Categoria Internacional

porpjbarreto

O saxofonista John Coltrane morreu em 17 de julho de 1967

A Música do Dia é “In a Sentimental Mood“, de Irving Miilss, Manni Kurtz e Duke Ellington.

Produção e apresentação – Luiz Cláudio Canuto
Agência Rádio Câmara
porpjbarreto

Brasil concorre a título de Cidade Criativa com quatro municípios

Prêmio da Unesco destaca práticas com foco no desenvolvimento social

Quatro municípios brasileiros concorrem, este ano, ao título de Cidade Criativa, da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). A certificação é uma forma de reconhecer práticas que coloquem as indústrias criativas e culturais a serviço do desenvolvimento social local. Três capitais – Belo Horizonte, Fortaleza e Aracaju – disputam nas categorias gastronomia, design e música, respectivamente, e o município interiorano de Cataguases, em Minas Gerais, na de cinema.

 Abertura oficial do 20º Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental.
Uma das categorias do prêmio é cinema, na qual concorre o município mineiro de Cataguases – Arquivo/Agência Brasil

Além das quatro categorias,a disputa inclui as categorias artesanato, artes folclóricas, literatura e artes midiáticas. De acordo com a Unesco, a relação dos vencedores será anunciado no final do ano.

Com 15 anos de existência, a Rede de Cidades Criativas congrega 180 cidades de 72 países, das quais oito estão no Brasil. Belém e Florianópolis, por exemplo, ganharam destaque na área da gastronomia, ao passo que Brasília e Curitiba entraram para a lista da Unesco devido à sua produção no campo do design.

Fábrica do Futuro

O diretor do Instituto Fábrica do Futuro, César Piva, relembra como Cataguases, cidade com cerca de 75 mil habitantes, tornou-se um polo de cinema. O movimento vem ocorrendo desde 2002, quando representantes de vários setores se aproximaram para fazer a ideia engrenar. Juntaram-se, em torno do mesmo desejo, lideranças locais, instituições do terceiro setor, fundações, grupos culturais, empresas privadas e gestores municipais. Naquele ano, o plano já dava frutos à comunidade, com a inauguração do Centro Cultural Humberto Mauro, que dispõe de um cineteatro de 272 lugares, um memorial que homenageia o cineasta, considerado um dos pioneiros do cinema brasileiro, e uma galeria de arte.

“Esse grupo anunciou um programa de cultura e desenvolvimento local que tinha a cultura, especialmente o audiovisual e as novas tecnologias, como uma diretriz para uma nova possibilidade de desenvolvimento para a região: o desenvolvimento social, cultural e econômico. A partir de lá, vários estruturantes foram realizados, essa rede de cooperação local, projetos de eventos, festivais de cinema, programas de formação de público, residências criativas, projetos experimentais junto a jovens talentos da região, programas de formação e capacitação. Ou seja, foi feito todo um trabalho de preparação da cidade para implantação do polo”, disse Piva, que também está à frente da agência do Polo Audiovisual da Zona da Mata de Minas Gerais.

Piva destacou que uma obra, especificamente, ajudou a dar ainda mais projeção à iniciativa que coletivamente ganhava intensidade. Segundo ele, um dos fatos que chamaram a atenção do governo federal foi o lançamento da refilmatem de Meu Pé de Laranja Lima, em 2012. O longa-metragem foi rodado em Cataguases e tem direção de José de Abreu e Marcos Bernstein, que assinou, com João Emanuel Carneiro, o roteiro de Central do Brasil.

O diretor da Fábrica do Futuro ressalta que a recompensa pela mobilização chegou na forma de novas parcerias e de um edital, firmado com colaboração da Agência Nacional do Cinema (Ancine), no valor de R$ 10,5 milhões. Além disso, profissionais de toda a cadeia de produção puderam viajar Brasil afora e para o exterior, para ampliar seu conhecimento, acrescentou Piva. “Ou seja, um pequeno município que tem feito um trabalho estruturador, há quase 20 anos, se estabelece como um centro de produção audiovisual, reúne parcerias, instituições públicas e privadas e políticas públicas e se torna um arranjo capaz de atrair grandes produções para serem realizadas na região. Agora vamos lançar o edital, provavelmente um dos maiores do Brasil, no dia 2 de agosto, para que as produções continuem se realizando aqui. A previsão é de triplicar o número de filmes nos próximos anos.”

Balanço do Núcleo Inteligência Empresarial do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) mostra que, de 2008 a 2018, foram realizadas na cidade 27 produções audiovisuais. Somente este ano, 14 obras deverão ser produzidas, das quais seis são longas-metragens e cinco, curtas. Há, ainda, previsão de que uma série de televisão seja gravada no local.

O levantamento também indica que, no período, as produções geraram 1,5 mil empregos diretos e R$ 14 milhões em investimentos, provenientes de isenções fiscais de âmbito federal e estadual. No total, injetaram-se R$ 29 milhões na economia da região.

Para César Piva, a economia criativa é um ramo que produz “impactos importantíssimos na economia de qualquer país”, por fazer girar oportunidades. “É uma indústria limpa, ela é inesgotável, é sustentável, promove a autoestima de um país, de uma cidade, promove nosso patrimônio cultural, nossa diversidade cultural. Ela é considerada, no mundo todo, uma grande possibilidade de diversificação, inclusive, do desenvolvimento. Isso, por si só, deveria ser entendido como um grande valor a ser incentivado por qualquer pessoa no Brasil, no mundo e no governo. E acho que a gente está confirmando isso. A Rede Cidade Criativas confirma que, no Brasil, essa dimensão continental, essa riqueza regional, plural, essa diversidade cultural existe em todos os lugares, não só nos grandes centros, mas também nas pequenas e médias cidades.”

Agência Brasil

porpjbarreto

Música: Há 30 anos morreu o maestro Heribert von Karajan

A Música do Dia é “Marcha Radetzky“, de Johann Strauss, regido por Karajan, na Filarmônica de Berlim.

Produção e apresentação – Luiz Cláudio Canuto
Agência Rádio Câmara
porpjbarreto

Em Montevidéu: Senador Veneziano toma posse no Parlasul e já debate acordo comercial entre Mercosul e União Européia

O Senador Veneziano Vital do Rêgo (PSB-PB) tomou posse nesta segunda-feira (15) como membro do Parlasul – o Parlamento do Mercosul, que reúne parlamentares – Senadores e Deputados – de quatro países: Brasil, Uruguai, Paraguai e Argentina. A posse ocorreu na sede do Parlamento Legislativo, em Montevidéu, capital do Uruguai.

“Tive a oportunidade e honra de poder tomar posse no Parlasul, que reúne parlamentares – Senadores e Deputados – dos quatro países que compõem o Mercosul: Brasil, Uruguai, Paraguai e Argentina”, destacou Veneziano. “Para a nossa satisfação e honra estaremos a colaborar, a aprender, a sugerir e representar, como é o nosso dever, à altura, o parlamento nacional brasileiro”, complementou.

Logo após a posse, o Senador paraibano e demais membros do Parlasul iniciaram as discussões que estavam previstas para a sessão desta segunda-feira, tendo como tema principal as relações comerciais entre o Mercosul e a União Europeia, cujo acordo foi firmado em Bruxelas, no dia 28 de junho, mas que começou a ser negociado no ano de 2000, representando o maior pacto comercial já firmado por ambas as partes, com a criação de um mercado de 780 milhões de consumidores.

Segundo Veneziano, participar do Parlasul é, além de uma honra, a oportunidade de poder contribuir para a evolução dos principais temas da política externa, buscando um fortalecimento econômico, comercial e institucional do Brasil. “Todos os assuntos atinentes às relações entre os países, não apenas do Mercosul, da América do Sul, mas intercontinentais, com outros mercados, são tratados, também, aqui no Parlasul”.

Sobre o Parlasul – O Parlasul – Parlamento do Mercosul foi criado no ano de 2005, com a aprovação do seu Protocolo Constitutivo, como órgão de representação dos povos do Mercosul. O Parlamento do Mercosul é órgão unicameral, independente e autônomo e substituiu a Comissão Parlamentária Conjunta.

Assessoria de Imprensa

porpjbarreto

Radiotelescópio Bingo começará a ser construído no Sertão da Paraíba

As obras para a construção do radiotelescópio Bingo, em Aguiar, no Sertão da Paraíba, deverão iniciar até final de agosto, de acordo com o coordenador do Projeto no Brasil, Élcio Abdalla, professor da Universidade de São Paulo (USP).

O Bingo (Observações de Gás Neutro das Oscilações Acústicas Bariônicas) será capaz de identificar sinais no universo que deem subsídios e informações acerca da matéria e energia escura, pouco – ou nada – conhecida pelos cientistas, até então.

A notícia foi revelada durante o Encontro Internacional do Projeto Bingo, realizado na  Universidade Federal de Campina Grande, na Paraíba. O Projeto Bingo passou por uma avaliação quanto à sua situação atual e o andamento dos trabalhos.

O resultado positivo da avaliação garantiu o início da fase de obras, só dependendo da aprovação do projeto final pela Finep e do Governo do Estado da Paraíba, o que está articulado. Estima-se que até dezembro as obras estarão em pleno andamento.

Seect-PB

porpjbarreto

Há 220 anos, a Pedra de Roseta foi encontrada por tropas de Napoleão Bonaparte

A Música do Dia é “Eu Quero é Rosetar“, de Haroldo Lima e Milton de Oliveira.

Produção e apresentação – Luiz Cláudio Canuto
Agência Rádio Câmara
porpjbarreto

Brasil derrota Peru, volta a erguer taça em casa e conquista nono título da Copa América

Ao erguer a taça, o Brasil mantém a tradição de vencer o torneio sempre que o sediou

A Seleção Brasileira confirmou o seu favoritismo no Maracanã, derrotou o Peru neste domingo, por 3 a 1, e conquistou o seu nono título da Copa América. Os gols foram de Everton Cebolinha, Gabriel Jesus e Richarlison (de pênalti). Paolo Guerrero descontou, também em cobrança de penalidade.

Ao erguer a taça, o Brasil mantém a tradição de vencer o torneio sempre que o sediou. Foi assim também nas edições de 1919, 1922, 1949 e 1989.
Os outros títulos da Seleção na Copa América foram em 1997 (Bolívia), 1999 (Paraguai), 2004 (Peru) e 2007 (Venezuela). Embora seja o maior campeão mundial, com cinco títulos, o Brasil ainda terá longo caminho para ser tornar o maior vencedor na América do Sul. Com novas taças, o país está atrás de Uruguai (15) e Argentina (14) em conquistas da Copa América.

Em seu primeiro jogo como técnico no Maracanã, o técnico Tite também se sagrou campeão de forma inédita à frente da Seleção Brasileira. Em três anos de trabalho, ele agora tem 33 vitórias, sete empates e apenas duas derrotas no cargo.
Tudo indica que o título respaldará a continuidade de Tite no comando do Brasil até 2022, na Copa do Mundo do Catar. O próximo desafio dele será classificar o país para o Mundial. As eliminatórias começam em março de 2020.
SuperEspotes
porpjbarreto

Equipe dos EUA confirma favoritismo e é bicampeã do mundo

Americanas vencem holandesas por 2 a 0 e conquistam quarta Copa do Mundo

O favoritismo era esperado e, com isso, o resultado não foi surpreendente. A seleção feminina dos Estados Unidos venceu neste domingo, em Lyon (França), a seleção holandesa por 2 a 0 e conquistou o bicampeonato consecutivo, quarto título mundial em oito edições de Copa do Mundo. As americanas se igualam as alemãs, que foram bicampeãs em 2003 e 2007. Para as holandesas, foi a melhor campanha numa Copa e o vice-campeonato das atuais campeãs europeias garante às Leoas Laranjas uma vaga nos Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020. A Suécia, terceira colocada na Copa, e a Inglaterra, quarta colocada, são as outras representantes da Europa – na decisão de sábado, em Nice, as suecas venceram as inglesas por 2 a 1, gols de Asllani e Jakobsson; Kirby descontou para as inglesas.

A americana Megan Rapinoe foi o grande nome do jogo e da Copa. Ela foi eleita a melhor jogadora em campo, a melhor jogadora da Copa e ganhou o prêmio como artilheira do mundial. Ela passa a ser a jogadora mais velha a receber essa premiação, com 34 anos e dois dias de idade. A goleira holandesa Van Veenendaal foi eleita a melhor da Copa na posição.

A final, assistida por 57.900 pessoas, teve, ainda, outras marcas dignas de registro. Foi apenas a segunda vez na história das Copas Femininas em que duas mulheres estiveram à frente das equipes finalistas – a primeira foi em 2003, na final entre Alemanha e Suécia. Esse ano, a Holanda foi dirigida por Sarina Wiegman; os Estados Unidos, por Jill Ellis. A britânica entra para a história como a segunda técnica bicampeã do mundo – o italiano Vittorio Pozzo era o único detentor dessa marca, campeão com a Itália nas Copas de 1934 e 1938.

A seleção campeã recebeu um prêmio de 4 milhões de dólares – vale dizer que a França, campeã do mundo da Copa de 2018, faturou 38 milhões de dólares. A próxima Copa do Mundo de Futebol Feminino, a ser disputada entre julho e agosto de 2023, ainda não tem sede definida, e ela só será conhecida em março de 2020, em evento da FIFA em Miami (EUA). Nove países são candidatos a sediar o evento. Além do Brasil, África do Sul, Argentina, Austrália, Bolívia. Coreias (Norte e Sul), Colômbia, Japão e Nova Zelândia.

Pelos resultados apresentados pelas emissoras de TV em todo o mundo, com recordes de audiência, a expectativa é de que o futebol feminino ganhe maior apoio da Fifa a partir desse mundial na França. A partida Brasil x França, por exemplo, foi assistida por mais de 35 milhões de espectadores no Brasil e outros 10,6 milhões na França, superando o jogo EUA x Japão da Copa de 2015, com público estimado de 25 milhões de pessoas nos Estados Unidos e recorde anterior. No Reino Unido, EUA x Inglaterra foi visto por 11,7 milhões de espectadores, a maior audiência da BBC no ano.

Entre as medidas previstas pela FIFA para incremento do futebol feminino estão um Mundial Feminino de Clubes, a Liga Mundial Feminina, ampliar o número de participantes na próxima Copa para 32 seleções, investir 500 milhões de dólares no futebol feminino e dobrar a premiação para o próximo Mundial – o que ainda será insuficiente para chegar próximo aos prêmios estimados para a Copa do Catar: são 400 milhões de dólares previstos para os homens e 60 milhões de dólares para as mulheres.

O jogo

O Rei Willem-Alexander, da Holanda, e o campeão mundial, o francês Mbappé, estiveram entre os torcedores no estádio de Lyon. E viram um início de jogo bem estudado, que logo quebrou uma marca: pela primeira vez nessa Copa as americanas não marcaram um gol até os 12 minutos de jogo.

A primeira boa oportunidade foi aos 27, num chute forte de Ertz. Foi quando a goleira holandesa começou a se destacar. Van Veenendaal defendeu no reflexo. A Holanda não se perturbou e manteve seu esquema, segurando a pressão norte-americana e arriscando nos contra-ataques. As atuais campeãs só voltaram a ameaçar aos 37, mas novamente Van Veenendaal brilhou: primeiro numa cabeçada de Mewis e, logo em seguida, num chute rasteiro de Morgan, que a goleira rebate, a bola bate na trave e volta para as mãos dela. E teve mais: aos 39, Morgan chutou forte de fora da área para defesa segura de Van Veenendaal.

A expectativa só fez aumentar para o segundo tempo. Afinal, em toda a Copa, nem Estados Unidos, nem Holanda haviam ficado atrás no placar em qualquer dos jogos até então. A temperatura elevada de 30 graus, apesar do céu encoberto, não ajudava as equipes a acelerarem a velocidade do jogo. Com 30 segundos as americanas tiveram um primeiro escanteio e logo uma chance de gol, em cabeçada de Ertz. Mas o ritmo do primeiro tempo logo voltou a ser visto.

A Holanda tentou sair um pouco mais para o jogo, mas com cuidado. As americanas arriscavam em contra-ataques, sem sucesso. Mas aos 12 minutos, numa bola esticada na área para Morgan, a zagueira holandesa Van der Gragt, imprudente, levantou demais o pé e, além de errar a bola, acertou a atacante norte-americana. A árbitra francesa Stephanie Frappart marcou escanteiro, mas foi chamada pelo árbitro de vídeo. E após rever o lance, marcou o pênalti. Rapinoe deslocou Van Veenendaal e abriu o placar para as americanas: 1 a 0. Rapinoe entra para a história como primeira jogadora a marcar um gol de pênalti numa final de Copa e por ser, também, a mais velha a marcar numa final de Copa, com 34 anos e dois dias. Ela foi eleita a melhor jogadora em campo na final.

Não havia o que fazer e a Holanda foi ao ataque buscar o empate. Miedema quase empatou aos 19, mas errou ao insistir no drible em vez de finalizar. E o castigo veio em seguida. Lavelle, que se destacava pela movimentação, arrancou sozinha e ganhou campo diante do recuo da zaga holandesa. Na entrada da área, deu um drible curto e bateu forte no canto: 2 a 0, aos 24 minutos. Com este gol, os Estados Unidos chegaram a 26, na Copa da França, um recorde para uma única edição de Mundial Feminino.

A técnica holandesa Wiegman resolveu mexer no time. Mas foram as americanas que voltaram a pressionar, com Heath e Morgan. O jogo ficou mais aberto e as mudanças feitas pelas duas treinadoras não surtiram muito efeito. Vitória incontestável das novas bicampeãs, quatro vezes campeãs em oito edições de Copa do Mundo de Futebol Feminino.

Os Estados Unidos jogaram com Naeher, O´Hara (Krieger), Dahlkemper, Sauerbrunn e Dunn; Mewis, Ertz e Lavelle; Heath (Lloyd), Morgan e Rapinoe (Press). Técnica – Jill Ellis. A Holanda, com Van Veenendaal; Van Lunteren, Dekker (Van de Sanden), Van der Gragt e Bloodworth; Groenen, Van de Donk e Spitse; Beerensteyn, Miedema e Martens (Roord). Técnica – Sarina Wiegman. A árbitra do jogo foi a francesa Stephanie Frappart.

 

Por Sergio du Bocage/Agência Brasil

porpjbarreto

Holanda e Estados Unidos estão na final da Copa do Mundo na França

O jogo será realizado domingo, às 12h, no Estádio de Lyon, em Lyon

A seleção holandesa fará contra os Estados Unidos a sua primeira final de Copa do Mundo. As americanas, atuais campeãs do mundo, já ganharam a competição três vezes, inclusive o primeiro mundial em 1991.

A equipe americana também lidera oranking das nelhores seleções da Federação Internacional de Futebol (Fifa). As holandesas são as campeãs da Europa.

Futebol Futebol - Copa do Mundo Feminina - Grupo F - Estados Unidos x Chile - Parc des Princes, Paris, França - 16 de junho de 2019 Christen Press dos EUA em ação REUTERS / Christian Hartmann
A seleção dos EUA buscam o seu quarto título de Copa do Mundo. Na foto, a jogdora Christen Pres em um lance da partida contra o Chile REUTERS / Christian Hartmann – CHRISTIAN HARTMANN

A decisão está marcada para o próximo domingo (7), às 12h (horário de Brasília), em Lyon, na França.

A Holanda garantiu a presença na final da Copa em um jogo dramático contra a Suécia, decidido durante a prorrogação por de 1 a 0, com gol da jogadora Groenen, nessa quarta-feira (3).

Holanda derrota o Japão na Copa Feminina
Atual campeão da Europa, a Holanda tenta contra a seleção dos EUA o seu primeiro título de Copa do Mundo – REUTERS/Stephane Mahe/Direitos reservados

Os EUA selaram sua terceira final consecutiva com uma vitória sobre a Inglaterra por 2 a 1, em Lyon, na abertura das semifinais na terça-feira (2). Os gols foram marcados por Christen Press e Alex Morgan. Ellen White descontou para as inglesas.

Brasil

A seleção brasileira foi eliminado da competição nas oitavas da final em partida contra a França. As brasileiras foram derrotadas por 2 a 1, na prorrogação. Nas quartas de final, as francesas foram eliminadas pelas americanas.

 

EBC

porpjbarreto

Há 60 anos a tenista Maria Esther Bueno venceu o torneio de Wimbledon

A Música do Dia é “Recado“, com Maysa.

Produção e apresentação – Luiz Cláudio Canuto
Agência Rádio Câmara