Parceria Asplan/Senar possibilita multiplicação e distribuição de clones promissores de cana-de-açúcar

porpjbarreto

Parceria Asplan/Senar possibilita multiplicação e distribuição de clones promissores de cana-de-açúcar

Graças a uma parceria da Associação dos Plantadores de Cana da Paraíba (Asplan) com a Assistência Técnica e Gerencial (ATeG) do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) produtores rurais paraibanos receberam clones promissores de cana-de-açúcar da RB-021754 e RB-041443. A distribuição do material foi feita nesta terça-feira (01), na Estação Experimentação do Camaratuba. Os clones que têm diferenciais que agregam mais valor a matéria-prima direcionada às indústrias foram desenvolvidos pela Ridesa, na estação de Carpina (PE). Dos 50 produtores que são atendidos pelo ATeG, nas regiões Norte e sul, 14 foram beneficiados com a distribuição de uma tonelada de semente dos dois clones.

O diferencial desses clones, explica o engenheiro agrônomo da Asplan, Luis Augusto, são a adaptabilidade às condições diversas para o plantio, como variações de solo ou de índices pluviométricos, além deles terem um maior índice de Açúcar Total Recuperável (ATR). “Como a remuneração dos produtores de cana é baseada no ATR, quando a matéria-prima tem índices maiores de ATR, isso influencia diretamente no ganho do produtor”, reitera Luis.

O agrônomo da Asplan, Luis Augusto, destaca outro aspecto importante sobre essa pesquisa científica no segmento de cana-de-açúcar que não recomenda concentrações de variedades cultivas superiores a 20%. “A Paraíba tem uma predominância em torno de 60% da cana 579. Assim, a distribuição destes clones contribui também para a diversificação dos cultivos e, consequentemente, para dar mais segurança à produção”, atesta ele.

Ainda segundo o engenheiro agrônomo da Asplan, a RB-021754 tem se mostrado precoce e com alta produtividade em termos de toneladas por hectare e também de ATR. O produtor Cléber Guedes foi um dos que se beneficiou com a parceria. “Se não fosse esse trabalho feito em conjunto pela Asplan e Senar, nós não teríamos a oportunidade de receber clones promissores como esses”, disse o produtor.

O diretor do Departamento Técnico da Asplan, Neto Siqueira, reforça a importância deste trabalho e da atuação da Asplan na melhoria dos processos de produção local. “O nosso departamento técnico tem também o objetivo de testar e trazer inovações tecnológicas e fazer a difusão e multiplicação de mudas e sementes de qualidade. Esses clones, por exemplo, foram conseguidos com a Ridesa, numa parceria que nós temos há mais de 20 anos e que colocamos agora à disposição do produtor”, afirma Neto.

Segundo dados da Asplan, o clone RB-021754  oferecido aos produtores tem uma performance e uma produtividade por hectare 8,79% maior do que a variedade 579, que predomina no Estado, e também maior percentual de ATR, algo em torno de 2,09%  mais. Já o clone RB-041443 apresenta um resultado superior de 27,63% de tonelada de cana por hectare em relação a 579.

O técnico de campo do Senar, Erik Amorim, responsável pelo trabalho, lembra que essa ação possibilita o acesso aos produtores paraibanos de uma tecnologia que já existe em outros locais. “Nós trazemos a tecnologia que já está estabelecida, em grandes centros e em empresas, para a realidade do produtor paraibano, adaptando isso para o seu potencial, levando em consideração as suas dificuldades e condições da sua propriedade. Isso significa trazer a ciência para dentro da fazenda”, disse Erik, lembrando que o Senar-PB foi pioneiro em nível nacional na oferta da ATeG focada em cana.

 

Assessoria

Sobre o Autor

pjbarreto editor

Deixe uma resposta