Categoria Rural

porpjbarreto

BOLETIM AGRO: Demanda brasileira de soja do 2º semestre deverá ser racionada

Chegada do outono e impactos do El Niño começam a aparecer

Créditos: Canal do Produtor -CNA

Olá, meu nome é Raphael Costa e este é mais Boletim Agro, um resumo das principais notícias do agronegócio.

A demanda de soja brasileira no segundo semestre deverá ser racionada, segundo especialistas. Com alta demanda para exportação e um bom ritmo no consumo interno, os resultados de 2019 devem ficar abaixo do ano passado. Quem vai comentar sobre como ficará essa situação, além de comentar outros temas, é a Carla Mendes, jornalista do Notícias Agrícolas. Bem-vinda, Carla

“Esse ano nós devemos terminar o ano com uma colheita de aproximadamente 113 milhões de toneladas. Se descontarmos o nosso consumo interno, que é de 45 milhões de toneladas, sendo 43 milhões para esmagamento e 2 milhões para semente. Descontando esses 113 mais os nossos estoques iniciais, que vão elevar para 115 milhões de toneladas, teríamos somente 70 milhões de toneladas para exportar, contra os 74 milhões exportados no ano passado, quando atingimos volume recorde. Então muito se fala sobre o recuo das exportações, mas caso aconteça, será mais por necessidade, por termos um menor saldo exportado esse ano, porque colhemos menos e tínhamos menos estoque.”

A partir desta quarta começa o outono no Hemisfério Sul. A chegada da estação prevê quedas nas temperaturas e mudanças nos padrões de chuva, principalmente nas regiões Sul e Sudeste. Além disso, a ocorrência do El Niño também acumula mais mudanças no clima, o que pede atenção dos produtores.

“Realmente, nós vemos a chegada do Outono no Brasil e , durante essa estação, é comum que as primeiras formações de fenômenos adversos como nevoeiros na região Sul, Sudeste e Centro-Oeste, geadas nas regiões Sul e Sudeste e em pontos do Mato Grosso do Sul e até mesmo neve nas regiões serranas e nos planaltos da região Sul comecem a aparecer. Essas são informações que partem do INMET, e isso começa a impactar alguns pontos de produção agrícola do Brasil.”

Perfeito, Carla. Obrigado pelas informações, até a próxima.

“Eu que agradeço, até a próxima. Aos ouvintes que quiserem saber mais, acessem noticiasagricolas.com.br ”

Esse foi mais um Boletim Agro, muito obrigado a todos.

 

Repórter Raphael Costa

Agência do Rádio

porpjbarreto

João Azevêdo lança Programa Paraíba Rural Sustentável e beneficia 45 mil famílias

O governador João Azevêdo lançou, nesta terça-feira (19), na Sala de Concertos Maestro José Siqueira, no Espaço Cultural José Lins do Rêgo, em João Pessoa, o Programa Paraíba Rural Sustentável. Executado pelo Projeto Cooperar, o programa voltado para a agricultura familiar visa melhorar o acesso à água, reduzir a vulnerabilidade agroclimática e aumentar o acesso a mercados da população rural da Paraíba. No total, serão investidos US$ 80 milhões, sendo US$ 50 milhões provenientes do contrato de empréstimo com o Banco Mundial e US$ 30 milhões de contrapartida do Estado, beneficiando 45 mil famílias paraibanas.

Prestigiaram a solenidade o ex-governador Ricardo Coutinho; o senador Veneziano Vital do Rêgo; deputados estaduais; prefeitos; vereadores; e auxiliares do Governo do Estado.

Na oportunidade, o chefe do Executivo estadual ressaltou que 100 municípios passarão a receber, ao longo dos próximos seis anos, um grande investimento na base da agricultura familiar. “Dentro do nosso cronograma, já iremos destinar US$ 4 milhões no programa em 2019. Esta ação mexe com a nossa economia e faz com que o Estado chegue junto das comunidades, seja pelo Cooperar, Procase, Água para Todos e Água Doce, dando suporte às famílias, ampliando, cada vez mais, os editais para aquisição de produtos da base da agricultura familiar”, explicou.

De acordo com João Azevêdo, os recursos serão destinados para a segurança hídrica, perfuração de poços e implantação de dessalinizadores e sistemas de abastecimento d’água. “Esses investimentos serão realizados onde se precisa ter um olhar diferenciado do Estado, seja na agricultura familiar, em arranjos produtivos locais e, acima de tudo, na infraestrutura hídrica, onde temos um investimento forte dentro desse empréstimo junto ao Banco Mundial; isso faz uma diferença muito grande para as famílias”, destacou.

O ex-governador Ricardo Coutinho reforçou que o Governo do Estado tem dado provas concretas de que continua atuando em favor da população. “Esse programa irá investir R$ 300 milhões na agricultura familiar; na subsistência de homens e mulheres. Esse é um projeto de curto, médio e longo prazo para restaurar a dignidade do nosso povo”, completou.

O secretário da Agricultura Familiar e Desenvolvimento do Semiárido, Luiz Couto, afirmou que o Programa Paraíba Rural Sustentável garantirá qualidade de vida ao trabalhador do campo. “Os agricultores terão acesso à água e poderão produzir e comercializar os seus produtos; beneficiando toda a região do Semiárido”, frisou.

Já o coordenador do Projeto Cooperar, Omar Gama, endossou que 222 municípios da Paraíba serão contemplados nos projetos de alianças produtivas, por meio de 170 subprojetos e planos de investimentos. Além disso, serão investidos recursos na diversificação da produção agropecuária e na melhoria nutricional e segurança alimentar. “O programa vai resgatar toda a produção dos pequenos agricultores, tendo como componentes principais o abastecimento d’ água e a área produtiva. Serão 280 abastecimentos de água singelos; 150 abastecimentos de água completos; 7.560 cisternas de alambrado; e 100 dessalinizadores com aproveitamento de rejeitos para garantir o acesso à água”, ressaltou.

O especialista sênior em Água e Saneamento do Banco Mundial, Marcos Thadeu Abicalil, lembrou que a operação de crédito, que irá reduzir a pobreza e garantir o crescimento inclusivo na Paraíba, só foi possível graças às gestões fiscal e social e à capacidade técnica do Estado. “A assinatura do empréstimo demonstra que o Estado está fazendo um esforço importante para ter uma gestão fiscal responsável, criando um espaço financeiro possível para contratar operações de crédito como essa que objetivam a redução da pobreza rural e o crescimento inclusivo e sustentável”, falou.

O presidente da Associação dos Agricultores Familiares de Santa Rita, Gilvan Castro, disse que o projeto chegou num momento em que o setor enfrenta dificuldades para conseguir recursos. “O Governo do Estado, por meio dessa celebração, nos dará a oportunidade de retomar algumas atividades, não só na questão de infraestrutura para a produção, mas na abertura para comercialização de nossos produtos; o agricultor terá a segurança para produzir”, frisou.

Luciana Balbino, que trabalha numa fábrica de polpa de frutas no município de Areia, lembrou que já foi beneficiada na primeira etapa do Projeto Cooperar, que permitiu a aquisição de câmaras frias e caminhonetes, e a expectativa agora é de geração de novos empregos com o retorno do programa. “Esperamos com muita ansiedade e sem perder a esperança de que isso poderia vir a dar certo novamente. Nós queremos aumentar a nossa produtividade e, mais uma vez, aumentar a nossa capacidade de produção, beneficiando toda a região do Brejo”, relatou.

 

Secom-PB

porpjbarreto

O TEMPO E A TEMPERATURA: Terça-feira (19) nublada com pancadas de chuva no Nordeste

Umidade relativa do ar fica entre 30% e 95%

Nesta terça-feira (19), o tempo na região Nordeste pode ter céu encoberto a nublado com pancadas de chuva e trovoadas no Maranhão. Parcialmente nublado a nublado com pancadas de chuva e trovoadas isoladas no Piauí e demais estados da região.

A temperatura mínima na região vai ser de 17ºC e a máxima de 37ºC. Já a umidade relativa do ar fica entre 30% e 95%. As informações são do Instituto Nacional de Meteorologia, o INMET.

 

Repórter Juliana Gonçalves

Agência do Rádio

porpjbarreto

Falta de transporte obriga crianças caminharem 5 quilômetros para retornar as suas residências na Zona Rural de Cajazeiras

Inconformados com o tamanho descaso por parte da administração, pais, mães e familiares de alunos da Escola Municipal Manoel Gonçalves da Silva, localizada no Sítio Catolé dos Gonçalves, na Zona Rural de Cajazeiras, comunicaram o fato, ao líder comunitário Lindomério Lira e, numa atitude de revolta registrou o corrido por meio de vídeos e fotografias. O registro se deu na manhã desta segunda-feira (18), na saída dos alunos que têm entre 4, 5 e 6 anos de idade.

Ainda de acordo com Lindomério Lira, são mais de 5 quilômetros da escola às residências das (treze) crianças, que não são atendidas pelo transporte municipal escolar da Secretaria de Educação de Cajazeiras.

Têm ônibus para quase todas as comunidades, mas para o Calixto, essas crianças são obrigadas a caminhar debaixo de um sol escaldante desse de meio dia, isso é vergonhoso, é um descaso total”, afirmou Lindomério.

Nas fotos e vídeo, podemos observar que algumas crianças são abordadas pelos seus familiares com transporte, mas a maioria não tem qualquer transporte e, os alunos são obrigados a uma cansativa e demorada caminhada em sol a pino. “Um motorista chegou a dizer que não tem como atender a demanda, não tem carro para todos os alunos”, ressaltou Lira, que deverá encaminhar denúncia ao Ministério Público Estadual.

 

 

Redação – fmrural.com.br

porpjbarreto

Segunda-feira (18) pode ser de chuva no Nordeste

Umidade relativa do ar varia entre 30% e 95%.

Segunda-feira (18) tem sol forte e calor no Nordeste. O tempo fica firme em algumas regiões da Bahia, onde muitas nuvens se formam. Esse tempo provoca chuva a qualquer hora em vários estados como Pernambuco, Maranhão, Piauí, Ceará e Rio Grande do Norte. Nas demais áreas, podem ter pancadas de chuva, principalmente à tarde.

De acordo com informações do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), o tempo estará de nublado a parcialmente nublado. A temperatura varia entre 17ºC e 38ºC, com umidade relativa do ar entre 30% e 95%.

 

Repórter Isabella França

Agência do Rádio

porpjbarreto

Morador do Catolé em Cajazeiras denuncia péssima condição de UBS

O popular Lindomério Lira, morador da comunidade rural Catolé Pé de Serra, em Cajazeiras, usou das redes sociais no dia (15), para denunciar a condição em que se encontra a Unidade Básica de Saúde da referida comunidade.

De acordo com o denunciante, a UBS deveria ser inaugurada neste final de semana, mas devido as fortes chuvas, o sistema de encanamento acabou inviabilizando a entrega do equipamento à comunidade.

A assessoria de imprensa e o próprio secretário de saúde de Cajazeiras, debateram as informações e afirmou que o problema foi ocasionado por uma suposta invasão de estranhos à UBS, mas que os devidos reparos já foram providenciados.

 

Resposta – “A Secretaria de Saúde do município esclarece o problema postado na UBS do Catolé. Primeiro: Não havia nenhuma inauguração agendada pra hoje (sexta-feira, 15). O secretário assegurou que seria inaugurada após carnaval, e a data deve ser na próxima semana. Segundo: O que ocorreu foi que esse problema não foi serviço mal feito. Na tentativa, certamente de arrombar o posto, foi quebrado um cano PVC que interliga a caixa d’água a sala do dentista e outras duas outras. O carro-pipa ao abastece a caixa, o cano quebrado passou a derramar água espalhando no local. Lembrando que essa água que cai não é de chuva e sim da caixa d’água. O conserto do cano foi feito hoje e a UBS está limpa e pronta para sua inauguração que ocorrerá na próxima semana. Essa gestão tem compromisso e zelo pela coisa pública, sabemos q essa obra foi interditada na Operação Andaime e após muito esforço não permitiria que fosse feito serviço de má qualidade. Quem desejar ver com os próprios olhos a estrutura da obra esteja convidado a ir a inauguração, repito na próxima semana“. Respondeu o secretário de comunicação de Cajazeiras – Jota França.

 

Redação: fmrural.com.br

porpjbarreto

Jeová parabeniza assinatura de contrato de empréstimo e defende que recursos sejam direcionados aos agricultores do semiárido e sertão

O anúncio, essa semana, da assinatura de um contrato de empréstimo com Banco Mundial, no valor de US$ 50 milhões, que serão destinados ao Projeto Paraíba Rural Sustentável, executado pelo Projeto Cooperar, para beneficiar agricultura familiar, recebeu elogios do deputado estadual Jeová Campos (PSB). O parlamentar, autor da propositura que criou a Frente Parlamentar da Água e da Agricultura Familiar na ALPB, disse que o governador João Azevedo está de parabéns e lembrou que essa luta foi iniciada pelo ex-governador Ricardo Coutinho.

“A assinatura deste contrato, que garantirá investimentos na agricultura familiar, é um avanço e tanto e é de extrema importância para a Paraíba”, disse o parlamentar. Para Jeová, no entanto, o governo deve destinar os recursos para a agricultura familiar, sob a coordenação da Secretaria de Agricultura Familiar que é, segundo o deputado, o espaço mais apropriado para elaboração de políticas públicas para o setor.

Ainda de acordo com o parlamentar, esses recursos do Cooperar precisam ser direcionados, de forma prioritária, para os agricultores excluídos, por anos e mais anos, especialmente, os do semiárido que ficaram fora do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola- FIDA, que atendeu o Curimataú, a região do Cariri, mas, não atingiu o sertão, nem o semiárido. “Com esse novo empréstimo, é preciso que o governo faça políticas compensatórias e tenha, assim, um olhar atento para os agricultores destas regiões”, finalizou o parlamentar.

Segundo divulgação do Governo da Paraíba o empréstimo beneficiará mais de 117 mil famílias paraibanas que trabalham com a agricultura familiar. Serão quase R$ 300 milhões que serão utilizados na base da economia, para fortalecer o homem do campo, para fortalecer essa microeconomia que gera tantos empregos e, acima de tudo, a agricultura familiar. Durante os próximos seis anos, haverá desembolso de U$ 9 milhões por ano em projetos que vão desde abastecimento d’água a dessalinizadores, a arranjos produtivos locais, gerando renda e emprego para muita gente. No dia 19 de março, no Teatro Paulo Pontes, do Espaço Cultural, o governo fará o lançamento do Projeto Paraíba Rural Sustentável.

Assessoria de Imprensa

porpjbarreto

Deputado Jeová Campos confirma presença na audiência pública que debaterá a Reforma da Previdência

“Só vejo uma forma de barrar a aprovação deste famigerado projeto, que retira dos trabalhadores direitos já assegurados, penaliza os mais humildes, amplia o tempo de trabalho e só favorece o capital, que é a mobilização popular, o povo nas ruas protestando contra essa reforma maldosa e se mostrando indignado”, afirma o deputado estadual Jeová Campos. (PSB). O parlamentar vai se unir, nesta sexta-feira (15), a  Federação dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares do Estado da Paraíba (Fetag-PB) que, em parceria com a Assembleia Legislativa (ALPB), realizam uma Audiência Pública para tratar da Medida Provisória (MP) 871 e a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 06/2019, que trata da “Reforma da Previdência”. A audiência acontecerá a partir das 8h, .depois de uma marcha que sairá da sede da Fetag, em Jaguaribe.

Segundo Jeová, que é advogado e tem s debruçado com um olhar muito atento ao texto da proposta, se ela for aprovada como está inviabilizará, por completo o acesso a Previdência por parte dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Campo. “Essa é uma reforma cruel, pois penaliza quem mais precisa da previdência, inclusive, as mulheres do campo, pois ela impõe mais cinco anos para as mulheres trabalhadoras rurais se aposentarem e isso é injusto, haja vista que além do acúmulo de funções que a mulher tem, a trabalhadora rural começa a atuar muito cedo”, destaca Jeová.

            A expectativa é que mais de cinco mil Trabalhadores Rurais, Agricultores e Agricultoras Familiares de várias regiões da Paraíba participem da Audiência, para tanto, várias caravanas estão programadas para virem a João Pessoa. Antes da audiência, os participantes se concentrarão, a partir das 7h, em frente à sede da Fetag-PB, na Rua Rodrigues de Aquino, 722, Jaguaribe, de onde seguirão em marcha até a Praça João Pessoa, em frente ao Parlatório, onde acontecerá a audiência.

 “Muito se ouve falar no tal déficit da Previdência Social, mas por que não se fala na Desvinculação de Receitas da União (DRU), que permite ao Governo Federal usar livremente 30% do que é arrecadado, para utilização em outras áreas? Por que não cobram os grandes devedores da União?”, questiona o presidente da Fetag Liberalino Lucena.

 

Assessoria de Imprensa 

porpjbarreto

Polícia Militar apreende 16 armas e detém mais de 100 suspeitos em ações na Paraíba

A Polícia Militar divulgou o balanço das ações e operações realizadas pela corporação no fim de semana, em todo o estado, que resultaram na apreensão de 16 armas de fogo e a prisão de 117 suspeitos de praticar pelo menos seis tipos de crimes.

Com o resultado deste 10º fim de semana do ano, a corporação chegou a um saldo de 569 armas de fogo retiradas de circulação e em 1.405 pessoas presas e apreendidas em todo o estado. Os destaques foram a prisão de dois foragidos do PB1, em Mandacaru, na capital, e a recaptura, na cidade de Lagoa Seca, de um dos presos que fugiram no domingo de carnaval da Cadeia Pública de Sumé.

Agora, já são 65 presos do PB1 recapturados, o que equivalente a mais de 70% do número de foragidos, conforme a Secretaria de Estado da Administração Penitenciária.

A PM atuou no fim de semana com as operações Nômade, Cidade Segura e Malhas da Lei, com reforço nas áreas indicadas pela inteligência e estatística. Novas ações devem ser desencadeadas nas próximas horas.

 

Assessoria de Imprensa 

porpjbarreto

ALPB debateu produção sustentável e agricultura familiar livre de agrotóxico no Sertão paraibano

A Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), através da Frente Parlamentar da Água e Agricultura Familiar, realizou Audiência Pública, na manhã do último sábado (09), na Câmara Municipal de Vereadores de Cajazeiras, para discutir o novo modelo de agricultura familiar no Sertão paraibano, com foco em uma política pública de produção sustentável e livre de agrotóxico.

O evento foi comandado pelo deputado Jeová Campos (presidente Frente Parlamentar da Água da ALPB) e contou com a presença do secretário estadual da Agricultura Familiar, Luiz Couto; de prefeitos; vereadores; representantes de sindicatos de trabalhadores rurais, de associações comunitárias, de setores produtivos de vários municípios do Sertão paraibano; entre outros representantes da sociedade civil organizada.

Jeová Campos destacou que a Assembleia Legislativa entende ser extremamente importante investir e avançar neste segmento importante de produção do Estado, que o setor da agricultura familiar. O deputado lembrou que a ALPB já realizou esse debate em Mamanguape e irá fazer também em Pombal, Catolé do Rocha e Sousa.

“Assim iremos construir um projeto que dê um tratamento diferente ao setor. Viver no campo é mais difícil de que morar nas cidades, quando se tem uma profissão definida. Então, é preciso a gente garantir a permanência do homem no campo, mas permitindo que ele tenha novas culturas, novas técnicas de trabalho, mais acesso ao crédito e ao Empreender para a agricultura familiar”, declarou.

O deputado ainda enfatizou a importância do debate para incentivar o cultivo livre de agrotóxicos, que tanto tem causado mal a população. “Hoje a pessoas estão tendo muitos problemas de saúde decorrente do uso agrotóxicos. Portanto, a agricultura familiar é a porta de entrada para esse tempo novo. Esse encontro em Cajazeiras é o coroamento do trabalho que fizemos essa semana, a exemplo da Caravana que fizemos para inspecionar as obras do Eixo Norte do projeto de Transposição de águas do Rio São Francisco”, completou.

Durante a reunião, o secretário Luiz Couto anunciou investimentos para a produção agroecológica, com incentivos ao cultivo da cultura do algodão, a produção de energias renováveis, a caprinoovinocultura no semiárido; e ações de Educação no campo. Ele inclusive destacou investimentos para o projeto Cooperar no valor de 50 milhões de dólares, além da criação do Empreender da Agricultura Familiar do Estado. O secretário também destacou o apoio e contribuição que a Assembleia Legislativa e os deputados têm dado ao trabalho de sua pasta.

“O projeto Cooperar vai atender 222 municípios, exceto a Capital. Já pedimos ao governador a criação do Empreender da Agricultura Familiar, para que o agricultor possa ter recursos e trabalhar na perspectiva de que possa ajudar a melhorar a produção. O nosso trabalho tem sido o de visitar cada território, conversando com os agricultores e recebendo propostas para buscar melhorias”, disse Luiz Couto.

O ambientalista e ex-secretário de Agricultura de Cajazeiras, José Maria Gurgel, participou do debate e considerou fantástica a iniciativa do Poder Legislativo. “A discussão aponta, dentro da perspectiva da agricultura familiar, um programa de ações sustentáveis para o desenvolvimento sustentável no campo alimentar, defesa do meio ambiente, que traz mais qualidade de vida para a população do semiárido paraibano”, comentou.

O presidente da Associação Comunitária de Cacimba Nova, João Costa, também parabenizou a Assembleia e o deputado Jeová Campos pela iniciativa. “Sabemos que o Nordeste tem solução e que para ter melhorias só depende do Governo. Essas ações realizadas pelo Governo da Paraíba fez com que conseguíssemos mudanças exitosas no estado, que melhoraram a qualidade de vida das pessoas”, afirmou.

Já a presidente do sindicato dos Trabalhadores Rurais de Bom Jesus, Maria das Graças Lopes, destacou a necessidade de apoio e assistência das autoridades aos pequenos produtores rurais. “Esse debate abriu mais os nossos olhos e saímos daqui satisfeito de que podemos sim lutar por melhoras”, elogiou.

Transposição – Nessa sexta-feira (08), ALPB também realizou uma visita técnica às obras do Eixo Norte do projeto de transposição de águas do Rio São Francisco para tomar conhecimento do andamento da obra e tornar a Casa Epitácio Pessoa ciente do que ainda será feito.

A caravana da ALPB, comandada pelos deputados Jeová Campos (PSB), Galego de Sousa (PP) e Moacyr Rodrigues, esteve em Cajazeiras, Salgueiro (PE), onde se reuniu com técnicos no escritório de representação do Ministério do Desenvolvimento Regional, de Jatí, no estado de Ceará.

A caravana visitou o complexo da barragem de Negreiros, em Salgueiro, onde foi constado o rompimento do dique do reservatório, o que atrasou consideravelmente o cronograma da obra. De acordo com Jeová Campos, as águas da transposição, pelo Eixo Norte, só devem chegar à Paraíba no final de 2020.

“Nossa expectativa era ter água na Paraíba no ano de 2019, mas infelizmente isso não acontecerá. Pelo que vimos na barragem de Negreiros a água, se chegar, só no final de 2020. Estou muito triste com as informações recebidas, é um prejuízo incalculável para o povo paraibano”, lamentou Jeová.

 

Assessoria de Imprensa – ALPB