Categoria Política

porAutor

“Um pleito tranquilo”, avalia o TRE-PB sobre ações das Forças de Segurança no 2º turno

O Presidente do Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba, desembargador Romero Marcelo da Fonseca Oliveira, coordenador de avaliação das ações das Forças de Segurança das Eleições 2018 disse que esse segundo turno foi muito tranquilo e bem planejado. Ele ressaltou que a segurança dos eleitores foi estudado minuciosamente e ocorreu tudo conforme previsto .

“Foi um pleito tranquilo, devidamente planejado e bem distribuído. Nosso planejamento funcionou com sucesso e êxito”, pontuou o desembargador.

porAutor

Bolsonaro (PSL) é eleito novo presidente do Brasil. Veja demais resultados por estado!

A vitória de Bolsonaro é a maior mudança de rumo na política brasileira desde a redemocratização, em 1985. Representa a volta dos militares ao centro do poder e a ascensão da “nova direita”, liberal na economia e conservadora nos costumes.

Jair Bolsonaro (PSL) é o novo presidente do Brasil. A vitória de Bolsonaro não é apenas uma derrota do PT – partido vitorioso nas últimas quatro eleições presidenciais, desde 2002. Ele representa a chegada ao poder da “nova direita” brasileira (também chamada por muitos de extrema-direita): liberal na economia e conservadora nos costumes.

Trata-se da maior mudança de rumo na política brasileira desde o fim da ditadura e a redemocratização, em 1985. Essa percepção é reforçada pela volta dos militares ao centro da política. Bolsonaro, um admirador do regime militar (1964-1985), é capitão da reserva; seu vice é o general Hamilton Mourão; e o futuro governo possivelmente terá vários outros oficiais das Forças Armadas em seu primeiro escalão.

Bolsonaro se converteu ao liberalismo às vésperas da campanha

Há controvérsia, dependendo da ideologia de quem faz a análise, se o Brasil teve governos efetivamente de direita desde a redemocratização. A esquerda costuma colocar no outro lado do espectro ideológico os governos de José Sarney (1985-1990), Fernando Collor (1990-1992), Itamar Franco (1992-1994), Fernando Henrique Cardoso (1995-2002) e Michel Temer (2016-2018). Muitos analistas dizem que esses foram governos centristas – pois, embora tenham adotado políticas de direita, não abriram mão de uma boa dose de intervencionismo econômico e de estatismo. E há, dentro da nova direita, quem diga que esses governos foram de esquerda.

Leia também: 6 pontos para entender o que Bolsonaro fará como presidente

Um dos elementos para definir a posição de um governo no espectro político-ideológico é a economia. Bolsonaro se converteu ao liberalismo às vésperas da campanha eleitoral, apesar de ter tido posições nacional-desenvolvimentistas (associadas à esquerda) em matéria econômica durante toda a sua trajetória como deputado federal. Mas agora ele promete “tirar o Estado do cangote do produtor”. Seu futuro ministro da Economia, o ultraliberal Paulo Guedes, defende privatizar estatais num ritmo nunca antes visto.

Mas ainda paira uma dúvida se a conversão de Bolsonaro é pra valer e se seu governo será genuinamente liberal. Ele inclusive já disse que não vai vender as empresas públicas “estratégicas” (Petrobras, Eletrobras, Caixa Econômica e Banco do Brasil).

Conservadorismo cresce como reação ao “progressismo” da esquerda

A grande novidade do governo de Bolsonaro, nesse sentido, tende a ser a introdução do conservadorismo de costumes nas políticas públicas, numa reação à agenda “progressista” associada à esquerda. O conservadorismo é uma pauta de direita que não era articulada como agora e que tampouco teve um governo deliberadamente favorável a ela desde a redemocratização.

Bolsonaro conseguiu captar um sentimento popular de rejeição ao “progressismo” da esquerda – associado a pautas como a defesa do direito ao aborto, a valorização de minorias, a ampliação dos direitos dos homossexuais, a defesa da teoria de que os gêneros masculino e feminino são construções sociais e não imposições da natureza (a chamada ideologia de gênero), a defesa dos direitos humanos (vistos pela nova direita como uma defesa de criminosos).

Como deputado, Bolsonaro se opôs durante o governo Lula ao projeto Escola sem Homofobia – apelidado de “kit gay” –, por entender que ele iria promover a sexualização precoce de crianças nas escolas. Sempre foi um crítico feroz dos “direitos humanos dos criminosos”, e defendeu políticas de tolerância zero contra o crime. Criticou políticas voltadas especificamente para minorias como os homossexuais e quilombolas.

Muitas vezes fez tudo isso com atitudes e palavras ofensivas contra quem o questionou – seja homem ou mulher, hétero ou homossexual, branco ou negro. Suas manifestações lhe valeram a acusação de ser homofóbico, machista, racista, autoritário.

Mas, por outro lado, a falta de papas na língua de Bolsonaro também o ajudou a construir uma parcela do eleitorado imagem de político autêntico, num momento em que a maioria dos demais é vista como falsa ao vocalizar um discurso “politicamente correto” – outra agenda associada à esquerda.

Quando a campanha eleitoral chegou, Bolsonaro estava pronto para encarnar no imaginário popular a imagem de defensor aguerrido dos valores tradicionais e cristãos da família brasileira. Seu slogan de campanha – “Brasil acima de tudo; Deus acima de todos” – buscou sintetizar essa ideia.

Militares voltam ao centro do poder pela primeira vez desde a ditadura

O slogan da campanha do PSL também revela a terceira grande mudança representada pela vitória de Bolsonaro: a volta dos militares para o centro da política. O bordão patriótico e religioso é o mesmo da Brigada de Infantaria Paraquedista do Exército – o presidente eleito e o general Mourão foram paraquedistas.

A última vez em que as Forças Armadas tiveram tanta força política foi justamente na ditadura. Bolsonaro é um defensor do regime militar. Já elogiou suas práticas, como a tortura. Segundo ele, foram atitudes necessárias para evitar que o país virasse uma ditadura comunista.

Durante a campanha, ele inclusive fez um paralelo com 1964 ao associar a volta do PT ao poder à instalação de uma ditadura bolivariana no Brasil. Mas sob a sombra do autoritarismo e desgastado pela acusação de ser autoritário, Bolsonaro se comprometeu a obedecer a Constituição.

A associação dele com os militares, contudo, teve pontos positivos para ele. O então candidato se aproveitou da boa imagem que a população brasileira tem das Forças Armadas, e colheu os frutos de defender ordem e disciplina em um momento em que muitos eleitores dizem não aguentar mais a “bagunça” da política.

PRESIDENTE POR ESTADO

ACRE – 100,00% urnas apuradas
  1. 77,22%
  2. 22,78%

ALAGOAS – 99,96% urnas apuradas

  1. 59,92%
  2. 40,08%

AMAPÁ – 99,98% urnas apuradas

  1. 50,21%
  2. 49,79%

AMAZONAS – 100,00% urnas apuradas

  1. 50,27%
  2. 49,73%

BAHIA – 100,00% urnas apuradas

  1. 72,69%
  2. 27,31%

CEARÁ – 100,00% urnas apuradas

  1. 71,11%
  2. 28,89%

DISTRITO FEDERAL – 100,00% urnas apuradas

  1. 69,99%
  2. 30,01%

ESPÍRITO SANTO – 99,99% urnas apuradas

  1. 63,06%
  2. 36,94%

GOIÁS – 100,00% urnas apuradas

  1. 65,52%
  2. 34,48%

MARANHÃO – 100,00% urnas apuradas

  1. 73,26%
  2. 26,74%

MATO GROSSO – 100,00% urnas apuradas

  1. 66,42%
  2. 33,58%

MATO GROSSO DO SUL – 100,00% urnas apuradas

  1. 65,22%
  2. 34,78%

MINAS GERAIS – 100,00% urnas apuradas

  1. 58,19%
  2. 41,81%

PARÁ – 100,00% urnas apuradas

  1. 54,81%
  2. 45,19%

PARAÍBA – 100,00% urnas apuradas

  1. 64,98%
  2. 35,02%

PARANÁ – 100,00% urnas apuradas

  1. 68,43%
  2. 31,57%

PERNAMBUCO – 100,00% urnas apuradas

  1. 66,50%
  2. 33,50%

PIAUÍ – 100,00% urnas apuradas

  1. 77,05%
  2. 22,95%

RIO DE JANEIRO – 100,00% urnas apuradas

  1. 67,95%
  2. 32,05%

RIO GRANDE DO NORTE – 100,00% urnas apuradas

  1. 63,41%
  2. 36,59%

RIO GRANDE DO SUL – 100,00% urnas apuradas

  1. 63,24%
  2. 36,76%

RONDÔNIA – 100,00% urnas apuradas

  1. 72,18%
  2. 27,82%

RORAIMA – 100,00% urnas apuradas

  1. 71,55%
  2. 28,45%

SANTA CATARINA – 100,00% urnas apuradas

  1. 75,92%
  2. 24,08%

SÃO PAULO – 100,00% urnas apuradas

  1. 67,97%
  2. 32,03%

SERGIPE – 99,96% urnas apuradas

  1. 67,54%
  2. 32,46%

TOCANTINS – 100,00% urnas apuradas

  1. 51,02%
  2. 48,98%
Gazeta do Povo
Com TSE
porAutor

Senador Raimundo Lira vota em Campina Grande e destaca a tranquilidade do pleito

O Senador Raimundo Lira (PSD) votou na manhã deste domingo, em Campina Grande. O Senador chegou à Faculdade Paulista, na Rua Irineu Joffily, no centro da cidade, por volta das 10h30. Ele cumprimentou e conversou com as pessoas que estavam em uma pequena fila e depois entrou na seção 006 da 16ª Zona Eleitoral.

Sorridente, ele cumprimentou os mesários e, após fazer a identificação biométrica, dirigiu-se à cabine de votação. Raimundo Lira votou para presidente no candidato Jair Bolsonaro (PSL). Ao sair do local de votação, ele conversou com mais algumas pessoas e destacou a tranquilidade do pleito.

“É muito bom que possamos estar exercendo nosso direito de cidadão, escolhendo livremente aquele que vai comandar os destinos do Brasil pelos próximos quatro anos. Está tudo muito tranquilo e torçamos para que esta tranquilidade se estenda após a votação, com a divulgação do candidato vencedor. Votei em Jair Bolsonaro e torço pela vitória do meu candidato, mas torço, sobretudo, pelo Brasil”, afirmou Lira.

Assessoria de Imprensa

porAutor

Bolsonaro vota com colete a prova de balas e forte esquema de segurança no RJ

Em São Paulo, Fernando Haddad (PT) vota vestido de azul e afirma que “o que está em jogo hoje é a democracia”

O candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, votou neste domingo (28), às 9h17, na Escola Municipal Rosa da Fonseca, na Vila Militar, em Deodoro, na Zona Oeste do Rio. O capitão do exército estava acompanhado da mulher, Michele. Ele usou colete a prova de balas por baixo de uma jaqueta verde oliva.

O esquema de segurança na zona eleitoral da Vila Militar foi reforçado com grades e uma maior presença da Polícia do Exército. As polícias militar e federal também trabalharam na operação de segurança do candidato do PSL.

Uma hora antes do início da votação, o local passou por uma varredura em busca de bombas ou outros explosivos. Cães e equipamentos foram usados na vistoria de segurança. Além disso, os eleitores que votam na escola Rosa da Fonseca tiveram que passar por uma barreira para revista por integrantes das Forças Armadas. O militar reformado saiu pela porta dos fundos da zona eleitoral e não falou com a imprensa.

Em São Paulo, Fernando Haddad, candidato do PT, votou às 10h18 acompanhado da mulher, Ana Estela, em um colégio na Zona Sul da capital paulista. Vestindo uma camisa azul, o petista falou rapidamente com jornalistas e afirmou que “o Brasil acordou nos últimos dias”. E ressaltou ainda que “o que está em jogo hoje é a democracia”. Perguntando sobre a falta de apoio de Ciro Gomes (PDT), Haddad evitou falar sobre o assunto e disse que não há “nenhuma decepção”.

Reportagem: Tácido Rodrigues

 

porAutor

ELEIÇÕES: Tudo que você precisa saber para votar neste domingo

Eleitores vão eleger próximo presidente em todo o país; em 13 estados e no DF, haverá segundo turno também para governador

Mais de 147 milhões de eleitores devem ir às urnas em todo país neste domingo (28) para definir o próximo presidente da República. Em 13 estados e no Distrito Federal, também serão escolhidos os novos governadores para os próximos quatro anos. E para exercer sua cidadania sem ter problemas, fique atento a alguns pontos importantes.

O horário de votação é das oito da manhã às cinco da tarde. Você deverá votar no mesmo local onde votou no primeiro turno. Para ter o direito de votar é necessário levar um documento oficial com foto e o título de eleitor. É permitido também o uso do aplicativo e-Título, que substitui o documento oficial com foto. Vale destacar que as certidões de casamento e nascimento não serão aceitos no local de votação.Saiba o que é necessário para votar neste domingoCaso você não consiga votar neste segundo turno, é necessário justificar a ausência. Para isso, é preciso preencher o formulário de Requerimento de Justificativa Eleitoral, disponível nos portais do TSE e dos Tribunais Regionais Eleitorais. Ainda há a opção online no site justifica.tse.jus.br.

Se o eleitor não votar e não justificar a ausência em até 60 dias, receberá multa de R$ 3,51, que pode ser paga em qualquer agência bancária, casa lotérica ou em uma unidade dos Correios. Quem deixar o débito em aberto não poderá solicitar certidão de quitação eleitoral. Isso significa que não será possível tirar documentos, passaporte, nem participar de concursos, por exemplo.

Caso você esteja fora do seu domicílio eleitoral, mas tenha feito o cadastro do voto em trânsito, poderá votar normalmente na zona eleitoral indicada pela Justiça Eleitoral. Lembrando que se você estiver em outro estado só poderá votar para presidente. O local de votação de todo eleitor pode ser consultado no site do TSE.

Primeiro, o eleitor que estiver nos estados em que há segundo turno para governo estadual vota para governador. Na sequência, o voto é para presidente. Em ambos em casos, o eleitor digita dois números e aperta a tecla confirma. Não deixe de votar e contribua para a democracia.

 

Reportagem: Raphael Costa

 

porAutor

TRE-PB instala nesta sexta (26) Centro de Comando e Controle para o segundo turno das Eleições

O Presidente do Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB), Desembargador Carlos Martins Beltrão Filho, instalará nesta sexta-feira (26), às 9h, o Centro de Comando e Controle para o segundo turno das Eleições Gerais 2018.

O Presidente do Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB), Desembargador Carlos Martins Beltrão Filho, instalará nesta sexta-feira (26), às 9h, o Centro de Comando e Controle para o segundo turno das Eleições Gerais 2018. A solenidade acontecerá na Sala da Diretoria Geral, no segundo andar do edifício-sede do TRE-PB, localizado na Avenida Princesa Isabel, 201 – Tambiá.

Outros dois Centros de Comando e Controle serão instalados nos municípios de Campina Grande, com sede no Fórum Eleitoral Desembargador Evandro de Souza Neves, na Rua Rio Grande do Sul, 414-025 – Liberdade, e Patos, com  sede  no  Fórum  Miguel  Sátyro, Rua Pedro Firmino, s/n – Centro.

Os Centros têm o objetivo de atender ao plano de segurança integrado para as Eleições Gerais 2018 desenvolvida pela assessoria de Planejamento estratégico e gestão do TRE-PB, envolvendo os órgão de segurança: Polícias Militar, Federal, Civil, Rodoviária Federal, Corpo de Bombeiros, Secretaria de Segurança e Defesa Social e Exército Brasileiro.

 

Assessoria – TRE-PB

porAutor

Bolsonaro cobra engajamento de parlamentares do PSL

Candidato do PSL pediu seriedade dos colegas de legenda

Em uma transmissão ao vivo em sua página oficial no Facebook, o candidato à presidência Jair Bolsonaro, do PSL, pediu o apoio dos 52 deputados eleitos pela legenda para dar mais força à sua campanha nessa reta final de segundo turno. No vídeo, Bolsonaro cobrou mais engajamento dos parlamentares e destacou a influência dele na eleição de boa parte dos congressistas.

Bolsonaro fez uma transmissão em sua página do Facebook e cobrou engajamento de parlamentares do PSL

O apelo do ex-militar aconteceu depois da divulgação da última pesquisa Ibope, na noite desta quarta-feira. De acordo com o levantamento, o candidato petista Fernando Haddad teria ultrapassado Bolsonaro nas intenções de voto na cidade de São Paulo. Na transmissão ao vivo, Bolsonaro fez um apelo para que os deputados eleitos pelo PSL se unissem nesses últimos dias de campanha.

“Então, nós apelamos para os deputados, senadores, para que não se preocupem com as campanhas de governadores dos seus estados. Eu estou vendo uma briga em São Paulo. Ao invés de brigarem por mim, ficam apoiando um candidato ou outro. Vocês precisam dar a devida resposta. Pelo amor de Deus, deputados eleitos em São Paulo. O objetivo de vocês é Jair Bolsonaro, depois França ou Dória. Pelo amor de Deus, uma briguinha aí. Parece que vocês se elegeram com mérito próprio. Com toda certeza, se alguns tivessem se candidato conseguiriam, mas a grande maioria não. Agora falta trabalhar com seriedade. O que tá em jogo é a cadeira presidencial.”

Bolsonaro também lembrou que os resultados do PSL foram surpreendentes para um partido com apenas oito segundos de TV e um fundo partidário quase zerado. O candidato rebateu as críticas feitas por Fernando Haddad e desmentiu pontos colocados contra ele. Ao lado de Bolsonaro, durante a transmissão, estava o deputado eleito pelo Rio de Janeiro, Hélio Negão.

Reportagem: Raphael Costa

 

porAutor

Mãe de alunos clama por transporte escolar na Zona Rural de Cajazeiras. Escute!

Em contato com a redação do site da Rádio Rural FM de Cajazeiras, na tarde desta quinta-feira (25) de outubro, a mãe de dois alunos do Sistema Municipal de Ensino de Cajazeiras, informou da ausência dos ônibus escolares que deveriam atender ás comunidade do Assentamento Frei Damião, Sítio Angelim, Gadelha e adjacências estão sem prestar os devidos serviços à população – há duas semanas.

Segundo relatou Cilene, mãe de duas crianças, ela já tentou falar com o diretor de transportes da Secretaria Municipal de Educação, mas sem êxito, o servidor não atende. “Isso já vem acontecendo há muito tempo, a gente reivindica e não é atendido não”.

Abaixo, os áudios de uma mãe de aluno relatando os acontecimentos no tocante ao transporte escolar na Zona Rural de Cajazeiras.

 

Redação – fmrural.com.br

porAutor

Prefeito divulga programação dos 55 anos de emancipação política de Bom Jesus

O Prefeito Municipal de Bom Jesus, Roberto Bayma, Primeira Dama  Kátia Virgínia , Vice Prefeito João Melquiades e Secretários Municipais, convidam toda a população de Bom Jesus e região a participarem das festividades dos 55 anos de emancipação política administrativa do município de Bom Jesus.

PROGRAMAÇÃO DOS 55 ANOS DE EMANCIPAÇÃO POLÍTICA DO MUNICIPIO DE BOM JESUS-PB

DIA: 01/11 – QUINTA-FEIRA – 18:00hs – Missa de Ação de Graça e abertura oficial do Centenário da Quase Paróquia Sagrado Coração de Jesus (celebrante Pe. Silvio) Local: Praça Prefeito Antonio Rolim 20:00hs – V Festival de Violeiros Organização: Chico Xavier, Secretaria de Cultura e Comunicação Local: Praça Prefeito Antonio Rolim

DIA 03/11 – SÁBADO – 08:00hs – Torneio de Futebol de Salão Masculino e feminino Premiação Troféus e R$ 1.000,00 em dinheiro (1º Lugar Masculino R$ 300,00 e 2º Lugar Masculino R$ 200,00 , Feminino a mesma premiação do Masculino) 17:00hs – Sessão Solene da Câmara Municipal para entrega de Títulos de Cidadania Local: Câmara Municipal de Bom Jesus 19:00hs – Culto Evangelístico com as Igrejas Evangélicas de Bom Jesus Preletor: Pastor Clayton Rolim e a Cantora Waldilene Local: Praça Antonio Rolim

DIA 04/11 – DOMINGO – 08:00hs – Benção dos Vaqueiros no Distrito de São José – Pe. Silvio 09:00hs – Saída Cavalgada do São José a Bom Jesus, puxando a cavalgada os aboiadores Mané de Carlos e Geraldo de Pedro Véio. Homenageado José Bandeira de Melo ( Bizé Bandeira) 14:00hs – Tora Chinela e Forró de Arromba – Festa dos Vaqueiros

DIA 05/11 SEGUNDA FEIRA – 05:00HS – Alvorada Festiva e Salva de 21 tiros 08:00hs- Hasteamento dos Pavilhões Nacional, Estadual e Municipal 09:00hs- Inaugurações: Açude Umarí, Forno Velho, Timbaúba, Morada Nova, Mata fresca e Mastruz; 10:00hs – Inauguração do Calçamento da Rua de Jõao Félix a PB-420 e visita a Praça Púbica em construção do Distrito São José; 11:00hs – Visita a Lagoa de estabilização na fazenda Sossego e Inauguração do Calçamento da Avenida Manoel Guedes de Aquino. 12:00hs – Entrevista com o Prefeito Roberto Bayma e Convidados 16:00hs – Desfile da Escola Maria do Carmo e Secretarias do Município 21:00hs – Encerramento das festividades dos 55 anos de emancipação política Bandas: Felipão Moral & Nara Castro Tenda Mix com os DJs Dual Drop Local: Praça prefeito Antonio Rolim.

 

Fotos: Jocerlan Guedes

Assessoria de Imprensa

porAutor

Rasgando o verbo: Vereador Jucinério Félix rompe com José Aldemir e expõe racha político. Escute o áudio!

Aos poucos, as bases de apoio ao prefeito José Aldemir vão sofrendo ataques e contra-ataques do próprio gestor

De uma só vez após a exoneração da esposa do Vereador Alysson Lira (PSD), a diretora da Policlínica Municipal que executou excelentes serviços – Alysson, que foi líder da bancada na Câmara Municipal até a última terça-feira (23/10), renunciou a referida liderança e, presenciou o discurso inflamado do colega parlamentar Jucinério Félix (PPS).

Engasgado há meses com os comentários maldosos e frequentes do prefeito com correligionários – sempre que o tema em pauta era Jucinério, José Aldemir utilizou publicamente de espaço de maior audiência em uma emissora de rádio da cidade, para fazer duras acusações e críticas em desfavor do ex-aliado.

Perguntado sobre o alinhamento político com o Vereador Jucinério – o gestor atribuiu ao mesmo como esse ai; “Esse ai não quero nem conversa, não acompanhou os nossos candidatos, não votou nem com a nossa candidata a deputada estadual”, teria dito o prefeito. Estopim para o racha com Jucinério Félix era iminente.

Abaixo, o áudio do Vereador Jucinério na Tribuna da Câmara Municipal de Cajazeiras.

 

Áudio: WhatsApp

Redação – fmrural.com.br