Categoria Cajazeiras

porpjbarreto

‘Meu mandato só me realiza quando vejo uma ação parlamentar dele interferir positivamente na vida das pessoas’ diz Jeová Campos

O deputado Jeová e a diretora da escola estadual, Ana.

O deputado sertanejo Jeová Campos (PSB) viveu, na manhã desta segunda-feira (15), segundo ele próprio, uma das experiências mais prazerosas que tem um político quando o mandato se materializa em ações e projetos que mudam, para melhor, a vida das pessoas. “Eu entendo a política como um instrumento de mudança da sociedade para melhor e só me realizo no exercício de um cargo público quando vejo que as ações e lutas que defendo através de meu mandato se materializam em melhoria de qualidade de vida das pessoas, como acontecerá quando essa escola for inaugurada”, disse o paramentar após visitar as futuras instalações da escola estadual de Capim, que foi um dos pleitos defendidos por ele junto ao governo estadual.

Acompanhado do vereador Neto Chaves, de Capim, o parlamentar percorreu todos os ambientes da escola estadual, que começou a ser construída ainda na gestão do ex-governador Ricardo Coutinho e será inaugurada pelo governador João Azevedo e é fruto de reivindicações do parlamentar junto ao governo estadual. “Essa grande conquista do povo de Capim, muito me alegra, porque sei da importância de um equipamento como esse no futuro das crianças e jovens daqui, e fico muito contente porque sei que essa conquista tem muito do nosso empenho, da nossa garra. Quando se abre uma escola, não se disponibiliza apenas um imóvel, mas, uma semente de esperança”, disse Jeová.

As obras da nova escola de Capim estão em ritmo acelerado.

O deputado aproveitou para agradecer ao atual governador, João Azevedo, que deu continuidade a obra, que deverá ser inaugurada no próximo mês, com data ainda a ser definida. “Essa é mais uma demonstração de que o governo continua trabalhando e querendo uma Paraíba próspera, atuando com competência hoje, mas, também com os olhos voltados para o futuro, o futuro de uma geração que vai ter outras oportunidades com essa nova escola, pois ganhar uma nova escola significa melhorar o serviço prestado à população, dotar o município de uma unidade moderna que acolha os alunos de forma mais adequada. A educação é a base da cidadania e é através dela que o cidadão se projeta para um amanhã mais promissor”, finaliza o parlamentar.
Assessoria de Imprensa
porpjbarreto

MPF vai investigar Zé Aldemir e Dra. Paula por conta de contratação de cirurgias

Informação está publicada na edição da segunda-feira (15) do Diário Oficial do órgão

O Ministério Público Federal (MPF) na Paraíba instaurou inquérito civil para investigar o prefeito de Cajazeiras, José Aldemir (PP), a deputada estadual Dra. Paula (PP) – ex-secretária de saúde do município – e a clínica Dom Rodrigues, em razão da contratação de serviços de exames e procedimentos cirúrgicos para vários pacientes.

A informação está publicada na edição da segunda-feira (15) do Diário Oficial do órgão. De acordo com o MPF, o procedimento preparatório que deu origem ao inquérito, surgiu a partir da representação formulada por Alana Patrícia Leite Nogueira.

A portaria, que autoriza a investigação, está assinada pelo Procurador da República Anderson Danillo Pereira Lima.

O MPF não informou o prazo para conclusão deste inquérito.

 

Fonte: Paraíba Já

porpjbarreto

Moradora na cidade de Fortaleza procura familiares que residem em Cajazeiras

Maria das Dores, conhecida por amigos, pelo apelido de “Marinalva”, reside na cidade de Fortaleza, Capital do Ceará, está à procura de sua mãe biológica, que segundo a mesma, morava em Cajazeiras, na Paraíba.

De acordo com “Marinalva”, o nome de sua genitora é Marlene. Ela dispõe de poucas informações do paradeiro de seus familiares na Terra do Padre Rolim, mas dá dicas importantes sobre seus primeiros dias de vida.

“Marinalva” faz uma breve narrativa: “Quando minha mãe engravidou, os pais dela não aceitaram a situação e acabaram expulsando-a de casa, para ter a criança em Juazeiro do Norte/CE, o meu nascimento aconteceu no dia (09/09/1975)”.

Ainda segundo informações, sua mãe entregou a criança para um homem chamado Zé Miguel, hoje, já falecido. A mãe adotiva também faleceu, porém, essas pessoas residiam em Cajazeiras, supõe “Marinalva”.

Caso alguém possa ajudar “Marinalva” encontrar seus familiares, ou souber qualquer informação a respeito – entre em contato com Rosy Fernandes, pelo telefone: (83) 99146-1372.

Redação – fmrural.com.br

porpjbarreto

TRE atende pedido do MPPB e eleições para Conselho Tutelar de Cajazeiras e outros nove municípios terão urnas eletrônicas

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PB) atendeu ao pedido do Ministério Público da Paraíba (MPPB) e se comprometeu a disponibilizar 408 urnas eletrônicas para serem utilizadas na próxima eleição do Conselho Tutelar, em dez municípios paraibanos. Serão contemplados os municípios de João Pessoa, Bayeux, Santa Rita, Cabedelo, Campina Grande, Guarabira, Patos, Cajazeiras, Sousa e Pombal. Juntos, eles representam 43,8% do eleitorado paraibano.

A eleição para escolha dos conselheiros tutelares para o período 2019-2022 vai acontecer em todo o país no dia 6 de outubro (primeiro domingo do mês), conforme estabelece a Lei Federal 12.696, de 2012, que alterou o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

O apoio logístico da Justiça Eleitoral paraibana à eleição unificada no Conselho Tutelar no Estado da Paraíba foi solicitado pelo procurador-geral de Justiça, Francisco Seráphico Ferraz da Nóbrega Filho, e pelo coordenador do Centro de Apoio às Promotorias de Justiça de Defesa da Criança e do Adolescente e da Educação (CAO), o promotor de Justiça Alley Escorel, no dia 15 de março. Na ocasião, o presidente do tribunal, desembargador Carlos Martins Beltrão Filho, disse que iria fazer um estudo, junto aos setores técnicos envolvidos, sobre a viabilidade para atender à solicitação.

Na manhã desta sexta-feira (12/04), o PGJ, o coordenador do CAO e o promotor de Justiça de Defesa da Criança e do Adolescente da Capital, João Arlindo Côrrea Neto, reuniram-se com o presidente do TRE-PB em exercício, o desembargador José Ricardo Porto, para tratar do assunto. “A contribuição do TRE-PB é essencial e decisiva para fortalecer a eleição do Conselho Tutelar. A Justiça Eleitoral tem expertise e confere segurança, seriedade e agilidade à eleição. Essa não é uma solicitação só do Ministério Público, mas de toda a sociedade porque o Conselho Tutelar é um órgão muito importante; é a porta de entrada do Sistema de Garantia dos Direitos da Criança e do Adolescente”, argumentou o chefe do MP paraibano.

Ricardo Porto reconheceu a importância do pedido ministerial. “Vamos fazer o possível para atender à solicitação, porque entendemos que essa eleição é importante para o fortalecimento do Conselho Tutelar, para a cidadania, para a sociedade”, disse.

Participaram do encontro o desembargador Frederico Coutinho, a diretora-geral do TRE-PB, Alessandra Cordeiro; o assessor jurídico, André Vieira; o coordenador de eleições, George Leite; e os secretários de Tecnologia da Informação e Comunicação e de Administração do Orçamento do tribunal, José Cacimiro Júnior e Valter Félix, respectivamente. Também estiveram presentes a presidente da Comissão Eleitoral do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de João Pessoa (CMDCA-JP), Patrícia Teotônio, e os representantes do Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente (CEDCA), Lucimar Carvalho e Márcio Santos.

Apoio logístico

Na reunião, o procurador-geral de Justiça apresentou uma resolução do TRE de Sergipe que versa sobre as eleições para o Conselho Tutelar, definindo as atribuições de cada órgão envolvido, as regras e o cronograma, com a delimitação das datas-limite para execução de etapas, por parte dos CMDCAs. O documento deverá orientar a elaboração de uma resolução do TRE paraibano.

Alley Escorel destacou que a realização da eleição unificada é atribuição dos CMDCAs e que caberá ao TRE-PB dar apoio logístico para o uso das urnas no pleito. “O TRE dará apoio logístico para que nessas eleições seja utilizada a urna eletrônica, porque isso vai conferir maior legitimidade, segurança, seriedade à eleição e maior rapidez na apuração dos resultados. O Ministério Público quer trabalhar junto ao TRE, quer ouvir o tribunal para orientar os Conselhos Municipais quanto ao cumprimento das orientações para que tenhamos um trabalho e uma articulação positivas e para que possamos expandir a experiência aos demais municípios, no futuro”, disse.

A diretora-geral disse que caberá ao TRE treinar e capacitar as equipes dos Conselhos Municipais e do Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente que vão trabalhar nessas eleições quanto ao uso das urnas eletrônicas. Também enfatizou que esses órgãos serão os responsáveis pelos equipamentos e por toda a realização do processo. Ela destacou ainda a necessidade de cadastrar as pessoas que ficarão responsáveis pela retirada, guarda e entrega das urnas.

Os representantes dos dois conselhos agradeceram a Justiça Eleitoral e o MPPB, falaram da importância histórica desse apoio logístico para dar maior legitimidade às eleições do Conselho Tutelar e se comprometeram a adotar as medidas necessárias para viabilizar a parceria. A presidente da Comissão Eleitoral do CMDCA-JP falou sobre a experiência na eleição anterior, destacou a importância do apoio das prefeituras e secretarias municipais e de órgãos como a Guarda Municipal e a Polícia Militar no dia da eleição.

Eleições com urnas

Conforme informou o coordenador do Centro de Apoio Operacional às Promotorias de Justiça de Defesa da Criança e do Adolescente do MPPB, em outros Estados brasileiros, já existe o apoio logístico da Justiça Eleitoral nas eleições do Conselho Tutelar. É o caso do Paraná, Sergipe, Ceará, Tocantins e Roraima, em que todos os municípios usam urnas eletrônicas para a eleição dos conselheiros.

Em Roraima, as urnas são usadas na capital; em Minas Gerais, nos municípios sede de zonas eleitorais; em São Paulo, nas cidades como mais de 300 mil habitantes e no Rio Grande do Norte, nos municípios com mais de 20 mil habitantes. Santa Catarina e Rio de Janeiro ainda não definiram como será o apoio do TRE.

Assessoria de Imprensa – MPPB

porpjbarreto

Jeová pede que CAGEPA e Infraestrutura elaborem novo projeto de abastecimento de água para o Distrito de Divinópolis

O abastecimento de água nos municípios é uma pauta constante do mandato do deputado estadual Jeová Campos (PSB). Assim, como Presidente da Frente Parlamentar da Água e da Agricultura Familiar, o parlamentar protocolou, no final de março, um requerimento na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), solicitando o encaminhamento de um oficio à CAGEPA e ao Secretário de Infraestrutura para que o Governo do Estado elabore um projeto para o abastecimento de água no Distrito de Divinópolis, que fica no município de Cajazeiras.

Capela de São João Bosco – Distrito Divinópolis, Cajazeiras-PB. Foto: Google

De acordo com Jeová a solução estaria na utilização da água do Açude de São Gonçalo para que se aproveitasse a tubulação já existente entre a obra e o município de Marizópolis, próximo a Divinópolis.

A água fornecida aos habitantes de Divinópolis vem de um pequeno açude localizado nas proximidades da cidade e não é o suficiente. Já o Açude de São Gonçalo, que está em Sousa, suportaria essa demanda muito bem”, defende o deputado.

A ideia é aproveitar a tubulação fazendo apenas um complemento. “São apenas 10 km para que se chegue água em Divinópolis”, acrescentou ele, com a expectativa que o Plenário da Casa Legislativa também compreenda que o pleito é justo e merece atenção das autoridades.

Essa solicitação foi encaminhada ao gabinete do parlamentar no dia 25 de março, através de um ofício do Presidente da Câmara Municipal de Cajazeiras, o vereador José Gonçalves de Albuquerque. Na ocasião, o vereador comunicou o deputado de que os vereadores das cidades tinham aprovado em plenário a proposta de pedir o apoio da ALPB no sentido de realizar essa obra.

Assessoria de Imprensa 

porpjbarreto

IFPB divulga lista preliminar de inscritos para Técnico-administrativo e Libras

Candidatos podem interpor recurso nessa sexta-feira (12) e sábado (13) de abril

A Comissão Permanente de Concursos Públicos (Compec) divulgou a lista preliminar de inscritos no Concurso Público do Instituto Federal da Paraíba para os editais 147 (Técnico-administrativo) e 149 (Tradutor e Intérprete de Libras).

Confira neste link a relação preliminar de inscritos referente ao edital 147/2018.

Confira neste link a relação preliminar de inscritos referente ao edital 149/2018.

A Compec explica que por um motivo de ordem técnica a lista com os inscritos não conseguiu ser processada e divulgada nesta quinta-feira (11).

De acordo com o calendário é possível interpor recurso contra a relação nesta sexta-feira (12) e sábado (13). Para isto o candidato deve acessar o ambiente de inscrição com suas credenciais (e-mail e senha) e localizar a opção de recursos. O pedido deve conter a justificativa fundamentada com documento de comprovação e a descrição clara do que deseja alterar. Veja neste link um tutorial sobre como os candidatos podem acessar o sistema de concursos para interpor os recursos.

A Compec chama a atenção para algumas situações mais corriqueiras que podem ser objeto de recurso:

– candidato fez mais de uma inscrição e pagou apenas um boleto ou obteve isenção de uma das inscrições;

– candidato que mudar de local de prova escrita ou solicitar atendimento especial, dente as opções previstas no edital.

Casos em que o candidato cometeu erro de digitação ou informou dados pessoais errados, podem ser comunicados no dia da prova escrita e relatados ao fiscal da sala para constarem em ata. Outras situações serão analisadas pela Compec.

A relação definitiva dos candidatos inscritos será divulgada no dia 16 de abril e os locais de prova serão conhecidos no dia 30 de abril. As provas objetivas acontecerão no dia 19 de maio. Para os cargos de níveis C e D as provas serão aplicadas das 8h às 12h15 e para os cargos de nível E das 14h às 18h15 (horário oficial local).

O resultado preliminar do concurso público está previsto para o dia 6 de agosto e o resultado final será conhecido no dia 15 de agosto.

 

Assessoria de Imprensa – IFPB

porpjbarreto

Projetos de Remição da Pena com músicas e leituras beneficiam 99 reeducandos em Cajazeiras

Em duas unidades prisionais da cidade de Cajazeiras, Sertão da Paraíba, 99 reeducandos, dos quais 93 homens e seis mulheres, estão tendo direito à remição da pena por meio de projetos voltados à leitura e ao estudo de música. Desde que as medidas tiveram início, entre os meses de junho e julho do ano passado, já foram lidas  198 obras. À época, as ações eram coordenadas pelo então juiz Francisco Thiago da Silva Rabelo. Hoje, as atividades são acompanhadas pelo juiz Hemerson Alves Nogueira, que responde pela 1ª Vara Criminal da Comarca local.

Os projetos foram frutos de parcerias entre o Poder Judiciário estadual, a Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Cajazeiras (FAFIC), Secretaria de Educação do Estado, Secretaria de Cultura do Município, Polícia Militar, Diretoria da Penitenciária Regional Padrão e Ministério Público Estadual.

Na Penitenciária Regional Padrão, que abriga 275 presos, entre provisórios e definitivos, 25 apenados participam do projeto de remição pela música e 68 pela leitura. Neste último projeto, já foram lidos 184 livros. Além de ler, o apenado apresenta, dentro do prazo de 30 dias, uma resenha. Já na Penitenciária Feminina, onde estão reclusas 32 mulheres, seis apenadas participam da remição pela leitura, com um total de 14 obras lidas até o momento.

O magistrado Hemerson Nogueira explicou que os projetos cumprem a Recomendação nº. 44/2013 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), e procuram valorizar os diferentes momentos e tipos de aprendizagem, permitindo condições para a harmônica integração social dos condenados. “Além disso, o fomento à leitura e o estudo da música no contexto prisional proporcionam aos reeducandos a diminuição da pena, desde que demonstrem bom comportamento”, ressaltou, salientando, ainda, que ambos os programas colaboram, substancialmente, para ressocialização dos apenados, objetivo primordial da Execução Penal.

Para o diretor da Penitenciária Regional Padrão, Tales Alves de Almeida, percebe-se uma grande mudança no comportamento dos apenados que participam dos projetos com a redução das faltas disciplinares. “Com certeza, foi uma excelente iniciativa na busca pela ressocialização, pois todos os integrantes apresentam comportamento que os habilitam ao retorno social. Foi de extrema importância a iniciativa da Execução Penal”, ressaltou.

Tales Alves informou, também, que a direção da unidade prisional trabalha com a possibilidade de ampliação de vagas para o próximo semestre, pois a procura pelo projeto da remição da pena pelo estudo de música tem aumentado entre os apenados.

Na opinião de Paloma Correia Lima, diretora da Penitenciária Feminina, a remição pela leitura abriu horizontes e fez com que a capacidade intelectual das apenadas fosse ampliada. “Iniciativas como esta significam, de uma maneira concreta, reinserir a reeducanda à vida social, fazendo com que ela se sinta parte da sociedade novamente, criando expectativas de mudanças”, enfatizou.

Assessoria de Imprensa – TJPB

porpjbarreto

Deputado Jeová Campos protocola requerimentos solicitando melhoria na infraestrutura viária de estradas no sertão paraibano

Existe uma velha máxima popular que diz “é melhor prevenir do que remediar”. Quem não conhece? E ela cabe perfeitamente quando o assunto é manutenção ou conservação de vias para tráfego de veículos. Pensando assim, o deputado estadual Jeová Campos (PSB), protocolou, semana passada, três requerimentos com essa temática cobrando a solução de algumas intervenções em  rodovias estaduais no sertão paraibano. O parlamentar reitera em suas solicitações que a malha viária do estado é muito boa, mas, que alguns trechos ainda precisam de uma atenção especial do governo.

O primeiro pedido é de rejuvenescimento do asfalto na Rodovia PB-400, no trecho que liga o município de Cajazeiras a São José de Piranhas. O documento será encaminhado ao Departamento de Estradas e Rodagem da Paraíba (DER). Em sua justificativa, o parlamentar explica que é elevado o número de veículos que trafegam pela Rodovia que liga Cajazeiras ao município de Conceição e isso tem aumentado a quantidade de buracos na Rodovia, prejudicando os motoristas e comprometendo o tráfego naquela localidade.

“A estrada é muito movimentada porque liga dois municípios importantes que é o caso de Cajazeiras e Conceição. E isso tem deixado o asfalto em péssimas condições, principalmente, nesse trecho que vai de Cajazeiras até São José de Piranhas. Fica perigoso para o motorista”, argumenta Jeová, que também solicitou em seu requerimento a manutenção da vegetação que cresce rapidamente nas marginais da PB 400.

Além disso, o deputado também requereu junto ao DER e ao Governo do Estado a pavimentação asfáltica da PB 392, no trecho entre Bonito de Santa Fé e a divisa com o estado do Ceará, mais precisamente na cidade de Mauriti (CE). Segundo ele, em seu gabinete chegaram pleitos de diversos líderes políticos do município de Bonito de Santa Fé pedindo apoio quanto ao projeto junto do Governo do Estado da Paraíba.

A justificativa também é a de que é grande a quantidade de veículos trafegando naquela estrada diariamente, em especial pacientes e estudantes. Além do que, o lado cearense na divisa, em Mauriti, já está asfaltado. “Entendemos como justo esse pleito e esperamos que o governo resolva essa questão”, adiantou Jeová Campos.

O último documento com essa temática de infra estrutura de vias protocolado pelo gabinete do deputado diz respeito à pavimentação asfáltica de uma série de ruas e avenidas localizadas na cidade de Catolé do Rocha, também no sertão paraibano. Ao todo, são 12 ruas/avenidas que precisam ser recapeadas. “Entendemos que a melhoria da qualidade de vida de uma população depende, também, de uma infraestrutura viária compatível com a dimensão da cidade”, argumenta Jeová.

Assessoria de Imprensa

porpjbarreto

Mandado de Prisão: Acusado de estuprar menor na Câmara Municipal de Cajazeiras dar seus últimos suspiros antes de ir para o presídio

Acusado de Estupro de Vulnerável a uma menor de (treze) anos há época e, condenado em primeira e segunda instância, tanto pela 2ª Vara Mista da Comarca de Cajazeiras, quanto pela Câmara Criminal do Tribunal de Justiça da Paraíba, no último dia (02/04/2019), por unanimidade – o Vereador Marcos Barros de Souza (PSB) dar seus últimos suspiros antes de por os pés numa cadeia, para cumprir pena de (oito anos e seis meses) de detenção em regime fechado.

Publicado o Acórdão, que ocorreu no último dia (08/04/2019), os embargos só são opostos após a publicação e o prazo para interposição é de dois dias, que se encerrou em (10/04). No caminhar da tramitação, a defesa entrará com o (RES – Recurso Especial), passo em que seus advogados ingressam com agravo interno ao Pleno e o processo ‘sobe’ para o Superior Tribunal de Justiça. Enquanto isso, o Vereador Marcos Barros de Souza, aguarda preso o resultado.

Com os últimos acontecimentos e dado ao comportamento apresentado pelo acusado, que é afeito à impunidade, o momento jurídico do País influenciará para que ele seja encaminhado para um presídio. Só será definitiva a prisão se houver trânsito em julgado, ou seja, quando não houver mais recursos cabíveis.

Ainda de acordo com o entendimento de diversos juristas da instância criminal, o quadro processual do referido parlamentar cajazeirense é tido como gravíssimo, pois, por esta razão, a nova legislação erigiu o Estupro de Vulnerável, Art. 217-A do Código Penal, à categoria de crime hediondo. Portanto, ele não conseguirá reverter essa decisão de segundo grau.

Consta ainda nas investigações policiais que acusado Marcos Barros de Souza praticou atos libidinosos diversos da conjunção carnal com a criança há época com 13 (treze) anos de idade, fato ocorrido na manhã do dia (12) de abril de 2011, nas proximidades do estabelecimento Espaço Saúde, localizado na Rua Francisco Décio Saraiva, no Centro comercial de Cajazeiras.

Verificou-se, portanto, que as provas colhidas durante a instrução processual foram suficientes para formação do convencimento da magistrada sentenciante, sendo, igualmente, suficientes para análise em segundo grau de jurisdição, conforme relatório. ‘Mostra-se, assim, inviável a reabertura da fase instrutória’, faz referência, o Juiz Dr. Carlos Eduardo Leite Lisboa, relator.

A tese da conversão do julgamento em diligência já foi enfrentada pela Câmara Criminal, conforme consta no Acórdão e, repetir em embargos é malhar em ferro frio – os depoimentos das testemunhas e da vítima são impecáveis, sem contradições e ouvidas perante as autoridades constituídas, traduz as oitivas e extensas narrativas contidas no Processo, nº 0000983-83.2012.815.0131.

Resumindo, não há como dar credibilidade à versão apresentada pelo réu, que nega a autoria do delito e sustenta a ausência de prova idônea para sua condenação, porquanto, mostra-se isolada e divergente do acervo probatório colhido pelas autoridades competentes.

 

Redação – com informações do TJPB

porpjbarreto

Drª Paula diz que ‘farra’ do Bolsa Família em Cajazeiras é ‘herança maldita’

Deputada acusou ex-prefeitos a usarem o benefício como moeda política

A deputada estadual Drª Paula (PP), esposa do prefeito de Cajazeiras, José Aldemir (PP), afirmou que as irregularidades no Bolsa Família no município sertanejo apontadas pela Controladoria-Geral da União (CGU) são procedentes. Ela atribuiu os erros de gestão a uma “herança maldita” de outras gestões. Entretanto, em abril de 2018, quando a vistoria da CGU foi realizada, a prefeitura já estava sob o comando de Zé Aldemir.

Carros de luxo, imóveis e ensino particular: a farra do Bolsa Família em Cajazeiras

Cancelou essas bolsas famílias de pessoas com condições econômicas e financeiras altíssimas. Foram canceladas. Isso foi competência da gestão de Carlos Antônio e da Drª Denise. Vai ter uma fiscalização maior, teve auditoria. O prefeito de Cajazeiras está fazendo uma política de seriedade e compromisso com a classe pobre que precisa a Bolsa Família”, garantiu.

Segundo Drª Paula, o pagamento do Bolsa Família para pessoas de renda incompatíveis era usado como uma moeda de troca política pelas gestões anteriores.

Não são ricos que tem que receber Bolsa Família para poder se locupletar e dar apoio político”, advertiu a deputada.

 

Com informações de Paraíba Já