Categoria Policial

porpjbarreto

Gaeco recebe 5 mil mensagens, em uma semana; fluxo leva órgão a criar novo WhatsApp

Quase 5 mil mensagens foram recebidas pelo Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado do Ministério Público da Paraíba (Gaeco/MPPB), na última semana, através do aplicativo de mensagens WhatsApp. Os contatos resultaram em cerca de 2 mil denúncias, que estão sendo analisadas. Por causa do intenso fluxo, foi disponibilizado um novo número (83 9.8820-2679), através do qual o Gaeco poderá ser acionado, a partir de agora.

O e-mail gaecodenuncia@mppb.mp.br continua ativo também para o recebimento de denúncias de corrupção. Os canais de comunicação com a população foram criados no último dia 15. Por meio deles, os promotores de Justiça do Gaeco estão recebendo informações da população em diversos formatos (áudio, vídeo, texto e imagem), que estão sendo triadas e poderão ser investigadas, caso haja indícios de crimes cometidos.

As denúncias poderão abranger operações e investigações em curso (a exemplo de operações deflagradas, como ‘Xeque-Mate’, ‘Cartola’, ‘Cidade Luz’ e ‘Calvário’) ou novos fatos e casos, no âmbito criminal. Assim, além da possibilidade de municiar o órgão ministerial com documentos e informações, os cidadãos poderão participar ativamente da luta contra a corrupção, exercendo o controle social.

Assessoria de Imprensa – MPPB

porpjbarreto

CASO MARIELLE: PF cumpre mandatos para apurar supostas tentativas de prejudicar as investigações

Onze meses se passaram e a autoria dos crimes ainda é desconhecida

Nesta quinta-feira (21), policiais federais cumpriram oito mandados de busca e apreensão para apurar supostas tentativas de prejudicar as investigações dos homicídios da vereadora Marielle Franco e do seu motorista, Anderson Gomes.

Os mandados foram autorizados pela Justiça, mas a Polícia Federal não pode dar mais detalhes, afinal, esta é uma apuração sigilosa. O que se sabe é que esta investigação teve início em novembro de 2018, quando os policiais começaram a receber denúncias de que agentes do estado estariam agindo para prejudicar as investigações do caso.

Segundo a PF, os agentes federais não estão apurando a autoria ou a motivação dos assassinatos, mesmo porque isso é responsabilidade da Polícia Civil. As investigações se restringem à identificação de entraves e obstáculos dirigidos à investigação dos crimes.

Neste mês, completou 11 meses que a vereadora e o motorista foram mortos a tiros, no centro do Rio de Janeiro, depois de um evento político. Onze meses se passaram e a autoria dos crimes ainda é desconhecida.

 

Repórter Cintia Moreira

Agência do Rádio

porpjbarreto

Bolsonaro sofre 4 duros golpes em um único dia. Hoje ele tenta sair da lona

Bolsonaro sofre 4 duros golpes em um único dia. Hoje ele tenta sair da lona

O presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), acordou com o pé esquerdo nesta terça (18). Em poucas horas, foi golpeado quatro vezes. Aos fatos:

1 – No começo da tarde, a revista Veja divulgou conversas de WhattsApp entre Bolsonaro e Gustavo Bebianno, demitido do posto de secretário-geral da Presidência. Os 12 áudios revelam uma escalada de tensão entre o presidente e o ex-ministro no caso dos laranjas do PSL.  Em entrevista à rádio Jovem Pan, Bebianno completou o entrevero: “Fui demitido por Carlos Bolsonaro”, referindo-se ao filho do presidente que o chamou de mentiroso.

2 – Na primeira derrota do governo no Congresso, a Câmara dos Deputados derrubou o decreto do vice-presidente, Hamilton Mourão, que alterou as regras da Lei de Acesso à Informação (nº 12.527/2011) – aquele que permitia a assessores classificassem dados do governo como secretos ou ultrassecretos.

3 – No STF, Bolsonaro também perdeu. O ministro Marco Aurélio Mello manteve a condenação do presidente a pagar R$ 10 mil à deputada Maria do Rosário (PT-RS) por danos morais.

4 – Se o presidente foi condenado, o opositor Jean Wyllys (PSOL-RJ) foi inocentado por injúria, calúnia e difamação. Quando eram deputados, o ex-colega de Câmara acusou Bolsonaro de lavagem de dinheiro e o chamou, em uma entrevista, de “burro”, “fascista”, “desonesto”, entre outros adjetivos pesados.

E as prioridades?

Outro ponto que pode obrigar Bolsonaro a se movimentar ‘no ringue’ é o fato de que os cargos do 3º escalão viraram moeda de troca para aprovar a Previdência e o pacote anticrime, como conta nossa correspondente Jéssica Sant’Anna. Contudo, a oportunidade para o presidente erguer a cabeça e tocar o barco é nesta quarta-feira (20). A Jéssica também conta como o presidente vai entrar em campo para buscar apoio à reforma da Previdência.

Uma das maneiras é entregar pessoalmente a proposta de reforma da Previdência ao presidente da Câmara dos deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ). Nosso editor Fernando Jasper abriu uma boa questão: Será que Bolsonaro vai mexer no maior vespeiro da Previdência? Logo, logo teremos a resposta, mas a Bolsa está otimista e fechou em alta.

Se por um lado Bolsonaro saiu arranhado na terça (19), o ministro da Justiça, Sergio Moro, bem que tentou sair por cima. Ele seguiu a estratégia do chefe do executivo e entregou pessoalmente o projeto de lei anticrime a Maia. De Brasília, Kelli Kadanus conta essa história e mostra ainda que o único problema é que, na mesa de negociações, Moro teve que fatiar o projeto ao apresentar a criminalização do caixa 2 de forma separada.

Para combater o crime, contudo, tem gente querendo verba – e não tem nada de errado com isso. São os estados que se unem à Bancada da Bala em busca de dinheiro para segurança pública. A Kelli acompanhou de perto.

E mesmo sem Moro, o pessoal da Lava Jato segue firme no combate à corrupção. A operação  driblou Gilmar Mendes ao levar Paulo Preto para Curitiba e, após ser alvo de uma nova fase da Operação, o ex-chanceler e ex-senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB) pediu demissão da presidência da Investe SP.
Em outra frente da Polícia Federal, pior para o presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Braga de Andrade, preso pela manhã. A suspeita é que o Sistema S, ligado à CNI, celebrou contratos de R$ 400 milhões com empresas de fachada. O martírio na cadeia durou poucas horas: no fim da tarde, Andrade foi solto.

Demissões em massa?

Notícia ruim mesmo tiveram os trabalhadores da Ford. A empresa anunciou que irá fechar a fábrica de São Bernardo do Campo, no ABC Paulista. No setor aéreo, novo revés para a Avianca, que está recuperação judicial. A Anac exigiu que a empresa devolva aeronaves. E a Embraer também cambaleou: Associação Brasileira de Investidores, a Abradin acusa executivos de induzirem investidor a erro.

Por outro lado, a Honda vai investir R$ 500 milhões em Manaus. Porém, a ideia é modernizar a fabrica e não deve gerar novos empregos. Vagas mesmo foram abertas no Canadá: a província de Québec está intensificando a busca por talentos brasileiros. Esta Gazeta explica como participar: são 400 empregos abertos.

Ativismo judicial em alta 

Se as prioridades do Governo neste início de ano no Congresso fogem às pautas de costumes, o Supremo vem tomando essa frente. Na mesma semana em que o STF iniciou o julgamento sobre a possível criminalização da homofobia, a Associação dos Magistrados Brasileiros publicou uma pesquisa que mostra que os juízes consideram legítimo agir como legisladores. Em editorial, esta Gazeta se posiciona sobre o tema:

” Quando um juiz, desembargador ou ministro de tribunal superior força suas próprias convicções sobre a sociedade a despeito da existência dos outros poderes, a despeito que dizem as leis elaboradas por representantes do povo, a despeito do que a sociedade deseja, ele está agindo menos como um juiz e mais como um déspota esclarecido.”

De olho no caso do jogador Daniel

Justiça também é o tema do momento no Paraná. O segundo dia de audiência sobre o assassinato de Daniel foi marcado pelos depoimentos dos familiares do atleta. A mãe do jogador ficou frente a frente com os Brittes, réus confessos. Por lá, advogados trocaram farpas. Nossa equipe de jornalistas Durval Ramos, Gustavo Ribeiro e Cecília Tümler mostram os detalhes.

Voltando à Brasília, os  deputados federais do Paraná elegeram o coordenador da bancada na Câmara. Apesar dos discursos de renovação, quem ficou no cargo foi um velho conhecido. O correspondente João Frey conta como foi essa eleição.

O estado também discute o fim da taxa antidumping cobrada do leite em pó vindo da Europa. O debate que tomou conta do agronegócio não tem consenso e o Paraná foi a Brasília cobrar que o governo federal volte a proteger os produtores. Como? Cobrando uma taxa de importação ainda maior. Alex Silveira conta essa história.

Já o governador do estado, Ratinho Júnior, está enfrentando críticas de ambientalistas. O presidente da ONG Sociedade de Pesquisa em Vida Selvagem e Educação Ambiental (SPVS), Clóvis Borges, criticou a decisão de tirar o poder de licenciamento ambiental do Colit – Conselho de Desenvolvimento Territorial do Litoral Paranaense. Segundo ele, a medida silencia a discussão ambiental no Litoral. Entenda melhor essa confusão na matéria de Giulia Fontes.

Do Paraná para o mundo

A Espanha acaba de ganhar sua primeira casa de vidro flutuante. O intuito é ampliar a experiência turística no Mediterrâneo. O projeto é de baixo impacto ambiental e se destaca por diversas soluções tecnológicas.

Perto dali, a França e a Bélgica enfrentam uma decisão difícil. Qual é a responsabilidade desses países em relação à segurança das crianças filhas de cidadãos europeus radicalizados que fugiram para os territórios do Estado Islâmico? Enquanto os tribunais se preparam para decidir se crianças de até seis anos serão repatriadas, o debate se intensifica.

Por bandas sul-americanas, o governo brasileiro anunciou que montará uma força-tarefa em Roraima para a entrega de ajuda humanitária à Venezuela. Alimentos e medicamentos enviados pelos Estados Unidos devem aliviar a escassez de bens básicos que causa desnutrição e doenças no país.

Recomendações de nossos jornalistas

Hora de colocar o pé no freio com leituras que podem melhorar sua qualidade de vida. Confira as recomendações de jornalistas da Gazeta do Povo:

Boas leituras e um ótimo dia!

 

Fonte: Gazeta do Povo

porpjbarreto

Presidentes de três federações das Indústrias e da CNI são detidos

Eles são suspeitos de fraude em convênios com entidades do Sistema S

Os presidentes das federações das Indústrias de Alagoas (Fiea), da Paraíba (Fiep) e de Pernambuco (Fiepe) foram presos hoje (19) em Brasília. José Carlos Lyra de Andrade (Alagoas), Francisco de Assis Benevides Gadelha (Paraíba) e Ricardo Essinger (Pernambuco) são alvo da Operação Fantoche, deflagrada pela Polícia Federal (PF), em parceria com o Tribunal de Contas da União (TCU).

Na mesma operação, foi preso o presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Andrade, além de seis investigados cujos nomes ainda não foram confirmados. Todos os 10, detidos em caráter temporário, são suspeitos de integrar uma organização criminosa acusada de fraudar convênios do Ministério do Turismo com entidades do Sistema S (Sesi, Senai, Sesc, Sebrae).

Além dos 10 mandados de prisão temporária, 40 mandados de busca e apreensão autorizados pela 4ª Vara Federal da Seção Judiciária de Pernambuco estão sendo cumpridos nos estados de Pernambuco, Minas Gerais, São Paulo, da Paraíba, de Mato Grosso do Sul e Alagoas e no Distrito Federal.

Robson Andrade, Lyra de Andrade, Gadelha e Essinger foram detidos em Brasília, onde participariam da reunião mensal da CNI. Em notas, cuja redação é idêntica, a CNI e as federações afirmam que os dirigentes das entidades estão prestando depoimento à PF, na capital federal.

A Federação das Indústrias de Pernambuco diz ainda que todos os convênios assinados pela entidade “atendem, criteriosamente, às exigências licitatórias previstas em lei” e que está à disposição para colaborar com as autoridades responsáveis pela investigação. A Federação das Indústrias de Alagoas argumenta que não teve acesso à investigação e afirma acreditar que “tudo será esclarecido”.

De acordo com a PF, o grupo atua desde 2002 e pode já ter movimentado mais de R$ 400 milhões. O dinheiro era movimentado por meio de contratos e convênios que entidades de direito privado, sem fins lucrativos, assinavam com o Ministério do Turismo e com unidades do Sistema S. A maior parte dos contratos previa a execução de eventos culturais e de publicidade. Superfaturados, não eram integralmente executados e os valores desviados eram destinados a empresas controlados por uma mesma família – cujo nome não foi revelado.

Em nota, o Ministério do Turismo informou que já tinha determinado uma auditoria completa em todos os instrumentos de repasse antes mesmo de tomar conhecimento da investigação da PF. A auditagem resultou no cancelamento de um contrato no valor de R$ 1 milhão.

“O Ministério do Turismo, que não é alvo das buscas e apreensões da Operação Fantoche, está totalmente à disposição para colaborar com a investigação”, diz a pasta, destacando não ter firmado nenhum novo convênio este ano. “Todos os convênios investigados pela Polícia Federal são das gestões dos presidentes petistas Lula e Dilma Rousseff”, diz o texto.

 

Agência Brasil

poradmin

Mulher é presa após tentar entrar com droga escondida em creme dental no Presídio de Cajazeiras

No último sábado (16), agentes penitenciárias do Presídio Padrão de Cajazeiras, conseguiram deter em flagrante delito, a popular Fabrícia Aguiar Gomes, de 23 anos.

Fabrícia, tentou entrar na unidade prisional com droga escondida em um creme dental.

A droga seria entregue ao apenado identificado por Fábio dos Santos Filho.

Ela foi detida e levada à Cadeia Pública Feminina de Cajazeiras, onde ficara à disposição da Justiça.

 

Com informações de Ângelo Lima

poradmin

Gaeco cria canais para denúncias sobre corrupção

O Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado do Ministério Público da Paraíba (Gaeco/MPPB) criou novos canais para denúncias de corrupção. Os promotores de Justiça poderão receber informações da população (em diversos formatos), através do aplicativo de mensagens WhatsApp, pelo número (83) 99387-1168 ou pelo e-mail gaecodenuncia@mppb.mp.br. O Gaeco garante o sigilo da fonte.

As informações poderão abranger operações e investigações em curso ou novos fatos e casos, no âmbito criminal, que os cidadãos levem ao conhecimento do Ministério Público. Dessa forma, além da possibilidade de municiar o órgão ministerial com documentos e informações, os cidadãos poderão participar ativamente da luta contra a corrupção, exercendo o controle social.

O Gaeco possui várias investigações em curso, sendo que algumas delas resultaram em operações que tiveram destaque nos meios de comunicação, como a ‘Xeque-Mate’, a ‘Cartola’, a ‘Cidade Luz’, a ‘Calvário’ e a que envolve gestores de Bayeux.

O Gaeco funciona no Núcleo Criminal do Ministério Público, cuja sede está instalada na Avenida Diogo Velho, na Capital.

Assessoria de Imprensa – MPPB

porpjbarreto

Presidente da Câmara Municipal de Cajazeiras emite Nota de Pesar pelo falecimento de José Ronaldo da Silva

O Presidente da Câmara Municipal de Cajazeiras – Vereador José Gonçalves de Albuquerque, “Deosinho da Arara” e, demais pares, vem por meio desta, manifestar o mais profundo e sincero pesar à família do Senhor José Ronaldo da Silva, de 51 anos de idade, vítima de infarto fulminante ocorrido na manhã desta quinta-feira (14) em sua residência, na cidade de Cajazeiras. Ronaldo da Silva, era irmão da Vereadora Léa Silva.

José Ronaldo da Silva, tinha 51 anos.

Redação – fmrural.com

porpjbarreto

Polícia Militar prende dupla acusada de roubar motocicleta em Bonito de Santa Fé, no Sertão paraibano

Na noite da última quarta-feira (13), policiais militares de Bonito de Santa Fé e, da Companhia de Conceição – prenderam em flagrante delito dois indivíduos instantes depois de roubarem mediante ameaça com arma de fogo, uma motocicleta Honda CG, 150cc, Titan, de cor vermelha, placa: MNW – 0084.

De acordo com as diligências por volta das 22 horas, a Guarnição de Rádio Patrulha da cidade de Bonito recebeu uma ligação telefônica na linha solidária da PM, dando conta de que a dupla teria roubado uma motocicleta de um funcionário da garagem “Biu Turismo” em seguida teriam fugido com destino a cidade de Conceição.

De posse das informações iniciais bem como das características dos acusados, os militares de Bonito solicitaram apoio as Guarnições da Companhia de Conceição, os quais montaram uma barreira policial na entrada da cidade e conseguiram abordar os acusados ainda na motocicleta roubada.

Os acusados foram identificados como David Pereira de Sousa, de 18 anos e Janiedson Carvalho Vieira, de 25 anos de idade, ambos natural de Conceição, os quais, no momento da abordagem portavam um revólver calibre 32 com a numeração suprimida, municiado com três cartuchos intactos e um simulacro de pistola.

Após receberem voz de prisão os acusados foram conduzidos para a Delegacia de Conceição, para as providências legais juntamente com a motocicleta roubada e as armas apreendidas.

 

Com informações da PM

porpjbarreto

Polícia Militar prende suspeitos de ataque a Banco na cidade de São João do Rio do Peixe

A PM apreendeu sete motos, um carro, mais de 2.500 reais e uma pistola calibre 9 milímetros usados na ação.

A Polícia Militar prendeu, na noite da última quarta-feira (13), oito integrantes de uma quadrilha suspeita de explodir o Banco do Brasil de São João do Rio do Peixe, na madrugada da terça (12), no Sertão da Paraíba. Eles foram presos em um sítio, entre as cidades de Santa Cruz e São Francisco.

Com os suspeitos, a PM apreendeu sete motos, um carro, mais de 2.500 reais e uma pistola calibre 9 milímetros – que teria sido usada na ação, já que estojos de mesmo calibre foram encontrados no local do crime.

De acordo com o tenente Thiago Feitosa, do 14º Batalhão, o bando já vinha sendo procurando pela PM.

“Já tínhamos informações sobre esse grupo, que teria atuação criminosa não só na Paraíba, mas também no Rio Grande do Norte, e depois da explosão ao banco de São João do Rio do Peixe, foi montada essa operação que conseguiu chegar ao local exato onde eles estavam escondidos”, disse.

O sítio onde os suspeitos estavam ficava em um local de difícil acesso. Eles estavam bebendo, possivelmente em comemoração ao crime, quando foram cercados pelos policiais militares. A operação contou com equipes do Batalhão de Operações Especiais (Bope), Ronda Ostensiva Tática com Apoio de Motocicletas (Rotam) e Força Tática do 14º Batalhão, além do 12º Batalhão.

Os presos, com idades entre 28 e 55 anos, são todos paraibanos. Eles foram levados com o material apreendido para a Delegacia de Polícia Civil, em Sousa. Três deles já tinham passagens pela polícia por homicídio, porte ilegal de arma e lesão corporal.

Prisões de suspeitos de ataques a bancos – A Polícia Militar prendeu 107 suspeitos de ações contra bancos na Paraíba, no ano de 2018, com a apreensão de mais de 70 armas e vários explosivos usados pelos criminosos nos crimes.

 

Com informações de wscom

porpjbarreto

Recorrente: Polícia investiga ‘cemitério’ de animais em Cajazeiras, Sertão da Paraíba

Investigação começou após denúncia feita por grupo de ativistas da causa animal.

A Polícia Civil está investigando um local utilizado para o “descarte” de animais mortos, na cidade de Cajazeiras, localizada no Sertão paraibano. De acordo com o delegado Francisco Filho, as investigações começaram após um grupo de ativistas da causa animal ter feito uma denúncia, na última segunda-feira (11), de que a Prefeitura de Cajazeiras estaria jogando os cadáveres em um “cemitério clandestino” de animais.

De acordo com a denúncia do grupo de ativistas, no local, um terreno da prefeitura, há cadáveres de vários animais, incluindo caninos, equinos, bovinos e caprinos, sendo alguns deles em estado de decomposição. O grupo também protocolou, junto ao Ministério Público, um documento para que o caso seja investigado.

“Estamos apurando se os animais que estão sendo colocados lá têm alguma documentação que comprove a existência de alguma doença para justificar uma eutanásia. Ontem encaminhamos uma equipe da perícia ao local e foi realizada a coleta do material para averiguar se os animais depositados estavam, de fato, doentes, a fim de saber se a prefeitura está fazendo o procedimento da forma correta”, disse Francisco Filho.

No local, há cadáveres de vários animais, incluindo caninos, equinos, bovinos e caprinos — Foto: Solange Santos

No local, há cadáveres de vários animais, incluindo caninos, equinos, bovinos e caprinos — Foto: Solange Santos

De acordo com a coordenadora do Centro de Zoonoses de Cajazeiras, Cléo Moura, há muitos anos que o local é utilizado para colocar os animais mortos, no entanto, ela assegurou que, por parte da Prefeitura, o descarte dos cadáveres não acontece de forma ilegal.

“Os animais que são colocados lá pelo Centro de Zoonoses são animais que apresentaram doenças como cinomose e leishmaniose. Existe um banco de dados, com exames e os termos de eutanásia. Outra coisa que vale destacar é que não são só animais de ruas que são colocados lá. São animais que têm tutores, também. Tudo é feito com base em exames e documentação. Não é só o Zoonoses que descarta animais lá. A própria população também faz isso”, pontuou a coordenadora.

O delegado Francisco Filho informou que o fato de haver denúncias de que a própria população também estaria colocando cadáveres de animais no terreno é um agravante que também está sendo investigado. “Vamos apurar todas as informações. Solicitamos da Prefeitura a documentação dos animais que são colocados lá. E, sobre a perícia, em um período de um mês devemos ter o resultado dela”, concluiu.

Polícia investiga se população também estaria colocando cadáveres de animais no terreno — Foto: Solange Santos

Polícia investiga se população também estaria colocando cadáveres de animais no terreno — Foto: Solange Santos

 

G1-PB