Categoria Tempo

porpjbarreto

Nordeste do país tem chuva em áreas isoladas nesta quarta-feira (20)

Umidade relativa do ar fica entre 30% e 95%

Nesta quarta-feira (20) o tempo no Nordeste do país vai ficar de encoberto a nublado com chuva no Maranhão. Nublado a parcialmente nublado em Alagoas e Sergipe, com pancadas de chuva em áreas isoladas.

A temperatura mínima na região vai ser de 17º C e a máxima de 38ºC. Já a umidade relativa do ar fica entre 30% e 95%.

As informações são do Instituto Nacional de Meteorologia, o INMET.

Repórter Juliana Gonçalves – Agência do Rádio

porpjbarreto

Música: Hoje é a primeira segunda-feira sem horário de verão

O horário de verão foi adotado pela primeira vez em 1931. A Música do Dia é “Nascente”, de Beto Guedes

Você acordou mais tarde, ou acordou se sentindo melhor? O horário de verão foi adotado pela primeira vez em 1931, mas passou a ser adotado constantemente a partir de 1985. A abrangência era nacional, mas foi reduzida, até que, em 2003, passou ao formato atual: atinge Centro-Oeste, Sudeste e Sul, com a Bahia aderindo eventualmente.

Desde 2012 está fora. Talvez tenhamos passado pelo ultimo horário de verão, pois desde o ano passado reforçou-se a discussão sobre a necessidade do horário de verão diante da mudança dos hábitos dos brasileiros e do horário da indústria.

 

A Música do Dia é “Nascente“, de Beto Guedes.

Produção e apresentação – Luiz Cláudio Canuto
Agência Rádio Câmara
poradmin

Horário de verão chega ao fim neste final de semana em dez estados e no DF

Os relógios devem ser atrasados em uma hora à meia-noite de sábado (16) para domingo (17)

Você acorda cedo e o dia ainda está escuro? Ou sai do trabalho e o sol ainda está lá em cima? Isso vai mudar. O horário de verão termina à meia-noite de sábado (16) para domingo (17). Ou seja, à 0h deste domingo os relógios devem voltar para as 23h.

Implementada nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste do país, os moradores São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Distrito Federal terão de atrasar seus relógios em uma hora.

Este ano, o horário de verão começou mais tarde do que nos outros anos. Antes, ele se iniciava no terceiro domingo de outubro. Em dezembro de 2017, o presidente na época, Michel Temer, assinou decreto que diminuiu a duração do horário de verão, atendendo a um pedido do Tribunal Superior Eleitoral, para que o início do horário de verão não ocorresse entre o primeiro e o segundo turno da eleição.

O Palácio do Planalto chegou a informar em 2018 que, a pedido do Ministério da Educação, a entrada em vigor do horário seria adiada do dia quatro para o dia 18 de novembro, para não prejudicar provas do Enem, mas a data de quatro de novembro foi mantida.

O horário de verão também é adotado em países como Canadá, Austrália, Groelândia, México, Nova Zelândia, Chile, Paraguai e Uruguai.

 

Por Paulo Henrique

Agência do Rádio

porpjbarreto

Saúde: Marquinha de sol com fita isolante: especialistas alertam para perigo redobrado

O verão é a época do ano em que os cariocas fazem questão de mostrar suas marquinhas de biquíni. Homens e mulheres aderiram à moda da fita isolante para deixar o desenho bem feito. Mas se expor por muito tempo ao sol com a intenção de se bronzear é uma atitude perigosa que pode gerar graves consequências no futuro. E o uso da fita é uma preocupação extra para os médicos.

— A cola da fita pode provocar um eczema de contato, que faz aparecer vermelhões e até bolhas. Por isso as pessoas não devem se bronzear usando a fita isolante. A minha recomendação é que, neste verão, ninguém vá para a laje se bronzear por causa da alta incidência de raios ultravioletas — orienta Murilo Drummond, dermatologista e professor titular do Instituto de Pós-Graduação Carlos Chagas.

Ana Luisa Bittencourt Jeunon, assessora do departamento de Dermatologia e Medicina Interna da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), lembra do risco de doenças ainda mais graves:

— O sol, depois de anos de queimaduras, é um fator de risco maior para o desenvolvimento de câncer de pele.

A pele bronzeada, tão desejada na juventude, é mais suscetível ao fotoenvelhecimento (envelhecimento da pele causada pela luz).

— Esse dano que o raio ultravioleta causa na pele para deixá-la bronzeada faz com que ela tenha rugas e manchas em maior quantidade. Por exemplo, a pessoa que sempre foi para a praia de maiô e nunca bronzeou a barriga, se você comparar a pele da barriga com a do braço ou a do rosto, essas últimas vão estar mais manchadas e enrugadas — afirma Ana Luisa Jeunon.

Bronzeadores caseiros fazem a pele ‘fritar’

Uma das grandes preocupações dos dermatologistas é o uso de bronzeadores caseiros. Essas fórmulas possuem substâncias que “fritam” a pele.

— Bronzeadores industrializados possuem um pequeno fator de proteção solar, que protege um pouquinho e possibilita o bronzeamento. Já as fórmulas caseiras levam substâncias que sensibilizam a pele ao sol, como o uso de limão, o que aumenta ainda mais o risco de queimaduras. De qualquer forma, eles não são seguros, principalmente para pessoas que são muito brancas — diz a dermatologista Ana Luisa Jeunon.

Os especialistas lembram que cada pessoa tem um limite para se expor ao sol sem se queimar e isso varia de acordo com o tom de pele: pessoas brancas estão sujeitas a se queimar mais, enquanto as negras, sofrem menos com o sol. De qualquer forma, é preciso se proteger ao máximo.

Maneira menos prejudicial de se bronzear

Hora certa

Aquela regra dos horários continua valendo: evite se expor ao sol entre 10h e 16h.

Use o protetor

O fator mínimo é de 30 FPS. Mesmo com o produto, a pele fica bronzeada.

Aos poucos

Não importa o seu tom de pele, você não vai conseguir o bronzeado “perfeito” em um dia. Para não causar queimaduras graves nem problemas como insolação, é preciso se expor ao sol poucos minutos por dia.

Alimentação

Frutas e legumes de cor laranja e amarela e folhas verde escuras são ricos em betacaroteno, vitamina que ajuda a manter o bronzeado na pele por mais tempo. Consuma esses alimentos com regularidade.

Extra

porpjbarreto

Parentes vivem angústia na busca por desaparecidos em tragédia em MG

Dezenas de familiares se aglomeram todos os dias em busca de informações. A cena se repete desde a última sexta-feira (25), quando a Barragem 1 de rejeitos da mineradora Vale se rompeu e deixou um rastro de lama e mais de 270 desaparecidos em Brumadinho, no interior mineiro. O número de mortos chega a 84.

Na porta de um dos centros de atendimento montados no município, encontramos dois irmãos que buscavam, com fotos nas mãos, qualquer notícia da irmã Gislene, de 53 anos. Edir Lazaro do Amaral é comerciante e conta que ela estava dentro do refeitório da empresa Vale na hora do rompimento da barragem. “Ela passou mensagens às 12h21 para algumas amigas. [Poucos minutos depois], uma vizinha viu a notícia e me avisou lá no restaurante. Até pediu para não avisar a minha mãe. Aí entrei em desespero”, relembra.

Gislene é uma das 276 pessoas consideradas desaparecidas até o momento. Ela trabalhava há 17 anos na Vale e, segundo o irmão, comemorava a compra de um carro novo e ainda cuidava da mãe idosa. “A gente está muito chateado, chorando muito. Está uma tristeza danada. Nem estou abrindo o meu restaurante. Estamos neste sofrimento. Minha mãe é acamada, nós não tivemos condições de avisá-la de imediato, ela ficou sabendo pela televisão”, conta.

Apesar da saudade e da tristeza, para Edir, o mais importante agora é conseguir enterrar a irmã. “A esperança nossa é encontrar pelo menos o corpo dela para a gente ter um enterro digno, porque ela não merecia essa morte”, acrescenta emocionado.

Do outro lado da cidade de Brumadinho, aos pés do que já foi um riacho, encontramos o mecânico Nelson José da Silva Junior. De olhar perdido, observando o mar de lama, ele relembra que nasceu e foi criado ali. São 36 anos aqui, ao lado da barragem. “Não imaginava [isso], né, porque é tudo fiscalizado. Não sabia que a situação era dessa forma. Muita gente que trabalhava lá próximo dizia que tinha perigo [de rompimento], que estava vazando, mas eu mesmo não sabia disso.”

A parabolic antenna is seen over mud after a dam owned by Brazilian miner Vale SA that burst, in Brumadinho, Brazil January 26, 2019. REUTERS/Adriano Machado
Mar de lama destruiu casas e deixou 84 mortos até o momento
Reuters/Adriano Machado/Direitos Reservados

Todos os moradores da região onde vivia Nelson precisaram sair do local assim que a barragem de rejeitos se rompeu. Ele estava trabalhando longe dali. A esposa e o filho, que estavam em casa, conseguiram fugir. Mas, a irmã que trabalhava na Vale continua desaparecida. “Ela trabalhava na medicina do trabalho. E até hoje não temos notícia, nada, nada. Já fomos a hospital, IML, já andei essas matas todas e não encontrei nada.’’

A busca é pela irmã mais nova Fernanda, de 32 anos. Ela comemorava a conclusão recente da tão sonhada faculdade de psicologia. Mas, infelizmente, não poderá participar da Colação de Grau. “Ela estava tão feliz. Chegou a tirar todas as fotos. O pessoal da faculdade ligou pra nossa família, nós ficamos sem saber o que dizer. É muita tristeza.’’

 

Agência Brasil

porpjbarreto

Projeto de Veneziano apresentado na Câmara aumenta as condições de preservação ambiental no Brasil

Em 2015, o Deputado Federal e Senador eleito e já diplomado Veneziano Vital do Rêgo (PSB) apresentou o Projeto de Lei PL 3587/2015, que trata das condições de preservação ambiental e de saúde e segurança dos trabalhadores, para a realização das atividades de lavra mineral no país.

Veneziano justificou o Projeto alegando que as riquezas minerais de nosso país, como parte integrante do patrimônio comum do povo brasileiro, devem ser correta e criteriosamente exploradas, para produzir progresso e prosperidade para todos.

Entretanto, segundo Veneziano, a tragédia ocorrida na região de Mariana, no Estado de Minas Gerais, como a atual, na cidade de Brumadinho, demonstram o que pode acontecer quando essa exploração se faz sem os devidos cuidados e, principalmente, com uma fiscalização leniente e pouco atenta às condições de segurança e preservação ambiental, o que “acaba por redundar em prejuízos materiais e, sobretudo, humanos, sendo esses últimos absolutamente impagáveis”.

A ideia de Veneziano foi a de tornar mais rígidas as condições de concessão de autorização  de funcionamento e de fiscalização das atividades de lavra mineral, para “garantir que, de fato, essas atividades se realizem em condições de segurança e de preservação ambiental, e não apenas de mera geração de valores econômicos.”

O Projeto de Veneziano foi incorporado ao PL 37/2011, do Deputado Welington Prado (PT – MG), que está aguardando relator em uma Comissão especial da Câmara. Veneziano lembra que o que aconteceu em Brumadinho é de responsabilidade e negligência especialmente da Vale. Mas destaca a importância do projeto, que se hoje já estivesse sido colocado em prática, aumentaria a segurança dos trabalhadores em lavras e da produção mineral no nosso país. Veja detalhes do projeto no link: http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=2054287

 

Assessoria de Comunicação

Deputado Federal e Senador eleito

Veneziano Vital do Rêgo

porpjbarreto

Sonda chinesa chega ao lado oculto da Lua pela primeira vez

REPRESENTAÇÃO ARTÍSTICA DE CHANG’E-4 NA LUA

(FOTO: CHINA NATIONAL SPACE ADMINISTRATION/HANDOUT/EPA).

A nave chinesa Chang’e 4 pousou na inexplorada Bacia Polo Sul-Aitken, a maior, mais antiga e profunda cratera da superfície lunar. É a primeira vez que uma sonda chega ao lado oculto da Lua, representando um avanço para a astronomia.

Segundo o jornal The Guardian, os primeiros relatos do pouso bem-sucedido provocaram confusão. Isso porque a mídia estatal China Daily e a CGTN apagaram tweets nos quais a missão era exaltada. “A Chang’e 4 pousou no lado oposto da lua, inaugurando um novo capítulo na história da exploração lunar da humanidade”, dizia a mensagem do China Daily.

A confirmação oficial aconteceu poucas horas depois, por meio da emissora estatal chinesa CCTV, que divulgou que o veículo pousou às 00h26 (horário de Brasília), desta quinta-feira (3).

A Chang’e 4 é controlada pela Administração Nacional do Espaço da China (CNSA, na sigla em inglês). A sua missão é fazer medições detalhadas do terreno e da composição mineral da Lua.

Acredita-se que a Bacia Polo Sul-Aitken tenha sido formada durante uma gigantesca colisão. É provável que essa colisão tenha impactado materiais lunares internos, o que significa que a sonda poder fornecer novas pistas sobre a formação do satélite natural.

Para Malcolm Davis, analista do Australian Strategic Policy Institute, entidade de defesa australiana, o pouso representa mais do que um avanço na astronomia. “Há muita geopolítica e astropolítica nisso. Não é apenas uma missão científica, mas também a ascensão da China como superpotência”, ele disse. “Há muito nacionalismo na China, e eles veem o papel do país no espaço como parte fundamental do desenvolvimento.”

 

GALILEU

porpjbarreto

A primeira foto da lua foi feita em 1839

O autor da façanha foi o francês Louis Daguerre

A Música do Dia é “Down to the Moon“, de Andreas Vollenweider.

No dia 2 de janeiro de 1839, o francês Louis Jacques Mandé Daguerre fez a primeira fotografia da Lua. Ele é apontado como autor da primeira patente para um equipamento fotográfico, em 1837.

A invenção que produziu uma imagem sem negativo foi chamada de daguerreótipo. Em 1839, a invenção foi apresentada à Academia de Ciências de Paris e foi declarada de domínio público. A descoberta é apontada como marco inicial da fotografia.

Produção e apresentação – Luiz Cláudio Canuto
Fonte: EBC e Agência Rádio Câmara
porpjbarreto

Saiba o volume dos principais açudes públicos do Estado segundo AESA

De acordo com a AESA e seu monitoramento diário dos principais açudes públicos do estado, o volume mostra em milhões de m³.

Abaixo, os nossos leitores podem observar o nome de cada açude para ver os gráficos da evolução e seu volume.

Clique no link a seguir, para ter acesso aos dados – VOLUME DIÁRIO DOS PRINCIPAIS AÇUDES

 

Com AESA-PB

porpjbarreto

Passa de 400 número de mortos em tsunami na Indonesia

A cada dia aumenta o número de vítimas em decorrência do tsunami desencadeado após erupção do vulcão Anak Krakatau, na região costeira da Indonésia. O balanço mais recente divulgado hoje (25) é de 429 mortos e 1.459 feridos, além dos desaparecidos.

tsunami, registrado há três dias, destruiu 882 casas, 73 hotéis, vilas e edifícios localizados no litoral. De acordo com o porta-voz da Agência Nacional de Gerenciamento de Desastres, Sutopo Purwo Nugroho, 16.082 pessoas foram deslocadas.

O desastre também destruiu um porto marítimo e 434 navios e embarcações nos distritos de Pandeglang e Serang mais atingidos na província de Banten, e nos distritos de Lampung Selatan, Panawaran e Tenggamus na província de Lampung.

Buscas

As buscas se estendem por terra e mar entre as ilhas de Java e Sumatra, já que muitas vítimas teriam sido arrastadas pelas ondas. “Os navios que procuram as vítimas já recuperaram vários corpos no mar”, disse Sutopo.

Mais de 2 mil soldados e policiais, além de pessoal do escritório de busca e salvamento e do escritório da agência de gestão de desastres participaram de uma operação de socorro emergencial.

Falhas

O porta-voz admitiu que falhas no sistema de alerta contribuíram para o agravamento da situação. “A ausência e o fracasso dos primeiros sistemas de alerta de tsunamis contribuíram para as enormes baixas porque as pessoas não tiveram oportunidade de serem deslocadas.”

A agência de meteorologia e geofísica proibiu atividades nas áreas costeiras após o tsunami.

Em 26 de dezembro de 2004, um enorme tsunami desencadeado por um poderoso terremoto atingiu países ao longo do Oceano Índico, matando 226 mil pessoas, incluindo 170 mil na província de Aceh, na ponta norte da ilha de Sumatra, na Indonésia.

Vulcão

A área do vulcão Anak Krakatau está cercada de estâncias turísticas, uma zona industrial, uma movimentada faixa de navegação e algumas áreas residenciais. No sábado, ondas de 4 a 5 metros atingiram a costa.

Anak Krakatau é um dos 129 vulcões ativos na Indonésia, uma vasta nação de arquipélagos que abriga 17,5 mil ilhas, situada em uma zona propensa ao terremoto do chamado Anel de Fogo do Pacífico.

 

Fonte: Agência Brasil

*Com informações da Xinhua, agência pública de notícias da China.