossa produção cinematográfica.”

Mas nem a falta de incentivos foi um empecilho para que filmes nacionais fossem indicados ao maior prêmio de cinema mundial. O longa-metragem “Cidade de Deus”, dirigido por Fernando Meirelles, foi indicado em 2004 às categorias de melhor diretor, roteiro adaptado, edição e melhor fotografia do Oscar.

E a tradição brasileira no cinema não para por aí. Quem se lembra de Chicó e João Grilo? O Auto da Compadecida marcou e ainda marca a vida de muitos brasileiros com risadas, frases inesquecíveis e faz completa referência à cultura nordestina. Esse foi um dos filmes que levou a consultora de eventos Iris Grijó a se apaixonar pelos filmes nacionais. Ela conta que, na família dela, “a promessa sem jeito de Chicó” faz o maior sucesso até hoje.

“Eu gosto muito do fato da gente não precisar ler legenda, da gente se identificar com muitas coisas da cultura, da gente se identificar com muitos locais conhecidos. Eu acho que essa é uma das coisas que eu mais gosto em relação aos filmes nacionais.”

Se você não assiste filmes nacionais há algum tempo e bateu aquela curiosidade para sabe como anda o mercado, essa é a oportunidade. Nesta quinta-feira (20) tem estreia nos cinemas. O filme Mulheres Alteradas conta a história de quatro mulheres com rotinas diferentes que fazem de tudo para sobreviver em meio ao caos.

 

Reportagem: Sara Rodrigues

 

O tempo e a temperatura para esta quarta-feira (20) de junho de 2018

O TEMPO E A TEMPERATURA: O céu fica parcialmente nublado em toda a região Sul nesta quarta-feira

Nesta quarta-feira, a previsão é de céu parcialmente nublado em toda a região Sul e névoa úmida em áreas isoladas. A temperatura da região varia entre 4ºC e 26ºC. A umidade relativa do ar pode variar de 35% a 95%. Em Santa Catarina os termômetros vão variar de 6ºC a 26ºC. No Paraná, mínima de 5ºC e máxima de 28ºC. Já no Rio Grande do Sul a temperatura vai variar de 6ºC a 26ºC.

O TEMPO E A TEMPERATURA: A região Centro-Oeste tem céu claro a parcialmente nublado nesta quarta-feira

Nesta quarta-feira, o céu fica claro a parcialmente nublado em toda a região Centro-Oeste. A temperatura da região varia de 12ºC a 33ºC. A umidade relativa do ar pode variar de 25% a 90%. No Mato Grosso do Sul, mínima de 14ºC e máxima de 32ºC. Em Goiás, a temperatura pode variar entre 11ºC e 34ºC. No Distrito Federal, a temperatura varia entre 11ºC e 25ºC. Já no Mato Grosso, mínima de 13ºC e máxima de 33ºC.

O TEMPO E A TEMPERATURA: A temperatura da região Nordeste fica entre 12ºC e 36ºC nesta quarta-feira

Nesta quarta-feira, o céu fica nublado a parcialmente nublado com chuva isolada na região Nordeste. A temperatura da região fica entre 12ºC e 36ºC. A umidade relativa do ar pode variar de 30% a 95%. Em Alagoas, em Pernambuco e em Sergipe os termômetros podem variar de 15ºC a 32ºC. Na Paraíba, no Ceará, na Bahia e no Rio Grande do Norte mínima de 13ºC e máxima de 34ºC. Já no Maranhão e no Piauí a temperatura vai variar de 14ºC a 35ºC.

O TEMPO E A TEMPERATURA: Nesta quarta-feira, a umidade relativa na região Norte pode variar de 25% a 95%

Nesta quarta-feira, a previsão é de céu nublado a parcialmente nublado com pancadas de chuva na região Norte. A temperatura da região fica entre 15ºC e 37ºC. Já a umidade relativa pode variar de 25% a 95%. No Amazonas, em Roraima e em Tocantins a temperatura varia de 14ºC a 35ºC. No Acre, em Rondônia e no Amapá os termômetros variam entre 16ºC e 33ºC. Já no Pará mínima de 22ºC e máxima 36ºC.

 

Reportagem – Larissa Lago

As informações são do Instituto Nacional de Meteorologia

O que muda com a retirada da transexualidade da lista de doenças mentais

A condição passa para uma nova classificação para dar mais amparo em exames, por exemplo, para pessoas transexuais

A Organização Mundial de Saúde, a OMS, retirou nesta segunda-feira (18) a transexualidade da lista de classificação como doença mental. A “incongruência de gênero”, como é chamada pela agência internacional, foi retirada da categoria de transtornos mentais do manual de Classificação Internacional de Doenças (CID) para ser inserida em um novo capítulo chamado de ‘condições de saúde sexual’.

Segundo a OMS, apesar de não ser considerada uma doença, a transexualidade continua sendo uma condição relacionada à saúde sexual e, por isso, algumas “intervenções de saúde” podem ser necessárias. Sendo assim, a organização decidiu detalhar essa condição na categoria de “saúde sexual” pela necessidade de cuidados médicos, que podem ser melhores atendidos caso a transexualidade continue no manual.

Para Symmy Larrat, presidente da Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Intersexos (ABGLT), o novo desafio a ser encarado pela comunidade é fazer com que a estrutura do Estado se modifique e se adeque à realidade de inclusão.

“É algo que é positivo, é uma vitória, mas não resolve todos os nossos problemas. Devemos continuar organizadas para pleitear essas mudanças e garantir um acesso igualitário, um acesso para todas as pessoas travestis, transexuais, transgêneros, que ainda hoje sofrem muito com a exclusão do Estado em suas vidas.”

Segundo o Ministério da Saúde, o SUS já vem tratando a transexualidade como identidade e não patologia, mas reconhece que é preciso aprimorar alguns procedimentos específicos de saúde relacionados à condição de transexualidade.

A analista técnica de Políticas Sociais do Ministério da Saúde, Jéssica Bernardo, avalia que a nova classificação imposta pela OMS é válida para que os médicos possam realizar a transição do paciente da melhor forma e condição possível. Em relação ao sistema para uma pessoa que deseja fazer um procedimento ginecológico, a especialista espera que a mudança traga melhorias para o futuro.

“Um homem trans ainda tem o aparelho genital feminino e ele precisa fazer um exame ginecológico, mas ele está com os documentos retificados como homem, por enquanto o sistema ainda tem essa barreira. Mas nós estamos trabalhando junto com a Secretária de Atenção à Saúde do Ministério da Saúde para identificarmos todos os sistemas que têm essa barreira e para que qualquer pessoa possa fazer o procedimento.”

A OMS afirmou que a condição de transexual ter sido retirada do CID deve-se ao fato de que especialistas e cientistas teriam avançado na compreensão da transexualidade. “A condição foi tirada dos distúrbios de saúde mental porque nós temos uma compreensão melhor de que ela não é realmente uma condição de saúde mental, e mantê-la nessa categoria estava provocando estigma”, disse Lale Say, coordenadora do Departamento de Saúde Reprodutiva e Pesquisa da OMS, em vídeo publicado pela organização.

O Conselho Federal de Psicologia já havia se posicionado favorável a essa retirada desde 2010 sob o argumento de falta de evidências que constroem uma visão patológica. A conselheira do CFP Sandra Sposito avalia a mudança da OMS como um avanço.

“Nós vemos essa mudança, ainda que tardia, importante para retirar essas pessoas da área da patologia, que vulnerabiliza as pessoas, impede o acesso a determinadas áreas como educação e mercado de trabalho. Então, essa retirada vai ajudar a médio e longo prazo, não de imediato, a ir modificando o entendimento do que são esses termos da transexualidade, que mais nada são que variações da forma como as pessoas vivenciam o gênero.”

Mesmo antes de publicação do novo CID, o Conselho Federal de Psicologia (CFP), desde janeiro deste ano, determinou que psicólogos estão proibidos de tratar travestilidade e transexualidade como doença ou anomalia e de praticar qualquer ação que favoreça preconceitos, como terapias de conversão, reversão ou readequação de gênero.

 

Reportagem: Juliana Gonçalves

 

Vídeo machista de brasileiros na Rússia gera revolta e onda de críticas

Nas imagens, grupo de torcedores aparecem gritando frases em alusão ao órgão sexual feminino de uma estrangeira

No último fim de semana, sete brasileiros ficaram conhecidos nas redes sociais por publicarem um vídeo durante a Copa do Mundo na Rússia. Na filmagem, todos comemoravam com camisas da seleção brasileira e pediam que uma mulher estrangeira repetisse frases obscenas sobre a genitália feminina.

As imagens geraram revolta e foram duramente criticadas, inclusive pela OAB e pelo Itamaraty. Segundo a especialista em discussões de gênero no esporte Silvana Goellner, o ato praticado pelos brasileiros em solo russo pode ser considerado machista.

“Eu acredito que o machismo que a gente pôde perceber nesse vídeo não está só no esporte, não está só no futebol, ele está na sociedade brasileira. Acho que o que a gente viu com muita clareza é a objetificação do corpo da mulher, e o poder que o homem se autoriza para brincar, para falar, para tocar e para violentar, muitas vezes, as mulheres.”

A vídeo, um dos que mais circulou nas redes sociais, não foi a único. Outro caso, também durante a Copa do Mundo, foi a da jornalista colombiana Julieth González. Ela estava ao vivo quando foi abraçada e beijada por um torcedor. A especialista Silvana Goellner explica historicamente o que faz mulheres passarem por esse tipo de constrangimento no meio esportivo.

“Então, eu acho que esse esporte foi pensado para os homens e pelos homens, muitas vezes as mulheres têm dificuldade de se firmar nesse espaço. Seja como torcedora, que é o caso que a gente vivenciou ali nesse vídeo. Parece que esse espaço não é dela.”

O site “Dibradoras” é um blog formado por quatro mulheres apaixonadas por esportes, e que defendem que o espaço para as mulheres no futebol seja pacífico. A jornalista Roberta Nina considera que o que foi visto como brincadeira por muita gente, não passa de uma cultura de machismo impregnada na sociedade.

“Muitas pessoas classificaram esse episódio como uma simples brincadeira, mas isso é algo muito mais sério. Eles constrangeram uma mulher em público e eles acabaram expondo a figura feminina de uma maneira horrorosa. Essas brincadeiras, que as pessoas acabam classificando, são parte de um problema crescente de casos de assédio, seja de assédio moral ou sexual, que as meninas e mulheres sofrem todo dia.”

A estudante Ana Carolina, de 20 anos, conta que quando assistiu ao vídeo não conteve sua indignação. Para ela, é preciso que assuntos como esses sejam ser colocados em pauta e debatidos.

“Quando queremos discutir assuntos como esses, falam que a gente não tem senso de humor, que não sabemos levar nada na brincadeira. Mesmo ainda quando tentamos falar entra por um ouvido e sai pelo outro daqueles que não querem dar o braço a torcer.”

Um dos integrantes do vídeo foi identificado por internautas. Trata-se do ex-secretário de Turismo de Ipojuca (PE), à época no PSB, Diego Jatobá. A Polícia Militar de Santa Catarina, em nota, diz que “um policial militar foi identificado como um dos integrantes que aparecem no vídeo”. O órgão ainda diz que, assim que retornar ao batalhão, será aberto um processo administrativo disciplinar para apurar a “conduta irregular do militar”.

 

Reportagem: Sara Rodrigues

 

Presidência do TJPB regulamenta utilização de serviços postais com base na racionalização e eficiência

O Diário da Justiça eletrônico (DJe) traz, na edição desta terça-feira (19), Ato da Presidência nº 46/2018 do Tribunal de Justiça da Paraíba, que regulamenta a utilização dos serviços postais prestados pela Empresa de Correios e Telégrafos (ECT) no âmbito do Poder Judiciário estadual. Para editar o Ato, o presidente TJPB, desembargador Joás de Brito Pereira Filho, levou em considerando a racionalização dos serviços e a busca da eficiência no processamento dos atos do Judiciário.

De acordo com o expediente, os serviços prestados pela ECT só poderão ser utilizados quando não for possível o encaminhamento das comunicações, mensagens e arquivos por meio digital, ou seja, através do correio eletrônico institucional ou do Sistema Hermes – Malote Digital. As exceções deverão ser analisadas e devidamente autorizadas pelos gestores das unidades administrativas ou gerentes de Fórum, conforme prescrito no Parágrafo Único do Ato.

Já o Artigo 2º tem a seguinte redação: “O serviço postal deverá ser efetuado, prioritariamente, através de Carta Comercial Simples, desacompanhado de serviços adicionais oferecidos opcionalmente pela ETC.” É considerado Carta Comercial Simples o objeto com peso máximo de 500 gramas. Objetos com peso superior a 500 gramas deverão ser postados através do serviço Pac (Encomenda Econômica).

Ainda de acordo com o expediente da Presidência, ficam suspensas todas as rotas dos serviços de Malote prestados pela ETC, na região metropolitana de João Pessoa. O transporte de objetos nas unidades que utilizam este serviço (Malote) deverá ser realizado pelos veículos disponíveis nas referidas unidades ou, não havendo, através do setor de transporte do Tribunal.

O Artigo 7º adverte os servidores quanto à indevida utilização dos serviços postais. Ressalta que tal procedimento, caso ocorra, deverá ser comunicado à Presidência do Tribunal e poderá implicar em sanções administrativas.

Veja o Ato, na íntegra, clicando AQUI!

Assessoria