Categoria Esporte

porpjbarreto

Botafogo vence Campinense e se torna tricampeão paraibano

O Botafogo-PB sagrou-se campeão paraibano pela terceira vez seguida. O título veio na tarde do último sábado (20), no estádio Almeidão, ao vencer o Campinense por 2 a 0. Logo aos três minutos de jogo quando Clayton recebeu bom passe em velocidade e tocou com frieza por baixo das pernas de Wagner Coradin e aos 50 minutos, quando a torcida do Belo já ensaiava o grito de campeão, Paulo Renê saiu em liberdade na frente de Wagner e concluiu para sacramentar a conquista.

O Belo conquistou o seu 30º título paraibano em sua história, e volta a conquistar um tricampeonato depois de 49 anos.

O camisa 7 do Botafogo-PB, Clayton, acabou sendo o artilheiro do Campeonato Paraibano, com sete gols marcados.

O rubro negro é vice campeão pelo segundo ano seguido do Estadual da Paraíba, perdendo as duas últimas finais para o time de João Pessoa.

Com a conquista do título, o Belo garantiu participação na fase de grupos da Copa do Nordeste e Copa do Brasil na próxima temporada. Já a Raposa vai participar da seletiva do Nordestão, nos dias 01 e 08 de maio e garantiu também participação na Copa do Brasil e Série D em 2020.

Após a conquista, o Botafogo vai tentar subir da Série C para a Série B do brasileirão. O time irá fazer sua estreia na terceirona no próximo domingo (28) diante do Ferroviário-CE, às 17h, no Almeidão.

 

Fonte: PB Esportes

porpjbarreto

Árbitro paraense vai apitar primeiro jogo da final do Paraibano

O primeiro jogo da final do Campeonato Paraibano, entre Campinense e Botafogo-PB, quarta-feira, às 20hs35 (de Brasília), no estádio Amigão, já tem o árbitro definido. Trata-se de Dewson Fernando Freitas, do Pará.

Natural de Belém-PA, Dewson Fernando Freitas da Silva tem 38 anos e é professor de Educação Física. Acostumado a apitar jogos da Série A do Campeonato Brasileiro, Dewson é árbitro Fifa.

Confira a escala completa:

Árbitro principal:  Dewson Fernando Freitas da Silva

Assistente 1:  Schumarcher Marques (PB)

Assistente 2:   Ruan Neres (PB)

4º árbitros:  Afro Rocha e José Ferreira

 

PB Esportes

porpjbarreto

Centros Sociais Urbanos inscrevem para projeto Escolinhas de Futebol

A Secretaria de Estado do Desenvolvimento Humano (SEDH), por meio da Coordenação dos Centros Sociais Urbanos, iniciou o Projeto das Escolinhas de Futebol dos Centros Sociais Urbanos. A atividade foi aberta, no último mês de março, no Centro de Atividades e Lazer Padre Juarez Benício (Cejube), localizado no bairro de Gramame, em João Pessoa. Na última sexta-feira (12), o projeto foi lançado no CSU de Sapé. Nesses locais, já é possível fazer as inscrições.

Para a gerente Executiva de Proteção Social Básica da SEDH, Gilmara de Oliveira, “as escolinhas têm como objetivo oferecer atividades para crianças, pré-adolescentes e adolescentes. E que os pais saibam que seus filhos estão num lugar seguro, acompanhados por uma equipe de profissionais. Sabemos que, através dos esportes, podemos afastar as crianças de certos riscos. As escolinhas funcionarão ligadas à SEDH, com o objetivo de proteger e também incentivar a prática do esporte”, observou.

Ainda segundo Gilmara, as escolinhas são prioritariamente para as crianças que participam dos serviços da assistência, cuja as famílias estão incluídas nos serviços como o Cartão Alimentação e Bolsa Família. “Elas podem buscar os Centros Sociais e fazer suas inscrições. Lembrando que nosso objetivo com esse projeto não é o de formar atletas, e sim mantê-los longe dos riscos”, esclareceu.

O coordenador de Esportes dos CSU’s, Carlos Antônio dos Santos, informa que as escolinhas são para crianças e adolescentes com idade entre 8 e 15 anos, cada Centro Social tem previsão de atender cerca de 60 alunos. Estão previstas a abertura das inscrições nos CSU’s do Rangel, Ernesto Geisel, Mandacaru (todos em João Pessoa) e no município de Santa Rita, em datas a serem definidas.

Secom-PB

porpjbarreto

Primeira partida de futebol no Brasil, entre SP Railway e Companhia de Gás, em 1895

A Música do Dia é “Na Cadência do Samba“, de Luiz Bandeira, com Arranco de Varsóvia.

Em 1895 foi disputada a primeira partida de futebol oficial no Brasil. Várzea do Carmo, em São Paulo, foi sede do primeiro jogo de futebol do Brasil.
O jogo foi entre São Paulo Railway e Companhia de Gás, os times eram formados por ingleses que moravam em São Paulo.
Produção e apresentação – Luiz Cláudio Canuto
Agência Rádio Câmara
porpjbarreto

Mega-Sena acumula e prêmio estimado vai a R$ 45 milhões

Nenhuma aposta acertou as seis dezenas do concurso 2.141 da Mega-Sena. O sorteio ocorreu na noite da última quarta-feira (10) em Botucatu. O prêmio acumulou e a estimativa da Caixa para o próximo concurso é R$ 45 milhões.

As dezenas sorteadas foram: 10 – 11 – 17 – 19 – 37 – 41.

A quina registrou 117 apostas vencedoras, cada uma vai pagar a quantia de R$ 27,42 mil. A quadra teve 8.868 ganhadoras, cada apostador vai receber R$ 516,85.

As apostas para o concurso 1.142 podem ser feitas até as 19h (horário de Brasília) de sábado (13), em qualquer uma das casas lotéricas credenciadas pela Caixa em todo o país. A aposta simples, com seis dezenas, custa R$ 3,50.

EBC

porpjbarreto

Nos pênaltis, Campinense vence o Atlético de Cajazeiras e vai para a final do Paraibano

O Campinense é o primeiro finalista do Campeonato Paraibano de 2019. A vaga foi conquistada após a vitória nos pênaltis por 5 x 3 no jogo da volta contra o Atlético de Cajazeiras, no último domingo (07), no Estádio Perpetão.

No tempo normal, os dois times repetiram o placar de 1 x 1 do primeiro confronto em Campina Grande. Lopeu marcou para a Raposa, enquanto que Yerien empatou para o time sertanejo, levando a decisão para as penalidades.

Nas cobranças, a Raposa converteu todas. Já Marcinho cobrou e o goleiro Wagner Coradin defendeu. Agora o rubro-negro, que decidiu o torneio no ano passado e perdeu para o Botafogo-PB, espera o vencedor dos duelos entre Nacional de Patos e Botafogo-PB. O jogo de ida acontece na quarta-feira.

O JOGO

Assim como no jogo de ida, Atlético e Campinense fizeram um jogo bastante movimentado. Agora em casa, o time atleticano foi que ditou as normas nos primeiro minutos.

A Raposa, por sua vez, tocava a bola, esperando o momento certo para o contra-ataque. E foi um um deles que o Rubro-negro conseguiu abriu o placar, através de Lopeu.

João Paulo recuperou a bola ainda no campo de defesa, arrancou e tocou rasteiro. O zagueiro atleticano, Renan, falhou, e a bola sobrou para o Lopeu, que invadiu a área e marcou, aos 35 minutos.

Apesar do gol sofrido, o Trovão ainda tentou o empate, mas não conseguiu furar o bloqueio da Raposa.

Na segunda etapa, o time com mais determinado. E conseguiu o empate aos 14 minutos, por intermédio do nigeriano Yerien. Soares conseguiu dominar e chutou forte. No rebote, Yerien, deixou tudo igual.

Com o a igualdade no marcador os dois time buscaram a vitória a todo custo, mas o resultado acabou igual ao do jogo anterior, em Campina. Com isso, a decisão foi para as penalidades máximas.

Ficha técnica:

Atlético de Cajazeiras x Campinense

Data: 07/04/2019 – 17h
Local: Estádio Perpetão / Cajazeiras

Competição: Campeonato Paraibano 2019 / semifinais (jogo da volta)

Arbitragem: Rodrigo Batista; Kildenn Tadeu e Paulo Ricardo.

Gol: Lopeu (aos 35’ do 1ºT) para o Campinense; Yerien (aos 14’ do 2ºT) para o Atlético

Cartões amarelos: Henrique Mattos, Romeu, Dedé (C), Felipe, Michel (A)

Atlético de Cajazeiras: João Manoel, Felipe (Michel), Renan, Egon e Jackinha; Ferreira, Romerito (Soares), Gabriel Mendes e Marcinho; Samuel (Yerien) e Bruno. Técnico: Ederson Araújo.

Campinense: Wagner Coradin, Gustavo, Henrique Mattos, Richardson, Jerfeson e João Victor; Cleber (Vitor Maranhão), Romeu e João Paulo (Afonso Júnior); James e Lopeu. Técnico: Francisco Diá.

As penalidades

Afonso Junior fez para Raposa
Marcinho cobrou e Wagner Coradin defendeu
Dedé fez para Raposa
Soares fez para o Atlético
Gustavo fez para Raposa
Ferreira fez para o Atlético
Henrique Mattos fez para Raposa
Bruno fez para o Atlético
Romeu fez para a Raposa

Com Voz da Torcida

porpjbarreto

Em Cajazeiras: Duelo entre Atlético e Campinense define primeiro finalista do Campeonato Paraibano

Primeiro jogo terminou empatado; novo empate leva a decisão aos pênaltis

De um lado a expectativa de voltar à final do Campeonato Paraibano após 16 anos e a confiança em manter a invencibilidade em casa após empatar a ida fora.

Do outro a tradição da portentosa camisa raposeira e a esperança de que a mística rubro-negra, de time de chegada, vai aparecer depois de uma semana turbulenta nos bastidores.

Cercados desses sentimentos, Atlético de Cajazeiras e Campinense se enfrentam logo mais, às 17 horas aqui em Cajazeiras, no Estádio Perpétuo Correia Lima, “O Perpetão” certamente lotado, para decidir qual será o primeiro finalista do estadual de 2019.

A peleja de ida acabou 1 x 1, no domingo passado, no Amigão. Hoje, quem vencer avança à final e, de quebra, garante vagas na Copa do Brasil e na Série D do Brasileiro de 2020. O empate, independente da quantidade de gols, leva a decisão para os pênaltis.

Pelo lado do Trovão Azul, o técnico Ederson Araújo tem todo o elenco à disposição. O ala Jackinha, ex-Campinense, e o atacante Soares, livres de suspensão, devem voltar ao time. Durante a semana, a diretoria atleticana ainda conseguiu um efeito suspensivo junto ao STJD e o volante Romerito poderá atuar.

O principal desafio do treinador azulino durante a semana, além de montar as estratégias para a partida, foi conter os ânimos dos jogadores para evitar o clima de “já ganhou”, sentimento flagrante nos desportistas cajazeirenses.

Campinense

Pelo lado rubro-negro as “dores de cabeça” do técnico Francisco Diá se estenderam de dentro para fora de campo.

O treinador não poderá contar com pelo menos quatro titulares: o lateral direito Neilson e o zagueiro Jean, além dos atacantes Dênis e Chaveirinho, todos suspensos.

Para terminar de completar, o meia Álisson Xabala lesionou a coxa e contraiu uma virose na última quinta-feira e se juntou ao atacante Warlei no Departamento Médico.

Como se não bastassem essas dificuldades para montar o time, Diá precisou lidar com uma das mais turbulentas semanas até então nos bastidores, com discussões políticas, falta de comando em relação à parte administrativa do clube e o principal: a falta de dinheiro para saldar os salários atrasados da comissão técnica, jogadores e funcionários.

Parta das pendências financeiras foram resolvidas na noite de sexta-feira, o que deixou a delegação da Raposa tranquila para viajar. A equipe desembarcou em Sousa no início da tarde de ontem e iniciou o regime de concentração para a partida.

Arbitragem

A mediação de Atlética de Cajazeiras x Campinense estará no apito do paulista Rodrigo Batista, de 28 anos, integrado aos quadros da FPF-PB em janeiro. Ele contará com as assistências dos paraibanos Kildenn Tadeu e Paulo Ricardo, com Gustavo Estevam e Arkilson de Lima ficando como árbitros reservas.

Prováveis escalações

Atlético de Cajazeiras: João Emanuel, Felipe, Renan, Egon e Jackinha; Ferreira, Romerito, Gabriel Mendes e Marcinho; Soares e Bruno. Técnico: Ederson Araújo.

Campinense: Wagner Coradin, Gustavo, Richardson, Henrique Mattos, Jean e João Victor; Cléber, Romeu, Dedé e João Paulo; Lopeu. Técnico: Francisco Diá.

Informações do Blog Voz da Torcida

porpjbarreto

Hoje é o centenário da primeira transmissão de rádio no Brasil

Hoje é o centenário da primeira transmissão de rádio no Brasil.

A Música do Dia é “Fica Calmo Que Aparece”, de Donga, com o grupo de Pixinguinha, de 1919.

Produção e apresentação – Luiz Cláudio Canuto
Agência Rádio Câmara
porpjbarreto

Árbitro de 28 anos vai apitar semifinal entre Atlético x Campinense em Cajazeiras

O bancário paulista Rodrigo Batista da Silva, de 28 anos, integrado aos quadros da FPF-PB desde janeiro, será o árbitro central de Atlético de Cajazeiras x Campinense, jogo da volta das semifinais do Paraibano 2019.

A partida está marcada para as 17h deste domingo (07), no estádio Perpetão, no Sertão do Estado.

Seus auxiliares serão os paraibanos Kildenn Tadeu e Paulo Ricardo, com Gustavo Estevam e Arkilson de Lima ficando como árbitros reservas.

Após o empate em 1 x 1 no jogo de ida, Trovão Azul e Raposa precisam da vitória para avançar. Qualquer novo placar de igualdade, independente da quantidade de gols, a decisão seguirá para os pênaltis.

Além da vaga na final do estadual, a “Batalha de Cajazeiras” vale também classificação para a Copa do Brasil e a Série D de 2020.

O sorteio aconteceu na última quinta-feira (04), na sede da Federação Paraibana de Futebol (FPF), em João Pessoa.

Na oportunidade, a entidade também sorteou a escala de arbitragem de Nacional de Patos x Botafogo-PB. Canário e Belo se enfrentam na outra perna da semifinal e o primeiro duelo está agendado para as 20h30 da próxima quarta-feira (10), no estádio José Cavalcanti.

O apitador será o também paulista Marcelo Aparecido, que terá Schumacher Marques e Glédson Francisco, da Paraíba, como assistentes. Thiago Ramos e Guilherme Fonseca ficarão como “regra três”.

 

Foto: Paulo Taroco/GloboEsporte.com

Com Vozdatorcida

porpjbarreto

Capivara é escolhida como mascote da Copa América no Brasil

Público vai escolher pela internet, até 12 de abril, o nome do animal: Capibi ou Zizito

O mascote da Copa América 2019, que será disputada no Brasil a partir de 14 de junho, será uma capivara. O animal, maior roedor do mundo, é encontrado em quase toda a América do Sul e geralmente habita locais próximos a rios, lagos e pântanos.

O anúncio foi feito pela Conmebol, entidade que organiza a competição, na última sexta-feira (05). Além de mostrar uma imagem que representa o animal em forma de desenho, a confederação sul-americana também abriu votação para o público escolher o nome do mascote: Capibi ou Zizito. O primeiro se refere à população indígena da América do Sul, o povo da terra. Já o segundo nome é em homenagem ao já falecido Zizinho, craque da Copa de 1950 e maior artilheiro da Copa América com 17 gols.

Os votos serão computados em enquetes nos perfis da Copa América no Facebook e Twitter até o dia 12 de abril.

A escolha de uma capivara para ser mascote da Copa América gerou brincadeiras nas redes sociais. Alguns internautas chegaram a dizer que o desenho se parece mais com um peixe-boi. Outros ironizaram que a capivara homenageia Ronaldinho Gaúcho, por conta dos dentes proeminentes.

 

Repórter Juliana Gonçalves

Agência do Rádio