“Buscamos uma sociedade fraterna para uma solução pacífica das controvérsias”, diz ministro do STJ em evento na JFPB

porpjbarreto

“Buscamos uma sociedade fraterna para uma solução pacífica das controvérsias”, diz ministro do STJ em evento na JFPB

Reynaldo Soares proferiu palestra e lançou o livro “Princípio Constitucional da Fraternidade”, nesta sexta-feira (08)

O ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Reynaldo Soares da Fonseca, esteve, nesta sexta-feira (08), na sede da Justiça Federal na Paraíba (JFPB), em João Pessoa, para proferir uma palestra e lançar o livro “Princípio Constitucional da Fraternidade”. Na ocasião, ele falou sobre a necessidade de se debater o tema e pontuou: “Estamos em busca de uma sociedade fraterna que promova uma solução pacífica das controvérsias”. Várias autoridades prestigiaram o evento, entre magistrados, políticos, empresários e interessados na discussão sobre os direitos de liberdade e igualdade junto à Constituição.

 “É uma honra para a Justiça Federal na Paraíba ​promover o debate sobre o ‘princípio constitucional da fraternidade’ e sua aplicação no âmbito da Justiça, especialmente por que é um tema que, apesar de estar no preâmbulo da Constituição Federal, é pouco observado e estudado, mas tem eficácia e é importantíssimo para as relações sociais e jurídicas”, destacou o diretor do Foro, juiz federal Bruno Teixeira de Paiva.

De acordo com o desembargador federal Rogério Fialho, “o ministro Reynaldo investigou, com profunda responsabilidade, a fraternidade sob o aspecto jurídico e não só como tradicionalmente é estudada, seguindo conceitos da filosofia ou religião”.

O diretor da Escola de Magistratura Federal da 5ª Região – Núcleo Paraíba (ESMAFE/PB), juiz federal Bianor Arruda, reiterou a importância da temática do evento. Para ele, o livro trata de ideias que precisam ser discutidas não só entre os magistrados, mas também com a comunidade jurídica de maneira geral. “É uma obra que revela o cuidado que os juízes devem ter no julgamento de algumas matérias, levando-se em consideração uma identidade mais humana”.

De acordo com o ministro, o tema foi resgatado no Brasil por um grande paraibano que hoje é emérito da Universidade Federal do Ceará, Paulo Bonavides. “Foi ele o brasileiro que trouxe, do Direito Europeu, o debate sobre esse assunto tão importante para o século XXI. Com o livro, fruto de minha dissertação de mestrado, estamos fazendo um resgate daquilo que a nossa Constituição fala desde o seu preâmbulo. Precisamos compreender a fraternidade como experiência possível, efetiva, levando em consideração a interdisciplinaridade dos estudos e do diálogo entre as culturas”, complementou.

O procurador da Fazenda Nacional e titular da Secretaria Nacional de Proteção Global, Sérgio Queiroz, fez a apresentação do livro. “Estamos passando por uma reflexão sobre como o princípio da fraternidade serve de base às relações sociais na luta pelos direitos de liberdade e igualdade. A fraternidade ajuda a promover a paz social”, discursou.

Assessoria de Comunicação 
Justiça Federal na Paraíba – JFPB

Sobre o Autor

pjbarreto editor

Deixe uma resposta