Covid-19: após denúncia que ‘Hospital de Campanha’ de Romero é de fachada, mais um paciente tenta fugir da unidade

porpjbarreto

Covid-19: após denúncia que ‘Hospital de Campanha’ de Romero é de fachada, mais um paciente tenta fugir da unidade

Apesar da propaganda institucional do prefeito de Campina Grande Romero Rodrigues (PSD), nos meios de comunicação tentar nas últimas semanas passar uma áurea de que está conseguindo atuar de forma humana e necessária a demanda de casos de Covid-19 na cidade. A realidade trazida pela população nas redes sociais e canais oficiais é bem outra. São várias as denúncias de que Hospital Municipal Pedro I, onde supostamente foi entregue o ‘Hospital de Campanha’ por Romero que está é só de ‘fachada’. Na tarde de ontem (14), mais um paciente tentou fuga da unidade hospitalar.

Esse foi o segundo caso de uma tentativa de fuga de um paciente do hospital referência no combate ao novo coronavírus administrado pelo prefeito. O primeiro foi de uma senhora diagnosticada com Covid-19 que conseguiu fugir na semana passada, durante a noite, só sendo encontrada no dia posterior pela polícia nos arredores do bairro da Estação Velha em Campina.

Ontem a tarde foi à vez de um paciente diagnosticado com o vírus que quebrou uma janela de vidro para ter acesso a área externa. O homem foi retirado do telhado por uma equipe do Corpo de Bombeiros. Veja o vídeo no anexo ou no link: https://www.instagram.com/p/CCqSeiwJjTk/?igshid=1n0vgh2var00y

Há poucos dias houve a denúncia de descaso por familiares de pacientes internados no hospital de campanha de Romero que afirmaram erros de diagnósticos nos pacientes. “Boa tarde, na manhã do dia 10 de junho me ligaram dizendo que meu pai estava morto no ‘Hospital de Campanha’, mas no dia 10 de junho eu e meus familiares fomos visitar e vimos que meu pai estava vivo ainda. E às 19h Dr. Fábio (médico do Hospital de Campanha), me ligou confirmando que meu pai estava vivo”, diz a familiar do paciente revoltado. Veja o vídeo no link: https://www.instagram.com/tv/CBYXAwDjAfG/?igshid=zks9swwqcgu5

No mesmo vídeo acima a neta do paciente disse: “Não vão nos calar. Que palhaçada é essa que estão fazendo? Alegaram que meu avô estava vivo até o dia 11, que ele faleceu no dia 12 e agora ligam pra cá́ dizendo que ele faleceu dia 10. Como assim? Como pode isso? Que palhaçada isso? Quantas dores vocês vão causar mais a minha família e a tantas outras. Isso não é só́ por meu avô não, isso não vai trazer meu avô de volta não. Isso é por outras pessoas que vão ou estão passando pelo mesmo que meu avô e que minha família está passando. Isso tcé uma palhaçada parem com isso! Peço que compartilhem, por favor”, comentou no post: https://www.instagram.com/tv/CBYXAwDjAfG/?igshid=zks9swwqcgu5

Noutro post, a mesma neta do familiar faz um apelo: “Por meio desse vídeo, nos estamos aqui para compartilhar nossa tristeza e indignação em relação ao Hospital de Campanha Pedro; pela falta de empatia com os pacientes e familiares. Peço que assistam o VÍDEO e COMPARTILHEM, para que mais nenhuma família venha passar pela dor que estamos passando. Desde já agradeço pelas Orações e torcidas por meu Vô Biu, obrigada de coração mesmo”, comentou: Assista: https://www.instagram.com/tv/CBWkE3-loJ7/?igshid=girxziocorbm

“Chega de mentiras prefeito. Não sei se isso é Politicagem ou se estão querendo abafar as mortes pra não causar Pânico na população de Campina Grande. Falem a verdade, deixem de mentira, coloquem os números de óbitos certos”, afirmou por fim a familiar do paciente. Confira: https://www.instagram.com/tv/CBWw7nQjH-t/?igshid=jeb1fmvs575w

Há poucos dias, através das suas redes sociais, o pastor José Rafael externou sua indignação pelo fato do Governo Romero Rodrigues ter novamente desrespeitado pacientes e famílias que estão recebendo tratamento desumano em plena pandemia do Coronavírus no Hospital Pedro I. https://www.instagram.com/pr_jrafael/?igshid=1jrjexslnd3zt

MP encontra subpreços em Campina – Semana passada o Ministério Público da Paraíba (MPPB) analisou as despesas públicas relacionadas ao combate à covid-19 que foram realizadas pelos dez maiores municípios paraibanos e constatou, em TODOS eles, irregularidades, com destaque para o sobrepreço nos produtos, insumos e serviços. Vinte e cinco relatórios de auditoria sintéticos foram elaborados e serão encaminhados aos promotores de Justiça que atuam na defesa do Patrimônio Público para que tomem conhecimento dos fatos e adotem, eventualmente, as medidas extrajudiciais e/ou judiciais necessárias. Entre as cidades está à gestão do prefeito de Campina Grande Romero Rodrigues (PSD) e do seu vice-prefeito Enivaldo Ribeiro (PP), que já recebeu do governo federal dezenas de milhões de reais para o combate a pandemia. Veja a denúncia do MPPB na integra: http://www.mppb.mp.br/index.php/36-noticias/patrimonio-publico/22381-mppb-analisa-despesas-dos-dez-maiores-municipios-da-pb-com-o-combate-a-covid-19-e-constata-sobrepreco

DENÚNCIAS – Em Campina, a gestão Romero vem sendo alertada pelo Ministério Público do Trabalho (MPT), pelo Sindicato dos Médicos de Campina Grande e Região e demais órgãos de fiscalização da saúde pública da cidade, da necessidade da prefeitura cuidar dos seus servidores disponibilizando equipamentos de Proteção Individual (EPI´s), equipamentos esses que não tem chegado a diversas categorias de servidores, como os garis e profissionais da saúde. Outra denúncia que vem sendo feita por meio das redes sociais, se refere aos profissionais da saúde do Hospital Municipal Pedro I, que denunciam que o hospital de campanha, entregue por Romero semana passada, afirmaram que a unidade hospitalar é só de ‘fachada’, pois até a entrega não tinha nenhum equipamento necessário para seu funcionamento. Veja: https://www.polemicaparaiba.com.br/cidades/campina-grande/covid-19-profissionais-da-saude-de-cg-denunciam-que-hospital-de-campanha-da-gestao-romero-e-so-de-fachada/

Mês passado por meio de uma carta aberta, constando uma denúncia referente às condições de trabalho dos profissionais do Samu da cidade foi divulgada nas redes sociais. A principal queixa presente no texto estava relacionada a falta de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) para a atuação com segurança desses profissionais.  Confira: https://paraibaonline.com.br/2020/04/medico-denuncia-falta-de-epis-suficientes-no-samu-de-campina-grande/

UBSF´s fechados – Também nesta semana, profissionais da saúde municipal denunciaram que 21 Unidades de Saúde da Família (UBSF) por falta da distribuição por parte da prefeitura de Equipamentos de Proteção Individual (EPI’s).

https://www.expressopb.com.br/2020/05/12/prefeito-de-cg-fecha-21-postos-de-saude-em-plena-pandemia-de-coronavirus/

 

 

Redação

Sobre o Autor

pjbarreto editor

Deixe uma resposta