Categoria Cajazeiras

porpjbarreto

Nos pênaltis, Campinense vence o Atlético de Cajazeiras e vai para a final do Paraibano

O Campinense é o primeiro finalista do Campeonato Paraibano de 2019. A vaga foi conquistada após a vitória nos pênaltis por 5 x 3 no jogo da volta contra o Atlético de Cajazeiras, no último domingo (07), no Estádio Perpetão.

No tempo normal, os dois times repetiram o placar de 1 x 1 do primeiro confronto em Campina Grande. Lopeu marcou para a Raposa, enquanto que Yerien empatou para o time sertanejo, levando a decisão para as penalidades.

Nas cobranças, a Raposa converteu todas. Já Marcinho cobrou e o goleiro Wagner Coradin defendeu. Agora o rubro-negro, que decidiu o torneio no ano passado e perdeu para o Botafogo-PB, espera o vencedor dos duelos entre Nacional de Patos e Botafogo-PB. O jogo de ida acontece na quarta-feira.

O JOGO

Assim como no jogo de ida, Atlético e Campinense fizeram um jogo bastante movimentado. Agora em casa, o time atleticano foi que ditou as normas nos primeiro minutos.

A Raposa, por sua vez, tocava a bola, esperando o momento certo para o contra-ataque. E foi um um deles que o Rubro-negro conseguiu abriu o placar, através de Lopeu.

João Paulo recuperou a bola ainda no campo de defesa, arrancou e tocou rasteiro. O zagueiro atleticano, Renan, falhou, e a bola sobrou para o Lopeu, que invadiu a área e marcou, aos 35 minutos.

Apesar do gol sofrido, o Trovão ainda tentou o empate, mas não conseguiu furar o bloqueio da Raposa.

Na segunda etapa, o time com mais determinado. E conseguiu o empate aos 14 minutos, por intermédio do nigeriano Yerien. Soares conseguiu dominar e chutou forte. No rebote, Yerien, deixou tudo igual.

Com o a igualdade no marcador os dois time buscaram a vitória a todo custo, mas o resultado acabou igual ao do jogo anterior, em Campina. Com isso, a decisão foi para as penalidades máximas.

Ficha técnica:

Atlético de Cajazeiras x Campinense

Data: 07/04/2019 – 17h
Local: Estádio Perpetão / Cajazeiras

Competição: Campeonato Paraibano 2019 / semifinais (jogo da volta)

Arbitragem: Rodrigo Batista; Kildenn Tadeu e Paulo Ricardo.

Gol: Lopeu (aos 35’ do 1ºT) para o Campinense; Yerien (aos 14’ do 2ºT) para o Atlético

Cartões amarelos: Henrique Mattos, Romeu, Dedé (C), Felipe, Michel (A)

Atlético de Cajazeiras: João Manoel, Felipe (Michel), Renan, Egon e Jackinha; Ferreira, Romerito (Soares), Gabriel Mendes e Marcinho; Samuel (Yerien) e Bruno. Técnico: Ederson Araújo.

Campinense: Wagner Coradin, Gustavo, Henrique Mattos, Richardson, Jerfeson e João Victor; Cleber (Vitor Maranhão), Romeu e João Paulo (Afonso Júnior); James e Lopeu. Técnico: Francisco Diá.

As penalidades

Afonso Junior fez para Raposa
Marcinho cobrou e Wagner Coradin defendeu
Dedé fez para Raposa
Soares fez para o Atlético
Gustavo fez para Raposa
Ferreira fez para o Atlético
Henrique Mattos fez para Raposa
Bruno fez para o Atlético
Romeu fez para a Raposa

Com Voz da Torcida

porpjbarreto

Carros de luxo, imóveis e ensino particular: a farra do Bolsa Família em Cajazeiras

Controladoria-Geral da União encontrou mais de 200 famílias beneficiárias em situação suspeita no município

Relatório da Controladoria-Geral da União (CGU) apontou diversas irregularidades no pagamento do Bolsa Família no município de Cajazeiras. A fiscalização do órgão de controle externo encontrou mais de 200 pessoas em situação suspeita de terem renda incompatível com os requisitos do programa.

Logo de cara, a CGU já descobriu um montante de R$ 17 mil e 700 que foram pagos irregularmente para 46 famílias que tinham, pelo menos, um servidor estadual ou municipal, e que tinham renda per capita acima ao valor de meio salário mínimo, limite de estabelecido pela legislação para a permanência no Programa. Os recursos foram pagos de janeiro a março de 2018.

Em seguida, constatou que mais 39 famílias tinham subdeclarado a renda per capita familiar, ou seja, declararam receber menos do que o rendimento bruto que foi cruzado pela CGU. As irregularidades teriam causado dano ao erário, apenas entre janeiro e março de 2018, de R$ 23 mil e 600 reais.

A CGU descobriu ainda 164 famílias beneficiárias do Bolsa Família que possuíam carros avaliados em mais de 20 mil em seus nomes, o que seria indício de renda incompatível com o Programa. Além disso, descobriu famílias que omitiu membros familiares no registro ao Cadastro Único para obter a manutenção do programa ou o aumento do valor do mesmo e falta de atualização de dados cadastrais por parte da Secretaria Municipal do Desenvolvimento Humano da Prefeitura de Cajazeiras – que é responsável pelo cadastramento das famílias beneficiárias que tem à frente, a Secretária Gerlane Moura.

Famílias com carros de luxo e propriedades recebendo Bolsa Família

Quando partiu para o trabalho de campo, a CGU descobriu absurdos piores. Ao visitar domicílios de famílias com suspeitas de irregularidades, descobriu pessoas que recebiam o Bolsa Família e tinham carros de luxo e propriedades incompatíveis com os valores declarados no cadastro único.

Uma das famílias, que atestou renda familiar per capita de R$ 16 por mês, tinha cinco veículos registrados em seu nome, sendo um deles uma Chevrolet S10 no valor de mercado de R$ 77 mil, um Fiat Strada que valia cerca de R$ 50 mil e um Fiat Uno no valor de R$ 17 mil.

Outra família visitada pelos fiscais da CGU tinha um caminhão que valia mais de R$ 53 mil e um Fiat Strada no valor de mercado de R$ 34 mil em seu nome. A responsável familiar alegou que os veículos eram, de fato, do seu irmão. Mesmo assim, a CGU apurou que a família residia em uma propriedade rural incompatível com a renda declarada, R$ 38 reais per capita, e as duas filhas da família estudavam em universidades particulares.

Em outra visita domiciliar, os fiscais detectaram que uma família que declarou zero reais de renda per capita em 2017 tinha um Fiat Strada com valor de mercado superior a R$ 50 mil e um Fiat Uno orçado em R$ 17 mil em seu nome. As visitas foram realizadas em abril de 2018.

A CGU visitou ainda, dentre outras várias famílias suspeitas, uma que declarou renda per capita de R$ 11, mas tinha uma Hilux avaliada em R$ 53 mil, morava em uma casa de padrão incompatível com a renda declarada e o filho estudava em escola particular. A responsável familiar, na hora da entrevista, disse estar desempregada e o marido receberia apenas R$ 800 por mês, em decorrência de bicos. Pelo cálculo da CGU, daria R$ 200 per capita, o que está dentro da lei. Porém, levanta suspeitas sobre a obtenção do patrimônio com uma renda familiar de menos de mil reais por mês.

 

Com informações de ParaíbaJá.

 

porpjbarreto

Lançado edital de eleição para o Conselho Tutelar de Cajazeiras

A presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Cajazeiras (COMDICA), Raimunda do Socorro Albuquerque de Abreu, divulgou na manhã da última sexta-feira (05), o edital para a eleição unificada para o processo de escolha de membros do Conselho Tutelar para o quadriênio 2020-2024 do município.

Os membros do Conselho Tutelar de Cajazeiras serão escolhidos mediante o sufrágio universal, direto, secreto e facultativo dos eleitores do município, em data de 06 de outubro de 2019, sendo que a posse dos eleitos e seus respectivos suplentes ocorrerão no dia 01 de janeiro de 2020.

A inscrição dos candidatos será efetuada pessoalmente na sede do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente , que fica localizado na Casa dos Conselhos, situada à Rua Arsênio Araruna, 601, Centro, Cajazeiras – PB, das 08:00 às 12:00 horas e das 14:00 às 17:00 horas, entre os dias 06/05/2019 a 07/06/2019.

A campanha eleitoral terá início no dia 06 de setembro, estendendo-se ate o dia 04 de outubro do ano em curso.

A eleição para os membros do Conselho Tutelar do Município Cajazeiras -PB acontece no dia 06 de outubro de 2019, das 08h às 17 horas.

Para ser candidato, os interessados devem preencher alguns requisitos: Reconhecida idoneidade moral; Idade igual ou superior a 21 (vinte e um) anos; Comprovação de residência no município de Cajazeiras –PB, há no mínimo 02 (dois) anos; Estar quites com as obrigações eleitorais e no gozo de seus direitos políticos; Estar quites com as obrigações militares (para candidatos do sexo masculino); Não ter sido penalizado com a destituição da função de membro do Conselho Tutelar, últimos 05 (cinco) anos; Certidão Negativa Criminal da Justiça Comum; Comprovação de estar física e mentalmente apto para o desempenho do cargo mediante atestado de saúde física e mental emitido pelo médico; Comprovar experiência mínima de dois anos no trato com crianças e adolescentes; Comprovação de conclusão do Ensino Médio até a data de sua inscrição, Comprovante de ser eleitor no município de Cajazeiras/PB, entre outras previstas no edital.

Clique AQUI para ter acesso ao edital.

Secom

porpjbarreto

Em Cajazeiras: Duelo entre Atlético e Campinense define primeiro finalista do Campeonato Paraibano

Primeiro jogo terminou empatado; novo empate leva a decisão aos pênaltis

De um lado a expectativa de voltar à final do Campeonato Paraibano após 16 anos e a confiança em manter a invencibilidade em casa após empatar a ida fora.

Do outro a tradição da portentosa camisa raposeira e a esperança de que a mística rubro-negra, de time de chegada, vai aparecer depois de uma semana turbulenta nos bastidores.

Cercados desses sentimentos, Atlético de Cajazeiras e Campinense se enfrentam logo mais, às 17 horas aqui em Cajazeiras, no Estádio Perpétuo Correia Lima, “O Perpetão” certamente lotado, para decidir qual será o primeiro finalista do estadual de 2019.

A peleja de ida acabou 1 x 1, no domingo passado, no Amigão. Hoje, quem vencer avança à final e, de quebra, garante vagas na Copa do Brasil e na Série D do Brasileiro de 2020. O empate, independente da quantidade de gols, leva a decisão para os pênaltis.

Pelo lado do Trovão Azul, o técnico Ederson Araújo tem todo o elenco à disposição. O ala Jackinha, ex-Campinense, e o atacante Soares, livres de suspensão, devem voltar ao time. Durante a semana, a diretoria atleticana ainda conseguiu um efeito suspensivo junto ao STJD e o volante Romerito poderá atuar.

O principal desafio do treinador azulino durante a semana, além de montar as estratégias para a partida, foi conter os ânimos dos jogadores para evitar o clima de “já ganhou”, sentimento flagrante nos desportistas cajazeirenses.

Campinense

Pelo lado rubro-negro as “dores de cabeça” do técnico Francisco Diá se estenderam de dentro para fora de campo.

O treinador não poderá contar com pelo menos quatro titulares: o lateral direito Neilson e o zagueiro Jean, além dos atacantes Dênis e Chaveirinho, todos suspensos.

Para terminar de completar, o meia Álisson Xabala lesionou a coxa e contraiu uma virose na última quinta-feira e se juntou ao atacante Warlei no Departamento Médico.

Como se não bastassem essas dificuldades para montar o time, Diá precisou lidar com uma das mais turbulentas semanas até então nos bastidores, com discussões políticas, falta de comando em relação à parte administrativa do clube e o principal: a falta de dinheiro para saldar os salários atrasados da comissão técnica, jogadores e funcionários.

Parta das pendências financeiras foram resolvidas na noite de sexta-feira, o que deixou a delegação da Raposa tranquila para viajar. A equipe desembarcou em Sousa no início da tarde de ontem e iniciou o regime de concentração para a partida.

Arbitragem

A mediação de Atlética de Cajazeiras x Campinense estará no apito do paulista Rodrigo Batista, de 28 anos, integrado aos quadros da FPF-PB em janeiro. Ele contará com as assistências dos paraibanos Kildenn Tadeu e Paulo Ricardo, com Gustavo Estevam e Arkilson de Lima ficando como árbitros reservas.

Prováveis escalações

Atlético de Cajazeiras: João Emanuel, Felipe, Renan, Egon e Jackinha; Ferreira, Romerito, Gabriel Mendes e Marcinho; Soares e Bruno. Técnico: Ederson Araújo.

Campinense: Wagner Coradin, Gustavo, Richardson, Henrique Mattos, Jean e João Victor; Cléber, Romeu, Dedé e João Paulo; Lopeu. Técnico: Francisco Diá.

Informações do Blog Voz da Torcida

porpjbarreto

Árbitro de 28 anos vai apitar semifinal entre Atlético x Campinense em Cajazeiras

O bancário paulista Rodrigo Batista da Silva, de 28 anos, integrado aos quadros da FPF-PB desde janeiro, será o árbitro central de Atlético de Cajazeiras x Campinense, jogo da volta das semifinais do Paraibano 2019.

A partida está marcada para as 17h deste domingo (07), no estádio Perpetão, no Sertão do Estado.

Seus auxiliares serão os paraibanos Kildenn Tadeu e Paulo Ricardo, com Gustavo Estevam e Arkilson de Lima ficando como árbitros reservas.

Após o empate em 1 x 1 no jogo de ida, Trovão Azul e Raposa precisam da vitória para avançar. Qualquer novo placar de igualdade, independente da quantidade de gols, a decisão seguirá para os pênaltis.

Além da vaga na final do estadual, a “Batalha de Cajazeiras” vale também classificação para a Copa do Brasil e a Série D de 2020.

O sorteio aconteceu na última quinta-feira (04), na sede da Federação Paraibana de Futebol (FPF), em João Pessoa.

Na oportunidade, a entidade também sorteou a escala de arbitragem de Nacional de Patos x Botafogo-PB. Canário e Belo se enfrentam na outra perna da semifinal e o primeiro duelo está agendado para as 20h30 da próxima quarta-feira (10), no estádio José Cavalcanti.

O apitador será o também paulista Marcelo Aparecido, que terá Schumacher Marques e Glédson Francisco, da Paraíba, como assistentes. Thiago Ramos e Guilherme Fonseca ficarão como “regra três”.

 

Foto: Paulo Taroco/GloboEsporte.com

Com Vozdatorcida

porpjbarreto

Jeová Campos finaliza a semana com mais uma audiência pública com agricultores paraibanos, desta vez, na cidade de Itaporanga

Melhorar a qualidade de vida do homem do campo e promover a produção de alimentos saudáveis. Esses são alguns dos principais pensamentos que norteiam a pauta do mandato do deputado estadual Jeová Campos (PSB) na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) como presidente da Frente Parlamentar da Água e da Agricultura Familiar.  Um dos principais defensores do desenvolvimento da agricultura familiar e da luta pela segurança hídrica na Paraíba, o parlamentar realizou, na última sexta-feira (05), mais uma audiência pela Frente, desta vez, na comunidade de Cacimba Nova, localidade entre os municípios de Conceição e Bonito de Santa Fé, no Sitio do Videl.

Durante a reunião, Jeová, que esteve ao lado do secretário de Agricultura Familiar, Luiz Couto, do presidente da Associação de Cacimba Nova, João Costa, do prefeito de Bonito de Santa, Chico Pereira, e diversos agricultores, ouviu as principais demandas da região. “Essa é uma comunidade produtiva que fica no sitio Videl e foi um evento muito bacana porque percebo a cada dia que vou conhecendo mais e mais as necessidades destes trabalhadores e constatando que a agricultura familiar ganhou muito em criatividade, melhorou muito e se nós construirmos políticas públicas que, efetivamente, apoiem os agricultores,  principalmente, os jovens, temos tudo para construir um novo marco de desenvolvimento na Paraíba”, comentou o deputado.

Muito satisfeito com a experiência de estar percorrendo os rincões da Paraíba e tendo contato direto com os agricultores, o deputado disse que está encarando essa nova pauta com muito entusiasmo. “Eu digo que o trabalho que estou fazendo em prol da agricultura familiar é um trabalho merecedor de todo o meu afeto. Estou muito feliz com isso. Meu mandato ganha uma nova qualidade com esse trabalho na agricultura familiar”, frisou Jeová, complementando que a atividade de hoje foi especialmente prazerosa, pelo conjunto dos debates, pelo público e pelo local onde foi realizada.

Cajazeiras, Pombal, Catolé do Rocha, Esperança, Princesa Isabel e Cruz do Espirito Santo, foram algumas das cidades já visitadas pelo deputado com as audiências da Frente. Durante os encontros com os agricultores já foram elencados alguns pleitos, a exemplo da necessidade de escolas rurais para atender melhor essa demanda do campo, mais segurança na zona rural, a construção de políticas para a juventude na agricultura, a presença de assistência técnica na zona rural, o incentivo à produção agroecológica de alimentos livres de agrotóxicos, entre outras ações que subsidiarão um documento a ser entregue ao Governo do Estado. “A ideia é subsidiar as políticas públicas do governo para esse setor tendo como principal ponto de partida a visão dos próprios trabalhadores”, destaca Jeová.

Ainda de acordo com o deputado, ele está preparando um relatório com os encaminhamentos das audiências públicas, cujo documento final será entregue ao governador durante uma grande planária a ser realizada no final de abril ou começo de maio. “Precisamos apesentar ao governador o olhar e as demandas dos agricultores para que o fomento de políticas e ações públicas realmente façam sentido e sejam eficazes e nada mais certo do que ouvir os próprios gentes que serão alvo destas políticas e ações”, finalizou o parlamentar.

Assessoria de Imprensa

porpjbarreto

Após ser agredida verbalmente e ter seus direitos violados, servidora é exonerada pelo prefeito de Cajazeiras

Feminista assumida, defensora dos direitos das mulheres – Francilma Mendes que foi servidora do município de Cajazeiras, como Coordenadora do Centro de Referência de Atendimento à Mulher (CRAM), teve seus direitos violados após expor seu entendimento no tocante à política nacional, foi ai que outro servidor retrucou, dando inicio as agressões verbais.

Em defesa do agressor, o prefeito José Aldemir (PP), optou por exonerar a referida servidora. Abaixo, Francilma emitiu uma nota de esclarecimento, expondo todo o ocorrido.

Portaria de exoneração assinada pelo prefeito José Aldemir (PP).

NOTA DE ESCLARECIMENTO

Durante os últimos dois anos e três meses em que estive na coordenação do Centro de Referência de Atendimento à Mulher – CRAM, mais de trezentas mulheres foram atendidas neste serviço. Mulheres vítimas das mais diversas formas de violência, cada uma com sua complexidade, todas acolhidas e encaminhadas à Rede de Atendimento à Mulher em Situação de Violência. O Cram faz um trabalho de acompanhamento a vítima, prestando orientação jurídica, assistência social e psicológica durante todo o processo em andamento. Após a denúncia, a vítima precisa ser acolhida e encaminhada aos diversos serviços da rede para que sejam atendidas as suas necessidades. Vencer a violência não é fácil, principalmente se não tiver assistência necessária, um serviço de proteção que realmente funcione como deveria. Existe uma uniformização na política nacional de enfrentamento a violência contra as mulheres que diz que o CRAM deve funcionar com uma coordenação, com duas equipes técnicas, dois agentes administrativos, duas atendentes, dois vigilantes e um motorista. Durante esse tempo, trabalhamos com muitas dificuldades, não tínhamos motorista, carro exclusivo, agente administrativo e nem um profissional de segurança para fazer proteção as vítimas e a equipe, vale ressaltar ainda que no momento encontra-se sem assistente social. Mesmo com dificuldades, realizamos um trabalho com eficiência, tanto é que levamos o CRAM de Cajazeiras a ser referência em todo estado da Paraíba. O centro passou a ser visto como um órgão que realmente faz enfrentamento a violência contra a mulher, procurado por instituições de ensino, a exemplo da Universidade Federal de Campina Grande que enviou alunos à realizar projetos de extensão em parceria conosco, além de outras instituições em busca de estágios. O trabalho do CRAM ganhou a confiança da Rede de Atendimento, vários casos foram e são encaminhados pelos distintos setores a este centro. Minha relação com os organismos que compõem a referida rede sempre foi muito boa, mantive durante este período uma relação de respeito e confiança com todos os membros de conselhos e outras representações. Atuei com muita responsabilidade junto ao Conselho Municipal de Direitos das Mulheres, discutindo e encaminhando as demandas com as demais companheiras.

Com todas essas referências, venho inicialmente negar uma matéria que circulou no dia 04 de abril, a qual coloca que eu estava desgastada no trabalho. Isso não procede! É muito difícil não ter algum desentendimento dentro de uma gestão pública ou de uma equipe de trabalho, isso é natural do ser humano, principalmente quando se tem responsabilidade e zelo pelo bem público e tem que conviver com pessoas que não partilham desses entendimentos, pessoas desatentas com os direitos dos usuários, como por exemplo, ter na gestão uma coordenadora que se tranca em uma sala para assistir tutorial de maquiagem ao invés  de atender as pessoas de forma humanizada, um vigilante que vigia a vida dos outros mas não vigia o seu trabalho, uma chefe que pratica assédio moral com postura autoritária. Acredito eu que estas pessoas sim estão em desacordo com a função que ocupam, mas, embora eu não concorde com esse tipo de comportamento, essas são questões individuais de cada pessoa. Não me associo a pessoas assim, como também não me alinho a pessoas que tem comportamento machista, misógino, homofóbico e racista, mesmo tendo que conviver durante um longo período da minha vida simplesmente pelo compromisso com a política pública para as mulheres. Todos e todas são sabedores(as) que nos últimos dias fui vítima de violência praticada por um cidadão chamado Joel Santana em rede social. Eu estava em um grupo de WhatsApp dialogando de forma respeitosa com membros do grupo quando fui agredida de forma covarde por Joel, proferindo palavras grosseiras e ofensivas a minha dignidade. Como se não bastasse, em seguida surge um perfil fake em defesa de Joel escrevendo um texto falando mentiras absurdas da minha vida pessoal dizendo, inclusive, que abandonei um marido doente quando sou separada há quase 10 anos.

Quero deixar claro que nunca tive uma relação pessoal com Joel Santana, apesar de trabalhar na mesma gestão, não compartilhamos do mesmo pensamento. Sou uma pessoa que há muitos anos atuo no combate a violência contra a mulher e a pessoa humana, sou de esquerda e sempre combati as injustiças contra as minorias, sempre levantei bandeiras em defesa das mulheres, dos negros, gays, lésbicas, pobres e tantas outras denominações perseguidas e discriminadas nessa sociedade. Sei que muitas mentiras ainda vão surgir com tentativas de manchar a minha honra e comprometer minha imagem, mas vou combater todas as inverdades e responsabilizar na justiça todos os envolvidos. Quero agradecer mais uma vez a minha família pelo apoio e aos companheiros e companheiras de caminhada pela solidariedade a mim dedicada. Minha gratidão. A minha luta não termina aqui. Seguirei firme e forte combatendo a violência, o machismo e todos os tipos de discriminação e preconceito. Serei o que sempre fui, acreditando e defendendo as minhas bandeiras. Lutar é preciso!

Lutei pelo justo, pelo bom e pelo melhor do mundo – Olga Benário

 

Cajazeiras, Paraíba – 05 de abril de 2019.

Francisca Francilma Mendes Pereira

porpjbarreto

Concurso do IFPB: sai relação preliminar de inscritos para Docente. Veja lista completa!

Prazo para recurso é nos dias 04 e 05 de abril

Foi divulgada nesta quarta-feira (03) a lista preliminar de inscritos no Concurso Público do Instituto Federal da Paraíba para o cargo de Professor do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico (EBTT).

Confira a relação abaixo, referente ao edital 148/2018.

Edital-148-2018-lista-preliminar-de-inscritos

Prazo para recurso

É possível interpor recurso nesta quinta-feira (04) e sexta-feira (05). Para isto o candidato deve acessar o ambiente de inscrição onde há espaço/campo neste sentido. A Comissão Permanente de Concursos (Compec) chama a atenção dos candidatos inscritos para algumas situações mais corriqueiras e que podem ser objeto de recurso:

– candidato fez mais de uma inscrição, e pagou apenas um boleto ou obteve isenção de uma das inscrições;

– candidato quer mudar de local da prova escrita ou solicitar atendimento especial, dentre as opções previstas no edital.

Nestes casos é preciso que o candidato faça sua justificativa com fundamentação, explicitando seu pedido (o que deseja alterar).

Casos em que o candidato cometeu erro de digitação ou informou dados pessoais errados, podem ser comunicados no dia da prova escrita e relatados ao fiscal da sala para constarem em ata. Outras situações serão analisadas pela Compec.

De acordo com o calendário, a relação dos candidatos inscritos será divulgada no dia 25 de abril e os locais de prova serão conhecidos no dia 27 de maio. As provas escritas serão aplicadas no dia 09 de junho.

As provas de desempenho estão marcadas para o período de 19 de julho a 12 de agosto e acontecerão nas cidades de Cabedelo, Cajazeiras, Campina Grande, João Pessoa, Patos e Sousa. O resultado final do concurso será divulgado no dia 22 de novembro.

 

Assessoria de Imprensa – IFPB

porpjbarreto

É preciso dar condições técnicas e recursos para que a Secretaria de Agricultura Familiar cumpra seu papel afirma deputado Jeová

A Secretaria de Agricultura Familiar existe de direito, mas, ainda não existe de fato porque ela precisa ter mais condições de definir e implantar uma política para a juventude rural, para fomentar a produção de alimentos saudáveis, para estimular a permanência com qualidade de vida no campo e, enfim, desenvolver e apoiar projetos que transformem a agricultura familiar no estado da Paraíba e melhorem a vida dos trabalhadores do campo. Esse foi o resumo do discurso do deputado estadual Jeová Campos (PSB), durante uma plenária de agricultores, nesta quinta-feira (04), na cidade de Cruz do Espirito Santo. Na ocasião, o parlamentar reiterou seu compromisso com o segmento e disse que essa bandeira da Agricultura Familiar ocupa lugar de destaque em seu mandato.

Presidente da Frente Parlamentar da Água e da Agricultura Familiar da Assembleia Legislativa, o parlamentar reforçou seu compromisso de, neste terceiro mandato na ALPB, ter como um dos principais eixos de trabalho à defesa da agricultura familiar e de ações que projetem a Paraíba neste segmento. “Estou muito voltado para essa atividade, tanto que estou participando, junto com o secretário Luiz Couto, de audiências em vários municípios para debater como transformar a agricultura familiar na Paraíba”, disse Jeová. Segundo o parlamentar, no final deste mês ou início de maio, será realizada uma grande plenária de agricultores familiares, em João Pessoa, quando será entregue ao governador João Azevedo sugestões de projeção da atividade em todo o Estado.

Essas sugestões, de acordo com Jeová, estão sendo definidas e delineadas durante as audiências realizadas pela Frente. Entre as sugestões já anotadas e que comporão o documento a ser entregue ao governador, destacam-se a disponibilidade de escolas rurais para atender melhor essa demanda do campo, de mais assistência técnica na zona rural, incentivo à produção agroecológica de alimentos livres de agrotóxicos, entre outras ações. “É necessário um conjunto de ações que não apenas estimule a permanência no campo, mas, sobretudo, dê condições do agricultor produzir um alimento saudável e viver dignamente de sua atividade e para tudo isso é preciso ter recursos, é preciso dotar a Secretaria de Agricultura Familiar de condições para realização destas ações”, finalizou Jeová, lembrando que amanhã (05) estará em Itaporanga, onde realizará outra audiência, desta vez, com agricultores de todo o Vale do Piancó.

Assessoria de Imprensa

porpjbarreto

Deputada convoca parlamentares a lutar pelo não fechamento do Napoleão Laureano

A deputada estadual Doutora Paula (Progressista) conclamou, nesta quarta-feira (3), durante sessão na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), os colegas a lutarem para não ver o Hospital Napoleão Laureno, localizado em João Pessoa, fechar as portas por conta das dificuldades financeiras. Para a parlamentar, é preciso ações efetivas que garantam a manutenção dos serviços do Hospital, principalmente na manutenção dos medicamentos.

“O Napoleão Laureano passa por grandes dificuldades e esta Casa não pode ficar parada. É preciso encontrar alternativas para não chegarmos a ver essa importante instituição de saúde de portas fechadas. São milhares de vidas nesse Estado que dependem do atendimento e da acolhida dessa unidade hospitalar. Por isso, conclamo todos os deputados se unir por esta causa”, disse Doutora Paula.

O Conselho Regional de Medicina da Paraíba (CRM- PB), durante fiscalização, chegou a detectar a falta de medicamentos e uma fila de mais de 500 pacientes para realizar radioterapia. Há quase dois meses um dos equipamentos sofreu um curto circuito por conta das fortes chuvas e, desde então, está sem funcionar. Já foram gastos mais de R$ 160 mil e ainda não há previsão de quando a máquina irá voltar a funcionar.

“Não podemos ficar de braços cruzados apenas observando essa situação. Os pacientes precisam de atendimento, pois o câncer é uma doença agressiva. É preciso união da classe política para garantir o pleno funcionamento do Napoleão Laureano e a garantia da vida de milhares de paraibanos”, afirmou a deputada.

Assessoria de Imprensa – ALPB