Categoria Cajazeiras

porpjbarreto

Ricardo Lacerda tem nome cotado para assumir a direção do teatro Ica de Cajazeiras

O radialista, interprete e teatrólogo cajazeirense Ricardo Lacerda, que faz o personagem “Maria Calado”, tem nome cotado para assumir a direção do Teatro Irácles Pires Brocos Pires, o Teatro Ica.

De acordo com informações chegadas a nossa redação, outros nomes têm sido ventilados, a exemplo do ex-secretário de cultura e ex-diretor do Ica – Francisco Hernandes, do ex-secretário de cultura Aguinaldo Cardoso, além dos nomes de Walter Nunes e Karla Cristiane.

Porém, de acordo com uma fonte ligada ao deputado Jeová Campos, Ricardo Lacerda que votou em Jeová nas eleições passadas, motivo pela qual, houve sua demissão da Secretaria Municipal de Cultura de Cajazeiras e têm fortes laços com o Vereador Jucinério Félix, que foi assessor parlamentar de Campos, poderá assumir a direção daquela casa de espetáculo.

Os fatos acima mencionados, foram repassados por uma pessoa ligada ao deputado Jeová Campos, a mesma pediu sigilo para não revelar sua identidade. Comentários outros dão conta, que o Vereador Rivelino Martins não deverá fazer objeções, pois o parlamentar fez a indicação dos últimos dois diretores e não agradou ao seguimento artístico.

 

Redação – fmrural.com.br

porpjbarreto

Ex-aliado do prefeito de Cajazeiras fala sobre motivos do rompimento, desafia José Aldemir e expõe falta de materiais nas UBS’s

Em entrevista no último domingo (25) de novembro, ao programa Rural em Debate, da Rádio Rural FM de Cajazeiras, o Vereador Jucinério Félix (PPS), expôs sobre o rompimento com o grupo político do prefeito José Aldemir (PP) e revelou a existência de mágoas e o pós campanha. “Se faz política em grupo, com pessoas”.

Ainda de acordo com o parlamentar, o prefeito e sua equipe de auxiliares descumprem veementemente com a Lei do Piso Nacional dos Professores e critica a falta de materias básicos nas UBS’s e postos de saúde da cidade. “O prefeito descumpre a Lei do Piso Nacional dos Professores, recebo no meu gabinete pessoas todos os dias dando conta da falta de materiais básicos nos postos de saúde e UBS’s e a falta de exames”, informou.

Sequência uma ouvinte participou e questionou sobre a problemática dos animais de rua.

Abaixo, trechos da entrevista do Vereador Jucinério Félix. Escute!

 

Redação – fmrural.com.br

porpjbarreto

Sertaneja de São José de Piranhas residente no Estado da Bahia procura por parentes. Ajude encontrá-los!

Nely Guilherme de Matos, filha dos Senhor ‘Sebasto’ Guilherme e Dona Maria Braúna do Sítio Antas – São José de Piranhas. Nely foi embora para Jacobina aos 12 anos de idade e hoje, quer reencontrar com seus familiares. Quem souber informações e conhecer as pessoas acima mencionadas favor em entrar em contato com Nely Guilherme de Matos – (83)  9.9151-0310 telefone da Rádio Rural FM de Cajazeiras.

 

Redação – fmrural.com.br

porpjbarreto

Vereador Jucinério Félix (PPS) será o entrevistado no Programa Rural em Debate deste domingo (25). Participe!

O Vereador Jucinério Félix (PPS), que até bem pouco tempo fazia parte da bancada de situação da base política do prefeito José Aldemir (PP), na Câmara Municipal de Cajazeiras – rompeu e passou a ser oposição ferrenha.

O parlamentar não concordava com as situações no âmbito interno da gestão e vez por outra demonstrava sua irritação ao ser indagado sobre o comando da administração municipal de Cajazeiras.

Logo mais a partir das 11hs, deste domingo (25) de novembro, Jucinério Félix será o entrevistado no Programa Rural em Debate – apresentado pelos jornalistas Carlos GIldemar Pontes e Dr. Humebrto Nóbrega.

Participe pelos telefones: (83) 9.99273848 (WhatsApp) e (83) 9.81083496 (vivo)

Sintonize!

http://fmrural.com.br/

https://www.radios.com.br/aovivo/fm-rural/62061

https://play.google.com/store/apps/details?id=zdx.fmrural

 

Rádio Rural FM de Cajazeiras

porpjbarreto

Secretário de Saúde de Cajazeiras dar aumento de salário para ouvidora da pasta três vezes em apenas um ano

Marileide Pinheiro do Nascimento – Ouvidora da Secretaria Municipal de saúde de Cajazeiras. Foto: Arquivo Pessoal.

Mesmo em um período de recursos públicos escassos, o Secretário Municipal de Saúde de Cajazeiras – o Senhor Cristóvão Pinheiro deu três aumentos no salário da Ouvidora da referida pasta, a Senhora Marileide Pinheiro do Nascimento, a qual, tem vínculo de parentesco.

Servidores reclamam, que até a presente data a Prefeitura de Cajazeiras não efetuou o pagamento dos salários dos comissionados e parte dos servidores efetivos, que também não receberam seus provimentos referentes ao mês de outubro. E olha que estamos no final do mês de novembro.

Vale ressaltar, que um seleto grupo dentro da gestão do prefeito José Aldemir (PP), têm privilégios e regálias e outros – são considerados intóvais, pois, mesmo sendo de prerrogativa implantar e retirar benefícios, o gestor tem tratado de maneira desigual alguns aliados e servidores da administração.

De acordo com o Sagres-PB, órgão de fiscalização do TCE, os valores implantados no contra-cheque da servidora são alternador – possivelmente, para não chamar atenção.

Redação – fmrural.com.br

porpjbarreto

Elementos tentam roubar casa na zona rural de Cajazeiras e agricultor reage a bala

Foi por volta das 16hs30 da tarde desta quinta-feira (22), que populares da zona rural de Cajazeiras, avistaram um veículo de cor prata, passando em alta velocidade pela estrada vicinal de acesso aos sítios Catolé Pé de Serra e Cachoeirinha e, em seguida, foram ouvidos disparos de arma de fogo.

De acordo com relatos de testemunhas, dois homens chegaram à residência de um homem de pré-nome “Loló”, anunciaram o roubo, mas o agricultor reagiu à ação criminosa disparando vários tiros contra os bandidos. Os dois elementos foram atingidos, porém, um evadiu-se do local, já o outro foi detido, conduzido ao HRC e em seguida encaminhado à Delegacia de Polícia Civil, para tomada das providências cabíveis.

Na delegacia, o elemento foi autuado e reconhecido pela alcunha de “Luquinha”, onde há diversas ocorrências registradas em desfavor do mesmo.

 

Foto: WhatsApp

Redação – fmrural.com.br

porpjbarreto

ALPB busca intermediar uma solução para reabrir fábricas de água na Paraíba que foram interditadas pela Operação Poseidon

A Operação Poseidon que interditou várias fábricas de água adicionada de sais minerais em várias cidades da Paraíba, no começo de novembro, foi tema de uma reunião nesta quinta-feira (22), na Assembleia Legislativa. Convocada pelo deputado estadual Jeová Campos e presidente da Comissão de Desenvolvimento, Turismo e Meio Ambiente, com apoio da deputada Estela Bezerra, a reunião teve a participação de representantes de oito, das 17 fábricas interditadas. “A nossa iniciativa busca uma solução para um fato que tem impacto sócio e econômico direto em mais de 100 famílias, de várias cidades paraibanas e é um assunto de interesse do consumidor”, explicou o parlamentar.

Durante a reunião, vários empresários expuseram detalhes da Operação, considerada por eles como truculenta, os representantes da Agevisa – Ailton Cesar, Herberto Palmeira e Tatiane Lucena – abordaram as normas e legislação pertinentes ao setor e os deputados Jeová Campos e Estela Bezerra sugeriram ações e encaminhamentos que buscam solucionar a questão o mais breve possível. A articulação com a Anvisa, através de uma reunião em Brasília marcada para o dia 03 de dezembro, mas que poderá ser antecipada, além de uma reunião com o promotor do MPE, Glauberto Bezerra são alguns dos encaminhamentos.

 Também ficou decidido que a Agevisa vai fazer uma integração com a Anvisa no sentido de buscar as soluções para os variados casos identificados, culminando na reabertura dos empreendimentos que estejam em dia com a legislação e normas do setor. Outra proposta será firmar um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) para ampliar o prazo de adequação dos estabelecimentos à RDC 182 que entrou em vigor em abril deste ano e cujo prazo de adequação se extinguiu em outubro.

“Quando se fecha uma empresa, você prejudica a população de um modo geral e, neste caso específico, ficou evidenciado que houve uma certa truculência e abuso de autoridade na condução de todos os procedimentos que culminaram com o fechamento destas empresas e até prisão de empresários”, disse Jeová. Ele lembrou que, neste caso, também ficou evidenciado que a produção do produto estava sendo feita de forma legal e que os ajustes necessários, inclusive, para a adequação das novas normas que regem o setor, já estavam sendo observados e cumpridos.

“Não estamos aqui defendendo quem não tem condições técnicas de operar, mas buscando fazer uma mediação e solução para retomada dos trabalhos destas fábricas que geram empregos, que distribui água para os cantos mais longínquos da Paraíba, que tem um papel importante nas localidades onde estão sediadas e, sobretudo, vendem um bom e saudável produto, a um preço bem mais acessível”, reiterou o parlamentar. Ainda segundo Jeová, os órgãos de defesa do consumidor precisam estar atentos a repercussão geral de uma operação como essa que prejudicou toda uma população. “Os moradores da cidade de Prata, por exemplo, hoje não têm água mineral para consumir”, disse Jeová.

A Operação Poseidon foi coordenada pelo Ministério Público da Paraíba (MPPB) em parceria com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Secretaria da Receita Estadual (SER-PB) e Secretaria de Segurança e Defesa Social. A Agevisa não participou da ação, sequer foi comunicada previamente, e já se manifestou publicamente sobre essa questão, solicitando informações da Anvisa, inclusive, no tocante aos dados sobre o que de fato foi apurado. “Nenhum documento nos foi encaminhado sobre as supostas irregularidades. E isso é importante porque se tivermos uma empresa irregular no Estado, as medidas sanitárias precisam ser adotadas e quem vai acompanhar isso de perto é a Agevisa”, destacou Herberto Palmeira, gerente de Integração e Articulação do órgão estadual.

O deputado Jeová Campos, que também é advogado, chamou atenção para um fato curioso sobre a Ordem de Missão Nº 06/2018 que desencadeou a Operação Poseidon. Segundo o parlamentar, em todo o documento não tem um único fato objetivo que justifique tal operação. “Essa foi uma ação institucional delicada, pois entendemos que alguns comportamentos não são condizentes com a atual visão de fiscalização que traz em seus princípios primeiro a orientação e educação e somente depois desta etapa é que se faz a punição. Na nova visão sanitária você primeiro orienta e capacita e depois cobra. E isso não foi respeitado nesta ação, assim como outros pormenores, mas, o importante agora é buscar uma solução que permita a reabertura das fábricas, a manutenção dos empregos e o abastecimento destas localidades”, finalizou o parlamentar.

 

Assessoria

porpjbarreto

Deputado Jeová Campos questiona ato de interdição de pequenas empresas na Paraíba que engarrafavam água mineral

O deputado estadual Jeová Campos (PSB) questionou, durante a sessão da última terça-feira (20), a interdição de 17 pequenas empresas que atuavam no engarrafamento de água mineral na Paraíba. Segundo o parlamentar, mesmo tendo alvará de funcionamento e atuando de forma correta, com todas as licenças que a atividade exige, as empresas foram fechadas, deixando pais de família desempregados e cidades do interior desabastecidas.

“O impacto do fechamento destas pequenas empresas já é sentido pelas pessoas que ficaram sem seus empregos, repercutido negativamente na economia dos municípios afetados com essa ação e isso precisa ser levado em consideração”, disse o deputado. Na opinião de Jeová, essa ação partiu do oligopólio do segmento de água mineral que quer retirar do mercado àqueles que praticam preços mais acessíveis, de natureza popular.

Ainda segundo Jeová, é inadmissível essa interdição, pois todas as empresas atuavam legalmente, com licenciamentos em dia e com o aval dos órgãos competentes. “Ninguém pode fazer uma interdição linear como fizeram contra essas empresas, sem que elas tivessem cometendo um crime ou ação dolosa contra a saúde da população. Eu só posso pensar que é uma ação orquestrada para impedir qualquer concorrência no segmento do setor mineral”, reiterou o parlamentar, questionando qual será a grande empresa que vai querer operar em Carrapateira, em Santa Helena, em Triunfo ou Serra Grande.

Reunião na ALPB

Para debater o tema, o parlamentar, através da Comissão de Turismo, Desenvolvimento e Meio Ambiente da ALPB, vai promover uma reunião, na próxima quinta-feira (22), às 9h, na sala das comissões da ALPB, para debater essa questão com os empresários envolvidos nesta questão. “Vamos definir neste encontro uma linha de atuação conjunta na defesa das empresas, mas, mais que isso, vamos nos contrapor a esse fechamento linear, sem dar oportunidade de defesa às empresas. Se houver irregularidades pontuais, que elas sejam corrigidas, pois não defendo o funcionamento de empresas que não atende as exigências técnicas, mas fechar por fechar, isso não se justifica”, finalizou Jeová, Segundo ele, a reunião contará com a presença dos representantes das empresas interditadas.

 

Assessoria

porpjbarreto

PM é acionada para ocorrência de encontro de corpos às margens da PB-393 entre Cajazeiras e São João do Rio do Peixe

A Polícia Militar do 6º BPM foi acionada na manhã desta terça-feira (20), para uma ocorrência de encontro de dois corpos às margens da PB-393, rodovia estadual que liga Cajazeiras a São João do Rio do Peixe e, demais cidade do Vale do Rio do Peixe e fronteira com o estado do Rio Grande do Norte.

Chegando ao local indicado, as guarnições se depararam com dois corpos – aparentemente de dois jovens. Após os primeiros trabalhos pensou-se tratar de acidente, mas foram constatados ferimentos a bala, configurando crime de homicídio.

Ainda de acordo com testemunhas que foram chegando ao local, um deles era conhecido pela alcunha de “Fábio Gato” e o outro reconhecido por “Alan Guardinha”, residentes na Vila Nova – em Cajazeiras.

A polícia trabalha com várias hipóteses, inclusive, acerto de contas.

Sobra a autoria do duplo homicídio – até o momento ninguém foi preso. Diligências estão sendo realizadas.

 

Fotos: WhatsApp

Redação – fmrural.com.br

porpjbarreto

Secretário do prefeito de Cajazeiras faz duras críticas sobre divulgação de nota de repúdio do SINFUMC. Escute!

Em participação na tarde desta segunda-feira (19) por telefone a uma emissora de rádio de Cajazeiras, o Secretário Municipal de Articulação Política – José de Anchieta César de Lima fez duras críticas em desfavor da direção do Sindicato dos Funcionários Municipais de Cajazeiras (SINFUMC), em relação a divulgação na última semana de uma Nota de Repúdio de autoria da referida entidade de classe.

Anchieta atribuiu deselegantemente como mentirosa as declarações do sindicado e mencionou que um grupo de pessoas dentro do Sinfumc tem partidarizado o debate – “Quero lamentar os termos baixos, o nível da linguagem, dos termos rasteiros, agressivos usados principalmente contra o prefeito José Aldemir”.

NOTA DE REPÚDIO: Sindicato dos Funcionários Municipais de Cajazeiras e Magistério do Sistema Municipal de Ensino

 

Redação – fmrural.com.br