Neto de Lula morre aos 7 anos; petista pedirá autorização para ir ao velório

porpjbarreto

Neto de Lula morre aos 7 anos; petista pedirá autorização para ir ao velório

A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) vai pedir autorização à Justiça Federal para que ele compareça ao velório do neto, Arthur Araújo Lula da Silva, que morreu nesta sexta-feira (01). Arthur tinha 7 anos e foi vítima de meningite. Ele estava internado em um hospital em Santo André (SP).

No Twitter, a presidente do PT, deputada federal Gleisi Hoffmann, prestou condolências ao ex-presidente. “Faremos de tudo para que você possa vê-lo”, disse. Arthur esteve duas vezes em Curitiba para visitar o ex-presidente. Os pais dele são Marlene Araújo Lula da Silva e Sandro Luís Lula da Silva, filho de Lula com a ex-primeira-dama Marisa Letícia, que morreu em 2017.

O velório e o enterro estão previstos para este sábado (2), o que daria tempo para Lula se deslocar até São Paulo, caso consiga autorização judicial.

A Polícia Federal (PF) em Curitiba não tem expediente nesta sexta-feira (01). O expediente no prédio volta ao normal apenas na quarta-feira (6), depois do carnaval.

Pedido atendido tarde demais

Em janeiro, Lula havia pedido autorização judicial para comparecer ao velório do irmão, Genivaldo Inácio da Silva. O pedido da defesa do petista foi negado pela Polícia Federal, pela juíza carolina Lebbos, responsável pela execução penal do ex-presidente, e pelo Tribunal Regional Federal da 4.ª Região, apesar de a Lei de Execução Penal autorizar a saída em caso de falecimento de familiares próximos.

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, autorizou Lula a ir ao velório, mas a decisão saiu somente quando o enterro já estava acontecendo em São Paulo. Mesmo assim, o ministro autorizou Lula a se encontrar com a família, mas petista desistiu de sair da prisão, já que os familiares já tinham passagens compradas para visitá-lo no dia seguinte, em Curitiba.

Lula está preso em Curitiba desde abril do ano passado. Ele está cumprindo a pena de 12 anos e um mês de prisão estipulada em segunda instância no caso do tríplex no Guarujá.

 

Fonte: Gazeta do Povo

Sobre o Autor

pjbarreto editor

Deixe uma resposta