Categoria Regional

porAutor

Comissão de Ética de Enfermagem do Hospital Regional de Patos toma posse em evento com palestra do COREN sobre conduta profissional

Os novos membros da Comissão de Ética de Enfermagem do Complexo Hospitalar Regional Deputado Janduhy Carneiro de Patos (CHRDJC) tomaram posse na última quinta-feira (22). A solenidade aconteceu na sede da 6ª Gerência Regional e contou com a participação do representante do Conselho Regional de Enfermagem da Paraíba, Valdeni Mendes e do Coordenador do Departamento de Processo Ético do COREN, Júnior Gomes. Eles falaram da importância da Comissão e sobre ‘Processo Ético’ e mostraram vídeos sobre condutas dos profissionais e suas consequências no ambiente hospitalar. O CHRDJC conta, atualmente, com um quadro de mais de 300 profissionais na área de Enfermagem.

Coube a diretora de Enfermagem do CHRDJC, Jaqueline de Medeiros, falar sobre a importância da Comissão, focando a contribuição dela no sentido de acompanhar o exercício profissional e ético da enfermagem no âmbito de todas as funções inerentes às atividades da área no Complexo. “A Comissão tem uma função fundamental na observação e atuação do exercício ético-profissional na área de assistência e um papel importante na defesa do Código de Ética dos Profissionais de Enfermagem”, destacou Jaqueline.

A diretora geral do CHRDJC, Liliane Sena, que prestigiou a solenidade, destaca que a existência de Comissão de Ética de Enfermagem no Complexo reforça o atendimento humanizado que já é dispensado aos pacientes da unidade, com ainda mais  qualidade, segurança e ética em todas as condutas ligadas a Enfermagem.

A Comissão do CHRDJC e formada pelas enfermeiras, Daniela Almeida, que foi escolhida presidente e Maria da Conceição Ferreira, vice-presidente e ainda Patrícia Freire de Almeida, técnica de Enfermagem, que será a Secretária da Comissão. O mandato tem duração de dois anos.

 

Assessoria

porAutor

Teatro de bonecos leva arte e educação para 60 mil pessoas em Fortaleza e João Pessoa

Bonecos de cinco metros e meio, com mais de 100 anos, dentro de cenários na casa das toneladas e com enredos que trazem conhecimentos para toda uma vida. Esse é o resumo da ópera do Festival SESI Bonecos do Mundo, o maior festival de teatro de bonecos do Brasil. Carregado de cultura, valor histórico e imaterial, o Festival compartilhou arte com cerca de 60 mil pessoas em 15 dias de apresentações por Fortaleza e João Pessoa, mas, mais do que isso, proporcionou, de forma democrática, aprendizado e intercâmbio cultural com outros nove países.

A cenografia é interativa, o conteúdo é inteligente, com diferentes performances, tudo acontecendo simultaneamente, diante os olhos de dezenas de milhares de pessoas. O Festival SESI Bonecos do Mundo edição 2018 apresentou, entre os dias 5 e 18 de novembro, várias técnicas, numa viagem entre o tradicional mamulengo nordestino, passando pela manipulação com fios e varas, até apresentações nas quais os personagens são partes do próprio corpo dos
Artistas.

Segundo a idealizadora e curadora do Festival, Lina Rosa Vieira, um dos grandes diferenciais é, justamente, o acesso democrático a uma arte “especial, misteriosa e com tanto conteúdo inteligente”. Ainda Segundo Lina, além das apresentações, o público teve acesso a educação profissional, dentro de oficinas para formação de novos artistas, novas companhias e de até novos espetáculos.

“Não existe educação de qualidade onde a cultura não seja elevada como importância. Os principais mestres da educação, os mais respeitados no Brasil e no mundo, falando de Paulo Freire, por exemplo, não existe construção de conhecimento educativo sem a presença intensa da cultura. Então você poder trazer espetáculos que estimulam a inteligência e não estão completos neles mesmos, que o olhar do outro é necessário a partir das suas próprias referências, para que esse espetáculo seja compreendido e completado dentro de cada um”, pondera a curadora.

O conhecimento está dentro de cada apresentação, afirma Lina. Releituras como a de “Alice no País das Maravilhas”, de Lewis Carroll, e de “Aladim”, encenados pelos artistas tchecos The
Forman Brothers’ Theatre, puderam ser apreciadas em cerca de uma hora de espetáculo, onde o público era convidado para entrar na história, refletir e questionar. “Há vários ganchos que também ficam para as pessoas pesquisarem, correrem atrás do conhecimento depois, complementarem, continuarem com esse conhecimento, porque o processo de aprendizado não termina quando termina uma aula, assim como não termina quando termina a peça de teatro. Serve para a vida toda. E essas memórias vão ficar para sempre, em reflexões para a vida toda”, garante Lina Rosa.

SESI Bonecos

Fortaleza voltou a receber o Festival depois de seis anos da última apresentação no estado. Já João Pessoa, tinha visto o mesmo espetáculo pela última vez em 2008. Sempre gratuito, o Festival é feito por mais de 150 artistas de diversas nacionalidades que, apenas este ano, fizeram um total de mais de 100 apresentações nas duas capitais; e tem patrocínio do Serviço Social da Indústria (SESI). “O festival é uma iniciativa que beneficia não apenas o nosso trabalhador e sua família, mas também toda a comunidade”, afirma Paulo Mól, diretor de Operações do SESI.

 

Por Camila Costa

Fonte: Agência do Rádio

porAutor

Sertaneja de São José de Piranhas residente no Estado da Bahia procura por parentes. Ajude encontrá-los!

Nely Guilherme de Matos, filha dos Senhor ‘Sebasto’ Guilherme e Dona Maria Braúna do Sítio Antas – São José de Piranhas. Nely foi embora para Jacobina aos 12 anos de idade e hoje, quer reencontrar com seus familiares. Quem souber informações e conhecer as pessoas acima mencionadas favor em entrar em contato com Nely Guilherme de Matos – (83)  9.9151-0310 telefone da Rádio Rural FM de Cajazeiras.

 

Redação – fmrural.com.br

porAutor

Cão é morto a facadas e queimado no Sertão da Paraíba

Representantes de uma Organização Não-Governamental (ONG) especializada na recuperação e adoção de animais abandonados usaram as redes sociais para denunciar um crime cruel. Um dos animais acolhidos e recuperados pelo grupo foi morto a facadas e teve o corpo queimado.

O crime teria ocorrido no município de Patos, no Sertão da Paraíba. De acordo com a postagem, o cachorro chamado de Scooby foi vítima de uma facada na região do pescoço. “pareceu um MONSTRO e matou Scooby com uma facada no pescoço e achando pouco tocou fogo nele, só queria avisar a esse MONSTRO que graças a Deus não o conhecemos e nem queremos saber quem é, só sabemos que o CASTIGO dele vem dos céus”, diz a postagem.

O caso teria acontecido a cerca de uma semana no bairro do Jardim Europa.

 

Com PB Agora

porAutor

Hoje foi dia de exames e consultas do Novembro Azul no Hospital do Bem de Patos

O auxiliar administrativo, Cláudio Florentino, foi um dos homens que fizeram nesta sexta-feira (23) o exame do Toque no Hospital do Bem, que integra o Complexo Hospitalar Regional Deputado Janduhy Carneiro de Patos. A unidade de oncologia do sertão está com uma programação especial do Novembro Azul que inclui a realização de exames de PSA e consultas com o urologista Dr. Antonio Gomes da Costa Segundo Neto. No próximo domingo (25) haverá uma ação da Sociedade Brasileira de Cirurgia Oncológica com apoio do Hospital e no dia 30 uma palestra encerrará a programação.

Morador do Jardim Bela Vista, o Sr. Cláudio, que tem 52 anos, faz exames periódicos e na semana passada aproveitou e fez também o PSA. Ele não descuida porque tem histórico familiar de casos de câncer e porque entende que a prevenção é sempre a melhor opção. “Achei muito boa essa iniciativa do Hospital em dar a oportunidade dos funcionários e familiares poderem fazer os exames preventivos. Prevenir é sempre melhor que remediar”, disse ele.

Nesta sexta-feira, dentro da programação do Novembro Azul, foram realizadas 29 consultas, cinco biopsias de próstata, três biopsias de mama e ainda três consultas com a oncologista Nayhara Castro. Todo material recolhido nos exames para biopsia segue para laboratórios de João Pessoa e São Paulo que são conveniados com o Complexo. Os resultados saem, em média, com sete dias.

Os exames e as consultas do Novembro Azul são restritos aos funcionários da unidade que podem ainda indicar um familiar para também realizar os exames e consulta, explica a diretora. do Complexo Liliane Sena. A indicação para o público em geral é que deva procurar a assistência médica do município onde mora para fazer a consulta e o exame. “Em caso de suspeita ou confirmação do câncer, o paciente é regulado para atendimento no Hospital do Bem”, reitera Liliane. Já o passeio e a palestra são abertos ao público.

Os exames de PSA para funcionários e um familiar indicado já aconteceram nos dias 07, 14, 21 e vai acontecer no dia 28 de novembro, enquanto que as consultas com o urologista ocorreram no dia 09 e hoje. A ação da SBCO com apoio do Hospital do Bem será realizada no domingo e encerrando a programação do Novembro Azul do Complexo, no dia 30, haverá uma palestra com a oncologista, Dra. Nayarah Castro, na Câmara de Vereadores, às 19h.

Assessoria

porAutor

Polícia Federal, CGU e MPF deflagram Operação Recidiva em Patos e cidades da região com 15 mandados de prisão

O Ministério Público Federal (MPF) em Patos (PB) ajuizou ações cautelares penais e a Justiça deferiu 15 pedidos de prisão e 28 de busca e apreensão na Paraíba e no Ceará. As buscas estão sendo realizadas em residências e estabelecimentos comerciais dos dois estados, sendo oito em prefeituras paraibanas. Em todos os locais existem documentos e bens de interesse da investigação. O objetivo é impedir que o grupo criminoso inutilize ou destrua provas ou bens adquiridos com o proveito do crime. 

A Operação Recidiva ocorre nesta quinta-feira (22) e está sendo deflagrada em parceria com a Polícia Federal e Controladoria-Geral da União (CGU). Os presos estão sendo encaminhados para a sede da PF em Patos.

Segundo o MPF, há inveterada reincidência, neste novo caso, de pessoas que já foram investigadas nas operações Desumanidade e Dublê, também ocorridas no âmbito da Procuradoria da República no Município (PRM) de Patos.

Bloqueio de bens – Além das sete prisões preventivas, oito prisões temporárias e dos 28 mandados de busca e apreensão, o juiz da 14ª Vara da Justiça Federal deferiu o sequestro de todos os bens móveis e imóveis dos envolvidos, até o montante de R$ 2,3 milhões.  

A investigação – A investigação do MPF, PF e CGU, que resultou na Operação Recidiva, reuniu elementos probatórios que indicam a existência de uma organização criminosa do colarinho branco, com o objetivo reiterado de fraudar licitações públicas em diversos municípios paraibanos, bem como do Ceará, Pernambuco, Alagoas e Rio Grande do Norte, além de mascarar desvios de recursos públicos, lavar o dinheiro público desviado e fraudar os fiscos federal e estadual.

Segundo o MPF, os valores envolvidos com as fraudes, de 2015 a 2018, alcançam mais de R$ 20 milhões – relativos à execução de obras de construção civil.

Ainda de acordo com o MPF, alguns envolvidos “fazem do crime sua profissão e não se intimidaram em renovar seus esquemas ilícitos, mesmo quando já descobertos em duas outras oportunidades [operações Dublê e Desumanidade], recaindo novamente nas mesmas práticas criminosas”.

Nome da operação – Em Medicina, recidiva significa o reaparecimento de uma doença ou de um sintoma, após período de cura. Já no Direito Penal, o termo significa recaída na mesma falta, no mesmo crime. Portanto, o nome da operação faz alusão à reincidência de envolvidos nas operações Dublê e Desumanidade.

Entrevista coletiva – Os detalhes da Operação Recidiva, a exemplo dos nomes dos envolvidos – todos sem foro privilegiado -, serão divulgados em entrevista coletiva de imprensa, a ser realizada a partir das 10 horas desta quinta. Na oportunidade, membros do MPF, Polícia Federal e CGU também divulgarão o balanço da operação.

PF, CGU e MPF deflagram Operação Recidiva em Patos e região; 15 mandados de prisão são cumpridos PF, CGU e MPF deflagram Operação Recidiva em Patos e região; 15 mandados de prisão são cumpridos PF, CGU e MPF deflagram Operação Recidiva em Patos e região; 15 mandados de prisão são cumpridos PF, CGU e MPF deflagram Operação Recidiva em Patos e região; 15 mandados de prisão são cumpridos

Prisões – Processo: 0805794-83.2018.4.05.8205

Busca e Apreensão – Processo: 0805804-30.2018.4.05.8205

Sequestro de Bens – Processo: 0805806-97.2018.4.05.8205

Serviço

Evento: Coletiva de imprensa

Dia: 22/11/2018 (quinta-feira)

Local: Sala de recepção do Hotel Nord Easy Patos (R. Darcílio Vanderlei da Nóbrega, 95-173 – Centro, Patos – PB)

Horário: 10 horas

Órgãos participantes: MPF, PF e CGU.

 

Assessoria

porAutor

Deputado Jeová Campos questiona ato de interdição de pequenas empresas na Paraíba que engarrafavam água mineral

O deputado estadual Jeová Campos (PSB) questionou, durante a sessão da última terça-feira (20), a interdição de 17 pequenas empresas que atuavam no engarrafamento de água mineral na Paraíba. Segundo o parlamentar, mesmo tendo alvará de funcionamento e atuando de forma correta, com todas as licenças que a atividade exige, as empresas foram fechadas, deixando pais de família desempregados e cidades do interior desabastecidas.

“O impacto do fechamento destas pequenas empresas já é sentido pelas pessoas que ficaram sem seus empregos, repercutido negativamente na economia dos municípios afetados com essa ação e isso precisa ser levado em consideração”, disse o deputado. Na opinião de Jeová, essa ação partiu do oligopólio do segmento de água mineral que quer retirar do mercado àqueles que praticam preços mais acessíveis, de natureza popular.

Ainda segundo Jeová, é inadmissível essa interdição, pois todas as empresas atuavam legalmente, com licenciamentos em dia e com o aval dos órgãos competentes. “Ninguém pode fazer uma interdição linear como fizeram contra essas empresas, sem que elas tivessem cometendo um crime ou ação dolosa contra a saúde da população. Eu só posso pensar que é uma ação orquestrada para impedir qualquer concorrência no segmento do setor mineral”, reiterou o parlamentar, questionando qual será a grande empresa que vai querer operar em Carrapateira, em Santa Helena, em Triunfo ou Serra Grande.

Reunião na ALPB

Para debater o tema, o parlamentar, através da Comissão de Turismo, Desenvolvimento e Meio Ambiente da ALPB, vai promover uma reunião, na próxima quinta-feira (22), às 9h, na sala das comissões da ALPB, para debater essa questão com os empresários envolvidos nesta questão. “Vamos definir neste encontro uma linha de atuação conjunta na defesa das empresas, mas, mais que isso, vamos nos contrapor a esse fechamento linear, sem dar oportunidade de defesa às empresas. Se houver irregularidades pontuais, que elas sejam corrigidas, pois não defendo o funcionamento de empresas que não atende as exigências técnicas, mas fechar por fechar, isso não se justifica”, finalizou Jeová, Segundo ele, a reunião contará com a presença dos representantes das empresas interditadas.

 

Assessoria

porAutor

Ministério da Saúde vai lançar edital para repor saída de médicos cubanos ainda em novembro

A decisão, segundo o governo cubano, se deve por conta de “declarações ameaçadoras e depreciativas” de Jair Bolsonaro; presidente eleito afirma que Cuba não quis aceitar condições para continuar no programa

O Ministério da Saúde informou nesta sexta-feira (16) que a seleção de médicos brasileiros para o programa Mais Médicos ocorrerá ainda este mês. O edital deve ser divulgado já na próxima semana para substituir os profissionais cubanos. Isso porque o Ministério da Saúde Pública de Cuba anunciou a decisão de deixar o programa Mais Médicos.

A decisão, segundo o governo cubano, se deve por conta de “declarações ameaçadoras e depreciativas” de Jair Bolsonaro. O presidente eleito afirma que Cuba não quis aceitar condições para continuar no programa.

O militar disse, após café da manhã também nesta sexta com o comandante da Marinha, que é “injusto” e “desumano” destinar aos mais pobres o atendimento médico por parte de profissionais cubanos “sem qualquer garantia” de qualidade.

Para o presidente eleito, não há comprovação para o governo brasileiro de que os profissionais de saúde enviados por Cuba sejam competentes. Com isso, ele voltou a defender que os médicos selecionados deveriam passar por uma prova para revalidar o diploma e atuar no Brasil.

Bolsonaro afirmou que a forma como a contratação dos médicos cubanos foi feita é “situação de prática de escravidão” porque, de acordo com ele, o governo cubano impede que a família dos médicos o acompanhe durante o período em que estão no Brasil.

 

Com a colaboração de Juliana Gonçalves, reportagem Thiago Marcolini

Fonte: Agência do Rádio

porAutor

JFPB suspende transferência de verbas federais para o Município de Queimadas

Medida foi motivada pela falta de cumprimento de uma sentença transitada em julgado, que determina a construção de aterro sanitário no município

A 4ª Vara da Justiça Federal na Paraíba (JFPB), localizada em Campina Grande, determinou a suspensão das transferências de verbas federais para Município de Queimadas, distante 130 quilômetros da Capital. O município vinha sendo intimado, há vários anos, a cumprir uma sentença transitada em julgado, que determina a construção de um aterro sanitário em substituição a um lixão a céu aberto existente na localidade “Sítio Zé Velho”, e, mesmo sendo penalizado com multas e bloqueios superiores a R$ 10 milhões, até hoje, não cumpriu a decisão.

De acordo com o juiz federal Vinícius Costa Vidor, além da imediata suspensão de todas as transferências voluntárias acordadas com a União, seus órgãos ou com autarquias federais, o município ainda pagará multa de R$ 30 mil, por dia, caso o gestor não cumpra a determinação das medidas emergenciais indicadas pelo órgão de fiscalização ambiental competente (Sudema). Decisões anteriores já haviam determinado o bloqueio de R$ 952.475,73 das contas da Prefeitura como forma de garantir o início da instalação do aterro sanitário. O valor foi apontado no projeto de recuperação da área degradada como o mínimo necessário para efetivação das obras.

Segundo o processo, esgotadas as tentativas de fazer o município cumprir as obrigações, “apenas uma medida de caráter coercitivo severa, que afete de imediato a situação do ente municipal de forma desfavorável e notória poderá se mostrar apta a assegurar o cumprimento do julgado”. A situação encontra-se pior do que quando a ação foi ajuizada (em 2006), pois até as medidas emergenciais que deveriam perdurar até a efetiva instalação do aterro foram abandonadas por parte da gestão do município.

Processo nº 0002038-34.2006.4.05.8201

 

Assessoria de Comunicação 
Justiça Federal na Paraíba – JFPB

porAutor

Câmara aprova a criação do Dia Nacional do Maracatu

Rubens Pereira Júnior defende que a proposta aprovada valoriza a identidade brasileira

A Câmara dos Deputados aprovou a criação do Dia Nacional do Maracatu, a ser celebrado em todo o território nacional, anualmente, no dia 1º de agosto (PL 7133/17). A data já é comemorada em Pernambuco desde 1997, por causa de uma lei estadual. O objetivo, agora, é que as celebrações alcancem todo o país.

O relator do projeto na Comissão de Constituição e Justiça, deputado Rubens Pereira Júnior (PCdoB-MA), defende que a ideia é valorizar a identidade brasileira.

“Estamos cumprindo um dispositivo da Constituição Federal segundo o qual a lei vai dispor sobre as datas comemorativas, de alta significação pra diferentes segmentos étnico-nacionais. É uma forma de promover a nossa cultura por meio do resgate da nossa memória, da afirmação da nossa cidadania e da valorização da identidade brasileira”, afirma.

O Maracatu surgiu em Pernambuco, durante o período escravocrata, principalmente nas cidades de Recife, Olinda e Igarassu. Sua origem remonta aos séculos dezessete e dezoito.

Existem dois ritmos diferentes: o maracatu rural ou de baque solto e o maracatu nação ou de baque virado.

O maracatu rural é manifestação cultural que ocorre durante as comemorações do Carnaval e no período da Páscoa, tem como personagem central o Caboclo de Lança e tem dança, música e poesia. É associado ao ciclo canavieiro da Zona da Mata Norte de Pernambuco.

Já o Maracatu Nação tem a maioria dos grupos concentrada nas comunidades de bairros periféricos da região metropolitana de Recife, e traz um conjunto musical percussivo e um cortejo real, evocando as coroações de reis e rainhas do antigo Congo africano.

Os grupos apresentam um espetáculo recheado de simbologias e marcado pela beleza e pela musicalidade, que têm seu principal momento do ano nas apresentações do período carnavalesco.

Para ser reconhecido como maracatu nação, o grupo precisa ser ligado a uma religião de matriz africana e ocupar território fixo.

O batuque do maracatu é, em geral, dominado pelos homens. Mestra Joana, do Maracatu Encanto do Pina, foi a primeira mulher a comandar um batuque. Precisou que os búzios sinalizassem a autorização dos orixás para que, há dez anos, assumisse o posto no maracatu fundando por sua bisavó.

Mestra Joana conta que o trabalho da Nação Encanto do Pina vai muito além das apresentações.

“Aqui dentro da sede a gente tem o “Encantinho”, que é um trabalho ligado diretamente com as crianças, jovens e adolescentes da comunidade. A gente faz atividades pedagógicas, oficinas de capoeira, de percussão, reforço escolar, dança. Além do trabalho que é feito também com as mulheres, o “Baque Mulher”, um maracatu só com mulheres, onde a gente trabalha o empoderamento feminino, a luta contra a opressão dentro da comunidade com as mulheres.”

Para Mestra Joana, nada mais justo que levar mais conhecimento a respeito dessa manifestação cultural tipicamente brasileira a todos os rincões do país.

“O maracatu é comunidade, maracatu é luta, é resistência. Através do maracatu a gente proporciona novos caminhos e salva vidas de verdade. Temos vários jovens e adolescentes nossos pelo Brasil afora dando oficinas de maracatu. Para além do tocar, o maracatu traz essa conscientização da negritude, do meio ambiente”, explica.

A proposta que cria o Dia Nacional do Maracatu já passou pelas comissões e irá direto para análise do Senado, a não ser que haja um recurso para votação, antes, pelo plenário da Câmara.

ÍNTEGRA DA PROPOSTA:

Reportagem – Paula Bittar
Edição – Ana Chalub

Fonte: Agência Câmara Notícias