Categoria Sertão

porpjbarreto

Inscrições para Encceja terminam nesta sexta-feira (31)

O exame é direcionado para jovens e adultos que não terminaram os estudos na idade adequada e querem concluir o ensino fundamental ou médio

Foto: Governo de São Paulo

As inscrições para o Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos, o Encceja 2019, terminam nesta sexta-feira (31). O exame é direcionado a jovens e adultos que não terminaram os estudos na idade adequada e querem obter a certificação de conclusão do ensino fundamental ou médio. A inscrição é gratuita e deve ser feita pelo site enccejanacional.inep.gov.br.

Quem tiver interesse em conseguir o certificado do ensino fundamental precisa ter, pelo menos, 15 anos completos na data da prova. Já para o certificado do ensino médio, a idade mínima exigida é 18 anos.

As provas vão ser aplicadas no dia 25 de agosto em 611 municípios do país. Serão quatro provas objetivas, cada uma com 30 questões de múltipla escolha, e uma redação. A nota mínima exigida para obtenção da proficiência é de 100 pontos nas provas objetivas e de cinco pontos na redação.

Os resultados podem ser usados de duas formas. Quem conseguir a nota mínima exigida em todas as provas tem direito à certificação de conclusão do ensino fundamental ou do ensino médio. Aqueles que alcançarem a nota mínima em uma das quatro provas, ou em mais de uma, mas não em todas, vão ter direito à declaração parcial de proficiência.

Outra dica é que o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, o Inep, disponibiliza na página do Sistema Encceja apostilas com material de estudo para os participantes de nível fundamental e médio.

Repórter Cintia Moreira – Agência do Rádio

porpjbarreto

Combate à Fake News é tema de seminário na Assembleia Legislativa da Paraíba

“As fake news estão entre as maiores mazelas da sociedade atual, ao lado das drogas”, declarou o presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), Adriano Galdino (PSB), ao abrir oficialmente, na manhã desta quinta-feira (30), o I Seminário de Combate às Fake News da ALPB. O evento reuniu jornalistas, pesquisadores, profissionais de saúde, estudantes e parlamentares.

Na oportunidade, o presidente informou que o evento já se enquadra no âmbito da lei nº 11.341, de sua autoria, que estabelece a data 24 de março, no calendário estadual, como Dia de Conscientização e Combate às Fake News, sancionada pelo governador João Azevêdo (PSB) e publicada na edição dessa quarta-feira (29), do Diário oficial do Estado.

A mesa dos trabalhos, presidida por Adriano Galdino, foi composta pelos também deputados estaduais Raniery Paulino (MDB); Júnior Araújo (Avante); Cabo Gilberto Silva (PSL); Lindolfo Pires (Podemos), Estela Bezerra (PSB) e Wallber Virgulino (Patriota); além do Tenente Coronel Arnaldo Sobrinho, Doutor em Ciências Jurídicas e Mestre em Direito Econômico.

O jornalista Marcos Wéric, coordenador de Comunicação da ALPB e coordenador geral do evento, fez a saudação às autoridades, convidados e participantes, destacando que o seminário é resultado de uma ação que começou com uma campanha de conscientização da sociedade, encampada pela TV Assembleia sobre o tema.

“A ideia repercutiu muito bem no seio da sociedade e evoluiu para este seminário, porque trata-se de um assunto muito sério, que tem influência direta na vida das pessoas, no cotidiano dos poderes, inclusive. É uma tecla que nós temos que bater sempre, para que o bom jornalismo sempre sobressaia sobre as fake News. Esse é o nosso dever, enquanto comunicação institucional, enquanto TV pública”, disse.

WhatsApp Image 2019-05-30 at 11.11.34 AMNa sua fala, o deputado Adriano Galdino destacou  que a ideia de realizar o seminário surgiu a partir de uma breve reflexão sobre o papel da imprensa no contexto da sociedade. “Isso me preocupou, naquela oportunidade, e me preocupa ainda hoje, porque nós precisamos de uma imprensa que possa formar jovens, pais e mães de famílias com conhecimento de qualidade, independência e espírito público. Uma imprensa que possa valorizar a defesa do estado democrático de direito, a defesa das instituições brasileiras, a defesa da democracia, do respeito às pessoas e aos indivíduos” declarou.

Entre as autoridades convidadas, o jornalista João Pinto, presidente da Associação Paraibana de Imprensa, declarou que a entidade tem dado apoio necessário a todas as iniciativas de combate às fake news, “que é um fenômeno que tem se alastrado em todo o mundo”. “Diante disso a API também está engajada neste movimento encampado pela Assembleia Legislativa, parabenizando o presidente Adriano Galdino pela excelente iniciativa de levantar esse tema tão atual, sob a coordenação de Marcos Wéric, para que possamos nos unir contra esse mal que ameaça toda a sociedade”, comentou João Pinto.

O deputado Júnior Araújo, que representa a região polarizada pelo município de Cajazeiras, no Alto Sertão paraibano, lembrou a tradição jornalística sertaneja, especialmente na área de rádio. Ele fez um breve histórico das redes sociais e a influência que elas exercem, ao longo do tempo na sociedade, inclusive influenciando diretamente nas eleições em diversos países a exemplo dos Estados Unidos, particularmente na mais recente disputa entre o republicano Donald Trump e a democrata Hilary Clinton. “As mídias sociais têm seu lado positivo, mas também têm o seu lado obscuro, um lado extremamente negativo e ainda não há uma fronteira de se controlar o que é divulgado nas redes sociais. E as fake News são a grande chaga desse processo”, observou.

Para Raniery Paulino, um dos debatedores do seminário, é de fundamental importância discutir algo tão novo, tão presente nas vidas de todos os brasileiros, especialmente aqueles que têm acesso à internet. “Isso mostra que a Assembleia Legislativa está extremamente conectada com a realidade e buscando, através do debate amplo e democrático, encontrar soluções para um problema que aflige a sociedade, não só na Paraíba ou no Brasil, mas em todo o mundo”, destacou.

WhatsApp Image 2019-05-30 at 1.10.44 PMO Tenente Coronel Arnaldo Sobrinho, também palestrante, manifestou felicidade pela iniciativa da Assembleia Legislativa, parabenizando o presidente Adriano Galdino pela aprovação da Lei que “estabelece um dia específico para combate às Fake News, que se materializa, de forma contundente, com a realização do seminário”.

Arnaldo, que coordena o escritório nacional da Associação Internacional de Combate ao Crime Cibernético, sediado em João Pessoa, disse que ainda não se tem controle sobre a disseminação de informações falsas, mas é possível estabelecer um combate sistemático a essa prática danosa à sociedade, através de diversas ferramentas cibernéticas.

“Da parte de nossa associação, nós temos feito um trabalho preventivo e significativo nas escolas, públicas e privada. Tivemos situação extremamente graves nos últimos anos, a exemplo da baleia Azul e do Momo do WhatsApp. De modo que parabenizo a Assembleia Legislativa, para que possamos fazer das diversas ferramentas da internet um espaço de responsabilidade”, finalizou.

Além de Raniery Paulino e o Coronel Arnaldo Sobrinho, também foram debatedores do seminário a advogada Yasmin Mendonça e os jornalistas Phelipe Caldas, Cândida Nobre e Sony Lacerda.

Assessoria de Imprensa – ALPB

porpjbarreto

Comissão aprova criação de delegacias rurais em municípios com mais de 95 mil habitantes

A Comissão de Agricultura da Câmara aprovou proposta (PL 365/19) que cria delegacias rurais em municípios com mais de 95 mil habitantes.

O autor da proposta, deputado Alceu Moreira, do MDB gaúcho, lembrou que o projeto já foi apresentado na legislatura passada. Mas, na proposta atual, o número de habitantes foi reduzido para garantir que as delegacias estejam presentes longe dos grandes centros urbanos.

Segundo dados da Confederação Nacional da Agricultura, nos últimos dois anos apenas nos estados de Goiás, Mato Grosso e Minas Gerais foram registrados 70 mil 966 furtos e roubos em propriedades rurais.

O relator da proposta na Comissão de Agricultura, deputado Lúcio Mosquini, do MDB de Rondônia, afirmou que a existência de delegacias rurais vai ajudar a diminuir o número de casos de roubo e furtos além de controlar a invasão de terras que muitas vezes leva à morte de pessoas.

“A delegacia vai ser especializada nisso. Então ela vai conhecer uma quadrilha que age com furto de gado, conhecer uma quadrilha que rouba trator, ela vai conhecer uma quadrilha que faz sequestro rural. Então como é uma delegacia especializada, os policiais dessa delegacia vão se dedicar a isso. Então se você se aprofundar em qualquer assunto você vai ter subsídios para tomar decisões e essa delegacia como é especializada na violência rural, na violência do campo ela vai cuidar desses processos e produzir resultados.”

A proposta tinha sido apresentada originalmente para municípios com mais de 200 mil habitantes que são apenas 149 no Brasil. Com a mudança no número de habitantes para 95 mil, as delegacias deverão ser instaladas em 331 municípios brasileiros.

A proposta que cria delegacias rurais ainda vai ser analisada pelas comissões de Segurança Pública, de Finanças e Tributação e de Constituição e Justiça.

Reportagem – Karla Alessandra
porpjbarreto

Frente Parlamentar da Água e da Agricultura Familiar da ALPB entregará ao governador documento propondo políticas para o setor

Com os dados e sugestões colhidas em audiências públicas, realizadas em diversas cidades do interior paraibano, entre os meses de fevereiro e abril deste ano, a Frente Parlamentar da Água e da Agricultura Familiar da ALPB, presidida pelo deputado estadual Jeová Campos (PSB), vai realizar um grande evento reunindo agricultores de vários municípios. A proposta do encontro, que vai acontecer no Espaço Cultural, no próximo dia 19 de junho, é entregar para o governador João Azevedo um documento com sugestões e propostas de políticas públicas para melhorar a agricultura familiar na Paraíba.

“A montagem deste projeto foi feita a partir de sugestões de quem vive da terra, espelha a realidade do campo em nosso estado, os anseios de quem vive o dia a dia da agricultura familiar, de quem sabe o que mais precisa, ou seja, sem dúvida nenhuma, esse documento vai traduzir o que é realmente necessário e fundamental para que a agricultura familiar no estado se desenvolva de forma mais ordenada, eficaz e eficiente”, afirma o parlamentar.

E neste projeto, a Frente Parlamentar da Água e da Agricultura Familiar da ALPB tem tido a parceria do secretário de Agricultura Familiar e Desenvolvimento do Semiárido, Luiz Couto, que participou de todas as audiências, e o apoio da Federação dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares do Estado da Paraíba (Fetag-PB), que mobilizou seus associados para participarem das audiências.

Ascom

porpjbarreto

Rede promove campanha contra importunação sexual e pela dignidade das mulheres, no período junino

MPPB, Judiciário, Governo do Estado, Defensoria, prefeituras e outros parceiros se unem para divulgar mecanismos de proteção à dignidade das mulheres

“Nãé não, também no São João”. Este é o recado que a Rede Estadual de Atençãàs Mulheres Vítimas de Violência Doméstica e Sexual (Reamcav) vai repassar, durante os festejos juninos deste ano, no Estado. A mensagem faz parte de uma campanha de orientação à sociedade sobre as implicações da Lei de Importunação Sexual (Lei Federal 13.718/18) e os mecanismos de prevenção e denúncia de crimes contra a dignidade feminina. Estão juntos neste movimento o Ministério Público da Paraíba (MPPB); o Tribunal de Justiça (TJPB); a Defensoria Pública; a Associação Paraibana do MP; as prefeituras de João Pessoa, de Campina Grande e de Mamanguape; a Câmara Municipal de João Pessoa; a Assembleia Legislativa e as secretarias de Estado de Segurança e Defesa Social (Seds) e da Mulher e da Diversidade Humana (Semdh) e outros parceiros.

A campanha será apresentada aos gestores municipais, durante o lançamento dos principais festejos juninos da Paraíba, que vai ocorrer, às 16h, na PBTur, em João Pessoa. O lançamento oficial será nos próximos dias 5, em Campina Grande, e 7, em João Pessoa. Além de peças de divulgação (spot, vídeos, cartazes, banners, ventarolas, camisas, cards …), que devem ser reproduzidas nos principais veículos de comunicação e nas redes sociais dos órgãos envolvidos, haverá ações presenciais dos órgãos envolvidos. A campanha estará nas festas principais, como o São João de CG (no Parque do Povo) e o da Capital (no Ponto de Cem Réis) e em outros municípios que estão aderindo ao movimento, a exemplo de Belém e Mamanguape. A motivação da campanha foi transformada em música pelo compositor Carlos Mendes. O jingle deve integrar o material de divulgação.

Engajamento da sociedade

De acordo com a organização da ação, todas as parcerias são bem-vindas. O ideal é que toda a sociedade se engaje, multiplicando conhecimento como forma de prevenção e se apropriando dos meios para denúncia de crimes e atendimento às mulheres. Além dos telefones 190 (emergência da Polícia Militar) e 197 (disque denúncia da Polícia Civil), as queixas de importunação sexual podem ser feitas em qualquer delegacia, especialmente, nas Delegacias da Mulher; nas promotorias de Justiça do MPPB em todo o Estado e nos centros de referência de atendimento às mulheres nos municípios.

A coordenadora interina do Núcleo de Gênero do MPPB, Rosane Araújo, explicou que o Ministério Público tomou a iniciativa de articular a parceria com os órgãos integrantes da Reamcav para a formatação da campanha de prevenção da violência contra as mulheres, semelhante a que foi feita pela Rede no último Carnaval. O contexto que vivemos hoje exige mais intervenções articuladas, além da repressão. Então, pensamos esta campanha com conteúdo educativo, pedagógico e de prevenção. O São Joãé a festa mais popular do Estado e uma oportunidade de trabalharmos a desconstrução dessa masculinidade violenta e defendermos os direitos humanos das mulheres. Ampliamos as parcerias com a adesão de prefeituras e outros órgãos e ainda estamos de portas abertas a todos que queiram se engajar nessa ação”, disse.

Os detalhes das ações foram discutidos em reunião na última segunda-feira, na Promotoria de Justiça da Mulher, na Capital. Participam das discussões as promotoras de Justiça integrantes do Núcleo de Gênero do MPPB, Rosane Maria Araújo, Ismânia do Nascimento Rodrigues Pessoa da Nóbrega e Caroline Freire Monteiro da Franca, e de representantes do Tribunal de Justiça da Paraíba, Graziela Queiroga Gadelha de Sousa; da Secretaria de Estado da Mulher e da Diversidade Humana, Gilberta Santos Soares; da Coordenação das Delegacias Especializadas da Mulher (Deams), Maísa Félix Ribeiro de Araújo e Renata de Almeida Matias; da Defensoria Defensoria Pública, Eliomara Correia Abrantes; da Prefeitura de Mamanguape, Maria Eunice do Nascimento Pessoa (prefeita) e Danielle do Nascimento Rodrigues Aranha (secretária de Finanças); da Câmara de Vereadores de João Pessoa, Nilmara Braga (diretora-geral) e Lael Arruda (secretário de Comunicação).

Algumas atividades programadas:

30/05 – 16h, Divulgação da campanha a gestores, na PBTur (JP);

05/06 – 10h, no auditório da Fiep, em Campina Grande;

07/06 – 10h, no auditório do MPPB, em João Pessoa;

07/06 – 18h, apresentação da campanha ao público no Parque do Povo (CG);

14/06 – São João em Mamanguape;

04/07 – São Pedro em Belém.

Assessoria de Imprensa – TJPB

porpjbarreto

Deputado Jeová Campos critica postura de Walber Virgulino e diz que não se deve cuspir no prato que se come ou se comeu

Em duro e franco discurso na sessão desta terça-feira (28), o deputado estadual Jeová Campos (PSB) fez críticas a postura de seu colega de parlamento, Walber Virgulino. “Eu não entendo porque toda vez que você, deputado Walber Virguino, sobe na tribuna desta Casa vem falar mal do ex-governador Ricardo Coutinho. Eu não entendo porque tanto rancor, tanto ódio contra Ricardo. Eu, sinceramente, se fosse lhe dar um conselho, eu diria que a gente não deve cuspir no prato que come ou comeu, porque isso não me parece uma postura sensata, pois isso beira, no mínimo, a ingratidão”, disse Jeová.

O parlamentar lembrou que Walber foi secretário de Estado e que ficou caladinho o tempo inteiro e não deu uma palavra sequer quando era auxiliar do governador. “Agora não acho oportuno você vir aqui falar do ex-governador, porque se tinha esses erros do passado, porque você não denunciou?’, questionou Jeová.

Ainda segundo Jeová, seu colega procura o tempo inteiro fazer a difamação a honra pessoal do ex-governador Ricardo Coutinho. “Sinceramente, acho isso um oportunismo desnecessário. Para começar, Ricardo não é mais o governador. Se você tinha essas reclamações, por que não as colocou na época que era secretário? Por que aceitou ser secretário de um governo que você fala com tanto rancor, tanta vingança e contestação, isso é no mínimo, uma incoerência política”, reiterou Jeová.

“Eu não posso entender esse seu sentimento de rancor e ódio em relação a Ricardo, afinal, você foi secretário dele, serviu ao estado da Paraíba e quero dizer que serviu bem, mas você precisa rever essa postura de toda vez que subir a tribuna da ALPB ter que falar mal do seu ex-governador. Eu não sei mas acho que isso deve ser um amor muito forte que só você sabe explicar”, finalizou Jeová, dirigindo-se a Walber que estava no plenário no momento do pronunciamento.

Assessoria de Imprensa

porpjbarreto

Vereador confirma pré-candidatura da médica Jourdana Diniz para prefeita de Conceição em 2020

A doutora Jourdana reúne todas as qualidades necessárias para administrar o município de Conceição e de fazer um excelente trabalho em benefício da população”, pontuou o vereador.

O Vereador Agnaldo Diniz fez ecoar sua voz e anunciou a pré-candidatura da sua sobrinha, a médica Jourdana Diniz a prefeita de Conceição, no próximo pleito eleitoral, que será realizado em 2020. Jourdana é filha do ex-prefeito Deon Diniz com a vice-prefeita atual Nena Diniz. O anúncio ocorreu, durante a sessão da Câmara, que estava sendo realizada na manhã da última terça-feira (28).

Durante o pronunciamento, Aguinaldo Diniz explicou que história política da família Diniz tem sido marcada por grandes decisões e coerências e que de maneira muito respeitosa e para atender o desejo de inúmeros amigos e do povo, deixou claro que a jovem e conceituada médica será pré-candidata a prefeita nas eleições de 2020.

Ainda de acordo com o vereador, a família espera contar com a reciprocidade política do grupo que milita, até porque esse é um projeto planejado, que visa cada vez mais a melhoria de Conceição e o bem estar do seu povo, sobretudo os mais humildes, confirmou o parlamentar-mirim.

O vereador disse ainda, que não pretendia trazer o debate de 2020 para 2019, mas foi levado a fazer tais esclarecimentos para acabar com possíveis dúvidas a respeito do assunto por parte de quem quer que seja.

A doutora Jourdana reúne todas as qualidades necessárias para administrar o município de Conceição e de fazer um excelente trabalho em benefício da população”, pontuou o vereador.

E por fim, o parlamentar ressaltou, que o histórico da família Diniz tem sido de decisões coerentes e sinceras. Segundo Aguinaldo Diniz, no momento oportuno os entendimentos políticos acontecerão, mas que o desejo de candidatura não pertence mais à jovem médica, nem á família Diniz, mas sim ao povo, segundo ele, ninguém deve ser candidato de si próprio e sim, seguir a vontade do próprio povo.

 

Com informação de Vale do Piancó Notícias

porpjbarreto

Eclipse de Sobral: há 100 anos, evento comprovava a teoria de Einstein

No dia 29 de maio de 1919, o céu amanheceu nublado sobre a cidade cearense de Sobral, a 230 quilômetros da capital, Fortaleza. Tivesse o Sol permanecido encoberto, o esforço da comitiva de astrônomos teria sido em vão. Perderiam o eclipse total e a chance de provar que as ideias de Albert Einstein eram corretas.

Mas, pouco antes das 9 h, uma brecha entre as nuvens revelou o momento em que o disco solar foi obscurecido pela Lua. Muita gente acompanhava o fenômeno nas praças da cidade, e as reações foram as mais diversas.

Sobralenses amedrontados buscaram refúgio na igrejinha, temendo o Juízo Final. Os galos ao redor, confusos, cantaram pensando que já era noite. Enquanto isso, os cientistas tentavam extrair o máximo de resultados dos instrumentos de alta precisão montados num misto de observatório e laboratório improvisado no coração de Sobral. Os brasileiros se concentravam no estudo da coroa solar; os britânicos tiravam fotos. Muitas fotos.

Cinco minutos e treze segundos mais tarde, o Sol voltou a brilhar. Aquele eclipse não tinha nada de tão especial, mas acabou eternizado na história da ciência como um dos mais importantes de todos os tempos. Foi uma espécie de rito de passagem. Com os resultados, comprovaram-se as arrojadas ideias relativísticas de Albert Einstein, que substituíram o mecanicismo clássico de Isaac Newton como a melhor explicação do Universo.

O século 20 nunca mais foi o mesmo. “Foi um momento de mudança revolucionária, dizer que esse modelo de universo newtoniano incrivelmente importante não era, na realidade, o correto”, diz o britânico Richard Dunn, pesquisador da Universidade de Leicester e curador das exposições de história da ciência do Observatório de Greenwich. “Essa expedição foi vista como um teste crucial.” Meio sem querer, a pequena Sobral ganhou fama internacional por ser palco da comprovação da Teoria da Relatividade Geral.

População de Sobral observa o trabalho dos cientistas (Foto: Divulgação/ Observatório Nacional)

Dunn veio ao Brasil para proferir uma palestra sobre o eclipse de Sobral em outubro do ano passado. O evento, realizado no Museu de Astronomia e Ciências Afins (Mast), no Rio de Janeiro, abriu as comemorações do centenário do fenômeno astronômico, que acontece em maio.

Talvez não por acaso, 2019 foi proclamado o Ano Brasil-Reino Unido de Ciência e Inovação pelo governo dos dois países — o evento no Mast integrou o calendário de atividades. “Podemos fazer boas parcerias nesse sentido: nós com nossa criatividade e a Inglaterra com sua tradição em pesquisa”, diz a física Anelise Pacheco, diretora do museu. “Sem cooperação, inexiste ciência.” A afirmação é tão verdadeira hoje quanto era em 1919.

Na época, foi necessária uma intensa colaboração entre ingleses e brasileiros para garantir o êxito da expedição. O arquiteto por trás da empreitada foi o astrônomo inglês Arthur Eddington, da Royal Astronomical Society (RAS). Com o auxílio de Henrique Morize, então diretor do Observatório Nacional (ON), Sobral foi escolhida por ter a melhor visibilidade do eclipse. Morize garantiu suporte logístico e a montagem de uma estação meteorológica no local para evitar que as condições climáticas estragassem os resultados.

Outra comitiva britânica foi enviada à costa africana para documentar o evento na Ilha do Príncipe, local também com observação privilegiada. Os ingleses Andrew Crommelin e Charles Davidson viajaram para Sobral, e os colegas Arthur Eddington e Frank Dyson foram a Roça Sundy, em Príncipe, onde o tempo não colaborou.

Ambas as expedições partiram da Inglaterra no dia 8 de março. Crommelin e Davidson chegaram a Sobral cerca de um mês antes do eclipse. Com eles estavam as placas fotográficas que provariam a teoria de Einstein.

Eclipse solar total de Sobral (CE) (Foto: F. W. Dyson, A. S. Eddington, and C. Davidson/Wikimedia Commons)

Um século depois, pouquíssimos duvidam da relatividade geral. Mas, naquela época, o modelo einsteiniano ainda dava seus primeiro passos e era encarado com descrença pela comunidade científica, já que não havia sido provado. Publicada em 1916, a teoria levou oito anos para ficar pronta: foi o tempo que Einstein precisou para generalizar os postulados da relatividade especial, de 1905, e incluir a gravidade na jogada.

De acordo com a teoria do alemão, o espaço e o tempo formam um único tecido, um contínuo maleável que é distorcido por corpos de muita massa como um buraco negro, um aglomerado de galáxias ou o Sol. Nem mesmo a luz escapa: quando os fótons atravessam regiões distorcidas do Universo, suas trajetórias sofrem um desvio.

Os eclipses solares totais forneciam as condições perfeitas para testar a previsão de Einstein. Com a Lua bloqueando o brilho ofuscante do Sol, tornava-se possível enxergar (e fotografar) as estrelas próximas a ele.

Placa 06 (Foto: Observatório Nacional)

Por estarem quase encobertos pelo Sol quando vistos da Terra, os raios das estrelas atravessariam o espaço-tempo distorcido pelo campo gravitacional do Sol — um desvio que podia ser verificado. O segredo era fotografar essas estrelas durante o eclipse e, um tempo depois, clicá-las novamente quando estivessem na mesma região do céu, mas sem a interferência solar. Foi justamente o que a delegação britânica fez em Sobral. “Eles procuravam variações comparáveis aos mais finos fios de cabelos humanos”, explica Dunn. Precisavam de estabilidade e rigor extremos nos instrumentos para produzir resultados confiáveis.

O segundo conjunto de fotos foi tirado em julho do mesmo ano. De acordo com a teoria de Einstein, a comparação dos registros deveria ter uma diferença de 1,75 segundo de arco, enquanto a de Newton previa um número bem menor, de 0,86. Um segundo de arco equivale ao tamanho de uma estrela a olho nu. “Passaram os meses seguintes analisando aquelas placas e conseguiram centenas de páginas de cálculos baseados nas fotos”, diz Dunn. Em novembro, os olhos do mundo se voltaram para Londres, onde cientistas anunciaram que Einstein estava certo.

Prelúdio e legado
Antes do evento em Sobral, pesquisadores de vários países organizaram expedições para acompanhar eclipses totais do Sol. Todas fracassaram. Uma delas, inclusive, foi no Brasil, na cidade mineira de Passa Quatro, em 1912.

Mas as coisas acabaram acontecendo na hora certa, diz a astrofísica Patrícia Spinelli, do Mast. “Se o de Passa Quatro tivesse sido o eclipse da comprovação, não teria dado a fama que Sobral deu a Einstein.” À época da expedição em Minas Gerais, boa parte da relatividade geral ainda estava confinada à mente do físico. “Quando os céus se abriram em 1919, a teoria já estava completa e pôde ser comprovada.”

E não foi só Einstein que se beneficiou: as ciências britânica e brasileira enriqueceram-se muito. A expedição ficou marcada na trajetória da Royal Astronomical Society. Segundo Robert Massey, membro da diretoria executiva da RAS, foi uma das poucas ocasiões em que a organização se envolveu em todas as etapas de uma campanha.

A equipe que participou da expedição a Sobral (Foto: Divulgação/ Observatório Nacional)

Hoje, fica claro que o legado não se limita à ciência — deixou também uma rica bagagem cultural no país. No acervo do Mast existem 3 mil peças relacionadas ao eclipse, que incluem documentação e instrumentos, como telescópios. Para celebrar o centenário, a instituição abrirá uma mostra.

Em Sobral, há uma movimentação intensa para a data. Até o centenário, a cidade cearense quer lançar um selo comemorativo, conduzir sessões na Assembleia Legislativa do Ceará e no Senado Federal e montar uma exposição no Congresso Nacional, além de reabrir seu planetário, inaugurar uma estátua de Einstein e lançar a pedra fundamental do Monumento da Luz.

“Isso deveria inspirar as pessoas a falar: ‘Sabia que aqui tivemos uma das maiores descobertas científicas da história?”, diz Massey. É um sentimento que permanece tão atual e verdadeiro quanto as ideias de Einstein.

PERSONAGENS DA OBSERVAÇÃO
Conheça quatro dos pesquisadores envolvidos

Andrew Crommelin (1865-1939)
Matemático e astrônomo-assistente do Observatório Real de Greenwich

Charles Davidson (1875-1970)
Computador (calculista) júnior do Observatório Real de Greenwich

Arthur Eddington (1882-1944)
Astrônomo, físico e matemático, era diretor do Observatório de Cambridge

Edwin Cottingham (1869-1940)
Fabricava relógios de altíssima precisão para pesquisas astronômicas

A JORNADA DO ECLIPSE
Entenda a trajetória e conheça os integrantes das expedições que documentaram o fenômeno

8/3/1919
Ambos os grupos partem do porto de Liverpool a bordo do navio SS Anselm. Na Ilha da Madeira, os astrônomos se dividem.

23/3/1919
É em Belém que Crommelin e Davidson chegam ao Brasil. Com tempo, vão a Manaus para conhecer a Floresta Amazônica.

23/4/1919
Eddington e Cottingham desembarcam na Ilha do Príncipe e, cinco dias depois, em Roça Sundy, seu ponto de observação.

30/4/1919
Crommelin e Davidson chegam a Sobral e escolhem a pista do Jockey Clube para montar os instrumentos.

29/5/1919
Sobral amanhece nublado, mas uma brecha no céu permite as medições.

9/7/1919
Após um tempo em Fortaleza, Crommelin e Davidson voltam a Sobral para fotografar as mesmas estrelas, só que sem a interferência do Sol.

6/11/1919
Os resultados foram revelados ao mundo: apontaram que o desvio pendia mais para as predições de Einsten que para as de Newton.

Curte o conteúdo da GALILEU? Tem mais de onde ele veio: baixe o app Globo Mais para ler reportagens exclusivas e ficar por dentro de todas as publicações da Editora Globo. Você também pode assinar a revista, a partir de R$ 4,90, e ter acesso às nossas edições.

 

POR A. J. DE OLIVEIRA | EDIÇÃO MARIA LUÍSA BARSANELLI
porpjbarreto

Zoonoses e Vigilância Ambiental de Cajazeiras intensificam busca ativa por animais com suspeita de leishmaniose em áreas de risco

A Coordenação Municipal de Zoonoses e a Vigilância Ambiental estão intensificando os serviços de coleta nos bairros da cidade com o intuito de identificar animais com suspeita de leishmaniose (o calazar).

De acordo a coordenadora do setor de zoonoses, Cléo Moura, o trabalho vem sendo feito em parceria com a Vigilância Ambiental, que disponibiliza a equipe de para que sejam realizadas as coletas todas as terças-feiras nos bairros e áreas de risco, sobretudo nas periferias, onde tem uma grande quantidade de animais domésticos.

“Todas as terças-feiras são coletadas vinte amostras, que são enviadas ao Lacen, em João Pessoa, e quando esses resultados retornam, os positivos são recolhidos pelo Núcleo de Zoonoses e realizado o procedimento de eutanásia pelo veterinário”, explicou.

Segundo ela, a Zoonoses está sempre ativa, em parceria com a Vigilância Ambiental, realizando os testes de leishmaniose canina.

Finalizando, ela ressaltou que qualquer pessoa pode encaminhar casos suspeitos de calazar até o Núcleo, onde o veterinário faz a avaliação, com coleta sanguínea e um teste rápido que, dando positivo, é enviado a João Pessoa e, retornando, é obrigação da Zoonoses fazer o recolhimento do animal e o procedimento de eutanásia.

Secom-Cz

porpjbarreto

Hospital Regional de Cajazeiras realiza campanha de conscientização e higienização das mãos

O Hospital Regional de Cajazeiras realizou na manhã desta terça-feira (28), campanha de conscientização sobre a higienização das mãos, e sobre o perigo do uso de adornos no ambiente hospitalar.

A campanha teve a frente à coordenação da Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH).

Setores da Urgência, Bloco Cirúrgico, Maternidade, UCI e UTI, foram os principais postos visitados. A campanha tem como principal objetivo a conscientização dos perigos no uso de adornos durante a prestação do cuidado no ambiente hospitalar, visando um atendimento qualificado e sem riscos aos usuários.

Acompanhe as ações em todo o Estado, através das hastags #SouLindaSemAdornos e também #EuMeComprometo.

Assessoria