Categoria Policial

porAutor

Homem mata mãe e filha a martelada e esquarteja no porão de casa

Polícia chegou ao suspeito após localizar parte dos corpos em beira de rodovia

Um produtor rural foi preso no último sábado (10) em Silvianópolis (MG) por esquartejar a esposa e matar a enteada de 5 anos com requintes de crueldade. Luiz Carlos Martins, de 47 anos, confessou o crime e disse à polícia que a relação do casal era bastante conturbada.

Segundo a polícia, os crimes aconteceram no dia 27 de outubro. Na última terça-feira (6), foram encontradas pernas na beira de uma rodovia, em São João da Mata (MG). As tatuagens ajudaram a polícia a chegar ao suspeito.

Francileide Assis Barbosa, de 26 anos, natural de Feira de Santana (BA), trabalhava em um município no Sul de Minas Gerais como garota de programa até conhecer Luiz Carlos e se mudar com ele para Silvianópolis. Depois de um tempo, ela levou a filha Bruna Carla Assis, de 5 anos, para morar com eles.

“Segundo ele, ela era uma pessoa de temperamento difícil, que eles brigavam muito e que inclusive ela já chegou a ameaçar ele de morte algumas vezes”, contou ao ‘G1’ delegado Rodrigo Bartoli.

A princípio, o suspeito chegou a negar o crime, mas prestou um depoimento com contradições, o que fez com que a polícia desconfiasse e fosse até a casa dele. Lá, encontraram evidências dos assassinatos, como respingos e manchas de sangue.

Em um dos depoimentos, Luiz Carlos afirmou ter sido ameaçado pela mulher com uma faca. Ele disse que conseguiu desarmá-la e atingiu a cabeça dela com um martelo. A menina teria se assustado com o barulho e ido procurar a mãe. “Quando ela chegou, ele disse que ‘no susto’, foi o termo que ele usou, ele deu uma martelada na menina”, revelou a médica legista Tatiana Teles Koeler.

Como reportado pelo site, com informações da polícia, para dar sumiço nos corpos, o assassino teria agido friamente. Ele levou ambos para o porão da casa e os esquartejou.

O corpo da criança foi localizado em uma fossa, no sítio da família, onde Luiz Carlos trabalhava. Já o corpo da mulher foi abandonado em partes separadas, algumas foram enterradas, outras deixadas num rio e outras à beira da estrada. Nem tudo foi localizado.

As partes recuperadas foram levadas para o IML de Pouso Alegre e serão encaminhadas para a família, na Bahia. O suspeito foi levado para o Presídio de Pouso Alegre.

 

Notícia ao Minuto

porAutor

Homem é detido e conduzido à Delegacia de Polícia de Cajazeiras após ser flagrado dirigindo embriagado

Foi conduzido à Delegacia de Polícia de Cajazeiras, o popular Cícero Alves da Silva, na última sexta-feira (09) nas proximidades da 5ª CPTRAN, após ser flagrado apresentando fortes sintomas de embriaguez alcoólica.

Segundo apurou a polícia – por volta das 18hs50 uma guarnição foi acionada pelo COPOM do 6º BPM e de acordo com relatos, o investigado por pouco teria causado um acidente numa cavalgada, quando estava guiando seu veículo de placas: HVV-8644/CE.

Diante às informações, fora montada uma barreira na qual, o mesmo foi parado por policiais do BOPE e conduzido à Delegacia, sendo constatada a embriaguez. O motorista não possui CNH.

Cícero foi entregue ao delegado de plantão, para as medidas que requer o caso.

 

Com informações de Ângelo Lima

porAutor

TJPB mantém condenação de réus por roubo e latrocínio em São Bento no Sertão

A Câmara Criminal do Tribunal de Justiça da Paraíba manteve decisão do Juízo da Vara Única da Comarca de São Bento, que condenou Edenilson Campos da Silva e Josierick de Oliveira Rodrigues à pena de 18 anos, quatro meses e 16 dias de reclusão, em regime fechado, e ao pagamento de 170 dias-multa pela prática de latrocínios tentados e roubos majorados. A Apelação Criminal nº 0000322-17.2014.815.0881 foi relatada pelo desembargador Arnóbio Alves Teodósio, que votou pelo desprovimento dos apelos, em harmonia com o parecer do Ministério Público, sendo acompanhado por unanimidade.

De acordo com os autos, no dia 9 de março de 2014, os réus realizaram a subtração de quatro celulares, com emprego de arma de fogo e em concurso de pessoas, sendo três vítimas atingidas pelos disparos. Os réus foram presos em flagrante delito com os objetos e a arma do crime, além de terem sido reconhecidos pelas vítimas.

Inconformados com a condenação em primeira instância, os réus apelaram, pugnando pela desclassificação do crime de latrocínio tentado para o crime de roubo simples, sob o argumento de que não ficou comprovada a intenção de matar e nem a ocorrência de lesão corporal grave. Alternativamente, pediram a aplicação do redutor máximo de 2/3 em face da tentativa. No tocante ao delito de roubo qualificado, insurgiram-se em relação à dosimetria das penas, na qual pediram a redução pelo reconhecimento das atenuantes da confissão espontânea e da menoridade e a redução da fração quanto às majorantes, alegando que foram fixadas no patamar máximo legal sem a devida fundamentação. Por fim, que fossem modificados os regimes de cumprimento das sanções.

O relator da Apelação Criminal, desembargador Arnóbio Teodósio, disse não haver dúvidas quanto à materialidade e a autoria dos crimes, tanto que, em suas razões recursais não rebateram à autoria, mas alegaram, apenas, que não tiveram intenção de matar e nem ficou comprovada a ocorrência de lesão corporal grave nas vítimas. Com isso, afirmou ser inviável pelas provas dos autos o pleito de desclassificação do crime de latrocínio, na forma tentada, para roubo simples.

O desembargador disse que o dolo de subtrair os bens das vítimas e a intenção de ceifar suas vidas em prol de conseguir esse intento, independente do grau das lesões sofridas, ou de assumir o risco de matar, caracteriza o latrocínio na forma tentada. Por fim, o magistrado entendeu que o juiz sentenciante, dentro de sua discricionariedade, aplicou um patamar justo, observando ser impossível a redução das penas aquém do mínimo legal em face da presença de circunstâncias atenuantes, conforme vedação da Súmula nº 231 do Superior Tribunal de Justiça.

“Para uma escorreita aplicação das referidas majorantes, faz-se necessário a fundamentação motivada quando a exasperação da pena for aplicada em patamar acima de 1/3, não sendo suficiente a mera indicação do número de causas de aumento. No caso, o magistrado fundamentou e aplicou um percentual legítimo de dois quintos”, finalizou.

 

TJPB

porAutor

Falso personal trainer é flagrado pelo Conselho Regional de Educação Física da Paraíba

No momento da ação, jovem estava dando aula numa academia de Joao Pessoa

O Conselho Regional de Educação Física da 10ª Região – Paraíba (CREF10/PB) realizou mais uma ação de fiscalização, que culminou com a condução de um falso personal trainer à delegacia. O jovem foi flagrado dando aula numa academia, na orla de João Pessoa, mesmo não sendo formado e, portanto, sem possuir registro profissional para exercer a atividade. O caso, registrado na última terça-feira (06), já está sendo investigado pela Polícia.

De acordo com o diretor de orientação e fiscalização do CREF10, Bruno Moura, a operação contou com o apoio da Polícia Militar e foi realizada depois de denúncias feitas por profissionais que dão aula no estabelecimento. “Recebemos a denúncia e monitoramos o suspeito para que o flagrante acontecesse de maneira planejada”, declarou. O jovem flagrado negou a prática irregular e revelou que é estudante de Educação Física.

O presidente do Conselho, Francisco Martins da Silva, reiterou a importância das denúncias sobre o exercício ilegal da atividade e alerta estudantes ou demais pessoas que tentam se passar por profissionais registrados. “Todos os dias realizamos ações de fiscalização e as denúncias têm contribuído muito para o bom andamento das operações. Aproveitamos para agradecer à Polícia Militar pelo apoio e aos profissionais registrados, que têm denunciado, constantemente, as irregularidades”, ressaltou.

Assessoria de Comunicação do CREF10

porAutor

Operação policial interdita sete fábricas de água e prende quatro pessoas, na Paraíba. Uma em Cajazeiras, veja!

Cinco empresas forneciam o produto para hospitais do estado; em uma delas foram encontrados animais como sapos.

Sete fábricas de água adicionada de sais foram interditadas e quatro pessoas foram presas em flagrante, na última terça-feira (6). As medidas foram tomadas durante a “Operação Poseidon”, coordenada pelo Ministério Público da Paraíba e realizada em municípios do Agreste, Cariri e Sertão paraibanos.

As principais irregularidades encontradas nas empresas foram equipamentos irregulares que não garantem a qualidade do produto, a ausência de adição de sais, problemas de higiene nos ambientes de produção e fabricação de água sem atender ao mínimo exigido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Segundo o Ministério Público, em alguns casos foram encontrados animais como sapos.

Algumas fábricas também não apresentaram nota fiscal de compra dos produtos adicionados à água e não comprovaram a procedência e qualidade do produto.

Entre os presos estão proprietários das empresas e responsáveis técnicos, que vão passar por audiência de custódia. Eles vão responder por crime de adulteração de produto, tornando-o impróprio para o consumo humano e podem serem penalizados com quatro a oito anos de prisão.

Onze fábricas foram inspecionadas na oportunidade e sete foram interditadas pela Anvisa. São elas: a “Cristal de Areia”, localizada em Areia; a “Fonte da Vida”, em Monteiro; a “Cristal Leve”, em Riacho dos Cavalos; a “Pureza”, em Conceição; a “Igapo”, em Sousa; a “Agrovida”, em Lagoa Seca; e a “Vale Cristal”, em Cajazeiras.

Mais duas empresas foram inspecionadas durante a operação: a “Santa Vitória”, em Alagoa Nova, e a “Terra Santa”, em Jericó, onde não foram detectadas irregularidades. Já as fábricas “Nova Fonte”, em Manaíra, e “Purifique”, em Pombal, foram notificadas e receberam recomendações dos órgãos.

Das sete fábricas fechadas pela Vigilância Sanitária, cinco forneciam água a hospitais e órgãos públicos: a “Cristal de Areia”, a “Fonte da Vida”, a “Cristal Leve”, a “Pureza” e a “Igapo”.

A ação foi coordenada pelo Ministério Público da Paraíba (MPPB) em parceria com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Secretaria da Receita Estadual (SER-PB) e Secretaria de Segurança e Defesa Social.

Até a publicação desta matéria, o G1 tentou entrar em contato com as empresas para saber o posicionamento delas sobre as interdições e prisões, mas nenhuma das fábricas atingidas disponibiliza telefones ou e-mails para contato.

Em uma das empresas, foi encontrado um sapo no recipiente que armazena o produto — Foto: MPPB/Divulgação
Em uma das empresas, foi encontrado um sapo no recipiente que armazena o produto – Foto: MPPB/Divulgação

 

      Com G1PB

porAutor

Marido suspeito: Ex-candidata em Santa Helena, no Sertão da Paraíba é encontrada morta em apartamento de luxo em SP

Foi encontrado em São Paulo nos primeiros minutos desta terça-feira (06), dentro de um apartamento de luxo, o corpo da a ex-secretária de Saúde de Santa Helena na Francilania Ribeiro Pinheiro, conhecida por “Laninha”.

Segundo informações, na noite do último domingo (04) houve uma confusão entre a vítima e seu companheiro Cícero Correia, porém, já nos primeiros minutos desta terça, o corpo foi encontrado após o síndico ter sido chamado atenção por moradores do prédio, devido um cheio forte.

A notícia da morte chocou a cidade de Santa Helena, onde “Laninha” era conhecida e exerceu o cargo de Secretária de Saúde.

Informações não oficiais dão conta, que a vítima, foi morta com golpes de faca peixeira na altura do pescoço.

“Laninha” disputou uma vaga na Câmara Municipal de Santa Helena nas eleições de 2012, mas não obteve êxito.

Ela era de família tradicional da cidade e filha de comerciantes naquele município. O companheiro, Cícero Correia tem um parque de vaqueijada na cidade e a polícia paulista trabalha com hípotes dele ser um dos principais suspeitos do feminicídio.

“Laninha” era muito querida. Ela deixou uma filha de outro relacionamento. Nas redes sociais, amigos e familiares lamentam a tragédia.

 

Fotos: WhatsApp

Com informações de Ângelo Lima

porAutor

Após explosões casa pega fogo com mulher e criança na Capital paraibana

Imagem: Meramente ilustrativa

Uma casa pegou fogo na noite da última segunda-feira (5), em João Pessoa, na Capital paraibana. O fato aconteceu no Conjunto José Américo.

O Corpo de Bombeiros foi acionado, mas antes de chegar, os moradores  colocaram uma escada e conseguiram salvar a mulher e a criança que estavam no primeiro andar da residência.

O imóvel, onde as chamas começaram, é dividido entre comercial e residencial. No térreo funciona um atelier de restauração de móveis, já no primeiro andar é onde fica a casa do proprietários.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, a suspeita é de que o fogo tenha começado por conta de um curto circuito. Cerca de três explosões foram ouvidas e no local havia material inflamável.

 

Com T5

porAutor

Grupo armado explode agência dos Correios da cidade de Coremas

Um grupo de aproximadamente (vinte) homens, fortemente armados, explodiram a agência dos Correios da cidade de Coremas, na região do Vale do Piancó. A ação aconteceu na madrugada desta segunda-feira (5) de novembro.

Ao invadir a cidade, os homens atiraram nos pneus das viaturas da Polícia Militar, para dificultar o acesso das guarnições e efetivo policial.

O bando utilizou dinamites e explodiu a agência, fugindo em seguida. De acordo com moradores eles saíram atirando para o alto para afastar curiosos e policiais.

A polícia não informou se a quadrilha conseguiu levar alguma quantia em dinheiro. Até o momento ninguém foi preso.

 

Com ClickPB

porAutor

Emboscada: Homem tenta matar cunhado a tiros em rodovia na Zona Rural de Uiraúna

Um homem tentou matar o cunhado a tiros, na tarde da última sexta-feira (2), em rodovia na Zona Rural de Uiraúna, no Sertão da Paraíba. Após cometer o crime, o suspeito fugiu. A Polícia Militar ainda não sabe o que teria motivado a ação e faz buscas na região para encontrá-lo.

A vítima foi encaminhada para o Hospital Regional de Cajazeiras. O estado de saúde dele não foi divulgado pela unidade hospitalar.

 

G1-PB, com fotos de Ângelo Lima

porAutor

PRF reforça a fiscalização nas rodovias até domingo (4)

Além das tarefas de prevenção, os agentes têm a função de combater o tráfico de drogas, recuperar armas de fogo ilegais e veículos roubados

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) vai reforçar a fiscalização nas rodovias de todo o país até o domingo (4). O intuito da Operação Finados 2018 é focar nos lugares que tem mais acidentes de trânsito, levando em consideração os horários com maior movimento.

Além das tarefas de prevenção, os agentes têm a função de combater o tráfico de drogas, recuperar armas de fogo ilegais e veículos roubados.

De acordo com a PRF, o ideal é que o motorista verifique, antes de pegar a estrada, qual a distância e o trajeto que vai percorrer, buscando identificar os pontos em que poderá parar para descansar, postos de gasolina e restaurantes na região.

Existe um fenômeno chamado “hipnose rodoviária”, onde a pessoa fica de olhos abertos, mas a percepção da realidade e a resposta corporal de eventos à sua volta ficam comprometidas. Por isto, a sugestão é que o motorista faça pausas a cada três horas.

É importante também que a pessoa tenha certeza que todo o mecanismo do veículo está em bom estado. Isto é, verificar se os pneus estão bem calibrados, se o motor está funcionando perfeitamente, com óleo e nível de água do radiador em dia.

Outra dica é checar se os equipamentos de porte obrigatório estão no carro e em bom estado, como o pneu estepe, o macaco, triângulo e chave de roda. Além disso, é importante examinar se os limpadores de para-brisa estão em boas condições.

 

Reportagem: Cintia Moreira