Categoria Regional

porpjbarreto

Conselho Regional de Educação Física promove cursos gratuitos, serviços e ações estratégicas em Cajazeiras

Programação faz parte da nova edição do projeto “CREF Itinerante”, que ocorrerá nos dias 09 e 10 de agosto

O Conselho Regional de Educação Física da 10ª Região – Paraíba (CREF10/PB) realizará, nos dias 09 e 10 de agosto, em Cajazeiras, mais uma edição do projeto “CREF Itinerante”. Serão dois dias de atividades e ações estratégicas de uma iniciativa que foi criada para estender os serviços do Conselho a demais cidades do estado.  Nessa etapa, também serão oferecidos dois cursos gratuitos: avaliação física e iniciação esportiva.

A programação, que será realizada na Faculdade São Francisco da Paraíba (Fasp), incluirá: atualização de documentos, registro de pessoa física e jurídica, renovação de Cédulas de Identidade Profissional, emissão de credenciamento, negociação de débitos, possibilidade de contestação de notificações, entre outros serviços. Já o curso de “Avaliação Física”, ministrado pelo professor Hugo Dias, acontecerá no primeiro dia do evento; enquanto que o de “Iniciação Esportiva”, do professor Luís Felipe Lemos, será no dia seguinte.

Para participar dos cursos, os interessados devem se inscrever CLICANDO AQUI.

Na hora de preencher o formulário, é preciso ficar atento (a). Existe uma aba específica para profissionais e outra para estudantes. O (a) interessado (a) deverá identificar a sua área, clicar sobre a aba e responder a todos os campos corretamente, inclusive o que especifica qual o curso que ele (a) pretende fazer. Participando integralmente dos cursos, ao término, todos receberão certificado.

Com Assessoria de Imprensa – CREF10/PB

porpjbarreto

‘Operação Famintos’: ex-cunhada de Romero tinha participação direta junto a empresário milionário de CG nas fraudes, apontam interceptações telefônicas

Um dos mandados de prisão autorizados pelo juiz Vinícius Costa Vidor, titular da 4ª Vara da Justiça Federal em Campina Grande, foi contra o empresário Frederico de Brito Lira, um dos proprietários do Rancho São Lucas em Campina que tem cavalos avaliados em mais de R$ 15 milhões. Contra o mesmo remonta a acusação de que teria ao lado de Iolanda Barbosa que é a ex-secretária de Educação de Campina Grande e ex-cunhada do prefeito Romero Rodrigues (PSD) criado a empresa de fachada ROSILDO DE LIMA SILVA – EPP, recebedora de R$ 5,9 milhões de reais da PMCG, empresa essa que não tem registros de movimentação financeira em suas contas e que teria como reais administradores Frederico e Flávio Souza Maia, figuras centrais da organização criminosa.

Em relação à empresa ROSILDO DE LIMA SILVA – EPP, que teria segundo a denúncia como reais administradores Frederico de Brito Lira e Flávio Souza Maia, figuras centrais da organização criminosa, nesta foi constatado que entre 2016 e 2017, obteve receita bruta de vendas superior aos R$ 5,9 milhões de reais, mas não houve movimentação financeira registrada em suas contas, a indicar que os valores recebidos pela empresa teriam circulado em espécie ou em contas bancárias de terceiros, apontando para possível sonegação fiscal e lavagem de capitais.

Note-se que ROSILDO DE LIMA FILHO é pessoa de baixa renda e baixo grau de instrução, que claramente é utilizado para mascarar a ação criminosa. No que se refere à empresa FREDERICO DE BRITO LIRA – ME, há inconsistências entre os lançamentos a crédito em suas contas bancárias e a receita bruta declarada nos anos de 2016 e 2018, indicando que boa parte dos valores creditados têm origem ilícita.

Os registros advindos das intercepções telefônicas realizadas demonstraram que a ex-cunhada de Romero, assim como os demais servidores investigados e que participam do processo de contratação da merenda escolar, tinham conhecimento direto do efetivo gestor das empresas contratadas (FREDERICO DE BRITO LIRA), bem como de que o mesmo se vale de terceiros ou de meios fraudulentos para compor o quadro social das mesmas, evidenciando não apenas sua conivência, mas sua efetiva participação na organização criminosa.

Dentre os registros colhidos durante as interceptações, há evidências de conluio para frustar o caráter competitivo das licitações, falsificação de processos administrativos e corrupção ativa e passiva.

O liame entre os referidos servidores e o núcleo empresarial da organização criminosa foi confirmado pelas interceptações telefônicas registradas nos autos, que evidenciaram que Helder Giuseppe Casulo, Gabriella Coutinho Gomes, José Lucildo Silva e Paulo Roberto Diniz de Oliveira mantiveram contato com Frederico de Brito Lira, além de Flávio de Souza Maia, para tratar dos ajustes ilícitos envolvendo as empresas administradas pelo empresário.

As interceptações telefônicas também evidenciaram a participação direta de Iolanda Barbosa da Silva e Paulo Roberto Diniz nas fraudes e contratos vinculados à Secretaria de Educação, notadamente no que se refere aos contratos firmados com Frederico de Brito Lira. Veja imagens do haras de Frederico:

https://instagram.com/ranchosaolucaspb?igshid=655ehh7k2wgs

O núcleo empresarial da quadrilha segundo a denúncia era, composto por:

I – FREDERICO DE BRITO LIRA, responsável pela administração de fato das empresas DELMIRA FELICIANO GOMES – ME, ROSILDO DE LIMA SILVA – EPP e a recente RENATO FAUSTINO DA SILVA (CRYSTALL COMERCIAL), com o auxílio direto de FLÁVIO SOUZA MAIA (funcionário de FREDERICO que atuava como representante das empresas de fachada em procedimentos licitatórios) e de LUIZ CARLOS FERREIRA BRITO LIRA, que também faria uso das empresas de fachada de seu pai, FREDERICO. Veja a denúncia na integra no anexo.

A ‘Operação Famintos’ visa investigar supostas irregularidades em licitações para a contratação de empresas de fachada, visando o fornecimento de merenda escolar. As contratações incluíam também o fornecimento de material de higiene e de limpeza para outras áreas de governo (Saúde, Assistência Social, etc.). Os órgãos investigadores constataram que, desde 2013, ocorreram contratos sucessivos, que atingiram um montante pago de R$ 25 milhões.

Fonte: PBNews

porpjbarreto

Contratada em abril e buscando espaço, paraibana detalha primeiros meses no Flamengo

Aprendizado e um processo intenso de evolução. É assim que a principal jogadora do futebol feminino da Paraíba, Lu Meireles, tem avaliado o início da sua passagem pelo time do Flamengo/Marinha.Contratada no mês de abril, a atacante vai buscando o seu espaço em meio a uma concorrência feroz no clube que luta pelo título da elite do Campeonato Brasileiro. No entanto, aos 31 anos, ela garante que a adaptação foi muito rápida e espera logo logo conquistar uma vaga entre as titulares e, assim, se tornar a artilheira que sempre foi na Paraíba.

Com a camisa do Flamengo/Marinha, Lu conta que não teve problema na adaptação, mas que o principal desafio foi mesmo compreender a carga de treinamentos, algo que jamais havia visto no futebol até então. Antes do time carioca, a atacante passou pelo Botafogo-PB, onde foi o grande destaque por vários anos, além de pela Ferroviária, equipe de Araraquara.

“Diferente da minha chegada ao interior de São Paulo, aqui no Rio de Janeiro eu não tive problemas para me adaptar. A cidade e o time sempre foram muito acolhedores. A dificuldade que encontrei aqui no início foi mesmo a carga de treinamentos. As atividades aqui no Flamengo são bem diferentes daquelas com as quais eu já havia trabalhado nos clubes anteriores. Quando se fala em carga de alto rendimento, é verdade, é bem intensa. Quanto ao resto, é tudo muito tranquilo”, relatou a paraibana.

Aos 31 anos, Lu Meireles ainda tem muita lenha para queimar, quer conquistar títulos, sonha em voltar a jogar pela seleção brasileira, algo que conseguiu em 2017, quando foi convocada para um período de treino no time que na época era dirigido por Emily Lima.

Dois anos depois, mais experiente e com mais clubes no currículo, a atacante reconhece que a meta atual é lutar pelo espaço entre as titulares do Flamengo/Marinha. O clube está na quarta colocação do Campeonato Brasileiro. No Rubro-Negro, Lu é uma das oito atacantes que o time tem à disposição. A concorrência é realmente enorme.

“A minha avaliação até aqui é muito positiva. A dificuldade que encontrei foi bem normal, eu já esperava. Eu acredito que, hoje, já consigo treinar no nível do time, ou seja, a briga agora é mesmo pela posição. O elenco do Flamengo/Marinha é grande, são 31 jogadoras. Por isso, a luta é constante, é árdua. Tem meninas que estão aqui há dois, três e até sete anos. É preciso trabalhar para conquistar o espaço, mas as coisas estão indo muito bem, acredito que estou me firmando. Quem sabe eu não consigo ser para o Flamengo o que fui para o Botafogo-PB?”, disse a atacante, repleta de expectativas.

Por sinal, até aqui, foram dois jogos disputados e um gol marcado. Foi no empate com o Vitória em 2 a 2, pela nona rodada do Brasileirão. O Flamengo/Marinha perdia a partida quando a paraibana igualou o marcador e decretou o resultado.

Militar da marinha, a paraibana vai agregando conhecimento, mostrando talento e provando a cada dia que ainda tem muito a oferecer para o futebol feminino brasileiro. E, aproveitando a estrutura do Flamengo, ela projeta uma evolução plena como atleta.

“O Flamengo/Marinha nos dá uma estrutura para o alto rendimento. O crescimento é só questão de tempo, tanto para mim quanto para as demais atletas. A gente se desenvolve mais ainda como atleta. Sem dúvida, poder fazer parte desse clube é um privilégio”, finalizou.

GloboEsporte

porpjbarreto

Idosos atendidos pelo Serviço de Convivência da Prefeitura são homenageados pela passagem do Dia dos Avós

O Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos – SCFV realizou um chá da tarde na quinta-feira (25) para celebrar o Dia dos Avós, comemorado no dia 26 de julho. Na ocasião, cerca de 45 idosos que que integram o grupo que frequenta a entidade foram recepcionados em um ambiente decorado e depois desfrutaram de um lanche coletivo. Mesmo para um dia chuvoso, o evento, segundo a coordenadora do SCFV, Janeide Costa, foi muito prestigiado. Além do lanche coletivo, os idosos também participaram de dinâmicas de grupo, apresentações de dança e coral, bem como assistiram a uma palestra sobre nutrição.

A tarde foi iniciada com o acolhimento de todos aqueles que conseguiram comparecer à celebração do Dia do Avós. Por ser um dia chuvoso em Soledade, parte dos cerca de 60 idosos do grupo atendido pelo Serviço de Convivência não pôde comparecer. Mas, isso não tirou o brilho do evento, preparado com tanto carinho pela equipe do SCFV. Segundo Janeide Costa, coordenadora da entidade, esse foi um momento importante para todos eles, pela valorização de suas experiências, de suas histórias e seus talentos.

“Foi tudo muito bonito. Eles gostaram muito de tudo o que foi feito para eles”, comentou a coordenadora, explicando que o NASF participou da ação dando uma palestra sobre nutrição na terceira idade, como deve ser a alimentação daqueles que já passaram dos 60 anos. “É importante ver que tudo ali foi voltado ao interesse de nosso público para que eles tenham mais qualidade de vida. Como sempre dizemos, nosso trabalho realizado no Serviço de Convivência tem o objetivo justamente de valorizar as pessoas, fortalecer cada um socialmente através do trabalho, do talento, da inclusão”, disse Janeide.

Após da palestra, o público participou de uma dinâmica com as psicólogas e assistentes sociais do Serviço de Convivência, no qual foi trabalhado a memória. Depois, foi a vez deles assistirem a uma apresentação de carimbó do grupo de dança do Serviço de Convivência formado por cerca de 20 idosos. Ao final, ainda teve uma apresentação do coral, também formado por idosos do grupo. Concluída as ações, todos se confraternizarem durante um lanche coletivo.

A secretária do Trabalho e Assistência Social – SETAS, Janaina Barros, destaca a importância destas ações com os idosos. “Elas são a culminância de todo um trabalho que estamos realizando com os idosos de Soledade, valorizando-os, dando-lhes oportunidades de aprender coisas novas, de se sentirem motivados, enfim, de possibilitar que eles desenvolvam suas habilidades, se sintam mais ativos e participantes. Essa homenagem aos avós foi emocionante e marcante”, destaca a secretária.

Surpresa
Quem não conseguiu comparecer ao evento, teve uma surpresa na manhã desta sexta-feira (26). A equipe do SCFV, junto com a coordenadora do CRAS, Josefa Costa, foi na casa dos cerca de 15 idosos que faltaram para entregar lembrancinhas do evento e parabenizá-los pelo Dia dos Avós. “Foi muito lindo. Muitos deles se emocionaram ao receber a gente na porta de casa. Não esperavam. Ficaram surpresos”, disse Josefa.

Assessoria de Imprensa – PMS

porpjbarreto

Aneel anuncia bandeira tarifária vermelha para agosto

Custo extra será de R$ 4 por cada 100 kWh consumidos

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) informou, nesta sexta-feira (26), que a bandeira tarifária para o mês de agosto será a vermelha, no patamar 1, onde há uma cobrança extra de R$ 4 para cada 100 quilowatts-hora consumidos. Em julho, a cobrança foi da bandeira tarifária amarela, quando há um acréscimo de para R$ 1,50 a cada 100 kWh consumidos.

De acordo com a agência, a medida foi tomada pela possibilidade de aumento no acionamento das usinas termelétricas, que têm custo de geração de energia mais alto. Também pesou na decisão, a diminuição do volume de chuvas, com a chegada da estação seca.

“Agosto é um mês típico da estação seca nas principais bacias hidrográficas do Sistema Interligado Nacional (SIN). A previsão hidrológica para o mês sinaliza vazões abaixo da média histórica e tendência de redução dos níveis dos principais reservatórios”, disse a Aneel.

De acordo com a Aneel, o sistema de bandeiras tarifárias sinaliza o custo real da energia gerada, possibilitando aos consumidores o bom uso da energia elétrica. O funcionamento das bandeiras tarifárias é simples: as cores verde, amarela ou vermelha (nos patamares 1 e 2) indicam se a energia custará mais ou menos em função das condições de geração.

O cálculo para acionamento das bandeiras tarifárias leva em conta, principalmente, dois fatores: o risco hidrológico (GSF, na sigla em inglês) e o preço da energia (PLD).

No dia 21 de maio, a Aneel aprovou um reajuste no valor das bandeiras tarifárias. A bandeira amarela passou de R$ 1 para R$ 1,50 a cada 100 kWh consumidos, a bandeira vermelha patamar 1 passou de R$ 3 para R$ 4 a cada 100 kWh e no patamar 2 passou de R$ 5 para R$ 6 por 100 kWh consumidos.

A bandeira verde não tem cobrança extra.

Os recursos pagos pelos consumidores vão para uma conta específica e depois são repassados às distribuidoras de energia para compensar o custo extra da produção de energia em períodos de seca.

Agência Brasil

porpjbarreto

Em cartaz no Campus João Pessoa: Crônicas de um verão

O filme de Jean Rouch e Edgar Morin abre debate das atividades, neste segundo semestre, do ciclo cinematográfico sobre o cinema francófono

Em sua quarta sessão, gratuita e aberta ao público, o projeto de extensão “Cinema francófono: estética, poder e relações interculturais”, apresenta o filme “Crônica de um verão” (Chronique d’un été / França, 1961) dirigido pelo cineasta e etnólogo Jean Rouch e pelo sociólogo Edgar Morin. A exibição acontece no dia 1 de agosto (quinta-feira) às 18h, no Pátio do IFPB Jaguaribe. A sessão será seguida de debate com Isabella Valle (fotógrafa, comunicóloga, produtora cultural, pesquisadora e professora do Dept. de Comunicação e do Programa de Pós Graduação em Comunicação da UFPB) e mediação de Rossana Lima (Professora de francês da UEPB e presidente da APFPB).

No verão parisiense de 1960, o cineasta e etnólogo Jean Rouch e o sociólogo Edgar Morin interrogaram transeuntes, estudantes, operários e alguns casais sobre as motivações de suas vidas, registrando dúvidas, emoções e opiniões sobre política e racismo. Edgar Morin cunhou o termo “Cinema Verdade” pouco antes da produção deste filme.

Iniciado no dia 02 de maio e tendo como foco temático o cinquentenário do Maio de 68, o projetoque realizou três sessões no primeiro semestre, vem propiciando riquíssimas discussões a partir dos debates após as exibições dos filmes onde contribuíram cineastas, professores e pesquisadores. No segundo semestre, paralelo ao ciclo de filmes no IFPB, ocorrerá no CCHLA/UFPB a retomada do grupo de leituras que municiou na edição passada a recepção dos filmes com discussões teóricas e metodológicas.

O Projeto de Extensão “Estética, poder e relações interculturais no cinema francófono” é uma promoção do GETS – Grupo de Estudos em Estética, Técnica e Sociedade (CNPq e DCS/UFPB) e Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários da UFPB, em parceria com Associação de Professores de Francês da Paraíba – APFPB, IFPB Jaguaribe, Embaixada da França no Brasil/INSTITUT FRANÇAIS; Associação Brasileira de Críticos de Cinema – Abraccine; Idioma Sem Fronteira – Francês; Departamento de Mediações Interculturais da UFPB; com apoio do Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes da UFPB.

A certificação de participação nas duas atividades (mostra de filmes e grupo de leitura) para membros internos e externos à UFPB e IFPB serão feitas via lista de presença, sem necessidade de inscrição prévia. O certificado só será emitido com o preenchimento do requisito de 70% de frequência.

SERVIÇO

Crônica de um verão (Chronique d’un été / França, 1961) de Jean Rouch e Edgar Morin.

Quando: Quinta-feira, 1º de agosto, às 18h;

Onde: Pátio do IFPB Jaguaribe (Avenida 1º de Maio – Jaguaribe)

Informações: projetocinemafrancofono@gmail.com

Entrada franca

PROGRAMAÇÃO DE JUNHO

Quinta-feira, 1º de agosto, 18h

Título: Chronique d’un été / Crônica de um verão

França, 1961, 90′, pb, 35mm

Direção: Jean Rouch e Edgar Morin

Sinopse: No verão parisiense de 1960, o cineasta e etnólogo Jean Rouch e o sociólogo Edgar Morin interrogam transeuntes, estudantes, operários e alguns casais sobre as motivações de suas vidas, registrando dúvidas, emoções e opiniões sobre política e racismo. Edgar Morin cunhou o termo “Cinema Verdade” pouco antes da produção deste filme.

fotodebatedoraIsabella.jpgDebatedora: Isabella Valle é fotógrafa, comunicóloga, produtora cultural, pesquisadora e professora doutora do Departamento de Comunicação e do Programa de Pós Graduação em Comunicação da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), onde ministra disciplinas no campo da fotografia cinematográfica, fotografia still, iluminação, entre outros, nos cursos de Cinema e Audiovisual e Rádio, Tv e Internet. Em 2012 defendeu seu mestrado em Comunicação e Semiótica pela PUC/SP, com dissertação sobre fotografia e novas tecnologias, orientada pelo Prof. Dr. Arlindo Machado. Em 2017, concluiu sua tese de doutorado em Comunicação na UFPE a respeito das mulheres fotógrafas do Recife, orientada pela Prof. Dra. Nina Velasco. É graduada em Comunicação Social/Jornalismo também pela UFPE. Estudou cinema na Facultad de Comunicación Audiovisual na Universidad de Sevilla (Espanha), em 2006-2007, e é colaboradora do Laboratoire Arts des Images et Art Contemporain na Université Paris 8 (França), onde foi pesquisadora convidada em 2015-2016 e participa da cooperativa de pesquisa R.E.T.I.N.A. (Pesquisas Estéticas e Teóricas sobre as Imagens Novas e Antigas), coordenado por François Soulages. Atuou como repórter fotográfica do Jornal do Commercio (JC) entre 2008 e 2009 e é fotógrafa independente. A pesquisadora também ministra cursos livres sobre imagem. É fundadora do coletivo 7Fotografia (www.7fotografia.com.br).

Mediadora: Rossana Lima é professora de francês na UEPB e presidente da Associação de Professores de Francês da Paraíba  (APFPB).

Assessoria de Imprensa – IFPB

porpjbarreto

Projetos voltados à leitura e ao estudo de música modificam a vida de 99 apenados em Cajazeiras

Ocupar o tempo livre com o bom hábito da leitura. Esse é um dos benefícios advindos do Projeto de Remição da Pena pela Leitura, idealizado pelo juiz da 2ª Vara Mista de Cajazeiras, Francisco Thiago da Silva Rabelo. A ação funciona nas duas unidades prisionais da Comarca. No total, 98 reeducandos são beneficiados com o projeto, sendo 81 da Penitenciária Regional Padrão, que abriga apenas homens, e 18 da Penitenciária Feminina de Cajazeiras.

Na Penitenciária Regional Padrão, que abriga 292 presos, entre provisórios e definitivos, 25 apenados participam do projeto de remição pela música, segundo o diretor da unidade, Tales Alves de Almeida. “Os apenados que participam da iniciativa têm aulas de violão. A cada 12 horas de aula de música, a pena diminui um dia”, explicou.

De acordo com o magistrado Francisco Thiago, o apenado pode aderir, voluntariamente, ao projeto, que normalmente é bastante procurado, porque permite a redução da pena em até 48 dias. “As duas penitenciárias contam com biblioteca. O reeducando pode ler uma obra literária dentro de 30 dias e elaborar um resumo que será submetido a uma comissão de análise. A comissão tem integrantes da Secretarias de Educação e de Administração Penitenciária, entre outros órgãos”, explicou.

Para o juiz Francisco Thiago, a vantagem da remição da pena conta muito em um primeiro momento. “Mas, a leitura também estimula a ressocialização, aumenta o nível de estudo, melhora a escrita e, até mesmo, a forma de falar e explicar o conteúdo aprendido. Por meio do projeto, os apenados diminuem o tempo ocioso e acabam incentivando os demais”, frisou o magistrado.

A diretora da Penitenciária Feminina de Cajazeiras, Paloma Correia Lima, atestou a relevância do projeto, que beneficia 18 mulheres na unidade prisional. “A iniciativa é de extrema importância. Além de remir a pena e reinserir o reeducando, agrega conhecimento, ao mesmo tempo em que abre portas com novas oportunidades, sem falar na evolução intelectual”, destacou.

Os projetos resultaram de parcerias entre o Poder Judiciário estadual, a Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Cajazeiras (FAFIC), Secretaria de Estado da Educação, Ciência e Tecnologia, Secretaria de Cultura do Município, Polícia Militar, Diretoria da Penitenciária Regional Padrão e Ministério Público estadual.

Assessoria de Imprensa – TJPB

porpjbarreto

João Azevêdo prestigia abertura do Festival de Artes Jackson do Pandeiro

O governador João Azevêdo prestigiou, na quinta-feira (25), a abertura do Festival de Artes Jackson do Pandeiro, no Espaço Cultural José Lins do Rego, em João Pessoa, que integra a programação alusiva às comemorações do centenário de nascimento do cantor, compositor e ritmista paraibano mundialmente conhecido como o rei do ritmo. Além das exposições, debates e apresentações culturais, o primeiro dia do evento foi marcado pelo show do cantor e compositor pernambucano Lenine, que cantou grandes sucessos da sua carreira para o público que lotou a Praça do Povo.

No local, o governador e a primeira-dama Ana Maria Lins visitaram estandes de artesãos paraibanos e homenagearam a viúva de Jackson do Pandeiro, Neuza Flores, e as sobrinhas do artista, Geralda Miranda e Maria das Mercês Souza.

O gestor destacou a alegria de celebrar o centenário de um paraibano que, pela sua força e arte, fez a diferença no Brasil e levou o nome da Paraíba aos quatro recantos do país. “Nós dedicamos o ano inteiro ao centenário de Jackson que, pela sua importância enquanto músico e representante do nosso estado e do Nordeste, nos estimulou a criar esse maravilhoso Festival. A história dele ficará imortalizada não só pela sua obra, mas pelo reconhecimento do seu povo e da sua região”, frisou.

A presidente da Fundação Espaço Cultural da Paraíba (Funesc), Nézia Gomes, afirmou que a gestão estadual está promovendo ações que mantêm viva a história de um paraibano que foi importante para a cultura brasileira. “O Governo do Estado está realizando todo o ano cultural em homenagem a Jackson do Pandeiro e este evento vem coroar essa digna homenagem ao artista, juntando todas as artes, porque nós lembramos muito de Jackson na música, mas ele também era do cinema e do teatro, e nós estamos aqui com uma diversidade da arte, com muita presença da cultura paraibana, além de atrações nacionais para abrilhantar o Festival”, declarou.

O cantor Lenine ressaltou o significado especial de participar de um Festival em homenagem a Jackson do Pandeiro. “Ele é um pilar para mim porque se a gente for pensar na música popular brasileira, ele é um dos alicerces, o que é evidente para mim. Jackson é fundamental e importantíssimo e é muito bom estar fazendo essa comemoração com tanto tempo de festa”, disse.

Neuza Flores, viúva de Jackson do Pandeiro, agradeceu a homenagem do Governo do Estado ao centenário do artista. “Meu coração está transbordando de alegria. Estou muito orgulhosa e feliz de ver essa homenagem e se ele aqui estivesse, também teria gostado muito. Eu quero agradecer a todo o povo da Paraíba e ao governador por esse reconhecimento”, comentou.

A empresária Luana Suzuki elogiou a organização do evento e garantiu presença em todos os dias do Festival. “Eu estou impressionada com a qualidade das bandas convidadas e o que eu achei mais interessante foi que o Governo chamou alguém de fora, mas chamou artistas daqui também. Isso para mim é incrível porque têm artistas reconhecidos nacionalmente, mas também valoriza os da nossa cidade”, falou.

A comerciante Edineia Lima também parabenizou a programação do Festival. “Eu estou achando maravilhoso. Eu gosto muito do Lenine e essa homenagem a Jackson do Pandeiro é merecida. Além disso, eu gosto muito das programações do Espaço Cultural”, afirmou.

A primeira noite do Festival de Artes Jackson do Pandeiro também foi prestigiada pelo deputado estadual Ricardo Barbosa e o secretário de Articulação Política, João Gonçalves, além de auxiliares do Governo.

Festival de Artes Jackson do Pandeiro – O evento segue até domingo (28), com mais de 60 atrações, em diversas áreas da cultura, como música, teatro, dança, circo, audiovisual, literatura, cultura popular e artes visuais. Durante quatro dias, mais de 400 artistas passarão pelo Espaço Cultural José Lins do Rego, que foi dividido em 13 polos.

Entre os artistas convidados que ocuparão o Polo ‘Sebastiana’ (Palco da Praça do Povo) estão a baiana Margareth Menezes, que canta no sábado (27), e o paraibano Genival Lacerda, que participa do concerto especial da Orquestra Sinfônica da Paraíba no domingo (28). A programação completa do evento está disponível no site www.funesc.pb.gov.br.

Secom-PB

porpjbarreto

Bolsonaro: decisão de saques do FGTS foi tomada em interesse do povo

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta sexta-feira (26) que acha difícil que o Congresso Nacional modifique a medida provisória com as novas regras para os saques de parte das contas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), mas ressaltou que os parlamentares “têm todo o direito” de tomar alguma medida nesse sentido. O presidente foi perguntado pelos jornalistas sobre a intenção de alguns parlamentares de aumentar o valor do saque de R$ 500 para contas ativas e inativas do FGTS entre setembro deste ano a março de 2020.

“O Parlamento sabe muito bem, acho difícil tomarem medida nesse sentido, mas têm todo o direito de tomar. Se, na ponta do lápis, eles falarem que não será atingida a construção de casas populares no Brasil, não tem problema, está certo? Depende deles mostrarem. Matemática não tem como fugir, né? Matemática, pelo que eu aprendi até hoje, dois e dois são quatro e ponto final”, disse o presidente.

E acrescentou: “Nós procuramos atender 82% das pessoas cujo saldo é abaixo de R$ 500. Alguns falam que atendi o interesse de construtoras. Não. Atendi o interesse do povo, não majorando isso, porque temos que ter recursos para continuar o Programa Minha Casa, Minha Vida que é muito importante para quem não tem onde morar. Essa que é a nossa intenção”, afirmou o presidente, na saída do Palácio Alvorada.

Na quarta-feira (24), o governo federal anunciou a liberação de saques de contas ativas e inativas do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) e do PIS-Pasep. O anúncio foi feito no Palácio do Planalto com a presença do presidente Jair Bolsonaro e do ministro da Economia, Paulo Guedes.

O presidente deixou o Palácio do Alvorada e seguiu para Goiânia, onde visita o Comando de Operações Especiais do Exército Brasileiro, participa do aniversário de 161 anos da Polícia Militar de Goiás e da formatura da 45ª turma de aspirantes.

Navios iranianos

O presidente também disse esperar que o problema envolvendo os dois navios iranianos que estão parados, desde junho, perto do Porto de Paranaguá, no Paraná, seja resolvido nas próximas horas ou até no máximo na segunda-feira (29).

A Petrobras tem se recusado a abastecer os navios. Com isso, eles ficam impedidos de retornar ao país de origem. A empresa teme violar a legislação norte-americana devido ao embargo dos Estados Unidos ao Irã. A violação poderia trazer graves prejuízos para a Petrobras, que é grande exportadora de petróleo para os Estados Unidos e tem ações negociadas na Bolsa de Valores de Nova York.

A exportadora contratante dos navios chegou a conseguir uma liminar na Justiça do Paraná ordenando que a Petrobras abastecesse os cargueiros. A petrolífera recorreu, e a decisão foi derrubada por uma liminar do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli.

Hoje, presidente Jair Bolsonaro voltou a destacar a importância do alinhamento entre o governo brasileiro e o governo norte-americano. “Temos conversado desde ontem com o embaixador americano nessa questão. Tem adesão do Toffoli. Agora, bancos não querem receber o recurso para esse reabastecimento do navio. Espero que nas próximas horas ou até no máximo segunda-feira, a gente resolva esse problema sem criar qualquer rusga com os Estados Unidos”, afirmou.

Agência Brasil

porpjbarreto

Diretores e associados da Asplan prestigiam evento promovido pela Tabu em Caaporã

O início da moagem da safra 2019/2020 da Agro Industrial Tabu deve começar em 1º de agosto. E como os fornecedores de cana-de-açúcar são agentes importantes neste processo para a indústria, já que eles devem ser responsáveis por 57% do total de matéria-prima a ser processada pela Tabu na safra que se aproxima, a diretoria da destilaria reuniu, nesta quarta-feira (24), produtores da Paraíba e de Pernambuco para um almoço de confraternização na Casa Grande da fazenda, em Caaporã, onde fica seu parque industrial. O vice-presidente, Alexandre Meeus, junto com o diretor operacional, Luiz Sales e a diretora financeira, Daniela Tedesco, além de vários profissionais da Tabu, recepcionaram os convidados, entre os quais  estavam diretores e fornecedores ligados a Associação de Plantadores de Cana da Paraíba (Asplan).

O presidente da Asplan, José Inácio de Morais, foi um dos que participou do encontro. Na ocasião, ele falou do entusiasmo da classe produtora com o atual governo federal, com destaque para a atuação da ministrada da Agricultura Tereza Cristina, dos desafios do setor e ainda da alegria de constatar a evolução da Tabu, destacando a importância disso para o setor. “Temos, de fato, que melhorar nossa produtividade, atingir as três casas decimais, o que é possível, desde que haja investimentos em tecnologia e irrigação. Melhorar a nossa produtividade é o nosso maior desafio hoje”, destacou José Inácio.

O dirigente canavieiro lembrou ainda a importância do equilíbrio da Tabu, e de outras indústrias locais. “Isso deixa o mercado mais tranquilo e os fornecedores mais aliviados pois, nós, produtores, só temos um caminho para escoar a cana que é a indústria e constatar que a Tabu e outras empresas da Paraíba estão equilibradas, nos dá uma segurança a mais e também alegria por ver que o mercado vive um momento mais promissor”, destacou o dirigente da Asplan.

O vice-presidente da Tabu, Alexandre Meeus, deu as boas-vindas aos fornecedores, falou da importância da parceria com eles, fazendo uma analogia desta relação com um casamento, e enfatizou as mudanças da empresa que a tem diferenciado no mercado. “Estamos testando novas tecnologias, diversificando produtos, nos lançando também como distribuidores, valorizando nossos profissionais e buscamos com tudo isso fortalecer as nossas relações com o mercado e com os nossos parceiros, a exemplo de vocês, nossos fornecedores de matéria-prima. Nossa relação é como um casamento que só se fortalece com confiança mútua, fidelidade para ambos e solidez na relação”, disse Alexandre Meeus.

Com 130 fornecedores cadastrados, a Tabu tem uma estimativa de moer 700 mil toneladas de cana na sua 41ª safra, sendo 395 mil toneladas oriundas de matéria-prima de fornecedores e os 305 mil restantes de cana própria da indústria. Em épocas de safra, a empresa contabiliza 1.800 colaboradores. Na safra passada, a Tabu teve um incremento de 40% de produção, atingindo a marca de 610.371.240 mil toneladas. “Trabalhamos com a estimativa de superar esses números na atual safra mas, para isso, contamos com a parceria dos fornecedores. Vocês são muito importantes para nós”, destacou o diretor operacional, Luiz Sales.

O agrônomo Bennon Barreto, que atua na cultura canavieira há 60 anos, deu um testemunho emocionado sobre como o produtor de cana no Nordeste é antes de tudo forte e perseverante. “Nós produzimos cana no pior solo do mundo que é o tabuleiro arenoso do Nordeste, portanto, nós somos bons, muito bons e temos que nos orgulhar de apesar disso tudo ainda produzir cana com economia e é com muita alegria que estou aqui testemunhando esse momento de crescimento da Tabu, porque isso não diz respeito apenas à indústria, mas, gera um impacto positivo em todo o mercado”, destacou Bennon.

Além do presidente José Inácio, participaram do evento os diretores da Asplan, Raimundo Nonato, Oscar Gouveia, Neto Siqueira e Pedro Neto, além de vários associados que fornecem matéria-prima para a Tabu.

Assessoria de Imprensa