Presença nos meios digitais não será dispensada com reabertura do comércio, afirma especialista

porpjbarreto

Presença nos meios digitais não será dispensada com reabertura do comércio, afirma especialista

Isolamento social mostrou a empreendedores que é preciso se relacionar com clientes não só em aplicativos de mensagens

O desempenho das vendas nos estados brasileiros que começaram a reabrir o comércio indica que a retomada da economia será lenta, com consumidores preocupados com o risco de contaminação e de perda do emprego. Ainda não há estatísticas consolidadas, mas trabalhadores e lojistas desses locais relatam que, em geral, o movimento está abaixo da média registrada antes da pandemia, com foco ainda nos produtos de primeira necessidade. “Grande parte da população seguirá receosa e, por causa disso, a força do digital deve continuar pelos próximos meses”, afirma Tarcísio Júnior, especialista em soluções de tecnologia.

Segundo ele, o momento deve ser de consolidação das estratégias digitais e de entender que o relacionamento com o cliente deve ir além dos aplicativos de mensagens e redes sociais. “Muitos empreendedores estão entendendo que o atendimento, as demandas de vendas e informações sobre os produtos precisam de profissionalização”, explicou. “Quando limitam essas ações ao WhatsApp ou aos directs de Instagram, por exemplo, estão deixando de vender com mais abrangência”, complementou.

Segundo Tarcísio, com a implantação do e-commerce, tudo fica mais rápido e eficaz. “Trabalhando em múltiplos canais, incluindo as plataformas de comércio eletrônico, pessoas de outras localidades também podem se tornar clientes, ampliando a presença de mercado do negócio”, acrescentou. “Essa forma de atuação vai contribuir para uma maior produtividade e aumentar a agilidade dos processos de vendas. Essas vantagens são fundamentais para o empreendedor (que está migrando ou migrou para o mundo digital) driblar esse momento difícil”.

Medo do novo

Alguns fatores podem atrapalhar o empreendedor nesse processo de migração do físico para o virtual, segundo o especialista. “A gente observa que muitos ainda têm medo do novo, de aderir a uma nova forma de vender e atender; temem a falta de logística; não sabem como responder aos questionamentos dos clientes pela plataforma; não entendem o fato de que trabalhar em multicanais de vendas pode ampliar suas vendas e manter o estabelecimento comercial ativo neste momento de isolamento social”, alertou, ressaltando que todo processo de mudança tem orientação e acompanhamento, mas alguns empreendedores não atinam para isso.

 

Assessoria

Sobre o Autor

pjbarreto editor

Deixe uma resposta