Categoria Política

porpjbarreto

Prévia da inflação é a menor para o mês de janeiro desde 1995

O dado foi divulgado nesta quarta-feira pelo IBGE

O IBGE divulgou nesta quarta-feira (23) o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15, o IPCA-15. A taxa é uma prévia da inflação oficial do país e ficou em 0,30% em janeiro.

Esta foi a taxa mais baixa para o mês de janeiro desde 1994, ano da implantação do Plano Real. O acumulado dos últimos 12 meses ficou em 3,77%, abaixo dos 3,86% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores. O valor ficou 0,02 pontos percentuais acima da inflação de 2018, que fechou o ano em 3,75%.

Os setores de transporte e vestuário, que registraram deflação de 0,47% e 0,16%, respectivamente, entre dezembro e janeiro, contribuíram para conter a inflação no período. Em compensação, o setor de alimentos e bebidas registrou a maior alta entre os grupos pesquisados, de 0,87%. O grupo foi responsável pelo maior impacto no indicador mensal.

Segundo o instituto, o principal fator que motivou a alta foram os preços das frutas e das carnes, que tiveram variação, respectivamente, de 6,52% e 1,72% na comparação com o mês anterior.

11 regiões foram analisadas pelo IBGE. Apenas Curitiba registrou deflação em janeiro, puxada pelas quedas de 3,55% no preço da gasolina e de 1,9% na tarifa de energia elétrica. Já a região metropolitana de Salvador teve a maior alta, puxada justamente pelo aumento de 10% nos preços das frutas e de 4,60% no valor das carnes.

Para o cálculo do IPCA-15, os valores foram coletados no período de 13 de dezembro de 2018 a 15 de janeiro de 2019 e comparados com aqueles vigentes de 13 de novembro a 12 de dezembro de 2018. O indicador refere-se às famílias com rendimento de 1 a 40 salários mínimos e abrange as regiões metropolitanas do Rio de Janeiro, Porto Alegre, Belo Horizonte, Recife, São Paulo, Belém, Fortaleza, Salvador e Curitiba, além de Brasília e Goiânia.

 

Reportagem – Paulo Henrique Gomes

Fonte: Agência do Rádio

porpjbarreto

Câmara Municipal de Cajazeiras realiza Sessão Especial Extraordinária para debater sobre os cuidados com a mente

Com o tema: Janeiro Branco e os cuidados com a mente, a Câmara Municipal de Cajazeiras, realizou na noite desta terça-feira (22), uma Sessão Especial Extraordinária, para debater sobre as consequências e os problemas causados pelas doenças mentais, numa propositura do Vereador Rivelino Martins Ferreira (PSB).

O presidente da Casa Otacílio Jurema – Vereador José Gonçalves de Albuquerque (PTC), “Delzinho da Arara”, abriu os trabalhos, formou à mesa e, na oportunidade foi iniciada a referida sessão.

O propositor, Vereador Rivelino Martins, usou a tribuna como primeiro orador – agradeceu aos presentes: Edjane Leite (Diretora Geral do Hospital Regional de Cajazeiras), Sargento José Iranilton, representante do 6º BPM), Valério Damásio da Mota (Gerente Regional da Nona Gerência de Educação), Edilene de Vasconcelos Vitoriano (Coordenadora do CRAS I), Patrícia Holanda (representando a Nona Gerência de Saúde), Dra. Cícera Cavalcante (representante da Diocese de Cajazeiras), e demais pessoas da sociedade. Rivelino expôs sobre à importância do debate.

A palestrante Leilane Menezes Maciel Travassos, psicóloga e professora da Faculdade Santa Maria, representou a coordenadora do curso de psicologia da referida faculdade – a Senhora Maria Aparecida Menezes. Leilane, abordou a realidade, no tocante à saúde mental e necessidade de um psicólogo nas escolas, por exemplo. Ela citou o caso da Nona Regional de Educação, que dispõe apenas de um psicólogo para atender todas as escolas das (quinze) cidades atendidas pela gerência. Sobre o assunto, a psicóloga trouxe o problema para o município de Cajazeiras e ressaltou: “O CAPS está estremante lotado”.

Já a palestrante Tayrine Matias de Paula, (Psicóloga Organizacional) do Hospital Universitário Dr. Júlio Maria Bandeira de Melo – falou sobre saúde mental no âmbito do trabalho.

Fizeram uso da fala, os psicólogos Cícero Lima, Luiziane Rolim, o professor Valério Damásio da Mota (Gerente Regional da Nona Gerência de Educação), Drª. Cícera Cavalcante e os vereadores: Alysson Américo (PSB), Eriberto Maciel (PP), Jucinério Félix (PPS) e Roselânio Lopes (PTB).

Finalizando o debate, o Vereador-Presidente José Gonçalves de Albuquerque, “Delzinho da Arara”, deu por encerrada a sessão.

Na abertura dos trabalhos, houve apresentação cultural com recitação de poesias.

Estiveram presentes, os vereadores: Alysson Américo de Oliveira (PSB), Antônio Moacir Leite de Menezes Filho (DEM), Eriberto de Souza Maciel (PP), Francisco Jucinério Félix Filho (PPS), João Lins de Souza (PTC), José Gonçalves de Albuquerque (PTC), Josefa Léa da Silva Santos (DEM), Lindberg Lira de Souza (PTB), Marcos Barros de Souza (PSB), Rivelino Martins Ferreira (PSB) e Roselânio Lopes de Souza (PTB).

 

Assessoria de Imprensa – Câmara Municipal de Cajazeiras

porpjbarreto

Prefeito de Uiraúna decreta situação de calamidade pública causada por estiagem

O prefeito argumenta que há pouca incidência de chuvas na região e que a falta de água vem prejudicando os plantios da região.

O prefeito de Uiraúna, João Bosco Nonato (PSDB), declarou “em situação anormal, caracterizada como estado de calamidade pública, toda a área do município de Uiraúna afetada pelo fenômeno da Estiagem”. A declaração consta no Diário Oficial dos Municípios da Paraíba dessa segunda-feira (21).

O prefeito João Bosco argumenta que há pouca incidência de chuvas na região, que a falta de água vem prejudicando os plantios da região e que os poços e demais reservatórios de água do município estão com pouca capacidade.

Com o Decreto nº 01/2019, de 17 de janeiro, a prefeitura de Uiraúna fica autorizada a “realizar as ações necessárias ao combate das consequências provocadas pela Seca, bem como a desenvolver ações com o fito de amenizar os problemas provocados por aquele fenômeno natural.”

O Decreto é válido por 180 dias.

porpjbarreto

Bolsonaro diz que vai trabalhar para o Brasil ser exemplo para o mundo

Em discurso “curto” e “objetivo” como havia anunciado, com duração de 6 minutos e 36 segundos, o presidente Jair Bolsonaro reafirmou hoje (22), no Fórum Econômico Mundial, em Davos na Suíça, os compromissos de campanha. Ele destacou a determinação de abrir a economia, atrair investidores, fazer reformas, diminuir o peso do Estado e combater a corrupção. “Representamos um ponto de inflexão.”

Brazil's President Jair Bolsonaro attends the World Economic Forum (WEF) annual meeting in Davos, Switzerland, January 22, 2019. REUTERS/Arnd Wiegmann
Jair Bolsonaro participa do Fórum Econômico Mundial em Davos – Reuters/Arnd Wiegmann/Direitos Reservados

Bolsonaro citou três de seus ministros Sergio Moro (Justiça e Segurança Pública), Paulo Guedes (Economia) e Ernesto Araújo (Relações Exteriores). Após o discurso, ele respondeu a perguntas dos organizadores do fórum sobre preservação do meio ambiente e desenvolvimento econômico, combate à corrupção e crescimento da América Latina.

O presidente se comprometeu a colocar o Brasil “no ranking dos 50 melhores países para se fazer negócios”, atrair capital estrangeiro, explorar recursos naturais, fazer as reformas tributária e da Previdência Social, investir em educação, incentivar turismo e manter a sustentabilidade do agronegócio. “Avançar na compatibilização entre a preservação do meio ambiente e da biodiversidade com o necessário desenvolvimento econômico.”

Compatibilização

Bolsonaro enfatizou que o Brasil é “o país que mais preserva o meio ambiente. Nenhum outro país do mundo tem tantas florestas como nós. A agricultura se faz presente em apenas 9% do nosso território e cresce graças a sua tecnologia e à competência do produtor rural. Menos de 20% do nosso solo é dedicado à pecuária”, destacou.

“Essas commodities [produtos primários com cotação internacional], em grande parte, garantem superávit em nossa balança comercial e alimentam boa parte do mundo”, acrescentou o presidente. Ele também assegurou a vontade de “aprofundar” as relações comerciais.

Segundo o presidente, seu esforço será para que o Brasil se torne um exemplo para o mundo. “Nossa missão agora é avançar na compatibilização entre a preservação do meio ambiente e da biodiversidade com o necessário desenvolvimento econômico, lembrando que são interdependentes e indissociáveis.”

Bolsonaro disse que está empenhado em “integrar o Brasil ao mundo”. Para ele, um dos caminhos é a “defesa ativa da reforma” da Organização Mundial do Comércio (OMC) para buscar a eliminação do que chamou de “práticas desleais de comércio e garantir segurança jurídica das trocas comerciais internacionais”.

Reformas

O presidente destacou que pretende implementar uma série de medidas no país, e citou as reformas, a redução de tributos e a desburocratização. Segundo ele, são ações que vão levar ao desenvolvimento econômico e à estabilidade.

“Vamos diminuir a carga tributária, simplificar as normas, facilitando a vida de quem deseja produzir, empreender, investir e gerar empregos. Trabalharemos pela estabilidade macroeconômica, respeitando os contratos, privatizando e equilibrando as contas públicas.”

Valores

O presidente ressaltou que gastou menos de US$ 1 milhão na sua campanha e que o país precisa de resgatar valores. “Assumi o Brasil em uma profunda crise ética, moral e econômica. Temos o compromisso de mudar nossa história.”

Bolsonaro enfatizou que vai resgatar valores. “Vamos defender a família e os verdadeiros direitos humanos; proteger o direito à vida e à propriedade privada e promover uma educação que prepare nossa juventude para os desafios da quarta revolução industrial, buscando, pelo conhecimento, reduzir a pobreza e a miséria.”

Combate à corrupção

No discurso, Bolsonaro destacou ainda a presença do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro: “O homem certo para o combate à corrupção e o combate à lavagem de dinheiro”, disse. Ao ser questionado sobre seus planos para a área, ele disse que Moro tem “todos os meios para seguir o dinheiro no combate à corrupção e no combate ao crime organizado”.

“É mudando a legislação e aperfeiçoando outra parte da mesma. Dessa forma, tenho certeza de que atingiremos nosso objetivo”, respondeu.

Bolsonaro também acrescentou que os ministros foram indicados de forma técnica, sem participação político-partidária. “Precisamos, sim, muito do Parlamento brasileiro e confiamos que grande parte do mesmo nos dará respaldo na busca do combate à corrupção e na lavagem de dinheiro. Dessa forma, o Brasil será visto de forma diferente aqui fora.”

Segurança

De acordo com o presidente, o governo federal investirá de forma intensa na segurança pública e convidou os presentes a conhecer o Brasil, lembrando que, apesar das belezas naturais, o país não está entre os 40 principais destinos turísticos do mundo. Ele destacou que pretende dinamizar o turismo no Brasil

“Vamos investir pesado na segurança para que vocês nos visitem com suas famílias, pois somos um dos primeiros países em belezas naturais, mas não estamos entre os 40 destinos turísticos mais visitados do mundo. Conheçam a nossa Amazônia, nossas praias, nossas cidades e nosso Pantanal. O Brasil é um paraíso, mas ainda é pouco conhecido.”

Estreia

Bolsonaro sublinhou que a sua presença no encontro é primeira viagem internacional que faz após a eleição, comprovando a importância que atribui às pautas que têm sido promovidas pelo Fórum de Davos.

“Esta é a primeira viagem internacional que realizo após minha eleição, prova da importância que atribuo às pautas que este fórum tem promovido e priorizado”, disse. “É, para mim, uma grande oportunidade de mostrar para o mundo o momento único em que vivemos em meu país e para apresentar a todos o novo Brasil que estamos construindo.”

O presidente disse que pretende viajar em breve para Israel, Itália, Argentina e Chile.

“Excelente”

O presidente da República em exercício, general Hamilton Mourão, classificou o discurso de Jair Bolsonaro no Fórum Econômico Mundial como “excelente”.

“Maravilhosas as palavras do presidente. De acordo com tudo o que estamos pensando e buscando para inovar no nosso país e que a gente tenha um rumo melhor e chegue aos nossos objetivos. A gente tem que lembrar que os nossos objetivos é que todo brasileiro tenha escola, acesso à saúde, ande na rua com segurança e tenha emprego e renda”, afirmou.

Sobre a preservação do meio ambiente citada no discurso, Mourão lembrou que o Brasil está no Acordo de Paris. “Às vezes alguns ruídos acontecem, mas a gente não pode fugir dessa questão ambiental, a questão do clima. O presidente tem plena consciência disso aí e deixou claro no discurso dele”, disse Mourão. O presidente em exercício participou hoje da transmissão de comando do 2º Regimento de Cavalaria de Guarda, para o tenente-coronel Antonio Cesar Esteves Mariotti, na Vila Militar, no Rio de Janeiro.

 

Fonte: Agência Brasil

porpjbarreto

Moro fala sobre corrupção, mas não comenta caso Queiroz

Perguntado se o caso Queiroz afeta de alguma forma o governo Bolsonaro, ministro disse apenas que a nova gestão assumiu compromisso contra corrupção

Presente no Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça, o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, defendeu o combate à corrupção como uma forma de impulsionar a confiança no país.Moro participou de um debate em Davos, na SuíçaQuestionado se o processo que investiga o ex-assessor do senador eleito Flávio Bolsonaro, Fabrício Queiroz, que teve movimentações bancárias consideradas suspeitas pelo Coaf, afeta de alguma forma o governo de Jair Bolsonaro, Moro lembrou do compromisso assumido pelo atual governo no combate à corrupção. O ministro citou ainda que as nomeações foram baseadas em capacitação técnica, e não em indicações políticas para cargos públicos.

No debate, o ministro afirmou ainda que casos de corrupção em grande escala tiram a confiabilidade de um país, e enfatizou que a falta de impunidade no Brasil era recorrente, mas que o panorama mudou recentemente.

Durante uma hora, Sergio Moro participou de um painel no evento sobre corrupção e o uso de tecnologia. Além dele, o secretário de Política Industrial da Índia, Ramesh Abhishes, a presidente da Transparência Internacional, Delia Ferreira Rubio, e o chefe do Facebook para Ameaças Perturbadoras, David Agranovich, também estavam presentes.

 

Reportagem – Raphael Costa

Fonte: Agência do Rádio

porpjbarreto

WhatsApp limita reenvio de mensagens a cinco contatos para combater fake news

A política anterior limitava o encaminhamento para 20 contatos

O WhatsApp anunciou na última segunda-feira (21) que seus usuários poderão encaminhar mensagens para apenas cinco contatos, de pessoas ou grupos. A medida reforça a política anunciada no ano passado pela empresa de limitar os encaminhamentos a 20 destinatários. As ações são voltadas para combater a difusão de notícias falsas, as famosas fake news.

A previsão da companhia é lançar a atualização que reduz o número de pessoas que podem receber a mesma mensagem ao mesmo tempo ainda nesta segunda-feira (21). A nova versão será lançada primeiro para aparelhos com sistema Android e depois para iOS.

O limite a cinco contatos já havia sido imposto a usuários na Índia em julho do ano passado, após uma série de linchamentos e homicídios provocados pela difusão de boatos pelo aplicativo.

Como cada grupo pode ter até 256 membros, uma mensagem pode ser encaminhada para 1.280 usuários de uma vez, contra 5.120 seguindo a regra anterior. Dessa forma, a expectativa é que a imposição dessa dificuldade restrinja a difusão de notícias falsas pela plataforma.

 

Reportagem – Paulo Henrique Gomes

Fonte: Agência do Rádio

porpjbarreto

MPF abre inquérito para investigar o município de Cajazeiras e outras nove cidades do estado

Denúncias de desvios de verbas federais de merenda escolar, da construção de quadra esportiva, Programa Saúde na Família, fraude em licitação, irregularidades no SAMU regional e uso de caminhão-pipa do PAC em proveito pessoal, entre outras, levaram o Ministério Público Federal na Paraíba a abrir inquéritos civis públicos contra 10 municípios.

Na lista, estão Cajazeiras, Patos, Ibiara, São João do Tigre, Natuba, Nova Floresta, Pitimbu, Bom Jesus, Barra de Santa Rosa e Prata, prefeitos e ex-gestores vão ser notificados para apresentação das defesas. Prefeitos e ex-gestores ainda vão ser notificados para apresentar as defesas.

CAJAZEIRAS

No Sertão paraibano, o procurador da República Eliabe Soares da Silva investiga a prefeitura cajazeirense. O representante do MPF decidiu instaurar inquérito civil com o objetivo de “apurar irregularidades em procedimentos licitatórios para contratação de exames de diagnóstico por imagem no Município de Cajazeiras”.

BOM JESUS

Ainda na região sertaneja, o Ministério Público Federal instaurou inquérito civil, tendo como “objeto a apuração de possível irregularidade na construção da Quadra de Esporte da Escola Maria do Carmo, em Bom Jesus, obra financiada com recursos do FNDE, a partir de licitação feita em 2014, no valor de R$ 505.626,30”.

 

Com informações do Jornal da Paraíba

porpjbarreto

Secom-PB apresenta novo modelo de veiculação de mídias digitais à Amidi

A Secretaria de Estado da Comunicação Institucional apresentou à Associação de Mídias Digitais da Paraíba (Amidi), nesta segunda-feira (21), o novo modelo de procedimento que será adotado pelo Governo do Estado para veiculação de mídias em veículos digitais. O objetivo é profissionalizar e regular a relação do Governo com o setor, com base em acórdão prolatado pelo Tribunal de Contas do Estado, tornando a divulgação das ações institucionais ainda mais eficiente.

O novo modelo é o mesmo adotado pelo Governo Federal, que utiliza como referência o valor de custo/mil de acordo com a tabela dos veículos que manifestem a intenção de trabalhar com o Governo do Estado. Nos próximos dias, o modelo também será apresentado ao Tribunal de Contas do Estado.

A apresentação do novo modelo de veiculação de mídias em veículos digitais foi feita pelo secretário da Comunicação Institucional, Luís Tôrres, em seu gabinete, aos dirigentes da Amid: Heron Cid (presidente), Fábio Targino, Gutemberg Cardoso e Walter Santos.

“Há uma convergência da necessidade que se tem em padronizar a relação com o mercado digital, a fim de que o setor seja valorizado e, especialmente, o Poder Público possa investir da maneira mais eficiente e econômica”, destacou o secretário Luís Tôrres.

A Amid elogiou a iniciativa do governo. “Queremos elogiar a iniciativa da Secom do Estado e dizer que isso está em completa consonância com o protocolo de intenções que assinamos em reunião no TCE”, disse Heron Cid, presidente da Amid.

 

Secom

porpjbarreto

Em Davos, Bolsonaro diz que vai buscar investimentos para Brasil

O presidente Jair Bolsonaro quer aproveitar sua participação no Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suiça, para atrair investimentos – em especial no agronegócio.

“Nós queremos mostrar, é nosso interesse especial, que o Brasil tomou medidas para que o mundo restabeleça confiança, que os negócios voltem a florescer entre o Brasil e o mundo, sem viés ideológico, que nós podemos ser um país bom para investimentos, e em especial para o agronegócio, nossas commodities mais caras. Queremos ampliar esse tipo de comércio. Por isso estamos aqui para mostrar que o Brasil mudou”, declarou aos jornalistas em vídeo disponível em sua conta no Twitter, postado após sua chegada na Suíça.

Indagado por jornalistas, o presidente da República não quis antecipar encaminhamento do programa de privatizações. “A gente não vai anunciar particularidades no tocante a isso. A agenda está com nosso chefe da economia, Paulo Guedes, está bastante detalhado nesse sentido e ele vai anunciar a partir do momento que tiver certeza que faremos boas privatizações”.

Jair Bolsonaro ainda informou que o discurso que fará amanhã (22), na abertura do fórum, será “curto, objetivo e claro”. Segundo ele, o texto a ser lido feito e corrigido por vários ministros para que nós déssemos recado mais amplo possível do novo Brasil que se apresenta com a nossa chegada ao poder.

Venezuela

Na chegada, Bolsonaro também demonstrou preocupação com o agravamento da situação na Venezuela. Nesta segunda-feira, na região de Sucre, em Miranda, um grupo de militares contrários ao governo tentou render um quartel e foi detido.

“Estou sabendo que a Venezuela está com problema não é de hoje e nós esperamos que mude rapidamente, mude o governo [conduzido pelo presidente Nicolás Maduro].”

Na semana passada, Bolsonaro e vários ministros se reuniram com integrantes da oposição a Maduro. Durante o fórum, ele conversará com os presidentes do Peru, da Colômbia, do Equador e da Costa Rica, novamente o tema será a Venezuela.

 

Fonte: Agência Brasil

porpjbarreto

Após vazamento de áudios sobre o concurso público de Cajazeiras, autora emite nota e pede desculpas aos envolvidos e à gestão

Após vazamento de áudios sobre o concurso público da Prefeitura de Cajazeiras, que está prestes a ser realizado, uma conversa entre uma servidora do município e uma amiga, acabou sendo compartilhada nas redes sociais, causando-lhe grande perturbação. De acordo com a autora dos áudios, outras conversas foram trocadas pelo aplicativo de mensagens instantâneas WhatsApp, porém, algumas dessas conversas foram omitidas com suposta finalidade de prejudicar a referida autoria. Abaixo, na íntegra, todo conteúdo.

Nota de Esclarecimento

Venho através desta nota, esclarecer dois áudios que estão circulando nas mídias sociais relatando o assunto de um próximo concurso público municipal na cidade de Cajazeiras na Paraíba.

Gostaria de explicar inicialmente que os áudios vazados fazem parte de uma conversa informal, com conteúdo de falácias, sem nenhuma veracidade ou credibilidade. Um diálogo sem importância que, inclusive foi divulgado de forma manipulada, ou seja, foram espalhadas somente as partes que podiam prejudicar a atual gestão municipal.

No restante dos áudios, eu deixava claro que o conteúdo da conversa era fruto de fofocas e que eu mesma não acreditava, pois, sei que a justiça está em todos os lugares e que só é possível passar em um concurso público através de muito esforço e dedicação.

A pessoa com quem eu trocava os áudios, até então era da minha confiança e eu não podia imaginar que aquela conversa seria replicada, muito menos vazada, ainda por cima de forma incompleta, dando a entender que eu estaria tentando prejudicar a atual gestão municipal.

Infelizmente, o conteúdo foi parar nas mãos de pessoas com interesses políticos contrários e foi manipulado nas mídias sociais de forma a tentar denegrir a imagem e a credibilidade da atual gestão.

Aproveito para pedir desculpas a cada pessoa que foi citada nos áudios e repetir, que jamais tive intenção de prejudicar alguém, ou tornar pública uma conversa informal baseada em falácias.

Sem mais a acrescentar, agradeço a compreensão de todos.

 

Cajazeiras-PB, 21 de janeiro, de 2019.

Renata de Sousa Rolim