Arquivo mensal outubro 2019

porpjbarreto

Deficientes visuais recebem curso de auto-maquiagem em Campina Grande

Onde tem amor tem beleza. Com este mote, dez mulheres deficientes visuais tiveram uma tarde diferente, repleta de auto-estima, empoderamento e alegria, no Shopping Luíza Mota, em Campina Grande. Elas receberam gratuitamente aulas de como se maquiar, a partir do toque no rosto, nos produtos e nos pincéis. O momento especial foi promovido pelo Boticário. Em mesas separadas, com a ajuda de auxiliares da marca, cada uma das mulheres aprendeu o passo a passo, desde o preparo, com a limpeza da pele, até a aplicação da base, corretivo e finalização com batom. Uma das participantes foi a estudante Brenda Feitosa. Para ela, a oportunidade foi a realização de um sonho. “Eu sempre tive o sonho de aprender a me maquiar sozinha para me tornar ainda mais independente e este projeto me proporcionou isso. Me senti linda, maravilhosa e cheia de vida. Eu só tenho a agradecer pelo convite de participar desta iniciativa que reuniu tantas mulheres incríveis para reforçar que a beleza está em nós”, celebrou.

As aulas foram ministradas pela maquiadora  Mayara Cavalcanti, da cidade de Esperança.  “Foi um convite que me emocionou muito. Eu estudei muito, assisti vários vídeos para me especializar na didática que seria ministrada no evento”, conta Mayara. “Vê-las felizes, empoderadas e com a autoestima lá em cima foi emocionante. Não poderia estar mais feliz com o resultado lindo desta uma experiência. É um projeto lindo que, realmente, proporciona um momento único a todas essas mulheres”, contou a maquiadora. “É muito gratificante ter a oportunidade de proporcionar um momento único para essas mulheres e mostrá-las que há beleza também nas diferenças. Nós colocamos em prática iniciativas de inclusão dentro e fora da empresa e isso nos motiva a incentivar cada vez mais pessoas. A missão de reforçar o propósito e os valores da marca, que são sempre pautados no respeito, empatia e amor ao próximo, foi cumprida”, reforçou Glênia Gentil, diretora comercial da Gentil Negócios, franqueada O Boticário de Campina Grande.

Vida nas palavras – Para deixar o momento ainda mais especial, as deficientes ouviram o flash talk  da professora especialista em Gestão Estratégica e Mestre em Desenvolvimento Regional, Hérica Cabral, sobre valores humanos.  “Foi uma tarde perfumada, linda e especial, que trouxe tantos ensinamentos pra gente. Tivemos a oportunidade de reforçar a importância do amor, empatia e respeito como valores essenciais na nossa vida”, conta. Segundo ela, em um cenário que grande parte das empresas se preocupam apenas com lucro e cumprimento de metas, esta iniciativa é surpreendente e emocionante. “O amor, empatia, compaixão, boas maneiras e gentileza não são temas muito valorizados nas grandes empresas, que focam mais nos afazeres e valores econômicos. Por isso, estou muito feliz e realizada de participar desta ação, principalmente pelo fato de não ter conhecimento de outras ações como esta. Acredito que hoje, O Boticário, é pioneiro nesta iniciativa”, declara Hérica. As participantes puderam conferir, posteriormente, ainda a apresentação musical da banda do Instituto dos Cegos da Paraíba.

Assessoria de Imprensa

porpjbarreto

Câmara Municipal de Patos realiza sessão especial pelos 50 anos de regulamentação da Fisioterapia e homenageia profissionais da área

Regulamentada no dia 13 de outubro de 1969, com o Decreto-Lei 938, a Fisioterapia se legitimou como profissão e completa, este ano, meio século de reconhecimento como uma Ciência da Saúde que estuda, previne e trata os distúrbios cinéticos funcionais intercorrentes em órgãos e sistemas do corpo humano, gerados por alterações genéticas, por traumas e por doenças adquiridas. E foi para homenagear profissionais da área e enaltecer a importância do fisioterapeuta e marcar os 50 anos do reconhecimento da atividade que a Câmara Municipal de Patos realizou, na noite desta quarta-feira (30), uma sessão especial, que foi conduzida pela presidente da Casa, a vereadora Tide Eduardo. A diretora geral do Complexo Hospitalar Regional Deputado Janduhy Carneiro, Liliane Sena, profissional formada em 2007, pela UFPB, foi uma das homenageadas.

Em seu discurso, Liliane destacou a importância e diferença que faz um fisioterapeuta na equipe interdisciplinar e enalteceu a necessidade dos profissionais irem além do reabilitar. “Nós não apenas reabilitamos as pessoas, somos promotores de saúde também, por isso, digo sempre, principalmente, a quem está começando na profissão que é necessário sair dos ‘muros’ e enxergar além porque nossa profissão é ampla e múltipla”, disse ela, ressaltando o espaço aberto pelo SUS como excelente e principal campo de atuação da Fisioterapia, na atualidade. Em seu discurso, Liliane lembrou do professor Dailton Lacerda, como sendo um expoente de sua formação, e da mudança da grade curricular do curso que aperfeiçoou, ainda mais, a formação dos profissionais da área.

As cinco décadas de regulamentação da profissão, foi lembrada durante a sessão especial com homenagens a diversos profissionais da área, alguns dos quais, receberam Voto de Aplauso. Todos fizeram discursos onde destacaram os fundamentos da profissão, a finalidade de restaurar, desenvolver e conservar a capacidade física do paciente, abordaram a Fisioterapia no mercado de trabalho, bem como seus avanços e desafios.

Assessoria 

porpjbarreto

Carro com cinco mulheres capota na BR-230, em Cajazeiras

No início da tarde desta quinta-feira, dia 31 de outubro, um carro capotou na BR-230, próximo do Posto da Polícia Rodoviária Federal, em Cajazeiras.

O carro modelo Fiat Uno de placas NPW-1776 Cachoeira dos Índios, estava ocupado por cinco mulheres, quando a condutora perdeu o controle, subiu em um barranco vindo a capotar.

Todas as cinco ocupantes ficaram feridas e foram socorridas com lesões por ambulâncias do SAMU e uma ambulância de Cachoeira dos Índios que passava pelo local.

Nossa reportagem também flagrou o cabeleireiro Fagner Correia, da cidade de Cachoeira, prestando apoio às mulheres feridas até a chagada dos socorristas.

A PRF esteve no local adotando os procedimentos cabíveis.

Duas das cinco ocupantes foram identificadas como sendo, Claudia e Jonária. Os outros nomes não foram repassados a nossa reportagem.

 

Fonte: Blog do Ângelo Lima

porpjbarreto

Espaço que abrigará o arquivo da Câmara Municipal de Cajazeiras tem previsão para inaugurar até próximo dia (20) de novembro

Em contato na manhã desta quinta-feira (31), com o presidente da Câmara Municipal de Cajazeiras, o Vereador José Gonçalves de Albuquerque “Deuzinho da Arara” (PTC), o mesmo informou que até o próximo dia (20) de novembro do ano em curso, entregará à sociedade cajazeirense, um novo espaço que abrigará o arquivo documental da Câmara Municipal.

“Deuzinho da Arara” mostrou sua satisfação em declarar que além do arquivo que retorna ao anexo do Poder Legislativo, entregará aos usuários daquele poder, um elevador novo, serviço de primeira qualidade.

Estou muito satisfeito, pois em apenas um ano como presidente da Câmara, nós implantamos melhorias que não foram realizadas há décadas atrás; trocamos carpetes, compramos equipamentos de sonorização, painéis eletrônicos para registrar os votos das matérias e projetos dos colegas vereadores, adquirimos um elevador novo, para as pessoas com mobilidade reduzida, estamos trazendo os documentos originais da Câmara, para perto desse poder e não pagar aluguel por uma casa, para abrigar o nosso arquivo, enfim, são muitas conquistas e outras virão. No próximo ano, em 2020, nós vamos comprar um carro e uma motocicleta para à Câmara, não faremos mais licitação para locação de veículos, estamos tentando utilizar da melhor forma possível os recursos públicos”, ressaltou “Deuzinho”.

Redação – fmrural.com.br

porpjbarreto

Jeová defende estadualização de estrada em São João do Rio do Peixe e derrubada do Veto do Governo a proposta

A Comissão de Orçamento, Fiscalização, Tributação e Transparência da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), deu parecer favorável à derrubada do veto do Governo do Estado a respeito do Projeto de Lei de nº 1.747/18 de autoria do deputado Jeová Campos (PSB). A matéria dispõe sobre a estadualização de uma estrada vicinal no município de São João do Rio do Peixe, no sertão paraibano. O PL foi apreciado na última terça-feira (29), na reunião da Comissão. O parecer da Comissão deve ir para votação em plenário nos próximos dias.

Segundo o deputado Jeová Campos, a estrada é importante porque há um tráfego intenso de carros no trajeto solicitado que vai do início do entroncamento da BR-405, no sítio de Varzinha, no município de São João do Rio do Peixe, passando pelos sítios Mundo Novo, Cachoeira da Moça, cruzando a Rodovia estadual PB-391 e em seguida passa pelos sítios Água Branca, Engenho Velho, Açudinho, terminando no Distrito de Bandarra, em São João do Rio do Peixe. “O trecho hoje existente é de responsabilidade municipal, mas com o imenso número de veículos que passam pela região, sabemos que fica difícil os municípios manterem sua preservação com tão poucos recursos. Por isso, solicitei a sua estadualização”, justificou o parlamentar.

O veto do Governador João Azevedo, porém, afirma que a propositura acarretará “considerável aumento de despesas”, visto que o Departamento de Estradas e Rodagem (DER) será responsável pela manutenção e fiscalização da referida rodovia. “Se convertida em Lei, esta propositura trará consigo considerável aumento de despesas sem a prévia indicação de fonte de custeio, comprometendo as finanças do estado. Afinal, o DER passará a se responsabilizar pela manutenção, conservação e segurança da rodovia”, justificou o Governo do Estado a vetar a proposta. De acordo com Jeová, mesmo sendo da base do governo, ele buscará convencer seus colegas a derrubar o veto, haja vista, o pleito ser importante e não pesará nas finanças estaduais.

Assessoria de Imprensa 

porpjbarreto

Senadores criticam proposta da Aneel para taxar geração de energia solar

Senadores da Comissão de Infraestrutura (CI) questionaram nesta quinta-feira (31) mudanças propostas pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) nas regras de compensação da energia gerada pela mini e pela microgeração distribuída, como é o caso da energia solar. As alterações incluem a cobrança pelo uso da rede elétrica e a suspensão gradual de outros subsídios, o que, na avaliação de parlamentares, vai desestimular investimentos em energias renováveis.

A Aneel abriu uma consulta pública em outubro para rever as regras que tratam da chamada geração distribuída (GD) previstas na Resolução 482, editada pela agência em de 2012 e revista em 2015. Nessa modalidade, consumidores podem gerar a própria energia elétrica em suas residências, empresas ou propriedades rurais. Hoje, com a instalação de placas solares em seus telhados, os consumidores podem entregar a energia excedente ao sistema elétrico pelas redes das distribuidoras e receber a energia de outras fontes de geração do sistema à noite. O excedente fica como crédito e pode ser usado para o abatimento de uma ou mais contas de energia do mesmo titular.

A resolução também estabeleceu subsídios para incentivar a geração caseira de energia, como a isenção do pagamento de tarifas pelo uso da rede elétrica e de outros componentes da conta de energia, como os encargos setoriais (que geram receita para subsidiar programas sociais como a tarifa social e o programa Luz para Todos, por exemplo).

Na visão da Aneel, o crescimento da geração distribuída traz um problema: a transferência de custos do sistema elétrico aos demais consumidores. O diretor da agência, Rodrigo Limp, ressaltou que esses incentivos são cobrados de todos os consumidores e que o “crescimento exponencial” da energia solar pode acarretar aumentos na conta de luz. Com a revisão da norma, a intenção da agência reguladora é reduzir gradualmente esses subsídios.

— Em 2015, a gente já identificava que esse modelo de compensação não é sustentável em longo prazo — afirmou o diretor da Aneel.

Limp afirmou que o mercado de energia distribuída continuará atraente com as mudanças sugeridas pela Aneel. Pelos cálculos da agência, a taxa de retorno do investimento, ou seja, o tempo para uma pessoa recuperar o dinheiro investido após instalar os painéis solares subirá, segundo ele, “apenas um ano e meio” em média.

A preocupação da Aneel é compartilhada pelo representante do governo. O diretor do Departamento de Políticas Sociais e Universalização do Acesso à Energia Elétrica do Ministério de Minas e Energia (MME), Antônio Celso de Abreu Júnior, defendeu a busca de um equilíbrio no texto que garanta tarifa justa para os microgeradores de energia e que não inviabilize a taxa de retorno do investimento.

— Todo mundo quer instalar painel fotovoltaico. Aumentando o número, o mercado cai e isso afetará a receita da distribuidora. Afetando a receita, elas [as distribuidoras] têm que repassar os custos — assinalou.

Representante da Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica (Abradee), Marcos Aurélio Madureira apontou que projeções da Empresa de Pesquisa Energética (EPE) indicam que, se as regras atuais forem mantidas, 25% da energia gerada no Brasil em 2050 virá da GD. Segundo ele, os subsídios já cumpriram a função de estimular o setor.

— Nosso entendimento é que as fontes renováveis já são sustentáveis. Por isso, os subsídios já cumpriram a sua missão — defendeu.

Crescimento

Desde a regulamentação da resolução 482/2012 pela Aneel, foram implantadas mais de 120 mil unidades consumidoras com micro ou minigeração. Mas, conforme a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), isso representa apenas 1% da matriz energética e beneficia 0,2% dos 84 milhões de consumidores brasileiros. Conselheiro da Absolar, Rodrigo Marcolino defende a manutenção das regras atuais para expansão do setor. Ele ressaltou que a geração distribuída, conectada ao sistema elétrico, reduz os custos de geração e transmissão de energia para as concessionárias.

— Se eu tiro uma pessoa dessa conta e os outros ficam com essa conta, eles vão pagar mais caro, mas se essa pessoa que sai está contribuindo para reduzir essa conta aí é outra conversa. A geração distribuída traz benefícios para a conta diminuir, traz alívio de carga. Os custos rateados por todos os consumidores são menores. Não somos contra remuneração da rede, não somos contra alocação correta de custos, mas tem que considerar os benefícios da geração distribuída — argumentou.

A Absolar destaca ainda os benefícios ambientais do crescimento da energia limpa na matriz energética e pede que o Congresso avance em um marco regulatório para garantir segurança jurídica ao setor. Marcolino ressaltou que muitos países definiram metas de “telhados solares” e sugeriu que o Brasil chegue a um milhão de painéis fotovoltaicos instalados até 2022 e cinco milhões até 2030, antes de rever os incentivos.

— Uma questão que onera muito a geração distribuída é a instabilidade regulatória — afirmou.

O senador Major Olímpio (PSL-SP) concordou com os argumentos do representante da Absolar. Segundo ele, quanto mais energia fotovoltaica e eólica, menor será o acionamento de termelétricas e, consequentemente, menor será o valor da energia. O senador considera que a proposta da Aneel vai inviabilizar o crescimento da geração distribuída ainda no seu nascedouro.

— A proposta vai inviabilizar esse tipo de energia no Brasil. Não vamos taxar o sol — criticou.

A opinião de Major Olímpio é a mesma do senador Izalci Lucas (PSDB-DF). Ele observou que a economia gerada por quem produz esse tipo de energia é o principal atrativo desse tipo de investimento.

— Hoje a participação da energia distribuída na matriz energética não chega a 1%. Precisamos atingir pelo menos 5% a 8% para depois pensar nessa questão. Acho que que foi muito precipitada essa proposta — avaliou.

A consulta da Aneel vai até 30 de novembro. Os senadores Jaques Wagner (PT-BA) e Carlos Viana (PSD-MG) pediram mais tempo para debater a proposta. Viana considera que essa talvez seja a oportunidade de rever todo o sistema elétrico.

— Estamos discutindo um modelo desenhado anos 1950. Talvez seja o momento de começarmos a pensar em um novo modelo estratégico de independência das regiões por base em energias renováveis — apontou o senador mineiro.

O diretor da agência, Rodrigo Limp, não descartou adiar a conclusão da consulta.

— Não temos óbice em fazer a discussão — disse Limp.

Fonte: Agência Senado

porpjbarreto

Justiça fixa pena de 23 anos de reclusão para homem acusado de estupro de vulnerável contra filha na cidade de Areia, na Paraíba

Por unanimidade e em harmonia com o parecer ministerial, os membros da Câmara Criminal do Tribunal de Justiça da Paraíba fixaram a pena de 23 anos e quatro meses de reclusão, em regime fechado, para Pedro Ediano da Silva, acusado da prática do crime de estupro de vulnerável contra sua filha, a época dos fatos, com 11 anos idade. A Apelação Criminal nº 0000070-77.2018..815.0071 apresentada pela defesa do acusado foi provida parcialmente e teve a relatoria do desembargador Arnóbio Alves Teodósio.

De acordo com os autos, no dia 16 de fevereiro de 2018, o acusado abusou sexualmente de sua filha, praticando com a mesma atos libidinosos diversos da conjunção carnal.

No 1º Grau, a juíza da Vara Única da Comarca de Areia, Alessandra Varandas, condenou o genitor pela prática dos crimes dispostos nos artigos 217-A e 213, § 1º, combinado com o artigo 69, todos do Código Penal, aplicando a pena de 25 anos de reclusão. Inconformada, a defesa pugnou pela absolvição do acusado, argumentando de que não há provas suficientes a ensejar a sanção condenatória. Arguiu não restar provada a materialidade delitiva e que o laudo sexológico restou prejudicado, pois a adolescente manteve outras relações sexuais, dentre outras.

No voto, o desembargador Arnóbio Teodósio afirmou que restou comprovado nos autos que o genitor praticou os abusos sexuais, desde quando sua filha possuía 11 anos de idade até completar 14 anos, configurada a prática do estupro de vulnerável e e estupro  qualificado, não havendo, assim, que se falar em absolvição fundada na insuficiência probatória.

“No presente caso, deve ser aplicada a regra da continuidade delitiva e não do concurso material de crimes, conforme estabelecida na sentença, pois os fatos foram praticados pelo mesmo agente e contra a mesma vítima, em semelhantes condições de lugar, tempo, circunstâncias e modo de execução, período que compreendeu a idade da ofendida dos 11 anos aos 14 anos”, disse o relator, tornando a pena definitiva em 23 anos e quatro meses de reclusão. Desta decisão cabe recurso.

Assessoria de Imprensa – TJPB

porpjbarreto

31 de outubro é Dia das Bruxas

Música: “Saci”, de Guto Graça Melo com o Papo de Anjo

Produção e apresentação – Luiz Cláudio Canuto

 

Agência Rádio Câmara

porpjbarreto

Polícia Federal faz operação contra contrabando de migrantes em SP

A Polícia Federal (PF) cumpre nesta quinta (31) oito mandados de prisão temporária e 18 mandados de busca e apreensão na Operação Estação Brás e Bengal Tiger contra o contrabando de migrantes e lavagem de dinheiro nas cidades em São Paulo, Embú das Artes (SP), Taboão da Serra (SP) e Garibaldi (RS). A PF considera esta uma das maiores operações internacionais já realizadas.

Desde maio de 2018, policiais investigam estrangeiros domiciliados em São Paulo que estariam liderando organização criminosa voltada à promoção de migração ilegal de pessoas para os Estados Unidos. Os inquéritos policiais tiveram cooperação policial internacional com a agência norte-americana de imigração U.S. Immigration and Customs Enforcement.

A polícia descobriu que o grupo criminoso agia solicitando refúgio e fornecendo documentos de viagem falsos (como passaportes, vistos e cartas de tripulantes marítimos) a migrantes ilegais oriundos de países como Afeganistão, Bangladesh, Índia, Nepal e Paquistão.

Os migrantes desembarcavam no Aeroporto Internacional de Guarulhos, seguiam para Rio Branco (AC), atravessavam a fronteira com o Peru e prosseguiam por via terrestre (ônibus, barco, carona e a pé) até a fronteira do México com os Estados Unidos.

Durante o processo, esses migrantes sofriam maus-tratos, como cárcere privado, agressões físicas e psicológicas. Oito migrantes bengaleses, inclusive, foram sequestrados por cartéis de drogas mexicanos, na cidade de Nuevo Laredo, na fronteira do México com os Estados Unidos em junho deste ano.

Segundo estimativa da PF, a organização criminosa movimentou ao menos 10 milhões de dólares entre 2014 e 2019. Os investigados responderão, na medida de suas participações, pelos crimes de contrabando de migrantes (qualificado pela submissão a condições desumanas e degradantes), lavagem de dinheiro e organização criminosa, com penas de três a dez anos de prisão, sem prejuízo de responderem por outros crimes que possam ser descobertos ao longo da investigação.

Agência Brasil

porpjbarreto

Pela primeira vez, profissionais de Santa Rita recebem incentivo financeiro do PMAQ

Profissionais que atuam nas unidades básicas de saúde de Santa Rita serão contemplados, pela primeira vez, com o benefício do Programa Nacional de Melhoria do Acesso e Qualidade (PMAQ), por meio de concessão de incentivo financeiro.

Numa iniciativa inédita no município, médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, auxiliares de saúde bucal e agentes comunitários foram avaliados em seu desempenho e receberão o valor, que será rateado conforme a lei em vigor.

De acordo com o prefeito Emerson Panta, do total dos recursos disponibilizados pelo PMAQ, 60% será destinado à premiação dos profissionais, e os outros 40% serão aplicados na estruturação física das unidades.

“Optamos por investir no pagamento de prêmio aos trabalhadores como forma de incentivo e valorização do servidor. O restante dos recursos será aplicado na construção de uma nova unidade de saúde”, explicou o prefeito, acrescentando que o pagamento dos profissionais acontecerá já nesta quinta-feira (31).

 

Secretaria de Comunicação Institucional