Centro de Defesa das Mulheres emite Nota de Repúdio contra secretário municipal de juventude, esporte e lazer de Cajazeiras

porpjbarreto

Centro de Defesa das Mulheres emite Nota de Repúdio contra secretário municipal de juventude, esporte e lazer de Cajazeiras

Conhecido como um homem agressivo e bastante violento, o secretário municipal de juventude, esporte e lazer de Cajazeiras, Francisco Elmo Lacerda dos Santos se envolveu mais uma vez em grande confusão que acabou na delegacia de polícia local.

De acordo com informações de testemunhas, o referido secretário teria se desentendido com uma colega de trabalho no interior de uma repartição pública e acabou agredindo a servidora.

Em (21) de dezembro de 2016, Elmo Lacerda foi detido e preso em flagrante pela Polícia Militar do 6º BPM, acusado de quebrar móveis e objetos da residência do namorado de sua mãe e não fosse o suficiente, o mesmo agrediu violentamente seu padrasto.

Abaixo, a íntegra da nota de repúdio:

Nota Pública de Repúdio aos Agressores de Mulheres em Cajazeiras

O Centro de Defesa das Mulheres Márcia Barbosa de Souza e a Marcha Mundial das Mulheres, Núcleo Fátima Cartaxo, vem a público denunciar e repudiar as atitudes agressivas e violentas cometidas no dia quatro de setembro de 2020, pelo Secretário Municipal de Esportes, Elmo Lacerda, contra uma Funcionária Pública Municipal dentro do CRAS – Centro de Referência em Assistência Social. O Secretário além de agredir a vítima desrespeitou uma instituição séria que atua em defesa das pessoas em situação de vulnerabilidade social.

Esta é a segunda vez que vem a público este tipo de violência institucional cometida contra as mulheres, por pessoas que ocupam cargos de confiança na equipe gestora da Administração Municipal de Cajazeiras. Exigimos respeito às mulheres e que o Administrador Municipal de Cajazeiras aplique a punição devida com a perca do cargo ao Secretário Agressor e não venha punir a vítima como aconteceu no caso de violência cometida por assessores da gestão atual contra a ex-coordenadora do CRAM, Francilma Mendes, também vítima do machismo e de agressores de plantão pagos com os recursos públicos.

A violência institucional contra as mulheres se caracteriza como crime e grave problema a ser enfrentado, trazendo inúmeras consequências à sociedade, bem como, sequelas psicológicas e físicas às mulheres vítimas dessa violência. Cabe ao Município combater a violência contra as mulheres em todas as instâncias e não permitir que seus agressores repitam práticas machistas, sexistas, opressoras e criminosas.

É preciso romper o silêncio quanto à violência institucional contra as mulheres praticadas no interior da administração pública. O assédio moral e as ameaças dirigidas pelo secretário a funcionária do CRAS não podem ser relativizados pela gestão municipal. A Marcha e o CDM – Márcia Barbosa denunciam esta violência e cobram ação efetiva da administração pública quanto ao compromisso de enfrentamento a violência contra as mulheres no Município de Cajazeiras. É inadmissível que um agressor permaneça na função de secretário após agredir, humilhar e ameaçar publicamente uma mulher no seu ambiente de trabalho. A não punição deste agressor é a conivência com as práticas de violência institucional praticadas por ele e a falta de compromisso com o enfrentamento a violência contra as mulheres.

Punição aos agressores! É Pela Vida das Mulheres!

Cajazeiras, 09 de setembro de 2020.

 

Nota Pública de Repúdio aos Agressores de Mulheres em Cajazeiras

 

Centro de Defesa das Mulheres Márcia Barbosa de Souza.

Marcha Mundial das Mulheres – Núcleo Fátima Cartaxo

Assessoria

Sobre o Autor

pjbarreto editor

Deixe uma resposta