Categoria Cultura

porpjbarreto

Música: Hoje é comemorado o Dia do Índio

A Música do Dia é “Curumim Chama Cunhatã que Eu Vou Contar“, com Jorge Benjor.

Produção e apresentação – Luiz Cláudio Canuto
Agência Rádio Câmara
porpjbarreto

Há 110 anos, o Vaticano beatificou Joana D’Arc

A Música do Dia é “Eu Não Matei Joana Darc“, com o grupo Camisa de Vênus.

Produção e apresentação – Luiz Cláudio Canuto
Agência Rádio Câmara
porpjbarreto

Projeto Fórum das Artes expõe trabalhos de artistas na Comarca de Sousa

Além da movimentação de magistrados, servidores, advogados e partes, o Fórum ‘Dr José Mariz’, da Comarca de Sousa, Sertão paraibano, terá também a presença da população local para prestigiar as obras de arte expostas no hall da unidade judiciária. Já está funcionando o Projeto ‘Fórum das Artes’, lançado na noite da última segunda-feira (15), com a exposição “Tons da Calma”, da artista visual autodidata, Mívia Lima. A iniciativa partiu do diretor do Fórum, o juiz João Lucas Souto Gil Messias. O evento contou com a presença do presidente do Tribunal de Justiça da Paraíba, desembargador Márcio Murilo da Cunha Ramos.

O magistrado João Lucas explicou que a ideia surgiu quando ele tomou conhecimento da existência de muitos artistas plásticos de talento na cidade. A partir de então, pensou em ceder o espaço do Fórum para que essas pessoas pudessem expor seus trabalhos para a comunidade. “Seria uma via de mão dupla: de um lado, o artista teria a oportunidade de mostrar seu talento. De outro, a população que frequenta o fórum, incluindo os servidores e magistrados, também teria a chance de conhecer o trabalho”, ressaltou, acrescentando que a presença de arte num ambiente como o fórum traz tranquilidade e paz ao local.

Para o diretor da unidade, o projeto beneficiará os artistas da terra e a própria população. “Às vezes, o artista de talento precisa apenas de uma oportunidade para alçar voo. Talvez possamos ajudar de alguma forma com essa iniciativa”, pontuou. João Lucas destacou, ainda, a participação do gestor do TJPB, desembargador Márcio Murilo. “Foi uma coincidência muito bem vinda a presença do Presidente ao Sertão e a inauguração do projeto ocorrerem no mesmo dia. Ficamos muito felizes”, salientou.

A gerente do Fórum, Francineide Nascimento, lembrou que as obras ficarão expostas durante dois meses e que já se inscreveram vários artistas. “Achei muito interessante esse projeto, pois valoriza os artistas da terra, pintores, fotógrafos, artesãos, escritores, dentre outros”, realçou.

Na opinião da artista Mívia Lima, autora das telas estilo clássico e impressionista, expostas no projeto, o ‘Fórum das Artes’ abre portas não somente para os artistas, mas, principalmente, para as pessoas entenderem a importância da arte no mundo real. “O foco principal do meu trabalho é retratar figuras que tenham conexão entre a beleza e a emoção, para as pessoas poderem sentir um ambiente mais humanizado”, enfatizou, acrescentando que a escolha do tema da exposição “Tons da Calma” foi especialmente para o projeto.

Exposições – A intenção da direção do Fórum de Sousa é ter sempre apresentações de artistas locais. Para a temporada de 2019, foram planejados cerca de quatro a cinco exposições, em diversas áreas, incluindo pintura, fotografia, desenho e artesanato. “Esperamos que a população local prestigie esses artistas e que a arte sousense ganhe o mundo”, exaltou o magistrado João Lucas, lembrando, ainda, que o projeto contou com a ajuda da Fundação de Cultura do Município, na pessoa de Augusto Ferraz, e, também,  com o apoio de servidores da Comarca, dentre os quais o oficial de Justiça Francisco Noberto Gomes Carneiro e a gerente do Fórum, Francineide Nascimento.

Biblioteca – Neste mesmo Fórum foi instalado, no mês passado, a Biblioteca “Ariano Suassuna”, na área de espera da unidade judiciária, com um acervo de 400 livros doados por juízes, servidores, advogados e particulares. A iniciativa, também, foi do magistrado João Lucas Souto.

Por Lila Santos

Assessoria de Imprensa – TJPB

porpjbarreto

Ingressos para o espetáculo ‘Elis Vive`, com Nathalia Bellar, já estão a venda

Show especial da ex-The Voice Brasil acontece na véspera do Dia das Mães, no Tambaú Hotel, em João Pessoa

Revivendo grande e emocionantes sucessos, como “Romaria”, “O Bêbado e a equilibrista”, “Como nossos País”, a cantora Nathalia Bellar apresenta o projeto “Elis Vive”, uma homenagem a maior interprete brasileira de todos os tempos. O show, em apresentação única no Tambaú Hotel acontece no dia 11 de maio, véspera do Dia das Mães, a partir das 20h. Os ingressos podem ser adquiridos no setor de eventos do hotel e pela internet, no site Bilheteria Express.

Comandado por Nathalia, com o apoio dos músicos Igo Wendel (piano), Adriano Ismael (baixo, cello), Glauco Andrezza (bateria) e Jefferson dos Santos (percussão), o show “Elis Vive” é uma realização do Tambaú Hotel, em parceria com a Casa Amarela produções e a Vivass Assessoria e Comunicação. O evento tem apoio da Yellow Marketing e da Contal Contabilidade.

Grande inspiração musical de Nathalia, Elis Regina, a “pimentinha”, representa a mulher brasileira em seus diversos papéis, sendo assim celebrada nesta data tão especial. “É uma verdadeira honra interpreta-la, especialmente em uma data tão importante como essa, o Dia das Mães, que reúne tantas famílias. Será uma noite de muitas emoções”, declara a cantora.

O material arrecadado pelos ingressos sociais vão para a Rede Feminina de Combate ao Câncer.

Serviço:

“Elis Vive”, por Nathalia Bellar

Data: 11 de maio de 2019 (sábado, véspera do Dia das Mães)

Local: Tambaú Hotel (Salão Sergio Bernardes)

Horário: 20h

Ingressos: R$80 (inteira), R$40 (meia-entrada) e R$ 50 (ingresso social e mais dois quilos de alimento)

Vendas: – https://www.bilheteriaexpress.com.br/nathalia-bellar-apresenta-tributo-a-elis-regina-no-tambau-hotel.html e setor de eventos do Tambaú Hotel (seg a sex 8h às 17h e sab 8h às 13h).

 

Assessoria de Imprensa 

porpjbarreto

Efraim celebra dia mundial da propriedade intelectual e ressalta o Acordo de Madri

Fortalecer a propriedade intelectual, aumentar a cooperação e a segurança jurídica são caminhos para ampliar as relações de comércio e investimentos internacionais”. Declarou Efraim.

Com o objetivo de celebrar e reunir representantes dos setores público e privado para discutir o papel da Propriedade Industrial, o deputado Efraim Filho (DEM/PB) destacou a importância do combate ao sequestro e falsificação de marcas e patentes no Brasil e no exterior. “Fortalecer a propriedade intelectual, aumentar a cooperação e a segurança jurídica são caminhos para ampliar as relações de comércio e investimentos internacionais”. Declarou Efraim.

De acordo com o congressista os desafios do Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI) são grandes, entre eles tornar mais ágil o processo de registro das marcas e patentes para que a indústria não tenha grandes prejuízos. “Recentemente a Câmara aprovou o acordo de Madri sobre registro internacional de marcas reconhecido simultaneamente nos vários países que fazem do acordo”, explicou Efraim Filho.

Pelo texto aprovado na Câmara a medida diminui o custo das empresas, que hoje precisam arcar com os múltiplos pedidos de registro de marca para atuar em outros países. Os custos envolvem pagamento de taxas, contratação de advogados, etc.

Com a aprovação do PDL 98/19 no Senado Federal a proposta entra em vigor após publicação no Diário Oficial da União. Esta matéria segundo o deputado Efraim Filho insere o Brasil no regime internacional simplificado para o registro de marcas e permite que as empresas brasileiras registrem suas marcas nos 117 países membros que representam 80% do comércio global .

Efraim Filho ressaltou a necessidade de ampliar a colaboração entre o Instituto e outros escritórios de patentes.

Nesta reunião parlamentares, representantes da indústria e autarquias apresentaram suas experiências. O deputado Dr. Zacharias Calil (DEM/GO) falou sua experiência no registro de patente para medicamentos e o diretor da Cabletec, João Arantes também expôs a dificuldade para os registros e sequestro das marcas brasileiras por empresas de outros países.

Os parlamentares Esperidião Amim (senador), as deputadas Cristine Yaredm e Ângela  Amim e os deputados Lucas Redecker, David Soares, Ricardo Barros, Luiz Carlos Mota, Vitor Lippi e Glaustin Fokus se colaram à disposição para agilizar os processos legislativos para o desenvolvimento econômico do Brasil.

Estavam presentes no evento representante da CNI, João Emílio Gonsalves, do Ministério da Economia, Igor Calvet, do Ministério das Relações Exteriores, Maximiliano Ariezo, INPI, Liane Lage, da Organização de Propriedade Intelectual (OMPI) José Graça Aranha, o secretário dos direitos autorais e propriedade intelectual no Ministério da Cultura, Maurício Carlos Braga.

Ainda falaram sobre suas experiências em marcas e patentes representantes dos escritórios da Turma da Mônica, Rodrigo Paiva, da Natura, Renata Campos, Natan Baril, Fernando Pimentel presidente da ABIT, Fernando Pimentel e Ariela Simoni da Associação pela Indústria e Comércio Esportivo (Ápice).

O evento contou também com o apoio da CNDL e UNESCS.

Assessoria de Imprensa 

porpjbarreto

Primeira partida de futebol no Brasil, entre SP Railway e Companhia de Gás, em 1895

A Música do Dia é “Na Cadência do Samba“, de Luiz Bandeira, com Arranco de Varsóvia.

Em 1895 foi disputada a primeira partida de futebol oficial no Brasil. Várzea do Carmo, em São Paulo, foi sede do primeiro jogo de futebol do Brasil.
O jogo foi entre São Paulo Railway e Companhia de Gás, os times eram formados por ingleses que moravam em São Paulo.
Produção e apresentação – Luiz Cláudio Canuto
Agência Rádio Câmara
porpjbarreto

Nathalia Bellar apresenta tributo à Elis Regina, no Tambaú Hotel

Cantora homenageia ícone da MPB com show “Elis Vive”, no dia 11 de maio, a partir das 20h

Na véspera do dia das mães, a sociedade paraibana presenciará um show emocionante, interativo e único, homenageando a inesquecível Elis Regina, símbolo da MPB. Comandado pela paraibana Nathalia Bellar, com o apoio dos músicos Igo Wendel (piano), Adriano Ismael (baixo, cello), Glauco Andrezza (bateria) e Jefferson dos Santos (percussão), o show “Elis Vive” acontece no dia 11 de maio, no auditório Sérgio Bernardes, localizado no emblemático Tambaú Hotel, a partir das 20h.

Grande inspiração musical de Nathalia, Elis Regina, a “pimentinha”, representa a mulher brasileira em seus diversos papéis, sendo assim celebrada nesta data tão especial. “É uma verdadeira honra interpreta-la, especialmente em uma data tão importante como essa, o Dia das Mães, que reúne tantas famílias. Será uma noite de muitas emoções”, declara a cantora.

Os ingressos para a grande noite estarão custando R$80 (inteira) e R$40 (meia-entrada). A produção é da Casa Amarela Produções, Vivass Assessoria e Comunicação e uma realização do Tambaú Hotel.

Serviço:

“Elis Vive”, por Nathalia Bellar

Data: 11 de maio de 2019 (sábado, véspera do Dia das Mães)

Local: Tambaú Hotel (Salão Sergio Bernardes)

Horário: 20h

Ingressos: R$80 (inteira) e R$40 (meia-entrada) – https://www.bilheteriaexpress.com.br/nathalia-bellar-apresenta-tributo-a-elis-regina-no-tambau-hotel.html

 

Assessoria de Imprensa

porpjbarreto

Hoje é o centésimo dia do ano

Hoje é o centésimo dia do ano.

A Música do Dia é “Ponteio”, de Capinam e Edu Lobo.

Produção e apresentação – Luiz Cláudio Canuto
Agência Rádio Câmara
porpjbarreto

Baiana System retorna à João Pessoa em apresentação única

Show acontece em 19 de maio, no Clube Cabo Branco. Ingressos estão à venda a partir desta quarta-feira (10)

Conhecidos pela inovação musical com a guitarra baiana e o sound system jamaicano, o grupo Baiana System retorna à João Pessoa no dia 19 de maio, apresentando seu mais novo disco de trabalho, “O Futuro Não Demora”. O show acontece a partir das 18h, no Clube Cabo Branco, em uma realização local da Coisa Boa Produções.

Formado em 2009, o Baiana System é um projeto musical que mistura desde ritmos como samba-reggae, frevo, afrobeat e MPB, como afirmam os integrantes Russo Passapusso, Roberto Barreto, SekoBass e Filipe Cartaxo. Entre composições que criticam a cultura política da Bahia e do Brasil, cantando as revoltas e as dores de uma sociedade esquecida, o grupo anima multidões nas folias de carnaval de Salvador e plateias ao redor do país.

Com três discos consolidados em sua carreira (Baiana System, Duas Cidades e Outras Cidades), o grupo lança “O Futuro Não Demora”, gravado em 2018 na Ilha de Itapatica, Bahia. Contendo 13 faixas, o disco conta com participações especiais de BNegão, Antonio Carlos & Jocafi, Curumin e o músico francês Manu Chao.

Os ingressos para o grande show do grupo já estão à venda no site da Bilheteria Digital, e a partir desta quinta-feira (11) estarão disponíveis para compra na General Store, localizada no Centro Histórico da cidade, de segunda à sábado das 10h às 22h, e nos domingos das 14h às 22h. Os valores são $40 (meia entrada), R$ 50 (ingresso social + 1kg de alimento) e inteira R$80. A censura do show é de 18 anos.

Serviço:

Baiana System – show em João Pessoa

Data: 19/05/2019

Horário: 18h

Local: Clube Cabo Branco

Ingressos: R$40 (meia entrada)

R$ 50 (inteira social + 1kg de alimento)

Vendas: General Store –  Av. Gen. Osório, 152 – Centro, João Pessoa

Bilheteria Digital – https://www.bilheteriadigital.com/baiana-system-sulamericano-show-19-de-maio

Censura: 18 anos.

Assessoria de imprensa 

porpjbarreto

Jeová propõe criação da Medalha Padre Inácio de Sousa Rolim a ser dada a quem se destacar no cenário educacional

Que sertanejo não conhece a célebre frase: “Cajazeiras, cidade que ensinou a Paraíba a ler”, atribuída ao poeta, advogado e político, Alcides Carneiro? A citação tem justificativa histórica e faz menção ao legado do Padre Inácio de Sousa Rolim (o Padre Rolim), que realizou uma verdadeira “revolução” educacional no município, por volta de 1829, atraindo estudantes de várias cidades e de outros estados do Nordeste com seu Colégio. Reconhecido em vida por seu trabalho com condecorações imperiais, elogios e referências ao seu ensino, algumas de suas principais horarias, agoraad memoriam são, sem dúvida, aquelas feitas pelos seus conterrâneos. O deputado estadual Jeová Campos (PSB), que é professor universitário, entendendo que “o Poder Legislativo, vigilante em sua missão de representar a população do estado da Paraíba em todos os seus setores, dentre eles o histórico, educacional e cultural” protocolou o projeto de Resolução nº 16/2019 que institui a Medalha “Padre Inácio de Sousa Rolim – PADRE ROLIM” a ser concedida às personalidades que se destacarem no cenário educacional. A proposta já tramita na Casa.

“Outros personagens de vulto cultural ou de renome histórico já foram agraciados e perpetuados no bronze por esta Casa Legislativa, em Medalhas. O Padre Rolim, na sua obstinação educacional, arregimentou jovens para lhes abrigar sob o mesmo teto e lhes transmitir as primeiras letras, marco inicial do mais importante educandário do estado da Paraíba. Por isto, este Parlamento faz justiça quando reconhece a importância de grande homem para o desenvolvimento da Paraíba”, defende Jeová Campos na justificativa de seu Projeto.

Seja o Anchieta do Norte, como foi cognominado pelo Imperador Dom Pedro II, o Educador dos Sertões, o Padre-Mestre Rolim, ou simplesmente Inacim, o fato é que a importância dessa personalidade para a Paraíba é inegável, ao ponto de o Padre Rolim ser considerado não só um “patrimônio de Cajazeiras”, mas de todos os paraibanos. Foram inúmeros os alunos que passaram pela escola do Padre Rolim entre 1829 e 1877. Alguns ilustres, como o Padre Cícero Romão Batista; Joaquim Arcoverde de Albuquerque Cavalcanti (cardeal Arcoverde); José Peregrino de Araújo (Governador da Paraíba); Leonardo Salgado Guarita (Promotor e desembargador do tribunal de Apelações do Rio Grande do Sul); desembargador José Manuel de Freitas, Juiz de Direito, presidente das Províncias do Piauí, Maranhão e Pernambuco); Padre José Tomás de Albuquerque, dentre outros tantos que se projetaram nos cenários político, cultural e social do país.

Assim, o deputado Jeová Campos, não apenas como cajazeirense que é, mas como paraibano que encampa diversas lutas em prol do desenvolvimento do estado,  defende que a ALPB tem o papel de referendar essa história e imprimir grandiosa obra de Rolim ad memoriam através da concessão de honrarias em reconhecimento aos trabalhos realizados nas áreas educacional e também religiosa. “Todos sabem que não sou afeito a honrarias e quando o faço tenho justificativas para tal iniciativa, como neste caso, que é até uma forma de gratidão a tão ilustre e iluminado ser humano, um educador na sua essência”, destaca Jeová.

O Projeto protocolado na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), no último dia 03, ainda traz a informação de que a horaria será concedida a cinco personalidades, anualmente, em sessão Solene no parlamento. O Projeto ainda será apreciado em plenário. Vale salientar que o Padre Mestre Rolim recebeu inúmeros convites para ir para outros estados, a exemplo de Pernambuco, como o grande mentor do processo educacional e desenvolvimentista que realizou, mas, ele renunciou a todas as honrarias para dedicar-se ao engrandecimento de sua terra natal. “Fico extremamente feliz em dar minha contribuição para reverenciar a memória deste grande educador e visionário, que enxergou na Educação o caminho para o crescimento das pessoas. Eu próprio, sou um exemplo de que a Educação muda o destino das pessoas”, reforça Jeová, na expectativa de que os deputados entendam a importância de sua iniciativa e aprovem a concessão da medalha.

Biografia de Inacim

Inácio de Sousa Rolim nasceu em 22 de agosto de 1800, no sítio Serrote, extremo oeste da capitania da Paraíba. Seus pais eram Ana Francisca de Albuquerque, e Vital de Sousa Rolim. Trazia nas veias o sangue de Jerônimo de Albuquerque (fidalgo português colonizador de Pernambuco) e do médico francês Isidoro Rolim (iluminista de Marselha). Inácio tinha poucos dias de vida quando seus pais passaram a morar na terra que receberam como dote de casamento e onde se formaria a fazenda das Cajazeiras.

Sua infância foi ao lado dos irmãos na fazenda. Mas, muito cedo já demostrou interesse pelas Letras. Aos 16 anos já falava fluentemente o Francês e estudava o grego e o Latim, o que levou os pais de Rolim a encaminharem o filho à cidade de Crato (CE) para preparar-se para o ingresso no Seminário de Olinda, onde ingressou em 1822. Durante o curso foi censor e bedel, sendo integrado ao corpo docente do Seminário como professor de Grego. Posteriormente, devido ao seu trabalho no Seminário, foi convidado pelo Governador de Pernambuco a fundar a cadeira de Grego no Ginásio Pernambucano. Lá, ele também editou sua Gramática Grega, impressa em Paris em 1856.

Padre Rolim era poliglota. Falava fluentemente dez línguas: francês, inglês, alemão, italiano, espanhol, latim, sânscrito, hebraico, tupi-guarani e grego. Em 30 de julho de 1825 recebeu a primeira tonsura e, no dia 31 de julho, as ordens menores, em Recife. Em agosto do mesmo ano foi ordenado subdiácono e no dia 2 de outubro de 1825, foi sagrado Presbítero. Não pôde voltar de imediato à sua terra natal. Continuou por um tempo em Olinda como professor do seminário, algo que exercia paralelamente ao cargo de Reitor.

Mas, em 1829, o Padre Rolim voltava à pequena povoação que se iniciava na fazenda dos seus pais. Ele fundou a escolinha de Serraria, uma pequena casa onde se serrava madeira, mas que passou a abrigar poucos estudantes. Depois, dado ao alto nível do ensino que habilitava seus alunos a ingressarem no curso superior, a procura pela sua escola foi crescendo volumosamente ao ponto de, em 1836, quando Rolim percebeu a repercussão de sua obra, dispôs-se a transferir a escola para um prédio de alvenaria.

O prédio, assim como o número de alunos, só ia aumentando. O historiador Celso Mariz disse: “A sua casa de ensino se fazia à proporção que chegavam os novos discípulos. Cada aluno esperava por seu teto, embora já encontrasse o seu livro”, (Através do sertão, 1910). Nos anos seguintes, a atividade do Padre Rolim já repercutia em todo Sertão e nas províncias próximas: Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte e Pernambuco. Assim, ele transformou a escola em colégio de instrução secundária. E, em torno do colégio foi crescendo o povoado. Em menos de 50 anos, passou de simples povoado à condição de Vila, sede de comarca e cidade, sendo, Rolim, o fundador da cidade de Cajazeiras.

O reconhecimento oficial aos seus méritos aconteceu no dia 14 de março de 1860, por Decreto, quando Dom Pedro II o condecorou com as insígnias da Ordem de Cristo, no Grau de Comendador. Pouco depois, foi mais uma vez condecorado pelo imperador que o agraciou com a Ordem da Rosa, pelos serviços prestados à causa da Educação. Foi patrono da cadeira de número 26 da Academia Paraíba de Letras. Uma iniciativa do Cônego Matias Freire, fundador da Academia. Em sua memória, tem-se a consagração de sua data natalícia, 22 de agosto, como “o dia da cidade”, um pleito da Câmara Municipal de Cajazeiras. Fez da história natural sua predileção. Publicou, já aos 82 anos, o Tratado de História Natural. Ainda escreveu uma gramática de Língua Portuguesa, um tratado de Filosofia e outro de Retórica.

Em 1877, o colégio fechou. O Padre Rolim não conseguia mais mantê-lo como antes. Ele faleceu no dia 16 de setembro de 1899, vitimado por uma astenia cardíaca senil. Ao longo de seus 99 anos, conta-se que Rolim não dormia em rede ou cama, preferindo utilizar como leito, duas caixas de madeira. Ele abstinha-se de comer carne, alimentando-se de leite, frutas e biscoito. Seu corpo foi venerado por cerca de 40 horas. Conta-se que seu corpo não exalava mau cheiro. A população de Cajazeiras já lhe atribuía virtude de santidade pela humildade de seus hábitos. Propagou-se rapidamente que ele morrera em “odor de santidade” e, assim passou a ser tratado pelos conterrâneos.

Assessoria de Imprensa