Categoria Cultura

porpjbarreto

Junho de 2019: Cantora Nathalia Bellar lançará “Catavento”, o primeiro disco de sua carreira

Inspirado nos ciclos da vida, o CD, em processo de finalização, traz 10 faixas, entre elas 7 inéditas, participações especiais e releituras de artistas consagrados na música brasileira
O novo projeto da cantora e compositora paraibana, ex-integrante do programa The Voice Brasil (Rede Globo), Nathalia Bellar, promete emocionar. Intitulado “Catavento”, o primeiro álbum da artista representa uma nova fase na sua trajetória profissional e convida o público para um momento de imersão nos complexos ciclos da vida e na importância de cada um deles. “Em toda a minha carreira, tive a oportunidade de ouvir e interpretar canções fortes da música brasileira. Penso que todas elas me preparavam para esse momento, em que eu desaguaria no meu trabalho autoral, carregando com maturidade minha mensagem para o mundo. Há cerca de cinco anos, durante o processo de estudos para escolher meu novo repertório, ganhei do compositor paraibano Chico Limeira uma música chamada “Catavento”, que veio, mais tarde, a se tornar a síntese maior desse novo trabalho”, conta a cantora, que homenageou o momento dando o mesmo nome ao disco.
O novo álbum da cantora, produzido no Rio de Janeiro e em João Pessoa, será lançado no segundo semestre de 2019. Músicas como “Samba Canção”, parceria com o compositor pernambucano Tino, vocalista da banda Flotilha em Alta-terra, e “Na Morada”, em parceria com o paraibano Guga Limeira, fazem parte do repertório do álbum, que traz também releituras de grandes compositores com a produção e arranjos de Rodrigo Campello, consagrado por trabalhos como o de Roberta Sá, e coprodução/arranjos de Jader Finamore, produtor paulista com grandes trabalhos na Paraíba. “Catavento é um convite ao mergulho íntimo e pessoal, com letras que exaltam as relações e inquietações humanas, como o amor e suas dores, as desilusões e alegrias e os protestos contra as convenções sociais, tão atemporais e legítimos, na busca pela igualdade”, detalha a artista. No setlist, participações especiais do genial Chico César e do Quinteto Uirapuru.
Catavento – O álbum faz uma síntese da nova fase da carreira da cantora paraibana, unindo a força da ancestralidade nordestina com a suavidade moderna da música brasileira contemporânea. “Este processo de imersão na música paraibana foi o ponta pé inicial para o amadurecimento do meu trabalho. Eu sou uma compositora em exercício. Aprecio parcerias, divido canções. Mas na essência, eu me visto. Gosto muito da interpretação. E encontrei, aqui mesmo na minha terra natal, compositores que proporcionaram um verdadeiro banquete de lindas canções”, conta Nathalia. “Foi a partir daí que comecei a me dedicar a um trabalho com a minha identidade, minha impressão digital, minha cara, meu DNA; que comunica o que eu quero transmitir de um jeito novo”, explica.
Com arranjos modernos, fortes e com influência POP, o CD consegue resumir o que há de mais intenso nas fases da nossa vida, os amores, os desamores, os encontros e a realidade. Nathalia conta que a maior mensagem do álbum é a força da energia que está dentro de cada um.
“Assim como o catavento, nós possuímos essa força que gera energia. Meu desejo é que este disco seja inspiração para que todos possam aprender sobre a importância da transitoriedade. Que sejamos cataventos dispostos a girar com a intensidade que cada fase nos pede. Todo e qualquer processo precisa ser vivido com muita entrega”, explica a cantora. “Nós somos seres cíclicos e cheios de pluralidade. “Catavento” tem um pouquinho de tudo isso, é um disco plural”, afirma.
Para acompanhar as novidades do projeto, os fãs da cantora podem visitar o site oficial, www.nathaliabellar.com, o perfil no Instagram, @nathaliabellar ou a Fanpage.
Sobre Nathalia Bellar – Cantora e compositora paraibana, Nathalia Bellar nasceu em João Pessoa e começou a se apaixonar pela música aos 15 anos, quando ganhou seu primeiro violão. Participou de grupos escolares e religiosos. Anos depois entrou para o teatro, onde iniciou a carreira artística. A estreia como cantora aconteceu aos 21 anos, quando também iniciou sua trajetória musical na noite e começou a ser reconhecida em outras cidades do Brasil, tendo a oportunidade de dividir o palco com artistas consagrados, como Daniela Mercury, Dani Black, Cátia de França e Tunai.
Em 2012, a canção “Pra durar” marcou o primeiro desafio da artista como compositora e foi selecionada para compor a coletânea em disco da Mostra Sesc de Música Paraibana, importante projeto voltado para os novos compositores. A partir deste trabalho, Nathalia encantou-se pelo samba, gênero que a levou a idealizar seus primeiros shows em palcos maiores.
Entre 2015 e 2016, a cantora lançou dois projetos importantes contemplando seu lado intérprete e homenageando grandes cantoras da música popular brasileira, como o show “Elis Vive! ”, uma homenagem à obra de Elis Regina, e o show “Dona do Dom”, tributo a Maria Bethânia. Em 2016, criou o projeto “Crua”. Uma série de web clipes realizados de maneira simples, orgânica e original, com versões de canções consagradas e parcerias suas com outros compositores.
Em 2017, Nathalia participou do The Voice Brasil, na rede Globo, no time do cantor e compositor Lulu Santos, encantando o Brasil com sua voz que mistura força e suavidade, com uma interpretação visceral e vibrante. Depois disso, lançou a segunda canção autoral. O single “Estranho Mundo” ganhou as plataformas digitais e conquistou o público fiel da cantora. O ano de 2018 foi de preparação e imersão para a produção do “Catavento”, seu primeiro disco de carreira.
Assessoria de Imprensa
porpjbarreto

Ingressos para o show “Michael Jackson: Tributo ao Rei do Pop” estão sendo vendido na Dhom Store

Apresentação única com Rodrigo Teaser acontece no dia 30 de março, no Teatro A Pedra do Reino, em João Pessoa

Os fãs do eterno rei do Pop, o icônico cantor Michael Jackson, aguardam com ansiedade o dia 30 de março na capital paraibana. Considerado um dos maiores shows do mundo, o “Tributo ao Rei do Pop” chega a João Pessoa com a interpretação reconhecida internacionalmente de Rodrigo Teaser, único artista brasileiro a ter o nome divulgado no site oficial do cantor. O show acontece no Teatro Pedra do Reino, às 20h30. A produção local é da Coisa Boa Produções, com o apoio do Palace Grill, Boteco Faaca, Domino’s Pizza Cabo Branco e Vivass Comunicação. A realização é da Coisa Boa Produções.
A apresentação conta com grandes coreografias, arranjos e figurinos, trazendo hits memoráveis como “Billie Jean”, “Thriller” e “Smooth Criminal”, sendo o único show da América Latina que segue o padrão e aval de Lavelle Smith, coreógrafo que acompanhou Michael Jackson por mais de 20 anos. A abertura da noite fica por conta do cantor Kevin Ndjana, finalista do The Voice Brasil que encantou o País na edição última edição do programa.
O ponto de venda físico para o evento já está em pleno funcionamento na DHOM STORE, localizada na Av. Edson Ramalho – 160, das 9:00 às 19h – Manaíra. Os valores e setores para o primeiro lote são: Plateia A (50 reais (meia), 100 reais (inteira) e 80 (social); Plateia B: 80 reais (inteira), 40 reais (meia) 65 (social). Os ingressos também podem ser adquiridos online no site www.bilheteriavirtual.com.br. Para mais informações, o Instagram oficial é @coisaboaproduções.
Serviço:
Tributo ao Rei do Pop – com Rodrigo Teaser
Data: 30 de março
Programação:
Abertura dos Portões – 18h
Show de abertura com Kevin Ndjana – 19h
Tributo ao Rei do Pop com Rodrigo Teaser – 20h30
Local: Teatro Pedra do Reino – Centro de Convenções de João Pessoa
Ingressos:  www.bilheteriavirtual.com.br e DHOM STORE (Av. Edson Ramalho – 160, Manaíra)
Valores: Plateia A 50 reais (meia), 100 reais (inteira) e 80 (social); Plateia B: 80 reais (inteira), 40 reais (meia) 65 (social).
Realização: Coisa Boa Produções. @coisaboaproduções.
Assessoria de Imprensa 
porpjbarreto

Agenda cultural: A Escolinha Profana; dias 30 e 31 de março no Teatro Ica em Cajazeiras

QUE COMECE 2019!

Para levar a plateia as gargalhadas nos dias 30 e 31 de março, sempre às 19h, a Trupe de Humor da Paraíba estará em Cajazeiras com o espetáculo: “A Escolinha Profana” no Teatro Iracles Pires, a peça vai trazer os mesmos personagens do espetáculo Pastoril Profano e vai mostrar diferenças gritantes da cultura brasileira com o humor sarcástico.

De acordo com o ator Edilson Alves, “A Escolinha Profana” remete à ironia de rir de si mesmo, algo que segundo ele, interessa a todos. “O espetáculo irá discutir questões sociais e culturais, alguns personagens se prestam dramaticamente a esse realce, que é através do humor. Por outro lado, só é possível fazer humor sobre aquilo que é crítico, sobre aquilo que desagrega e provoca oportunidades de se observar o engraçado e o trágico, e disso, fazer a comédia”, disse o artista.

O espetáculo contará com diversas disciplinas distintas, que serão adicionadas na apresentação, a exemplo ‘Educação Religiosa’, ministrado pela professora Maria da Paz, uma coroa de 55 anos, que é muito dócil, meiga e muito simpática. Outra matéria será de ‘Orientação Sexual’, que contará com a dona Gina Lolobrigida, uma professora extra-mega-hiper moderna, que trata o sexo como algo primordial, essencial e fundamental nos dias de hoje.

Já a matéria de Conhecimentos Gerais que será dado pelo Dengoso (Gestor da Escola) em virtude da escola não ter recebido o professor concursado.

Dengoso, um palhaço velho, autoritário, disciplinador, mestre de cerimônia do pastoril tentará manter a ordem e o progresso da sala de aula. Alunas com rebeldia, confusão, entretenimento, relações humanas, descobertas e política serão os temas fortes destas encenação os professores sofrerão o “pão que o diabo amassou”.

Já as alunas são as mais conhecidas do público brasileiro, que são elas: Verinha Show (Dinart Silva), Maria Dubu (Tony Silva), Irmã Luzinete (Sérgio Lucena), A Mudinha (Alessandro Barros), Selma Camburrão (Raymon Farias), Verônica Show (Aluisio Sousa).

Na técnica estão Nelson Alexandre responsável pelos figurinos, cenário, adereços e iluminação. Sonoplastia de Wagner Nascimento, Produção de divulgação de Giovanna Gomdim, Nelson Alexandre e Wagner Nascimento, Assessoria de Imprensa Ícaro Diniz, direção e texto criação coletiva. Direção Geral de Encenação Edilson Alves.

SERVIÇOS: Espetáculo: ‘A ESCOLINHA PROFANA’ Trupe de Humor da Paraíba

Local: Teatro Iracles Pires

Dias: 30 e 31 de março (Sábado e Domingo)

Horário: 19h

Ingressos: R$ 30,00 (inteira) – R$ 15,00 (estudantes, professores, idosos, militares e antecipados).

Contato: (83) 9.9396.7982

 

Assessoria de Imprensa 

porpjbarreto

Música: Há 60 anos foi lançado o disco Chega de Saudade, de João Gilberto

Antonio Carlos Senefonte foi radialista, músico e apresentador de televisão. Virou Kid Vinil porque era apaixonado por vinil, tanto que tinha uma coleção de 20 mil discos.

Em 1959 foi lançado o disco Chega de Saudade, o icônico disco que traz João Gilberto com a mão no queixo, expressão serena.

O disco traz as faixas: Chega de Saudade, Lobo Bobo, Brigas Nunca Mais, Oba La La, Saudade Fez Um Samba, Maria Ninguém, Desafinado, Rosa Morena, Morena Boca de Ouro, Aos Pés da Santa Cruz, Bim Bom e É Luxo Só.

O disco foi lançado ao longo do período entre os dias 8 e 12 de março.

A Música do Dia é “É Luxo Só”, de Ary Barroso, na voz de João Gilberto.

 

Produção e apresentação – Luiz Cláudio Canuto
Agência Rádio Câmara
porpjbarreto

Música: Quatro anos sem a cantora e apresentadora Inezita Barroso

Na TV Cultura, Inezita apresentou, durante 34 anos, o programa “Viola Minha Viola”, o mais antigo programa com apresentação ininterrupta da televisão

Inezita Barroso morreu quatro dias depois de ter feito 90 anos. Uma das mais consagradas cantoras e apresentadoras de TV, apresentou na TV Cultura, durante 34 anos, o programa “Viola Minha Viola”, o mais antigo programa com apresentação ininterrupta da televisão. Foi uma uma das primeiras formandas em biblioteconomia da USP. Aprendeu a tocar violão aos sete anos de idade. O piano foi outro instrumento que aprendeu a tocar cedo. Ao longo da carreira, gravou mais de 70 discos. Como apresentadora, trabalhou na TV Tupi, Record, SBT e na TV Cultura. Antes do “Viola Minha Viola”, chegou a apresentar o programa “Música Brasileira”. Sua gravação mais célebre é a “Moda da Pinga”, gravado no início da década de 50.

 

A Música do Dia é “João de Barro“, com Inezita Barroso.

Produção e apresentação – Luiz Cláudio Canuto
Agência Rádio Câmara
porpjbarreto

Energisa levará sessão de cinema ao ar livre para Uiraúna e outros 16 municípios paraibanos

Durante o mês de março, o Projeto Nossa Energia, em parceria com a Secretaria de Cultura do Estado, vai realizar sessões de cinema ao ar livre nas cidades de Catolé do Rocha, Matinhas, Pombal, Pocinhos, Uiraúna, João Pessoa, São Mamede, Alagoinha, Patos, Cuitegi, Olho D’água, Sobrado, Nova Olinda, Juripiranga, Pitimbu, Cacimbas e Bayeux, com exibição dos filmes brasileiros “A Máquina” e “Eu e Meu Guarda-Chuva”.

A iniciativa, desenvolvida pela Energisa, faz parte do Programa de Eficiência Energética da Aneel que também levará aos moradores dos municípios palestras sobre consumo consciente e troca de lâmpadas não eficientes por de LED. Cada unidade consumidora poderá substituir até seis lâmpadas incandescentes ou fluorescentes, mediante comprovação de residência em comunidade de baixo poder aquisitivo. Para ter direito ao benefício é preciso levar as lâmpadas que serão trocadas e os seguintes documentos originais: identidade, CPF e última conta de energia paga.

Desde 2007, os caminhões do Nossa Energia percorrem todo o Estado incentivando melhores práticas de consumo nas residências e o combate ao desperdício de energia elétrica por meio de palestras educativas.

Programação:

Catolé do Rocha – 07 e 08/03
Centro – Rua Dr. José Mariz, Praça Prefeito Sérgio Maia

Matinhas – 08 e 09/03
Centro – Avenida Governador Antonio Mariz

Pombal – 09, 11 e 12/03
Centro – Rua Coronel João Carneiro, Praça Getúlio Vargas

Pocinhos – 11 a 13/03
Centro – Rua Professora Alzira Coutinho (Por trás do Ginásio Municipal “O Adrianão”)

Uiraúna – 13 a 14/03
Centro – Rua José Vieira Bujary (na frente da Igreja Matriz)

João Pessoa – 14 e 15/03
Bairro das Industrias – Enedino Rodrigues de Carvalho (Condomínio São Rafael I)

São Mamede – 18 e 19/03
Centro – Praça de Eventos “O Bezerrão”

Alagoinha – 18 e 19/03
Centro – Rua Capitão Costa, Praça Alfredo Moura

Patos – 20 e 21/03
São Sebastião – Rua Francisca Maria da Luz (Ao lado da Paróquia São Sebastião)

Cuitegi – 20 e 21/03
Centro – Rua João Pimentel (Praça Miguel Fernandes de Souza)

Olho D’água – 22 e 23/03
Centro – Praça Antônio Avelino de Almeida

Sobrado – 22 e 23/03
Centro – Rua Manoel Soares (em frente a Prefeitura Municipal)

Nova Olinda – 25 e 26/03
Centro – Rua Tiradentes

Juripiranga – 25 e 26/03
Centro – Rua Santa Catarina (ao lado da Igreja Matriz Nossa Senhora da Soledade)

Pitimbu – 27 e 28/03
Centro – Praça Senhor do Bonfim (ao lado da Igreja Matriz)

Cacimbas – 27 e 28/03
Centro – Praça Aluízio Terto

Bayeux – 29/03
Mario Andreazza – Rua Andrezza (próximo ao Centro Comunitário Mario Andreazza).

 

Assessoria de Imprensa – Energisa-PB

porpjbarreto

Aniversário de 20 anos da morte do cineasta Stanley Kubrick

Seu último filme foi “De Olhos Bem Fechados”, em 1999

O cineasta Stanley Kubrick nasceu em Nova Iorque em 1928. Sua obra é ampla e diversificada em estilos. O primeiro filme veio em 1953: “Medo e Desejo”. Dois anos depois fez “A Morte Passou por Perto”. “Lolita”, de 1962, foi filmado fora dos Estados Unidos. E inclui “2001: uma Odisséia no Espaço”, de 1968, “Laranja Mecânica”, de 1972, “O Iluminado”, de 1980, e “Nascido Para Matar”, de 1987. Seu último filme foi “De Olhos Bem Fechados”, em 1999.

A Música do Dia é “Baby Did a Bad Bad Thing“, com Chris Isaak.

Produção e apresentação – Luiz Cláudio Canuto
Agência Rádio Câmara
porpjbarreto

Mangueira é a campeã do Carnaval 2019 do Rio de Janeiro

Escola levou para a Marquês de Sapucaí o enredo História pra ninar gente grande, fez um desfile crítico e conquistou os jurados

A Estação Primeira de Mangueira é a grande campeã do Carnaval do Rio de Janeiro de 2019. A escola desfilou na segunda-feira (4), segundo dia de folia, e levou para a Marquês de Sapucaí o enredo História pra ninar gente grande.

A Mangueira se destacou logo no início da apuração, ao ganhar nota máxima nos primeiros quesitos, Evolução, Harmonia, Mestre-sala e Porta-bandeira. A escola só levou tr~ notas abaixo de dez de um dos jurados de Alegorias e adereços e Enredo. Mas, seguindo o regulamento, elas foram descartadas — do total de quatro notas por quesito, a mais baixa é desconsiderada. Sendo assim, a Mangueira fez 260 pontos.

Com o anúncio da penúltima nota, 9.9 no quesito Fantasias, que garantiu o título para a escola, os diretores e componentes da Mangueira, que estavam na Praça da Apoteose acompanhando a apuração, vibraram muito.

O último título da Verde e Rosa foi em 2016, quando fez uma homenagem para a cantora Maria Bethânia. No total, a escola acumula 19 troféus do Carnaval carioca.

No desfile deste ano, a Mangueira recontou histórias do Brasil exaltando algumas “páginas” que foram omitidas. Na comissão de frente, por exemplo, a  escola substituiu grandes nomes da história por negros e índios.

O segundo carro foi um dos destaques do desfile ao trazer uma releitura do Monumento às Bandeiras, em São Paulo, e questionar a atuação dos bandeirantes, retratados não como heróis, mas como invasores que massacraram os povos indígenas.

Nas alas e alegorias, a Mangueira exaltou os verdadeiros heróis do país: negros, índios e pobres. A agremiação também fez uma homenagem para a vereadora Marielle Franco, assassinada em março do ano passado, com direito a bandeiras estampadas com o rosto dela na última ala.

 

r7

porpjbarreto

Festival de Música da Paraíba tem mais de 250 músicas inscritas

A segunda edição do Festival de Música da Paraíba, que vai homenagear o centenário de nascimento do músico paraibano Jackson do Pandeiro, teve mais de 250 músicas inscritas. As inscrições para este festival que busca dar mais visibilidade à produção musical do Estado tiveram início no dia 5 de fevereiro e se encerraram na última terça-feira (5). Puderam se inscrever artistas comprovadamente residentes na Paraíba, com idade acima de 14 anos e com música autoral inédita.

As eliminatórias do Festival de Música da Paraíba estão previstas para acontecer no dia 18 de maio na cidade de Alagoa Grande, no dia 25 de maio em Monteiro e a final deverá ocorrer no dia 31 de maio no Espaço Cultural José Lins do Rêgo, em João Pessoa. Serão pagos R$ 20 mil em prêmios, sendo R$ 10 mil para o primeiro colocado, R$ 5 mil para o segundo, R$ 3 mil para o terceiro e R$ 2 mil para melhor intérprete.

O festival é uma realização do Governo do Estado, por meio da Empresa Paraibana de Comunicação, representada pela Rádio Tabajara, Fundação Espaço Cultural da Paraíba (Funesc) e Secretaria de Estado da Comunicação (Secom). A primeira edição do Festival de Música da Paraíba, realizada no ano passado, homenageou a tocadora de pífano Zabé da Loca, tendo como melhor intérprete o cantor e compositor Chico Limeira.

Valorização – Em sua segunda edição, o festival mantém o objetivo de reconhecer e divulgar a música paraibana, descobrindo e valorizando artistas que vêm surgindo no cenário cultural. O evento surgiu da necessidade de um projeto para estimular e evidenciar a produção do estado, dando voz a novos talentos e que não se restringisse à capital.

 

Secom-PB

porpjbarreto

Músico Ritchie faz 67 anos

A Música do Dia é “Menina Veneno”

O inglês Ritchie se naturalizou e se consagrou no Brasil. Nascido no condado de Kent, na Inglaterra, Ritchie chegou a morar no Quênia, Dinamarca, Itália e Alemanha. No Brasil, morou em São Paulo. Começou sua carreira musical na banda Scaladácida, que acabou em 1973. Então virou professor de inglês no Rio de Janeiro. Flautista, passou a cantar no grupo Vírmana, ao lado de Lobão. A banda foi desfeita e em 1983 Ritchie lançou o disco “Vôo de Coração”, que vendeu mais de um milhão de cópias. O disco traz seu maior sucesso: Menina Veneno.

A Música do Dia é “Menina Veneno“.

Produção e apresentação – Luiz Cláudio Canuto
Agência Rádio Câmara