Categoria Paraíba

porpjbarreto

Após registro de quatro feminicídios em uma semana, Estado emite nota

Quatro casos de feminicídios foram registrado em uma semana no estado. Diante do número alarmantes, a Secretaria de Estado da Mulher e da Diversidade Humana (SEMDH) emitiu nota lamentando a morte das quatro mulheres. Os crimes aconteceram nos municípios de João Pessoa, Campina Grande e Sousa.

Através do comunicado, a Secretaria chama atenção para o combate à violência contra a mulher e incentiva a denúncia, O silêncio é cúmplice da violência”, diz a nota.

Além de se solidarizar com as famílias, o órgão lembra que as denúncias de casos de violência devem ser feitas através dos números 190 ou 197.

Confira a nota na íntegra:

Nota de Pesar e de Solidariedade

A Secretaria da Mulher e da Diversidade Humana (SEMDH) lamenta com pesar os quatro casos de feminicídios registrados, na última semana, em João Pessoa, Campina Grande e Sousa.

Cada mulher assassinada nos afeta, nos indigna e representa uma parte de nós, inseridas no contexto de opressão e violência doméstica, imposto pela cultura do machismo que demarca as relações de gênero e o controle sobre a vida das mulheres.

Alertamos para que toda a sociedade se empenhe na proteção às mulheres que vivem situações de violência. O silêncio é cúmplice da violência, já dizia o movimento de mulheres na década de 1990.

Precisamos unir os esforços, numa grande aliança, entre governo, instituições, organizações sociais, movimentos sociais, escolas, serviços de saúde, sindicatos, igrejas, famílias e sociedade para mudar a cultura machista, proteger as mulheres e enfrentar a violência de gênero.

O governo do Estado, por sua vez, vem implementando políticas públicas intersetoriais,  com ações de repressão por meio de uma parceira contínua da SEMDH com a Secretaria de Segurança e Defesa Social (SEDS); aumentando as delegacias especializadas de mulheres, implantando o Programa SOS Mulher e a Patrulha Maria da Penha. 

Na área de assistência foram criados a Casa Abrigo, Centro Estadual de Referência da Mulher em Campina Grande e Centro Regional de Referência da Mulher em Sumé, realizadas capacitações com mais de 5 mil policiais, dialogado com CREAS, entre outras ações. 

No campo da prevenção, são feitas campanhas de mídia, atuação nas escolas com a Secretaria de Educação (SEE) com o intuito de cuidar dos meninos, meninas e jovens para que sejam educados na perspectiva de igualdade de gênero, sem assimilar o machismo como prática de vida.

Buscamos e não medimos esforços para promover uma mudança de mentalidade e isso só será possível se trabalharmos unidos (as).

Nos solidarizamos com as famílias – filhas, filhos, parentes, movimento de mulheres e feminista. Pedimos sororidade em favor da vida das mulheres!

Em caso de violência contra mulheres, ligue 190 ou 197! Denuncie! 

#Naofiquecalada #Juntaspodemosmais.

porpjbarreto

Botafogo vence Campinense e se torna tricampeão paraibano

O Botafogo-PB sagrou-se campeão paraibano pela terceira vez seguida. O título veio na tarde do último sábado (20), no estádio Almeidão, ao vencer o Campinense por 2 a 0. Logo aos três minutos de jogo quando Clayton recebeu bom passe em velocidade e tocou com frieza por baixo das pernas de Wagner Coradin e aos 50 minutos, quando a torcida do Belo já ensaiava o grito de campeão, Paulo Renê saiu em liberdade na frente de Wagner e concluiu para sacramentar a conquista.

O Belo conquistou o seu 30º título paraibano em sua história, e volta a conquistar um tricampeonato depois de 49 anos.

O camisa 7 do Botafogo-PB, Clayton, acabou sendo o artilheiro do Campeonato Paraibano, com sete gols marcados.

O rubro negro é vice campeão pelo segundo ano seguido do Estadual da Paraíba, perdendo as duas últimas finais para o time de João Pessoa.

Com a conquista do título, o Belo garantiu participação na fase de grupos da Copa do Nordeste e Copa do Brasil na próxima temporada. Já a Raposa vai participar da seletiva do Nordestão, nos dias 01 e 08 de maio e garantiu também participação na Copa do Brasil e Série D em 2020.

Após a conquista, o Botafogo vai tentar subir da Série C para a Série B do brasileirão. O time irá fazer sua estreia na terceirona no próximo domingo (28) diante do Ferroviário-CE, às 17h, no Almeidão.

 

Fonte: PB Esportes

porpjbarreto

Violência: Mulher morre com tiro na cabeça no Sertão da Paraíba

O principal suspeito do crime é o marido da vítima, que teria fugido do local e levado a arma

Uma mulher morreu com um disparo de arma de fogo na cabeça, na noite da última sexta-feira (19), em Sousa, no Sertão da Paraíba.

Fabiana Ferreira da Silva, tinha 30 anos, era agricultora. Ela foi encontrada morta em um sítio onde esteve em uma festa na companhia do marido.

O Serviço de Atendimento Médico de Urgência (SAMU), foi acionado por volta das 23 horas, para atender uma ocorrência de vítima ferida com disparo de arma de fogo na cabeça.

De acordo com a Polícia Militar do 14º BPM de Sousa, o principal suspeito do crime é o marido da vítima, que teria fugido do local e levado a arma. A área onde o corpo foi encontrado foi isolada para o trabalho da perícia.

Ainda não há informações sobre o que teria motivado o crime. Até o momento, ninguém foi preso. Com informações de ClickPB

porpjbarreto

Vereador recebia salário dos assessores e cobrou devolução de compra de voto na Paraíba

Informações foram fornecidas por testemunhas durante depoimentos na Delegacia Especializada Contra o Crime Organizado

O vereador Malba de Jacumã (Solidariedade) recebia parte dos salários dos seus assessora da Câmara Municipal de Conde, e além disso realizou compra de votos nas eleições 2016. Dentro do caso de compra de sufrágios, o parlamentar chegou a cobrar a devolução da compra de um voto. As informações foram fornecidas por testemunhas durante depoimentos na Delegacia Especializada Contra o Crime Organizado (Decor).

Joselito Carlos revelou que Malba comprou seu voto por R$ 700, mas ao descobrir que ele votaria em outro candidato o vereador foi cobrar devolução do valor. “Eu já tinha gasto R$ 350, devolvi R$ 350. Eu disse ‘voto em quem eu quero’, ele disse ‘quando eu ganhar, você vem atrás de mim’”, declarou em depoimento.

Já a ex-assessora Gisélia Salustina disse que Malba já a convidou para trabalhar como assessora com a divisão dos valores impostos como condição para o cargo. “Ele me chamou e disse que ia me dar uma ajuda de R$ 400 para dividir com outra pessoa”, afirmou. Ela nunca recebeu ou endossou cheques, sempre recebia o dinheiro vivo das mãos de Malba.

O ex-assessor Diego Sena, que divulgou um áudio que repercutiu nas redes sociais e WhatsApp, revelou que após fazer a denúncia de que era um funcionário fantasma de Malba e que devolvia parte do seu salário para o vereador, a esposa e um assessor dele o procuraram. A condição era um cargo, com valor integral do salário, em troca de seu silêncio.

De acordo com o delegado Allan Terruel, Malba confirmou que esteve na casa de Diego e que pediu para acompanhar ele na delegacia. “[Objetivo era] tentar manipular a todo momento as informações que seriam prestadas. Durante o depoimento chegou a ligar para Diego, uma tentativa de dissuadi-lo novamente para que não fosse prestada a informação. Está muito referenciada essa tentativa de impedir que Diego fale”, afirmou o delegado.

Pagamentos sem controle

O tesoureiro da Câmara, Elias Ferreira, foi chamado para prestar depoimento sobre o controle das remunerações, que são feitas através de cheques nominais. Ele informou que o controle dos salários era feito de forma parcial. “Alguns sim outros não [eram registrados], numa lista que tínhamos”, declarou.

O delegado chegou a classificar o controle dos pagamentos como um negócio entre amigos. “Apesar de se tratar do dinheiro público, o bem público que estava sendo administrado, era praticamente um grupo de amigos sem controle nenhum, sem formalização ou um protocolo de documentos, de controle de pagamentos. Tem assessores que nunca receberam o título de créditos, outros recebiam por ele”, contou Terruel.

No caso de Fernando Boca Louca (PDT), o primeiro vereador a ser investigado por esse tipo de ilícito, ele mesmo pegava os cheques nominais na Câmara e depois depositava na própria conta, falsificando assinaturas. Fonte: Paraíba Já

porpjbarreto

Justiça decreta prisão de três pessoas pelas mortes na Muzema

Acusados são considerados foragidos pela polícia

“Zé do Rolo” seria um dos construtores responsáveis por pelo menos um dos prédios que desabou na Favela da Muzema – Reprodução.

A delegada Adriana Belém, titular da 16ª Delegacia de Polícia (Barra), pediu e a Justiça decretou a prisão temporária de três pessoas ligadas ao desabamento dos dois edifícios na comunidade da Muzema, que já deixou 20 mortos confirmados e três moradores ainda desaparecidos.

Ela explicou que o pedido à Justiça só foi possível a partir dos depoimentos de algumas testemunhas, ocorridos ontem (18), que reconheceram os três: o construtor José Bezerra Lira, o Zé do Rolo (foto), e os vendedores Rafael Costa e Renato Ribeiro. Todos foram indiciados por homicídio com dolo eventual, por 20 vezes (número de mortos até o momento). Os três já são considerados foragidos por não terem se apresentado à Justiça, segundo a Polícia Civil.

“Nós tínhamos a informação de que seriam eles. Ontem foi o nosso primeiro contato com as vítimas, que em princípio resistiam, por motivos óbvios, mas confiaram no nosso apelo, foram lá e reconheceram. Nós pedimos a prisão desses três, que foram efetivamente reconhecidos, como o construtor e dois vendedores”, explicou a delegada.

A Muzema é uma área na zona oeste, em Jacarepaguá, controlada por milícias, que promovem a construção irregular e ilegal de imóveis, em áreas ambientais, sem nenhuma autorização da prefeitura nem engenheiro responsável. O solo na região é arenoso e os dois prédios desabaram no início da manhã do dia 12, poucos dias depois que uma chuvarada atingiu fortemente a cidade.

De acordo com a Polícia Civil, o envolvimento dos acusados com a milícia está sendo investigado pela Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco).

EBC

porpjbarreto

Policiais militares de São José de Piranhas prendem acusado de homicídio na madrugada desta “Sexta-Feira-Santa”

Foi por volta das 03 horas e 30 minutos, da madrugada de hoje, sexta-feira (19), que a Central de Comunicações da Companhia de São José de Piranhas, no Sertão paraibano – recebeu através do número de emergência (190), uma ligação dando conta, que havia um corpo caído ao solo, no Bairro São Sebastião, na saída para o Distrito de Piranhas Velha, quando de imediato as guarnições de serviço foram averiguar a informação.

Chegando ao local, a guarnição confirmou que o pedreiro, José da Silva Oliveira já estava em óbito, vítima de perfurações de arma branca, as guarnições iniciaram diligências e chegaram ao suspeito de iniciais J.L.O., de 20 anos de idade, o qual foi encontrado em sua residência a poucos metros do local do crime.

O suspeito estava com escoriações no pescoço e nas mãos além de estar com as pernas respingadas de sangue possivelmente da vítima, pesando contra o mesmo, o fato de que à noite, às guarnições foram atender um chamado em que o suspeito estava armado com uma faca peixeira gritando que iria beber sangue, ocorrência esta em que o acusado conseguiu escapar das guarnições pulando vários muros e adentrando num matagal.

Vale destacar que o suspeito saiu da prisão na última segunda-feira (15/04), onde responde pelo incêndio e roubo das armas do Fórum da cidade de São José de Piranhas.

A princípio o suspeito nega a autoria do homicídio no entanto seus álibis não foram confirmados, motivo pelo qual J.L.O, foi apresentado na Delegacia de Polícia Civil, para tomada das providência legais, juntamente com as três armas brancas encontradas em sua residência.

Com Assessoria de Imprensa – 6ºBPM

porpjbarreto

Música: Hoje é comemorado o Dia do Índio

A Música do Dia é “Curumim Chama Cunhatã que Eu Vou Contar“, com Jorge Benjor.

Produção e apresentação – Luiz Cláudio Canuto
Agência Rádio Câmara
porpjbarreto

Polícia procura paraibano ‘Zé do Rolo’, que seria o responsável por prédios na Muzema, no RJ

Até agora, desabamentos de dois prédios na favela da Muzema, no Itanhangá, contam 20 mortos. Ainda há desaparecidos

Seis dias depois do desabamento de dois prédios, na favela da Muzema, no Itanhangá, a Polícia Civil procura José Bezerra de Lira (foto), conhecido como “Zé do Rolo” e “Zé Roleiro”. Ele seria o responsável pelas construções que desabaram, deixando pelo menos 20 mortos. Através de anúncios na internet, a polícia investiga a participação de outras pessoas que possam estar envolvidas na venda de imóveis irregulares naquela região.

Segundo um morador ouvido pelo DIA, “Zé do Rolo” é morador da favela do Rio das Pedras, vizinha à Muzema. Ele mantém uma outra construção irregular na localidade conhecida como “Areal” – trecho da favela do Rio das Pedras que fica às margens da Lagoa da Tijuca. Ainda segundo este morador, que pediu para não ser identificado, Zé teria viajado para a Paraíba no dia seguinte à tragédia.

Na quarta-feira (17), bombeiros localizaram o 20º corpo entre os escombros. Segundo a Prefeitura, 16 prédios do Condomínio Figueiras do Itanhangá serão demolidos. Três deles são vizinhos aos dois que desabaram.

Venda de imóveis envolve construtoras de amigos de milicianos

Conforme o DIA já havia noticiado, os prédios que foram erguidos no Condomínio Figueira do Itanhangá foram construídos em um esquema que envolve milicianos e construtoras. Tudo isso sob a supervisão do chefe do grupo paramilitar que domina a área da Zona Oeste do Rio, o major da PM Ronald Paulo Alves Pereira, que está preso desde o início do ano. De acordo com moradores, que preferem não se identificar temendo represálias, os milicianos invadem os terrenos e passam para as construtoras de amigos. A Polícia Civil já sabe que há construtoras contratadas pelos milicianos, com nomes de construtores envolvidos nos empreendimentos.

“Dependendo do tamanho do terreno, a construtora entrega de quatro a cinco apartamentos naquele prédio”, disse um morador.

O major Ronald fica com parte das transações, que são feitas pelos “soldados”, como ele chama seus comparsas.

Dentre as construtoras, duas se destacam: as dos irmãos Paulo e Danilo Ferro – que moram no condomínio -, além das de Raimundo Carneiro e Roberto Rodrigues. Roberto vendia os prédios nas redes sociais. Ele excluiu todos os perfis de suas redes socais desde o desabamento. Os prédios que desabaram na sexta teriam sido construídos por Raimundo.

“Eles são pedreiros e ficaram muito ricos desde que começaram a entrar nesse esquema”, o morador acrescentou.

Os prédios que ruíram não estão oficialmente dentro do Condomínio Figueira do Itanhangá. Moradores afirmam que eles ficam em um terreno ao lado, mas uma rua foi aberta para que eles fosse integrados ao conjunto residencial.

Nenhuma residência tem documento oficial da prefeitura, que já avisou que as construções no local são irregulares. Alguns moradores tentam a regularização de seus imóveis por usucapião (posse pela utilização do imóvel por determinado tempo, contínuo e incontestadamente).

O corretor dos prédios foi identificado pelo nome de Valdecir. Um imóvel com três quatros, sala, cozinha, banheiro e garagem é avaliado por ele em de R$ 160 mil.

“Antes do condomínio existia uma pedreira na região e na área dos prédios havia um bambuzal. Atrás, há uma ribanceira. Ali não tem como fazer uma fundação capaz de aguentar essas construções”, acredita o morador.

DIA tentou entrar em contato com todas as pessoas citadas na reportagem. Entretanto, ninguém foi encontrado.

 

Fonte: Jornal O Dia

porpjbarreto

Prefeito de Soledade reúne secretariado para oficializar rompimento político com ex-aliado e traçar diretrizes da gestão a partir daí

A parceria política que o prefeito de Soledade, Geraldo Moura Ramos (PP) tinha com o ex-gestor da cidade, Ivanildo Gouveia (PR), e que durou 12 anos, está desfeita. O anúncio oficial do fim da união de forças, entre as duas lideranças políticas do município, foi feito nesta quarta-feira (17), durante reunião do chefe do executivo municipal com todo o secretariado. Logo após a reunião, Geraldo deu uma entrevista na rádio ampliando essa informação para a população da cidade. O rompimento já era esperado desde o ano passado, haja vista as recentes atitudes do ex-aliado que, de forma escancarada, não seguiu as orientações do prefeito na eleição passada, boicotava as ações da gestão e ainda espalhava inverdades para atrapalhar a gestão e ofuscar a ascensão política do prefeito de Soledade.

No início da manhã, um ato do prefeito já dava o norte da decisão há tempos pedida por assessores e pela própria população, que enxergavam em Ivanildo não mais um aliado da atual gestão. Geraldo assinou a exoneração do até então chefe de gabinete da prefeitura, Ivanilson Gouveia, parente e homem de confiança do agora adversário político dele. Com o afastamento concretizado, o prefeito deixou claro que, a partir de agora, só admitirá ao seu lado pessoas que realmente queiram trabalhar e tenham compromisso com à gestão e, a partir dai, contribuir com os projetos e ações de desenvolvimento e progresso do município.

“Aguentei muito, foram inúmeras tentativas de boicote a minha gestão. A sede de poder as vezes cega as pessoas, mas, chega um ponto que não dá mais para aguentar Tenho a consciência tranquila que fiz o que pude para manter essa aliança, que foi importante para obtermos a vitória, mas, não aceito traição, nem vou me submeter a práticas espúrias apenas para agradar. Sou prefeito de 15 mil cidadãos e não apenas dos 4 mil que me elegeram, administro o município com o compromisso de disponibilizar os serviços que a população precisa, sempre pautei minha conduta respeitando as decisões do grupo político ao qual fazia parte, e estou tomando essa atitude de distanciamento e rompendo politicamente com Ivanildo de coração partido, mas com a consciência tranquila de que fiz o que pude para que essa história tivesse um final diferente”, disse o prefeito.

Na reunião com o secretariado, Geraldo deixou claro que o rompimento não é com o grupo político, mas com as pessoas que fazem oposição ao seu governo, tanto que ele manteve nos quadros do primeiro escalão da prefeitura secretários indicados pelo ex-aliado. “Cada um tem sua competência já comprovada no exercício de suas funções, e a permanência nos cargos vai depender da capacidade de trabalho de cada um e da fidelidade à gestão”, destacou o chefe do executivo municipal, adiantando que outras pessoas poderão ser ainda exoneradas, mas que o critério de afastamento será o da não fidelidade ao atual projeto político que governa Soledade.

Todos os secretários manifestaram solidariedade ao prefeito, enaltecendo o espírito público como ele vem conduzindo os destinos da Prefeitura e reafirmaram o apoio a essa gestão, que conseguiu mais que duplicar o número de alunos nas escolas do município, melhorar a saúde, calcar ruas, regularizar a coleta de lixo, dotar a cidade de novos equipamentos e, sobretudo, administrar com respeito e seriedade os recursos públicos de Soledade.

Assessoria de Imprensa

porpjbarreto

Veneziano critica proposta do governo Bolsonaro que achatou salário e defende volta do ganho real para o mínimo

Em pronunciamento na Tribuna do Senado Federal, o Senador Veneziano Vital do Rêgo (PSB-PB) criticou a forma de reajuste do salário mínimo apresentada pelo governo Bolsonaro e destacou as grandes conquistas do trabalhador, fruto de lutas históricas e embates políticos. Ele classificou a medida do governo como um “retrocesso”.

– O mais importante é que aquilo que foi conquistado com grandes dificuldades, depois de lutas incessantes para uma política efetiva e legalmente prevista de valorização do salário mínimo no País, não seja, por arroubos, por improvisos ou simplesmente por perversa disposição de uma linha condutora de uma política econômica, adotada para ser revista – declarou o Senador da Paraíba.

O pronunciamento de Veneziano foi feito após o Congresso Nacional receber o Projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias para 2020 (PLN 5/2019), enviado pelo presidente Jair Bolsonaro. O projeto prevê que o salário mínimo, nos próximos três anos, não terá ganho real, ou seja, será corrigido apenas pela inflação acumulada. Atualmente, a lei determina que o salário mínimo seja corrigido pela inflação do ano anterior somada à média de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) dos dois anos anteriores.

Durante o discurso, Veneziano ressaltou ser fundamental que o Senado não acate a proposta, que considerou “descabida, maldosa e que prejudicou milhares de brasileiros”. Ele lembrou que cerca de 50 milhões de brasileiros vivem na faixa da pobreza e que em torno de 13 milhões de pessoas estão desempregadas. Para Veneziano, é necessário que a opinião pública esteja engajada no debate em defesa do ganho real do salário mínimo.

– Vamos fazer esse debate no momento oportuno. É indispensável que nós estejamos como sentinelas, em defesa do salário mínimo, do ganho real do salário mínimo e em defesa do cidadão brasileiro – afirmou o parlamentar paraibano.

Banco Central – Veneziano também criticou o Projeto de Lei Complementar encaminhado pelo Governo Federal que prevê mandatos de quatro anos para integrantes do Banco Central. Na sua opinião, essa medida daria toda a liberdade de decisão a quem regula e fiscaliza o sistema financeiro e é responsável pelas políticas de crédito.

– Não há qualquer inserção, intromissão, interferência, mas, no momento em que se estabelecem mandatos, temerários riscos estarão, muito provavelmente, sendo produzidos para o nosso País — afirmou.

Assessoria de Imprensa